Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Categoria

Amor

De pouquinho em pouquinho

DE POUQUINHO EM POUQUINHO

A vida vai se fazendo de pouquinho em pouquinho
Um sonho de cada vez, devagarinho
Vamos construindo nossos castelos
Alguns espaços nem serão tão utilizados
Servirão apenas para manter nossos guardados
Esperando o momento certo de serem ativados

De pouquinho em pouquinho vamos nos alegrando
Nossos jardins podando, cuidando, regando
Deixando entrar rosas por nossas janelas, perfumando
Fazendo brilhar em nós a intensa magia
Aquela que o sonho traz, doce fantasia
Aquecendo em nós a lembrança durante todo o dia

De pouquinho em pouquinho vamos descartando o que faz mal
O que apenas entulha nossa mente, nosso quintal
Aproveitando para mandar lixos embora junto ao vendaval
Acolhendo só o que é inteiro, traz calor, é especial

De pouquinho em pouquinho, passo a passo
Somos amor, dançamos no mesmo compasso
Repartindo a alegria, a harmonia, apertando os laços
De pouquinho em pouquinho abrimo-nos para a vida em potencial
Banhados em prazer, fazemos desse mundo um lugar sensacional

Alda M S Santos

Ninguém te ama como eu

NINGUÉM TE AMA COMO EU
Amo você assim do jeitinho que és
Coração bondoso, estopim curto, acelerado, mas paciente
Sorriso tão fácil quanto as lágrimas
Energia a mil, dificuldade de dizer NÃO
Esforço grande para não melindrar pessoas
Amo você assim do jeitinho que és
Tão falante e tão introspectiva, ao mesmo tempo
Sua capacidade de doação, de perdão
De compreensão das falhas alheias mais que das próprias
Sua necessidade de amor, sua fragilidade
Que tantas vezes não percebe como força
Amo você assim do jeitinho que és
Falhas, erros, persistência na caminhada
A sabedoria em usar o que conseguiu conquistar
A revolta quando tiro seu “doce” para evitar que adoeça
Ou a tristeza por perder aquilo que afasto de você por proteção
Amo você assim do jeitinho que és
Ego meio problemático, emoções conflituosas
Mas isso não me impede de querer que você cresça
Que seja melhor a cada dia
Que te puxe as orelhas e te oriente
Para que possas ser o sol e as estrelas
Para si mesma e para os outros
Ninguém te ama como Eu, assim do jeitinho que és
Do jeitinho que Eu te criei
Amo você e Sempre Estarei Contigo
Para o que sempre precisar…
A mais linda declaração de amor que poderia ouvir
E veio num lindo sonho…
Alda M S Santos

A Chico e Francisco

A CHICO E FRANCISCO

Gosto de gente clara, transparente
Das quais sabemos o que esperar
São íntegras, leais, quase imponentes
Não se sentem superiores, sabem valorizar

Seu modo de agir é criterioso
Em todos os espaços são o bem
Em tudo encontram um jeito proveitoso
De não magoar ou ferir ninguém

Não há dois pesos ou duas medidas
O coração é quem dita a ordem
Ou cria-se bagunça e desordem

“Se o mesmo pau que bate em Chico bate em Francisco”
Pode-se esperar que o mesmo amor que se faz a João, se faz a Sebastião
E nessa vida não haverá tanta decepção

Alda M S Santos

Quarentena

QUARENTENA

Vou colocar um coração em quarentena
Isolado, afastado, separado para não (se) contaminar
Logo, logo ele se livra da pena
E poderá voltar a vibrar, a amar

Vou colocar um corpo em quarentena
Para acalmar músculos e nervos
A fadiga evitar, a inércia apagar
Em busca de uma vida mais amena

Vou colocar uma mente em quarentena
Descansar, renovar, reciclar, reavaliar
Evitar curtos-circuitos cerebrais
E voltar reenergizada, querendo mais

Vou colocar uma alma em quarentena
Apenas para ela acompanhar nessa missão
Um todo de corpo, mente, coração
E não deixá -los separados, sempre aliados

Vou colocar-me em quarentena
Para uma vida mais doce e plena…

Alda M S Santos

Em prece

EM PRECE

Que meu sorriso seja como o sol

Capaz de atravessar as densas nuvens emocionais do outro

Que minhas palavras, como preces

Possam atingir corações cansados ou machucados pela vida

Que meus abraços, como cobertores

Possam aquecer aqueles que padecem do frio da indiferença

Que toda eu, corpo, mente e alma, seja
apenas um ser

Colocado aqui para ser luz na vida de alguém

E que todos possam ser luz para mim também

Que possamos estar em comunhão, em oração

Que haja paz,  prece, compaixão e gratidão

Amém!

De que adianta?

DE QUE ADIANTA?

De que adianta uma linda voz

Se quando é preciso, ela se cala?

De que adianta um belo sorriso, se apenas se abre para alguns,

E tantos necessitados são excluídos?

De que adianta tamanha inteligência,

Se não sabe agir ao sabor da emoção?

De que adianta tanta beleza, se não é possível mergulhar mais fundo,

Sob pena de “bater a cabeça” em rasa profundidade?

De que adianta tanta “cultura”,

Se as palavras mais doces não fazem parte de seu vocabulário?

De que adianta braços fortes e ombros largos,

Se não servem de abrigo ou de colo a quem precisa?

De que adianta o amor preso dentro de si,

Se ele é uma flor que precisa do sol

Que existe no outro,

Para crescer, se abrir e encantar?

De que adianta?

Alda M S Santos

Novo olhar

NOVO OLHAR

Precisamos todos de um novo olhar
Aquele que chega e fica a acariciar
Traz paz, ternura, um leve arrepiar
Acorda a alma da letargia, faz despertar

Precisamos de um olhar que demora
Que acalenta, acolhe, nada deixe de fora
Sabe ouvir os silêncios, os gritos
São quentes, ternos, pidões, nossos favoritos

Precisamos de um olhar de compaixão
De amor, luz, paixão e gratidão
Precisamos de quem se importe, lute pela união

Precisamos ter mais tempo para amar
Para sonhar, à vida se entregar, realizar
Fazendo valer por aqui esse breve ou longo caminhar

Alda M S Santos




Ah, se eu pudesse…

AH, SE EU PUDESSE…

Ah, se eu pudesse…
Daria a cada momento da vida
O verdadeiro valor que ela merece
Não lamentaria tanto pelo que nos faz fenecer
Sendo tristes, incrédulos, num eterno padecer

Ah, se eu pudesse…
Potencializaria o efeito revigorante de um sonho bom
Eternizaria a satisfação e paz do amor que se faz
Guardaria num potinho um sorriso especial
E aqueles versos sensíveis na memória emocional

Ah, se eu pudesse…
Levaria apenas o amor e a esperança
Basta de tanta frustração e lambança
Quero abraços, beijos, eterna aliança
Num mundo sem tanta desconfiança

Ah, se eu pudesse…
Fecharia meus olhos para o negativo
Abriria o coração para tudo que fosse positivo
Buscaria no outro que me fosse afim, um lenitivo
Jogaria fora o que faz mal, sem atrativo

Ah, se eu pudesse…ah, se eu pudesse…
Mas posso ir tentando, caminhando
E em cada passo que dou, me apetece
Deixo a alma livre, e o coração amolece

Alda M S Santos

Da minha varanda

DA MINHA VARANDA
A vista da minha varanda
Sou eu quem faço
Dizem que são sempre as mesmas árvores
As mesmas casas inacabadas, as mesmas aves
O mesmo vento, o mesmo sol, a mesma chuva
O mesmo céu…
Mas sou eu quem pinto esse quadro
Sou eu quem dou o tom, a intensidade
Sou eu quem estilizo, dou o brilho a cada cor
Personalizo meu quadro diário
Sou eu quem “fotografo” com e para a alma
Tudo que há de belo ali
Posso tornar tudo fosco, cinza, preto e branco
Ou posso pintar tudo multicolorido
Tudo dependerá das cores que houver em mim
Naquele momento que minha “objetiva” captar a imagem
Não há monotonia, não há rotina
Cada dia nova imagem que me absorve
Com encanto e magia…
Alda M S Santos

Conexão

CONEXÃO

Era noite, total silêncio e escuridão
Saía devagarinho, passos de algodão, quase flutuação
Lá fora grilos, corujas, um céu de estrelas e Lua cheia
Encontro de almas afins em outra dimensão

Seguia um caminho que parecia ter na mente guardado
Um rio caudaloso, paz, amor, lugar abençoado
Sentava-se na raiz de uma árvore centenária
E esperava o momento certo, emoção primária

Não tinha necessidade de palavras, mas havia comunicação
Uma interação boa, total entrega e conexão
Uma dança bela, comunicação de corpos, mentes, almas, coração
Aquela que proporciona doçura, encanto, evolução

Nossa mente viaja, passeia, vai e volta
Travessia pacífica, mesmo na reviravolta
Abastecendo de luz e boas energias
Gerando tranquilidade, satisfação e magia

Alda M S Santos

Um teatro

UM TEATRO

A vida é muitas vezes um grande teatro
Ora estamos no iluminado palco atuando
Fazendo nosso papel, representando
Ora estamos na plateia aplaudindo, ou vaiando

Importante lembrar que essa peça está valendo
O tempo está passando, as cenas acontecendo
Drama, comédia, suspense, romance, não importa
Vale mesmo é como agimos, o que dela estamos fazendo

No palco ou na plateia, fazemos parte
Essa é nossa história, nossa obra de arte
Precisamos nos unir, não fazer apartes

O espetáculo só termina quando as cortinas se fecham
E cada um retorna para o camarim, dentro de si
E é aí que os aplausos mais interessam

Alda M S Santos

Amor dominante?

AMOR DOMINANTE?

Quero bem conseguir definir, poder escolher
Quem sabe possa vir a entender
O que pode ser recessivo no ser
O que certamente é dominante
Na louca e intrigante genética
Além de olhos, cabelos, altura ou cor
Saber se é recessiva ou dominante a ética
Se o amor é AA, aa, Aa quero desvendar
Para avaliar, analisar, optar
Aí poderia escolher na hora H
Mas como seria isso?
Amor dominante seria o amar incondicional
Ou o amor recessivo é que seria o ideal?
Genótipo não posso ver tão facilmente
Mas queria pelo fenótipo identificar
Será que esse vale a pena amar?
Quero nessa encantadora genética
Poder fazer os devidos cruzamentos
De modo a deixar dominar
Em genotipia ou fenotipia
O que nos fizer mais humanos, mais fortes
Sabedores que temos por aqui um norte
Gerador de paz, alegria, sintonia
AA, Aa, aa?
Quero entender bem essa Biologia!

Alda M S Santos

Amor é fé

AMOR E FÉ

Amor é coisa bela, corriqueira
Mas cada um o faz a sua maneira
O essencial, porém, é não dar bobeira
Cuidar do outro, exige ir além da fronteira

Amor é dádiva, é luz, proteção
Não dá pra viver sem ele não
Se você é amado, é abençoado
Se ama, tem seu paraíso legalízado

Amor é mente, é corpo, é coração
É desejo, é cuidado, é emoção
Amor gostoso se equilibra nesse tripé
E segue a vida na doçura da fé

O amor é a salvação do mundo
Atinge a alma ao fundo
Contagie e deixe-se contagiar
Nada há melhor e mais belo que amar.

Alda M S Santos

Falar de Páscoa

FALAR DE PÁSCOA

Falar de Páscoa é falar de vida, de renovação
Daquilo que faz bem, é amor pelo irmão
Vai além do visível, acalenta o coração
E nos torna mais alegres, gera união

Falar de Páscoa é espalhar alegria
Em ovos, em chocolate, doce sintonia
É lembrar que o amor a tudo venceu
Nos perdoou, ensinou, vida que ofereceu

Falar de Páscoa é saber que tudo podemos
Nele somos fortes, não enfraquecemos
Somos filhos do Pai, vida nova merecemos

Quero espalhar por aí muitas doçuras
Em chocolate, em afeto, afastar amarguras
Crendo que o amor só gera mais ternuras

Alda M S Santos

Não foi

NÃO FOI
Não pode dizer que foi barco
Aquele que só ficou atracado no porto
Não pode dizer que foi pássaro
Aquele que viu a vida por trás das grades da gaiola
Não pode dizer que foi borboleta
Aquela que não saiu do casulo
Não pode dizer que foi gente
Aquele que ficou no porto, não voou, não saiu do casulo…
Não foi humano aquele que não soube ser terno
Aquele que mais destruiu que construiu
Que mais invejou que conquistou
Que não soube ser fraterno
Não soube ser amor…
Mas se foi amor… foi especial…
Alda M S Santos

Seja sorriso

SEJA SORRISO
Tímido, contido, amarelado ou disfarçado
Aberto, rasgado, gargalhado ou meio acabrunhado
Sempre iluminado!
Dê à vida seu melhor sorriso
É mais difícil magoar quem sorri
É mais difícil desnudar quem se veste de sorriso
É mais difícil derrubar quem carrega a leveza de um sorriso
É mais difícil humilhar quem traz a força de saber sorrir
É mais difícil enganar quem faz do sorriso sua verdade
É mais difícil apagar o brilho de quem traz um sorriso nos olhos
É mais fácil confiar em quem traz a alma expressa no sorrir
Até as lágrimas cessam nos olhos de quem sorri
É impossível não sorrir
Para aquele que nos presenteia com um lindo sorriso
Seja vida, seja um vencedor, seja amor
Seja verdade, seja sorriso!
Alda M S Santos

Um mundo novo

UM MUNDO NOVO
Tudo aponta para um mundo novo
Há medos, dúvidas, ansiedade
Inseguranças de toda a humanidade
O mundo como conhecemos está sendo testado, remexido
Mas há que se preservar a vida
Não é só aqui ou ali
O planeta todo está sendo ameaçado, sacudido
Precisamos mesmo de mudanças
Para garantir a vida, nossas andanças
Não é só um vírus que mata
Tudo o que ele traz consigo exige reflexões
Nesse momento de escolhas difíceis
Percebemos quais são nossas prioridades
De um, de outro, de toda uma comunidade
Que sobrará disso tudo?
Estamos prontos para lidar com isso?
Para recomeçar do zero se preciso for?
Há em nós suficiente coragem e amor?
Alda M S Santos

Testemunha

TESTEMUNHA

Caminhavam à beira-mar, lado a lado
Numa conversa longa, interminável
Doçura, magia, parecia tudo encantado
Acalentava, mesmo sendo, às vezes, indecifrável

Os pássaros, à frente, pousavam
Cantavam, pulavam, namoravam
Com eles não se importavam
Da festa eram parte, imaginavam

Uma parada, sentados na areia
Ombro com ombro, olhos no horizonte
Um silêncio que acalma e incendeia
Um toque, um gesto, carícias aos montes

Diante do oceano o amor se faz, linda natureza
Testemunha da conexão de corpos e almas- que riqueza!
Não há o que fazer diante dessa beleza
Além de aceitar o destino e suas delicadezas

Alda M S Santos

Salve-se quem puder

SALVE-SE QUEM PUDER
Tempos difíceis vivemos
A vida como a conhecemos pede socorro
Preta, branca, amarela ou vermelha
Salve-se quem puder
Somos capazes de ouvir?
A humanidade corre risco
Nem isso é capaz de nos unir?
Salve-se quem puder
Não há como se esconder ou fugir
Dinheiro, bens, títulos, posses diversas nada valem
O único modo de nos salvarmos
O único transporte possível para nos tirar daqui
É o que carregamos dentro de nós
A medida exata entre razão, amor, compaixão
A capacidade de nos vermos como espécie
Como um todo que faz parte de algo maior
Salve-se quem puder não é lema individual
Só nos salvaremos se agirmos coletivamente
Não há como se salvar deixando o outro para trás
Na perspectiva da continuidade da vida
Ou nos salvamos todos, ou nos perdemos como raça, como espécie…
Salvemo-nos todos se pudermos!
Alda M S Santos

Desertificando

DESERTIFICANDO
Um planeta desértico estamos nos tornando
Picos de temperatura, amplitude racional, aridez emocional
Deserto de compaixão, de doação, sensação de solidão, abandono
Desconhecimento do outro, que parece tão longe ou inexistente
Perdidos e sem rumo, a esmo, presos à ingratidão
Grudados a “valores” questionáveis, a egos indomáveis
Mas como em todo deserto
Enquanto houver lembrança da umidade e frescor
Enquanto brilhar a esperança de um oásis
Enquanto estiver firme o desejo de mudança
Ainda será possível abrir os olhos e o coração
A despeito da ventania, da areia, do calor intenso
E, em marcha, seguir toda a humanidade
Um passo de cada vez
Um ser humano após o outro
Em busca de nova vida…
Alda M S Santos

Teimosia

TEIMOSIA
Uma vida de teimosias, de bater de pé, de insistências
Um joelho esfolado que cicatriza
Um braço fraturado que se cola
Um coração partido que não se emenda
Teimosias…
Uma lágrima que escorre junto a um sorriso que ilumina
Tal qual arco-íris pós tempestade
Um corpo alquebrado que se refresca num rio caudaloso
Que se renova num abraço carinhoso
Teimosias…
Uma mente conturbada em curto-circuito
Uma alma repleta e, paradoxalmente, ainda cheia de espaço
Um ser humano pensado e criado para não desistir
Quando tudo parecer ruir
Teimosias…
Amor: a maior teimosia do mundo
Mas a única capaz de ainda garantir o viver…
Alda M S Santos

Muitas moradas

MUITAS MORADAS
“Há muitas moradas na casa de Meu Pai”
Nossos corações são uma casa de muitas moradas
Neles cabem os mais diversos moradores
Em diferentes graus de necessidade e profundidade
Em diversos níveis e capacidade de ensinamento e aprendizado
Nem sempre sabemos ou conseguimos controlar quem chega e quem se vai
Apenas tentamos organizá-los melhor, mais confortavelmente
Distribuindo melhor cada espaço
Evitando que alguns tomem posse de tudo
Estamos aprendendo a lidar com nossos inquilinos e proprietários
Aceitando tranquilamente os donos cativos por usucapião
E enfrentando as dores do eterno entra e sai
Apenas Ele sabe lidar bem com Seus moradores
Há perfeição, sabedoria e amor bastantes
Talvez um dia a gente aprenda melhor a morar e ser boa morada…
Alda M S Santos

No ninho

NO NINHO

O ninho representa um lugar de aconchego e proteção
É carinho, cuidado, aprendizado e lição
Até o momento de alçar voos noutra dimensão
Fortalecidos e de bases sólidas, buscando evolução

Na vida vamos construindo novos ninhos
De alguns voamos livres, somos passarinhos
De outros mantemos reservado o cantinho
Para sempre voltar quando a asa avariar um pouquinho

Um ninho não rejeita nunca seu passarinho
Ele é abrigo maior, asas abertas, acolhimento
Salva da dor, da tristeza e de todo sofrimento

Voar é bom, para o ninho voltar, também
Não se pode desprezar ou abandonar ninguém
Por aqui, ora somos terra, ora céu, somos além

Alda M S Santos

Um jardim especial

UM JARDIM ESPECIAL

Uma noite, um desejo, uma oração, um pedido
Que tudo se tranquilize, fique bem entendido
Nada há que não possa ser resolvido
Aqui somos alunos, temos sempre aprendido

Um jardim, lindas rosas, borboletas e beija-flor
Cores, texturas, beleza, perfume de flor
Jardineiros cuidadosos, uma lição de amor
Ervas fora, delicadeza, persistência e calor

O belo e o bem têm sempre a preferência
Mas precisam de atenção, de paciência
Entregar os pontos não é opção, é má influência

Para manter belo e encantador o jardim
É preciso sabedoria, trabalho e dedicação
Manter acesa a luz, o amor, vencer a provação

Alda M S Santos

Uma prece

UMA PRECE

Quando em cada olhar perceber o medo
E em cada situação houver segredo
Angústia, mágoa, decepção ou insatisfação
Uma prece é a melhor solução

Quando nada parecer surtir efeito
Tudo estiver fora de lugar, imperfeito
A fé é o caminho que nos leva até nós
Onde está Deus, pronto a desfazer os nós

O canal mais rápido com o alto
É uma prece, uma conversa, uma oração
Faz bem à alma, gera purificação

Mas bom mesmo é a prece constante
No bem ou no mal manter-nos perseverantes
Em Deus está a renovação, basta ser confiante

Alda M S Santos

Louvando

LOUVANDO

Louvo a vida, louvo o amanhecer, louvo a fé
Louvo o amor que se mantém de pé
Louvo a amizade, louvo a verdade
Louvo a liberdade de ser o que se é

Louvo a beleza, a que se encontra na natureza
Louvo a simplicidade da alma, a bondade
Louvo quem luta por um mundo mais irmão
E não desiste de espalhar a compaixão

Louvo a Deus, a união, louvo a esperança
Louvo quem a semeia em suas andanças
Louvo o amor, seja de que tipo for
Purificando e renovando em Nosso Senhor!

Alda M S Santos

O que é importante

O QUE É IMPORTANTE

Ela disse que tudo vai passar
Não sem antes muito nos ensinar
Que há um propósito em tudo
Ainda que o mundo pareça mais carrancudo

A fadinha com sua capacidade de voar
Com o corações das pessoas conversar
Ir a todos os cantos com seu encanto
Aos pouquinhos acalmando a dor e o pranto

Há um grande propósito de reaproximação
Mesmo que pareça afastar e desunir
O que se objetiva é perdão e união

A fadinha quer mostrar o valor da simplicidade
Da atenção, do carinho, dos abraços
Volte-se para o que é importante, aperte os laços

Alda M S Santos

Nada está sob controle

NADA ESTÁ SOB CONTROLE
Relaxe, se fie, confie
Nada está sob controle
Siga o curso, se não há outro recurso
Nada é tão certo, tão previsível
Desça com a correnteza, deixe-se levar
Contorne, retorne, descanse, desvie
Passe por cima se não for machucar
Abrace-se à natureza, faça qualquer proeza
Relaxe: nada está sob controle
Liberte-se de toda tensão
Passe por caminhos obscuros
Enfrente a luz, o brilho
As companhias e a solidão
A única certeza que temos
É que esse rio segue seu curso
Mesmo à nossa revelia
E nos leva, querendo ou não
Portanto, relaxe, siga em paz
Confie! Nada está sob controle…
E que isso seja bom!
Alda M S Santos

Quando mais preciso

QUANDO MAIS PRECISO
Não se afaste quando eu chorar
Tampouco quando eu só lamentar
Tenha paciência se eu for cansativa
Quando discordar de você
Ou provocar uma briga
Não se afaste se eu errar
Se ao consertar me atrapalhar
Compreenda se eu quiser me afastar,
Mas ainda assim, não se afaste de mim
Quando eu menos merecer
Quiser de tudo me desfazer
Sumir, fugir, desaparecer
É quando mais preciso de você,
Amor…
Alda M S Santos

Gosto assim

GOSTO ASSIM

Gosto de quem transmite no olhar a esperança
Espalha bons sentimentos, mostra confiança
Sabe brilhar, ser luz, paz, união, gratidão
E apaziguar o que faz sofrer o coração

Gosto de quem me acredita, não grita
Não acusa, não maltrata, acolhe, facilita
Gosto de quem sabe ser prosa, verso, emoção
No balanço da vida aceitar meu sim, meu não

Gosto de quem me gosta, mesmo quando não me entende
Que aceita meu afeto, meu sorriso, meu carinho
Chega junto, me acalma, pareia comigo meu caminho

Gosto de quem sabe que não existe perfeição
Que ama acima de qualquer imperfeição
Segue sempre em frente, a melhor direção

Alda M S Santos

Amor/amigo

AMOR/AMIGO
O que se espera de um amigo/a?
Mais ainda do que se espera de um amor.
Pois a amizade é um amor especial, diferente, mais leve,
Sem tantas cobranças, ciúmes ou desatinos.
Amizade tem confiança, confidências, lamentos, congratulações.
Não há necessidade de impressionar, há naturalidade, transparência.
Há ouvidos atentos, braços abertos, ombros largos, expressão calorosa.
A alegria na companhia do outro salta aos olhos de qualquer um, por mais diferentes que sejam entre si.
Onde há ao menos dois amigos/as juntos há risadas, gargalhadas, zombarias.
Também há papos sérios, conselhos, puxões de orelhas, lágrimas, logo enxugadas pelo outro.
Há carinhos, abraços, toques, sorrisos…
Acima de tudo, os amigos acreditam uns nos outros.
Defendem-se perante tudo e contra todos.
Conhecem todos os seus defeitos e qualidades.
E tudo faz parte do mesmo pacote de amor.
Qualquer coisa boa ou ruim que lhes aconteça pensam logo nos amigos/as.
Sabem que nunca os decepcionarão.
Torcem pelo sucesso um do outro e as competições, se houver, são saudáveis!
Um amor para ser completo precisa ser um amor/amigo.
Já a amizade basta por si só, pois o amor incondicional é sua essência.
Amizade verdadeira assim é coisa de alma!
Muito raro de encontrar!
Alda M S Santos

Pandemia de amor

PANDEMIA DE AMOR

Precisamos de uma pandemia de amor
Com vários epicentros no mundo
Que atinja a todos rapidamente
Onde raça, idade ou sexo seja indiferente

Precisamos de uma pandemia de amor
Cujo contágio se dê em várias vias
Neutralizando qualquer cuidado ou proteção
Sintomas atraentes, afastando a solidão

Precisamos de um vírus mutante
Que não se intimide perante covardia
E que enfrente resistência constante

Precisamos do virus pandêmico do amor
Que não seja abatido por corações vacinados
E que, forte, seja em altos brados proclamado

Alda M S Santos

Queremos ser especiais

QUEREMOS SER ESPECIAIS

Tantos iguais, tantos diferentes
Tanta gente que se afina
Que pareia com a vida da gente
E ajuda a aceitar melhor nossa sina

Mas bom mesmo é ser especial
Ser importante para um alguém
Sentir-se querida, valorizada, essencial
Sem cobrança, sem detrimento de ninguém

Seja onde for desejamos reconhecimento
Do que somos, fazemos, temos discernimento
Mas bom mesmo é ser especial num coração
Onde queremos morar para sempre, por opção

Não é egoísmo, tampouco excesso de vaidade
Querer amor, carinho, admiração é necessidade
Isso faz parte de nós, de nossa humanidade
Se especiais, ficamos, entregues de alma de verdade

Alda M S Santos

Borboletas…

BORBOLETAS…
Quisera essa leveza, essa cor, essa liberdade de ser
De flor em flor, jardim em jardim, puro prazer
Quisera encantar, polinizar, a vida levar nas asas
De metamorfose em metamorfose, voar, renascer
Quisera nunca perder a fé, acreditar num propósito maior
Saber onde pousar, em quem poder confiar
Ainda que seja curta e fugaz
Levar uma vida intensa de amor e paz
Quisera jamais perder a calma e trazer na alma a certeza
De que tudo está em seu devido lugar
Quisera sua marca aqui poder imprimir e deixar
Tal qual bela, leve e encantadora borboleta…
Alda M S Santos

Relaxe: nada está sob controle

RELAXE: NADA ESTÁ SOB CONTROLE

Relaxe! Seja leve, deixe a vida no seu curso, deixe-se flutuar
Tentar manter o controle de tudo é desgastante
Muitas e muitas coisas se interdependem, não nos cabe mudar, mas nos ajeitar
E manter a ilusão de que tudo controlamos é pesado, frustrante

Relaxe! O melhor da vida está nas surpresas, na esperança
Segurar firmemente algo pode impedir de circular o sangue da renovação
Cercear o crescimento que vem com a liberdade contida na confiança
E, por mais que a gente faça, a vida tem seus próprios caminhos, dias melhores virão

Relaxe! Nada está sob nosso controle!
Confie no controle Superior! Sorria!
E faça disso sua alegria…

Alda M S Santos

Seja como for

SEJA COMO FOR
Amor é cheiro, é tato, é contato
É pele, é desejo, é atração
Amor é ouvido, audição, atenção
É palavra doce que acalenta o coração
Amor é olhar profundo, admiração
É olhar que desvenda, é paixão
Amor é gosto, é sabor, é fervor
É adocicado, agridoce, apimentado
Amor é pidão, imaginação
Realidade ou sonho que alimenta o coração
Seja como for, é amor
E aguarda o momento certo
De fazer da vida de alguém a razão…
Alda M S Santos

Ver a vida acontecer

VER A VIDA ACONTECER

Tantas vezes parece que não dá para agir
Tudo que se faz não causa qualquer efeito
A vida vai acontecendo de qualquer jeito
E a gente só olhando, desistindo de ser perfeito

Ora se fala, ora se cala
Muita bagagem, pesada mala
Alguns momentos quer sumir, quer gritar
Mas de nada isso irá adiantar

Bom é parar num canto, avaliar
Que há mesmo de bom nesse lugar?
Quero mesmo é paz, não desanimar
Ativar em mim mesma o desejo de continuar

Aproveitar cada acontecimento, fazer a lição
Levar guardado na alma, no coração
Tudo por aqui tem propósito, uma razão
Logo tudo se encaixa, vira recordação

Alda M S Santos

Brincar para ser feliz

BRINCAR PARA SER FELIZ
Uma menina corre descalça, sapeca
Um rabo de cavalo, um sorriso no rosto
Um balanço, um quintal e um amiguinho
Igualmente descalço, levado a lhe puxar o rabo de cavalo…
Não é preciso muito para ser feliz
Criança brinca e, brincando,
Resolve seus pequenos conflitos
Torna a vida leve, a brisa suave
E se a corda arrebentar, esparrama no chão, machuca
Chora, limpa as lágrimas, ganha um beijinho na ferida
E volta a balançar, a vida segue…
Constrói e desconstrói o que é necessário para continuar brincando
Quando foi que complicamos tanto?
Os problemas mudam, é verdade, aumentam
Mas nós mudamos primeiro, “crescemos”…
Passamos a engolir lágrimas e sapos
Desaprendemos o poder de saber brincar?
Urge reaprender a brincar para ser feliz
Para não enlouquecer
E não brincar de que se é feliz…
Alda M S Santos

Pôr do Sol

PÔR DO SOL

Os olhos dela repousam no horizonte
Maravilhoso espetáculo atrás dos montes
Do mar, da floresta, no horizonte
Luz que vai, que se esconde, rica fonte

Energia, magia, vida que se inicia
Todo o tempo, não desiste, a cada dia
Ensinando a circularidade, o encanto, a poesia
O amor que se aquece, se abastece, sintonia

Um delicioso mistério, uma promessa
Voltará amanhã, sem pressa
Deixa a Lua a aquecer os amantes
O Sol é para nós um eterno viajante

Alda M S Santos
Mais no meu blog vidaintensavida.com

Somos água, somos ilha

SOMOS ÁGUA, SOMOS ILHA
Água, sempre água, por todos os lados
Corrente, fluida, represada,
Doce, sobre pedras, oceânicas, salgadas
Na garganta, escorrendo dos olhos
Em nosso entorno, sobre ou sob nós
Não importa, todas têm seu ciclo
Sobe e desce, evapora, “some”, condensa
Mas sempre volta, ora calma, ora bravia
Ensinando a viver essa magia
A superarmos os momentos letargia
Com calma, alegria, sem muito nos preocupar
A circularidade da água é prova dos ciclos vitais
Somos água, somos ilha, somos ciclo
Somos poesia…
Alda M S Santos

Obra aberta

OBRA ABERTA

Somos uma obra aberta da Criação
Aquela que pressupõe que haverá intervenção
Para o bem ou para o mal há participação
Em busca dos caminhos da evolução

Sentimentos dúbios podem interferir
Amor, ódio, indiferença a interagir
Vale sempre nossa escolha, nosso agir
Nessa obra aberta recheada de porvir

Se o amor e a doação fazem crescer
A aceitação e compreensão fazem valer
Tudo que por aqui vier a acontecer

Somos assim, páginas a preencher
Início, meio e fim, poesias a escrever
Quem afinal é bom entendedor gostará de ler

Alda M S Santos

Tire as sandálias

TIRE AS SANDÁLIAS
Abra a porteira, respire o ar puro
Tire as sandálias, pise devagar
Seja bem-vindo
Deixe lá fora qualquer peso
Sinta a leveza desse lugar, inspire
Tire as sandálias, as pedras que nela houver
Que possam cortar, ferir, atrapalhar
Refestele-se…
A maciez fria da grama refresca
Percorre a corrente sanguínea, acalma
Leva um sinal de paz a cada cantinho de nós
Tire as sandálias, entre, sorria com e por prazer
Levante os braços, agradeça
Inspire, expire, faça saudações à vida
Não há caminho mais longo e desejado
Que o que nos leva até nossa alma
Tire as sandálias, continue
Você está quase lá, mais um pouquinho só
E logo se encontrará com quem mais importa
O divino que habita em você!
Alda M S Santos

Sem borracha

SEM BORRACHA

Viver é escrever à caneta, desenhar sem borracha
É precisar aproveitar cada linha escrita, cada traço feito
E nessa louca procura, em que o que se quer nem sempre se acha
Precisamos transformar dor em versos, disfarçar o que é tido como defeito

Para cada flor desenha-se um beija-flor
Para cada lágrima que cai uma rosa a sugar e reaproveitar sua dor
Para cada risco incerto desse desenho, às vezes sem cor
Tentamos fazer um grande e colorido mosaico furta-cor

Viver é pintar com verde-mata, vermelho-sangue ou branco- neve
Mas não dispensar o preto retinto ou o amarelo-girassol
É entender que nessa mistura é que se faz o que é eterno ou o que é breve
É saber dia ou noite, ser lua, céu, mar, estrela ou sol

Viver é desenhar sem borracha, é não descartar o borrão
É fazer uma obra-prima digna do Mestre, original
Ter sempre o olhar do artista, valorizar toda a emoção
É acreditar que a arte da vida sempre tem um tom divinal…

Alda M S Santos

Ser coração

SER CORAÇÃO

Ser colo, acolhimento, empatia, sentimento
Exige uma alma sensível, receptiva
Domínio da própria emoção, com respeito
Que saiba ser amiga, compreensiva

Esse mundo onde tem imperado a dor, a solidão
Pessoas sentindo descaso e abandono
Rodeadas de gente, não há compreensão
Terreno fértil para aparecimento da depressão

Urge ser alguém que ouve e acolhe nesse mundão
Que estende a mão, sabe ser coração
Para aquele que se sente sem chão

O tempo corre , voa, não perdoa
Mas dá para ser ainda aquela alma boa
Que não quer passar por essa vida à toa

Alda M S Santos

Ele vai…

ELE VAI…

Uma vida construída no amor, por amor
Sem receitas ou tutoriais, um simples sensor
Ativando sorrisos ou lágrimas, curador
Ora na vida ator, autor, espectador

Fortalecendo raízes, criando asas
Despertando vontades, acendendo brasas
Permitindo aos poucos o voo alto
É a vida nos tomando de assalto

Segue o curso, a roda da vida gira
Causa alegria, expectativa, nostalgia
Controversas emoções buscam harmonia

O amor que recebeu certamente levará
Amor cresce e multiplica quanto mais se dá
Ele vai, ele volta, tem aqui seu lugar…

Alda M S Santos

Medida exata

MEDIDA EXATA
 
Será que existe a exata medida
Numa estrada tantas vezes comprida
O ponto certo de nossa felicidade
Sem tanta luta, com liberdade?
 
Qual será a exata medida
Do amor, carinho, da alegria perdida
Será aquele em que há acolhida
Num coração encontrar guarida?
 
Será que a exata medida
É aquela das promessas cumpridas
Sem tanta energia dispendida?
 
Sei que para o amor não há medida
Que seja o bastante, vida destemida
E libere toda a paz na alma contida

Alda M S Santos

Tempero

TEMPERO

Uns dizem que é prova de amor
Para outros é possessividade
Certamente é desconfiança
No outro, em si mesmo, em sua capacidade

Ciúme pode até ser doce, bonitinho
Prova de cuidado e carinho
Mas quando há invasão, perde-se a razão
Passa a machucar, a ferir o coração

Dizem que ciúme é do amor um tempero
Para aqueles que não sabem dosar
O sal que dá sabor, também pode amargar

Bom mesmo é temperar o amor com outras iguarias
Agridoces, adocicadas, apimentadas
Que agradem às almas apaixonadas, enamoradas

Alda M S Santos

Girassol

GIRASSOL
Quando amanheci procurei pelo meu sol
Aquele capaz de me aquecer, fortalecer
Com esforço eu me virava em busca dele
Como girassol…
Quando amanheci busquei meu sol
Aquele que me revigora, me energiza
Desperta-me para a vida, para o bem…
Quando amanheci, afastei os medos, enxuguei as lágrimas
Sorri, espreguicei e me abri para ele
Gira, gira, girassol, assim fiquei
E o encontrei a brilhar naqueles que me aquecem
Me amam, me acolhem, me fazem bem
Quando amanheci me abracei bem apertado ao meu sol
E o segui todo o tempo nesse encanto diário
Tal qual belo e sábio girassol
Busquei meu alimento, minha luz
Aquela que quase sempre vem do alto
E responde pelo nome de Jesus
Amanhecer assim é despertar para a vida…
Alda M S Santos

Que sou pra você?

QUE SOU PRA VOCÊ?
A brisa suave que refresca e acalma, a água que gela
Ou o fogo que aquece, mas a tudo consome
Que sou pra você?
O colo que acolhe, o abraço que acalenta e apascenta
Ou a presença que agita, movimenta, preocupa, enerva
Que sou pra você?
A companhia, a amizade, o amor, a confiança, o cuidado
Ou a ausência dolorosa e saudosa, porém, necessária
Que sou pra você?
Um presente desejado, querido e amado
Ou aquele “objeto” a mais que tens a entulhar seus móveis
Que sou pra você?
A fraqueza, o calcanhar de Aquiles, o ponto nevrálgico
Ou a rocha firme, a raiz, a força onde se apoias nas crises
Que sou pra você?
Um passado saudoso, um presente tolerável e um futuro incerto
Ou apenas aquilo sem o qual você não se   imagina viver
Que sou pra você?
Posso ser um pouco de tudo isso
Em momentos diferentes…
Assim como você pode ser tudo isso para mim também
Como somos quase todos uns para os outros
Somos humanos, falhos,  aprendizes,
E co-dependentes do amor, da doação, dos erros para crescer…
Alda M S Santos

Faça

FAÇA

Faça aquilo que te dá vontade
Faça aquilo que tem que ser feito
Faça com fé e coragem
Mas nunca faça de qualquer jeito

Faça com amor, com carinho
Faça acompanhado, faça sozinho
Com cuidado para não bagunçar
E não conseguir mais endireitar

Faça com pressa, faça devagarinho
Faça como beija- flor, com jeitinho
Faça sempre, nada deixe pelo caminho

Haja luz ou escuridão, indiferença ou emoção
Faça sol ou faça chuva, frio ou calor
Faça da vida um lugar de mais amor

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: