RENASCENDO

A vida pode até ser uma só

Mas dentro dela morremos e nascemos tantas vezes

Que algumas delas sequer notamos

Morremos quando a dor fica insuportável

Renascemos quando a alegria transborda

Morremos quando o amor se faz frio, congela

Renascemos quando o carinho esquenta o corpo, aquece a alma

Morremos quando a indiferença fere, arde

Renascemos quando o cuidado chega, a delicadeza da amizade nos invade

Morremos quando o medo de viver nos sufoca

Renascemos quando aceitamos a mão que nos toca

Morremos quando a decepção nos amargura

Renascemos quando nos tocamos que amar cura

Morremos quando perdemos quem amamos, para a morte ou para a vida

Renascemos quando a saudade que ficou em nós nos dá guarida

Morremos quando perdemos a capacidade de amar

Renascemos quando o amor próprio ocupa esse lugar

Morremos, renascemos

A cada vez que acreditamos que viver é deixar-se morrer

Para poder renascer mais forte!

Alda M S Santos