Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Tag

viver a vida

Se um dia…

SE UM DIA…

Se um dia eu voltar aqui

Quero ter poder de escolha

Onde nascer, com quem conviver

E aqueles com quem partilhar o amor

Não me importo em ter que lidar com a dor

Se puder ser acolhida, acolher, levar um pouco de calor

Quero poder estar perto, ser parte da natureza

Poder me extasiar com sua beleza

Quero me embriagar de magia

Viver entre poetas, ser a poesia

Se possível, estar na mata ou perto do mar…

A única riqueza que faço questão

É a de trazer bons sentimentos no coração

Não preciso de luxo ou ostentação

Troco tudo pela paz e o abraço de um irmão

De gente bonita de alma e amigos do coração

Quero nem muito pedir

Quero ser apenas gratidão

E ter vocês nessa vida de evolução…

Alda M S Santos

Paraíso

PARAÍSO

Tudo que é bom, que queremos bem definir

Nós chamamos de paraíso

Um lugar lindo e tranquilo é paraíso

Um local chique e sofisticado é paraíso

Um cantinho simples e mágico é paraíso

Um viver de respeito e carinho é paraíso

Um trabalho que nos agrada é paraíso

Um ambiente almejado, que acalma, é paraíso

Boas e verdadeiras amizades são paraíso

Um alguém que aquece e acelera o coração é paraíso

Relações saudáveis e amorosas levam ao paraíso

Boas lembranças, saudades, esperanças, são paraíso

Paraíso pode ser diferente para um ou para outro

Mas sempre irá remeter a um local ou situação sem problemas

Onde reinam a paz, o amor, a bem-aventurança

Aqui é lindo, sofisticado, a Lagoa Paraíso

Mas quantos paraísos temos no dia a dia

E sequer demos conta?

Quantos paraísos diários ignoramos?

Quando você se sente num paraíso?

Alda M S Santos

Busco

BUSCO

Busco lá fora algo que não encontro aqui dentro

Olho para o céu, inspiro o ar puro

Recebo a luz que vem do alto

E ela vem iluminando devagar cada canto escuro

Busco inspiração, conexão, energia

Tento encontrar no outro tão perto ou nem tanto

Um pouco de empatia, sinergia

Que me abra o sorriso e me cesse o pranto

Busco na natureza, nos seres da criação

Um complemento para minhas falhas

Algo imperioso, que me permita evolução

Busco nos amigos, nos meus “iguais”

O amor, a sintonia, a perfeita harmonia

Que nos faça ser mais irmãos, universais…

Alda M S Santos

É preciso viver

É PRECISO VIVER!

Construir um caminho

E não seguir sozinho

Ainda que sair do ninho

Não seja tão bom, passarinho

É preciso viver!

Não dá pra ser o próprio algoz

Nesse viver, às vezes, atroz

É como ser rio sem foz

Um desejo calado, um amor sem voz

É preciso viver!

Afrouxar os muitos nós

Fazer amor, apertar os abraços

Transformar “eu” em “nós”

Derreter nos amassos, criar eternos laços

É preciso viver!

Alda M S Santos

Vida desperdiçada

VIDA DESPERDIÇADA

Quantas lágrimas serão derramadas

Até nada haver mais para chorar?

Quantas quedas serão necessárias

Até cair de vez e não mais levantar?

Quantos medos irão nos consumir

Até a coragem os mandar sumir?

Quantos amores irão naufragar

Até desaparecer o desejo de nesse barco navegar?

Quanta luz está sendo apagada

Por palavras tão duras, tão mal faladas?

Quantas pessoas estão se perdendo

Por falta de carinho, envelhecendo?

Quantos sorrisos e quanto amor desperdiçado

Num viver tão assim questionado?

Quanta vida está sendo perdida

Com tantas lutas, tanta briga?

Não perca tempo!

Enquanto houver vida

Simplesmente, viva!

Alda M S Santos

Quero ser vida

QUERO SER VIDA

Quero ser a chuva que cai incessante

Que irriga a terra, lava a alma inconstante

E tem efeito calmante…

Quero ser o sol que aquece

Que inebria, amortece

Causa sonolência, amolece, adormece…

Quero ser a brisa que acaricia

Que vem suave, a pele arrepia

E nos deixa em transe, pura magia…

Quero ser a lua que banha

Ilumina os amantes, sem barganha

E neles provoca grande façanha…

Quero ser vida, tensão, paixão, emoção

A energia que flui de coração para coração…

Alda M S Santos

Mais colorido

MAIS COLORIDO

Quero pintar esse mundo doido, doído

De azul, vermelho, amarelo, rosa choque, toda a cor

Fazer um grande e bonito colorido

Quem sabe assim não ofusque todo dissabor?

Pincelar bem tudo que estiver desbotado

O abraço, o beijo, o cuidado, o olhar, o sorriso

Aquele de humor nublado, calado

E tudo o mais que for preciso

Quero levar a cor neon, brilhante

Numa grande paleta, uma aquarela

Ao idoso, jovem ou infante

Um abraço , um sorriso e uma flor amarela

A todos que precisarem dela…

Alda M S Santos

Uma fada me disse

UMA FADA ME DISSE

Um dia uma fada me disse

Que para ser feliz é preciso amor levar

Em qualquer situação, tempo ou lugar

Que tudo pode falhar, só o amor não pode faltar…

Ela é uma fada de grande coração

Sempre nos ensinando uma lição

O mundo precisa dar-se as mãos

Para, finalmente, serem mais irmãos…

A fada me fez ver a realidade

Que não devo me (pre)ocupar tanto com a humanidade

Se eu for carinho, luz, solidariedade

Já estarei agindo em nome da bondade

Fada é a luz da Natureza

E sempre encontra nela a maior riqueza

Aquela que nos aproxima de Deus, de Sua grandeza

Num encontro de rara e intensa beleza…

Um dia Fada Luz me falou

E seguindo seus passos estou…

Alda M S Santos

Seja repouso

SEJA REPOUSO

Quando tudo parecer pesar

A dor estiver difícil para suportar

Algo indefinido quiser te esmagar

É preciso repousar!

Busque um cantinho para descansar

O corpo, a mente, deixe a alma divagar

Entregue-se ao rio, ao mar

É preciso repousar!

Crie o hábito de meditar, ao sol se entregar

À sua natureza abraçar

Não deixe que a angústia tenha lugar

É preciso repousar!

Quando a descrença quiser se apossar

E nos outros não puder confiar

Dê a si mesmo uma chance,

Leve sua alma para passear

Permita-se amar…amar-se!

Alda M S Santos

A vida pede

A VIDA PEDE

A vida pede muitas coisas todo o tempo

Se ela pede, a gente tenta buscar

E vai tentando de tudo para não decepcionar

Pede ao menos uma alegria diária

Um sorriso, um carinho, um abraço apertado

Não dá para se deixar de lado

Pede amigos de fé, leais

Que topam qualquer parada

E não nos abandonam na caminhada

Pede um trabalho prazeroso

Daqueles que se faz por diversão

Que seja bondoso, um pouco de doação

Pede um amor gostoso

Verdadeiro, ímpar, parceiro

Que nos faça nos sentir inteiros

Pede fé, paz, sintonia, harmonia

Daquelas que se tem com Deus, com a natureza

Ou com uma alma de pura beleza

A vida pede pra ser vivida

Com intensidade, sinceridade, entrega

É mais feliz quem a ela não se nega…

Que a vida te pede?

Alda M S Santos

Onde você queria estar?

ONDE VOCÊ QUERIA ESTAR?

Onde você queria estar?

Num veleiro em alto-mar

Numa praia a caminhar

Ou numa rede a cochilar?

Onde você queria estar?

Na relva a observar uma noite de luar

Numa luxuosa sala de estar

Ou numa aeronave a viajar?

Onde você queria estar?

Numa cabana a namorar

Na beira do rio a vagar

Ou, desde que amando, em qualquer lugar?

Onde você queria estar?

Alda M S Santos

Por você!

POR VOCÊ!

Por você eu sou sorriso

Eu enxugo todas as lágrimas

Desperto com coragem

E carrego qualquer bagagem

Por você eu sou alegria, poesia

Eu gero prazer, sou magia

Desfaço os nós, faço laço

No cansaço peço um abraço

Por você eu brinco com a Lua

Nado em paz na noite escura

Me desmancho, fico nua

Mostro uma alma despida e pura

Por você, vida, eu insisto

Sigo o caminho, persisto

Por você eu faço de tudo

Vida, de você nunca desisto!

Por você!

Alda M S Santos

A vida se refaz

A VIDA SE REFAZ

A vida chega, invade, se esconde

Some, seca, dá um basta, parece morrer

De repente ela acorda, desabrocha

E perfuma da aurora ao anoitecer

A vida ora é companhia, ora é solidão

Mas não dá para viver

Sem o aconchego, sem o chamego

Sem o amor, sem o colo de um irmão

A vida se faz, se refaz

Agrega, transforma

E, se bem olhar, há doçura

Na delicadeza está a força

Cada dia mais bela

Mais leve, mais terna…

A vida se refaz…

Alda M S Santos

Desculpe-me

DESCULPE-ME

Desculpe-me pelas vezes em que não te ouvi

Por aquelas que fingi nada sentir

Desculpe-me pelas vezes que te fiz sofrer, chorar

E num pranto sentido mergulhar

Desculpe-me pelas vezes em que seu jeito desrespeitei

E fiquei perdida, desesperei

Desculpe-me por tentar fazer de ti o que não és

Para agradar aos outros, em tanto revés

Desculpe-me pelas vezes em que fui tão coração

E te magoei sem razão

Desculpe-me pelas vezes que, afoita,

Não te dei tempo para se recolher, repensar

Desculpe-me pelas vezes em que não vivi

Por medo insano de viver, quase morri

Desculpe-me, meu interior,

O lado mais verdadeiro de mim

Pelas vezes em que fingi não estar a fim

Desculpe-me pelas vezes em que errei

E quase joguei fora a chance de viver, não perdoei

Felizmente, aprendi, enfim

O que sou é o que há de mais belo e real para mim

E, antes de qualquer um, devo a mim mesma perdoar, amar

Até quando for permitido juntas este caminho atravessar…

Desculpe-me!

Alda M S Santos

Renascendo

RENASCENDO

A vida pode até ser uma só

Mas dentro dela morremos e nascemos tantas vezes

Que algumas delas sequer notamos

Morremos quando a dor fica insuportável

Renascemos quando a alegria transborda

Morremos quando o amor se faz frio, congela

Renascemos quando o carinho esquenta o corpo, aquece a alma

Morremos quando a indiferença fere, arde

Renascemos quando o cuidado chega, a delicadeza da amizade nos invade

Morremos quando o medo de viver nos sufoca

Renascemos quando aceitamos a mão que nos toca

Morremos quando a decepção nos amargura

Renascemos quando nos tocamos que amar cura

Morremos quando perdemos quem amamos, para a morte ou para a vida

Renascemos quando a saudade que ficou em nós nos dá guarida

Morremos quando perdemos a capacidade de amar

Renascemos quando o amor próprio ocupa esse lugar

Morremos, renascemos

A cada vez que acreditamos que viver é deixar-se morrer

Para poder renascer mais forte!

Alda M S Santos

A vida acontece

A VIDA ACONTECE

Ora alegria contagiante, ora tristeza frustrante

Ora fé arrebatadora, ora dúvida constrangedora

Ora confiança cega, ora desconfiança que não nega

Ora energia que inspira, ora desânimo que conspira

Sobe e desce, sobe e desce…

Ora na crista da onda, ora debaixo da areia

Ora noite, escuridão, ora dia, luz, imensidão

Ora euforia, magia, sintonia

Ora muita indiferença, desarmonia

Sobe e desce, sobe e desce…

Ora vontade de chorar, sumir

Ora desejo de ficar, prosseguir

Ora sorriso que energiza, ora lágrima que paralisa

Ora vai, ora vem, ora levanta, ora cai

E nesse sobe e desce que enlouquece

A vida acontece…

Alda M S Santos

Porque vivo

PORQUE VIVO

Já chorei de alegria até a barriga doer

De emoção até não mais poder

Ou de angústia até amanhecer

Isso porque vivo…

Já tive medo de alguém perder

De não poder ver meus filhos crescer

De adoecer, envelhecer, dos outros depender

Isso porque vivo…

Já implorei pela vida, tive medo da morte, da escuridão

Rezei por todos, pedi perdão

Muitas vezes acompanhada, outras na solidão

Isso porque vivo…

Já tive muitas amizades, já fiquei na saudade

Brinquei, fui séria, lutei por liberdade

Nunca quis ser apenas uma metade

Isso porque vivo…

Já me organizei, arrumei o que estava bagunçado

Já fiz burradas, baguncei o que estava arrumado

Quase desisti de ver tudo de novo organizado

Isso porque vivo…

Já ganhei, vibrei, comemorei

Já perdi, sofri, quis sumir, revoltei

Amei, fui amada, correspondida, ignorada

Aprendi, cresci, me empolguei

Encontrei o caminho, voltei

Isso porque vivo…

Num saldo positivo vou vivendo, vou seguindo

Cada dia mais longe do começo

Não necessariamente perto do fim

Só de pensar, estremeço

Isso porque vivo…

Alda M S Santos

Preguiça

PREGUIÇA

Ando com preguiça de certas coisas

Preguiça de gente que não se move

Que nada faz pra vida mudar

Passa o tempo a reclamar

Ando com preguiça de gente que se faz de vítima

Veste a toga de juiz e se põe a julgar

Sempre a vida alheia a criticar

Ando com preguiça de certas “ocupações” por aí

Gente incomodada com o que o outro faz

Como faz ou deixou de fazer

Vistas tapadas para a própria inércia

Olhos cegos para os próprios erros e falhas

Mas o dedo sempre a apontar para a falha alheia

Mas o jeito melhor é ignorar

Cuidar da parte que nos cabe nesse vendaval

Entregar-nos à vida, ao sol, à natureza

Limpar e trilhar nosso caminho, mesmo sob temporal

Deixar agir nossa própria natureza, ainda que (a)normal

E deixar que cada qual cuide

Da sujeira ou da beleza de seu quintal…

Alda M S Santos

Só assim

SÓ ASSIM

Um mundo de tantas conquistas e riquezas

Só valerá a pena se eu puder levar comigo aqueles que amo

Só assim será bom…

Um mundo de tanto luxo e sofisticação

Só valerá a pena se não houver tanta gente passando necessidade

Só assim será bom…

Um mundo cheio de grandes prazeres

Só valerá a pena se não tiver deixando ninguém para trás no sofrimento

Só assim será bom…

Um mundo de grandes conquistas só será valioso

Se não tiver tirando nada de ninguém

Só assim será bom…

Um mundo onde a vista é bela do alto de onde estivermos

Só será valioso se a vista de quem olha de baixo também for bela

Só assim será bom…

Um mundo só será realmente belo quando for mais igualitário

Enquanto isso, prefiro ficar do lado de cá

Só assim posso me sentir melhor…

Alda M S Santos

Emendas

EMENDAS

Rasgar o verbo pode ser um modo inteligente

De ter um bom motivo para remendar a própria vida

Costurar aquelas bandas que estão separadas

Cerzir partes que estão puídas

Cortar sobras e pares desalinhados

Fazer bainha no que está sobrando

Ajustar o que está frouxo e deformado

Abrir partes para ter melhor caimento

Customizar o que já está repetitivo

Arrumar fechos, pregar ou arrancar botões de vez

Bordar umas flores, árvores ou montanhas

Um sol, um luar, uma praia, um mar..

Sei lá! Enfeitar!

Aproveitemos as oportunidades para nos renovar

Pois quando se trata de nós

Não dá pra jogar fora e comprar um novo viver…

Alda M S Santos

Um rio que passou…

UM RIO QUE PASSOU…

O rio passa…

Límpido, cristalino ou nem tanto

Algumas vezes turvo e sem oxigênio

Águas calmas ou turbulentas

Em cursos de águas rasas, outras profundas

Arborizado ou não, matas ciliares protetoras

Espaços de assoreamentos e ausência de fluxo

Habitat de peixes e outras vidas que acolhe e alimenta

Enfrenta remansos ou quedas nas pedras em lindas cachoeiras

Irriga, favorece a vida em seu entorno

Recebe afluentes, transborda

Ou até parece secar em alguns pontos

Poluído, parece morrer…

Mas onde um rio passou sua marca deixou

Tudo que ele trouxe consigo

Ficará para sempre na vegetação que irrigou

Tudo que leva consigo irrigará outras margens, outros leitos

E vez ou outra a mina renasce e jorra vida novamente

Onde houve um rio fica a saudade

Ali sempre haverá a lembrança de vida, de umidade

Mesmo nas fases de seca…

Um rio sempre será um rio

Até que morra no mar…

Um rio passou, um rio ficou…

Na vida de quem naquelas águas se banhou…

Alda M S Santos

Refresque-se!

REFRESQUE-SE!

Precisando de uma pausa ou um refresco?

Vá para o mato, área de linda natureza

Uma fazenda, um sítio, um parque na cidade

Procure um rio cristalino, tire a roupa, mergulhe

Nade de braçadas, deixe a água fria lavar tudo

Fique até sentir toda a musculatura aquecida

Até a correnteza levar embora pra longe todo mal

Se não for possível, sente-se à margem de uma lagoa

Coloque os pés na água

Inspire e expire profundamente várias vezes

Pense em tudo de negativo que aquelas águas estarão levando embora

Atraia para si apenas bons pensamentos

Conserve os sentimentos positivos

Faça uma oração pessoal e verdadeira

Agradeça cada coisa boa que tem na vida

Faça um trato consigo mesmo:

A despeito de tudo e de todos,

Manter a paz e a serenidade

Priorizar o amor sempre…

Esse desejo é forte e poderoso

Porque vem de dentro de você

Tente! Refresque-se!

Alda M S Santos

Esconde-esconde

ESCONDE-ESCONDE

1,2,3,4….20!

Lá vou eu, quem escondeu, escondeu…

Tão divertida brincadeira de criança

Já não tem mais tanta graça assim

Não temos paciência para nada procurar

Sequer sabemos por onde começar

Quando sabemos, não queremos perder tempo

Optamos pelo mais fácil, à mão, debaixo do nosso nariz

Perdemos o prazer da brincadeira

O encanto da descoberta, da partilha

A alegria de brincar coletivamente…

Mas continuamos a nos esconder

Escondemos sentimentos, desejos, angústias

Escondemos o que somos de verdade

Escondemos dores e mágoas

Escondemos até amor e alegrias

Por medo de compartilhar e perder

Escondemos nosso verdadeiro eu

Tantas vezes até de nós mesmos

Para viver bem num mundo de hipocrisias

Assim, abrimos mão da saúde física e mental …

Saudade do tempo das brincadeiras de esconde-esconde

Aquelas em que um podia salvar a todos

Aquelas em que os maiores danos eram joelhos esfolados

E no outro dia tudo estava bem…

Alda M S Santos

Ousadia de viver

OUSADIA DE VIVER

Quero viver sem perder a ousadia

A ousadia de ser quem eu sou

A despeito de opiniões em contrário

De palavras paralisantes ou silêncios cortantes

Quero manter a ousadia

De buscar aquilo que muitos acreditam ser impossível

De escalar os montes que acreditar valerem o esforço

De descer rolando se me aprouver

De sentar e esperar quando minha alma pedir isso

Quero viver com a ousadia

De descartar aquilo que não merece ser conservado

De lutar pelo que merece ser conquistado

E de ainda brigar mesmo quando a batalha parecer perdida

Quero viver com a ousadia

De ser maluca, às vezes, para manter a sanidade

De ser criança sempre, para não perder a simplicidade

De ser feliz, mesmo infeliz em alguns momentos de saudade

Quero nunca perder a ousadia de simplesmente viver

De ser “eu” em meio a tantos outros eus…

Que eu nunca perca a ousadia…

Alda M S Santos

Vá lá e faça o melhor

VÁ LÁ E FAÇA O MELHOR

“Vá, filho, desça lá e faça o melhor que puder”

E, corajosos, tendo-o por perto naquele momento, descemos

E cá estamos errando e acertando

Tantas vezes trocando os pés pelas mãos

Outras tantas correspondendo a tão altas expectativas sobre nós

Pedindo ajuda em momentos de tristeza e solidão

Implorando perdão nas sucessivas burradas que cometemos

Agradecendo pela oportunidade de estar aqui

Pelas chances de crescimento e aprendizado

Pelos anjos bons que enviou para que não nos sentíssemos tão sozinhos

E, principalmente, por não nos ter abandonado

Mesmo que tantas vezes a gente se sinta só e triste

Em meio a tanta maldade, tanta desumanidade, tanta saudade

E queira logo voltar para casa…

Que nossas energias e fé se fortaleçam

E que nunca, nunca nos abandone

Que nos permita vê-Lo nos outros

E que os outros possam vê-Lo em nós

Amém!

Alda M S Santos

Nada por viver

NADA POR VIVER

Não quero deixar nada por viver

Tanta gente indo embora tão cedo, deixando muito por fazer

Que aumenta em nós a necessidade de nada deixar por viver

Com o cuidado de, com isso, nada no outro fazer morrer

Parece que há tanto ainda por aprender

Tantos lugares a passear, a conhecer

Muito ainda a doar, a ajudar, a nos compadecer

Tanto amor ainda por fazer…

Não quero deixar nada aqui para viver

Quero brincar mais, sorrir mais, sem reclamar quando doer

Porque tudo isso faz parte do viver

Extraí da vida tudo o que ela oferecia, quero poder dizer

Quero em tudo intensidade, interação, paixão

A vida do outro lado haverá afazeres diferentes, outra distração

Daqui levarei lembranças, emoção, satisfação

E, se Deus quiser, nada deixarei

Além de marcas boas de saudade em cada coração…

Não quero deixar nada por viver…

Alda M S Santos

Bom mesmo

BOM MESMO

Bom mesmo é viver a vida

De tal modo que não deixe para ela saída

A não ser se aliar a nós

Nos ajudando a eliminar qualquer algoz

Bom mesmo é dar o melhor da gente

Para todos igualmente

E se isso parecer impossível

Que façamos, para tanto, todo o possível

Bom mesmo é cuidar direitinho

Com amor, respeito e muito carinho

Daqueles que recebemos como presente

Para dar sentido à vida da gente

Bom mesmo é ser agradecido

A tudo que nos foi consentido

Com sabedoria e muita calma

Aceitar o fim, quando chegar, com paz na alma…

Alda M S Santos

Um brinde

UM BRINDE

Ao sol que nos aquece toda manhã

À vida que nos permite sonhar com um amanhã

Aos caminhos que a nossa frente se descortinam

Às pedras que a refletir nos ensinam

Tim tim!

Às lágrimas que lavam nossa alma

Aos amigos que nos trazem a calma

Às janelas dos sorrisos que nos iluminam

Às belas flores que em nós germinam

Tim tim!

À noite que nos acolhe sedenta

Às estrelas que iluminam nossa vida, às vezes cinzenta

À esperança que em nós desperta

À vida, às vezes, tão incerta

Tim tim!

Ao amor que brota em nosso peito

À saudade que faz tudo ser perfeito

Ao trabalho que nos enobrece

E à diversão que o cansaço amortece

À vida!

Tim tim!

Alda M S Santos

Rascunhos

RASCUNHOS

Não há borrachas, tampouco corretivos

Não dá para apagar ou descartar

Não escrevemos nossa história a lápis

A vida é pintada à tinta

Com as cores que escolhemos

Direto na tela final

Não dá para viver de ensaio

Não dá para ficar rascunhando

A vida é um espetáculo ao vivo

Não se pode parar, retornar

Ou ficar aguardando boa luz

Essa obra-prima é original, única versão

É sempre uma finalização

Não faça rascunhos, não viva de esboços

Talvez não haja tempo para passar a limpo…

Alda M S Santos

Eu me rendo

EU ME RENDO

Um friozinho da manhã

A relva toda molhada de orvalho

Um passeio a cavalo

O sol brilhando atrás da serra

Eu me rendo…

Pássaros cantando, bois mugindo

Cachorros brincando, patos nadando

A vida acontecendo

Eu me rendo…

Uma tarde preguiçosa

A rede na varanda

Todos parecem aboletados em algum canto

Uma soneca relaxante, aroma de café

Eu me rendo…

A noite chegando

A escuridão abraçando todos os espaços

Todos buscando abrigo

A lua reinando no céu

Gatos namorando em cima do telhado

E a gente cá embaixo

Eu me rendo…

A vida acontecendo lá fora

A vida acontecendo cá dentro

Eu me rendo…

Alda M S Santos

Deixa rolar

DEIXA ROLAR

Não se perturbe tanto

Com aquilo que atormenta

Machuca, fere

Deixa rolar

Logo vai passar…

Não se vanglorie tanto

Com aquilo que é bonito

Encanta, alegra

Deixa rolar

Isso também vai passar…

Não se torture tanto

Com aquilo que parece não ter fim

O bom, o mau, o saudoso

Deixa rolar

Logo irá passar…

Entre começos e fins

Angústias e recomeços

A vida segue infinita

Deixa rolar

Ela sempre irá para onde tem esperança e gente bonita…

Deixa rolar…

Alda M S Santos

Injusta

INJUSTA

A vida pode ser cruel

Dolorosa, intensa, parcial

A cada um de nós caberá

Torná-la menos desigual

Muitas vezes parece tão longa

Noutras é por demais curta

Mas é o que fazemos por ela

Que a tornará menos injusta

Buscamos no outro a alegria

Ou a paz que de nós fugiu

Sequer percebemos que está na gente

O prazer de viver que um dia sumiu

Mesmo injusta ela é só nossa

Mas se torna mais bela

Quando destrancamos portas fechadas

E sorrisos abrimos em nossa janela…

Mesmo injusta ainda podemos fazer dela

Uma linda e encantadora aquarela…

Alda M S Santos

Jeito apaixonado de ser

JEITO APAIXONADO DE SER

Aquele modo intenso de tudo viver

Do mais alegre momento que aparecer

Ao mais triste e doloroso carecer

Sempre um jeito apaixonado de ser…

Enfrenta o justo ou injusto padecer

Com a coragem nascida do amadurecer

A esperança e a fé sempre renovadas

Naquele jeito apaixonado de ser…

Nem bem espera o dia amanhecer

E antes que ele venha a anoitecer

De tudo já fez um pouco

Sempre de um jeito apaixonado de ser…

Quase nada a faz mais se enfurecer

Aprendeu que quanto mais paz oferecer

Mais os canteiros do caminho irão florescer

E segue do mesmo jeito apaixonado de ser…

Alda M S Santos

Aprendi, aprendendo…

APRENDI, APRENDENDO…

Aprendi que…

Nem toda lágrima é de dor ou tristeza

Tampouco todo sorriso é de alegria

Que só vale a pena manter quem é de verdade

Quem torna real nossa fantasia

Aprendi que…

Ser humano implica em também sofrer

Encarar com coragem tudo que aparecer

E, mesmo assim, não desistir de tentar

Porque a felicidade é prêmio pelo qual vale a pena lutar

Aprendi que…

A vida passa, as pessoas idem

Mas o que realmente importa, é valioso

Não é tão fluido ou fugaz

Eterniza-se em nós, é grandioso…

Aprendi… aprendendo…

Alda M S Santos

Um dia normal

UM DIA NORMAL

Nada de extraordinário ou excepcional

Tudo que preciso e quero

É a bênção de um dia normal

Por isso não me desespero

Um dia normal nasce primeiro dentro da gente

Da vontade de fazer diferente

Antes até do nascer do sol que nos aquece

Na família que nos ensina o amor, nosso presente

E nos corações agradecidos em prece

Quero somente a paz de um dia normal

Aquela certeza de que tudo está em seu devido lugar

Sem necessidade de ter que colher algo especial

Apenas o sorriso no rosto, reflexo de uma alma plena

E finalmente, sob a luz do luar, descansar…

Quero apenas um dia normal…

Alda M S Santos

Espaços em branco

ESPAÇOS EM BRANCO

Ninguém precisa ter todos os espaços preenchidos

Ninguém precisa preencher “falhas”dos outros

Ou ter todos os seus “quadros” pintados

Precisamos de telas em branco

Para fazermos dia a dia nossa obra de arte

Todos nós necessitamos desse espaço livre dentro de nós

Para que haja oxigenação, livre transitar

Para que a imaginação cresça, o amor floresça

Para que a luz penetre, aqueça

Para que não soframos de excessos

Para que encontremos aquilo que procuramos

Para podermos acolher o que nos fizer crescer

Para que as emoções possam livremente se expressar

Para que não se crie bolor por falta de uso

Tampouco grandes feridas por fricção e uso inadequado

Para que quando voltarmos para casa

Tenhamos usufruído de todas as nossas possibilidades…

Alda M S Santos

Viver de quê?

VIVER DE QUÊ?

Busca por razões de viver

Algo que motive, instigue

Que faça tudo isso valer a pena

E nessa desenfreada busca

Atropela-se tudo, passa-se por cima dos outros

Das razões de viver do outro, inclusive de si mesmo

Sua própria vida vazia é soberana

Vale mais do que todas as outras

Automutilação, autoextermínio

Viver de quê, para quê, para quem?

Enquanto não se perceber que uma vida não se constrói

Destruindo outras vidas

Sendo governo, povo, instituição, indivíduo ou o escambau

Qualquer busca será em vão

Será inócuo qualquer estender de mão

Precisamos viver das boas ações, do amor

Da esperança que um mundo melhor começa em nós

Mas que nunca exclui o mundo do outro

Buscamos por razões de viver

Que façam com que a dor e a alegria

Tenham razão de ser, não sejam em vão…

Precisamos viver da fé

“Só não se sabe fé em quê”

Alda M S Santos

Porque escolhi viver

PORQUE ESCOLHI VIVER

Vou sempre buscar um sorriso

Mas não negarei as lágrimas

Não fugirei das batalhas que surgirem

Terei coragem, mas não me deixarei abater pelos medos

Serei aquecida, feliz, pelo calor energizante do sol

Mas aproveitarei também quando o que vier do céu for chuva

Plantarei um jardim de preciosidades para morar

Mas deixarei espaço para borboletas e beija-flores virem me visitar

Correrei na areia à beira-mar na claridade intensa do dia

E na escuridão me deitarei e repousarei sob a luz das estrelas

Serei primavera perfumada e colorida

Sabendo aproveitar o repouso necessário dos invernos

Caminharei tendo bons amigos a me animar

Mas não estacionarei quando o que deixarem for a solidão ou o vazio

Serei iluminada pelo amor precioso que for merecedora

Mas não abro mão do amor em qualquer situação…

Isso porque escolhi viver

E a vida se impõe sempre, é presente

E o que a gente faz dele é escolha nossa

Eu escolhi viver!

Alda M S Santos

Um dia

UM DIA

Um dia ainda vamos entender

O bem que poderíamos ter feito

E não fizemos

O mal que poderíamos ter evitado

E não evitamos

Aquela dor que causamos a nós e aos outros

E não precisaríamos ter enfrentado

O novo rumo que poderíamos ter tomado

E não tomamos

Todos os avisos e alertas que recebemos

E ignoramos

As oportunidades de crescimento e renovação

E fechamos os olhos

As chances de fazer um movimento pelo amor e pela paz

E ficamos inertes

As famílias que poderíamos ter ajudo a construir

E destruímos

A vida que poderia ter sido bem vivida

E matamos…humanamente!

Mudar, construir o mundo grande lá de fora

Começa por não destruir o mundo pequeno no nosso entorno

Abrir as porteiras e deixar a luz nos iluminar de dentro para fora

Um mundo melhor precisa de cada um de nós!

Um dia pode ser tarde demais…

Alda M S Santos

De frente

DE FRENTE

Encarar a vida de frente

Mesmo que ela não seja sempre

Como uma tarde na praia, ao sol poente

E tantas vezes a brisa não seja tão gostosa

Daquelas que balançam nossos cabelos

Ou arrepiam suavemente nossa pele

Mas a ventania nos arraste para caminhos esburacados

E jogue areia em nossos olhos

Dificultando o ver, o prosseguir

Encarar a vida de frente

Não ignorando os percalços e entraves

Mas nos reabastecendo sempre

De amor, de sorrisos, abraços e beijos

Ainda que nas lembranças e esperança

De uma tarde na praia ao sol poente…

Alda M S Santos

Não foi

NÃO FOI

Não pode dizer que foi barco

Aquele que só ficou atracado no porto

Não pode dizer que foi pássaro

Aquele que viu a vida por trás das grades da gaiola

Não pode dizer que foi borboleta

Aquela que não saiu do casulo

Não pode dizer que foi gente

Aquele que ficou no porto, não voou, não saiu do casulo…

Não foi humano aquele que não soube ser terno

Aquele que mais destruiu que construiu

Que mais invejou que conquistou

Que não soube ser fraterno

Não soube ser amor…

Alda M S Santos

Apenas um bronco

APENAS UM BRONCO

“Queria ser apenas um bronco”

Daqueles dos confins do sertão

Ter toda a “ciência” da natureza

Do mesmo modo que tem a ciência da mente, das emoções

Sem complexidade, sem grandes devaneios

Ter toda a esperança advinda da fé

Toda a paz que a consciência da finitude da vida permite

Nada de grandes preocupações ou conjecturas

Nada de medos, culpas, traumas, desafios intransponíveis

Apenas a certeza que, mesmo em dias difíceis,

Tudo está em seu devido lugar

Não luta contra monstros imaginários

Aceita e abraça o que a vida apresenta

O sol nasce, se põe, a lua surge, as estrelas brilham

O galo acorda a todos, a chuva cai, as árvores produzem

Pessoas nascem, morrem, chegam e se vão

Algumas nos amam, outras não

Somos apenas parte de um universo maior

O rio segue seu curso…

E o bronco que nada tem de complexo

Simplesmente, vive…

Não entende das grandes (des)conexões que afetam os demais

Suas conexões físico/emocionais não se perdem

E, por isso mesmo, mantém-se inteiro

Bronco? Quisera ser…

Alda M S Santos

Uma bela manhã para viver

UMA BELA MANHÃ PARA VIVER

Uma bela manhã para viver

Céu, sol, brisa, flores e cores

Ou uma bela manhã para morrer

Também de belezas, encantos e perfume

O que diferencia uma da outra

Será que ela sabe flutuando por ali

Vive tão intensamente, tão pouco

Nesse mundo tão assustador

Lagarta, casulo, escuro

Tem medo?

Borboleta, luz, cores, brilho

Tem medo?

Tudo tem seu devido tempo…

Será?

Uma bela manhã para viver

Ou uma bela manhã para morrer

Quem determina?

Voa suave e para nas mãos dela confiante

Quer responder à questão silenciosa

Leve, linda, desliza delicada por seus dedos

E voa serena em torno dela no jardim

Mas deixa sua resposta

Quer seja uma bela manhã para viver

Ou uma bela manhã para morrer

É a paz que reina em cada alma

Que será capaz de fazer…

Alda M S Santos

Quem mais viveu?

QUEM MAIS VIVEU?

Quem mais viveu?

Aquele que acumulou mais idade cronológica

Ou aquele que mais cresceu, amadureceu emocionalmente?

Quem mais viveu?

Aquele que acumulou mais sorrisos

Ou aquele que mais chorou?

Quem mais viveu?

Aquele que mais conquistou bens

Ou aquele que mais prestou serviços?

Quem mais viveu?

Aquele que mais prazer vivenciou

Ou aquele que mais se doou?

Quem mais viveu?

Aquele que conheceu o mundo todo

Ou aquele que conheceu melhor a si mesmo?

Quem mais viveu?

O que despertou mais empatia e amor

Ou o que mais intensamente amou?

Quem mais viveu?

Aquele que lutou e brigou por um mundo melhor para si e para os outros

Ou aquele que aceitou o que a vida apresentou

Extraindo dela o melhor?

Quem?

Quem mais viveu foi o que soube ser feliz em qualquer circunstância

Estando pleno mesmo na falta…

Quanto nos “falta” para a plenitude?

Alda M S Santos

Que sejamos praia

QUE SEJAMOS PRAIA

Um grão de areia sozinho fica perdido

Levado pelo vento forte ou arrastado pelas águas

Sequer é visto ou notado

A não ser que esteja entre nossos dedos no sapato, incomodando

Ou que o vento o leve para nossos olhos, irritando

Um grão de areia sozinho desconhece seu poder

Sua capacidade de construção, beleza e importância

Um grão de areia para cumprir sua missão, valorizar-se

Precisa se juntar a outros grãos de areia

Um grão de areia não deixa de ser um grão de areia por estar sozinho

Mas só pode ser casa, lar ou praia

Quando se juntar a outros tantos grãos de areia

Aí entenderá seu propósito por aqui

Humanos sozinhos são grãos de areia

Humanos juntos são praia

E muitas praias formam a linda, complexa e controversa humanidade

Capaz de ser, ao mesmo tempo, construtiva ou autodestrutiva

Que possamos ser praia linda, encantadora e acolhedora…

Alda M S Santos

Temos pressa

TEMOS PRESSA

Os dias passam, a vida corre

O tempo voa…

Queremos também voar

Temos pressa!

O que é bom passa rápido

O que é ruim nem tanto

Corremos em busca do que interessa

Perdemos tempo com o que não presta

Temos pressa!

Tudo muda de lugar

Pessoas se vão, algumas ficam, outras chegam

Família, amigos, amores

Todos procurando se manter inteiros

Nessa ventania louca do tempo…

Temos pressa!

Tantas coisas boas se perdem

Queremos abrir nossas asas

Voar junto com o tempo

Amanhecer, entardecer, anoitecer

Entre alvoradas e luares

Almejamos parar o tempo

Para cessar a pressa de viver

E assim nada perder

Temos pressa!

Não queremos ir embora

Tendo deixado algo por viver…

Alda M S Santos

Deixe virar poesia

DEIXE VIRAR POESIA

Aquilo que te leva ao êxtase

Que provoca risos sem fim

Deixe virar poesia

Aquilo que te machuca, corta

Que causa dores e cicatrizes

Deixe virar poesia

Aquilo que você agora desconhece

Que te magoa, enrijece

Deixe virar poesia

Aquilo que te sensibiliza, emociona

Que aperta o coração, e que você tanto ama

Deixe virar poesia

Aquilo que te amedronta, aterroriza

Causa pesadelos que nem a luz ameniza

Deixe virar poesia

Aquilo que é real, imaginário

Que é fugaz ou que virou saudade

Deixe virar poesia

Aquilo que é beleza, na simplicidade ou na sofisticação

Que traz sabor e aroma ao cotidiano

Deixe virar poesia

Tudo aquilo que é vida, que não se desperdiça ou economiza

Se eterniza

Deixe virar poesia…

Alda M S Santos

Panorâmica

PANORÂMICA

Quero uma panorâmica da minha vida

Que capture tudo do início ao fim em 360 graus

Cores, diversos matizes, claros e escuros, foscos e brilhantes

Pontos em relevo, reentrâncias, 3D, transparências

Áreas secas, outras molhadas, oásis e desertos

Com direito a giros, emoções, sorrisos e lágrimas

Liberdade para extasiar, tontear, sem desabar

Quero nela todos aqueles que fizeram parte do meu viver

E revelar num grande mosaico

A minha simples passagem por aqui

Quero uma panorâmica da minha vida…

Alda M S Santos

Sempre em busca

SEMPRE EM BUSCA

Viver é estar sempre em busca

Ainda que não se saiba exatamente de quê

Mesmo que todos o vejam como preenchido

Aquele a quem nada falta

Por mais que sinta gratidão à vida

A tudo que foi permitido ter, ao que aprendeu a ser

Aquilo que foi conquistado, mantido, até mesmo aquilo que foi perdido

Aquilo que te fez o que hoje é

Tudo só foi e é possível por ter estado sempre em busca

Por nunca ter desistido ou estacionado na aparente completude

Só você sabe os motores que te movem

As necessidades que te (des)orientam, seus medos

Só você sabe seu tempos, suas urgências, suas carências

Ainda que não sejam verbalizadas ou compreendidas

São elas que te mantêm sempre em busca

São elas que dão a aparência de alguém a quem nada falta

Apesar de toda sua inquietude…

Todos veem “tudo” que você tem

São suas buscas e lutas que nem todos veem

Quem está vivo está sempre a buscar…

Alda M S Santos

Faça amor com a vida

FAÇA AMOR COM A VIDA

Chegue lentamente, tire as sandálias

Caminhe devagar, sinta a maciez da areia fina

Deixe seus pés se afundarem

Abra os braços, tire os óculos, feche os olhos

Inspire, expire!

Inspire energia, expire o cansaço

Inspire o calor, expire toda dor

Dê um giro sobre si mesmo, olhe para o alto

Dê um grito de paz, mesmo em seu silêncio, se preferir

Corra para o mar, mergulhe, lave toda negatividade

Seja esponja do bem, seja grato, tenha bons pensamentos

Sinta a brisa, a pele se arrepiar, o prazer em estar vivo

Sorria, abrace, beije, faça amor com a vida…

Viva e deixe viver!

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: