Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Tag

amor à vida

O quanto vale uma vida?

O QUANTO VALE UMA VIDA?

O quanto vale uma vida?
Seguimos questionando nessa lida
Pode valer mais que ouro ou diamante
Ou parecer ser um vazio, nada importante

O quanto vale uma vida?
Quer seja curta ou comprida
Como podemos fazer essa reflexão
Pesar o quanto carregamos de emoção

O quanto vale uma vida?
Há um jeito bom de se fazer essa medida?
Se temos saúde, um alguém, alegrias
Se vencemos as dores, decepções e agonias…

O quanto vale uma vida?
Essa benção a nós cedida
Que em alguns momentos parece pesada
Noutros é felicidade a ser partilhada

O quanto vale uma vida?
Será que é assim mesmo, sofrida?
Olho para o espelho, sorrindo ou chorando
Fica a questão em mim pulsando

Acredito: a vida vale o que invisto nela
O sol que deixo entrar em minha janela
O amor que irrigo em meu coração
São o motor do existir, sem qualquer senão

Alda M S Santos

A vida está aí!

A VIDA ESTÁ AÍ!

A vida está aí!

Com suas cores, brilho, seu céu azul
Também com seus nublados, sombras, escuros
Tantas pontes nos caminhos, também há muros
Seguimos nessa viagem, sacolejando nessa nau
Algumas vezes até relaxamos, noutras enfrentamos o vendaval

A vida está aí!

Vamos sorrir, vamos chorar, sofrer, amar
Vamos seguir sozinhos, acompanhados
Bem rapidamente, sem tempo, ou bem devagar
Mas vamos ser intensos, ser nosso maior aliado

A vida está aí!

Muitas são as oportunidades, os desafios, as chances
Os perigos, as dúvidas, os riscos
Sabendo mesclar equilíbrio, pés no chão e uma boa dose de loucura
Somos capazes de alcançar alturas inimagináveis

Alda M S Santos

O quanto?

O QUANTO?

O quanto do seu saber serve
Para aumentar o saber de alguém
O quanto do seu dizer é capaz
De oportunizar o dizer de alguém

O quanto?

O quanto do seu sorriso é luz
Que ilumina o caminho de alguém
O quanto de suas lágrimas permitem
Que o outro não se sinta sem ninguém

O quanto?

O quanto de suas posses e conquistas
São instrumentos do bem, bem vistas
O quanto de seus dons são partilhados
Com quem precisa ao seu lado

O quanto?

O quanto a simplicidade é um caminho
Feito de terra e um monte de passarinho
Daqueles que se quer brincar, aventurar
Na certeza de que não há melhor lugar

O quanto?

O quanto de sua energia é distribuída
A quem sente sua força reduzida
O quanto de seu amor é doação
É abraço, é colo, aconchego para o irmão

O quanto?

Alda M S Santos

A vida em cores e odores

A VIDA EM CORES E ODORES

Vejo a vida em muitas e misturadas cores
Em sonhos, devaneios, gente, bichos e flores
Numa amalucada e saudável interação
Essa viagem vai se tornando rica em emoção

Beija-flor que degusta o néctar no jardim
Flores que atraem, se abrem, felizes, enfim
Borboletas, abelhas e joaninhas
Fazem a cor, o odor e a beleza de manhãzinha

A vida tem a cor e o aroma que a gente pinta
Ainda que doa e alegria a gente não sinta
Vale ser Sol, ser oceano e a paz a gente pressinta

Gosto de gente que gosta de toda gente
Gosto de gente que se faz presente
Gosto de gente que é o amor que a gente sente

Alda M S Santos

A gente combina…

A GENTE COMBINA…
Vento que uiva, que canta
Fala baixinho, sussurrando
Ora grita, nervoso, intenso
Traz e leva pensamentos e desejos
Vento que passa veloz
Muda o plano de voo das aves,
Traz consigo tempestade atroz
Balança galhos das árvores
Que se curvam ao seu poder
E, resilientes, retomam seu prumo, até sem querer
Vento que acaricia feito brisa suave, que atiça
Que arrepia cada centímetro da pele, que enfeitiça
E que esquenta corpo e alma, lá dentro, bem fundo
Ou que, devastador, gela tudo em nosso mundo
Vento que chega sem qualquer aviso
Deixa em alvoroço rios e mares, impreciso
Pega toda a gente desprevenida
Correndo em busca de boa guarida
Ou se entregando a ele, sem saída
Vento que vem e que vai
Uma hora a gente combina direitinho
Quem sabe a gente não vai juntos pro mesmo caminho?
Alda M S Santos

Recomeçar do zero

RECOMEÇAR DO ZERO

Não existe recomeçar do zero
Porque se temos essa prerrogativa
É porque um dia já começamos
E todo começo deixa nem que seja uma negativa

Retirando o que perdemos, o que permaneceu?
E não diga que nada ficou
De tudo que se construiu, viveu
Ao menos entulho restou

Separe o joio do trigo
Descarte, reaproveite, reserve, busque abrigo
E se ainda assim só encontrar a dor
É com ela que irá recomeçar
E com renovado fervor…

Recomece do amor que encontrar em você, por você!

Alda M S Santos

Insisto!

INSISTO!

Insisto naquilo que não desiste de mim
Penso, reflito, tento ver se fica bem assim
Arrumo um cantinho, cuido, trato com carinho
E logo tudo parece bem, há sempre um jeitinho

Insisto na luta que parece improvável
Também naquela ideia que é bem louvável
Não desisto porque agora estou cansada
Lá no fundo busco forças para essa jornada

Já aprendi onde devo ir para buscar
O que minha alma pede sem parar
Ouço lá no fundo meu coração pulsar

É ele que me traz todas as respostas
Que a Criação dá às minhas mãos postas
Aliviada, insisto, resisto, sigo bem disposta

Alda M S Santos

Longe ou perto

LONGE OU PERTO?

Está longe se a vista não alcança
Está perto se até os cabelos balança
Está longe se já não traz lembrança
Está perto se na alma ativa uma dança

Mora longe se não há afinidade
Ainda que esteja perto na verdade
Mora perto quando está dentro da gente
Ainda que esteja anos luz à frente

Longe ou perto não é questão espacial
Vale mesmo ser alguém especial
Ao lado da gente ou bem distante
Importa se faz bater o coração num instante

Quero estar perto, também estar dentro
No corpo, na alma, no pensamento
Assim o longe será apenas um detalhe
E que nada por aqui atrapalhe!

Alda M S Santos

Um viver morno

UM VIVER MORNO

Um mundo densamente povoado
Há gente de todo tipo, para todo lado
Tem para todos os gostos e preferências
Mas nunca houve tanta solidão e negligência

Gente que não se demora num olhar
Gente que já não sabe mais abraçar
Gente que tem pressa de chegar
Sem saber sequer aonde vai parar

Gente que busca uma conexão qualquer
Não se identifica o que a alma requer
Gente que anda carente de colo e atenção
Do ombro, da palavra ou do silêncio irmão

Um mundo de várias pessoas no entorno
E tanta gente nesse viver morno
Falta calor humano, amor de verdade
Ganhar tempo é perder em humanidade

Alda M S Santos

Um pouco de ação!

UM POUCO DE AÇÃO!

Quero uma vida que se faça verbo, ação
Um modo diferente de ser coração
Brincar em todo lugar, cantar, sorrir
Se chorar que seja para limpar, a alma lavar

Que o trabalho não seja só um meio de vida, mas de prazer
Que as amizades sejam fortes para não enlouquecer
Que o amor seja para o coração enternecer
E as carências nos façam lutar, não esmorecer

Se não der para correr, vamos andar
Buscar a paz e alegria em todo lugar
A vida está aí para a gente desfrutar

Chegará o dia de voltar para casa
Enquanto isso, voe, bata suas asas
Abrace a vida, vai lá e arrasa!

Alda M S Santos

Fogueira

FOGUEIRA

Fogo que tem sua beleza
Fogo que é cura e purificação
Fogo também tem sua grandeza
Fogo que aquece mente e coração

Uma das quatro forças da natureza
É transformadora, gera riqueza
Pode também ser destruição
Se não soubermos fazer boa avaliação

Fogueira com marshmalow e queijo quente
Fogueira numa prosa boa e envolvente
Friozinho pede esse momento caliente

Fogueira num belo e pacífico ritual
Num cantinho qualquer de nosso quintal
Mexe com a gente, ameniza o vendaval

Alda M S Santos

Pra fazer sentido…

PRA FAZER SENTIDO…

Gosto do que me desperta sorriso de paz
Que brinca, que acalma, que simplifica, é eficaz
A vida quer gente que faça, que seja ação
Mas que nunca abra mão da emoção

Gosto do que a natureza me proporciona
Da riqueza, força, l suavidade que emociona
Aprecio quando tudo parece se encaixar
Quando encontro colo ao ver tudo desmoronar

Preciso que as coisas para mim façam sentido
Para que eu tenha sensação de dever cumprido
Mas que não pese, seja leve, um viver divertido

Pra fazer sentido é necessário tocar o coração
Não basta que seja apenas percebido na razão
Se não acariciar a alma não vale nada não

Alda M S Santos

Simplesmente nua

SIMPLESMENTE NUA
Quero ter a coragem de me apresentar nua,
Completamente nua, sem disfarces ou maquiagens
Alma rasgada, sem vergonhas, pudores ou medos
Nasci nua, nua retornarei
Querendo ou não…
De nada valerá tudo que aqui acumulei
Exceto o que tiver guardado na sacola leve da minha alma
Ou nos espaços especiais, cedidos ou por empréstimo,
Que tiver ocupado positivamente na alma de alguém
Bens materiais, diplomas, cultura, contas bancárias…
Tudo são “vestimentas”, acessórios!
Currículo só valerá o emocional
Tudo o mais ficará para trás…
O que interessa é se isso tudo
Permitiu que eu me tornasse uma pessoa melhor,
Mais tolerante, amiga, amável, solidária, correta
Para mim mesma, para aqueles que me cercam…
Nudez da alma é a verdadeiramente cativante
E é só por ela que Ele se interessa!
Simplesmente nua, assim quero me apresentar…
Alda M S Santos

Imensidão

IMENSIDÃO
Uma imensidão lá fora…  
Em nossa introspecção, conformar- se é proibido!
Liberado, quase exigido, é sonhar, ter objetivos, projetos, desejos…
Necessário é agir!
A imensidão interna se expande e se une à externa…
E gera vida, muita vida!
E assim seguimos em busca de uma interseção
Algo que nos eleve e traga paz ao coração
Aquilo que sabemos que em nós é luz, evolução
E que em algum lugar haja em nós doce comunhão
Alda M S Santos

Assim te imagino…

ASSIM TE IMAGINO…

Eu te imagino bem assim…

Sempre me recebendo com um abraço
Um olhar bondoso que aperta os laços
Todo o tempo sendo amor, desembaraço

Eu te imagino bem assim …

Ouvidos, mente, alma e coração atentos
Não me julga, me ampara, só contentamento
Transmite calor, ardor, mesmo no sofrimento

Eu te imagino bem assim…

Sentados na praça, na areia, andando na mata
Numa prosa boa, que alivia, bem cordata
Apreciando dos anjos boa e suave serenata

Eu te imagino bem assim…

Muito além do que peço ou mereço
Nada me cobra, seu amor não tem preço
Não preciso de outro lugar, você é o endereço

Eu te imagino bem assim…

Meu caminho, minha trilha, meu destino
Alegria, prazer, força, desatino
O melhor de mim, meu amor celestino

Eu te imagino bem assim…meu Deus!

Alda M S Santos

Levezas

LEVEZAS

É bom poder carregar levezas
Flutuar, no grande salão da vida valsar
Talvez até um pouco de levadezas
A vida foi feita para aproveitar

É bom distribuir delicadeza
Abraçar, beijar, a todos amar
Trazer em si um pouco de sutileza
Para quando a vontade for de chorar

A vida fica cheia de lindeza
Quando abrimos os olhos da alma
E mergulhamos em nossa natureza

Não significa que não haverá tristeza
Apenas que elas não terão prioridade
Num coração leve, onde reine a pureza

Alda M S Santos

De onde vem?

DE ONDE VEM?

De onde vem o sorriso que te ilumina o rosto?

De onde vêm as lágrimas que te fazem mais humano?

De onde vem a força que brota do seu interior?

De onde vem a fragilidade que te imobiliza e te engrandece?

De onde vem a necessidade não identificada?

De onde vem a capacidade de renovação?

De onde vem a fé em coisas impossíveis?

De onde vem a esperança em dias melhores?

De onde vêm tantos sonhos?

De onde vem a vontade de realizar cada um deles?

De onde vem?

Descubra, vá pra lá, grude e não largue nunca mais!

Alda M S Santos

Jeito de olhar

JEITO DE OLHAR

Um passo atrás pode ser avançar
A tempestade pode vir para limpar
A queda pode ensinar a levantar
O vendaval pode colocar as coisas no lugar

Tudo depende do jeito de olhar

Chorar ensina a valorizar o sorriso
Medo e inércia nem sempre são coisas de indeciso
Talvez seja um modo de usar o perigo
Para encontrar melhor abrigo

Tudo depende do jeito de olhar

Solidão nem sempre é ausência de companhia
Talvez seja escolha de pessoas
Que usam de muita sabedoria
Ao não insistir em buscar no outro
Aquilo que encontram em si mesmas: paz e sintonia

Tudo depende do jeito de olhar

Preta, branca, cinza ou multicor
A vida sempre será uma tela
Para artistas que pintam com estilo e amor
E usam a paleta preferida para torná-la ainda mais bela…

Tudo depende do jeito de olhar
Do jeito de a vida encarar …

Alda M S Santos

O que é importante

O QUE É IMPORTANTE

Ela disse que tudo vai passar
Não sem antes muito nos ensinar
Que há um propósito em tudo
Ainda que o mundo pareça mais carrancudo

A fadinha com sua capacidade de voar
Com o corações das pessoas conversar
Ir a todos os cantos com seu encanto
Aos pouquinhos acalmando a dor e o pranto

Há um grande propósito de reaproximação
Mesmo que pareça afastar e desunir
O que se objetiva é perdão e união

A fadinha quer mostrar o valor da simplicidade
Da atenção, do carinho, dos abraços
Volte-se para o que é importante, aperte os laços

Alda M S Santos

Tire as sandálias

TIRE AS SANDÁLIAS
Abra a porteira, respire o ar puro
Tire as sandálias, pise devagar
Seja bem-vindo
Deixe lá fora qualquer peso
Sinta a leveza desse lugar, inspire
Tire as sandálias, as pedras que nela houver
Que possam cortar, ferir, atrapalhar
Refestele-se…
A maciez fria da grama refresca
Percorre a corrente sanguínea, acalma
Leva um sinal de paz a cada cantinho de nós
Tire as sandálias, entre, sorria com e por prazer
Levante os braços, agradeça
Inspire, expire, faça saudações à vida
Não há caminho mais longo e desejado
Que o que nos leva até nossa alma
Tire as sandálias, continue
Você está quase lá, mais um pouquinho só
E logo se encontrará com quem mais importa
O divino que habita em você!
Alda M S Santos

Sem borracha

SEM BORRACHA

Viver é escrever à caneta, desenhar sem borracha
É precisar aproveitar cada linha escrita, cada traço feito
E nessa louca procura, em que o que se quer nem sempre se acha
Precisamos transformar dor em versos, disfarçar o que é tido como defeito

Para cada flor desenha-se um beija-flor
Para cada lágrima que cai uma rosa a sugar e reaproveitar sua dor
Para cada risco incerto desse desenho, às vezes sem cor
Tentamos fazer um grande e colorido mosaico furta-cor

Viver é pintar com verde-mata, vermelho-sangue ou branco- neve
Mas não dispensar o preto retinto ou o amarelo-girassol
É entender que nessa mistura é que se faz o que é eterno ou o que é breve
É saber dia ou noite, ser lua, céu, mar, estrela ou sol

Viver é desenhar sem borracha, é não descartar o borrão
É fazer uma obra-prima digna do Mestre, original
Ter sempre o olhar do artista, valorizar toda a emoção
É acreditar que a arte da vida sempre tem um tom divinal…

Alda M S Santos

Gosto

GOSTO

Gosto de quem, apesar da aridez, sabe florescer
De quem sabe, apesar da própria dor, acolher
De quem usa a sabedoria para enternecer
E nunca, nunca desiste de lutar por esse viver

Gosto de quem espalha delicadezas
Em forma de palavras, sorrisos, belezas
Na vida insiste, no amor acredita, usa sutilezas
Ainda que veja no entorno tanta aspereza

Gosto de quem não desiste do amor
Independente se já nele se perdeu
Mas não se deixou levar pelo rancor

Gosto de quem escolhe ser a própria poesia
Num mundo onde ganha espaço a agonia
Numa batalha por um pouco mais de harmonia

Alda M S Santos

Reclamações

RECLAMAÇÕES
Não podemos reclamar das flores murchas no jardim
Se não formos bons e zelosos jardineiros
Não podemos reclamar da destruição das tempestades
Se nós mesmos ignoramos as advertências da meteorologia
Não podemos reclamar da solidão
Se nós mesmos não cultivamos bons e saudáveis relacionamentos
Não podemos reclamar da saúde
Se negligenciamos cuidados mentais e físicos
Não podemos reclamar do tédio da vida
Se não buscamos algo de útil para nos ocupar
Não podemos reclamar do sol que nos castiga a pele
Se nós mesmos derrubamos as árvores que nos dariam sombra
Não podemos reclamar de dores físicas
Se nós mesmos criamos a carga a pesar nossos ombros
Não podemos reclamar pelo que não temos, por ausência de amor
Se nós mesmos que fizemos nossas escolhas
E não cultivamos o bom que se apresentou
Até podemos reclamar, mas que as reclamações se convertam em mudanças
Necessário é que deixemos o que faz mal ser levado,
Que possamos receber de braços abertos o novo, o correto, que faz bem
Buscar ações que partam de dentro de nós mesmos,
E nos tornem, a nós e aos outros, mais felizes…
Alda M S Santos

Não é fácil

NÃO É FÁCIL

Nem sempre é fácil viver
Dores, desesperança e desencanto
Com tanta desigualdade, necessidade, pranto
Há dias que nos mandam pra dentro de nós
Tentando encontrar um ponto de equilíbrio
Um cantinho que seja reflexão, abrigo
Algum abraço, palavra, conselho amigo
Algo que nos reafirme que vale a pena insistir
Mesmo quando tanta coisa feia fale
Que tudo acabará por ruir
Ainda que a gente acredite piamente
Que para crescer, aprender, evoluir
É preciso enfrentar algumas quedas e avarias
Não é fácil…
Ter fé e confiar que tudo tem um propósito, irá melhorar
Para reescrever uma história, é preciso partes apagar
A outras histórias nem tão bonitas entrelaçar
Para uma obra de arte digna de quem nos criou
Podermos do outro lado, orgulhosos, apresentar
Mas não é fácil…

Alda M S Santos

Eu te dei

EU TE DEI

Eu te dei…
A tela branca para pintar o seu sol
As árvores frondosas onde canta o rouxinol
As estrelas brilhantes para iluminar o seu céu
Uma linda paleta para satisfazer seu pincel

Eu te dei…
A chuva prata que irriga sua plantação
Que mata a sua sede e de sua criação
Que alimenta seus desejos de amor
Que te faz na vida um sonhador

Eu te dei…
A brisa para seu rosto refrescar
O rio para seu corpo banhar
A Lua para seu amor encantar
As rosas para sua vida perfumar

Só Eu te dei tanto…
Sem cobrar nada, tudo por encanto
Seu pouso, seu mais doce recanto
Alegria, gratidão, nada de pranto

Só Ele nos deu…

Alda M S Santos

Nada por viver

NADA POR VIVER

Não quero deixar nada por viver
Tanta gente indo embora tão cedo, deixando muito por fazer
Que aumenta em nós a necessidade de nada deixar por viver
Com o cuidado de, com isso, nada no outro fazer morrer

Parece que há tanto ainda por aprender
Tantos lugares a passear, a conhecer
Muito ainda a doar, a ajudar, a nos compadecer
Tanto amor ainda por fazer…

Não quero deixar nada aqui para viver
Quero brincar mais, sorrir mais, sem reclamar quando doer
Porque tudo isso faz parte do viver
Extraí da vida tudo o que ela oferecia, quero poder dizer

Quero em tudo intensidade, interação, paixão
A vida do outro lado haverá afazeres diferentes, outra distração
Daqui levarei lembranças, emoção, satisfação
E, se Deus quiser, nada deixarei
Além de marcas boas de saudade em cada coração…

Não quero deixar nada por viver…

Alda M S Santos

Me leva

ME LEVA

Me leva com você para os caminhos que já trilhou
Para que possas me ensinar a ser feliz no conhecido
E a me alegrar com o que passou sem sofrimentos

Me leva com você por caminhos novos
Para que possas encantar-se junto a mim com novas descobertas
E fazer delas uma boa opção
Um rio de águas cristalinas a molhar os pés cansados

Me leva, melhor ainda,
Siga-me por caminhos que só eu conheço
Aqueles cujas trilhas marcadas por sulcos de sorrisos e lágrimas
Estão bem dentro de mim
Esperando por bons caminhantes

Me leva por qualquer caminho, qualquer um,
Havendo tristeza ou alegria, não pare!
Mas não me deixe na mão, não me desampare…

Me leva todos os dias, vida,
Com você poderei sempre aprender
Mas não me deixe ao léu
Ensina-me teus segredos
De continuar a existir
Quando tudo no entorno parecer ruir …

Me leva…

Alda M S Santos

Onda de quê?

ONDA DE QUÊ?

Onda de calor, quarenta graus, frente quente
Daquelas que sugam a energia da gente
Onda de frio, temperaturas baixas, frente gelada
Daquelas que nos fazem encolher na madrugada

Tanta onda que aparece por aí
Queria tanto saber quando chegará por aqui
A onda de amor, frente de bondade
Que é dessa que tanto precisa a humanidade

Onda de compaixão, um pouquinho de atenção
Que levanta alguém do chão, que acolhe o irmão
Onda de solidariedade, que atinge qualquer idade
Desperta a piedade, atiça a caridade

Onda de carinho, chegando de mansinho
Daquelas que matam a saudade
Que nos pegam e nos dão um colinho
E afastam qualquer maldade…

Quando a onda do amor irá nos abater?
Só queria saber…

Alda M S Santos

Iluminando

https://online.pubhtml5.com/wdzl/katz/

ILUMINANDO …EM ESPANHOL

Sigo iluminando os caminhos pelos quais eu passo
Um esforço a mais para manter a esperança eu faço
Não dá para caminhar na escuridão
Não dá para viver sem luz no coração

Procuro voar, ainda que na aeronave da imaginação
Ou nadar nas águas profundas de minha emoção
Abasteço com o combustível de boas lembranças
De um viver de alegrias e muitas andanças

A vida vai se fazendo, estejamos inertes ou agindo
Marcas vão sendo em todos impressas
Em muitas almas tantas vezes controversas

Quero me encontrar em mim,
Preciso não me perder nesse louco motim
Por uma vida que faça sentido do princípio ao fim …

Alda M S Santos
Mais no meu blog vidaintensavida.com

De volta para casa

DE VOLTA PARA CASA

Quero pegar o caminho mais gostoso
Nem sempre flores, tantas vezes pedregoso
Quero pegar um atalho que me leve ao que amo
Àquilo que nunca deixou de existir

Quero pegar o caminho de volta para casa

Quero pegar o caminho do qual me afastei
Em busca daquilo que estava tão perto
Quero pegar o caminho que tão bem conheço
Que poderia perfazer de olhos fechados até aqui

Quero pegar o caminho de volta para casa

Quero pegar o caminho que me leve até mim
Aquela que outros caminhos percorreu
Voltas e voltas que deu para chegar cansada, voltar crescida

Quero pegar o caminho de volta para casa

Aquela que sempre esteve aqui
Que sabe o que quer e habita em mim
E logo percebi que todos os caminhos, afinal,
Eram necessários para me trazer de volta para casa
Para me trazer de volta para mim …

Oi! Voltei! Senti saudades!

Alda M S Santos

Sob o luar

SOB O LUAR

Sob a luz intensa do luar
Quero relaxar, me entregar
A um banho quente, envolvente
Que afaste tudo da mente
Exceto o prazer de ser gente

Quero um banho de Lua!

Sob a beleza da Lua
Por uma noite sem fim, sem pudor
Ou por toda a vida, de alma despida
Poder sem medo me abrir, me expor

Preciso de um banho de Lua!

Sob o poder e encanto da Lua
Deixar tocar e brilhar em mim
Raios de amor, gotas de poesia
Da pele suave à alma nua
Pura magia…

Quero um banho de poesia!

Embriagada de poesia ao luar
Mergulhada na ânsia de amar
Um nostálgico desejo me faz te chamar
Não quer comigo também se banhar
No mar, sob o luar?

Precisamos nos banhar
De lua
De poesia
De amor…

Alda M S Santos

O que te salva

O QUE TE SALVA

Quanto mais coisas se perde
Mais valor têm as que ficam
Quanto mais pessoas vão embora, desistem
Mais valor têm as que ficam, insistem

O que vem fácil sempre vai facilmente também
O que é difícil, demorado
Quase sempre é mais duradouro, valorizado
Portanto, não é bom desanimar
Algo extraordinário pode-se conquistar

Clichê ou démodé, tanto faz
Mas uma verdade não se desfaz:
A felicidade não está na quantidade
Mas naquilo que possuímos com qualidade

Entre idas e vindas, ganhos e perdas
Decepções e superações, derrotas e vitórias
A admiração que tem por si mesmo nunca deixe desaparecer
Porque é ela que te salva
Quando tudo parecer se perder…

Alda M S Santos

Imperfeita

IMPERFEITA

Ela é assim, imperfeita
Interessante, atraente, convidativa
Ora boa, outras nem tanto
Mas com fé a gente se ajeita

Ela é assim, imperfeita
Bela, cinzenta ou colorida, engraçada
Faça rir ou faça chorar
Ninguém nunca a rejeita

Ela é assim, imperfeita
Inteira ou faltando pedaços
Repleta de amores e desamores
E de coragem que a gente respeita

Ela é assim, imperfeita
Nem sempre como almejamos
Mas é a vida que a gente não enjeita
E a amamos mesmo assim:
Imperfeita!

Alda M S Santos

Mais abençoada

MAIS ABENÇOADA

Não dá para saber ao certo em tempos de grande tribulação
Se a vida vale mais ou menos em meio a tanta confusão
Ela se perde tão facilmente e por quase nada
Nem sempre sentimos que está abençoada

A emoção é sacudida, muito balançada
Pela dor, pela angústia, pela saudade, por quase nada
O coração precisa aconchego, o corpo pede abrigo
Somos gregários, precisamos de amigos

O risco tão eminente da perda a faz mais valorizada
Busquemos um momento de reflexão e introspecção
Para encontrar a paz em nós, na oração

Urge manter a alma elevada, a saúde preservada
Acreditar que juntos somos mais fortes
Sendo firmes na fé, sem perder nosso norte…

Alda M S Santos

Fez as malas…e foi

FEZ AS MALAS… E FOI
Quando não mais a cabia, sentia-se apertada e desconfortável
Fez as malas e foi…
Quando o que se apresentava não era o bastante, machucava, atemorizava
Fez as malas e foi…
Quando caiu por terra a esperança de tudo melhorar, do chão se levantar 
Fez as malas e foi…
Quando o amor não mais justificava as batalhas sofridas
Fez as malas e foi…
Quando o viver produzia mais nuvens escuras e pesadas,
Chovia mais lágrimas que sorrisos
Havia mais chuva que dias ensolarados
Fez as malas e foi…
Ou quando a paixão por isso aqui não foi grande o bastante para fazer o amor acontecer
E a tristeza e desolação se aliavam ao medo que trazia no olhar
Sequer deu tempo de fazer as malas
Simplesmente, foi…
Tentando não olhar para trás
E levou na bagagem apenas dor e saudades de tempos mais livres
Em que abraços só nos contagiavam de alegria …
Mas quando o amor apertava tanto o peito, a consciência doía,
A saudade feria, a vida se esvaía
Fez as malas, encheu-se de fé e esperança, de Deus
E…voltou…
Ir ou ficar, lutar ou desistir,
Esperar, acreditar, se proteger e confiar,
O que é maior prova de amor à vida?
Alda M S Santos

Feito menina

FEITO MENINA
Feito criança pequenina quero receber a vida
Acolher com prazer o amanhecer que ela me oferece
Como menina, abrir os grandes olhos brilhantes e sorrir
Não me importar com os cabelos ou a vida bagunçados
Andar descalça, correr na grama, cair, esfolar os joelhos
Aceitar os cuidados que me forem ofertados
Desembrulhar o dia como um grande presente
Aproveitar o sol e quintal lá fora para brincar
Sentir o frio na barriga do calor de viver
Feito menina quero curtir cada minuto que tiver
Sabendo que o entardecer chega, o anoitecer idem
Mas ser leve, sem preocupações excessivas
Chorar quando sentir vontade
Mas nunca deixar de sorrir, de sonhar, de acreditar
Confiante que novo amanhecer chegará
E tudo se repetirá, ou não, (in)finitamente
Mas que ele sempre será bom como tem que ser
E, feito menina, confiar e balançar ao sabor da vida…
Alda M S Santos

Preciso desse amor

PRECISO DESSE AMOR
Preciso desse amor pra caminhar
Preciso desse abraço, desse carinho
Preciso sentir que estás comigo
Que não estou sozinho
Que nunca me abandona, que me ensina
Me mostra o melhor caminho 
Joga luz sob meus pés
Esperanca em meu coração
Coragem para agir no momento certo
Com calma e emoção
Mas, sobretudo, a sabedoria de saber esperar
Renove e fortaleça minha fé
Usa-me como instrumento do Vosso propósito
Caminhe ao meu lado
Se preciso, carregue-me no colo
Preciso desse amor pra caminhar …
Alda M S Santos

Passarinho

PASSARINHO

Passarinho cantou na janela
Veio dizer “acorde, a vida é bela”

Borboleta dançou entre as tranças da menina
Veio pedir para sermos leves como a neblina

Lagarta ficou inerte no casulo, solidão
Exemplo que a vida passa por momentos escuros, transformação

Joaninha colorida voava, pura delicadeza
Alertou para da alma extrairmos a pureza

Beija-flor de tanto beijar apaixonou-se por uma flor
Veio dizer que a vida só vale quando há amor

Alda M S Santos

Arte de viver

ARTE DE VIVER

Desenhei no caderno da vida um sonho colorido

Pintei na tela da existência um cérebro bem resolvido

Bordei na colcha macia um amor fantasia, pura sintonia

Escrevi no seu coração um poema cheio de emoção

Depositei beijinhos no seu corpo, com carinho

Acendi na nossa estrada a luz da Lua, encantada

Para uma noite de amor, dancei suave, sem pudor

Criei uma letra, uma música, uma melodia, uma história de amor

Mãos postas, um silêncio, uma oração, gratidão

Com minha ajuda o destino escreveu na linha do horizonte nosso apogeu

Deixei registrada por aqui nossa passagem em arte magia, poesia

A vida e eu…

Alda M S Santos

Vida de verdade

VIDA DE VERDADE

Casinhas simples, janelas na calçada
Arquitetura favorecendo a boa convivência
Sorriso de bom dia, boa prosa
Como estando sempre a dizer
Chega pra cá, pra tomar uma xícara de café
Moças a observar pessoas que passam
As “namoradeiras” debruçadas nas janelas de madeira
O olhar ao longe esperando a chegada de alguém especial
As vovós aguardando notícias de amigos
Ou aquele abraço especial de alguém que vem da capital
Uma vida em ritmo mais lento
Em ritmo de magia e alegria a contento
Tempos em que a vida acontecia, pura nostalgia
Sem grandes alvoroços, onde o olhar se demorava
Nas coisas e pessoas por onde o amor passava…
Vida de valores e pessoas de verdade
Sem se preocupar com luxo, amor na simplicidade
E ser feliz, sem qualquer complexidade. ..

Alda M S Santos

Seria possível?

SERIA POSSÍVEL?

Só por um dia eu gostaria de poder ser certeira no agir
Não ter qualquer dúvida, medo ou impedimento
Ser a mão que leva um toque de amor por onde for
Ter a palavra certa para acender uma alma apagada
Ser o abraço acochado para aquecer um corpo cansado
Seria possível?
Só por um dia curar dor com um beijo
Desânimo e sofrimento com um sorriso
Depressão com a empatia de um coração
Ser as asas de quem não pode voar
O sonho de quem não pode mais sonhar
A realidade boa de quem vive na desilusão
Sem amargura, sem decepção ou ilusão
Ser amor, paz, esperança, emoção…
Seria possível?
E nessa cura que de mim sai
Que para mim também retorne
Em forma de luz, de energia, magia
Amor de Deus…
Só por um dia, todos os dias…
Seria possível?

Alda M S Santos

De gota em gota

DE GOTA EM GOTA

De gota em gota vão chegando as alegrias

Aquelas que a vida nos presenteia dia a dia

E nós, tolos, queremos copo cheio

Nos perdemos e nos afogamos nesse meio

De gota em gota vai chegando um grande amor

Aquele que aos poucos faz a vida ser flor

Colorida, bela, perfumada, seja como for

E nos ensina que de beijo em beijo se satisfaz o beija-flor

Chuviscos, garoa ou furacão

Qualquer deles irriga um coração

Basta querer bem, ser atenção, (com)paixão

A conta-gotas também dá para ser feliz

Brotar, crescer, criar raiz

Ser árvore frondosa no céu de quem me quis

Alda M S Santos

Que ela seja assim

QUE ELA SEJA ASSIM

Que ela seja assim
Bela e triste como névoa na praia ao amanhecer
Animada como dia de sol no parque ao entardecer
Pacífica como céu estrelado no anoitecer

Que ela seja assim
Romântica feito banho de chuva com alguém especial
Divertida e quente como dançar num lual
Saborosa e madura como fruta colhida no quintal

Que ela seja assim
Refrescante como mergulho na cachoeira ao luar
Intensa e mágica como o amor nas areias do mar
Aconchegante como abraço para o cansaço aliviar

Que a vida seja assim
Nem sempre do jeito que nossa mente deseja
Mas na medida certa do que nossa alma almeja

Alda M S Santos

Para sempre a cada minuto…

PARA SEMPRE A CADA MINUTO…
Quero muito seguir mantendo a fé
A fé de que tudo de bom é possível
Para aqueles que acreditam num mundo novo
Mesmo sendo o mesmo velho mundo injusto de sempre
O mundo só muda se tivermos um olhar crítico sobre ele
Mas sobretudo um olhar crítico sobre nós mesmos
O mundo não existe à nossa revelia
Somos parte dele, cada um de nós o compõe
Se conseguirmos mudar em nós o que nos impede de caminhar
O que trava os passos de nossos semelhantes
De ser melhores a cada dia, a cada pegada
A cada marca deixada nas areias de nosso tempo
Nos corações que tocarmos, nas almas que encantarmos
Construiremos castelos mais lindos e resistentes
Capazes de abrigar todos os sonhos, de todos os seres
De um hoje lindo, de um amanhã melhor…
E que sejamos felizes para sempre
Mesmo que o para sempre tenha que ser reconstruído a cada minuto…
Alda M S Santos

Ele está onde o colocamos

ELE ESTÁ ONDE O COLOCAMOS

Tantas vezes nos espaços estreitos dos labirintos de nossas vidas

Quando mais necessitamos de sol, energia, luz, calor

Um sorriso confiante, uma palavra animadora

Esbarramos nas paredes de nossos limites físicos e emocionais

Paredes frias, úmidas, mofadas, duras, escuras…

As dúvidas, medos, desesperanças quase nos nocauteando

Procuramos por uma força, um estímulo, um amor

Alguém que acredite em nós, nos compreenda, nos aceite, nos perdoe

Buscamos Deus…

E Ele será mais facilmente encontrado

Se soubermos onde procurá-Lo, o espaço que reservamos a Ele nesse labirinto

Se estiver difícil de encontrar, pensemos bem!

Deus está onde O colocamos…

Alda M S Santos

O quanto você aguenta?

O QUANTO VOCÊ AGUENTA?

O quanto de tons de verde ou de azul do céu eu aguento?

Por quanto tempo eu suporto o silêncio que vem de fora?

O quanto de sossego sou capaz de aturar? 

Por quanto tempo consigo ficar sem ouvir a voz dos outros?

O quanto eu aguento de sons de pássaros, cigarras, galinhas d’angola, galos, macacos?

O quanto eu tolero dessa brisa que acaricia minha pele, disputando espaço com os mosquitos?

Por quanto tempo ficaria deitada aqui, apenas a observar?

O quanto de cores e sons eu preciso para viver? 

Tudo depende de quanta paz interior eu tenha!

Tudo depende da minha capacidade de conviver comigo mesma!

Tudo depende da minha (in)dependência dos outros. 

O quanto você aguenta?

Alda M S Santos

Chuvinha

CHUVINHA

Ela continua…ininterrupta

Irrigando terras e vidas.

Que todos tenham teto

Que nos molhemos apenas por opção

Que nossos corpos e mentes

Estejam protegidos e abrigados

Que possamos ser abrigo para quem precisar

Para o corpo, para a mente, para a alma…

Bom dia, amores…

🙏🏼🙏🏼😘😘

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: