Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Tag

poesia

Ela tem poder

ELA TEM PODER

Ela tem poder de ser uma leve brisa
De trazer a beleza que a gente precisa
Tocar o coração, arrepiar a pele
Ela pode ser a força que nos impele

Ela pode ser o amor que a gente faz
O desejo de sonhar, lutar, ser capaz
Tem poder de mover as montanhas
E os sentimentos em nossas entranhas

Ela pode ser a assustadora tempestade
A fantasia, o sonho ou a mais dura realidade
Tem capacidade de ser uma boa terapia
Também nos reabastecer de energia

Ela promove constante reflexão
Tenta equilibrar mente e coração
É desenho da alma, concreto ou abstrato
Ela é a poesia, o melhor caminho, de fato

Alda M S Santos

Nasceu!

NASCEU!

Já deixei brotar, já deixei nascer
Já cultivei para crescer, já vi morrer
Mas também já nasceu sem meu querer
Já foi embora, triste, vi desaparecer

Ora é saudade, ora é vontade
Ora é desejo de trazer de volta, sem piedade
Cultivo as lembranças com simplicidade
Para ver se renascem para nossa felicidade

Aparece como nuvens brancas no céu
Ou bem pesadas, verdadeiro véu
Ora são brisa leve, chuvinha fina
Tempestades seguidas de arco-íris, brilhante purpurina
Que aquecem de amor o coração da menina

Assim é a poesia em mim
Rústica, delicada, sofisticada,
Ou firme como marfim
Assim são os poemas, enfim…

Alda MPOR QUE ROSA?
Ele é rosa, o outubro é rosa
Todos os meses deveriam ser rosa
Rosa é coisa de mulherzinha, também de mulherão
Rosa é coisa de mulher, associado ao feminino, é força e fragilidade
Rosa cor, rosa flor, rosa amor, rosa de superação da dor
Somos rosa não apenas pela delicadeza
Somos rosa pela força que se agiganta quando preciso
Que brota do fundo, cresce e se alastra como roseiral
Somos jardim de rosas em luta pela saúde feminina
Rosa que conscientiza a fazer o autoexame dos seios
Rosa que nos leva a lutar pelo direito à saúde pública, a exames de imagem
Rosa que nos lembra da prevenção do câncer de mama
Rosa que nos faz guerreiras ao extirpar um tumor
Rosa que nos fortalece a encarar de peito aberto essa batalha pela vida
Rosa que nos leva a sensibilizar companheiros da importância do apoio familiar
Rosa que nos faz sentir sempre belas, queridas e desejadas
Rosas amadas, ainda que nos falte temporariamente uma parte bem feminina
Que tem o poder de alimentar outras pequenas vidas
Mas que nos lembra que somos femininas por muitas outras razões
Principalmente o amor, a bondade e a coragem
Nada chega ou se vai sem deixar algo importante
E o câncer de mama tem esse poder
Despertar a força adormecida em cada rosa desse lindo roseiral
O outubro é rosa, somos todas rosa
Somos rosas pela vida!
Cuidar desse jardim é responsabilidade de todos!
Alda M S Santos

Flor é poesia

FLOR É POESIA

Se é cor, é pura intensidade
Se é delicadeza é suavidade
Se é perfume, é atração, magia
É flor, é beleza, é poesia

Nada há nela de falso ou artificial
Num belo jardim ou no quintal
Flor é poesia, na calmaria ou vendaval
Pura doçura, acalma qualquer mal

Em broto, botão, belo desabrochar
Como o poeta aos poucos a versar
Abertos para o mundo encantar

Flor é na natureza a melhor poesia 
Enfeita a vida, sinal de paixão, amor
Vale como abraço, é calor, tem valor 

Alda M S Santos

No colo da lua

NO COLO DA LUA

Poderosa no espaço, em rotação ou translação
A Lua é do poeta uma grande inspiração
Dos amantes é colo e aconchego
Dos que sofrem é acolhimento, fuga, arrego

A imaginação por ali corre solta
A alma em paz ou caos vive à solta
Tantas perguntas e inquietações
Somos apenas humanos-problemas em busca de soluções

Na noite escura ela ilumina o céu
Cá na terra sacode corações, rasga o véu
Une quem se afina, o resto deixa ao léu

Bom quando podemos captar essa magia
Trazer para dentro de nós essa filosofia
Saber que há fases de tristeza e alegria

Alda M S Santos
Domingão Poético: Poetizando no colo da lua

É real?

É REAL?

Posso falar de doença ou cura, fome ou nutrição
Posso versar sobre dor, alegria ou ilusão
Posso poetizar sobre um amor que alegra o coração
Posso expressar a tristeza que traz uma traição

Posso rimar sobre vontades, querências e desejos
Sobre carinhos, carências, abraços e beijos
Um soneto de luz, saudade, paz e fidelidade
Ou uma prosa, expressão da alma cheia de vontade

O que o poeta escreve é da vida a sua percepção
O que o tocou, sensibilizou, gerou inspiração
Nem sempre será sua real situação
O que não elimina de ser retratada com emoção

O que o poeta põe no papel pode ser sobre você
Talvez tenha uma razão, um porquê
Pode ser sobre si mesmo, sobre um alguém
Certamente será sempre o que sua alma contém

Alda M S Santos

Se me importa

SE ME IMPORTA

Se me importa, vou me preocupar
Vou estar junto, vou perguntar
Sobre aquele semblante sério
Sobre o que é claro ou mistério

Se me é importante pode alegrar meu dia
Ou pode me fazer sonhar, ser fantasia
Se me importa pode me fazer chorar, entristecer
Se fizer algo que machuque, me faça sofrer

Se não me importa não adianta plantar bananeira
De nada servirá seriedade ou brincadeira
O seu agir já não determinará minha vida inteira

Se me importa o sorriso me contagia
A presença, a atenção são pura alegria
O carinho, o cuidado inspiram poesia

Alda  M S Santos

Por aí… a poesia

POR AÍ…A POESIA

Por aí andam lembranças juvenis
Que nos energizam, não são nada sutis
Por aí bailam memórias de amor
São a doce melodia a nos embalar, são calor

Por aí há tristeza, há lágrimas, também há alegria
Há esperança de um mundo melhor, há fantasia
Por aí há amizade, há companheirismo e parceria
Também há encontros, há luz, há magia

Por aí há sonhos, há viagem, há imaginação
Há desejo que faz pulsar o coração
Por aí há alguém que é bondade e compaixão

Por aí há quem nada entenda, há também sabedoria
Há quem tente ser a harmonia, a sintonia
Nesse mundo tão desconexo quer ser a poesia

Alda M S Santos

Fez para mim?

FEZ PARA MIM?

Se é o sorriso, a lágrima ou a dor de alguém
O amor, a fé, a tristeza e esperança também
Um sentimento profundo com sensibilidade
O poeta descreve esse mergulho, essa verdade

Pode ser um silêncio ou grito de apelo
Saem em rimas diversas, prazer ou flagelo
Talvez a voz que clama em protesto
Expõe uma carência, um pedido, um gesto

Seus versos falam de mim, fez para mim?
O poeta ouve vezes sem fim
Fica feliz por sintetizar alguém assim

Na poesia a vida se faz, se renova, se refaz
Palavras têm poder, tornam o ser capaz
De se buscar, se encontrar, ser, enfim, paz

Alda M S Santos

Poesia…meu lugar!

POESIA… MEU LUGAR!

Poesia tem a cor da delicada flor
Poesia tem o cheiro do amor
Gosto de morar nesse jardim
Como abelha polinizar, ser vida, enfim

Poesia tem poder curativo, calmante
Ali mergulho sem medo, nao é decepcionante
Poesia é o sumo da vida, adocicado
Poesia é a força e a suavidade ao meu lado

Poesia é igualitária, é democrática
Está para o rico, para o pobre, emblemática
Basta ligar o botão da emoção
E os olhos a levarão direto ao coração

Poesia está para o poeta
Como o esporte está para o atleta
Como o beijo doce da namorada
Ela é a inspiração para a alma apaixonada

Alda M S Santos

Todo tempo

TODO TEMPO

Todo tempo ou hora, em qualquer lugar
Sempre é tempo de viver, de amar
Seja dia ou noite, inverno ou verão
Bom mesmo é poder ativar o coração

A alma requer sempre esse momento
Que se eternize, traga bom pensamento
Somos feitos de massa própria para o amor
Sovada, descansada, pronta para gerar calor

Uma vida baseada nessa especialidade
Que todos viemos com dons, capacidade
É receita certa para uma vida de verdade

Ser humano que não ama tende a definhar
E não falo só de amar/sensualizar, quero poetizar
Amor pede carinho, amizade, isso é bem- estar

Alda M S Santos

Virou pó-esia!

VIROU PÓ-ESIA

Dizem que tudo acaba virando pó…
Eu prefiro acreditar que tudo vira pó- esia
As lembranças da infância ricas em alegria
As inquietações da adolescência cheias de fantasia
O amor da juventude carregado de magia

Tudo vira pó-esia!

O trabalho, nosso incansável labor
A família e suas especificidades, repletas de amor
As relações com o outro que nem sempre são flores
Os medos, dívidas, decepções, dissabores

Tudo vira pó-esia!

A mente clara, confusa ou atribulada
O corpo cansado dessa marcha às vezes pesada
O coração cheio ou vazio determinando umas paradas
Um todo humano que insiste nessa viagem, nessa jornada

Tudo vira pó-esia!

E virar poesia é um meio lindo de se eternizar
É encontrar num cantinho da gente um bom lugar
Virar poesia é saber que tudo valeu a pena
É salvar na nuvem da alma, é não ser pequena

Quero que minha vida, meus amores virem pó-esia!

Alda M S Santos

Os versos que te dou, vida!

OS VERSOS QUE TE DOU, VIDA

Gosto de observar o que você me traz
O que me dedica, o que me apraz
Cada detalhe oferecido é importante
Me anima, me ilumina, me faz seguir avante

Acreditar em mim, na minha capacidade
Isso me faz feliz de verdade
Prende-me em laços fortes e bonitos
Mas que me permitem ir e vir, sem atrito

Escreve em mim uma bela poesia
Desenhada na pele delicadamente, muita magia
Cantada no coração, na alma, pura sintonia

Vida, um pouco de mim quero sempre te oferecer
Falados, calados, inspirados vou escrever
Os versos que sempre te dou para nunca esquecer

Alda M S Santos
Mais DEPOIS DO PÔR DO SOL

Depois do pôr do sol, o que há?
Haverá algum lugar bom para amar
Onde ninguém vá importunar
E nada faça para decepcionar?

Que há além do pôr do sol?
Desejos secretos a saciar
Com alguém que valha a pena amar
Devagarinho, feito poesia a alma perfumar?

Além do pôr do sol eu sei o que há
Há sonhos, esperança e magia
Aquela que encanta e traz alegria

Além do pôr do sol há barulho, há silêncio
Há a energia que vem de nós dois
Num amor que não se deixa pra depois

Alda M S Santos

Vestida de poesia

VESTIDA DE POESIA

Quero um vestido especial
Estampado, alegre, bem floral
Que potencialize o brilho interior
Que reflita o calor do meio exterior

Quero uma veste que seja leve e solta
Onde o vento deixe a alma revolta
Que a brisa suave seja nele carícia
Com doçura e um pouco de malícia

Quero uma veste que me cubra de amor
Que eu possa sentir prazer sem pudor
E que consiga distribuir alegria furta-cor

Quero me vestir de luz e energia
De encanto, paz, cor e magia
Quero me vestir de versos, de poesia

Alda M S Santos

Quero a poesia

QUERO A POESIA

Quero a poesia que há em todo canto
Que me traga sorriso ou até mesmo pranto
Quero me embriagar em seu doce perfume
Subir seus galhos ou encostas até no cume

Quero a poesia de um ato de amor
Que saiba aquecer, aliviar, ser calor
Quero a poesia que traz o canto do passarinho
Ou a sintonia de alguém com muito jeitinho

Quero sentir na brisa a suavidade
No vento que diz ao ouvido toda a verdade
Que a vida é melhor feita de reciprocidade

Quero o poema que brota no coração do poeta
Trazendo para todos a brincadeira mais certa
A rima perfeita nessa vida tantas vezes incerta

Alda M S Santos

Há poesia

HÁ POESIA

Há poesia na plantação e na colheita
Na chuva que cai no mar ou no pé da serra
No sol que nos abraça, não faz desfeita
Nas estrelas, nas fases da Lua que não erra

Há poesia no perfume da rosa vermelha
No olhar sedutor da moça faceira
Na saudade que em nós faz centelha
Nos amantes felizes sob a cachoeira

Há poesia nos corações apaixonados
Naqueles que sofrem desamparados
No silêncio ou no grito de todo desafortunado

Há poesia em você, em mim
Especialmente quando nos dizemos sim
Somos amor, carinho, sonhos sem fim

Alda M S Santos

Amor é poesia

AMOR É POESIA

O amor carrega a suavidade da poesia
Aquela que há em todo canto, gera alegria
Não importa o estilo, com ou sem rima,
Amor é inspiração, arte, nossa obra prima

Amor é a trilha mais bonita, mais certeira
O caminho que não exige estar na dianteira
Cada qual vai em seu ritmo, seu compasso
Pouco a pouco apertando e ajeitando os laços

Nosso sonho ou nossa realidade
A poesia é fantasia de um amor de verdade
Atinge a todo coração, cupido não tem piedade

No amor do poeta há muita poesia
Na poesia do poeta há muito amor
Amar é preciso, sem dor ou pudor, por favor!

Alda M S Santos
Sarau Amor é poesia

Poesia: A letra de Deus

POESIA: A LETRA DE DEUS

A poesia existe por aí, em todo lugar
Um olhar atento, uma alma pode captar
Ela entra em cada um de nós devagarinho
E age docemente com seu jeitinho

No incrédulo ela desperta fé e confiança
No resistente ela traz esperança
Na dor ela promove reflexão
Na alegria é a mais pura sensação

Sentidos atentos são portas abertas
Audição, visão, olfato são entradas certas
Poetas têm a mente sempre em alerta

A natureza está dela recheada
A pessoa humana também é privilegiada
Poesia é a letra de Deus para a alma alfabetizada

Alda M S Santos

Autores

AUTORES
Autores o tempo todo
Escrevendo uma história original
Não importa tanto a capa
Sequer a página inicial
O que vale mesmo nessa obra
Que escrevemos até sem perceber
É a audácia e delícia de viver
Cujo fechar de olhos é que determina o final
Num momento que não sabemos quando vai ser
Páginas em branco recebemos
Com a tarefa de ali algo belo registrar
Não importa o estilo textual
Sequer a linguagem ou idioma
Independente do número de páginas, personagens
É pessoal!
Se sua história fosse um livro
Você ousaria indicar?
Teria prazer em (re)ler?
Se virasse filme assistiria com seus pais, filhos?
Ao final, tudo que fica é nossa história
Não precisa ser um best seller
Basta que seja uma bela história!
Caprichemos!
Alda M S Santos

Em qualquer tempo ou lugar

EM QUALQUER TEMPO OU LUGAR

Ela cabe em qualquer tempo ou lugar
Ontem, hoje, amanhã, ela é um divagar
É alegria, satisfação, solidão, saudade
É magia, paixão, ilusão, liberdade

Ela é sabedoria, intensidade, faz sorrir e chorar
Vibrante, permite a alma se expressar
Quanto mais emoção, mais sensação
Ela surge mais forte, faz pulsar o coração

Ela é na vida, nessa viagem o melhor tema
Instigante, inspiradora, o encanto, o lema
Cabe na alegria, na dor ou na tristeza
Nas trilhas do coração ela faz proeza

É a magia da chuva de prata na pele
O calor do Sol que nos aquece, nos impele
O brilho acolhedor da Lua na escuridão
Ela é a poesia que nasce em cada coração

Alda M S Santos

É poesia!

É POESIA
É poesia quando amamenta
Ou quando a dor acalenta
É poesia quando se faz ciumenta
E também quando brigas apascenta
É poesia quando o calor aumenta
Quando no frio é vestimenta
Ou quando acalma a tormenta
É poesia quando o mal afugenta
Quando a alegria fomenta
Ou quando por bem argumenta
É poesia quando a ordem regulamenta
Quando as emoções incrementa
Ou quando o corpo ornamenta
É poesia quando silenciosa ou rabugenta
Quando pede amor, barulhenta
É triste poesia quando viver sem ela tenta
É poesia quando de amor não se aguenta
É poesia, magia, de alegria a alma quase se arrebenta
São simplesmente, poetas em doce ou pimenta
Sempre poesia, com vinte, trinta, cinquenta ou setenta
Alda M S Santos

Poesia: nossa linguagem

POESIA: NOSSA LINGUAGEM

Por aqui a poesia dita o ritmo, o tom
É a alegria na tristeza, do silêncio, o som
É a interação na angústia da solidão
É a mágica que faz pulsar cada coração

Há desfile de versos, de sentimentos
Vários estilos, na satisfação ou sofrimento
A poesia é vacina, é remédio, é cura
Nela há catarse, terapia, o mal não perdura

Poetas falando a mesma linguagem
Na poesia se expondo com toda coragem
Criando ambiente de acolhida e camaradagem

Quem encontra na poesia o caminho
Entre flores ou espinhos sabe ser ninho
E entende que nunca, nunca estará sozinho

Alda M S Santos

Poesia, minha analgesia

POESIA, MINHA ANALGESIA

Não gostamos de falar sobre desistir
É algo que machuca, cansa, impede o seguir
Às vezes é necessário, urgente
Mas é apenas um rumo diferente

Podemos desistir do que fere a gente
Acalentar só sonhos bons, envolventes
Alimentar aquilo que nos permite encontros
Paz, amor, carinho, mesmo nos confrontos

Eu escolhi o caminho mágico da poesia
Ou ela me escolheu, abraçou minha fantasia
Em sonhos que me alimentam de energia

Foi um ano bom espalhando poesia
Dois livros lançados, minha analgesia
A todos vocês desejo luz e muita alegria

Alda M S Santos

Vejo poesia

VEJO POESIA

A vida é melhor quando a gente faz o que gosta
Quando está tudo em seus lugares, bem posta
Eu gosto de me encantar com a poesia
Aquela que vejo em tudo, mergulho nessa magia

Eu vejo poesia em cada detalhe da natureza
Em tudo que há sutileza ou grandeza
Vejo poesia bem sozinha num cantinho
Ou quando encontro abrigo em seu carinho

Eu vejo poesia no seu agir, seu falar
Vejo poesia no seu jeito de me olhar
E em cada passo de seguir seu caminhar

Vejo poesia em cada sentimento ou emoção
Não importa se é belo ou não
Fica eternizado num poema, em cada coração

Alda M S Santos

Nos sonhos da poesia

NOS SONHOS DA POESIA

Num doce e suave devaneio
A poesia é fantasia, é galanteio
Acalenta a alma de toda a gente
Se faz atração, se faz envolvente

Poesia ora é sonho, ora é realidade
Uma boa mistura em busca de felicidade
A poesia invade minha mente, meus sonhos
Uma adorável magia a que me exponho

A poesia me envolveu, me seduziu
Faz parte de mim, minha alma traduziu
Não dá para separar sonho da poesia
São encantos em total sintonia

Se um dia me levarem a poesia
Levam meus sonhos, fico em letargia
Minha alma se alimenta dessa energia
É luz, é amor, cura da dor, é analgesia

Alda M S Santos

Poetas…

POETAS…

Tidos como sensíveis e amalucados
Alheios à realidade, caminhos sonhados
Flutuam num espaço único e especial
Quem entende o acompanha nessa viagem sensacional

Poetas veem tudo em cores vibrantes
Até mesmo o cinza tem variantes
Abre a janela, pinta a vida feito belo arco-íris
Multicor se faz o mundo em sua íris

Você pode ser dele a inspiração
Pode estar naquele poema, ser a emoção
Não se inquiete se parecer que escreveu pra você
Suas emoções em versos são do mundo um porquê

Poeta tem a alma sensível, excelente percepção
Não cabe tanto lá dentro, o poema é a solução
Também é poeta quem sente essa poesia
Que chega até si, em constante energia

Alda M S Santos

Nasceu!

NASCEU!

Já deixei brotar, já deixei nascer
Já cultivei para crescer, já vi morrer
Mas também já nasceu sem meu querer
Já foi embora, triste, vi desaparecer

Ora é saudade, ora é vontade
Ora é desejo de trazer de volta, sem piedade
Cultivo as lembranças com simplicidade
Para ver se renascem para nossa felicidade

Aparece como nuvens brancas no céu
Ou bem pesadas, verdadeiro véu
Ora são brisa leve, chuvinha fina
Tempestades seguidas de arco-íris, brilhante purpurina
Que aquecem de amor o coração da menina

Assim é a poesia em mim
Rústica, delicada, sofisticada,
Ou firme como marfim
Assim são os poemas, enfim…

Alda M S Santos

No silêncio de um coração

NO SILÊNCIO DE UM CORAÇÃO

A poesia brota suavemente em todo lugar
No voo das gaivotas no céu a planar
No jardim em botões, bem devagar
No espírito solitário que a lágrima quer disfarçar

A poesia nasce e cresce se bem irrigada
Atiça os poetas de mente inspirada
Surgem versos sentidos na madrugada
Desperta a alma estagnada e a faz apaixonada

A poesia mergulha em águas profundas
Sabe nadar, flutuar, ser ilha, não afunda
Ao leitor traz luz, reflexão, ponderação
Ou atiça a vontade de viver a emoção

Há poesia no silêncio de um coração
O leitor entende cada entrelinha, a sensação
Ela finca raiz, brota e estende galhos e flores
E a alma se alegra, vive, sai dos bastidores

Alda M S Santos

É real?

É REAL?

Posso falar de doença ou cura, fome ou nutrição
Posso versar sobre dor, alegria ou ilusão
Posso poetizar sobre um amor que alegra o coração
Posso expressar a tristeza que traz uma traição

Posso rimar sobre vontades, querências e desejos
Sobre carinhos, carências, abraços e beijos
Um soneto de luz, paz e fidelidade
Ou uma prosa, expressão da alma cheia de vontade

O que o poeta escreve é da vida a sua percepção
O que o tocou, sensibilizou, gerou inspiração
Nem sempre será sua real situação
O que não elimina de ser retratada com emoção

O que o poeta põe no papel pode ser sobre você
Talvez tenha uma razão, um porquê
Pode ser sobre si mesmo, sobre um alguém
Certamente será sempre o que sua alma contém

Alda M S Santos

Só a poesia

SÓ A POESIA

Só a poesia nos dá poderosas asas
Aquelas que permitem voos sensacionais
Para dentro ou fora de nós em espaços astrais
Saindo ou não do chão, em passeios tridimensionais

Só a poesia nos permite ver beleza
Em tudo que nos cerca, toda a grandeza
Até mesmo no que oprime ou machuca
Que nos deixa insanos, alma meio maluca

Só a poesia traduz num idioma conhecido
O que é confuso, nos deixa oprimidos
Ela é pura, bela e suave  comunicação
Mas algo que se faz somente de coração para coração

Só a poesia nos capacita a ser mais intensos
A andar pela vida sendo mais propensos
A mirar o futuro e o passado sem perder o foco do presente
Poesia é pura e deliciosa magia dentro da gente

Alda M S Santos

Nos mares da poesia

NOS MARES DA POESIA

Ah, eu quero mergulhar bem fundo
Além da superfície, nesse oceano profundo
Quero nadar de braçadas na poesia
Nessas águas límpidas enxergar a magia

Quero nadar, cantar, me alegrar como sereia
Nesse mundo marítimo e belo que desnorteia
Ser a poesia que acalma ou incendeia
E leva-nos a agir no amor e na paz em cadeia

As águas podem ser turvas ou densas
Atrair, encantar, confundir ou assustar
Mas sempre te levará para um bom lugar

Quero beber dessa rica e sábia fonte
Para a sensibilidade e o encanto ser a ponte
Nos mares da poesia deliciar-me em belo horizonte

Alda M S Santos
Tarde de Poesias:  Nos mares da poesia

Fez para mim?

FEZ PARA MIM?

Se é o sorriso, a lágrima ou a dor de alguém
O amor, a fé, a tristeza e esperança também
Um sentimento profundo com sensibilidade
O poeta descreve esse mergulho, essa verdade

Pode ser um silêncio ou grito de apelo
Saem em rimas diversas, prazer ou flagelo
Talvez  a voz que clama em protesto
Expõe uma carência, um pedido, um gesto

Seus versos falam de mim, fez para mim?
O poeta ouve vezes sem fim
Fica feliz por sintetizar alguém assim

Na poesia a vida se faz, se renova, se refaz
Palavras têm poder, tornam o ser capaz
De se buscar, se  encontrar, ser, enfim, paz

Alda M S Santos

Princesa

PRINCESA

Um nome dado a um pequeno barco
Princesa… estimulante, quem será ela?
Lanchas, iates, barcos à vela
Todos carregam o nome dela

Uma inspiração, natureza bela
Uma musa a inspirar o pescador
Barco é parte deles, quase sua costela
Elas também o são, homenagem singela

Mar; barco, peixe, pescador, magia
Ali há encanto, juntos são poesia
Ao vento, motor, remos ou vela há harmonia
O amor se faz ali sob o Sol,. entrega e sintonia

Princesa… quem será essa musa bela
Será uma menina, uma mulher, uma donzela?
Sei que é lindo inspirar docemente uma alma
E ganhar assim seu coração por tabela

Alda M S Santos

Vira poesia

VIRA POESIA

Se está cutucando, incomodando
Alegrando, instigando ou extravasando
Se não está cabendo dentro, quer sair

Vira poesia…

Se é dor que fere,   pensamento que difere
Amor que busca mais aconchego e calor
Vontade de ser mais, ser leve como beija-flor

Vira poesia…

Se há algo a dizer, quer fazer acontecer
Reclamar, alertar, lutar, se indignar, apaziguar
Ao mundo inteiro dar ciência, dar a conhecer

Vira poesia…

Se há algo que não cabe silenciar
Mas a voz está calada, pede para gritar
O silêncio, o grito, o sentimento quer falar

Vira poesia…

Alda M S Santos

Arte, música… sou poesia

ARTE, MÚSICA… SOU POESIA

Estou entre a música e a arte
Sou estrela, sou Terra, sou Marte
Em vários espaços ou dimensões
Vivo a despertar maravilhosas sensações

Estou por aí nos corações inquietos
Na alma que em paz repousa, nos aquieta
Sou arte, sou música, sou harmonia
Sou a mais intensa e profunda poesia

Sempre juntas, belezas que estão interligadas
Arte, música são pura energia, poesia animada
Artista, musicista, poetas, refletores de luz encantada

Sou a arte que dá brilho a todo o seu dia
Sou a música que entoa em leve sintonia
Sou versos, sou magia, sou densa poesia

Alda M S Santos

Todos os sonhos do mundo

TODOS OS SONHOS DO MUNDO

Vivemos de sonhos num mundo tão cheio de realidades
Embalados em doces sonos recheados de felicidades
A alma poética é de fantasias alimentada
Um modo de sobreviver, de acalmar a mente atribulada

O poeta carrega em si toda essa magia
Essa intensidade de emoções que contagia
É seu papel todo o tempo pintar cores nesse céu
Ser a luz, a transparência, ser mais mel que fel

Se um dia os sonhos se acabarem
Só restar a realidade, se nos furtarem
O poeta sobreviverá, mesmo quando duvidarem

Poeta é sonho em constante ebulição
Não há como tirar dele essa condição
Quanto mais tirar, mais poemas surgirão

Alda M S Santos

Que carrega aí, poeta?

QUE CARREGA AÍ, POETA?

De onde vem tudo que você escreve
Como cabe tudo isso aí dentro
Ora alegria, ora prazer, ora amor, ora tormento
Como pode haver dor num breve momento
E ao mesmo tempo contentamento?
De onde vem tudo isso, poeta?
Se não é você que deixa a janela aberta
E o vento tira tudo do lugar
Quem você descreve assim tão alerta?
Essa saudade que sufoca
Um amor que ronda sua porta
Sonhos que alimentam a esperança
De uma vida nova, recheada de pujança
Se não é seu intenso viver e querer
Um mundo tão diverso descrever
Que te desperta essa necessidade de compor
Como à vida fazer um favor
E atrair leitores ávidos por esse prazer
De ler, reler, e a vida fazer valer?
Que história carrega aí dentro, poeta
Leve-me com você?

Alda M S Santos

Mosaico Poético

MOSAICO POÉTICO
(Uma seleção muito especial)

Cada qual com seu estilo e jeitinho
Modo doce de fazer poesia, ser carinho
De cada canto desse nosso país
São pura magia a nos fazer feliz

Abraçaram uma ideia, juntos criaram fantasias
Imaginação fluindo, desejos surgindo, sinergia
Em cada silêncio gritado ou grito calado
A poesia foi o lindo sonho pensado, realizado

Sonhos nascidos nas almas poéticas
Expressos em versos, mentes ecléticas
Espalhando a luz, o amor, o bem e a ética

Unidos somos poemas, somos antologia
Querendo salvar o mundo com boa energia
Um pouco por vez, somos “Sonhos de Poesias”

Alda M S Santos

Versos

VERSOS
Os versos falam todo o tempo
Não há verso mudo, calado
São expressões infinitas de sentimento
Cada qual os recebe de acordo com seu entendimento
Há versos que falam de fazer amor
Outros de amizade, de intensidade
Há os gritos de aviso, denúncia ou alerta
Quase sempre estão na medida certa
Mas na medida meio confusa do poeta
Há versos que querem curar uma dor
Cicatrizar uma alma machucada, ferida
Há versos com raiva, compram uma briga
Há versos que tentam saldar uma saudade
Ou fazer do sonho uma realidade
Talvez no silêncio cantem uma vontade
Ou gritem aos quatro ventos sua necessidade
Os versos são uma linguagem única
Entende quem quer, quem pode
Quem aprecia, entra em sintonia
E faz do verbo, na rima, no verso
Sua vida, sua alma registrada em poesia
Alda M S Santos

Era tão lindo

ERA TÃO LINDO
Fui entrando devagarinho, receosa, temerosa
Sem querer me expor, muito cuidado para não me machucar
Ganhando espaços,  abrindo portas
Aos poucos arrebentando comportas
Angariando simpatia, conquistando a confiança
Passeva por um mundo tão livre, tão lindo
Sem entraves, sem falsos pudores, sem censuras
Recheado de palavras doces,  mas também algumas duras
Havia muitas moradas, jardins maravilhosos
Janelas e portas abertas todo o tempo
Não havia muros ou grades, não precisava
Os abraços eram constantes, sorrisos idem
Era um mundo recheado de histórias, de versos
Era um mundo tão livre, tão belo
Era o mundo da alegria e magia
Era o mundo dos sonhos, da poesia
Que dura enquanto há sintonia
Alda M S Santos

Uma festa poética

UMA FESTA POÉTICA

Era uma linda festa, alegria, comemoração
Havia vinho, violino, música, animação
Um livro sendo lançado, grande divulgação
Moças e moços, à caráter, dançavam batendo os pés no chão

Era puro encanto, magia, vestes e dança cigana
Coisas de quem tem alma livre, que não se engana
Numa mesa bem exposta a bela e poética obra
Pelo visto, bem aceita, não haveria qualquer sobra

Poetas e poetisas sorridentes bailavam em roda
Atraíam, encantavam ao ritmo da moda
Quem não se adequava era expulso da roda

Tão bom quando o que se faz espalha amor
Só atrai coisas boas, gera doce calor
A poesia em festa perfumando como botão da flor

Alda M S Santos

Ela é…

ELA É…

Ela caminha por aí vestida de luz
Transita por espaços tridimensionais
É força, beleza, energia que conduz
Está na natureza, em momentos sensacionais
Ela é sonho, é desejo, é realidade
É a esperança de um amor de verdade
Pode ser lágrima, sorriso, emoção
Dança, mistério, encanto, sedução
Ela está no canto dos passarinhos
No perfume das rosas, nos carinhos
No afeto irmão, na compaixão
No amor que se quer, que se faz
Nas lutas, nas derrotas e vitórias, na paz
Ela está por aí, é sonho, é real
Em busca de um poeta, seu igual
Poderia ser uma mulher, mas é a poesia
Que se faz, qualquer tema, qualquer lema
É um sonho,  um encanto de um poema…

Alda M S Santos

Poesia, sonho ou fantasia?

POESIA, SONHO OU FANTASIA?

Sonhos de poetas são versos em dormência
Quando ativados não há resistência
Traços, rascunhos de vivências
Viram poesia, pura (in)consciência

Não se consegue separar o que na poesia
É real, imaginário ou fantasia
Sabe-se que são sonhos em demasia
Que alimentam a alma, tirando-a da letargia

Poeta sonha, poeta escreve, poeta descreve
Poetizando vai esse mundo colorindo
Plantando rosas, colhendo amor, florindo
Perfumando devaneios, chorando ou sorrindo

A incapacidade de sonhar mata a poesia
Esvazia a alma do poeta, desnutre a ousadia
Sonhos e poesia são na vida doce parceria
Vida repleta de utopia em busca de harmonia

Alda M S Santos

Poeta-coração

POETA-CORAÇÃO

A poesia é eterna, universal, vitalícia
Bela, emocionante, com ou sem malícia
Ela está entranhada na alma do poeta
Quer perceba, ou não, ela é sua meta
Poesia e poeta se retroalimentam
Ainda que não a transforme em versos
Ele a vive nesse mundo de atos controversos
Na chuva que cai ele a vê prateada
Na mente a sente, também na alma carente
Poeta poetiza, dança sob o luar, faz baliza
Ele vê poesia na natureza, em toda emoção
Naquela que se aloja em seu coração
Em seus sonhos faz morada
É sua eterna e terna namorada
Poesia está em seu caminhar
No seu jeito de olhar, falar ou calar
Poeta é depósito de toda essa confusão
Que há no mundo, causa comichão
Tenta em si uma melhor organização
De cada desejo, sonho, vontade, sensação
Ele tenta traduzir para sua linguagem preferida
O amor que faz e nutre de beleza sua vida
A poesia não morre onde há um poeta-coração
O poeta vive no que a poesia lhe dá, presenteia
Uma alma repleta de amor que incendeia
Mantém sempre brilhante essa doce centelha

Alda M S Santos

Deixe virar poesia

DEIXE VIRAR POESIA
Aquilo que te leva ao êxtase
Que provoca risos sem fim
Deixe virar poesia
Aquilo que te machuca, corta
Que causa dores e cicatrizes
Deixe virar poesia
Aquilo que você agora desconhece
Que te magoa, enrijece
Deixe virar poesia
Aquilo que te sensibiliza, emociona
Que aperta o coração, e que você tanto ama
Deixe virar poesia
Aquilo que te amedronta, aterroriza
Causa pesadelos que nem a luz ameniza
Deixe virar poesia
Aquilo que é real, imaginário
Que é fugaz ou que virou saudade
Deixe virar poesia
Aquilo que é beleza, na simplicidade ou na sofisticação
Que traz sabor e aroma ao cotidiano
Deixe virar poesia
Tudo aquilo que é vida, que não se desperdiça ou economiza
Se eterniza
Deixe virar poesia…
Alda M S Santos

Poesia: analgésico, anestésico, estimulante

POESIA: ANALGÉSICO, ANESTÉSICO, ESTIMULANTE
Na dor, poesia é analgésico eficaz
Na saudade, poesia é anestésico poderoso e catártico
Na letargia, poesia é estimulante feroz
Na alegria, poesia é pura magia
Na descrença, poesia é a fé restaurada
Na vida poesia é a droga legalizada
No poeta, poesia, amor, fé e vida se fundem
Se confundem, se materializam, se transmutam
Em letras, versos, poemas, emoções…
Poesia é registro vivo, a prova irrefutável
Daquilo que ainda vive…
Alda M S Santos

Há poesia

HÁ POESIA

Há poesia na plantação e na colheita
Na chuva que cai no mar ou no alto da serra
No sol que nos abraça, não faz desfeita
Nas estrelas, nas fases da Lua que não erra

Há poesia no perfume da rosa vermelha
No olhar sedutor da moça faceira
Na saudade que em nós faz centelha
Nos amantes felizes sob a cachoeira

Há poesia nos corações apaixonados
Naqueles que sofrem desamparados
No silêncio ou no grito de todo desafortunado

Há poesia em você, em mim
Especialmente quando nos dizemos sim
Somos amor, carinho, sonhos sem fim

Alda M S Santos

O que você lê?

O QUE VOCÊ LÊ?

Sou uma amante contumaz da leitura
De tudo aquilo que leio regularmente
O que vem escrito é o mais contundente
E quase sempre deixa dúvidas na mente

Mas a leitura que se faz de um olhar
De um toque, de uma expressão corporal
Até mesmo de um desconversar banal
Pode tornar essa leitura excepcional

Leio a natureza em toda sua grandeza
Leio pessoas em sua suave beleza
Leio e capto a poesia que fica no ar
Ou até mesmo um fugidio silenciar

Ler tudo que está a nossa volta
Com toda percepção e emoção
É um modo de demonstrar paixão
Pela literatura que sai do coração

Alda M S Santos

Somos poesia

SOMOS POESIA

A poesia tem o poder de unir
De o belo e o intenso atrair
Onde houver sentimentos, beleza
Haverá poetas expressando sua natureza

É a magia e encanto dos versos
A lucidez e interação dos reversos
É a sensibilidade que gera sintonia
E une num mesmo espaço tanta alegria

A poesia tem poder de salvar esse planeta
É uma arte a olho nu, ou sob luneta
Quem ama poemas, logo aproveita

É dos vícios o mais saudável
Cria um ambiente de paz, amigável
E faz do nosso um viver adorável

Alda M S Santos

Refúgios

REFÚGIOS

Um acordar meio cansado
Meio grogue, virado de lado
Sensação que voltou de outro mundo
De um intenso sonho profundo

Solta, fora de órbita, planando
Sem saber onde pousar, levitando
Onde esteve, onde está, onde estará
Que a vida nos reservará?

Sabe-se que aqui estamos de passagem
Podemos fazer mais agradável essa viagem
Se o amor for nossa maior abordagem

Uma hora todos faremos a travessia
Para o outro lado… haverá magia?
Enquanto isso, quero é me refugiar na poesia

Alda M S Santos

Sonhei com você

https://www.instagram.com/tv/CJrlRpTh-cM/?igshid=n6zyim9grjya

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: