Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Categoria

Amor

Um pouco de verniz

UM POUCO DE VERNIZ

Quando a beleza perde um pouco o brilho
A vida vai ofuscando, saindo do trilho
É preciso proteger com camada de verniz
Com cuidado e amor, é o que se diz

Se as tempestades lançam areia
Se o sol trinca, fere, enfeia
Se a escuridão da noite chega mais cedo
É preciso cuidar e tratar, sem medo

Mas verniz restaura onde há vida
Não adianta lustrar obra perdida
Se ainda é forte, envernizar é boa pedida

Quanto na vida da gente carece de um verniz
Quanto não há mais por fazer, não há matriz
Qual seu desejo nesse mundo, aprendiz?

Alda M S Santos

Felizes para sempre

FELIZES PARA SEMPRE
Quem disse que o “felizes para sempre” não existe?
Simplesmente ele é entremeado de vários momentos infelizes
Contos de fada terminam no ponto do “foram felizes para sempre”
E vida real não para! Segue!
E tem muitas quedas e entraves, decepções, mágoas
Aqueles nos quais pensamos que é o final do “sempre”
Mas o sempre é até a morte, talvez além dela
A vida é um contínuo, um fluxo constante
Mesmo que a gente pareça estacionados…
Existem vários felizes para sempre
Vários motivos vão se impondo
Vários começos, vários fins
Muitos recomeços
Quando vamos nos redescobrindo dia a dia
E, em nós, infinitos felizes para sempre
Só precisamos observar bem…
Alda M S Santos

Vamos brincar de viver

VAMOS BRINCAR DE VIVER

Que fazer com esse novo amanhecer
Que invade sua janela sem pedir
Sem perguntar se é isso que vai querer
Sol que lança através da vidraça seus raios sem pudor
Leva calor, luz, pássaros, afasta seu cobertor
Que parecem cantar em sua sintonia
Acorda! É tempo de viver o amor!
Há um mundo lá fora à sua espera
Que precisa de cada um aqui
Para que se opere a magia
De um viver de paz e harmonia
Abra as portas da sua alma
Acredite, deixe-se invadir pela energia dessa boa aura
O belo cá de fora convida o belo que há em você
Venha! Vamos brincar de viver!
Vamos?

Alda M S Santos
Mais no meu blog vidaintensavida.com

Aquele brilho

AQUELE BRILHO

Há quem carregue um brilho especial
Daqueles que atraem o bem, ofuscam o mal
Nem sempre se consegue identificar
Mas sabe-se que está lá, sempre a irradiar

É o brilho de quem se sente amado
De quem tem o carinho como aliado
Luz de um viver sempre apaixonado
De quem não desiste da vida, segue renovado

É a luz que desperta em cada amanhecer
Prossegue nas atividades diárias ao entardecer
Finaliza na luminosidade que encanta o anoitecer

Não há como esse brilho comprar
Não adianta querer por ele pagar
É único, especial, precisa conquistar

Alda M S Santos

Perseverança

PERSEVERANÇA
É preciso perseverar!
Férias não duram para sempre
Festas têm fim, lazer tem prazo determinado
Paz e tranquilidade não são eternas
Mas podem oscilar menos dentro de nós
Para manter algo de bom
Conquistado em momentos ímpares
É preciso perseverar!
Saber usar a bateria que foi recarregada
A emoção que foi bem trabalhada
A alma que se abasteceu transbordando encantos e cuidados
É preciso perseverar!
Se quisermos manter a cor e o tom do verão
O dourado bonito da pele que atinge a alma e faz brilhar o sorriso
A leveza, a tranquilidade e doçura de uma brisa marinha
Ou vivermos para sempre em lua de mel com a vida
É preciso perseverar!
Enfrentar com energia e paciência os outonos e invernos
Curtir também o que de bom podem oferecer
Não se pode desesperar
É preciso perseverar!
Alda M S Santos

O que é amor?

O QUE É AMOR?

Que é amor? Sabe identificá-lo?

Aquela irresistível e inconfundível atração

Que aquece o corpo, confunde a mente, embaralha a emoção?

Isso certamente todos afirmam ser amor

Unanimidade nos sonhos e desejos de todos nós…

Mas e quando ficam o carinho, o cuidado, o compromisso firmado

A gratidão pela parceria, até uma certa monotonia

Nem sempre acompanhados da louca paixão

O tesão já não dita as regras de toda ação

A exuberância física já cede lugar a um corpo cansado, talvez doente

Mas que mantém na mente sonhos de um tempo mais quente

Isso é amor? Que é amor para você?

Desejo, sexo, tesão, loucura?

Isso também é amor, faz parte dele

Mas o tempo traz a calma, o sossego

A tranquilidade substitui as constantes borboletas no estômago

Elas agora voam e pousam no jardim belo cultivado na alma

Repousam numa cama ainda aquecida por corpos que se desejam

Mas sabem dar valor a tudo que o convívio trouxe

Quem cultiva esse jardim ao longo dos anos

Tem uma bela morada para os sonhos e borboletas

Amar é cultivar juntos o mesmo jardim

Até tornar-se parte dele, seja como flores ou beija-flores

E não desejar dali sair…

Alda M S Santos

Até a volta

ATÉ A VOLTA

Penso que quando Deus nos idealizou
Não foi só com a costela de Adão
Que a Eva Ele formou
Em cada um de nós plantou
Um pedacinho das nuvens do céu
O perfume das flores do jardim, doce mel
Uma onda bonita que retirou do mar
O barulho da cachoeira caindo sob o belo luar
O brilho de uma estrela que a noite vem clarear
Também colocou em nós um pouco do calor do sol
O frio de uma noite ao relento
E a brasa de um coração de amor sedento
Por isso somos tão inconstantes e “incompletos”
Queremos nos preencher até o teto
Buscamos a conexão que temos com a natureza
O carinho, o amor, a sintonia, a beleza
Ele foi bem sábio!
Quis manter-nos uns aos outros conectados
Numa teia de amigos, amantes, eternos “enamorados”
Até podermos voltar para Seu lado!

Alda M S Santos

Que eu me importe…

QUE EU ME IMPORTE…
Que eu me importe com o outro
O bastante para ajudá-lo nas tristezas, nas dores, nas necessidades mais prementes
Sem sufocá-lo ou parecer superior…
Que eu me importe com o outro
O bastante para me alegrar com suas alegrias
Sem invejar ou me enciumar, se possível,
Ainda que a felicidade dele não mais me inclua…
Que eu me importe com o outro
O bastante para valorizar bons momentos, guardar no coração, respeitar
Aquilo que hoje já não é mais como antes…
Que eu me importe com o outro
O bastante para dar a ele aquilo que não consigo dar nem pra mim mesma
Pois é algo que a gente só encontra fora de nós…
Que eu possa ser assim para o outro: verdadeira, inteira, amorosa
E que ele também possa ser desse grau e magnitude para mim,
Pois para isso fomos feitos: nos fazer bem…
Que nos importemos o bastante!
Alda M S Santos

Por amor

POR AMOR

Que alguém é capaz de fazer por amor?
Lutar, brigar, chorar, sofrer
Fragilizar-se ou, ao contrário, se fortalecer?
Enfrentar o mundo, bagunçar o próprio mundo
Ou se organizar, fazer planos, esperançar?

Que alguém é capaz de fazer por amor?
Atravessar caminhos sinuosos
Abrir trilhas, mesmo tortuosas
Acreditando que o amor é luz
Que tudo encaminha e conduz?

Que alguém é capaz de fazer por amor?
Alçar voos inimagináveis, sonhar o impossível
Desbravar terras, mares e ares
Em busca de intensos e cálidos lugares
Onde apaziguar o desejo de amar?

Que você é capaz de fazer por amor?

Esquecer-se de si, o outro priorizar
Sorrir, com a felicidade de outrem se alegrar
Encontrar sua própria felicidade
No sorriso que o outro te oferece
Por pura gratidão e reciprocidade?

Que você é capaz de fazer por amor?

Alda M S Santos

Tarde de Poesias: QUE SE FAZ POR AMOR

Ele me trouxe

ELE ME TROUXE

Gosto de pensar que cheguei aqui trazida pelas águas
Isso explicaria meu encanto por elas, doces ou salgadas
Quando Ele decidiu que eu deveria vir para cá
Pensou que seria para mim um bom modo de chegar
Posso passar horas nelas admirando, olhando
Curtindo, andando, amando…
É uma fantasia multicor, surreal
Por vezes parece tão distante, outras tão real
Mas é um misto de encanto, respeito, medo, ansiedade
Será que também voltarei como cheguei, será verdade?
Nos braços das águas para minha definitiva morada na eternidade?
Enquanto isso não acontece
Não importa se amanhece, entardece ou anoitece
Vou por aqui admirando toda essa beleza
Quero mesmo é fazer parte dessa natureza…

Alda M S Santos

Misturados

MISTURADOS
A capacidade de misturar
Pernas, pés, braços, corpos, ideias, corações
E manter-se individual, separado
A habilidade de caminhar junto
Ainda que por caminhos diferentes
E se encontrar no mesmo ponto
O jeitinho especial de ser duo
Sem perder a unidade
A perícia de estar dentro, mesmo estando longe
O prazer de voar juntos
Cada qual com suas asas
A satisfação de escolher a quais elos quer estar atado
Sem perder os próprios movimentos
Sem mudar a própria essência, sem ferir a alma
Potencializando a habilidade e a coragem de voar
Preservando a liberdade de viver e amar
Sonho ou realidade?
Alda M S Santos

A céu aberto

A CÉU ABERTO

A vida segue, sigo eu atrás
Não sei se quero correr
Mas não quero ficar para trás
Bem ou mal, vou pareando o viver

Não sei se falo, não sei se calo
Tampouco se adormeço, às vezes, desfaleço
Fujo de briga, abomino intriga
Por vezes prefiro empurrar com a barriga

O mar parece infinito, pura imensidão
O olhar vagueia ao longe, solidão
Que almeja encontrar esse doce coração?

Estará lá longe, ou bem aqui perto
O caminho desse viver, o mais certo
Dentro de mim, ou bem a céu aberto?

Alda M S Santos

Sorrindo vai chorar

SORRINDO VAI CHORAR
“Um dia a areia branca seus pés irão tocar”
Te farão lembrar que nem tudo na vida é dureza
Que a alegria pode estar em apenas poder caminhar
Numa areia macia, refrescante
Sentir o vento nos cabelos, a brisa que arrepia a pele
Que desperta boas sensações
“E vai molhar seus cabelos a água azul do mar”
Você irá correr feito criança sapeca
Chutar água, mergulhar, saltar ondas
Irá lavar-se de toda negatividade
Purificar a alma, guardar apenas o que é bom
Buscar um abraço que acalenta, que arrepia
“E ao se sentir em casa sorrindo vai chorar”
E vai querer ficar…
Alda M S Santos

Versos destacados de Roberto Carlos

Dissabor

DISSABOR

Um machucado, uma fratura, uma ferida que arde, sangra, queima

Fase aguda do mal, só analgésico forte para aliviar, é normal

Um aperto no coração, tristeza, mágoa, decepção

Fase aguda da dor, que fazer para sanar desilusão?

Machucado melhora com antisséptico, anti-inflamatório e antibióticos

Um curativo, uma tala, que por um tempo isola do meio externo aquilo que está em recuperação

E quando a dor está no coração, que fazer então?

Qual o remédio, dá pra isolar do mundo externo a emoção?

Não sei, mas é bom retirar-se do meio, afastar da multidão

Buscar o interior, sanar a dor, retirar da alma a cicatrização

Ferida é sempre ferida, dor é sempre dor

Seja física, mental, emocional é sempre um mal

Passamos primeiro pelo vendaval

Em seguida vem a calmaria, levantamento de perdas, bom sinal

E, lentamente, a cura, a reconstrução

Mas todo cuidado é pouco com o remédio que se usa

Tanto para o mal físico ou emocional

Não dá para criar vícios e dependências, seria fatal

Ou cria-se raiz para novo mal, com nova aparência

Mas tudo tem seu tempo…

Logo o que era ferida é descoberta para o mundo exterior

Fica a cicatriz, o aprendizado

O coração aprende a lidar com qualquer dissabor

É a cura… e a vida segue, de preferência, sem rancor…

Alda M S Santos

De mãos dadas

DE MÃOS DADAS

Quero seguir por aí de mãos dadas
Passo a passo, almas entrelaçadas
Comungando ideais, sonhos, sentimentos
Podendo expor aquilo que vier no pensamento

Quero andar por aí de mãos dadas
Poder me amparar, me segurar
Quando a vida for meio má, estacionar
E a gente não souber por onde andar

Essa viagem necessita parceria, confiança
Aquela que se consegue na aliança
Dos corações em uníssono, em segurança

Quero andar de mãos dadas, não sentir solidão
No olhar, no sorriso, no abraço de um irmão
Encontrar repouso para o cansado coração

Alda M S Santos

Intimidade

INTIMIDADE

É bom ser íntimo de alguém
Intimidade de almas, de pensamentos
Intimidade física é bom também
Mas bom mesmo é ser íntimo de si mesmo
Reconhecermos o que sentimos
Saber lidar com desejos e emoções
Chorar, sorrir, enfrentar as frustrações
É bom a gente se sentir em casa com alguém
Chinelos, cara lavada, roupa amassada
Saber onde e como andar, repousar, apenas ali ficar
Sem medo de ser atropelados por um trem
Comungar ideias, pensamentos, um doce momento
Apresentarmo-nos nus, corpo e alma, sem medo para alguém
Isso é boa e desejada intimidade
Apresentarmo-nos nus, corpo e alma para nós mesmos
Isso é a suprema felicidade da intimidade…

Alda M S Santos

Surra de viver

SURRA DE VIVER

Precisamos levar uma surra da vida
Não para ferir ou machucar
Mas para (re)ativar o que estiver adormecido
Daquelas que levem à reflexão
Que mostrem os caminhos sem saída
Que apontem a trilha certa, nada de contramão
Precisamos levar uma surra da vida
Daquelas que acendam holofote à frente
E que nos afastem dos becos escuros
Que não nos deixe ficar dementes
Precisamos levar uma surra da vida
Não desanimar, não ficar descrentes
Mas que seja uma surra de amor
Pois só ele ensina de verdade
Só ele cura o mal em qualquer idade
Só o amor é capaz de trazer felicidade
O amor é a esperança numa vida de mais bondade
Precisamos levar uma surra da vida
Precisamos levar uma surra de amor

Alda M S Santos

Feche os olhos

FECHE OS OLHOS


Feche os olhos suavemente
Respire fundo, bem devagar
Deixe o ar encher seus pulmões
Levar vida a cada célula, a todo lugar
Ative a memória, as boas lembranças
Permita-se ser invadido por elas
Sinta, vibre, inspire, expire
O amor que sai de si, volta para si
Reviva, restaure, renove, sinta gratidão
O sentimento que flui de coração para coração
Deixe pulsar em cada parte de si
A porção amor que Ele deixou por aqui
Sinta a vida, ela é o presente
Renovando-se sempre
Que venha novo ciclo de amor e paz!


Alda M S Santos

Vestida de simplicidade

VESTIDA DE SIMPLICIDADE

Se verde representa esperança
Quero me vestir de mata densa
Daquela que circunda uma cachoeira
Que nos tira toda a canseira

Se branco significa a paz
Tudo bem, quero estar branca por dentro
Deitada na rede calma do sossego
Em mim mesma encontrar arrego

Se vermelho significa amor e paixão
Fico nua, não preciso vestir, não
O coração desnudo se reveste de emoção

Se a felicidade é da cor da simplicidade
Quero ficar aqui, transparente ou multicor
Ser e fazer feliz, ser abraço, ser calor

Alda M S Santos

O vencedor

O VENCEDOR
O ano será novo, mas os dias só serão novos, se nós formos diferentes.
Várias serão as batalhas, as jogadas apresentadas
Nós escolheremos: jogar ou não.
Escolher nossas peças, qual delas mover
Quais “soldados” recrutar, armas a usar
Quais “aliados” dispensar
Saber o momento certo de agir, de esperar, de recuar, de avançar
Fazer os alinhamentos necessários
Mesmo parados, estaremos jogando por inércia
Outros determinarão nossa vitória ou derrota
O aliado indispensável, seja qual for a batalha, é o amor.
Frágil o suficiente pra se derrubar por um olhar,
Forte o bastante para com um sorriso levantar…
Inútil tentar outro caminho, outra jogada, outra arma ou outra estratégia.
É dar voltas, é perder tempo!
O Amor vence sempre!
Aliemo-nos a ele!
Alda M S Santos

Novas águas

NOVAS ÁGUAS
Como as águas correntes e constantes de uma cachoeira
2020 se vai, mas 2021 chega com força total
Vamos recebê-lo com esperança e amor
Nos banhar em suas águas,
Deixar para trás a lombeira
Não importa se mansas ou turbulentas
As águas de 2020 não voltam mais
Elas seguem seu curso
Já fizeram seu papel por aqui
E 2021 traz novas águas
Vem carregado de possibilidades e expectativas
Água fria e forte de cachoeira
Tem poder de nos acordar para a vida
Arrepiar a pele, ativar a energia
Fazer-nos sair da letargia
Soltar aquele grito gostoso de quero mais
E acreditar que tudo é possível
Àquele que não se deixa por muito tempo abater
Recebe o que a vida tem a oferecer
E segue, com coragem
Distribuindo amor, sendo calor
Procurando enxergar toda a beleza
Que há na magia de cada alvorecer

Alda M S Santos

Ele estará conosco

ELE ESTARÁ CONOSCO
Fim de ano. Tempo de retrospectivas.
Análise de vitórias, atropelos,
Alegrias e lágrimas.
Tempo de colocar a vida na balança, de fazer balanço.
Do amor que foi dado,
Da amizade partilhada,
Dos sorrisos distribuídos,
Das dores causadas,
Das gentilezas poupadas…
Do amor perdido…
Amor perdido?
Amor nunca é déficit na balança emocional,
Amor sempre será superávit, capital de giro, gerador de vida.
É tempo de renovação, de planos, de recomeço.
Lamentar é perda de tempo.
Bom mesmo é sentar no balanço silencioso de uma praça,
No meio do mato ou da mata,
Conversar com Ele, agradecer e confiar.
Sem sermos carrascos de nós mesmos.
Ele entende nossas falhas, nossas lutas, nossos desejos.
Vamos engolir o choro,
Abrir um sorriso.
Esse ano Ele esteve conosco…
Ano que vem, Ele estará também!
Feliz Ano Novo!
Alda M S Santos

Vestidos de amor

VESTIDOS DE AMOR
Não importa se usaremos branco
Amarelo, vermelho ou rosa
Se pularemos sete ondas, se comeremos lentilhas
Ou o que guardaremos na carteira
Nada disso nos trará amor, paixão, sorte, dinheiro ou paz…
Devemos nos vestir de amor, bondade, esperança
E ir à luta, se quisermos um ano novo melhor!
Vista o que quiser, coma o que lhe aprouver ou tiver
Dê as mãos a quem sempre te acompanha
Estenda-as a quem precisa de apoio
E, se possível, não guarde muita coisa na carteira
Opte por encher o coração, a alma de levezas
Partilhe, faça feliz, seja feliz…
Feliz 2021!
Alda M S Santos

Que ela seja assim

QUE ELA SEJA ASSIM

Que ela seja assim
Bela e triste como névoa na praia ao amanhecer
Animada como dia de sol no parque ao entardecer
Pacífica como céu estrelado no anoitecer

Que ela seja assim
Romântica feito banho de chuva com alguém especial
Divertida e quente como dançar num luau
Saborosa e madura como fruta colhida no quintal

Que ela seja assim
Refrescante como mergulho na cachoeira ao luar
Intensa e mágica como o amor nas areias do mar
Aconchegante como abraço para o cansaço aliviar

Que a vida seja assim
Nem sempre do jeito que nossa mente deseja
Mas na medida certa do que nossa alma almeja

Alda M S Santos

Ano que vem

ANO QUE VEM

Quero fazer um trato para o ano que vem

Manter por perto só coisas boas

Afastar aquilo que não convém

E cuidar um pouco mais de mim também

Quero assinar um tratado de paz

Que nos permita fazer melhores planos

Distribuir as riquezas de modo mais justo, eficaz

E tornar esse mundo mais humano

Ano que vem quero uma vida mais amiga

Sei que ela nos devolve aquilo que a gente dá

Doemos amor e não tem como errar

Ano que vem quero num mundo novo acordar

Onde possamos todos nos abraçar

E um sonho de amor e magia realizar

Alda M S Santos

Oferendas

OFERENDAS
Quero lançar ao mar tudo o que de negativo vivi
Não que eu entenda suas águas como depósito de lixo
Mas poderosas para dissolver lágrimas e amenizar dores e decepções
Levá-las para longe e trazer de volta apenas esperança e força
Quero lançar ao mar tudo que de bom eu vivi
Não é que eu seja mal agradecida ou queira me desfazer das bênçãos recebidas
Oferto com um forte desejo de partilhar com os outros o que recebi, conquistei
Amor, compaixão, carinho, perdão e amizade
Nesse vai e vem das ondas do mar
Cada um de nós deseja apenas um certo equilíbrio
Uma alma em paz para nós e para os outros
Que em cada pé que suas águas salgadas tocarem
Haja mais esperança, fé, respeito
Mais igualdade, menos preconceito, mais amor
E que um sorriso iluminado de paz possa reinar
Essas são minhas oferendas ao mar, à vida
Oferendas que vão e voltam
Com as ondas do mar…
Alda M S Santos

Energia vital

ENERGIA VITAL

Tudo parece meio nebuloso
O caminho à frente apresenta bifurcações
Caminhos conhecidos,  floridos
Ou nem tanto assim, seco e cheio de depressões
Para um lado, o que parece certo
Para o outro, é desconhecido, incerto
Momento de parar e refletir antes de prosseguir
Saber bem o que vale a pena por aqui
Certezas e incertezas, real e irreal
O que é sonho,  fantasioso
Mesmo que pareça prazeroso
O olhar passeia lá atrás, tanto já vivido
O olhar dá um pulo no futuro, será sofrido?
O olhar tenta se fixar no presente
Fazendo o aqui e agora mais sorridente
Acreditando que a vida acontece
Para quem enfrenta as dúvidas, não amolece
E ainda que tudo pareça meio irreal
Sonhar é bom, acalma o vendaval
Fortalece e abastece nossa energia vital
Em frente!

Alda M S Santos

Seja

SEJA

Seja alguém que valha a pena ter por perto
Seja a água límpida no deserto
Seja o pão que sacia a fome de um irmão
Seja o olhar acolhedor, seja emoção

Seja o sorriso que ilumina, o amor sem pudor
Seja um coração de terra fértil para a flor
Seja a verdade que questiona, que aprende
Seja a alma que à simplicidade se rende

Seja a luz do luar que enfeitiça os amantes
Seja brisa, seja frescor, seja o próprio amante
Seja as águas de uma cachoeira, embriagante

Seja tudo de belo que há, seja a magia
Seja o poeta, a letra, o verso, a melodia
Seja harmoniosa sintonia, seja a poesia

Alda M S Santos

Ele me ama

ELE ME AMA
Ele me ama, eu sei, eu sinto…
Ele me aceita como sou
Com minhas fragilidades, meus defeitos, minhas limitações
Mas nem por isso impede meu crescimento
Quer me ajudar a evoluir, a ser melhor
Ele me ajuda a ser mais eu, me ampara
Ele me corrige, me guia, sem me humilhar
Não me assusta, não me amedronta, posso sempre confiar
Ele me ama, eu sei, eu sinto…
Ele me ajuda a levantar quando caio, me dá colo, me abraça
Nunca me deixa perder as esperanças
Ele enxuga minhas lágrimas, faz brilhar meu sorriso
Se alegra com minhas amizades e conquistas
Ele me ama, eu sei, eu sinto…
Ele me protege mesmo quando não percebo
De longe ou de perto, sinto sua mão, seu amor
Ai de mim se não pudesse contar com amor tão grande
Que nunca desiste dessa “‘menina sapeca”
Que dá a ela inúmeras chances e oportunidades
Só posso ser grata
E aprender a amar a todos assim…
Eu te amo, meu Deus!
Alda M S Santos

ETERNIZANDO

ETERNIZANDO

Revendo minha bagagem
Jogando coisas pesadas fora
Mantendo o que me fez sorrir
Ou o que fez chorar, mas seguir
Revendo minha bagagem
Guardando as doçuras da infância
As loucuras da adolescência
As delícias da maturidade
Revendo minha bagagem
Guardando com carinho aquele sonho de amor
Para ser revisitado, vivenciado, revivido
Para servir de motivação e calor
Revendo minha bagagem
Eternizando o que foi emoção
Que me levou rumo à evolução
Imprimindo vocês no coração

Alda M S Santos

No pódio, o amor

NO PÓDIO, O AMOR
E esse ano o prêmio máximo novamente é dele
O amor expresso em palavras e ações
Ou até mesmo aquele existente no silêncio
O amor que se permitiu viver, partilhar
Ou até mesmo aquele que se acovardou
O amor solidário, que se multiplicou, que estendeu a mão
Ou até mesmo aquele que ficou na vontade
O amor que foi correspondido, dividido,
Ou até mesmo aquele que sobreviveu sozinho
O amor que produziu sorrisos, frutos, que se doou
Ou até mesmo o que deixou lágrimas e saudades
O amor que abdicou de si mesmo para proteger o outro
Ou até mesmo aquele que não soube se cuidar
O amor que lutou, que soube esperar e até se afastar
O amor que foi filho, pai, o amor que foi amigo,
Ou até mesmo aquele que nada pareceu ser além de dor…
No pódio: o amor
Porque amor é soberano, simplesmente por ser amor
O menor dos amores, ainda semente, engatinhando, é maior
Que qualquer outro sentimento árvore frondosa
Pois, se cuidado, enraíza-se e atinge alturas inimagináveis…
No pódio: o amor!
Que ele possa estar em seu coração…
Alda M S Santos

Arte de viver

ARTE DE VIVER
A arte de bem viver consiste
Em estar preparado
Para perder tudo o que se tem
Mas acreditar que isso não irá acontecer
Estar preparado para viver sem o que se tem
Sem deixar de ser o que se é!
Equilíbrio entre o temido e o improvável,
Entre o desejado e o possível…
Alda M S Santos

Nosso lugar é aqui

NOSSO LUGAR É AQUI!
Mesmo que seja entre nuvens
Com garoa ou tempestade
Ou que o sol apareça preguiçoso
Que as gaivotas se recusem a voar
Os mergulhões não queiram pescar
E os quero-queros não brinquem no mar.
Que o caminho seja duro, firme e seco
Ou arenoso, macio e quente.
Que estejamos em boa companhia
Sozinhos ou cercados de gente vazia.
Que a vista ao longe seja esplendorosa
Ou que nossos olhos sejam incapazes de enxergar
Que nossa cadeira esteja reservada
Ou que tenhamos que conquistá-la.
Independente da situação,
Aqui é onde o espetáculo da vida acontece.
Nosso lugar é aqui!
E não podemos dele abrir mão!
Alda M S Santos

Por onde eu for

POR ONDE EU FOR

Sigo por aí parecendo muito certa de meus caminhos
Dos entroncamentos, das vias esburacadas
Dando de cara com gente má e bons anjinhos
Nas ruas sem saída e grandes encruzilhadas

Não consigo fugir de mim, deixar nada para trás
Por onde eu for, nas costas e na alma, levo bagagem
No coração quem me amou, quem amei
Nessa vida especial, minha grande viagem

Vão comigo as lembranças das lágrimas derramadas
Toda a tristeza e dores já acalmadas
O aprendizado que trouxe de toda vida aproveitada

Mas por onde eu for, certa do caminho ou não
Levo comigo tudo que sou, toda emoção
Disso nunca conseguirei abrir mão

Alda M S Santos

O coração sabe

O CORAÇÃO SABE
Se nos deixarmos guiar pelo coração
Estaremos bem…
Ele sempre sabe, sempre!
E nos leva para onde precisamos estar
Nem sempre será onde nos agradem o tempo todo
Nem sempre será onde somos paparicados
Mas onde somos verdadeiramente amados.
Se for doloroso onde estivermos
A questão é: quem nos levou até ali?
O que há de novo para aprender?
Qual a preciosa lição a tirar?
Se for o coração, as emoções
A travessia é válida
O coração sabe se é querido, sente onde é amado
Aprendemos e crescemos na dor e nos desagrados também.
Se nos sentirmos amados, ainda que contrariados
Deixemo-nos guiar…
O coração sabe
Quando é amado e quando é tolerado
Alda M S Santos

Encantamento

ENCANTAMENTO

Diz que sabe, que sente, que percebe
Que é algo estranho, incomum, pura intuição
Não sabe de onde vem, se afastar não dá não
Sabe que quando surge mexe com a emoção
Atraente como pôr do sol, envolvente como lua cheia
Imponente como bruxa, fada, mago ou sereia
Mexe com a mente, o corpo, o coração
Ora é sossego e paz, ora é tormento e paixão
É mistério, encanto, feitiço, magia, sedução
Em noite enluarada ou chuva no sertão
É casinha no rancho de madeira
Ou banho em pelo na cachoeira
É amor na areia da praia, nas ondas sorrateira
É um ser mágico de um mundo encantado
Perdido por aqui, louco, apaixonado
Uma hora voltará para casa
Cheio de luz, amor e aprendizado
Um anjo do céu, belo, sobrenatural, alado
Nessa hora quero estar ao seu lado
Captar todas as lições, sem enfado

Alda M S Santos

Onde você queria estar?

ONDE VOCÊ QUERIA ESTAR?

Feche os olhos do corpo vagarosamente
Abra os olhos da alma suavemente
Inspire fundo, traga algo de bom para a mente
Expire e deixe sair o cansaço lentamente

Sinta a brisa na pele a arrepiar
O coração batendo no ritmo de amar
Onde você gostaria de estar?
Seria capaz de pra lá se transportar?

Inspire novamente, sinta o amor de dentro fluir
Pense em alguém que desejaria que pra lá pudesse ir
Num pensamento pacífico sinta-se para lá partir

Chegando lá tudo é encanto, delicadeza
Reinam a paz, a magia da criação, muita beleza
É o encontro de almas, do amor junto à natureza

Alda M S Santos

Estrela cadente

ESTRELA CADENTE

Deitada numa rede na noite quente
Lua a brilhar, soberana, envolvente
Uma brisa suave, um céu de estrelas salpicado
Sons noturnos, pensamentos voam, embaralhados

O céu parece ora tão longe, ora tão perto
Desejo danado de ir até lá, parece tão certo
Estrelas que piscam, atraem, chamam
Encanto constante daqueles que amam

Logo risca o céu uma estrela cadente
Opa! Um pedido torna-se urgente…
Quero um mundo de gente mais gente!

Outra estrela cadente desfila para mim
Que será que ela que dizer assim?
Ame! A vida é linda, mas logo tem um fim…

Alda M S Santos

Viver de amor

VIVER DE AMOR

O amor funciona assim
Olho para você, você olha para mim
Se o olhar se demorar poderá esquentar
E surge o desejo de se amar

Logo há vontade de pertinho estar
Abraçar, beijar, se desnudar
Não importa o que podem pensar
A gente só quer mesmo se amar

Apaixonados, enamorados, abençoados
Completam-se, saciam-se, aquecidos, atrevidos
Logo estão satisfeitos, amortecidos

O amor é belo, doce, singelo
Afasta a dor, a ansiedade, o flagelo
Viver de amor é bom, sem ele, congelo

Alda M S Santos

Basta

BASTA

Não é preciso uma fé que mova montanhas
Basta uma que apazigue nosso coração
Que não nos cause medos nem  se valha de artimanhas
E que seja estímulo para o amor e compaixão

Não é preciso um amigo que esteja em nós grudado
Basta um que mesmo de longe acalme nosso enfado
Que festeje conosco nossas alegrias
Ou que seja ombro acolhedor, mesmo calado

Não é preciso ter muitos bens ou dinheiro guardado
Basta não passar necessidades e poder ajudar alguém
Não é preciso energia de atleta ou um corpo “sarado”
Basta ter saúde e disposição para o trabalho no bem

Não é preciso fama ou sucesso desmedido
Basta ter alguém especial que nos conheça de verdade
Alguém que saiba ser colo, ouvidos, ser amigo
Que ouça nossa história e nos acolha, sem  maldade

Não é preciso um amor sem fronteiras
Basta um que seja verdadeiro e não vá embora
Que saiba ser calor na dor
E todo o tempo um aliviante frescor

Alda M S Santos

Minha estrela guia

MINHA ESTRELA GUIA

Qual estrela me guia
Qual brilha em mim, se acende
Clareia meu caminho, minhas ideias
Não me deixa sem norte, transcende?

Qual estrela me guia
Desperta em mim a magia
O prazer de viver, de amar
E encontrar no outro um bom lugar?

Qual estrela me guia
Me acalenta, me dá colo
Enxuga minhas lágrimas
Não me deixa na vida solo?

Qual estrela me guia
Faz-me crer que há harmonia
Onde só se vê luta ou letargia
E instiga buscar sempre a sintonia?

Qual estrela me guia?
Não sei bem definir
Mas eu a chamaria de amor
Que me faz seguir e acreditar no porvir…

Alda M S Santos

Superpoder

SUPERPODER

Se pudesse adquirir um superpoder
Qual deles você gostaria de ter
Ver o futuro, mudar o passado, viajar no tempo
Mudar no outro um sentimento?

Uma superforça física, exímia visão
Supervelocidade ou tirar a dor com a mão?

Debaixo d’água respirar, no céu azul poder voar
Ou com quem morreu poder se comunicar?

Ser capaz de voltar à vida, todo sonho realizar
Poder todo o mal apagar
Ou a vida de alguém poder restaurar?

Para bem viver nem é preciso superpoder
Basta a gente ter um coração a bater
E alguém que saiba nosso amor receber

Alda M S Santos

O amor

O AMOR

Não é escolha, não é opção
O amor está em todo coração
Não adianta ignorar, evitar
Brotará quando menos esperar

O amor carrega aliados consigo
Respeito, admiração, solidariedade
Em cada um deles, um amigo
Esperança, fé, carinho e bondade

A natureza comanda todo o espetáculo
Não podemos escolher a quem amar
Simplesmente, o amor está solto no ar

A essência humana está envolvida pelo amor
Quem dela foge ou desacredita
Da vida só obterá tristeza e dissabor

Alda M S Santos

Talismã

TALISMÃ

Quero um pequeno talismã comigo carregar
Para fazer minha coragem retornar
Que me faça sorrir quando a vontade for chorar
Ou até que me deixe chorar sem tanto me incomodar

Quero um talismã que tenha boas energias a espalhar
Que me permita sem medos continuar a amar
Que me acompanhe e me impeça de errar
E que faça encontrar no coração do outro bom lugar

Quero um talismã, não só por, às vezes, ser frágil
Mas por nem sempre poder ser forte
Nesse mundo de batalhas entre a vida e a morte

Quero um talismã que me renove a esperança
Num futuro bonito e iluminado em minhas andanças
Com mais alegria, paz, amor, e uma vida de mais alianças

Alda M S Santos

Ame!

AME!

Simplesmente sentar num banco num canto
Com alguém, como um anjo, desabafar o pranto
A vista no horizonte do intenso e belo mar
Brincar, cantar, falar, ouvir, sorrir, chorar

Apenas um tempo sem medos, sem solidão
Encontrando ali apoio, paz, um abraço irmão
Estamos todos na caixa de achados e perdidos por aqui
Até ser encontrado por quem saiba pra onde ir

A humanidade busca se encontrar
Mas o mapa não aponta bem o lugar
Passamos pelo outro para a nós mesmos chegar

“Ame a teu próximo como a si mesmo”
Não precisa sair andando a esmo
Muitas vezes o próximo a ser amado é você mesmo…

Alda M S Santos

Adivinhação

ADIVINHAÇÃO

Sonhei que tinha acordado com o poder de adivinhar
Bastava olhar alguém e sua alma podia enxergar
Rapidinho percebia de quem poderia gostar
Ou no coração de quem eu já tinha bom lugar

Para uns eu olhava e dava vontade de chorar
De outros eu queria apenas me distanciar
Havia aqueles que queria muito abraçar e beijar
E outros, tão ternos, o que fazer melhor nem contar

Parecia coisa boa ter poder de adivinhação
Saber de longe o que se passa em um coração
Mas, afinal, não é assim grande coisa, não

Só valeria a pena se a adivinhação
Viesse acompanhada com poder de ação
Aquela que no coração do outro faz transformação

Alda M S Santos

Banhos

BANHOS

Se existe algo bom é poder banhar
Banho de sol, lua, cachoeira ou mar
Não há pressa, melhor ir bem devagar

Banho de sol bronzeia, amolece
Banho de lua acalma, aquece
Banho de mar é forte, amortece

Banho de cachoeira é intenso, instigante
Água fria, desperta, é estimulante
Para o amor é parceria constante

Lua, sol, mar ou cachoeira
Leve contigo uma alma bem faceira
Seja feliz, aproveite a brincadeira

Lua, sol, mar ou cachoeira
Banhe-se, apaixone-se, não dê bobeira
É amor de verdade, para a vida inteira…

Alda M S Santos

Não sei

NÃO SEI

Não sei em qual parte do caminho eu estou
Sei que o que vivi já é bem mais do que restou
Quantativa ou qualitativamente
Não dá para saber acertadamente

Sei que por muito já passei, alegrias vivenciei
Trouxe vidas ao mundo, trabalhei, magoei, amei
Já ganhei, perdi, tive momento frustrante
Já fui amada, necessária, importante

Não sei se cumpri o script a mim designado
Se fiz ao menos boa parte do combinado
Ou se ficarei devendo algo para momento mais afortunado

Uma coisa afirmo com toda certeza, eu me entreguei
Sou humana, errei, acertei, desanimei, continuei
Mas em tudo dedicação e amor coloquei, nisso não falhei

Alda M S Santos

Para trás

PARA TRÁS

Tantas coisas na vida são deixadas para trás
Algumas por escolha nossa, outras por imposição
Tantas outras deveriam ser deixadas também
Para haver aprendizado e evolução
Deixar para trás não significa que deixaram de existir
Tampouco não significa que foram de nós apagadas
Mas que deixaram de ser motores do presente
Vez ou outra são acessadas, consultadas
Para que possamos sabiamente seguir em frente
Relembrando que o passado fez de nós o que somos
Bom ou ruim, construiu os detalhes de nossa alma
Aqueles que nos fazem ser amados, diferentes
E acreditar que mesmo que nem sempre seja boa
A vida é nosso maior presente

Alda M S Santos

A língua do amor

A LÍNGUA DO AMOR

A linguagem do amor é universal
Pode ser sintonizada em qualquer canal
Sempre será falada e entendida
Pelos mais necessitados, gente sofrida

Ela grita no silêncio das carências
Ela se cala na angústia das dependências
Ela se aninha no carinho do acolhimento
Ela se faz entender em cada sofrimento

Abraço fala, beijo fala, colo fala
Falam a linguagem dos anjos, do amor
Todos aqueles que sabem acalentar uma dor

Linguagem inata, mas que pode também ser aprendida
Por toda uma geração tão perdida
Que não encontra em ninguém uma guarida

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: