Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Categoria

amor com a vida

DECK DOS PESCADORES

DECK DOS PESCADORES

Naturalidade, história, simpatia, pescadores
Deck cheio de barcos, turistas observadores
Oceano, mar, praia, vida marinha, admiradores
Uma vista maravilhosa a despertar amores

Um pescador de interessados nessa energia
Sua isca: a beleza do lugar, sua simpatia
E uma aula sobre as baleias, a biologia
A conversa flui, atenção no trato gera harmonia

Jesus escolheu pescadores para segui-lo
Neles viu alma bonita, afeto e bondade
E até hoje ali reina beleza e simplicidade

O oceano, um porto, um deck, um cais
A imaginação flui em voos sensacionais
Sentidos alertas encantam-se, sons musicais

Alda M S Santos

Na minha mão

NA MINHA MÃO

Fome, confiança, treino ou sobrevivência
Basta aguardar, ter consigo a paciência
Não sei, mas é de uma lindeza sem igual
Na minha mão a gaivota pousa, sensacional

Um voo no alto, plana mais baixo, desfila
No céu azul passeia, olhar fixo, não cochila
Sonda o espaço, avalia a segurança
Até optar por alguém que inspire confiança

A natureza é assim, está aí para ser admirada
Todo cuidado é pouco para não ser tão explorada
Ela carece de proteção, necessita ser preservada

Terra, céu, ar, gaivotas, eu, o mar
É um momento suave para recordar
Se apaixonar, querer repetir, retornar

Alda M S Santos

O olhar passeia

O OLHAR PASSEIA

Olhar no horizonte, para um lado é tudo azul, pujança
Para o outro é tudo verde, esperança
Areia, mar, mata, céu… na alma, festança
Para qualquer lado que se olhe é inspiração
É muita beleza que faz pulsar o coração
Para dentro o olhar passeia, cinzento torna-se colorido
O viver em diversos tons, bem floridos
As sombras já não assustam mais, tornam-se iluminadas
Pela luz e força que vêm de fora, abençoadas
Uma troca de energia do interior com o exterior
Acalmam, acolhem, doce e terno calor
Na vida quase tudo funciona assim
Quem não se fecha para o mundo, diz sim
Cresce, aprende, ensina, evolui, vive, enfim…

Alda M S Santos

E o barco da vida parte…

E O BARCO DA VIDA PARTE…

E o barco da vida parte
Leva quem tem coragem
Leves e com espaços a preencher
Ou pesados de tanta bagagem

E o barco da vida parte
Deixa a segurança do cais
Em busca de novas aventuras
Talvez de um novo caos

E o barco da vida parte
Vários rumos, vastos oceanos
E o que fica é a vontade
De ser feliz também nesse plano

E o barco da vida parte
Leva alguns, deixa outros
Na saudade do vivido
Do que ficou por viver
Do que há ainda para viver

E o barco da vida parte
Todos os dias, todo o tempo
Com ou sem passageiros e tripulantes
Nem sempre a contento
Ele parte…

Alda M S Santos

Mar aberto

MAR ABERTO

Em mar aberto tudo é mais intenso
Nesse ponto quase sempre há consenso
O vento é mais forte, a profundidade é infindável
A vida em sua diversidade é inigualável

Em mar aberto a vista vai além do horizonte
A emoção não capitula, chega aos montes
A mente viaja mais que o corpo
Naquele doce balançar me faço porto

O Sol aquece mais, mas não queima
A brisa arrepia a pele, mas não esfria
A alma se abastece mais de alegria

Numa embarcação qualquer em mar aberto
Não dá para fugir, amar é totalmente certo
O outro, a si mesmo, o universo decerto

Alda M S Santos

Na imensidão

NA IMENSIDÃO

Na imensidão de areia branca poder caminhar
Seguir em frente sem nunca desanimar
Em tudo que vejo nessa mágica natureza
Me perco, me encontro diante de tanta beleza

Tantos matizes de branco, de verde e azul
Combinação perfeita de norte a sul
Cada qual parece ter por aqui seu lugar
Harmonia na terra, no ar, no céu, no mar

E eu aqui, podendo dessa magia desfrutar
Basta um olhar atento para a emoção captar
Isso é gatilho que aciona o coração
Que bate (des)compassado, gostosa sensação

Felicidade e alegria diante da Criação
Regalo-me com tanto amor, sou toda coração
Abro um sorriso, uma silenciosa oração
Sempre, sempre serei gratidão!

Alda M S Santos

Invernando

INVERNANDO

Meus invernos são recheados de mim
Mergulho bem fundo, invernando
Vou cuidando do broto, hibernando
Para mais tarde renascer, encantando

Meus invernos são recheados de Você
Que não desiste de mim, faz acontecer
Cuida das dores, das feridas, dá guarida
E sempre me mostra o sentido da vida

Meus invernos são recheados de versos
Instigam, animam, mostram meus inversos
Reflexão, introspecção, sabedoria e ação
Em cada recolhimento mais emoção, evolução

Meus invernos são assim, aquecidos
Por mim, por Você, pelo que me tem oferecido
Sou só gratidão por cada alegria, cada coração
Que me torna mais próxima de cada irmão

Alda M S Santos

Bom mesmo

BOM MESMO

Bom mesmo é viver a vida
De tal modo que não deixe para ela saída
A não ser se aliar a nós
Nos ajudando a eliminar qualquer algoz

Bom mesmo é dar o melhor da gente
Para todos igualmente
E se isso parecer impossível
Que façamos, para tanto, todo o possível

Bom mesmo é cuidar direitinho
Com amor, respeito e muito carinho
Daqueles que recebemos como presente
Para dar sentido à vida da gente

Bom mesmo é ser agradecido
A tudo que nos foi consentido
Com sabedoria e muita calma
Aceitar o fim, quando chegar, com paz na alma…

Alda M S Santos

Enquanto houver vida

ENQUANTO HOUVER VIDA

Ela se impõe, é importante, é soberana
Não importa se num palácio ou choupana
Nada há que a faça menos bela e valiosa
É nossa, é única, intensidade contagiosa

Enquanto houver vida haverá desejos
De conviver, nos relacionar, em fortes lampejos
Enquanto houver vida o amor prevalece
Seja na dor ou na alegria ele não esmorece

Enquanto houver vida haverá luz e magia
Buscaremos paz, uma maior harmonia
Em cada coração que chegar, mais sintonia

Enquanto houver vida somos menos eu, mais nós
Em cada caminho fazendo laços, desatando nós
Somos abrigo, somos silêncio, somos voz

Alda M S Santos

Nosso arraial

NOSSO ARRAIAL

É tempo de arraiá, de arrasta-pé, de festança e balancê

Santo Antônio, São João e São Pedro a nos aquecer

Mas tá difícil, não dá para Iaiá pular a fogueira

Tampouco para Ioiô beijar a moça faceira

Num vestido colorido de chita, a moça se agita

Quer dançar, brincar, o rosto pintado, toda bonita

O moço todo belo e garboso, chapéu e flor na lapela

Quer fazer uma mesura e levar gostosura só para ela

Mas os tempos são de pandemia, queremos saúde e harmonia

Guardar para a próxima toda essa alegria, encanto e energia

Vamos brincar de longe, modo virtual, festa sem aglomeração

Pois quem ama quer cuidar, quer quentão e oferecer a proteção

Então a alegria funciona assim, você daí e eu daqui

A música toca na vitrola, não deixe baixar a bola

Sanfoneiro e violeiro tocam a canção de um belo bailão

A moçada animada, mesmo em casa, é pura animação

E viva esse nosso arraial, cada qual em seu quintal!

Alda M S Santos

Temos pressa

TEMOS PRESSA

O tempo voa, a vida passa
E ficamos a esperar na janela
Por aquilo que de nós não sai
Ainda que pareça balela

Temos pressa…

Nem tudo o que a gente quer
Chega na velocidade desejada
Mesmo sabendo que o mais valioso
Chegará só na hora apropriada

Temos pressa…

A paciência é uma virtude
Que precisa ser bem dosada
Porque se confundida com inércia
Não nos ajuda em nada

Temos pressa…

Cansados de ver ir embora
Tantos sonhos que viraram pó
Queremos aproveitar melhor agora
Para não terminar a vida só…

Temos pressa…

Alda M S Santos

Me faz bem…

ME FAZ BEM..

Andar na mata, cheiro de terra, sol nas frestas
Ouvir os pássaros, algazarra, todos em festa
Andar de mãos dadas, um abraço desavisado
Um silêncio, um olhar, um amor declarado

Me faz bem…

Um rio, um pôr do sol, uma cachoeira
Um mergulho, um banho que tira a zonzeira
Um amor realizado, delícia verdadeira
A vida em câmera lenta, bem faceira

Me faz bem…

Sonhar acordado, desejo realizado
Esperança alimentada, futuro almejado
Simplicidade, mundo sem maldade
Uma vida que se faz, pura felicidade

Me faz bem…

Alda M S Santos

Levezas

LEVEZAS

É bom poder carregar levezas
Flutuar, no grande salão da vida valsar
Talvez até um pouco de levadezas
A vida foi feita para aproveitar

É bom distribuir delicadeza
Abraçar, beijar, a todos amar
Trazer em si um pouco de sutileza
Para quando a vontade for de chorar

A vida fica cheia de lindeza
Quando abrimos os olhos da alma
E mergulhamos em nossa natureza

Não significa que não haverá tristeza
Apenas que elas não terão prioridade
Num coração leve, onde reine a pureza

Alda M S Santos

Um encanto qualquer

UM ENCANTO QUALQUER

Nas vias curvas dessa vida por vezes sofrida
No alto da serra, final de vielas compridas
Um mirante, uma bela vista definitiva
Faz lembrar do quanto ela pode ser impeditiva

Olhar alcança longas distâncias, belo horizonte
Desejo de voar, ir longe, atravessar pontes
Descobrir a que veio, perdoar-se, sem rodeios
Derrubar os muros, seguir, descartar os freios

É preciso buscar em tudo o que há de magia
Tentar ativar em nós o que gera harmonia
Deixar ir se apagando qualquer dor ou agonia
Depende de nós fazer brilhar nosso dia

Tão bom encontrar alegria, ser sorriso, ser mulher
Independente de onde, quando e com quem estiver
Do modo de agir ou do que se fizer
Sempre enxergar em tudo um encanto qualquer

Alda M S Santos

Injusta

INJUSTA

A vida pode ser cruel
Dolorosa, intensa, parcial
A cada um de nós caberá
Torná-la menos desigual

Muitas vezes parece tão longa
Noutras é por demais curta
Mas é o que fazemos por ela
Que a tornará menos injusta

Buscamos no outro a alegria
Ou a paz que de nós fugiu
Sequer percebemos que está na gente
O prazer de viver que um dia sumiu

Mesmo injusta ela é só nossa
Mas se torna mais bela
Quando destrancamos portas fechadas
E sorrisos abrimos em nossa janela…

Mesmo injusta ainda podemos fazer dela
Uma linda e encantadora aquarela…

Alda M S Santos

De onde vem?

DE ONDE VEM?

De onde vem o sorriso que te ilumina o rosto?

De onde vêm as lágrimas que te fazem mais humano?

De onde vem a força que brota do seu interior?

De onde vem a fragilidade que te imobiliza e te engrandece?

De onde vem a necessidade não identificada?

De onde vem a capacidade de renovação?

De onde vem a fé em coisas impossíveis?

De onde vem a esperança em dias melhores?

De onde vêm tantos sonhos?

De onde vem a vontade de realizar cada um deles?

De onde vem?

Descubra, vá pra lá, grude e não largue nunca mais!

Alda M S Santos

Dessa fonte

DESSA FONTE

Quero beber dessa fonte…

Quero beber dessa fonte cristalina de vida
Que mata minha sede, me dá guarida

Quero beber dessa fonte de bondade, solidariedade
Que me torna.mais humana, sem tanta vaidade

Quero beber dessa fonte de sabedoria
Que abastece minh”alma de força e energia

Quero beber dessa fonte de calor fraterno
Que aquece tal qual lareira em pleno inverno

Quero beber dessa fonte de luz
Que me guia, me ampara, me conduz

Quero beber dessa fonte de carinho, de afeto
Que me dá conforto, uma morada, um teto

Quero beber dessa fonte do mais puro e singelo amor
Que é vida, luz, sabedoria, energia, calor

Também é morada, colo, desejo, ardor
Que pacífica e deixa minh’alma perfumada em flor

Quero beber dessa fonte…

Alda M S Santos

E se fosse autorizado?

E SE FOSSE AUTORIZADO?

E se num desses momentos loucos
Em que a Terra parece ter parado sua translação
A gente pudesse girar para onde quisesse
Fazendo nossa própria rotação?

E se nessa parada amalucada
Pudéssemos dar uma guinada
A ida para frente ou para trás autorizada
Onde você iria fazer sua parada?

Buscaria no passado algo que deixou
Aquilo que não fez, naufragou
O amor que não viveu, acovardou?

Ou no futuro a felicidade estaria
Mais experiente, o amor buscaria
E, sem medos, um.beijo roubaria…

Alda M S Santos

Só preferências

SÓ PREFERÊNCIAS
Prefiro assim:
Uma mente recheada do bem, ideia genial
A um bolso cheio do vil metal
Um coração em dor, mas colorido de amor
A um repleto de vazios, por isso incolor
Prefiro assim:
Um passeio na praia, um namoro ao luar
A um requintado restaurante para jantar
Um olhar suave e sincero que me desvenda, me entenda
A um visionário num mundo cheio de contendas e reprimendas
Prefiro assim:
Um sorvete na praça na gangorra a brincar
A um espetáculo grandioso que me deixe sem lugar
Percorrer uma trilha na mata para a cachoeira encontrar
A um passeio no shopping para compras realizar
Prefiro assim:
Ver o brilho no olhar ao seu amor me declarar
A uma joia preciosa que nem terei como usar
Seu carinho e delicadeza ao habilmente me despir
A alma, o corpo, o coração, para nunca mais fugir …
Só preferências…
Alda M S Santos

Quero brincar

QUERO BRINCAR

Quero levar a vida numa leve brincadeira
Sorrir, mesmo quando chorar, fazer zoeira
Sabendo que ela corre, é passageira
Não dá para perder tempo, dar bobeira

Quero brincar de passear, também de trabalhar
Por mim, pelo outro, o bem espalhar
Se a alegria fugir, quiser falhar
Lá dentro de mim outra vou encontrar

Quero brincar de namorar, de amar
De fazer carinho, me entregar
Quero brincar de ser a rainha desse lugar

E se a vida quiser ser dura, falar sério
Eu vou sorrir, sair de banda, fazer mistério
Buscar algo que seja pra mim doce refrigério

Alda M S Santos

Original

ORIGINAL
O que é ser diferente, ser original?
É se destacar entre iguais?
Quem determina o que é igual ou diferente?
Quem estabelece o que é original e o que é comum?
Depende sempre do referencial de cada um.
Pode-se ser muito original para alguém,
Muito comum para a grande maioria.
O temível e terrível é estabelecer valores,
Melhores ou piores, pelas diferenças que se percebe.
Todos podemos ser diferentes ou iguais, depende sempre do olhar que nos observa!
Vale mesmo é ser autêntico, respeitar a si mesmo, sem desrespeitar os demais.
E sempre consideraremos especiais quem nos admirar da forma que somos.
Alda M S Santos

03

Jeito de olhar

JEITO DE OLHAR

Um passo atrás pode ser avançar
A tempestade pode vir para limpar
A queda pode ensinar a levantar
O vendaval pode colocar as coisas no lugar

Tudo depende do jeito de olhar

Chorar ensina a valorizar o sorriso
Medo e inércia nem sempre são coisas de indeciso
Talvez seja um modo de usar o perigo
Para encontrar melhor abrigo

Tudo depende do jeito de olhar

Solidão nem sempre é ausência de companhia
Talvez seja escolha de pessoas
Que usam de muita sabedoria
Ao não insistir em buscar no outro
Aquilo que encontram em si mesmas: paz e sintonia

Tudo depende do jeito de olhar

Preta, branca, cinza ou multicor
A vida sempre será uma tela
Para artistas que pintam com estilo e amor
E usam a paleta preferida para torná-la ainda mais bela…

Tudo depende do jeito de olhar
Do jeito de a vida encarar …

Alda M S Santos

Melhor assim

MELHOR ASSIM
Distribuímos sorrisos não só porque somos ou estamos alegres
Somos alegres porque, ainda que, às vezes, ele nos falte, distribuímos sorrisos
É feliz quem doa aquilo que não precisa mais
Mais feliz ainda é quem compartilha o que poderia fazer falta
Nossas imperfeições, inquietações e insatisfações
Nos fazem buscar sempre mais e mais
Não é perfeito quem não possui imperfeições
Mas quem, apesar das imperfeições, não se limita
E busca ser cada dia melhor para si e para o outro…
Alda M S Santos

Silêncio barulhento

SILÊNCIO BARULHENTO
No meu silêncio barulhento acalmo meus gritos
No meu barulho silencioso afogo minhas angústias
Silêncios que gritam, gritos que calam
Pacífico tormento…
Nas minhas angústias molhadas rego meus solitários momentos
Desses momentos (re)nascem traumas e sonhos
Dessa solidão bem nutrida colho as mudas de esperança
E descarto os medos já crescidos
Feito mato entre flores, enfrentamento
As esperanças viçosas e perfumadas tal qual rosas vermelhas
Alimentam e alegram meu viver nesse jardim, puro renascimento
E quanto mais as distribuo por aí
Mais elas crescem e perfumam em mim…
Alda M S Santos

No rio

NO RIO

Rio que brota na serra
Que desce irrigando a terra
Arrasta consigo o que encontrar
É vida linda a nos encantar

Rio que canta seu canto
Suavemente afasta o pranto
Lava o corpo, a alma, traz paz
Mostra-nos do que a gente é capaz

Mata ciliar é protetora, evita a ferida
Das águas, da vida, é magia contida
São bênçãos a curar a alma sofrida

Sozinho ou acompanhado
Que o amor esteja a nós atrelado
Somos sonhos e desejos num rio banhados

Alda M S Santos

A vida pede

A VIDA PEDE

A vida pede um pouco mais de magia
Lutamos, buscamos, escolhenos a fantasia
Na ânsia de belos sonhos querer realizar
Vamos tentando alcançar, acreditar, confiar

Nem sempre o que reluz é ouro
Brilho falso, fugaz, ouro de tolo
O prometido não se cumpre, não se concretiza
E a esperança vai embora, trai, inviabiliza

Mas há outros caminhos, rotas a conhecer
Novo dia, novo tempo, novo alvorecer
Chamando para não desistir, fazer acontecer

A vida tem primazia, é soberana, nos apetece
Forte, se impõe, prevalece, não amolece
E faz de cada um de nós sua mais bela prece

Alda M S Santos

Põe na conta

PÕE NA CONTA

Aquele sorriso amarelo e sem graça
Aquela angústia que machuca e o peito amassa
Aquele arrependimento e vontade de chorar que não passa

Põe na conta das tristezas que nos fazem crescer

Aquele sol que nos acorda com alegria
Acompanhado de um beijo de bom dia
E de um café quente que anestesia

Põe na conta dos encantos que nos fazem florescer

Aquele sonho bom do qual não queremos acordar
Aquela lembrança ou saudade gostosa que nos faz vibrar
Aquele abraço e cuidado que só o amor é capaz de proporcionar

Põe na conta das esperanças que nos fazem viver…

Alda M S Santos

Faça seu pedido

FAÇA SEU PEDIDO
Fonte dos desejos: faça seu pedido
Algo material, profissional, familiar, emocional
Que pedir?
Será que algum desejo será impedido
Ou a fé que tenho nele
É o bastante para ser validado?
A quem vou dirigir meu desejo
Onde vou cobrar resultado?
Fonte dos desejos: faça seu pedido
Águas transparentes, belas e convidativas
Busco lá dentro algo que prove
Que tudo isso não é embromação
Que tenha mesmo poderes de realização
Fonte dos desejos: faça seu pedido
Descrente, mas com vários desejos no coração
Debruço-me para melhor enxergar e não me enganar
E tudo que vejo é meu reflexo distorcido a me encarar
Fonte dos desejos: faça seu pedido
Enfim, entendo o que realmente é a fonte dos desejos
A fonte que tem poder de nos despertar
Mostrar que qualquer desejo é possível
Que só depende de nós mesmos realizar…
Fonte dos desejos: faça seu pedido
Jogue uma moeda, por desencargo de consciência
Corra atrás dele, tenha paciência
Mas nunca desista de sua existência…
Alda M S Santos

A namorada

A NAMORADA

Ela pode ser doce, meiga, linda, sedutora

Se apresentar nua, vestida, colorida, tentadora

Chegar de mansinho ou de supetão

Mas nunca irá te deixar na mão

Se você souber dela cuidar

Nunca irá se decepcionar

Pode ser sério ou com ela brincar

Sorrir, correr, se cansar, chorar

Mas jamais deixe de namorar, de amar

Se quiser ter um belo amor por toda a vida

Não fuja, seja verdadeiro, corajoso

Ela é valente, corajosa e boa de briga

É a namorada encantada, amada, querida

Não a perca, seja atraente, envolvente

Abrace forte sua namorada, confie

Aceite-a como ela é, deixe-se levar

Apaixone-se por ela todos os dias

Namore muito, namore com a vida…

Alda M S Santos

No pé

NO PÉ

Quero colher o que a vida oferecer
No momento certo, quando amadurecer
Ela tem sua hora, seu próprio tempo
Não adianta apressar, gera contratempos

Saberei o que fazer na hora apropriada
Há tempo para tudo, para cada jornada
Vou colher a fruta doce no pé
Serei feliz ao saboreá-la com boa-fé

Os sabores da vida são muito variados
Ácidos, amargos, doces ou salgados
A nós cabe escolher o mais adequado

Mas amor quase sempre é saboroso
É fruta boa em qualquer maturação
Agridoce, melado, até meio amargo, sabe ser gostoso

Alda M S Santos

Não tem graça!

NÃO TEM GRAÇA!

Não é só porque ele era famoso
Tampouco por fazer a nação da alegria sorrir
Em momentos de medos, onde tudo é doloroso
Mas por evidenciar que qualquer um pode partir
É por colocar a todos no mesmo patamar
Somos passíveis de sofrimentos, não há como negar
A morte chega e machuca sem avisar
Seus critérios desconhecemos, não dá para adivinhar
Leva quem faz sorrir lá na tela da televisão
Também quem está pertinho do coração
Vidas ceifadas, levadas daqui tão cedo
Somos passageiros por aqui, não há segredo
Paulo Gustavo não era mais importante que ninguém
Era apenas ser humano no topo do coração de alguém
Mas algo nisso mexe com nossa fragilidade
Ninguém está a salvo!
Ele era mestre do humor, fazia sorrir
Hoje faz chorar, não tem graça!
Isso reafirma a única certeza da vida
A qualquer hora podemos ir embora
Urge ser irmão, ser amor, sem demora
E, se pudermos aprender algo com isso
Fazer sorrir é um belo meio
De fazer valer nosso existir por aqui
RIP
Alda M S Santos

Revelação

REVELAÇÃO
Quero revelar todas as fotos que minha lente captou
Nem sempre tão objetivamente assim
Mas capturadas todas elas em momentos de intensa emoção
Numas pode haver luz e escuridão
Noutras alegria, descontração
Pode haver talvez insegurança e tristeza no olhar
Desejo, tensão, atração no modo de me expressar
Podem ter sido registradas num instante de puro amor
Alguns talvez sejam apenas lembranças
Outros são as atuais andanças
E há ainda os que alimentam esperanças
De um viver sempre em evolução
Quero, preciso revelar todas essas fotografias em mim
Registradas nessa longa trajetória
É fazer delas um grande álbum, enfim
De uma vida, de luta, de história
Onde possa mergulhar numa tarde de nostalgia
E tudo reviver, aprofundando a magia
Quero revelar todas as fotos contidas na lente do meu olhar…
Alda M S Santos

Ah, se eu pudesse

AH, SE EU PUDESSE
Ah, se eu pudesse e coragem não me faltasse
Muito mais que três desejos eu iria realizar
Nem precisaria de gênio da lâmpada
Queria mesmo era ter o prazer de alcançar
Por meu próprio esforço e mérito
Poder aquele amor tornar eterno
Aqueles amigos alcançar e dar um abraço fraterno
O mundo todo giraria levando muita humanidade
Paz, união, alegria em meio à simplicidade
São muitos os sonhos, ah se eu pudesse
Mas só esses três vou te contar
Deixarei você seus próprios desejos contar
E uma vida melhor poder sonhar
Alda M S Santos

Adeus

ADEUS

Tchau, até mais, bye, não quero dizer adeus
A Deus quero entregar os sonhos meus
Que Ele cuide bem de minha emoção
E nao deixe ir a alegria em meu coração

Não vou deixar ir embora
Se o abraço ainda se enlaça, se demora
Se o beijo ainda desperta tentações
Se lembranças são motivo de boas sensações

Não vou dizer adeus ao que a vida traz de bom
Que me faz dançar, cantar em alto e bom som
E amar em qualquer situação, em belo tom

Adeus, não, a Deus, sim
Ele sabe de tudo que se passa em mim
E me cuida como delicada flor de um jardim

Alda M S Santos

Cadê o sorriso que tava aqui?

CADÊ O SORRISO QUE TAVA AQUI?
Vamos brincar?
Cadê o sorriso que tava aqui?
A angústia levou.
Cadê a angústia?
Amigou com a tristeza.
Cadê a tristeza?
Foi dormir com a escuridão.
Cadê a escuridão?
Foi aliciar a alma.
Cadê a alma?
Acendeu uma luz.
Cadê a luz?
Iluminou o sorriso.
Cadê o sorriso?
Encontrou o amor.
Cadê o amor?
Tá procurando você…
Então lá vai o amor pegar você
Lá vai o amor pegar você…
Pegou! ❤️😇
Alda M S Santos

Dormência

DORMÊNCIA

Aquela brisa suave que toca a pele, revitaliza
Refresca o corpo, o coração reenergiza
Melhor ainda, atinge a alma, arrepia
Leva- nos a viajar por mundos em harmonia

Aquela água que esfria o corpo quente
Desperta doces sensações dormentes
Conecta o indivíduo à tanta beleza
E traz para fora sua real natureza

O Sol que aquece, a Lua que ilumina
As estrelas que salpicam num teto natural
Um espetáculo maravilhoso, bem divinal

Somos todos natureza em dormência
Prontos a sermos pelo outro despertados
Por nós mesmos, ao nos fazermos amados

Alda M S Santos

Outon(ando)

OUTON(ANDO)
Cores amarronzadas, folhas secas, leves, caídas
Levadas pelo vento friozinho que arrepia a pele
Deixo-me levar suavemente
Tal qual folha caída da gigante árvore
Busco um repouso num cantinho qualquer
Encolhimento, proteção, recolhimento
Tempo de hibernar, dormir, voltar para dentro de si
Repor energias, reabastecer o corpo
Tudo é silêncio, cuidado, organização do caos
Aquecendo a alma e o coração vou outon(ando)
Aguardando um casulo crescer, a borboleta se formar
Linda e necessária estação
Lá fora e cá dentro…
Até um novo florescer…
Alda M S Santos

Na luz seguir

NA LUZ SEGUIR

A oração é o canal mais direto
Com o que há de mais bonito e certo
Quando oramos nos conectamos com o bem
Atraímos a luz, espalhamos amor também

Se ao orar pudermos também agradecer
Não nos esquecendo de mais ser do que ter
Ela se tornará mais certeira e abençoada
Paz, harmonia e alegria em nossa caminhada

A Criação nos fez para sermos irmãos
Solidariedade,  união, um dar-se as mãos
Assim evoluímos nessa dimensão

Se quisermos mesmo nos abençoar
Basta pedir, agradecer e agir 
Oração é o primeiro passo para na luz seguir

Alda M S Santos

Instrumento

INSTRUMENTO

Quero ser usada, ser um instrumento
Daqueles que tocam em harmonia
E leve a quem se aproximar a alegria
Quero que meus braços e meu colo
Sejam emprestados a quem está solo
Que meus olhos levem um pouco de calor
A quem anda carente de amor
Que eu possa ser um bom recurso
Que ajude ao necessitado seguir seu curso
Quero ser instrumento de amor
E que toda eu, mente, alma, corpo e coração
E tudo que conquistei ou recebi de antemão
Seja usado para abençoar e fazer o bem
Quero que minha poesia leve alegria
E encontre pouso e repouso
Que seja o que falta nessa vida: a magia
Deus tudo pode, mas gosta de conosco contar
Quero ser instrumento para Ele nos abençoar

Alda M S Santos

Sedução

SEDUÇÃO

Você se mostra sempre bela e encantadora
Uma energia ímpar, arrebatadora
Ora perfumada se vestindo de muitas flores 
Ora nua se despindo de suas dores

Maravilhosa em qualquer fase ou estação
Mexe com emoção, pulsa forte meu coração
Brinca comigo, me mantém cativa, presa
Sou incondicional fã de sua força e delicadeza

Você brilha, atrai meu olhar
Não consigo me cansar, desviar
Você é pura atração a bailar

És presente, és luz, és grandeza
Você me seduz com sua beleza
Sou parte de ti, sedutora natureza

Alda M S Santos
TARDE DE POESIAS : VOCÊ ME SEDUZ

Ela exige

ELA EXIGE

Se eu quiserpreciso ir buscar
Não importa o tempo que irá levar
Cabe a mim a necessária dedicação
Todo desejo almeja sua realização

Na mente ele se constrói, pura imaginação
Se faz do alimento diário, da emoção
Aí você coloca amor, carinho, sedução
E está pronta a mesa, para degustação

A vida é mais feliz com nossas conquistas
Vamos aprendendo a ver caminhos, ler pistas
Para chegar ao topo é preciso ser otimista

Não culpar o outro, a vida, a situação
De cada um de nós ela exige aptidão
Usemos com equilíbrio razão e coração

Alda M S Santos

Pilotando

PILOTANDO

Quero sempre ser piloto de minha própria máquina
Sem medo, e nas estradas retas com boa visibilidade, acelerar
Com cuidado e firmeza nas curvas do caminho para não derrapar
Aproveitando a luminosidade natural para avançar
E nos espaços mais escuros parar e descansar
Não quero me deter diante de nada
Usar proteção boa, segura e adequada
Apenas avaliar e seguir minha jornada
Ser da vida uma boa e doce namorada
Dar umas caronas, levar amores e amigos
Eles fazem a travessia mais leve, são abrigo
Se a máquina der problema levo à oficina
Aquela que me faz refletir sobre os buracos nas trilhas dessa sina
Muitas vezes colocando mais amor como combustível
Após a grande largada parar só mesmo nos pit-stops
Trocar óleo, pneus, verificar freios, faróis
Até mesmo substituindo peças já avariadas
O que vale é seguir em frente até a chegada
Seja ela qual for…

Alda M S Santos

Ele nunca me abandona

ELE NUNCA ME ABANDONA
Ele é insistente, persistente
Não desiste, se intromete onde não lhe cabe
Mistura-se a situações complicadas, tristes
É invasor, arromba portas, faz barulho, acende a luz
Ou chega de mansinho, faz carinho, silencioso
Não gosta de lugares escuros,  mas nada teme
Caminha por espaços que desconhece
Algumas vezes é sapeca, fraterno, noutras, sensual
Ou ainda repleto de compaixão e amor
Às vezes parece arrastado, meio forçado, cansado
Mas nunca, nunca desiste, é sobrevivente
Nem sempre parece feliz ao espelho
Mas sabe que se não fosse por ele não haveria vida ali
Tampouco alegria nas vidas que acende quando se abre
Ainda que esteja umedecido pelas lágrimas
Ele não pode morrer nunca
Pois quando isso acontecer, levará consigo meu viver
Ele nunca poderá me abandonar
Ou sou eu que nunca poderei deixá-lo
Meu inseparável e amigo sorriso
Alda M S Santos

A porteira da vida

A PORTEIRA DA VIDA
Nem todo dia o sol brilha na minha janela
Muitas vezes não está convidativo lá fora
Não quero sair, não quero levantar, quero ficar aqui
Tentando encontrar a luz que falta lá fora
Num cantinho qualquer dentro de mim
Mexo, remexo, troco as coisas de lugar
Escorrego em lugares em que já caí
Retorno, choro, saio logo dali
Busco espaços onde o amor mantém a vitalidade
Alguns são só saudade, outros em plena atividade
Tropeço em gargalhadas, me aconchego em abraços
Refaço algumas trilhas, aperto alguns laços
Encontro com o que já deixou de ser, aceno em paz
Outros prefiro nem passar perto, cicatriz nova ainda
Rolo para lá e para cá, olho de novo a janela
Um solzinho sem vergonha ameaça aparecer
Quer saber? Vou ficar por aqui hoje…
Assim que estiver menos nebuloso faço acontecer
Acendo meu próprio sol, abro o sorriso
Visto- me de esperança, meu vestido mais colorido
E abro a porteira da vida, ela precisa ser bem vivida…
Alda M S Santos

Navegando

NAVEGANDO

Há três verdades irrefutáveis
Das quais não podemos abrir mão
O amor, a luz e a esperança são desejáveis
Essenciais na vida, em cada coração

São três que parecem um, na verdade
Quem tem amor tem os demais, tem felicidade
Luz e esperança em qualquer idade
Banham-se em rios caudalosos de bondade

Águas que vão e que vêm
Trocas de energia, o que de bom contém
Doce balanço, calor, alegria, vigor
Deitam-se em nós, desaguam amor

Navegando suavemente no rio da nossa alma
De matas ciliares  protetoras, acolhedoras
A vida se faz de desejos, vontades, sonhadora

Alda M S Santos

De pouquinho em pouquinho

DE POUQUINHO EM POUQUINHO

A vida vai se fazendo de pouquinho em pouquinho
Um sonho de cada vez, devagarinho
Vamos construindo nossos castelos
Alguns espaços nem serão tão utilizados
Servirão apenas para manter nossos guardados
Esperando o momento certo de serem ativados

De pouquinho em pouquinho vamos nos alegrando
Nossos jardins podando, cuidando, regando
Deixando entrar rosas por nossas janelas, perfumando
Fazendo brilhar em nós a intensa magia
Aquela que o sonho traz, doce fantasia
Aquecendo em nós a lembrança durante todo o dia

De pouquinho em pouquinho vamos descartando o que faz mal
O que apenas entulha nossa mente, nosso quintal
Aproveitando para mandar lixos embora junto ao vendaval
Acolhendo só o que é inteiro, traz calor, é especial

De pouquinho em pouquinho, passo a passo
Somos amor, dançamos no mesmo compasso
Repartindo a alegria, a harmonia, apertando os laços
De pouquinho em pouquinho abrimo-nos para a vida em potencial
Banhados em prazer, fazemos desse mundo um lugar sensacional

Alda M S Santos

A Chico e Francisco

A CHICO E FRANCISCO

Gosto de gente clara, transparente
Das quais sabemos o que esperar
São íntegras, leais, quase imponentes
Não se sentem superiores, sabem valorizar

Seu modo de agir é criterioso
Em todos os espaços são o bem
Em tudo encontram um jeito proveitoso
De não magoar ou ferir ninguém

Não há dois pesos ou duas medidas
O coração é quem dita a ordem
Ou cria-se bagunça e desordem

“Se o mesmo pau que bate em Chico bate em Francisco”
Pode-se esperar que o mesmo amor que se faz a João, se faz a Sebastião
E nessa vida não haverá tanta decepção

Alda M S Santos

Quarentena

QUARENTENA

Vou colocar um coração em quarentena
Isolado, afastado, separado para não (se) contaminar
Logo, logo ele se livra da pena
E poderá voltar a vibrar, a amar

Vou colocar um corpo em quarentena
Para acalmar músculos e nervos
A fadiga evitar, a inércia apagar
Em busca de uma vida mais amena

Vou colocar uma mente em quarentena
Descansar, renovar, reciclar, reavaliar
Evitar curtos-circuitos cerebrais
E voltar reenergizada, querendo mais

Vou colocar uma alma em quarentena
Apenas para ela acompanhar nessa missão
Um todo de corpo, mente, coração
E não deixá -los separados, sempre aliados

Vou colocar-me em quarentena
Para uma vida mais doce e plena…

Alda M S Santos

Em prece

EM PRECE

Que meu sorriso seja como o sol

Capaz de atravessar as densas nuvens emocionais do outro

Que minhas palavras, como preces

Possam atingir corações cansados ou machucados pela vida

Que meus abraços, como cobertores

Possam aquecer aqueles que padecem do frio da indiferença

Que toda eu, corpo, mente e alma, seja
apenas um ser

Colocado aqui para ser luz na vida de alguém

E que todos possam ser luz para mim também

Que possamos estar em comunhão, em oração

Que haja paz,  prece, compaixão e gratidão

Amém!

De que adianta?

DE QUE ADIANTA?

De que adianta uma linda voz

Se quando é preciso, ela se cala?

De que adianta um belo sorriso, se apenas se abre para alguns,

E tantos necessitados são excluídos?

De que adianta tamanha inteligência,

Se não sabe agir ao sabor da emoção?

De que adianta tanta beleza, se não é possível mergulhar mais fundo,

Sob pena de “bater a cabeça” em rasa profundidade?

De que adianta tanta “cultura”,

Se as palavras mais doces não fazem parte de seu vocabulário?

De que adianta braços fortes e ombros largos,

Se não servem de abrigo ou de colo a quem precisa?

De que adianta o amor preso dentro de si,

Se ele é uma flor que precisa do sol

Que existe no outro,

Para crescer, se abrir e encantar?

De que adianta?

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: