Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Categoria

amor com a vida

Somos água, somos ilha

SOMOS ÁGUA, SOMOS ILHA
Água, sempre água, por todos os lados
Corrente, fluida, represada,
Doce, sobre pedras, oceânicas, salgadas
Na garganta, escorrendo dos olhos
Em nosso entorno, sobre ou sob nós
Não importa, todas têm seu ciclo
Sobe e desce, evapora, “some”, condensa
Mas sempre volta, ora calma, ora bravia
Ensinando a viver essa magia
A superarmos os momentos letargia
Com calma, alegria, sem muito nos preocupar
A circularidade da água é prova dos ciclos vitais
Somos água, somos ilha, somos ciclo
Somos poesia…
Alda M S Santos

Obra aberta

OBRA ABERTA

Somos uma obra aberta da Criação
Aquela que pressupõe que haverá intervenção
Para o bem ou para o mal há participação
Em busca dos caminhos da evolução

Sentimentos dúbios podem interferir
Amor, ódio, indiferença a interagir
Vale sempre nossa escolha, nosso agir
Nessa obra aberta recheada de porvir

Se o amor e a doação fazem crescer
A aceitação e compreensão fazem valer
Tudo que por aqui vier a acontecer

Somos assim, páginas a preencher
Início, meio e fim, poesias a escrever
Quem afinal é bom entendedor gostará de ler

Alda M S Santos

Tire as sandálias

TIRE AS SANDÁLIAS
Abra a porteira, respire o ar puro
Tire as sandálias, pise devagar
Seja bem-vindo
Deixe lá fora qualquer peso
Sinta a leveza desse lugar, inspire
Tire as sandálias, as pedras que nela houver
Que possam cortar, ferir, atrapalhar
Refestele-se…
A maciez fria da grama refresca
Percorre a corrente sanguínea, acalma
Leva um sinal de paz a cada cantinho de nós
Tire as sandálias, entre, sorria com e por prazer
Levante os braços, agradeça
Inspire, expire, faça saudações à vida
Não há caminho mais longo e desejado
Que o que nos leva até nossa alma
Tire as sandálias, continue
Você está quase lá, mais um pouquinho só
E logo se encontrará com quem mais importa
O divino que habita em você!
Alda M S Santos

Sem borracha

SEM BORRACHA

Viver é escrever à caneta, desenhar sem borracha
É precisar aproveitar cada linha escrita, cada traço feito
E nessa louca procura, em que o que se quer nem sempre se acha
Precisamos transformar dor em versos, disfarçar o que é tido como defeito

Para cada flor desenha-se um beija-flor
Para cada lágrima que cai uma rosa a sugar e reaproveitar sua dor
Para cada risco incerto desse desenho, às vezes sem cor
Tentamos fazer um grande e colorido mosaico furta-cor

Viver é pintar com verde-mata, vermelho-sangue ou branco- neve
Mas não dispensar o preto retinto ou o amarelo-girassol
É entender que nessa mistura é que se faz o que é eterno ou o que é breve
É saber dia ou noite, ser lua, céu, mar, estrela ou sol

Viver é desenhar sem borracha, é não descartar o borrão
É fazer uma obra-prima digna do Mestre, original
Ter sempre o olhar do artista, valorizar toda a emoção
É acreditar que a arte da vida sempre tem um tom divinal…

Alda M S Santos

Medida exata

MEDIDA EXATA
 
Será que existe a exata medida
Numa estrada tantas vezes comprida
O ponto certo de nossa felicidade
Sem tanta luta, com liberdade?
 
Qual será a exata medida
Do amor, carinho, da alegria perdida
Será aquele em que há acolhida
Num coração encontrar guarida?
 
Será que a exata medida
É aquela das promessas cumpridas
Sem tanta energia dispendida?
 
Sei que para o amor não há medida
Que seja o bastante, vida destemida
E libere toda a paz na alma contida

Alda M S Santos

Girassol

GIRASSOL
Quando amanheci procurei pelo meu sol
Aquele capaz de me aquecer, fortalecer
Com esforço eu me virava em busca dele
Como girassol…
Quando amanheci busquei meu sol
Aquele que me revigora, me energiza
Desperta-me para a vida, para o bem…
Quando amanheci, afastei os medos, enxuguei as lágrimas
Sorri, espreguicei e me abri para ele
Gira, gira, girassol, assim fiquei
E o encontrei a brilhar naqueles que me aquecem
Me amam, me acolhem, me fazem bem
Quando amanheci me abracei bem apertado ao meu sol
E o segui todo o tempo nesse encanto diário
Tal qual belo e sábio girassol
Busquei meu alimento, minha luz
Aquela que quase sempre vem do alto
E responde pelo nome de Jesus
Amanhecer assim é despertar para a vida…
Alda M S Santos

Que sou pra você?

QUE SOU PRA VOCÊ?
A brisa suave que refresca e acalma, a água que gela
Ou o fogo que aquece, mas a tudo consome
Que sou pra você?
O colo que acolhe, o abraço que acalenta e apascenta
Ou a presença que agita, movimenta, preocupa, enerva
Que sou pra você?
A companhia, a amizade, o amor, a confiança, o cuidado
Ou a ausência dolorosa e saudosa, porém, necessária
Que sou pra você?
Um presente desejado, querido e amado
Ou aquele “objeto” a mais que tens a entulhar seus móveis
Que sou pra você?
A fraqueza, o calcanhar de Aquiles, o ponto nevrálgico
Ou a rocha firme, a raiz, a força onde se apoias nas crises
Que sou pra você?
Um passado saudoso, um presente tolerável e um futuro incerto
Ou apenas aquilo sem o qual você não se   imagina viver
Que sou pra você?
Posso ser um pouco de tudo isso
Em momentos diferentes…
Assim como você pode ser tudo isso para mim também
Como somos quase todos uns para os outros
Somos humanos, falhos,  aprendizes,
E co-dependentes do amor, da doação, dos erros para crescer…
Alda M S Santos

Faça

FAÇA

Faça aquilo que te dá vontade
Faça aquilo que tem que ser feito
Faça com fé e coragem
Mas nunca faça de qualquer jeito

Faça com amor, com carinho
Faça acompanhado, faça sozinho
Com cuidado para não bagunçar
E não conseguir mais endireitar

Faça com pressa, faça devagarinho
Faça como beija- flor, com jeitinho
Faça sempre, nada deixe pelo caminho

Haja luz ou escuridão, indiferença ou emoção
Faça sol ou faça chuva, frio ou calor
Faça da vida um lugar de mais amor

Alda M S Santos

Infinito

INFINITO

Quero o infinito e seus mistérios
A (im)possibilidade que atormenta
O desconhecer que não acalenta
Quero o mundo e seus refrigérios

Quero um amor infinito, maduro
Mas não um amor qualquer
Que seja verdadeiro, puro
Intenso, cheio de bem-me-quer

Quero esquecer que a vida é finita
Quero-a infinita, sempre bonita
Não vou desistir, não insista

Quero no infinito mergulhar
Me perder, me achar, me reencontrar
Fazer esse mundo louco girar

Alda M S SANTOS

Em.busca de mim

EM BUSCA DE MIM
Sempre fui apaixonada por água
Não nado bem, tampouco bebo o bastante
Mas ela exerce verdadeiro fascínio em mim
Não importa como se apresente:
Rio, cachoeira, mar, lagoa, chuva, nascentes…
Posso ficar horas admirando!
Água tem o poder de me acalmar
Molho os pés, a nuca, lavo o rosto, sento à beira
Ouço o barulho suave do rio ou furioso da cachoeira ou tempestade,
Mergulho, sinto seu frescor, lavando tudo.
Tudo é encanto!
Quero ali ficar até tudo de negativo ir embora
Encher-me de positividade
Restabelecer a confiança, o amor
A fé no ser humano, na vida, em mim mesma
Enquanto houver água correndo,
Haverá encanto, haverá vida.
Água que nasce, que brota
Que corre, que cai, que vai, me leva…
Em busca de outros caminhos
De outras águas,
Em busca de mim…
Alda M S Santos

Dança da vida

DANÇA DA VIDA

Temos tanto ainda a crescer
Por aqui somos meros aprendizes
Em cada ação desse nosso viver
Buscamos sempre nos fazer felizes

Nem sempre acertamos bem o passo
Somos trôpegos, não há sincronia
Há quedas, entorces, descompasso
Na dança da vida erramos a coreografia

Há dor, decepção, tristeza e solidão
É preciso exercer a solidariedade, a compaixão
Escolher como agir está em nossas mãos

Não desistir da procura, do encontro
Buscar parcerias, boas companhias
Para evoluir no amor com sabedoria

Alda M S Santos

Sem fronteiras

SEM FRONTEIRAS

Quisera romper toda e qualquer fronteira
Subir, escalar, derrubar, contornar
Não deixar que me limitem, não dar bobeira
Um multiverso de possibilidades a explorar

Quisera romper toda e qualquer fronteira
As impostas pelo medo, pela razão ou religião
Atravessar qualquer ponte ou trincheira
Para apenas poder ouvir as batidas do coração

Quisera romper toda e qualquer fronteira
Deixar a vida se impor, abrir a porteira
Ser nesse espaço livre a pioneira

Quisera romper toda e qualquer fronteira
Sendo alegre, sem culpas, faceira
Em busca de uma vida completa, mais inteira

Alda M S Santos

O poder

O PODER

Há poder num dia ensolarado
De encantar e se fazer admirado
Há poder num dia chuvoso
De ser nostálgico, meio dengoso

Há poder numa noite de amor
De reenergizar, aquecer, ser calor
Há poder numa amizade, na bondade
Aquela que traz aconchego, serenidade

Há poder no acolhimento, na empatia
Há luz, caminhos são vislumbrados
Num conselho há magia, sabedoria

Mas só nós podemos mudar nossa história
O poder de verdade está dentro da gente
Esperando para ser despertado e encarado de frente

Alda M S Santos

Deixe-se seduzir

DEIXE-SE SEDUZIR
Ela vem cheia de charme
Luz, brilho, cantos e encantos
Sedutora, tira você para dançar
Gira pelo salão, pelas ruas, na contramão
Sobe e desce, oferece flores, perfumes e delicadezas
Faz que vai, volta, te abraça
Você a segue no sol ou na chuva
Dia ou noite, cedo ou tarde
Anda sobre águas, mergulha, vai longe
Você quer fugir, às vezes, quer desistir, tem medo
Mas ela não deixa você se abater
Habilidosa, sabe de seu valor, sua supremacia
É soberana, poderosa, instintiva
E usa de todos os artifícios para manter sua atenção e desejo
Quer venha nua ou coberta de riquezas
Ela te vence, te embriaga, te encanta, te seduz
E você se entrega…
Ela é a vida, que nunca desiste de você
Não desista dela
Deixe-se seduzir…
Alda M S Santos

Quanto vale uma vida?

QUANTO VALE UMA VIDA?
Uma pergunta difícil : quanto vale uma vida?
Uma vida vale tudo, mas não há nada que pague.
Também não vale nada, visto que não há valor material que possa sustentá-la
E tantas vezes parece estar presa a um único fio…e perdura
E outras, parece forte… e se perde
Vale o tamanho do nosso amor, da dor que fica
Da ausência deixada, da lacuna não preenchida
Como amor não tem medida, a vida também não tem…
Qualquer vida que se perde
Que permitimos que se vá
Que não conseguimos impedir a partida
É uma perda irreparável,
Independente de quem foi
Sexo, idade, classe social, instrução, religião, profissão…
É sempre um projeto de Deus interrompido…
E uma vida nunca pode substituir a outra
Cada vida é única e especial
Algumas são mais preciosas para a gente que outras
São aquelas que Deus nos entregou nas mãos e disse
“Cuida, confio em você”!
São aquelas pelas quais seremos cobrados
São aquelas que trazem tudo de bom que temos
Que fazem a nossa própria vida ser preciosa
Que nos alimentam de sorrisos e lágrimas
Que nos fazem acender, manter e fazer valer nossa porção divina…
Alda M S Santos

Perdendo vida

PERDENDO VIDA
Perder documentos, óculos, carteira, chaves
Num bolso, na bolsa, no transporte público ou na rua
Talvez se recupere, talvez não
E a vida continua…
Mas perder ideias, sonhos, ideais, pessoas, sentimentos
Escondidos num coração ou numa alma
Que não se mostra para o mundo
Que teme a dor, a rejeição, o sofrimento
É muito mais danoso, é perder o rumo, é perder vida
E talvez de modo irreversível
Todo cuidado é pouco com o que deixamos se perder de nós por aí …
Alda M S Santos

A lista

A LISTA

Lista de coisas a fazer antes de morrer
Lista que se renova e faz renascer
Lista de medos, de desejos, de anseios
Lista de conquistas, vitórias, devaneios

Sempre conhecer um lugar novo
Reencontrar um amigo, abraço gostoso
Ser calmaria na vida desse povo
Ter na vida um amor intenso, fogoso

Pular de paraquedas, fazer um cruzeiro
Fazer o que der na telha o dia inteiro
Viajar,  voltar à terra natal
Descansar à sombra da mangueira no quintal

Banhar nua na cachoeira gelada
Ser na varanda aquela moça feliz, a namorada
Ler, escrever, fazer valer esse viver
Com ou sem lista, tudo por prazer…

Alda M S Santos

Reclamações

RECLAMAÇÕES
Não podemos reclamar das flores murchas no jardim
Se não formos bons e zelosos jardineiros
Não podemos reclamar da destruição das tempestades
Se nós mesmos ignoramos as advertências da meteorologia
Não podemos reclamar da solidão
Se nós mesmos não cultivamos bons e saudáveis relacionamentos
Não podemos reclamar da saúde
Se negligenciamos cuidados mentais e físicos
Não podemos reclamar do tédio da vida
Se não buscamos algo de útil para nos ocupar
Não podemos reclamar do sol que nos castiga a pele
Se nós mesmos derrubamos as árvores que nos dariam sombra
Não podemos reclamar de dores físicas
Se nós mesmos criamos a carga a pesar nossos ombros
Não podemos reclamar pelo que não temos, por ausência de amor
Se nós mesmos que fizemos nossas escolhas
E não cultivamos o bom que se apresentou
Até podemos reclamar, mas que as reclamações se convertam em mudanças
Necessário é que deixemos o que faz mal ser levado,
Que possamos receber de braços abertos o novo, o correto, que faz bem
Buscar ações que partam de dentro de nós mesmos,
E nos tornem, a nós e aos outros, mais felizes…
Alda M S Santos

Arte de viver

ARTE DE VIVER

Desenhei no caderno da vida um sonho colorido

Pintei na tela da existência um cérebro bem resolvido

Bordei na colcha macia um amor fantasia, pura sintonia

Escrevi no seu coração um poema cheio de emoção

Depositei beijinhos no seu corpo, com carinho

Acendi na nossa estrada a luz da Lua, encantada

Para uma noite de amor, dancei suave, sem pudor

Criei uma letra, uma música, uma melodia, uma história de amor

Mãos postas, um silêncio, uma oração, gratidão

Com minha ajuda o destino escreveu na linha do horizonte nosso apogeu

Deixei registrada por aqui nossa passagem em arte, magia, poesia

A vida e eu…

Alda M S Santos

Preciso descansar

PRECISO DESCANSAR
Preciso descansar…
Ando meio esgotada de certas coisas
O corpo pode repousar em qualquer lugar
Deitou, dormiu, está novo…
Preciso descansar o coração, a alma
Necessito desanuviar a mente
Quero uma rede onde possa acomodá-los
Uma relva onde possa deixá-los admirando o horizonte
Um lago onde possa deixar que refresquem-se
Uma brisa que apare suas arestas e pontas soltas
E conecte novamente: corpo, alma, mente e coração.
Assim terei descanso.
Preciso descansar…
Alda M S Santos

Sorrisos

SORRISOS
Há sorrisos de todo tipo:
Sorriso tímido, olhar baixo, inseguro
Sorriso amarelo, sem graça, envergonhado
Sorriso largo, sem censura, contagiante
Sorriso triste, sofrido, saudoso
Sorriso falso, que repele
Sorriso nervoso, tenso, preocupado
Sorriso sensual, que atrai
Sorriso com os olhos, que traz a alma junto e nos cativa
Sorriso carinhoso, solidário, amigo, que conforta
Sorriso de amor, que vem do coração e nos abraça forte.
São sorrisos…Todos.
Distribuímos os nossos criteriosamente
Recebemos dos outros, nem sempre como gostaríamos.
De qualquer modo, já dizia o poeta:
“Não que a vida esteja assim tão boa,
Mas um sorriso ajuda a melhorar…”
Que sejamos mais democráticos ao distribuí-los e recebê-los.
Alda M S Santos

Faça amor com a vida

FAÇA AMOR COM A VIDA
Chegue lentamente, tire as sandálias
Caminhe devagar, sinta a maciez da areia fina
Deixe seus pés se afundarem
Abra os braços, tire os óculos, feche os olhos
Inspire, expire!
Inspire energia, expire o cansaço
Inspire o calor, expire toda dor
Dê um giro sobre si mesmo, olhe para o alto
Dê um grito de paz, mesmo em seu silêncio, se preferir
Corra para o mar, mergulhe, lave toda negatividade
Seja esponja do bem, seja grato, tenha bons pensamentos
Sinta a brisa, a pele se arrepiar, o prazer em estar vivo
Sorria, abrace, beije, faça amor com a vida…
Viva e deixe viver!
Alda M S Santos

Gosto de gente

GOSTO DE GENTE
Gosto de gente
De barulho de gente silenciosa
De silêncio de gente barulhenta
De ter gente por perto
Ainda que não interaja com elas
Gosto de observar, de aprender com o que vejo
Gente me inspira, me faz refletir, me atrai
Gosto de gente que acerta, que erra
Sobretudo que aprende com os erros, que se desculpa
Gosto de gente malucona, fora dos padrões
Gosto de conversar com gente de verdade
Gente que é real, instável ou insegura
Gente imperfeita como eu, meio fora de órbita
Mas conectada em outras “gentes”
Gosto de imaginar uma história para cada um que vejo
Tenho até vontade de confrontar dados
Ou seja, gosto de gente que não se envergonha de ser gente
Gosto de gente que se comunica com o olhar
Gosto de imaginar o que o olhar diz
Gosto de gente que não passa por cima de gente em hipótese alguma
Gosto de gente que respeita gente, que dá as mãos
Gosto de um pouco de solidão também
De caminhar sozinha à beira-mar ou no meio do mato
E ruminar tudo que vejo e sinto
Assim fica mais fácil lidar com gente que mora dentro da gente
Inclusive as muitas de nós…
Gosto de gente!
Alda M S Santos

Vamos brincar de viver

VAMOS BRINCAR DE VIVER

Que fazer com esse novo amanhecer
Que invade sua janela sem pedir
Sem perguntar se é isso que vai querer
Sol que lança através da vidraça seus raios sem pudor
Leva calor, luz, pássaros, afasta seu cobertor
Que parecem cantar em sua sintonia
Acorda! É tempo de viver o amor!
Há um mundo lá fora à sua espera
Que precisa de cada um aqui
Para que se opere a magia
De um viver de paz e harmonia
Abra as portas da sua alma
Acredite, deixe-se invadir pela energia dessa boa aura
O belo cá de fora convida o belo que há em você
Venha! Vamos brincar de viver!
Vamos?

Alda M S Santos

Aquele brilho

AQUELE BRILHO

Há quem carregue um brilho especial
Daqueles que atraem o bem, ofuscam o mal
Nem sempre se consegue identificar
Mas sabe-se que está lá, sempre a irradiar

É o brilho de quem se sente amado
De quem tem o carinho como aliado
Luz de um viver sempre apaixonado
De quem não desiste da vida, segue renovado

É a luz que desperta em cada amanhecer
Prossegue nas atividades diárias ao entardecer
Finaliza na luminosidade que encanta o anoitecer

Não há como esse brilho comprar
Não adianta querer por ele pagar
É único, especial, precisa conquistar

Alda M S Santos

Que eu me importe…

QUE EU ME IMPORTE…
Que eu me importe com o outro
O bastante para ajudá-lo nas tristezas, nas dores, nas necessidades mais prementes
Sem sufocá-lo ou parecer superior…
Que eu me importe com o outro
O bastante para me alegrar com suas alegrias
Sem invejar ou me enciumar, se possível,
Ainda que a felicidade dele não mais me inclua…
Que eu me importe com o outro
O bastante para valorizar bons momentos, guardar no coração, respeitar
Aquilo que hoje já não é mais como antes…
Que eu me importe com o outro
O bastante para dar a ele aquilo que não consigo dar nem pra mim mesma
Pois é algo que a gente só encontra fora de nós…
Que eu possa ser assim para o outro: verdadeira, inteira, amorosa
E que ele também possa ser desse grau e magnitude para mim,
Pois para isso fomos feitos: nos fazer bem…
Que nos importemos o bastante!
Alda M S Santos

Ele me trouxe

ELE ME TROUXE

Gosto de pensar que cheguei aqui trazida pelas águas
Isso explicaria meu encanto por elas, doces ou salgadas
Quando Ele decidiu que eu deveria vir para cá
Pensou que seria para mim um bom modo de chegar
Posso passar horas nelas admirando, olhando
Curtindo, andando, amando…
É uma fantasia multicor, surreal
Por vezes parece tão distante, outras tão real
Mas é um misto de encanto, respeito, medo, ansiedade
Será que também voltarei como cheguei, será verdade?
Nos braços das águas para minha definitiva morada na eternidade?
Enquanto isso não acontece
Não importa se amanhece, entardece ou anoitece
Vou por aqui admirando toda essa beleza
Quero mesmo é fazer parte dessa natureza…

Alda M S Santos

A céu aberto

A CÉU ABERTO

A vida segue, sigo eu atrás
Não sei se quero correr
Mas não quero ficar para trás
Bem ou mal, vou pareando o viver

Não sei se falo, não sei se calo
Tampouco se adormeço, às vezes, desfaleço
Fujo de briga, abomino intriga
Por vezes prefiro empurrar com a barriga

O mar parece infinito, pura imensidão
O olhar vagueia ao longe, solidão
Que almeja encontrar esse doce coração?

Estará lá longe, ou bem aqui perto
O caminho desse viver, o mais certo
Dentro de mim, ou bem a céu aberto?

Alda M S Santos

Sorrindo vai chorar

SORRINDO VAI CHORAR
“Um dia a areia branca seus pés irão tocar”
Te farão lembrar que nem tudo na vida é dureza
Que a alegria pode estar em apenas poder caminhar
Numa areia macia, refrescante
Sentir o vento nos cabelos, a brisa que arrepia a pele
Que desperta boas sensações
“E vai molhar seus cabelos a água azul do mar”
Você irá correr feito criança sapeca
Chutar água, mergulhar, saltar ondas
Irá lavar-se de toda negatividade
Purificar a alma, guardar apenas o que é bom
Buscar um abraço que acalenta, que arrepia
“E ao se sentir em casa sorrindo vai chorar”
E vai querer ficar…
Alda M S Santos

Versos destacados de Roberto Carlos

Dissabor

DISSABOR

Um machucado, uma fratura, uma ferida que arde, sangra, queima

Fase aguda do mal, só analgésico forte para aliviar, é normal

Um aperto no coração, tristeza, mágoa, decepção

Fase aguda da dor, que fazer para sanar desilusão?

Machucado melhora com antisséptico, anti-inflamatório e antibióticos

Um curativo, uma tala, que por um tempo isola do meio externo aquilo que está em recuperação

E quando a dor está no coração, que fazer então?

Qual o remédio, dá pra isolar do mundo externo a emoção?

Não sei, mas é bom retirar-se do meio, afastar da multidão

Buscar o interior, sanar a dor, retirar da alma a cicatrização

Ferida é sempre ferida, dor é sempre dor

Seja física, mental, emocional é sempre um mal

Passamos primeiro pelo vendaval

Em seguida vem a calmaria, levantamento de perdas, bom sinal

E, lentamente, a cura, a reconstrução

Mas todo cuidado é pouco com o remédio que se usa

Tanto para o mal físico ou emocional

Não dá para criar vícios e dependências, seria fatal

Ou cria-se raiz para novo mal, com nova aparência

Mas tudo tem seu tempo…

Logo o que era ferida é descoberta para o mundo exterior

Fica a cicatriz, o aprendizado

O coração aprende a lidar com qualquer dissabor

É a cura… e a vida segue, de preferência, sem rancor…

Alda M S Santos

Surra de viver

SURRA DE VIVER

Precisamos levar uma surra da vida
Não para ferir ou machucar
Mas para (re)ativar o que estiver adormecido
Daquelas que levem à reflexão
Que mostrem os caminhos sem saída
Que apontem a trilha certa, nada de contramão
Precisamos levar uma surra da vida
Daquelas que acendam holofote à frente
E que nos afastem dos becos escuros
Que não nos deixe ficar dementes
Precisamos levar uma surra da vida
Não desanimar, não ficar descrentes
Mas que seja uma surra de amor
Pois só ele ensina de verdade
Só ele cura o mal em qualquer idade
Só o amor é capaz de trazer felicidade
O amor é a esperança numa vida de mais bondade
Precisamos levar uma surra da vida
Precisamos levar uma surra de amor

Alda M S Santos

Feche os olhos

FECHE OS OLHOS


Feche os olhos suavemente
Respire fundo, bem devagar
Deixe o ar encher seus pulmões
Levar vida a cada célula, a todo lugar
Ative a memória, as boas lembranças
Permita-se ser invadido por elas
Sinta, vibre, inspire, expire
O amor que sai de si, volta para si
Reviva, restaure, renove, sinta gratidão
O sentimento que flui de coração para coração
Deixe pulsar em cada parte de si
A porção amor que Ele deixou por aqui
Sinta a vida, ela é o presente
Renovando-se sempre
Que venha novo ciclo de amor e paz!


Alda M S Santos

Vestida de simplicidade

VESTIDA DE SIMPLICIDADE

Se verde representa esperança
Quero me vestir de mata densa
Daquela que circunda uma cachoeira
Que nos tira toda a canseira

Se branco significa a paz
Tudo bem, quero estar branca por dentro
Deitada na rede calma do sossego
Em mim mesma encontrar arrego

Se vermelho significa amor e paixão
Fico nua, não preciso vestir, não
O coração desnudo se reveste de emoção

Se a felicidade é da cor da simplicidade
Quero ficar aqui, transparente ou multicor
Ser e fazer feliz, ser abraço, ser calor

Alda M S Santos

O vencedor

O VENCEDOR
O ano será novo, mas os dias só serão novos, se nós formos diferentes.
Várias serão as batalhas, as jogadas apresentadas
Nós escolheremos: jogar ou não.
Escolher nossas peças, qual delas mover
Quais “soldados” recrutar, armas a usar
Quais “aliados” dispensar
Saber o momento certo de agir, de esperar, de recuar, de avançar
Fazer os alinhamentos necessários
Mesmo parados, estaremos jogando por inércia
Outros determinarão nossa vitória ou derrota
O aliado indispensável, seja qual for a batalha, é o amor.
Frágil o suficiente pra se derrubar por um olhar,
Forte o bastante para com um sorriso levantar…
Inútil tentar outro caminho, outra jogada, outra arma ou outra estratégia.
É dar voltas, é perder tempo!
O Amor vence sempre!
Aliemo-nos a ele!
Alda M S Santos

Novas águas

NOVAS ÁGUAS
Como as águas correntes e constantes de uma cachoeira
2020 se vai, mas 2021 chega com força total
Vamos recebê-lo com esperança e amor
Nos banhar em suas águas,
Deixar para trás a lombeira
Não importa se mansas ou turbulentas
As águas de 2020 não voltam mais
Elas seguem seu curso
Já fizeram seu papel por aqui
E 2021 traz novas águas
Vem carregado de possibilidades e expectativas
Água fria e forte de cachoeira
Tem poder de nos acordar para a vida
Arrepiar a pele, ativar a energia
Fazer-nos sair da letargia
Soltar aquele grito gostoso de quero mais
E acreditar que tudo é possível
Àquele que não se deixa por muito tempo abater
Recebe o que a vida tem a oferecer
E segue, com coragem
Distribuindo amor, sendo calor
Procurando enxergar toda a beleza
Que há na magia de cada alvorecer

Alda M S Santos

Ele estará conosco

ELE ESTARÁ CONOSCO
Fim de ano. Tempo de retrospectivas.
Análise de vitórias, atropelos,
Alegrias e lágrimas.
Tempo de colocar a vida na balança, de fazer balanço.
Do amor que foi dado,
Da amizade partilhada,
Dos sorrisos distribuídos,
Das dores causadas,
Das gentilezas poupadas…
Do amor perdido…
Amor perdido?
Amor nunca é déficit na balança emocional,
Amor sempre será superávit, capital de giro, gerador de vida.
É tempo de renovação, de planos, de recomeço.
Lamentar é perda de tempo.
Bom mesmo é sentar no balanço silencioso de uma praça,
No meio do mato ou da mata,
Conversar com Ele, agradecer e confiar.
Sem sermos carrascos de nós mesmos.
Ele entende nossas falhas, nossas lutas, nossos desejos.
Vamos engolir o choro,
Abrir um sorriso.
Esse ano Ele esteve conosco…
Ano que vem, Ele estará também!
Feliz Ano Novo!
Alda M S Santos

Que ela seja assim

QUE ELA SEJA ASSIM

Que ela seja assim
Bela e triste como névoa na praia ao amanhecer
Animada como dia de sol no parque ao entardecer
Pacífica como céu estrelado no anoitecer

Que ela seja assim
Romântica feito banho de chuva com alguém especial
Divertida e quente como dançar num luau
Saborosa e madura como fruta colhida no quintal

Que ela seja assim
Refrescante como mergulho na cachoeira ao luar
Intensa e mágica como o amor nas areias do mar
Aconchegante como abraço para o cansaço aliviar

Que a vida seja assim
Nem sempre do jeito que nossa mente deseja
Mas na medida certa do que nossa alma almeja

Alda M S Santos

Ano que vem

ANO QUE VEM

Quero fazer um trato para o ano que vem

Manter por perto só coisas boas

Afastar aquilo que não convém

E cuidar um pouco mais de mim também

Quero assinar um tratado de paz

Que nos permita fazer melhores planos

Distribuir as riquezas de modo mais justo, eficaz

E tornar esse mundo mais humano

Ano que vem quero uma vida mais amiga

Sei que ela nos devolve aquilo que a gente dá

Doemos amor e não tem como errar

Ano que vem quero num mundo novo acordar

Onde possamos todos nos abraçar

E um sonho de amor e magia realizar

Alda M S Santos

Oferendas

OFERENDAS
Quero lançar ao mar tudo o que de negativo vivi
Não que eu entenda suas águas como depósito de lixo
Mas poderosas para dissolver lágrimas e amenizar dores e decepções
Levá-las para longe e trazer de volta apenas esperança e força
Quero lançar ao mar tudo que de bom eu vivi
Não é que eu seja mal agradecida ou queira me desfazer das bênçãos recebidas
Oferto com um forte desejo de partilhar com os outros o que recebi, conquistei
Amor, compaixão, carinho, perdão e amizade
Nesse vai e vem das ondas do mar
Cada um de nós deseja apenas um certo equilíbrio
Uma alma em paz para nós e para os outros
Que em cada pé que suas águas salgadas tocarem
Haja mais esperança, fé, respeito
Mais igualdade, menos preconceito, mais amor
E que um sorriso iluminado de paz possa reinar
Essas são minhas oferendas ao mar, à vida
Oferendas que vão e voltam
Com as ondas do mar…
Alda M S Santos

Energia vital

ENERGIA VITAL

Tudo parece meio nebuloso
O caminho à frente apresenta bifurcações
Caminhos conhecidos,  floridos
Ou nem tanto assim, seco e cheio de depressões
Para um lado, o que parece certo
Para o outro, é desconhecido, incerto
Momento de parar e refletir antes de prosseguir
Saber bem o que vale a pena por aqui
Certezas e incertezas, real e irreal
O que é sonho,  fantasioso
Mesmo que pareça prazeroso
O olhar passeia lá atrás, tanto já vivido
O olhar dá um pulo no futuro, será sofrido?
O olhar tenta se fixar no presente
Fazendo o aqui e agora mais sorridente
Acreditando que a vida acontece
Para quem enfrenta as dúvidas, não amolece
E ainda que tudo pareça meio irreal
Sonhar é bom, acalma o vendaval
Fortalece e abastece nossa energia vital
Em frente!

Alda M S Santos

Seja

SEJA

Seja alguém que valha a pena ter por perto
Seja a água límpida no deserto
Seja o pão que sacia a fome de um irmão
Seja o olhar acolhedor, seja emoção

Seja o sorriso que ilumina, o amor sem pudor
Seja um coração de terra fértil para a flor
Seja a verdade que questiona, que aprende
Seja a alma que à simplicidade se rende

Seja a luz do luar que enfeitiça os amantes
Seja brisa, seja frescor, seja o próprio amante
Seja as águas de uma cachoeira, embriagante

Seja tudo de belo que há, seja a magia
Seja o poeta, a letra, o verso, a melodia
Seja harmoniosa sintonia, seja a poesia

Alda M S Santos

Arte de viver

ARTE DE VIVER
A arte de bem viver consiste
Em estar preparado
Para perder tudo o que se tem
Mas acreditar que isso não irá acontecer
Estar preparado para viver sem o que se tem
Sem deixar de ser o que se é!
Equilíbrio entre o temido e o improvável,
Entre o desejado e o possível…
Alda M S Santos

Nosso lugar é aqui

NOSSO LUGAR É AQUI!
Mesmo que seja entre nuvens
Com garoa ou tempestade
Ou que o sol apareça preguiçoso
Que as gaivotas se recusem a voar
Os mergulhões não queiram pescar
E os quero-queros não brinquem no mar.
Que o caminho seja duro, firme e seco
Ou arenoso, macio e quente.
Que estejamos em boa companhia
Sozinhos ou cercados de gente vazia.
Que a vista ao longe seja esplendorosa
Ou que nossos olhos sejam incapazes de enxergar
Que nossa cadeira esteja reservada
Ou que tenhamos que conquistá-la.
Independente da situação,
Aqui é onde o espetáculo da vida acontece.
Nosso lugar é aqui!
E não podemos dele abrir mão!
Alda M S Santos

Por onde eu for

POR ONDE EU FOR

Sigo por aí parecendo muito certa de meus caminhos
Dos entroncamentos, das vias esburacadas
Dando de cara com gente má e bons anjinhos
Nas ruas sem saída e grandes encruzilhadas

Não consigo fugir de mim, deixar nada para trás
Por onde eu for, nas costas e na alma, levo bagagem
No coração quem me amou, quem amei
Nessa vida especial, minha grande viagem

Vão comigo as lembranças das lágrimas derramadas
Toda a tristeza e dores já acalmadas
O aprendizado que trouxe de toda vida aproveitada

Mas por onde eu for, certa do caminho ou não
Levo comigo tudo que sou, toda emoção
Disso nunca conseguirei abrir mão

Alda M S Santos

Encantamento

ENCANTAMENTO

Diz que sabe, que sente, que percebe
Que é algo estranho, incomum, pura intuição
Não sabe de onde vem, se afastar não dá não
Sabe que quando surge mexe com a emoção
Atraente como pôr do sol, envolvente como lua cheia
Imponente como bruxa, fada, mago ou sereia
Mexe com a mente, o corpo, o coração
Ora é sossego e paz, ora é tormento e paixão
É mistério, encanto, feitiço, magia, sedução
Em noite enluarada ou chuva no sertão
É casinha no rancho de madeira
Ou banho em pelo na cachoeira
É amor na areia da praia, nas ondas sorrateira
É um ser mágico de um mundo encantado
Perdido por aqui, louco, apaixonado
Uma hora voltará para casa
Cheio de luz, amor e aprendizado
Um anjo do céu, belo, sobrenatural, alado
Nessa hora quero estar ao seu lado
Captar todas as lições, sem enfado

Alda M S Santos

Onde você queria estar?

ONDE VOCÊ QUERIA ESTAR?

Feche os olhos do corpo vagarosamente
Abra os olhos da alma suavemente
Inspire fundo, traga algo de bom para a mente
Expire e deixe sair o cansaço lentamente

Sinta a brisa na pele a arrepiar
O coração batendo no ritmo de amar
Onde você gostaria de estar?
Seria capaz de pra lá se transportar?

Inspire novamente, sinta o amor de dentro fluir
Pense em alguém que desejaria que pra lá pudesse ir
Num pensamento pacífico sinta-se para lá partir

Chegando lá tudo é encanto, delicadeza
Reinam a paz, a magia da criação, muita beleza
É o encontro de almas, do amor junto à natureza

Alda M S Santos

Estrela cadente

ESTRELA CADENTE

Deitada numa rede na noite quente
Lua a brilhar, soberana, envolvente
Uma brisa suave, um céu de estrelas salpicado
Sons noturnos, pensamentos voam, embaralhados

O céu parece ora tão longe, ora tão perto
Desejo danado de ir até lá, parece tão certo
Estrelas que piscam, atraem, chamam
Encanto constante daqueles que amam

Logo risca o céu uma estrela cadente
Opa! Um pedido torna-se urgente…
Quero um mundo de gente mais gente!

Outra estrela cadente desfila para mim
Que será que ela que dizer assim?
Ame! A vida é linda, mas logo tem um fim…

Alda M S Santos

Minha estrela guia

MINHA ESTRELA GUIA

Qual estrela me guia
Qual brilha em mim, se acende
Clareia meu caminho, minhas ideias
Não me deixa sem norte, transcende?

Qual estrela me guia
Desperta em mim a magia
O prazer de viver, de amar
E encontrar no outro um bom lugar?

Qual estrela me guia
Me acalenta, me dá colo
Enxuga minhas lágrimas
Não me deixa na vida solo?

Qual estrela me guia
Faz-me crer que há harmonia
Onde só se vê luta ou letargia
E instiga buscar sempre a sintonia?

Qual estrela me guia?
Não sei bem definir
Mas eu a chamaria de amor
Que me faz seguir e acreditar no porvir…

Alda M S Santos

Superpoder

SUPERPODER

Se pudesse adquirir um superpoder
Qual deles você gostaria de ter
Ver o futuro, mudar o passado, viajar no tempo
Mudar no outro um sentimento?

Uma superforça física, exímia visão
Supervelocidade ou tirar a dor com a mão?

Debaixo d’água respirar, no céu azul poder voar
Ou com quem morreu poder se comunicar?

Ser capaz de voltar à vida, todo sonho realizar
Poder todo o mal apagar
Ou a vida de alguém poder restaurar?

Para bem viver nem é preciso superpoder
Basta a gente ter um coração a bater
E alguém que saiba nosso amor receber

Alda M S Santos

Talismã

TALISMÃ

Quero um pequeno talismã comigo carregar
Para fazer minha coragem retornar
Que me faça sorrir quando a vontade for chorar
Ou até que me deixe chorar sem tanto me incomodar

Quero um talismã que tenha boas energias a espalhar
Que me permita sem medos continuar a amar
Que me acompanhe e me impeça de errar
E que faça encontrar no coração do outro bom lugar

Quero um talismã, não só por, às vezes, ser frágil
Mas por nem sempre poder ser forte
Nesse mundo de batalhas entre a vida e a morte

Quero um talismã que me renove a esperança
Num futuro bonito e iluminado em minhas andanças
Com mais alegria, paz, amor, e uma vida de mais alianças

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: