Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Categoria

Amor

Como rosa

COMO ROSA

Como uma rosa quero receber feliz a chuva da madrugada

E amanhecer viçosa e alegre mais uma alvorada

Como rosa quero me aquecer ao sol agradecida

E exalar para todos meu perfume intenso, bem colorida

Como rosa que atrai borboletas e joaninhas para se alegrar

Quero encantar quem de mim se agradar

Como rosa quero de intrusos me proteger

Se preciso, usar meus espinhos para me defender

Como rosa quero estar entre flores num jardim

Ou nas mãos de alguém apaixonado, a fim, enfim…

Como rosa quero cor, perfume, delicadeza, intensidade

Ser prazer e alegria nesse mundo cheio de maldade

Como rosa quero carinho, amor, presença e cuidado

De um jardineiro que sabe o que faz, apaixonante, apaixonado

Como rosa quero deixar doçura numa alma impregnada

Quando minhas pétalas forem adubo na terra molhada

Alda M S Santos

Ame!

AME!

Simplesmente sentar num banco num canto

Com alguém, como um anjo, desabafar o pranto

A vista no horizonte do intenso e belo mar

Brincar, cantar, falar, ouvir, sorrir, chorar

Apenas um tempo sem medos, sem solidão

Encontrando ali apoio, paz, um abraço irmão

Estamos todos na caixa de achados e perdidos por aqui

Até ser encontrado por quem saiba pra onde ir

A humanidade busca se encontrar

Mas o mapa não aponta bem o lugar

Passamos pelo outro para a nós mesmos chegar

“Ame a teu próximo como a si mesmo”

Não precisa sair andando a esmo

Muitas vezes o próximo a ser amado é você mesmo…

Alda M S Santos

Um lugar

UM LUGAR

Se fecharmos nossos olhos podemos ir a qualquer lugar

Para o friozinho na Serra numa fogueira esquentar

Ou ver o pôr do sol tropical numa tarde à beira-mar

Se fecharmos nossos olhos podemos fazer o mundo girar

Ser atraídos pela Lua e juntos até ela poder viajar

Deitar tranquilamente em seu quarto crescente e namorar

Se fecharmos os olhos podemos a vida inteira mudar

Quando de mala e cuia formos um coração habitar

E fazer dali a morada mais linda desse lugar

Se fecharmos os olhos podemos nossa alma desnudar

Torná-la intensa, pura, pronta a se completar

Aí já poderemos nossa missão por aqui finalizar…

Alda M S Santos

Adivinhação

ADIVINHAÇÃO

Sonhei que tinha acordado com o poder de adivinhar

Bastava olhar alguém e sua alma podia enxergar

Rapidinho percebia de quem poderia gostar

Ou no coração de quem eu já tinha bom lugar

Para uns eu olhava e dava vontade de chorar

De outros eu queria apenas me distanciar

Havia aqueles que queria muito abraçar e beijar

E outros, tão ternos, o que fazer melhor nem contar

Parecia coisa boa ter poder de adivinhação

Saber de longe o que se passa em um coração

Mas, afinal, não é assim grande coisa, não

Só valeria a pena se a adivinhação

Viesse acompanhada com poder de ação

Aquela que no coração do outro faz transformação

Alda M S Santos

O barco do tempo

O BARCO DO TEMPO

Tão longo, tão curto, tão fugaz

Independente de nós o barco está passando

Inertes, estacionados ou correndo atrás

O tempo vamos curtindo, significando

Queremos espichá-lo quando há prazer

Encurtá-lo quando nos faz sofrer

Talvez até dar um bom replay

Pausar, voltar, avançar, atracar, não sei

Aqui é diferente do lado de lá do horizonte

Uma vida inteira aqui lá é um piscar

Mas não podemos escolher onde ficar

Melhor aceitar e aproveitar esse presente

Tão abstrato, ilusório, nada linear

E pra menos errar, procuremos mais amar

Alda M S Santos

Vestida de luar

VESTIDA DE LUAR

Na madrugada, como quem não quer nada

Ela apareceu para me avisar

Caminhava e brincava à beira-mar

Chutava as águas, corria e voltava, girava

Não sossegava no mesmo lugar

Dizia a bruxinha que não parava de falar

Não se preocupe, tenha fé, tudo vai melhorar

Quando o sol raiar a bruxinha não poderá ficar

Mas não fique triste, o mundo é de quem persiste

Siga com amor, faça seu caminho

Leve alguém sempre, com carinho

E se pensar em desistir, lembre-se

Voce não pode abraçar o mundo

Mas prometeu não deixar ninguém para trás

Quando quiser, chame, estou aqui

Estou em você, você em mim

Na noite escura ou de luar

Se precisar, é só chamar…

E foi embora sobre as águas do mar…

Alda M S Santos

O Chiado do amor

O CHIADO DO AMOR

Um maravilhoso pôr do sol se iniciava e ele começou:

-“Um dia o sol se apaixonou pelas águas do mar,

Elas eram tão lindas, refrescantes, de um azul tão intenso

Que ele não foi capaz de resistir”…

-…”As águas do mar sentiram os braços longos e quentes do sol

Durante todo o dia a acariciá-la e acabou por corresponder àquele amor”- ela continuou.

-“Porém, era um amor impossível, tão diferentes! Tão distantes!

Era inconcebível que ficassem juntos!”- ambos disseram.

-“Mas não conheciam a força e poder do amor, daqueles que queriam realmente ficar juntos.

Para poder ter o prazer de se encontrar com as águas do mar, o sol todas as tardes

Descia devagarzinho e deixava-se morrer para o mundo, por uma noite inteira,

Para ter o prazer de mergulhar e viver abraçado àquelas águas tão queridas”!

-“Por isso o pôr do sol é o símbolo dos casais apaixonados.

Dizem que casais que se amam de verdade são capazes de

Ouvir o chiado de prazer do sol ao tocar o mar quando se põe.”

– Isso é sintonia. Muitos casais possuem, mesmo de longe. Pena que hoje morrer de amor e matar por amor tenham uma conotação tão ruim!

-Isso porque o que chamam de amor pode ser tudo, menos amor!

E aquele casal que repetia esse ritual há quase 60 anos,

Levantou-se daquele banco à beira-mar e saiu de mãos dadas.

O sol começava a se encostar nas águas do mar e eles, sorrindo,

Ouviram: ttttssssssss, o chiado do amor!

Alda M S Santos

Vamos brincar?

VAMOS BRINCAR?

Eu digo “BARCO”

E expressões e palavras vamos associar

Vamos ver quem mais diz, sem errar?

Não vale parar, não vale pensar

O que vier à mente tem que verbalizar

Assim, num dueto uma história vamos montar

Vamos lá? Barco!

Peixe, pescador, alto-mar

Madrugada, ganha-pão ao Luar

Anzol, isca, rede, no intenso balançar

Uma moça, pureza, uma sereia a cantar

Sensualidade, beleza, nas águas a brilhar

Pescador encantado pula ao mar

De pescador a peixe ele vai virar

Não mais se importa, a sereia quer pegar

E ela, meio mulher, meio peixe, um amor quer encontrar

Uma canção envolvente, um pescador carente

Uma sereia bela, solitária, de alma quente

Um amor se faz presente em dois corações a se apaixonar

Corpos se fundem, almas se confundem

E voltam para o barco sob a Lua, a balançar, a avançar

O sol já vai nascer, a sereia pode perecer

Quer levá-la para a areia ao amanhecer

Pescador já pensa na saudade, no sofrer

Pescador volta a remar, a vida enfrentar

Nada pescou, pescador, pecador?

Sim, pesquei o amor…

E todas as madrugadas volta o pescador

Em busca da sereia, de seu canto, seu corpo, seu amor…

Quem ganhou?

O barco, a sereia, o pescador, o amor…

Alda M S Santos

Nossa pequenez

NOSSA PEQUENEZ

Diante da grandiosidade da natureza

E hipnotizados frente a tanta beleza

Não há como não sentir

Como somos tão pequenos por aqui

Somos nada mais que um grão de areia

Apenas um fio nessa grande teia

Força natural que impressiona

Que nos leva para frente, nos impulsiona

Mesmo sendo tão pequenos

Podemos por aqui atuar, amar

Escolher entre destruir, cuidar, preservar

Somos a porção de vida racional

A brincar como em nosso quintal

Respondemos por essa parte do espaço natural

Alda M S Santos

A língua do amor

A LÍNGUA DO AMOR

A linguagem do amor é universal

Pode ser sintonizada em qualquer canal

Sempre será falada e entendida

Pelos mais necessitados, gente sofrida

Ela grita no silêncio das carências

Ela se cala na angústia das dependências

Ela se aninha no carinho do acolhimento

Ela se faz entender em cada sofrimento

Abraço fala, beijo fala, colo fala

Falam a linguagem dos anjos, do amor

Todos aqueles que sabem acalentar uma dor

Linguagem inata, mas que pode também ser aprendida

Por toda uma geração tão perdida

Que não encontra em ninguém uma guarida

Alda M S Santos

Revelação

REVELAÇÃO

Um dia iremos acordar

Abrir não só os olhos para o dia

Abrir a alma para realmente despertar

Ser luz, paz, o amor que a todos contagia

Nesse dia tudo irá fazer sentido

Tudo que por aqui foi sofrido

Os percalços, as companhias, a solidão

Os momentos em que ouvimos um não

Quando esse dia de revelação chegar

Ou a gente irá chorar ou muito se alegrar

Pelo tempo que soubemos usar ou desperdiçar

Quiséramos nada ter a lamentar

Poder apenas agradecer, abraçar

E, feliz, ter a certeza que valeu a pena amar

Alda M S Santos

Contabilizando

CONTABILIZANDO

Quantos nãos sua felicidade, sem minguar, suporta

Quantos sins sua tristeza precisa para fechar comportas

Quantos talvez sua segurança aguenta sem desfalecer

Quantos tanto faz você aguenta antes de morrer?

Quantos sorrisos te fazem das lágrimas esquecer

Quantos abraços são necessários para a dor desaparecer

Quanta luz você precisa para deixar de escurecer

Quanta saudade você tolera sem enlouquecer?

Quanta fé é necessária para você, das cinzas, renascer

Quanto milagre precisa acontecer para você aprender

Que quanto mais amor doar, mais irá receber?

Quanto?

Alda M S Santos

A cura

A CURA

Qual a cura para um mundo de amargura

Para humanos tão sem ternura

Que pouco fazem por evolução

E não temem a própria extinção?

Qual a cura para um mundo tão sem compaixão

Egoísta, que vive na alienação

Quer tudo, é imediatista, destrói o futuro

E já não sabe mais como ser puro?

Qual a cura para você, para nós

Há como desatar tantos nós

Refazer os laços, oferecer mais abraços?

Já foi apontada a cura para tanto desengano

Houve um Alguém que disse, um Senhor

Que a cura para qualquer mal é o amor…

Alda M S Santos

Bodas de pérola

BODAS DE PÉROLA

Já faz tanto tempo, não consigo mensurar

Mas o relógio não parou de girar

São 35 anos, diz o calendário

Eu era uma menina num mundo temerário

E nos aproximamos, nos enamoramos

Dois terços de minha vida são com você

Casamos, dois filhos lindos criamos

Que ainda falta para nos acontecer?

Você sempre soube meus sonhos, meus desejos

Trocamos alegria, dor, beijos

Nem sempre foram flores, houve também espinhos

Mas compartilhamos conquistas, dividimos caminhos

São 35 anos lado a lado, 30 anos de casados

Será que imaginaríamos nossas vidas separados?

“Até que a morte nos separe”, foi nossa promessa

Ela que demore, não temos pressa!

Sonhamos uma vida juntos, bonita

Juntos a temos realizado

Que possam vir mais trinta

A gente enfrenta, lado a lado!

Alda M S Santos

Queremos

QUEREMOS

Queremos alguém que nos faça amor, que nos tire a dor

Que nos beije com a delicadeza e a fome de um beija-flor

Queremos alguém que nos afaste os monstros, acenda a luz

Que seja o anjo amigo que por caminhos lindos nos conduz

Queremos alguém que goste de amar na chuva, na cachoeira se banhar

Que pule a janela e nos leve a caminhar de mãos dadas ao luar

Queremos alguém que nos abrace, nos dê colo, nos faça cafuné

Nos fortaleça e nos restaure a esperança e a fé

Queremos alguém que nos bote para dormir, acorde juntinho

E que seja, acordado ou dormindo, nosso sonho de carinho

Queremos alguém que nos mantenha junto a si, não nas grades de uma prisão

Mas alguém que nos enlace nos laços do amor e da proteção

Queremos alguém…

Alda M S Santos

Quero fazer um pedido

QUERO FAZER UM PEDIDO

Quero fazer um pedido à estrela cadente

Pode tornar realidade o meu sonho mais urgente?

Quero fazer um pedido ao gênio da lâmpada de Aladim

Pode trazer um amor na medida só para mim?

Quero fazer um pedido aos mais valentes ancestrais

Podem nos ensinar a não lutar por motivos tão banais?

Quero fazer um pedido à chuva que cai torrencial

Pode levar embora tudo aquilo que me faz mal?

Quero fazer um pedido à fada que mora em mim

Pode me afastar os medos de uma vida assim, assim?

Quero fazer um pedido ao Deus do amor e da paz

Pode nos ensinar um viver um pouco mais eficaz?

Quero fazer um pedido a todo mago, amigo da poesia

Promete não me deixar desistir de nela encontrar a magia?

Alda M S Santos

Gentileza

GENTILEZA

Gentileza cai leve como gota de orvalho

Deposita-se suavemente no coração da gente

Mesmo quando se vai, a fragrância permanece

Na sensação boa que a dor amortece

Como se tivéssemos sido tocados por um anjo

Gentileza não custa nada a quem oferece

Mas pode significar o mundo para um alguém

Que talvez não tenha mais nada ou ninguém

Gentileza é alma nua, vestida apenas de amor

Que aprendeu no jardim da vida a delicadeza da flor

Gentileza é do caráter, mas pode ser aprendida

Certamente também deve ser ensinada

Vem das boas pessoas, das bem educadas

Daquelas que sabem o quanto é ruim

serem abandonadas

Ela quase sempre vem de um sorriso acompanhada

Por isso gentileza está associada à beleza

Aquela que se manifesta nas atitudes de firmeza

E só uma alma bela sente a grandeza

Já plantou, já ofereceu, já recebeu

Já se deixou tocar hoje pela gentileza?

Alda M S Santos

Um mundo

UM MUNDO

Um mundo mais alegre, menos sofrido

Com mais bênçãos, menos perigo

Onde todo soldado combalido

Encontre no outro um bom abrigo

Um mundo mais suave, menos amargo

Com menos “passar de pernas”, mais dar-se as mãos

Onde o amor e amizade fiquem a cargo

De seres humanos mais irmãos

Um mundo onde seja permitido sonhar

E bons desejos poder realizar

Na fraternidade e na paz nos irmanar

Um mundo onde reine o respeito e harmonia

Pelas criaturas, natureza e Criador

E que saibamos que só seremos felizes onde houver amor

Alda M S Santos

Diferenças

DIFERENÇAS

Há diferenças que nos aproximam

Aquelas que são complementares, claramente

E tornam duas pessoas afins

Numa relação de parceria que é comovente

Há diferenças que separam, apartam

Não são harmônicas entre si

Para que possa haver crescimento

É preciso respeito, boa vontade e discernimento

Diferenças são necessárias quando fazem evoluir

Mas causam danos quando só um passa a usufruir

Enquanto o outro é aquele que tem vontade de fugir

O amor é bonito, pede harmonia, sintonia

Quando acolhe as boas diferenças com energia

E faz da vida uma dança bonita, uma boa parceria

Alda M S Santos

O amor e eu

O AMOR E EU

Caminhamos lado a lado faz tempo

Acredito que nossa relação venha de outras vivências

Já nos demos as mãos, já ficamos de mal

Já fingimos estar bem para manter as aparências

Já sorri por ele, chorei, briguei

Já cansei, fui embora, desanimei

Já me esforcei, levantei, me entreguei

Quase desisti, acordei, voltei, de novo amei

Ele e eu somos assim, inseparáveis

Se nos apartam, ficamos vulneráveis

Se estamos em harmonia somos admiráveis

O amor e eu somos complementares

Não sou nada sem ele, ele é nada sem mim

Seguimos assim, um caminho sem fim

Alda M S Santos

Banhos de Lua

BANHOS DE LUA

A noite parecia não ter fim

Virava e mexia e nada do sono vir

Carneirinhos contava, a mente divagava

E, desistiu de dormir, enfim

Levantou-se devagar, e saiu dali

Cabelos emaranhados, descalça a caminhar

Longa camisola de seda a flutuar

Foi atraída pelo brilho fascinante do luar

Na imensidão de água, sob o brilho intenso da Lua

Foi despindo-se de tudo que a incomodava

Vestes, dores, medos, culpas, até ficar toda nua

A Lua de longe carinhosamente a chamava

E no encontro com o mar mais fascinada ficava

E, num banho de lua e mar, ao amor se entregava

Alda M S Santos

Amor, amar

AMOR, AMAR

Há vários tipos de amar

Mas o amor é um só

E o mais lindo jeito de amar

É aquele que sabe cuidar

Amor sorriso, luz, amor anseios

Amor pele, sonhos, amor abrigo

Amor de esperanças e desejos

Amor que se faz amigo, afasta o perigo

Amor que se entende num olhar

Amor que se eterniza no silenciar

Amor que busca na saudade um bom lugar

Amor natureza, beleza, intensidade

Amor em qualquer idade, sem maldade

Amor que faz da vida sua verdade….

Alda M S Santos

Amor e/ou paixão

AMOR E/OU PAIXÃO

Se há admiração, respeito, cuidado,

Se chega de mansinho, acha seu cantinho

E ali encontra aconchego e carinho

É amor!

Se arde, queima, é tensão, confusão

Se chega, invade espaços, derruba tudo

Desapropria moradores, bota fogo, deixa mudo

É paixão!

Paixão é desassossego, intensidade

É pular do trem em movimento, tormento

É insanidade!

Amor é sentar na janela, intimidade

Aproveitar a paisagem, doce sentimento

É cumplicidade!

Gostamos de ambos, juntos, mãos dadas é o paraíso

Um equilíbrio que faz incendiar a alma, rasgar sorriso

Paixão é fogo avassalador

Tantas vezes confundido com amor

Paixão é o ninho preparado

Para o amor receber, se desenvolver

E quando amadurece, fica meio de lado

Mas esse ninho será sempre revisitado…

Amor é luz, paixão é luz

A diferença está na intensidade

E na durabilidade do brilho e calor

Enquanto a luz no amor tende a aumentar com o tempo

A luz da paixão arrefece, é fogo brando, doce ardor

Amor é o que fica quando as labaredas cessam

Mas mantém o coração em paz e cheio de calor…

Alda M S Santos

Tá no ar

TÁ NO AR

Tá no brilho de mais um dia que se inicia

No despertar com ânimo e energia

Na gratidão que o viver propicia

No desejo de fazer deste um bom dia

Tá no ar, na brisa suave, no leve caminhar

Nos pássaros que cantam, confiantes, a voar

Nas crianças que sorriem, que correm a nos abraçar

Nos idosos postos ao sol para se esquentar

Tá na rosa que se abre para o amanhecer

Naquelas que também já vão perecer

Na vida de fartura ou de carecer

Tá no ar, tá no sorriso, no ato de se doar

Não precisa ir longe, está em todo lugar

O amor de Deus não falta, saiba encontrar…

Alda M S Santos

Santos?

SANTOS?

Para quem neles crê, hoje é o dia deles

Todos os santos e mártires, conhecidos ou não

Quantos haverão por aí escondidos

Aos quais podemos em pedido estender a mão?

Famosos ou anônimos, não importa, se santos, entenderão

Certamente as dores e angústias do coração

Nossos silêncios, nossos pedidos calados

As lágrimas engolidas e os choros represados

Sabem de quantas lutas se faz uma vitória

De quantas quedas é preciso levantar com energia

E quantos sorrisos valem uma alegria…

Mesmo quando desanimaram, a fé foi sua companheira

Santos? Talvez nem saibam disso! São luz!

A eles humildemente clamamos por força nessa vida passageira…

Alda M S Santos

Desfocando

DESFOCANDO

Quisera ter esse poder

De desfocar sem perder

A alegria e prazer de viver

Se machuca, maltrata

Irrita, desrespeita ou ameaça

Desfoca!

Se tira a paz, o sossego

Se nada acrescenta, se o bem afugenta

Desfoca!

Se o amor não enaltece

Se a amizade não prevalece

Se apenas nos aborrece

Desfoca!

Olhe novamente, seja resiliente

Balance ao sabor da corrente

E foque naquilo que é luz!

Desfoca!

E foca apenas no que for por amor…

Alda M S Santos

Desavenças

DESAVENÇAS

Uma pequena desavença, um dormir de mal

Um levantar de voz, um pouco caso, uma briga banal

Cenas de ciúmes, decepções

Indiferenças, chateações

São humanos aprendendo a conviver

A se relacionar, a ceder, argumentar, crescer

Onde há amor e respeito tudo isso é superado

Beijos, juras de amor, dormir de conchinha e isso fica de lado

Mas quando as desavenças são constantes

Agressões verbais, físicas, rompantes

Estar junto já não é prazeroso

Sonhar juntos já não é mais gostoso

Os desgostos crescem, o medo impera

O tanto faz já é a lei, nada supera

O amor adoeceu, precisa de aliados da emoção

É necessário respeito, cuidado, admiração, paixão

Quando o fio do amor se rompe, se parte

Não é bonito, não é arte

Egos feridos, amor bandido

E, tantas vezes, leva vidas consigo…

Amor é pra fazer sorrir, para dar prazer, se emocionar

Talvez até um pouco fazer chorar

Mas amor não pode só doer, só decepcionar

Amor melhor não é aquele que suporta tudo, mas nos faz voar!

TARDE DE POESIAS: TEMA DESAVENÇAS

Alda M S Santos

Trocas

TROCAS

As vezes queremos fazer umas trocas

Daquelas que não contam o valor financeiro

Fecham em nós algumas brocas

E geram o prazer de nos sentir inteiros

Alguém troca?

Um sol quente no ar condicionado por um banho de cachoeira

Uma balada entre luzes por um vinho em volta de uma fogueira

Um restaurante sofisticado por uma pipoca na praça

Uma saudade que machuca por alguém que nos abraça

Alguém troca?

Uma conta bancária por um trabalho prazeroso

Um banho de sais por um mergulho no rio gostoso

Um passeio de volta ao mundo

Por alguém que te faça se sentir o próprio mundo…

Alguém troca?

O valor das coisas está no prazer que nos proporcionam

Na capacidade de nos tornar especiais

Entre tantos outros iguais…

Alguém troca?

Alda M S Santos

Tem poder

TEM PODER

Mais que força, tem poder

Mais que animação, tem energia

Mais que luz, tem brilho

Mais que truques, tem magia

Move montanhas, alcança as estrelas

Seca lágrimas, abre sorrisos

Abraça apertado, grita calado

Destrói barreiras, atravessa fronteiras

Despe-se sem pudor, o corpo, a alma

Banha-se na cachoeira, se aquece numa fogueira

Pensa morrer de dor, de saudades,

Mas vive cultivando sorrisos, bondades

Sonha alto, se banha na lua, brinca de viver

Dá um olé no tempo, que insiste em correr

Abre caminhos, segue até sozinho

Mas prefere ter você para fazer acontecer…

Mais que força, tem poder

É o amor…

Alda M S Santos

Mantra

MANTRA

Ser e fazer feliz- esse é meu mantra

Não dá para desligar, separar um do outro

Assim a vida não nos desencanta…

Fazer do trabalho um lazer

Do dia a dia sempre algo novo por fazer

Dos amigos uma vida de prazer…

Olhar bem, compreender, perdoar, aceitar

Não precisa ter pressa, ir devagar

Fazer do nosso espaço um bom lugar…

Meu mantra é sempre amar

Ser sorriso, carinho, abrigo

Mesmo se a vida doer, fraquejar

Não sofrer ou oferecer perigo…

Meu mantra é amar enquanto a vida por aqui durar…

Alda M S Santos

Como o vento

COMO O VENTO

Como o vento, às vezes sou brisa suave

Leve, delicada, que arrepia a pele de prazer

E deixa o coração calmo, doce enternecer…

Às vezes faço bagunça, sou ventania

Tiro tudo de lugar, misturo emoções, perco-me nessa agonia

E tento me satisfazer nessa tensão, intensa magia…

Às vezes sou furacão, emoção, paixão

Em poucos momentos, êxtase, explosão

E, aos poucos, feliz, tudo volta a antiga condição…

Sou assim, fenômeno da natureza

Delicadeza, força, magia, mistério, grandeza

E a cada transformação, sempre emoção

Encanto, evolução…

Alda M S Santos

(Re)encontro de almas

(RE)ENCONTRO DE ALMAS

Antes de virem para esse mundo

De um outro mundo bem diferente

Onde tudo é claro, nítido, sem subterfúgios

Será que as almas gêmeas ou afins

Fazem algum combinado para se reconhecerem por aqui?

Um olhar mais demorado

Um toque eletrizante, um poema emocionante

Talvez um sorriso sem igual

Ou até mesmo uma piscadela especial?

Um abraço mais demorado, um beijo assustado

Quem sabe uma palavra, como um código, abracadabra

Ou uma senha que só elas saberiam?

Poderia ser também um lugar marcado

Como uma cachoeira, local isolado

Onde se banhariam como no passado…

Saboreando sorvete no banco da praça

Na fila do cinema comprando pipoca, meio sem graça

Num hospital tomando uma injeção

Ganhando bala na festa de Cosme e Damião

Na igreja, na praia, na fazenda montada no alazão

Ou, simplesmente, no último lugar em que deitaram e rolaram

E, apaixonadamente, se amaram?

Penso que há sim esse código, senha

Ou seja lá como se chame

Se ficarmos mesmo atentos

Talvez a gente até possa ouvir os sinos

Ou os anjos dizendo:

“Até que enfim, sinto perfume de jasmim”!

Você já (re)encontrou alguma alma assim?

Alda M S Santos

Deixa

DEIXA

Deixa a luz entrar, devagar

Iluminar teu olhar, a todos encantar

Deixa a vida mexer, remexer

A dor arrefecer pra ninguém esmorecer

Deixa o mal virar pó

Todo ele, sem tempo, sem dó

Deixa o bem fluir, invadir

E a toda gente fazer sorrir

Deixa o amor acontecer

Não importa quando ou quanto

Seja prazer, faça aquecer

Da alvorada ao anoitecer

Deixa!

Alda M S Santos

A fé que me move

A FÉ QUE ME MOVE

Tenho fé e por isso caminho

Não importa o ritmo, a velocidade

Se entre flor ou espinho

Entre alegria, lágrima ou saudade

A fé que me move vem do alto, não tem hora

Move também montanhas

Descarta as tristezas, joga fora

E carrega consigo o amor, sem artimanhas

A fé que me move brota de dentro

Tem tronco, galhos, flores, frutos, tem raiz

Não é tão fácil arrancá-la de mim

Podem até tentar, mas ela é matriz

A fé que me move é soberana

O gatilho do outro pode acioná-la em mim

É forte, instigante, envolvente

É o que de melhor tenho, enfim

A fé que me move é a razão

Mas também a consequência

Do meu existir por aqui…

Alda M S Santos

Abrigo

ABRIGO

Tão bom poder voar

Bater asas, ser liberdade

Não ter algemas físicas ou emocionais

Deixar livre a quem se ama

Sendo colo, aconchego, abrigo

Ninguém fica com ninguém por obrigação

Mas quem ama fica por paixão

Pelo prazer de estar junto, por tesão

Pelo intenso desejo de amar

E por saber que ali sempre será seu melhor lugar

Atravessando época ou estação

Amar é encontrar a liberdade no abrigo

Nos braços abertos de um amor amigo…

Alda M S Santos

No azul

NO AZUL

Entre positivo e negativo

Entre ônus e bônus oscilando

Entre créditos e débitos balançando

Negociando com cuidado meus ativos

Sigo mantendo a vida no azul…

Ainda que quando se trate de emoção

Não dê para ser tão razão

É impossível ser sempre exato

Quando a sensibilidade é que é o fato

Sigo mantendo a vida no azul…

A medida é o peso ou leveza

Aquela capacidade do peso de um sorriso soltar

Da leveza de uma lágrima segurar

E manter com toda sutileza

O que a vida tem de beleza

Sigo mantendo a vida no azul …

Alda M S Santos

Mais no meu blog vidaintensavida.com

Ainda me ama?

AINDA ME AMA?

Sei que me ama

Quando sou sorriso, alegria, atividade

Sei que me ama também

Quando sou entrega, amor, pura sensualidade

Ou luz, carinho, bondade, verdadeira amizade

Mas será que me ama ainda

Quando tudo fica escuro

O sorriso vira lágrima

A atividade cessa

O amor não tem pressa

A alegria arrefece

A sensualidade adormece…

E aí? A amizade se compadece?

Seu amor está condicionado a quê,

Para que possa permanecer ao meu lado?

Posso contar contigo, meu coração

Para ser, mesmo nos erros, meu abrigo, meu irmão?

Alda M S Santos

Cristal quebrado?

CRISTAL QUEBRADO?

Cristal quando se quebra

Não tem jeito, mesmo que colemos

Perde o brilho, bem sabemos!

Nunca mais ficará igual

O erro é comparar o amor a um cristal

Amor de verdade é diamante, é especial

Não se quebra tão facilmente

É firme, duradouro, resistente

Amor que se faz eterno torna-se joia rara

É difícil, precisa garimpar para encontrar

Uma vez encontrado pode até ser machucado

Sofrer arranhão, avaria e dano

Que nunca estará acabado

Jamais ficará em segundo plano

Um amor cristal vai se transformando com o tempo

A várias mãos, a dois corações

No mais precioso diamante

Atravessando as muitas atribulações

Se se quebra como cristal, não é amor de verdade

Amor de verdade é diamante, é raridade…

Alda M S Santos

Na praça

NA PRAÇA

Na praça a vida passa

Rapidamente ou devagar

Pra lá e pra cá segue a massa

Sem parar, sem pensar

Na praça tem coreto, tem jardim

Tem igreja, santos e fiéis

Tem bancos, escadarias, ambulantes e cordéis

Tem flores, pássaros e jasmins

Na praça a vida se faz inteira, se faz pedaços

Tem paquera, beijos e abraços

Tem namoros e amassos

Tem alegrias, esperanças e cansaços

Bem ou mal, conscientes ou nem tanto

Vamos deixando nossas marcas

Enfatizando sorriso ou pranto

Nos corações dessa gente tão afoita

Tentando se fazer encanto…

Alda M S Santos

No mesmo lugar

NO MESMO LUGAR

São seis filhos, tantos netos

Vários bisnetos e até uma tataraneta

Mas ela não queria ir com eles morar

Dizia: “aqui é meu lugar”

Agora, 96 anos, não teve jeito

Foi com uma das filhas ficar

Lúcida, esperta, mas nesse mundo tão mau

Não dá pra facilitar!

Tantos queriam levá-la para perto

Poder dela com carinho cuidar

Mas nenhum podia ir com ela morar

A casa ainda está no mesmo lugar

Mas falta vida ali

Ela não mora mais lá

Mas a sentimos em todo lugar…

Salvo quando vem filho de longe visitar

Aí ela vem para sua casa cuidar

Mas o terreiro não é mais o mesmo

Aquele que sempre me encantou

Está tão árido!

A fonte secou, a cacimba soterrou

Roseira reclamou, o galo não cantou

Galinheiro caiu, a horta murchou

Ainda há uns pássaros na goiabeira

Que se adonaram do lugar

E reclamam quando a gente vem passear

Mas agora vou aproveitar

Estamos aqui, ela também

E aqui ela veio conosco ficar…

Assim será até quando Deus nos permitir

Poder em seu colo descansar

E, a bem da verdade, nosso coração é que é seu lugar..

Alda M S Santos

O que você vê?

O QUE VOCÊ VÊ?

O que você vê quando olha para a vida ?

Uma estrada longa, quente e comprida

Ou uma sombra refrescante na subida

O sol forte que queima e dá lombeira

Ou seu brilho e calor que te faz desejar uma cachoeira

A chuva forte sem hora, sem cabimento

Ou o arco-íris que ilumina o firmamento

As árvores que produzem flores e frutos no quintal

Ou a sujeira que fazem no local

O mar azul que acolhe os banhistas

Ou a maré alta que invade a pista

A Lua Cheia que abraça os namorados

Ou a escuridão onde se escondem os marginalizados

A moça bonita, de olhar distante,

Sentada na areia, na beira do mar

Ou aquela de andar vacilante

Sonho distante, a caminhar?

Qual o seu olhar para a vida?

Isso irá determinar

O quanto ela pode ser colorida…

Alda M S Santos

Jesuscidência

JESUSCIDÊNCIA

Uma criança usou esse termo

E com ela logo aprendi

Por aqui não há coincidência

Nada que vivemos é por acaso!

Se não há nossa mão a promovê-la

Pode saber, é Jesuscidência…

Aqueles que aparecem nos momentos mais diversos

Agem com sabedoria ou prudência

Fazem-nos agir com paciência

Não é coincidência, é Jesuscidência…

Chegam num momento de dor

Trazem um pouco de benevolência

Nos levam a agir com inteligência

Não é coincidência, é Jesuscidência…

Mesmo quando parece ser do mal

Se com carinho observarmos a essência

Veremos que é enviado pela providência

Não é coincidência, é Jesuscidência…

Todos que passam por nossas vidas

Um objetivo têm nessa diligência

Com dor, tristeza, alegria ou amor

Querem tornar mais profunda e eficaz nossa existência

Não é coincidência, isso é Jesuscidência…

A mão de Jesus a nos ajudar nessa experiência…

Alda M S Santos

Onde você quer ficar?

ONDE VOCÊ QUER FICAR?

Na vida há cobertor que não aquece

Água que a sede não mata

Abraço que a dor não amortece

Amizade que nó não desata

Há estrelas que não amenizam a escuridão

Sol que não ilumina nosso caminhar

Saudades que nos tiram o chão

Rios que não chegam ao mar

Há males que não nos deixam arredar pé

Há compaixão para a alguém estender a mão

Também tem energia que nasce junto da fé

E sabedoria ao tocar com delicadeza um coração

Na vida há também luz que vem de dentro

Amor que nos põe no centro

Calor que brota e alastra da alma parceira

Beijo que aquece a vida inteira

Na vida há todo tipo de lugar

Só precisamos saber onde queremos ficar…

Alda M S Santos

É amor?

É AMOR?

Amor não é difícil de perceber

Quando já se “instalou” em um ser

Basta observar com atenção

O cuidado que se tem, então…

Amor de verdade deixa rastro

Um brilho, uma cor, um olhar

Mas só é amor de fato

Se houver cuidado no trato

Amor tem desejo, sexo, atração

Tem admiração, loucura e satisfação

Mas se ficar só nisso, não confunda, é paixão

Amor de verdade gera cuidado e proteção

Um amor assim todos almejamos

É riqueza, grandeza, como sonhamos

Você cuida de mim, eu cuido de você

Até sem existir um porquê

Você quer um amor assim?

Alda M S Santos

As portas

AS PORTAS

Temos várias portas de acesso a nós

Aquelas que permitem que as pessoas cheguem

Que se assentem e decidam ficar

Às vezes são apenas janelas,

Ou pequenas frestas…

Por causa de medos e traumas anteriores

Quem chega tem o trabalho de descobrir

O melhor modo de entrar, nos conquistar e nos fazer bem…

Assim se dá com Deus

Tantas vezes Ele tenta chegar nas alegrias diárias

Através da família, dos amigos, de um amor

No trabalho ou na igreja

E muitas vezes não percebemos

Não O deixamos passar por essas portas

Às vezes só permitimos que Deus entre através das lágrimas

Dos momentos de sofrimento ou dor

Somos nós que escolhemos quem tem acesso a nós

Quando e onde…

Estejamos atentos as nossas portas

E a quem temos permitido acesso a nosso interior

Quem entra pode ajudar a arrumar a bagunça

Ou bagunçar o que já está arrumado…

Que saibamos fechar algumas portas desnecessárias

Abri-las para o amor de verdade, sem medos

E que Deus possa entrar por todas as portas!

Alda M S Santos

De igual para igual?

DE IGUAL PARA IGUAL?

Somos tão iguais em nossas diferenças

Tão diferentes em nossas semelhanças

E isso é o que nos completa como seres humanos

Um olhar que tem no outro a resposta para suas inquietações

Uma palavra que abraça e alivia suas dores

Um carinho que fala silenciosamente o que faz bem

Um estar perto, mesmo longe, um estar dentro que traz paz

Um sorriso correspondido a dizer “te amo”

Um beijinho soprado de longe

Aconchego…

Aquele grito preso na garganta

Mas que extravasa no olhar

De igual para igual

Sem importar nível cultural, situação financeira

Credo, gênero, raça, idade

Estamos por aqui para nos completarmos

Nos ajudarmos a crescer, evoluir

E o único jeito que sei que funciona

É através do amor…

Na duvida do que fazer, ame!

Não sabe amar? Não tem problema!

Amar se aprende amando…

De igual para igual!

Alda M S Santos

O tempo cura?

O TEMPO CURA?

O tempo não cura nada

Ele passa, passa, e algumas coisas ficam mais leves

Ele, sabiamente, nos permite cobrir as feridas

Com uma grossa cicatriz de proteção

Perdem o tom vermelho brilhante

Tornam-se mais rosadas até quase parecerem sumir

E ela fica ali para ser vista e relembrada

Algumas cicatrizes todos podem ver

Outras, são muito internas

E só quem as possui tem acesso

Ficam escondidas atrás de sorrisos

De uma alma que se doa, de mãos que trabalham

O tempo não cura!

O tempo nos ensina a lidar com o que não tem cura

O tempo nos permite olhar para as cicatrizes

E retirar dali aprendizado em meio ao que já foi dor aguda

O tempo pode até nos ajudar

A fazer de uma cicatriz algo novo, útil e belo

Uma obra de arte que merece ser vista por todos

Cada qual lida do seu jeito

Com as feridas, o tempo e suas cicatrizes

Tornando-os aliados ou adversários…

Alda M S Santos

Eu escolho

EU ESCOLHO

Entre as tantas partes de mim

As bem antagônicas ou paradoxais

Que todos nós temos, afinal

Eu escolho as que me fazem mais feliz

Que podem me tornar mais acessível

A quem precisar de ajuda, de amor fraterno

Aquelas bem claras em detrimento de outras escuras

As alegres como dia de sol

Mesmo gostando da nostalgia dos dias nublados

As flores perfumadas no jardim

Ao invés do conforto do quarto escuro

O sorriso e as palavras de incentivo

Ignorando a desesperança e tristeza

Não fecho os olhos para o que há de mau por aí

Para o que há de negativo em mim

Apenas tento, sempre que posso

Optar pelo que sei, por experiência própria

Que fará bem a mim

E a quem de mim se aproximar…

Longe de agradar a todos

Tento ser fiel a mim mesma

E nisso já tenho bastante trabalho…

Alda M S Santos

Seria muito?

SERIA MUITO?

Seria muito imaginar que fui o sonho de alguém

Que minha existência foi planejada

Que antes de aqui chegar eu existi em outro lugar

E foi a mente, a alma, o coração

A imaginação e o desejo de um alguém

Que me tornaram possível viver por aqui?

Será que estive antes no coração de meus pais

Que tudo estava combinado previamente

Que para esta dimensão eu viria

E que teria por aqui um trabalho a fazer?

Seria muito pensar que me materializei nesse plano

Para tornar real o amor de um alguém?

Seria muito imaginar que esperam algo de mim

Que me “vigiam” o existir e o fazer

Na esperança de que eu caminhe sempre para e pelo bem?

Sendo assim, seria muito pedir

Que me perdoassem os atos falhos

Os caminhos sem saída que peguei

As trilhas com inúmeras bifurcações que me enveredei

A luz que outras vezes ignorei?

Seria muito pedir, a quem sonhou comigo

A quem permitiu meu existir

Que estivesse sempre a meu lado

Levando-me pelas mãos para o melhor caminho

Que não me permitisse fugir

Orientando-me com palavras de doçura e carinho

Alertando-me aos buracos nas vias existenciais

Preparando-me para o porvir

Dando-me colo, atenção, amor?

É que pareço forte, sabe

Mas, a verdade, é que tantas vezes só quero um pouquinho de colo

De apoio e da certeza de que não estou só

Seria muito pedir?

Alda M S Santos

(Con)viver

(CON)VIVER

Ato ou efeito de viver com o outro

Não perto dele, mas junto com ele

Não apenas no mesmo espaço físico

Mas dentro do outro…

Conviver é interagir, é trocar

É ensinar, é aprender

É gargalhar juntos, chorar mais juntos ainda

É ouvir mesmo quando falta a sintonia

É ser colo quando o outro chora

É ser brisa quanto tudo parece pesado

É encontrar no outro o sorriso quando tudo está sisudo

É rir das próprias bobeiras e fraquezas

É orar juntos, beber juntos

É se perdoar, seguir o caminho mesmo cansado

Passear de mãos dadas, viajar, mesmo “na maionese”

É entender o outro apenas num olhar

É decifrar silêncios, é pedir explicações

É ser carinho e segurança, mesmo na corda bamba

É saber oferecer, mas também saber pedir, aceitar

É poder discordar, debater, brigar, se preciso for

É dormir e acordar lado a lado, é ser prazer, é fazer amor

É ter medos juntos, enfrentar o adversário no mesmo time

É nunca ter medo um do outro

É saber que somos uns para os outros aqui

Os maiores presentes que poderíamos ter recebido

E quando Ele em algum momento nos perguntar

“Que fez dos presentes que te confiei”?

Possamos responder com convicção

“(Con)vivi bem, respeitei, sobretudo, amei”!

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: