Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Categoria

Amor

Editando

EDITANDO

Nossa vida é, muitas vezes, uma bela e controversa película
Que tantas vezes queremos voltar, mexer, apagar
Consertar umas partes, retirar, acrescentar
Mas nem sempre é possível editar
O que já ficou impresso não tem como desfazer
No máximo dá para gravar novas cenas por cima
Se sobrepondo às anteriores no intuito de turvar
Quiséramos ter o poder de copiar e colar
Desfazer, jogar para a lixeira, refazer
Escolher o que gostaríamos de salvar
E para a edição final poder eternizar o prazeroso
O que foi importante, rico, especial, gostoso
Esse filme que é a vida de cada um de nós
Precisa ter mais laços que nós
A verdade é que todo cuidado é pouco
Pois cenas não são desfeitas!
Apenas novos takes são acrescentados
Sem nenhuma emoção deixar de lado
Quero menos drama, menos suspense
Quero que meu filme seja uma doce comédia romântica
Daquelas que a gente sorri, chora, ama, luta
Mas o final sempre vale cada curva, cada dor, cada labuta
Sou autora, meu roteiro sou eu quem faço
E sigo conduzindo com minha batuta

Alda M S Santos

Uma luz na escuridão

UMA LUZ NA ESCURIDÃO

Como iluminar um espaço escuro
Trazer luz, brilho, torná-lo seguro
Que fazer para clarear o futuro
Nada temer, nada deixar obscuro?

É preciso saber de onde vem a escuridão
Se é física, emocional, qual a sensação
Se apaga o sorriso e deixa abalada a emoção
Ou quem aperta e deixa dolorido o coração

Aí dá para saber como fazer para iluminar
Se precisa do Sol, das estrelas, do luar
De Deus ou de um acessível coração para amar

Bom mesmo é a luz que brota de dentro para fora
Ela ilumina tudo, não se apaga, se demora
Atinge a tudo e a todos, dificilmente vai embora

Alda M S Santos
Tarde de Poesias: UMA LUZ NA ESCURIDÃO

Travessia

TRAVESSIA

A ponte está aí, convidativa
A gente olha, fica tentado
Rústica, bela, longa, atrativa
Mas tenta enxergar do outro lado

A ponte a nós se apresenta
E se não pudermos pegar o caminho de volta?
Aqui, mesmo confuso, já é conhecido
Será que pode haver uma reviravolta?

Que haverá do outro lado
Dor, luta, sofrimento, morte, partida
Apenas uma continuidade disso tudo aqui
Ou haverá mais união, amor, compaixão, vida

Preocupações, tentações, medos e vontades, sedução
Sentimentos que lutam dentro da gente
Enquanto isso, sequer percebemos ou notamos
Que isso tudo é simbolismo, somos a ponte, a evolução…

Essa travessia não é escolha
Nós a fazemos sem perceber
Ela acontece à nossa revelia
Quando vamos ver, já acabou o viver…

Alda M S Santos

Moldados pela vida

MOLDADOS PELA VIDA
Não há nada que nunca mude, que nunca se transforme
Até mesmo as pedras, as rochas, inertes e imóveis no mar
Sofrem total interferência do meio
Aparentemente firmes e fortes, a água, o sol, o sal, os ventos
A matéria orgânica, animal e vegetal a modificam
A água abre reentrâncias, provoca sulcos, invade espaços
Quando não há, contorna, passa por cima e, ainda assim, é atingida
Adquire novas cores, novas formas, novo relevo
Muitas vezes nocivo, que corta fundo quem se aproxima
Causa dores, escorregões e tombos
Uma pedra nunca está totalmente isolada por estar parada no mesmo lugar, inerte
Cedo ou tarde, ela será “outra” pedra
Somos pedras sendo moldados pelas águas da vida em seu ir e vir incessante
Ora turbulentas, ora calmas, ora violentas e sempre incansáveis da vida…
Podemos escolher fazer parte, ou sermos modificados à nossa revelia…
Alda M S Santos

DECK DOS PESCADORES

DECK DOS PESCADORES

Naturalidade, história, simpatia, pescadores
Deck cheio de barcos, turistas observadores
Oceano, mar, praia, vida marinha, admiradores
Uma vista maravilhosa a despertar amores

Um pescador de interessados nessa energia
Sua isca: a beleza do lugar, sua simpatia
E uma aula sobre as baleias, a biologia
A conversa flui, atenção no trato gera harmonia

Jesus escolheu pescadores para segui-lo
Neles viu alma bonita, afeto e bondade
E até hoje ali reina beleza e simplicidade

O oceano, um porto, um deck, um cais
A imaginação flui em voos sensacionais
Sentidos alertas encantam-se, sons musicais

Alda M S Santos

Na minha mão

NA MINHA MÃO

Fome, confiança, treino ou sobrevivência
Basta aguardar, ter consigo a paciência
Não sei, mas é de uma lindeza sem igual
Na minha mão a gaivota pousa, sensacional

Um voo no alto, plana mais baixo, desfila
No céu azul passeia, olhar fixo, não cochila
Sonda o espaço, avalia a segurança
Até optar por alguém que inspire confiança

A natureza é assim, está aí para ser admirada
Todo cuidado é pouco para não ser tão explorada
Ela carece de proteção, necessita ser preservada

Terra, céu, ar, gaivotas, eu, o mar
É um momento suave para recordar
Se apaixonar, querer repetir, retornar

Alda M S Santos

Inspiração

INSPIRAÇÃO
Há o céu de intenso azul com um gavião a plainar
Ou nuvens espessas e uma chuva a se armar
Isso serve para inspirar
Mas há também você a me olhar…
Há árvores frondosas no vento a balançar
As folhas secas no outono a cair e o chão a forrar
Ou flores lindas e coloridas na primavera a perfumar
Isso serve para inspirar
Mas há também seu sorriso a me encantar…
Há o rio que nasce na serra e cai nas pedras a cascatear
Ou as ondas do mar que batem nas rochas e espumam na areia a desmanchar
Isso serve para inspirar
Mas há também você a me acariciar…
Há toda a natureza, o céu, a terra e o mar
Ou Deus, a família e os amigos a me alegrar
Mas nada tão completo como você, como o amor
Para poder me inspirar…
Alda M S Santos

O sabor do amor

O SABOR DO AMOR

Qual será o gostinho, o sabor
Que deixa na boca o amor?
Será azedinho, adocicado
Amargo, agridoce ou apimentado?

E no corpo, na alma, no coração
Qual será o sabor, a sensação?
Será que deixa marcas essa paixão
E fica saudade se restar só solidão?

Amor que é gostoso não é amargo
Não pesa, não machuca, é leve, adoça
É terno, brincalhão, aceita até troça

Amor que é bom deixa marca de felicidade
Doce, agridoce, apimentado, que seja de verdade
A qualquer um satisfaz, não escolhe idade

Alda M S Santos
Tarde de Poesias: O sabor do amor

O olhar passeia

O OLHAR PASSEIA

Olhar no horizonte, para um lado é tudo azul, pujança
Para o outro é tudo verde, esperança
Areia, mar, mata, céu… na alma, festança
Para qualquer lado que se olhe é inspiração
É muita beleza que faz pulsar o coração
Para dentro o olhar passeia, cinzento torna-se colorido
O viver em diversos tons, bem floridos
As sombras já não assustam mais, tornam-se iluminadas
Pela luz e força que vêm de fora, abençoadas
Uma troca de energia do interior com o exterior
Acalmam, acolhem, doce e terno calor
Na vida quase tudo funciona assim
Quem não se fecha para o mundo, diz sim
Cresce, aprende, ensina, evolui, vive, enfim…

Alda M S Santos

Leve-me com você

LEVE-ME COM VOCÊ

Leve-me com você
Não importa para onde
Apenas leve-me para onde for
A direção a seguir fica a cargo do amor

Leve-me com você
Coloque-me no colo, mas se isso não for possível
Nunca me tire do coração
Só assim poderei segui-lo
Só assim vale a pena ir contigo

Leve-me com você
Ouça minha voz, sua companheira de todas as horas
Ouça meus desejos, sintonize-os com os seus
Guie-se por eles, acolha-os
E nunca estará sozinho

Leve-me com você
Como marca digital na sua pele
Como emoção boa no coração
Como uma luz acesa na alma
Eternizados um no outro
Não importando aonde estejamos

Leve-me com você,
Levo-o comigo…

Alda M S Santos

E o barco da vida parte…

E O BARCO DA VIDA PARTE…

E o barco da vida parte
Leva quem tem coragem
Leves e com espaços a preencher
Ou pesados de tanta bagagem

E o barco da vida parte
Deixa a segurança do cais
Em busca de novas aventuras
Talvez de um novo caos

E o barco da vida parte
Vários rumos, vastos oceanos
E o que fica é a vontade
De ser feliz também nesse plano

E o barco da vida parte
Leva alguns, deixa outros
Na saudade do vivido
Do que ficou por viver
Do que há ainda para viver

E o barco da vida parte
Todos os dias, todo o tempo
Com ou sem passageiros e tripulantes
Nem sempre a contento
Ele parte…

Alda M S Santos

Mar aberto

MAR ABERTO

Em mar aberto tudo é mais intenso
Nesse ponto quase sempre há consenso
O vento é mais forte, a profundidade é infindável
A vida em sua diversidade é inigualável

Em mar aberto a vista vai além do horizonte
A emoção não capitula, chega aos montes
A mente viaja mais que o corpo
Naquele doce balançar me faço porto

O Sol aquece mais, mas não queima
A brisa arrepia a pele, mas não esfria
A alma se abastece mais de alegria

Numa embarcação qualquer em mar aberto
Não dá para fugir, amar é totalmente certo
O outro, a si mesmo, o universo decerto

Alda M S Santos

Num relacionamento sério?

NUM RELACIONAMENTO SÉRIO?

Há quem deseje um relacionamento sério
Outros os intitulam de relacionamento aberto
Relação séria parece fechada demais, meio carrancuda
Aberta parece que qualquer um pode entrar
Eu prefiro um relacionamento leve, divertido
Daqueles firmes e tranquilos, afeto garantido
Seriedade tira um pouco a alegria
Abertura não gera confiança, perde a magia
Bom é um relacionamento que tenha portas e janelas
Mas que essas estejam destrancadas, sem chave
Para que a brisa da vida possa balançar as cortinas e o ar renovar
O Sol possa entrar sem pedir licença e aquecer
Uma relação sem medos, prisão ou ameaças
Onde o sorriso seja sua marca, sua maior graça
Uma união onde o brincar seja permitido
Que não haja desconfiança, nada sofrido
Relacionamento sério no compromisso assumido
Aberto para sair o negativo, manter o bem adquirido
Mas, sobretudo um relacionamento bem leve, onde amar seja garantido
E o viver possa fazer todo o sentido!

Alda M S Santos

Intimidade

INTIMIDADE

Intimidade é aquela relação prazerosa que cultivamos
Com quem nos é especial
Onde tudo podemos dizer, fazer, trocar
Sem nos envergonhar e, com isso, aliviar todo mal

Quem tem boas relações de amor, de amizade
Quase nunca é acometido pela solidão
Encontra nessa pessoa a disponibilidade
E a intimidade que complementa toda boa relação

A intimidade pede reciprocidade
Confiança que se abastece na troca, conexão
Nudez em sua totalidade
Intimidade não só de corpos, mais conhecida como paixão,
Mas intimidade de mente, sintonia
Principalmente, intimidade de almas, magia…

Uma boa intimidade de almas nunca se acaba
Vai além da vida…

Alda M S Santos

Na imensidão

NA IMENSIDÃO

Na imensidão de areia branca poder caminhar
Seguir em frente sem nunca desanimar
Em tudo que vejo nessa mágica natureza
Me perco, me encontro diante de tanta beleza

Tantos matizes de branco, de verde e azul
Combinação perfeita de norte a sul
Cada qual parece ter por aqui seu lugar
Harmonia na terra, no ar, no céu, no mar

E eu aqui, podendo dessa magia desfrutar
Basta um olhar atento para a emoção captar
Isso é gatilho que aciona o coração
Que bate (des)compassado, gostosa sensação

Felicidade e alegria diante da Criação
Regalo-me com tanto amor, sou toda coração
Abro um sorriso, uma silenciosa oração
Sempre, sempre serei gratidão!

Alda M S Santos

Desbravar

DESBRAVAR

A vida é um eterno desbravar
Caminhos, grutas, mares, pares
Sempre querendo por aqui ser especial
Despertando emoções, promovendo alegrias
Sendo uns para os outros densas energias
A busca por entendimento e compreensão
Um lugarzinho especial no coração
É o que todos mais queremos por aqui
Desbravar a natureza mais linda que existe
Aquela que mora dentro de cada ser…

Alda M S Santos

Invernando

INVERNANDO

Meus invernos são recheados de mim
Mergulho bem fundo, invernando
Vou cuidando do broto, hibernando
Para mais tarde renascer, encantando

Meus invernos são recheados de Você
Que não desiste de mim, faz acontecer
Cuida das dores, das feridas, dá guarida
E sempre me mostra o sentido da vida

Meus invernos são recheados de versos
Instigam, animam, mostram meus inversos
Reflexão, introspecção, sabedoria e ação
Em cada recolhimento mais emoção, evolução

Meus invernos são assim, aquecidos
Por mim, por Você, pelo que me tem oferecido
Sou só gratidão por cada alegria, cada coração
Que me torna mais próxima de cada irmão

Alda M S Santos

Bom mesmo

BOM MESMO

Bom mesmo é viver a vida
De tal modo que não deixe para ela saída
A não ser se aliar a nós
Nos ajudando a eliminar qualquer algoz

Bom mesmo é dar o melhor da gente
Para todos igualmente
E se isso parecer impossível
Que façamos, para tanto, todo o possível

Bom mesmo é cuidar direitinho
Com amor, respeito e muito carinho
Daqueles que recebemos como presente
Para dar sentido à vida da gente

Bom mesmo é ser agradecido
A tudo que nos foi consentido
Com sabedoria e muita calma
Aceitar o fim, quando chegar, com paz na alma…

Alda M S Santos

Onde carregas?

ONDE CARREGAS?

Onde carregas o que amas?

No pulso a contar o tempo
A te enternecer todo o momento?
Na carteira bem guardado
Onde proteges o valorizado?

Onde carregas o que amas?

Naquela imagem no celular estampada
Num cartão na página do livro marcada
Na camiseta em coração silkada
Ou numa declaração no corpo tatuada?

Onde carregas o que amas?

Na pele tal qual fragrâncias impregnadas
Na mente em muitas memórias ativadas
No coração em todos os espaços demarcados
Na alma, enfim, o amor eternizado…

Onde carregas o que amas?

Alda M S Santos

Enquanto houver vida

ENQUANTO HOUVER VIDA

Ela se impõe, é importante, é soberana
Não importa se num palácio ou choupana
Nada há que a faça menos bela e valiosa
É nossa, é única, intensidade contagiosa

Enquanto houver vida haverá desejos
De conviver, nos relacionar, em fortes lampejos
Enquanto houver vida o amor prevalece
Seja na dor ou na alegria ele não esmorece

Enquanto houver vida haverá luz e magia
Buscaremos paz, uma maior harmonia
Em cada coração que chegar, mais sintonia

Enquanto houver vida somos menos eu, mais nós
Em cada caminho fazendo laços, desatando nós
Somos abrigo, somos silêncio, somos voz

Alda M S Santos

Gosto assim…

GOSTO ASSIM…
Gosto de olhos que tocam docemente com carinho
Quando a autoconfiança inala a frieza ácida da tristeza e da dúvida
Gosto de silêncios com sabor adocicado de mel
Ou de palavras que apaguem o calor destrutivo do fel
Gosto de pessoas letradas em ler o brilho molhado que vaza nos olhos
Quando eles estão embaçados pelo vapor amargo das decepções
Gosto do perfume doce, macio e inebriante dos abraços, da proteção amorosa que aquece
Que anestesiam qualquer grito perturbador e confuso que se cala na alma
Gosto de quem ouve o não-dito nas palavras, não acusa, acolhe
De quem lê e entende o que não está escrito em letras
De quem fala por sorrisos, compreende os não sorrisos da distância
Gosto de sentir vibrar na pele o som do amor que arrepia,
Que nasce nos pequenos desejos feito cachoeira na serra
E cresce, alimentado e protegido pelas matas ciliares do cuidado
Desce feito rio manso e cada vez mais caudaloso
Abastecido pelas águas poderosas da reciprocidade
Segue seu curso certeiro, sem guias, rumo ao mar
Exalando perfume suave de alfazema em suas cores quentes de fim de tarde
E, na imensidão do oceano, se mistura, mesmo escondido, vive e se faz infinito e eterno
Alda M S Santos

Cabe direitinho

CABE DIREITINHO

Gosto de coisas que cabem direitinho
Que parecem ter sido feitas sob medida
Como minha cabeça em seu ombro acolhedor
Ou nossos pés entrelaçados sob o cobertor

Gosto de coisas que cabem direitinho
Como minhas mãos dentro das suas
Meu sorriso sob seu terno olhar
Minha segurança em seu modo de amar

Gosto de coisas que se harmonizam
Como um beijo suave ao amanhecer
Ou um caloroso e intenso abraço ao anoitecer

Gosto de me encaixar, me completar em você
Ou do modo como você se completa em mim
Caber direitinho faz muito bem, ah, faz sim

Alda M S Santos

Tão perto de mim

TÃO PERTO DE MIM

Tão perto de mim, ah quero sim
Quanto mais perto, melhor, bem assim
Despertando muito carinho, emoção
Muito cuidado, ternura e proteção

Tão perto, bem perto, bem dentro
Aquela sensação de sintonia, de acolhimento
O jeito de nos sentir em casa, contentamento
Amor que é tranquilo, mesmo no arrebatamento

Tão perto assim de mim, almas afins
De um jeito terno, suave, perfume de jasmim
Provoca fulgor, calor, é bem sedutor
Mas traz também a paz e aconchego de um cobertor

Alda M S Santos
Tarde de Poesias
Tema: Tão perto de mim

Nosso arraial

NOSSO ARRAIAL

É tempo de arraiá, de arrasta-pé, de festança e balancê

Santo Antônio, São João e São Pedro a nos aquecer

Mas tá difícil, não dá para Iaiá pular a fogueira

Tampouco para Ioiô beijar a moça faceira

Num vestido colorido de chita, a moça se agita

Quer dançar, brincar, o rosto pintado, toda bonita

O moço todo belo e garboso, chapéu e flor na lapela

Quer fazer uma mesura e levar gostosura só para ela

Mas os tempos são de pandemia, queremos saúde e harmonia

Guardar para a próxima toda essa alegria, encanto e energia

Vamos brincar de longe, modo virtual, festa sem aglomeração

Pois quem ama quer cuidar, quer quentão e oferecer a proteção

Então a alegria funciona assim, você daí e eu daqui

A música toca na vitrola, não deixe baixar a bola

Sanfoneiro e violeiro tocam a canção de um belo bailão

A moçada animada, mesmo em casa, é pura animação

E viva esse nosso arraial, cada qual em seu quintal!

Alda M S Santos

Formato de amor

FORMATO DE AMOR

Se é sonho tem aparência açucarada
Se é caminhada tem suaves pegadas
Se é encontro tem um doce confronto
Se é sedução tem intensidade e emoção

Em tudo há formato de amor…

Se é poesia tem um encanto, uma magia
Se é natureza, carrega paz, muita beleza
Se é trabalho tem prazer, faz acontecer
Se é amizade, é carinho, é verdade

Em tudo há formato de amor…

Se é uma boa prosa, tem perfume de rosa
Se é viagem, se perde, se acha, leve paragem
Se é fé, é Deus, esperança e planos meus
Se é busca, encontro, vida, aconchego, guarida

Em tudo há formato de amor…

Alda M S Santos

A estrada do amor

A ESTRADA DO AMOR

A estrada que me leva a você parece longa
Repleta de vazios ou tão intensamente cheia
Tem muitos aclives e declives, meio alheia
Sol escaldante, chuva ou tempestades de areia

A estrada que me leva a você pode ser escura
Fazer doer, me perder, causar amargura
Noutras é muita luz, encanto, brilho que irradia
Atiça a imaginação, alegria, doce fantasia

A estrada que me leva a você tem árvores e cor
Tem sombra, brisa suave, rio, desejado frescor
Tem flores às margens, tem doce perfume
Basta seguir em frente, feliz rumo ao cume

Essa estrada até você, amor, sou eu quem faço
Com afeto, carinho, esperança, criando laços
Faço história, faço amor, beijos e abraços
Nessa estrada há magia em cada passo

Alda M S Santos

Encontro ao Pôr do Sol

Tema: A estrada que me leva a você

Temos pressa

TEMOS PRESSA

O tempo voa, a vida passa
E ficamos a esperar na janela
Por aquilo que de nós não sai
Ainda que pareça balela

Temos pressa…

Nem tudo o que a gente quer
Chega na velocidade desejada
Mesmo sabendo que o mais valioso
Chegará só na hora apropriada

Temos pressa…

A paciência é uma virtude
Que precisa ser bem dosada
Porque se confundida com inércia
Não nos ajuda em nada

Temos pressa…

Cansados de ver ir embora
Tantos sonhos que viraram pó
Queremos aproveitar melhor agora
Para não terminar a vida só…

Temos pressa…

Alda M S Santos

Me faz bem…

ME FAZ BEM..

Andar na mata, cheiro de terra, sol nas frestas
Ouvir os pássaros, algazarra, todos em festa
Andar de mãos dadas, um abraço desavisado
Um silêncio, um olhar, um amor declarado

Me faz bem…

Um rio, um pôr do sol, uma cachoeira
Um mergulho, um banho que tira a zonzeira
Um amor realizado, delícia verdadeira
A vida em câmera lenta, bem faceira

Me faz bem…

Sonhar acordado, desejo realizado
Esperança alimentada, futuro almejado
Simplicidade, mundo sem maldade
Uma vida que se faz, pura felicidade

Me faz bem…

Alda M S Santos

Levezas

LEVEZAS

É bom poder carregar levezas
Flutuar, no grande salão da vida valsar
Talvez até um pouco de levadezas
A vida foi feita para aproveitar

É bom distribuir delicadeza
Abraçar, beijar, a todos amar
Trazer em si um pouco de sutileza
Para quando a vontade for de chorar

A vida fica cheia de lindeza
Quando abrimos os olhos da alma
E mergulhamos em nossa natureza

Não significa que não haverá tristeza
Apenas que elas não terão prioridade
Num coração leve, onde reine a pureza

Alda M S Santos

Um encanto qualquer

UM ENCANTO QUALQUER

Nas vias curvas dessa vida por vezes sofrida
No alto da serra, final de vielas compridas
Um mirante, uma bela vista definitiva
Faz lembrar do quanto ela pode ser impeditiva

Olhar alcança longas distâncias, belo horizonte
Desejo de voar, ir longe, atravessar pontes
Descobrir a que veio, perdoar-se, sem rodeios
Derrubar os muros, seguir, descartar os freios

É preciso buscar em tudo o que há de magia
Tentar ativar em nós o que gera harmonia
Deixar ir se apagando qualquer dor ou agonia
Depende de nós fazer brilhar nosso dia

Tão bom encontrar alegria, ser sorriso, ser mulher
Independente de onde, quando e com quem estiver
Do modo de agir ou do que se fizer
Sempre enxergar em tudo um encanto qualquer

Alda M S Santos

Cheiro De Amor

CHEIRO DE AMOR

Ah, os versos, o poema, a poesia
Aqueles que falam de amor, dessa magia
Despertando intensas e doces sensações
Acalentando a alma, vibrando emoções

Amor foi feito para ser declarado
Vivido, sentido, sintonizado
É visão, é tato, é cheiro, é contato
Viver sem ele não dá, é fato

A vida tem mais encanto e beleza
Quando se percebe nela essa delicadeza
E o cheiro do amor em versos exalando pureza

Amor tem cor, tem calor, tem cheiro
E quando vira versos é puro perfume
Que invade nosso jardim inteiro

Alda M S Santos
XLV Encontro pôr do sol
Tema: Cheiro De Amor Em seus Versos

Injusta

INJUSTA

A vida pode ser cruel
Dolorosa, intensa, parcial
A cada um de nós caberá
Torná-la menos desigual

Muitas vezes parece tão longa
Noutras é por demais curta
Mas é o que fazemos por ela
Que a tornará menos injusta

Buscamos no outro a alegria
Ou a paz que de nós fugiu
Sequer percebemos que está na gente
O prazer de viver que um dia sumiu

Mesmo injusta ela é só nossa
Mas se torna mais bela
Quando destrancamos portas fechadas
E sorrisos abrimos em nossa janela…

Mesmo injusta ainda podemos fazer dela
Uma linda e encantadora aquarela…

Alda M S Santos

O amor está no ar…

O AMOR ESTÁ NO AR…

Em cada canto, lugar ou recanto
No alto, na serra, na janela ou passarela
É dia de amar, de namorar, se encantar
Mas, há dia certo para amar?

O amor está no ar…

Se tiver alegria, harmonia, sintonia
Um carinho, um encanto, uma magia
Qualquer hora é hora, qualquer tempo é tempo
Todo dia é dia, pro amor não há contratempo

O amor está no ar…

Seja num castelo ou numa mansão
Num casebre, num chalé, de trem ou de avião
Namorar exige mesmo é parceria, atração
E que esteja bem guardadinho no coração

O amor está no ar…

Alda M S Santos

De onde vem?

DE ONDE VEM?

De onde vem o sorriso que te ilumina o rosto?

De onde vêm as lágrimas que te fazem mais humano?

De onde vem a força que brota do seu interior?

De onde vem a fragilidade que te imobiliza e te engrandece?

De onde vem a necessidade não identificada?

De onde vem a capacidade de renovação?

De onde vem a fé em coisas impossíveis?

De onde vem a esperança em dias melhores?

De onde vêm tantos sonhos?

De onde vem a vontade de realizar cada um deles?

De onde vem?

Descubra, vá pra lá, grude e não largue nunca mais!

Alda M S Santos

Toque de amor

TOQUE DE AMOR
Amor verdadeiro, amor real,
Amor presença, amor presente
Amor além de qualquer sonho, amor que se doa…
Amor de pertinho, amor que se pega
Nos braços, nos laços, nos enlaces.
Amor de abraços, de beijos, de carinhos, de sensações.
Amor de trocas, de afetos, amor gratuito.
Amor de força, de fragilidade, de entendimento,
Amor colo, que dá, que recebe.
Amor segurança, amor de olhares, de palavras,
Amor de histórias partilhadas, amor de segredos.
Amor que não se explica, amor que se sente.
Amor que toca:
O corpo, o coração, a alma.
Amor que se toca,
E sabe que amor mesmo se mantém e se renova
Na presença, em cada gesto,
Em cada toque de amor.
Alda M S Santos

Sobre amor, sobre amar

SOBRE AMOR, SOBRE AMAR
Se não valoriza o que você é
Se te pede para fazer o que você não gosta
Se quer te fazer outra mulher
Ou não se importa com o que você quer
Não te ama!
Se não te prioriza
Se não diz que você é linda
Se não te olha nos olhos
Nem te abraça apertado
Não te ama!
Se não passeia contigo
Se não assiste com você um filme de amor
Se não dança agarradinho à sua cintura
Se não dorme de conchinha
Nem toma banho juntinho
Não te ama!
Se não te protege
Se te põe em risco
Se põe em dúvida sua moral
Ou faz de tudo um vendaval
Não te ama!
Mas se tem um olhar especial
Um ombro que te cabe direitinho
Um beijo de arrepiar o cangote
Um abraço de urso quentinho
Coração grande e terno colinho
Palavras e ouvidos de puro carinho
Principalmente, respeita o seu jeitinho
E aceita seu amor, mesmo imperfeito
Ele te ama!
Mas sobre amor, sobre amar
Só a gente mesmo para saber ou falar…
Alda M S Santos

Dessa fonte

DESSA FONTE

Quero beber dessa fonte…

Quero beber dessa fonte cristalina de vida
Que mata minha sede, me dá guarida

Quero beber dessa fonte de bondade, solidariedade
Que me torna.mais humana, sem tanta vaidade

Quero beber dessa fonte de sabedoria
Que abastece minh”alma de força e energia

Quero beber dessa fonte de calor fraterno
Que aquece tal qual lareira em pleno inverno

Quero beber dessa fonte de luz
Que me guia, me ampara, me conduz

Quero beber dessa fonte de carinho, de afeto
Que me dá conforto, uma morada, um teto

Quero beber dessa fonte do mais puro e singelo amor
Que é vida, luz, sabedoria, energia, calor

Também é morada, colo, desejo, ardor
Que pacífica e deixa minh’alma perfumada em flor

Quero beber dessa fonte…

Alda M S Santos

E se fosse autorizado?

E SE FOSSE AUTORIZADO?

E se num desses momentos loucos
Em que a Terra parece ter parado sua translação
A gente pudesse girar para onde quisesse
Fazendo nossa própria rotação?

E se nessa parada amalucada
Pudéssemos dar uma guinada
A ida para frente ou para trás autorizada
Onde você iria fazer sua parada?

Buscaria no passado algo que deixou
Aquilo que não fez, naufragou
O amor que não viveu, acovardou?

Ou no futuro a felicidade estaria
Mais experiente, o amor buscaria
E, sem medos, um.beijo roubaria…

Alda M S Santos

Amor sincero!?

AMOR SINCERO!?

Uma pergunta um tanto descabida
Uma exclamação para lá de sofrida
Não é amor se não for sincero, isso é certo
Se há falsidade não se quer por perto

Amor é desejo, é luz, é sinceridade no olhar
É querer colo, dar colo, não querer separar
É vontade de estar junto, ser exclusividade
Amor bom cabem só dois, reciprocidade

Se há sombra, desconfiança ou tristeza
Não é amor, é dor, é sofrimento, é dureza
Covardia, maldade tiram do amor toda a beleza

Amor é bênção, é lição, doce sensação
Amor é, sim, sincero, quero essa emoção
Sem ele não dá para viver bem não

Alda M S Santos

Tarde de Poesias: Amor Sincero!?

Só preferências

SÓ PREFERÊNCIAS
Prefiro assim:
Uma mente recheada do bem, ideia genial
A um bolso cheio do vil metal
Um coração em dor, mas colorido de amor
A um repleto de vazios, por isso incolor
Prefiro assim:
Um passeio na praia, um namoro ao luar
A um requintado restaurante para jantar
Um olhar suave e sincero que me desvenda, me entenda
A um visionário num mundo cheio de contendas e reprimendas
Prefiro assim:
Um sorvete na praça na gangorra a brincar
A um espetáculo grandioso que me deixe sem lugar
Percorrer uma trilha na mata para a cachoeira encontrar
A um passeio no shopping para compras realizar
Prefiro assim:
Ver o brilho no olhar ao seu amor me declarar
A uma joia preciosa que nem terei como usar
Seu carinho e delicadeza ao habilmente me despir
A alma, o corpo, o coração, para nunca mais fugir …
Só preferências…
Alda M S Santos

Quero brincar

QUERO BRINCAR

Quero levar a vida numa leve brincadeira
Sorrir, mesmo quando chorar, fazer zoeira
Sabendo que ela corre, é passageira
Não dá para perder tempo, dar bobeira

Quero brincar de passear, também de trabalhar
Por mim, pelo outro, o bem espalhar
Se a alegria fugir, quiser falhar
Lá dentro de mim outra vou encontrar

Quero brincar de namorar, de amar
De fazer carinho, me entregar
Quero brincar de ser a rainha desse lugar

E se a vida quiser ser dura, falar sério
Eu vou sorrir, sair de banda, fazer mistério
Buscar algo que seja pra mim doce refrigério

Alda M S Santos

Original

ORIGINAL
O que é ser diferente, ser original?
É se destacar entre iguais?
Quem determina o que é igual ou diferente?
Quem estabelece o que é original e o que é comum?
Depende sempre do referencial de cada um.
Pode-se ser muito original para alguém,
Muito comum para a grande maioria.
O temível e terrível é estabelecer valores,
Melhores ou piores, pelas diferenças que se percebe.
Todos podemos ser diferentes ou iguais, depende sempre do olhar que nos observa!
Vale mesmo é ser autêntico, respeitar a si mesmo, sem desrespeitar os demais.
E sempre consideraremos especiais quem nos admirar da forma que somos.
Alda M S Santos

03

Qualquer defeito

QUALQUER DEFEITO

É tão bom ser amado
Ainda que seja um pouco sofrível
Num mundo tão adoentado
É a única cura possível

Buscamos apenas reciprocidade
Amor é coisa de todo dia
Basta que se tenha vontade
Pra fazer do amor nossa alegria

Se a dor é de cansaço
Você pode fazer um cafuné
Se o que ataca é desesperança
Você pode injetar um pouco de fé

Se o mal é aflição
Você pode tirar com oração
Mas se a doença parece não ter jeito
Abrace, beije, acaricie, ame
Amor ajeita qualquer defeito

Alda M S Santos

Gente de verdade

GENTE DE VERDADE

Gosto de delicadeza, que chega devagarinho
Suavidade, beleza, tudo com jeitinho
Não gosto de nada explícito, prefiro insinuado
Que tem intensidade, mas sabe ser valorizado

Gosto do Sol despontando suavemente na serra
Ou a Lua que no céu sua beleza encerra
Gosto do amor que nos abraça forte
Que nos faz encontrar nosso norte

Gosto de gente que é de verdade
Nada de santos, prefiro autenticidade
Gente que cresce com as falhas, sem falsidade

Gosto de quem demonstra o amor
De romantismo, aconchego, perfume da flor
De quem sabe ser colo, carinho, cobertor

Alda M S Santos

Jeito de olhar

JEITO DE OLHAR

Um passo atrás pode ser avançar
A tempestade pode vir para limpar
A queda pode ensinar a levantar
O vendaval pode colocar as coisas no lugar

Tudo depende do jeito de olhar

Chorar ensina a valorizar o sorriso
Medo e inércia nem sempre são coisas de indeciso
Talvez seja um modo de usar o perigo
Para encontrar melhor abrigo

Tudo depende do jeito de olhar

Solidão nem sempre é ausência de companhia
Talvez seja escolha de pessoas
Que usam de muita sabedoria
Ao não insistir em buscar no outro
Aquilo que encontram em si mesmas: paz e sintonia

Tudo depende do jeito de olhar

Preta, branca, cinza ou multicor
A vida sempre será uma tela
Para artistas que pintam com estilo e amor
E usam a paleta preferida para torná-la ainda mais bela…

Tudo depende do jeito de olhar
Do jeito de a vida encarar …

Alda M S Santos

Se é amor…

SE É AMOR…

Se é amor faz sorrir, traz alegria
Não faz mal, não causa arrelia
Vive no real, no sonho ou na fantasia
É doce, suave, é forte, a pele arrepia

Se é amor não gera culpa, é puro afeto
Não nos afasta do que é certo
Mesmo nas curvas do caminho
É colo, é aconchego, é intenso carinho

Se é amor é ternura, é exclusividade
É respeito, é calor, é tentação, é lealdade
É complemento de corpo e alma, naturalidade

Se é amor é luz, é atração, é sedução
É paz que acalma, mas aquece a emoção
É o se sentir em casa dentro de outro coração

Alda M S Santos

Melhor assim

MELHOR ASSIM
Distribuímos sorrisos não só porque somos ou estamos alegres
Somos alegres porque, ainda que, às vezes, ele nos falte, distribuímos sorrisos
É feliz quem doa aquilo que não precisa mais
Mais feliz ainda é quem compartilha o que poderia fazer falta
Nossas imperfeições, inquietações e insatisfações
Nos fazem buscar sempre mais e mais
Não é perfeito quem não possui imperfeições
Mas quem, apesar das imperfeições, não se limita
E busca ser cada dia melhor para si e para o outro…
Alda M S Santos

Silêncio barulhento

SILÊNCIO BARULHENTO
No meu silêncio barulhento acalmo meus gritos
No meu barulho silencioso afogo minhas angústias
Silêncios que gritam, gritos que calam
Pacífico tormento…
Nas minhas angústias molhadas rego meus solitários momentos
Desses momentos (re)nascem traumas e sonhos
Dessa solidão bem nutrida colho as mudas de esperança
E descarto os medos já crescidos
Feito mato entre flores, enfrentamento
As esperanças viçosas e perfumadas tal qual rosas vermelhas
Alimentam e alegram meu viver nesse jardim, puro renascimento
E quanto mais as distribuo por aí
Mais elas crescem e perfumam em mim…
Alda M S Santos

No rio

NO RIO

Rio que brota na serra
Que desce irrigando a terra
Arrasta consigo o que encontrar
É vida linda a nos encantar

Rio que canta seu canto
Suavemente afasta o pranto
Lava o corpo, a alma, traz paz
Mostra-nos do que a gente é capaz

Mata ciliar é protetora, evita a ferida
Das águas, da vida, é magia contida
São bênçãos a curar a alma sofrida

Sozinho ou acompanhado
Que o amor esteja a nós atrelado
Somos sonhos e desejos num rio banhados

Alda M S Santos

A vida pede

A VIDA PEDE

A vida pede um pouco mais de magia
Lutamos, buscamos, escolhenos a fantasia
Na ânsia de belos sonhos querer realizar
Vamos tentando alcançar, acreditar, confiar

Nem sempre o que reluz é ouro
Brilho falso, fugaz, ouro de tolo
O prometido não se cumpre, não se concretiza
E a esperança vai embora, trai, inviabiliza

Mas há outros caminhos, rotas a conhecer
Novo dia, novo tempo, novo alvorecer
Chamando para não desistir, fazer acontecer

A vida tem primazia, é soberana, nos apetece
Forte, se impõe, prevalece, não amolece
E faz de cada um de nós sua mais bela prece

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: