Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Categoria

amor com a vida

Dona Helena

DONA HELENA
Dona Helena é uma senhora mineira de 80 anos que ressignificou a sua solidão.
Mora sozinha em sua casinha em São Gonçalo do Rio das Pedras, distrito de Serro, MG, onde montou um lindo presépio que fica ali o ano inteiro.
Quase nunca saiu da cidade, construiu ali sua vida, sua história.
Esse presépio atrai visitantes, muitos visitantes, e ela conta histórias, muitas histórias.
“Conversar é muito bom né, menina”?
Dona Helena é exímia comunicadora e contadora de casos.
“Menino Jesus é poderoso, né? Fica aí o ano inteiro e olha por nós”.
“Gosto mesmo é de conversar e Ele traz tanta gente para cá, como trouxe vocês”.
Lamentou que estava sob as ordens da vigilância de saúde por causa “dessa doença aí”, e que fazia tempo que seu presépio estava fechado.
Não pudemos entrar e ver seu presépio por causa da pandemia, mas o tempo que conversamos com ela foi rico.
Falava de todos que iam visitar o presépio e entravam sempre, conversavam, ocupavam seu tempo, gostavam de ouvir seus casos.
Noutros tempos, até cartas para os outros que “não conheciam as letras” ela escrevia.
Nunca recusava a atender ninguém.
Enquanto conversávamos na porta de sua linda e simples casinha, todos que passavam a cumprimentavam e ela respondia com carinho.
Ficou feliz que eu quis tirar uma foto com ela, ia me tocar, mas evitei expô-la. Ela disse que não tem medo, pois “Deus sabe a hora de  cada um”.
Uma senhora que com toda sua simplicidade ensina a viver e ser feliz…
Obrigada pelo carinho e do convite para voltarmos, Dona Helena!
Alda M S Santos

A cura

A CURA

Qual a cura para um mundo de amargura
Para humanos tão sem ternura
Que pouco fazem por evolução
E não temem a própria extinção?

Qual a cura para um mundo tão sem compaixão
Egoísta, que vive na alienação
Quer tudo, é imediatista, destrói o futuro
E já não sabe mais como ser puro?

Qual a cura para você, para nós
Há como desatar tantos nós
Refazer os laços, oferecer mais abraços?

Já foi apontada a cura para tanto desengano
Houve um Alguém que disse, um Senhor
Que a cura para qualquer mal é o amor…

Alda M S Santos

Aprendendo a viver

APRENDENDO A VIVER

Na na vida há muitas coisas dolorosas
Aprender a lidar com angústia, medo frustração 
Pode levar tempo, apertar o coração
Mas sempre nos ensina algo, até mesmo a decepção
Pode ser um sonho que não se realiza
A fé que vez ou outra não avaliza
A saúde que, às vezes, fragiliza
Pode ser um amor que está longe
Uma amizade que nem sempre corresponde
Um alguém que não nos entende
Nós mesmos que nem sempre nos entendemos
Nos recolhemos, agimos mal ou nada fazemos
Mas doloroso mesmo é não conseguir dizer
Aquilo que machuca ou faz doer
Somos seres sociais, necessitamos comunicação
Um abraço, um carinho, apreciação
Mas nem sempre isso está disponível por aí
Bom mesmo é encontrar em nós mesmos a aprovação
Ativar a fé, o autoconhecimento, a boa ação
Ir atrás da natureza, lavar a alma, ativar o coração

Alda M S Santos

Onde foi parar?

ONDE FOI PARAR?

Onde foi parar a alegria de brincar na chuva
De correr na enxurrada, dispensar guarda-chuvas?

Onde foram parar as brincadeiras na rua
Aquelas com os amigos coloridos sob a Lua?

Onde foram parar os bate-papos na calçada à noitinha
Os abraços e amassos no alpendre da madrinha?

Onde foi parar a expectativa por uma carta
A dor de barriga por um amor que não se farta?

Onde foram parar os sonhos, os contos de fadas
A esperança no futuro, vidas mais amadas?

Onde foi parar a animação num banho de rio
De tanque, de mangueira por horas a fio?

Onde foi parar a alegria na simplicidade
Quando passamos a querer mais e mais numa insanidade?

Quando foi que passamos a enxergar só a maldade
E com isso encontramos só infelicidade?

Quando?

Alda M S Santos

Rascunhos

RASCUNHOS

Somos meros rascunhos a viver
Uma página rabiscada, por escrever
Um verso torto, inacabado
Um sonho bom a ser realizado

Estamos sendo aqui rascunhados
Compondo uns poemas rimados
Em busca de uma prosa, um dueto
Ou de um amor versado em soneto

A composição será ainda mais bela
Quando passada a limpo, nova tela
O amor pintado com toda tinta da aquarela

Somos a folha, o verso, a trova, a poesia
O tinteiro, a pena, a tinta, a doce magia
Nossa história: realidade vivida ou boa fantasia?

Alda M S Santos

Perspectiva

PERSPECTIVA

Ver o lado bom é questão de escolha
Pode ser aprendido, um treino, uma opção
Admirar a sombra das árvores os frutos, a floração
Ao invés da sujeira que as folhas causam no chão
A maravilha que a chuva traz à vida que irriga, hidrata
Ao invés dos dias cinzentos e molhados, desconforto que maltrata
O Sol que aquece, colore, ilumina, instiga
Ao invés do calor excessivo que castiga
A dificuldade de uma trilha cansativa
Dá lugar à beleza do entorno que cativa
Optar pelo banho na água cristalina, forte e bela da cachoeira
Ao invés de reclamar do tempo, da canseira
Podemos até mergulhar em nossos próprios desertos
Mas ali ir em busca de um oásis, um refrigério
O melhor quase sempre está bem perto
É só uma questão de perspectiva
De uma alma que se pretende seguir evolutiva

Alda M S Santos

Caminhos do bem

CAMINHOS DO BEM

Que possamos ter a serenidade nos momentos de maior angústia
Que a sabedoria se apresente quando tudo parecer negativo e falho
Que a fé e esperança em dias melhores tenham supremacia
E se estabeleçam nos momentos de injustiça e descrença
Que encontremos anjos amigos quando o caminho for árduo
Que a coragem e vontade de fazer a diferença
Sejam maiores que qualquer dor ou mágoa
E não nos impeça de seguir no caminho do bem
Aquele em que jorre amor como água cristalina
Que vem do alto e caia suave e brilhante como purpurina
E ilumine a todos a nossa volta
Amém!

Alda M S Santos

De gota em gota

DE GOTA EM GOTA
De gota em gota ela cai lá fora
A terra sedenta a recebe de boca aberta
Suavemente é engolida, absorvida por sementes e mudas
Os brotos crescem a olhos vistos
A piscina já não se importa
Ali, desnecessária, “completa”
Está cheia, transborda, não tem carências …
O que é excesso para uns
Quase sempre é falta para outros
De gota em gota se mata uma sede
Mas uma tempestade também pode matar…
De gota em gota a chuvinha cai lá fora
Alimenta sonhos, desejos e esperanças
De gota em gota…
Alda M S Santos

A cada um

OBRIGADA A TODOS!

A CADA UM

Desejo a vocês a leveza do voo de um beija-flor
A suavidade e beleza da borboleta e sua cor
Que sejam atraídos pela natureza, para o amor
E que a vida seja sempre um colo acolhedor

Desejo a vocês o acalento de uma amizade
Que jorre como águas de uma  cachoeira
Que chegue de mansinho e pouse a felicidade
Que perceba, receba, aceite, não dê bobeira

Desejo a vocês a alegria, paz e satisfação
Que recebi com cada cuidado, cada emoção
O pulsar forte e animado de um coração

Desejo a vocês que de mim se lembraram
Por aqui passaram e fizeram meu dia feliz
Que tudo volte em dobro, que  crie raiz

Alda M S Santos

Um doce e suave pouso

Pinguela

PINGUELA

Quem tem medo de atravessar a pinguela?
Não há outro modo de chegar do outro lado
O jeito é atravessar essa instável passarela
Balançando para lá e para cá
Sentindo-se flutuar, a cabeça a girar
Lá vem ela querendo passar
Mas a coragem é pouca, não dá
A mão sua, coração palpita, mente aflita
Olha para frente,  para trás
Fica com a tez pálida, amarela
Tão longa e estreita é essa pinguela
Quase trava no mesmo lugar
Sua frio, olha o rio corrente lá embaixo
Os outros dizem “não pode olhar para baixo”
Não adianta, lembra da avó que nunca passou numa pinguela
Entende a situação da avó, faziam pouco dela
Deixa pra lá… há outras passarelas para desfilar
E quem não souber entender ou esperar
Que volte para o lado de cá
Ou que vá sozinho para o lado de lá
Cair dali ou empacar é que não dá…

Alda M S Santos

Aldá-cia

ALDÁ-CIA

É preciso um pouco de audácia para viver
Aldá-cia para enfrentar os medos,
Aldá-cia para nadar contra a corrente
Aldá-cia para seguir em frente

Aldá-cia nos faz acreditar no caminhar
Ter ânimo para o novo explorar
Não desistir quando a fragilidade surgir
Saber que na vida é preciso seguir

Aldá-cia é em nós a dose de ousadia
Que sonha o que se quer, fantasia
E conquista o desejado, alegria

Aldá-cia leva-nos a um novo patamar
De esperança e luz em qualquer lugar
Crendo sempre que há um Deus a nos amparar

Alda M S Santos

Mais colorido

MAIS COLORIDO

Quero pintar esse mundo doido, doído
De azul, vermelho, amarelo, rosa choque, toda a cor
Fazer um grande e bonito colorido
Quem sabe assim não ofusque todo dissabor?

Pincelar bem tudo que estiver desbotado
O abraço, o beijo, o cuidado, o olhar, o sorriso
Aquele de humor nublado, calado
E tudo o mais que for preciso

Quero levar a cor neon, brilhante
Numa grande paleta, uma aquarela
Ao idoso, jovem ou infante
Um abraço, um sorriso e uma flor amarela

A todos que precisarem dela…

Alda M S Santos

Não é fácil

NÃO É FÁCIL

Nem sempre é fácil viver
Dores, desesperança e desencanto
Com tanta desigualdade, necessidade, pranto
Há dias que nos mandam pra dentro de nós
Tentando encontrar um ponto de equilíbrio
Um cantinho que seja reflexão, abrigo
Algum abraço, palavra, conselho amigo
Algo que nos reafirme que vale a pena insistir
Mesmo quando tanta coisa feia fale
Que tudo acabará por ruir
Ainda que a gente acredite piamente
Que para crescer, aprender, evoluir
É preciso enfrentar algumas quedas e avarias
Não é fácil…
Ter fé e confiar que tudo tem um propósito, irá melhorar
Para reescrever uma história, é preciso partes apagar
A outras histórias nem tão bonitas entrelaçar
Para uma obra de arte digna de quem nos criou
Podermos do outro lado, orgulhosos, apresentar
Mas não é fácil…

Alda M S Santos

Façamos amor com a vida

FAÇAMOS AMOR COM A VIDA
Dar e receber prazer, isso é fazer amor…
Se essa “técnica” fosse aplicada a tudo na vida,
Ela se tornaria mais linda e prazerosa
Utilizamos em nosso dia a dia outra técnica:
Apenas toleramos, suportamos, esperamos acabar
Muitas vezes não nos entregamos, não confiamos
Não nos envolvemos o bastante
Nem no trabalho, nem na família, nem na natureza
Tampouco em nossos relacionamentos
Falta tesão pela vida, sobra egoísmo
O resultado dessa equação é sempre negativo
Esquecemos a lei básica do viver:
O prazer maior está em doar
Quem doa recebe de si, recebe do outro
Façamos mais amor!
Alda M S Santos

Encantação

ENCANTAÇÃO

Um pássaro que canta para atrair a namorada
Isso é encanto na bela e convidativa alvorada
O rio que corre sempre rumo ao mar, sem parar
É encanto e nos faz querer nos banhar
O sol que sempre nasce e a todos aquece
Isso é encanto que diariamente nos fortalece
As estrelas que salpicam a escuridão do céu
São encanto, todos desempenhando seu papel
A chuva, a fauna, a flora em todas as estações
Isso é encanto que enfeitiça nossos corações
Um casal apaixonado sob o luar abraçado
Isso é encanto de um viver enamorado
Viver nesse mundo já mágico, encantação
No bom e no mau caminhar para a evolução
Sempre, no bem e no mal, ser gratidão
Pois em tudo há dedo do amor
Há essência e energia amorosa da Criação
Isso tudo é encantação!

Alda M S Santos

Encantada

ENCANTADA

Encantado: sob efeito de sortilégio ou magia
Que não responde por si, noutra sintonia
Ou abduzido por um mundo de emoção
Vivendo intensamente, noutra dimensão
Entregue, feliz, doce paixão
Natureza da qual sou parte, não me aparto
Sob pena de morte em vida
Daquelas que se enfurnam no quarto
Encantada, e daí? Não me importo!
Água corrente, fria, pura poesia
Faz bem, lava de fora para dentro energia
Lava de dentro para fora, valiosa terapia
Nada é preciso dizer, basta sentir
Deixar a dor, o sentimento fluir
Na hora certa o que fizer bem irá emergir
Fazendo dessa dimensão aqui
Um espaço no qual somos voo, somos asa
Até a hora de partir de volta para casa

Alda M S Santos

Fecho os olhos

FECHO OS OLHOS
Fecho os olhos quando não quero ver algo
Fecho os olhos quando quero me isolar do exterior
Fecho os olhos quando quero ver melhor
Fecho os olhos quando quero me conectar com meu interior
Fecho os olhos quando não quero ver o que é feio, o que magoa
Fecho os olhos fingindo não ver, não perceber, não saber ou sentir
Fecho os olhos para me proteger do desamor, das decepções
Fecho os olhos quando quero ver o essencial
Fecho os olhos para ver com outros sentidos
Fecho os olhos para ver a brisa leve arrepiar a pele
Fecho os olhos para ver as ondas batendo nas pedras
Fecho os olhos para ver o voo livre das gaivotas
Fecho os olhos para me aquecer nos primeiros raios de sol da alvorada
Fecho os olhos para absorver bênçãos, para potencializar o bem
Fecho os olhos quando quero ver com os olhos do coração
Como num beijo de amor e entrega
Que tudo vê e sente com os olhos da alma…
Fecho os olhos, tudo vejo, tudo percebo…
Feche os olhos!
Alda M S Santos

Eu te dei

EU TE DEI

Eu te dei…
A tela branca para pintar o seu sol
As árvores frondosas onde canta o rouxinol
As estrelas brilhantes para iluminar o seu céu
Uma linda paleta para satisfazer seu pincel

Eu te dei…
A chuva prata que irriga sua plantação
Que mata a sua sede e de sua criação
Que alimenta seus desejos de amor
Que te faz na vida um sonhador

Eu te dei…
A brisa para seu rosto refrescar
O rio para seu corpo banhar
A Lua para seu amor encantar
As rosas para sua vida perfumar

Só Eu te dei tanto…
Sem cobrar nada, tudo por encanto
Seu pouso, seu mais doce recanto
Alegria, gratidão, nada de pranto

Só Ele nos deu…

Alda M S Santos

Viva as árvores!

VIVA AS ÁRVORES!

Nao é porque purificam o nosso ar
Tampouco porque em tudo geram beleza
Ou porque ficam bem em qualquer lugar
Árvores são os mais belos símbolos da natureza

Grandes, pequenas, novas ou centenárias
Atendem as necessidades das mais primárias
São luz, calor, frescor, alegria, magia
Árvores são vida em harmonia, sabedoria

Acolhem ninhos, balançam ao sabor do vento Resistem às tempestades, a todo tormento
Imponentes, parecem ler nosso pensamento
Raízes fortes e galhos buscando o firmamento

Árvores falam a linguagem das fadas
Cantam o canto da brisa, da passarada
Amigas na primavera ou na invernada
Absorvem com carinho o abraço da alma enamorada

Viva as árvores!

Alda M S Santos

É preciso fazer as pazes

É PRECISO FAZER AS PAZES

É preciso fazer as pazes
Estar de bem consigo, novos ares
Buscar fora e dentro de si bons lugares
Deixar de fora as culpas, os males

É preciso fazer as pazes
Aceitar nossas falhas nessa jornada
O corpo que nem sempre agrada
A emoção que às vezes nos degrada

É preciso fazer as pazes
Com o outro que não nos aceita
Com a vida que nunca é perfeita
Conosco mesmos por tanta desfeita

É preciso fazer as pazes
Com o passado que nos magoou
Com o futuro que não chegou
Com o presente, que é onde estou

É preciso fazer as pazes…

Alda M S Santos

Sabiá apaixonado

SABIÁ APAIXONADO

Queria entender o seu canto
Não sei se é alegria ou pranto
Se chama pela companheira
Ou faz show para tomar a dianteira

Parece encontro já marcado
Entre dois afoitos namorados
No mesmo lugar, na mesma hora
Sabiá parece cantar “não demora”

Mas nada dela chegar ali
Canta alto, entoa “estou aqui”
Para, observa e voa para o caqui

O canto cessou, o amor chegou
Agora alegria silenciosa restou
Deixa quieto, para lá eu não vou

Alda M S Santos

Fada Coração

FADA CORAÇÃO

A Fada Luz queria tanto saber
Um modo de ser e fazer feliz
Resolveu rodar o mundo inteiro
Até descobrir o segredo

Num jardim, entre rosas,
Em meio a tanta luz e calor
Deu de cara com a Fadinha Sol
Que afirmou que para ser feliz
Era preciso saber a todos aquecer, fazer crescer…

Numa noite de lua e estrelas
Encantou-se com a Fadinha Estrela,
Sentada na Lua Cheia
E, brilhante, não tinha dúvidas:
A felicidade estava em iluminar caminhos…

Seguiu uma trilha até o horizonte
E foi dar no mar, numa praia distante
Ali estava satisfeita sob um coqueiro a Fadinha Água
Convicta, afirmou: ser feliz é matar a sede de viver

Fadinha Luz pensativa ficou, acreditava em todas elas
Era preciso aquecer, iluminar, matar a sede de vida
Mas sabia que algo ainda não estava completo
Sentia que ser feliz era mais que isso

E no meio de tanta criança feliz
Brincando, cantando, sorrindo e dançando
Encontrou, de olhos brilhantes, a Fada Coração
E ali descobriu que a felicidade
Estava em saber se doar, amar, ser irmão…

E Fada Luz aprendeu a lição:
Ser feliz é saber amar, é ser carinho
É ser pureza, é ser criança
É ser da vida o coração!

Alda M S Santos

Firmando laços

FIRMANDO LAÇOS

Cansaço, medo, dor, preocupação
Repouso, um pedido em forma de oração
Que haja paz, que o mal não prevaleça
Que num belo sonho tudo se esclareça

Caminhos nebulosos, difíceis, assustadores
A vida se apresenta, mostra suas dores
Passando por elas, em cada uma, aprendendo
Em cada tropeço, evoluindo, crescendo

Força, fé e coragem são renovadas
Em frente, gratidão, não estamos sós
Há anjos amigos, enviados a nós

Somos usados para desfazer os nós
O bem em olhares, palavras, abraços
Reforçando a parceria, firmando laços

Alda M S Santos

Tem poder

TEM PODER

Que mais sobre você tem poder
De fazer tudo do melhor acontecer
Não te deixar desanimar ou esmorecer
Te fazer vibrar, em belos tons florescer?

Que tem poder de te fazer mover
Te afastar da inércia, fazer efervescer
Tirar do lugar suas internas montanhas
Sem subterfúgios ou artimanhas

Se a banda passa você segue a dança
Se a menina sorri logo ativa sua esperança
Coração anda cansado de tanta andança

Quer um dia de chuva pra se sentir descansado
Se for ensolarado pra deixar mais animado
No fundo, quer mesmo o amor pra ficar mais encantado

Alda M S Santos

Desculpe!

DESCULPE!

Se nem sempre soube o que dizer
Se nem sempre consegui te ouvir, entender
Se não aceitei quando quis me acolher
Desculpe!

Pelos caminhos apertados onde entrei
Pelas vezes que fugi, te ignorei
E não soube ser grata, decepcionei
Desculpe!

Pelas dores que às vezes te culpei
Cobrei, e o erro era meu, bem sei
Pelas vezes que desesperei, não confiei
Desculpe!

Pela minha humanidade,  falhei
Em Sua bondade,  me reencontrei
A ti,  gratidão, não desistirei
Por isso… desculpe!

Alda M S Santos

Água ou fogo

ÁGUA OU FOGO?
Água ou fogo, calor ou frescor
Calmaria ou tempestade
Doçura, delicadeza e bondade
Ou atitude, agitação, lutas, felicidade
Sem falso pudor?
Água ou fogo?
Em qual deles encontramos o que mais precisamos
Voo livre ou terra firme
Asas ou raizes
Liberdade ou segurança
Troncos ou galhos, flores ou frutos?
Que buscamos?
Almejamos aquilo que nos atiça, energiza
Ou aquilo que nos acalma, tranquiliza
Qual elemento mais nos completa
Água ou fogo?
É preciso ficar alerta
Água que lava, refresca,
Nos leva em seu curso
Ou fogo que nos aquece, alimenta, instiga,
Consome o que nos faz mal
Ativa o bem e apaga toda intriga?
Água ou fogo?
Depende do que mais necessitamos no momento
Ambos podem nos limpar, purificar
Nos permitir recomeçar…
Água ou fogo?
Que saibamos escolher o elemento certo
No momento mais incerto…
Alda M S Santos

Quero ser

QUERO SER

Quero ser a melhor brincadeira
Naqueles momentos mais sérios
O sorriso nos momentos de apreensão
A lágrima nos instantes mais alegres
O abraço na hora de solidão

Quero ser o forte analgésico
Nas dores crônicas, no mal agudo
A resposta nas dúvidas existenciais
A placa de largada para os desanimados
A esperança para os sonhos tão naturais

Quero ser a fé e a luz brilhante
Nos breus intensos do caminho
A saudade no coração de alguém
A coragem que brota insistente
A doçura para o amargor também

Quero ser broto de amor
Sementes colhidas do coração
Plantadas em terreno fértil
Nascidas nas terras da imaginação
E perpetuadas no jardim dos irmãos em comunhão

Quero ser…

Alda M S Santos

Um olhar vago

UM OLHAR VAGO
Ela estava sentada naquele banco debaixo de uma grande árvore no parque.
Gostava muito de ir ali para pensar, relaxar, abstrair-se dos problemas.
Tempo frio, vento de agosto, o sol brilhava, mas pouco aquecia.
Jardim bem cuidado, lindas flores, perfumado, borboletas e beija-flores.
Crianças corriam, subiam, desciam, escorregavam, pedalavam, riam. Totalmente alheias ao mundo confuso dos adultos.
Um grupo de mães mais a frente vigiava. Falavam do mundo infantil. Algumas com bebês nos carrinhos, vez ou outra ofereciam água às crianças.
Um casal enamorado sentado de frente um para o outro, imersos um no outro.
Um senhor de idade meio indefinida, cabelos ralos e brancos, parecia distraído, acessando muitas lembranças. Carregava um jornal que não lia, olhar ao longe.
E ela ali, pensando, imaginando, observando…
As crianças continuavam a algazarra. Uma bola veio aos seus pés, jogou de volta com um sorriso.
O casal parecia cada vez mais desligado do entorno, mais mergulhados em si mesmos.
As mulheres continuavam uma conversa animada sobre os preços no mercado.
O senhor lentamente se levantou, limpou uma sujeira imaginária na própria calça, conferiu o banco, guardou o jornal na sacola e veio andando.
Derrepente a bola passou veloz no ar em direção àquele senhor.
Ela, num impulso, saltou e interceptou a bola antes que atingisse o alvo. Certamente derrubaria aquele senhor.
As mães ralharam e chamaram as crianças para ir embora. Umas reclamavam, outras choravam.
O casal olhou distraído para aquilo que ousava tirá-los de seu mundo e voltou a se beijar.
O senhor demonstrou gratidão, aceitou a sugestão dela e sentou-se novamente.
Olhou bem para ela, sorriu, um doce sorriso que iluminou todo aquele rosto.
Pegou o jornal, abriu, tirou de dentro dele um livro, o seu livro…
“É você, não é?” – afirmou sem esperar resposta com surpresa e alegria. “Adoro seus poemas”.
Ela também sorriu. A poesia tomou conta do parque .
A conversa fluía solta, o olhar já não era mais vago…
Alda M S Santos

Melhor lugar do mundo

MELHOR LUGAR DO MUNDO

Andamos por tantos lugares por aí
Alguns bem marcantes, melhores que outros
Despertam desejo de ficar para sempre ali
Qual o melhor lugar do mundo
Do qual não sairia sem pensar um segundo?
No alto de uma montanha, observando o alvorecer
Nas areias mornas da praia vendo o sol se esconder
Sob um céu de estrelas e prateado luar, ao anoitecer
Junto de seu amor, debaixo de um cobertor
Num jardim encantado com perfume de flor
Na brisa de um paraíso tropical a se refrescar
No gelo do polo norte a esquiar
Numa mata densa e bela a caminhar
Numa imensa cachoeira a se banhar
Num rio de águas claras a mergulhar
Num dia chuvoso a dançar, se molhar
São tantas maravilhas a viver, apreciar
Qual seria do mundo o melhor lugar?
Vale mesmo é a companhia que se tem
O mais lindo deles nada é sem um alguém
Qualquer um pode ser tudo na paz que se obtém
No prazer de estar consigo mesmo em sintonia
O melhor lugar do mundo é onde repousa o coração em alegria

Alda M S Santos

E a vida se faz…

E A VIDA SE FAZ…

O futuro tem dúvidas, se recusa, vê perigo
O passado desistiu, não quer, foi abrigo
Resta o presente, o que tens de real consigo

Muitos ontens ficaram para trás
Amanhãs não sabe quantos serão
Não dá para do hoje abrir mão

Do ontem há lembranças, marcas, saudades
Do amanhã só há expectativas, vontades
Só o hoje permite iniciativa, atividades

Passado, futuro, presente na vida da gente
Transitamos entre eles, coração eloquente
Derrubando muros,  atravessando pontes, sendo agente

E a vida se faz…

Alda M S Santos

Especial de inverno

ESPECIAL DE INVERNO

O friozinho que chega arrepia a pele
A mente busca introspecção
O vento gelado pede recolhimento
Coração busca outro coração

Desejo de estar junto, grudadinho
Debaixo do cobertor, bem quentinho
Tomando um chocolate ao amanhecer
E um vinho tinto ao anoitecer

Abraços são pedidos especiais
De fora para dentro aquecem
Atingem recantos individuais
De almas gêmeas que se reconhecem

Inverno é tempo de hibernar
Cuidar do broto, deixar germinar
Para nova primavera que irá chegar
Poder perfumar, colorir, amar, encantar

Alda M S Santos

Eis-me aqui

EIS-ME AQUI

Eis-me aqui, ora inteira, ora faltando pedaços
Mas ainda assim, eu mesma
Buscando a cola que irá reconectar
O pedaço que de mim se quebrar

Eis-me aqui, ora frágil, ora forte
Mas com a mesma essência
Procurando algo que possa preencher
O que hoje se tornou ausência

Eis-me aqui, ora louca, ora sã
Sem deixar de ser humana, machucada
Gritando silêncios em resposta a dores caladas

Eis-me aqui, ora amante, ora amada
Persistente em busca do que justifica todo o viver
A alegria do amor sempre fazer, refazer

Eis-me aqui, ora sorrisos, ora lágrimas
Sem nunca desistir dessa caminhada
Conquistando a reciprocidade que acalenta, a paz que alimenta…

Eis-me aqui…até quando?

Alda M S Santos

Você comigo

VOCÊ COMIGO

Gostaria de ter você em minha rotina
Quando meu coração for de uma doce menina
Ou quando ele estiver frágil, numa alma pequenina
Gostaria de ter você na minha rotina
Quando o Sol brilhar lá em cima
E aquecer meu corpo arrepiado
Ou quando na tempestade precisar da sua mão
Para afastar meu medo da escuridão
Gostaria de ter você na minha rotina
Quando eu sorrir até a barriga doer
Ou quando tudo for lágrimas
E não tiver a quem recorrer
Gostaria de ter sempre você em minha rotina
Para me mostrar o bom caminho
Para me amparar no voo fora do ninho
Para nunca me deixar sentir sozinha
Gostaria de ter sempre você em minha rotina
Para me encorajar em minha sina feminina
Para poder dizer o que sempre esperei
“Em frente, não te abandonarei
Eu estarei contigo até o fim dos tempos…”

Alda M S Santos

O risco

O RISCO

Corremos riscos todo o tempo
Riscos de sofrer, de morrer
Riscos de a vida só deixar correr
Sem saber bem ao certo o que fazer

Corremos riscos de o amor perder
De deixar a dor prevalecer
Da gente mesmo se perder
E não manter a essência do ser

Posso acordar e a vida avaliar
Que tudo foi apenas um sonho louco
E que quase nada consegui realizar

Posso tudo um dia perder, fazer o quê?
Mas não posso da vida me esconder
Pois o maior risco é de apenas aqui sobreviver

Alda M S Santos

Vamos transformar o mundo

VAMOS TRANSFORMAR O MUNDO
Vamos transformar esse mundo frio
Aquecendo cada coração carente que se aproximar
Vamos transformar esse mundo amargo
Sendo sorriso para cada cara amarrada que encontrar
Vamos transformar esse mundo sério, tolo e feio
Sendo brincadeira, sendo criança, sendo alegria
Vamos transformar esse mundo individualista
Sendo abraço, sendo colo a cada olhar opaco que baixar
Vamos transformar esse mundo faminto
Oferecendo o que pudermos para alimentar
Vamos transformar esse mundo doente da alma
Sendo a paz, a serenidade e a luz para curar
Vamos transformar esse mundo injusto
Sendo a mão que tenta as diferenças equalizar
Vamos transformar esse mundo incrédulo
Sendo a fé e o amor divino a quem precisar
Vamos transformar esse mundo de tanta angústia e dor
Sendo o bálsamo calmante e apaziguador
Vamos transformar esse mundo, sim
Como?
Pelo exemplo, pelo contágio, pelo amor
Devagarzinho, um ser humano de cada vez…
Alda M S Santos

Como a Lua

COMO A LUA

Tantas vezes como a Lua
Ora soberana, na escuridão do céu
Cheia, brilhante, encanto dos amantes
Sabedora de si, de seu papel

Tantas vezes como a Lua
Solitária,  isolada, perdida no céu
Invisível, em eclipse, da luz escondida
Em si não se encontra, cansada, sofrida

Tantas vezes como a Lua
Crescente, bela, sentindo-se parte
Entre astros e estrelas, renascimento
Infinitamente, a rainha do firmamento

Tantas vezes como a Lua
Encanto, loucas fases, passageiras
Mistério, beleza, nua e crua, da paz mensageira 
Seguindo, amada, amante, da vida parceira

Alda M S Santos

Data limite

DATA LIMITE
Uma data “limite” para a vida continuar ou se findar
Para o amor fluir, acontecer
Vida, tecnologia, ciência, evolução
Mas, principalmente, amor
Uma data limite na batalha contra a morte e destruição
Uma data limite para interação entre os seres da criação
Data limite para sentir-se parte, para ajudar, para a autoaceitação
Um mundo tão injusto e cruel
Mas cheio de oportunidades de crescimento, de compaixão
Nunca se falou tanto de amor
Nunca se “brigou” tanto pelo amor
Pelo amor aos pequenos, às minorias, àqueles que nem podem se defender
Amor a vegetais, animais, amor aos que não são “iguais”
Amor à natureza, ao planeta, à galáxia, a seres especiais
Quem é mesmo que sempre amou o diferente, o pequeno
Quem se entregou pelos fracos e pecadores
Quem lutou por justiça pelos desamparados?
Ele está aqui…tão perto…tão dentro…
Vamos deixar o amor fluir…
A data não é limite, é continuidade
Se você está aqui, você faz parte
Deixe o amor fluir de você, para você
A nova era chegou…
Alda M S Santos

Nada por viver

NADA POR VIVER

Não quero deixar nada por viver
Tanta gente indo embora tão cedo, deixando muito por fazer
Que aumenta em nós a necessidade de nada deixar por viver
Com o cuidado de, com isso, nada no outro fazer morrer

Parece que há tanto ainda por aprender
Tantos lugares a passear, a conhecer
Muito ainda a doar, a ajudar, a nos compadecer
Tanto amor ainda por fazer…

Não quero deixar nada aqui para viver
Quero brincar mais, sorrir mais, sem reclamar quando doer
Porque tudo isso faz parte do viver
Extraí da vida tudo o que ela oferecia, quero poder dizer

Quero em tudo intensidade, interação, paixão
A vida do outro lado haverá afazeres diferentes, outra distração
Daqui levarei lembranças, emoção, satisfação
E, se Deus quiser, nada deixarei
Além de marcas boas de saudade em cada coração…

Não quero deixar nada por viver…

Alda M S Santos

Bom mesmo

BOM MESMO

Bom mesmo é viver a vida
De tal modo que não deixe para ela saída
A não ser se aliar a nós
Nos ajudando a eliminar qualquer algoz

Bom mesmo é dar o melhor da gente
Para todos igualmente
E se isso parecer impossível
Que façamos, para tanto, todo o possível

Bom mesmo é cuidar direitinho
Com amor, respeito e muito carinho
Daqueles que recebemos como presente
Para dar sentido à vida da gente

Bom mesmo é ser agradecido
A tudo que nos foi consentido
Com sabedoria e muita calma
Aceitar o fim, quando chegar, com paz na alma…

Alda M S Santos

Ela caminha pela vida

ELA CAMINHA PELA VIDA

Ela caminha pela vida vestida de saudade
Saudade de tempos que não sabe bem definir
Talvez em que fosse mais real um sentir
Ou um desejo grande de fazer sorrir

Ela caminha pela vida vestida de brisa
Ora suave, leve, refrescante
Ora quente, envolvente, vibrante
Abraçando os sonhos, amante, delirante

Ela caminha pela vida vestida de amor
Transita em jardins, colhendo flor
Querendo ter asas como borboletas
Ou sendo a rosa daquele beija-flor

Ela caminha pela vida vestida de Lua
Só brilho, eclipses, fases
Corpo entregue, alma nua
Doce vida, belos sonhos em tons lilases

Ela caminha pela vida…

Alda M S Santos

SEDUÇÃO

SEDUÇÃO

A arte de algo ou alguém encantar
Atrair, enredar, fascinar
Usando os artifícios da beleza
Ou de uma atitude de valor e grandeza

Às vezes usa de recursos escusos
Pra conquistar, cometer abusos
Não é belo, machuca, é doloroso
Se não houver um caráter amoroso

No campo das vastas relações
A sedução envolve diversas emoções
Leveza e beleza dão a lenta sonoridade
É tênue a linha a separar encanto e vulgaridade

A sedução envolve uma química deliciosa
Essa é a de todas a mais valiosa
Onde não se nota quem seduz ou é seduzido
Encanto, magia, entrega, quase abduzidos

Alda M S Santos

Me leva

ME LEVA

Me leva com você para os caminhos que já trilhou
Para que possas me ensinar a ser feliz no conhecido
E a me alegrar com o que passou sem sofrimentos

Me leva com você por caminhos novos
Para que possas encantar-se junto a mim com novas descobertas
E fazer delas uma boa opção
Um rio de águas cristalinas a molhar os pés cansados

Me leva, melhor ainda,
Siga-me por caminhos que só eu conheço
Aqueles cujas trilhas marcadas por sulcos de sorrisos e lágrimas
Estão bem dentro de mim
Esperando por bons caminhantes

Me leva por qualquer caminho, qualquer um,
Havendo tristeza ou alegria, não pare!
Mas não me deixe na mão, não me desampare…

Me leva todos os dias, vida,
Com você poderei sempre aprender
Mas não me deixe ao léu
Ensina-me teus segredos
De continuar a existir
Quando tudo no entorno parecer ruir …

Me leva…

Alda M S Santos

Tudo que queremos

TUDO QUE QUEREMOS

Ora o coração quer passear na imaginação Deseja buscar prazer, emoção
Ora é a mente que comanda a ação
Nada de fantasia, prevalece a razão

Seres múltiplos que somos a pensar
O coração viaja, quer num bom lugar
Encontrar o amor para poder pousar
E ali para sempre ficar

A mente vai para frente e para trás
O que a gente quer é o que de bom ela traz
Do passado, futuro, presente, tanto faz
Ser feliz quero ser capaz

Alda M S Santos

Onda de quê?

ONDA DE QUÊ?

Onda de calor, quarenta graus, frente quente
Daquelas que sugam a energia da gente
Onda de frio, temperaturas baixas, frente gelada
Daquelas que nos fazem encolher na madrugada

Tanta onda que aparece por aí
Queria tanto saber quando chegará por aqui
A onda de amor, frente de bondade
Que é dessa que tanto precisa a humanidade

Onda de compaixão, um pouquinho de atenção
Que levanta alguém do chão, que acolhe o irmão
Onda de solidariedade, que atinge qualquer idade
Desperta a piedade, atiça a caridade

Onda de carinho, chegando de mansinho
Daquelas que matam a saudade
Que nos pegam e nos dão um colinho
E afastam qualquer maldade…

Quando a onda do amor irá nos abater?
Só queria saber…

Alda M S Santos

Iluminando

https://online.pubhtml5.com/wdzl/katz/

ILUMINANDO …EM ESPANHOL

Sigo iluminando os caminhos pelos quais eu passo
Um esforço a mais para manter a esperança eu faço
Não dá para caminhar na escuridão
Não dá para viver sem luz no coração

Procuro voar, ainda que na aeronave da imaginação
Ou nadar nas águas profundas de minha emoção
Abasteço com o combustível de boas lembranças
De um viver de alegrias e muitas andanças

A vida vai se fazendo, estejamos inertes ou agindo
Marcas vão sendo em todos impressas
Em muitas almas tantas vezes controversas

Quero me encontrar em mim,
Preciso não me perder nesse louco motim
Por uma vida que faça sentido do princípio ao fim …

Alda M S Santos
Mais no meu blog vidaintensavida.com

Fortes ou frágeis?

FORTES OU FRÁGEIS?

Qual será a lição que devemos todos tirar
De um mal pandêmico que veio afastar
Um povo que precisaria muito se aproximar
E cada dia mais o outro poder enxergar?

É ponto pacífico: só o amor pode nos salvar
O amor ao outro, saber solidarizar
Tão afastados, sem sequer poder abraçar
Há que se encontrar novos modos de amar

Somos frágeis, essa é uma grande lição
Um vírus invisível pode nos tirar o chão
Pensar coletivamente é a única solução

Somos fortes, também é uma constatação
Ao buscar meios de renovação, evolução
E, ainda que distantes, ser união, ser coração

Alda M S Santos

Luz e sombra

LUZ E SOMBRA

Ora luz, ora sombra
Ora claridade, ora escuridão
E ali ficamos nós buscando equilíbrio
Entre a liberdade e a prisão

Entre luzes e sombras
Procuramos um caminho enxergar
Um passo após o outro
A trilha que irá nos acalmar

Fechamos e abrimos os olhos
Para com a penumbra nos acostumar
Inspira, expira, relaxa
Para a paz poder reinar…

Alda M S Santos

Um banho de Lua

UM BANHO DE LUA

Fechei os olhos na quente e escura noite
Natureza rica, água refrescante
Apenas sentindo o brilho da Lua
Banhar meu corpo,  provocante

Em suaves versos ela me envolve
Busca encantar-me com sua poesia
Leva-me para outra galáxia
Num mundo mágico de quase heresia

Já ali entregue, quase rendida
Nessa doce troca, sem medida
Sou puro amor, por ela absorvida
Já não quero mais nada desse mundo
Já nada mais preciso dessa vida…

Alda M S Santos

Sob o luar

SOB O LUAR

Sob a luz intensa do luar
Quero relaxar, me entregar
A um banho quente, envolvente
Que afaste tudo da mente
Exceto o prazer de ser gente

Quero um banho de Lua!

Sob a beleza da Lua
Por uma noite sem fim, sem pudor
Ou por toda a vida, de alma despida
Poder sem medo me abrir, me expor

Preciso de um banho de Lua!

Sob o poder e encanto da Lua
Deixar tocar e brilhar em mim
Raios de amor, gotas de poesia
Da pele suave à alma nua
Pura magia…

Quero um banho de poesia!

Embriagada de poesia ao luar
Mergulhada na ânsia de amar
Um nostálgico desejo me faz te chamar
Não quer comigo também se banhar
No mar, sob o luar?

Precisamos nos banhar
De lua
De poesia
De amor…

Alda M S Santos

Levezas

LEVEZAS

É bom poder carregar levezas
Flutuar, no grande salão da vida valsar
Talvez até um pouco de levadezas
A vida foi feita para aproveitar

É bom distribuir delicadeza
Abraçar, beijar, a todos amar
Trazer em si um pouco de sutileza
Para quando a vontade for de chorar

A vida fica cheia de lindeza
Quando abrimos os olhos da alma
E mergulhamos em nossa natureza

Não significa que não haverá tristeza
Apenas que elas não terão prioridade
Num coração leve, onde reine a pureza

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: