Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Categoria

Caminhos

Uma longa estrada

UMA LONGA ESTRADA

Uma longa estrada pela frente
Música no ar, muita coisa na mente
Dirigindo, sem rumo, seguindo
Apenas deixando o tempo passar, fluindo

Desejo de apenas deixar-se levar
Nas estradas de terra, no ar
Num barco, nas ondas do mar
Na imaginação, um bom lugar, talvez ficar

O pôr do sol ao longe observar
Querendo também com ele se esconder
Nascer noutro canto, além-mar

A vida pede ou cede passagem
Não sabe, apenas segue viagem
Ora no centro, ora à margem

Alda M S Santos

Sem rumo

SEM RUMO

Sem rumo, sem prumo
Tentando fazer um resumo
Dessa história, obra aberta
Querendo fazer a escolha certa

Sem rumo, sem prumo
Sem rota ou plano de voo
Apenas voando, sem direção
Pés em falso, fora do chão

Sem rumo, sem prumo
Em sonhos flutuando
Em versos mergulhando
E a vida… passando

Falta o ar, falta o chão
Tantas vezes, falta motivação
Mas a gente segue em frente
Sendo luz, vencendo a escuridão

Alda M S Santos

Andanças

ANDANÇAS

Andei por caminhos desconhecidos
Tive medo, me acovardei
Quis voltar, desistir, chorei
Mas a esperança prevaleceu, enfrentei

Andei por caminhos estreitos, esburacados
Tentei não cair, carregar os fardos
Nem sempre leves, enfrentando o cansaço
Buscando o refrigério de um abraço

Andei por caminhos floridos
Intenso perfume, coloridos
Sentindo de Deus o cuidado, o abrigo
Em cada passo protegida do perigo

Andei por caminhos de amor e compaixão
Olhei para o lado, vi meu irmão
Seguimos juntos, mãos dadas
Tornando mais fácil nossa caminhada

Alda M S Santos

Sigo a luz

SIGO A LUZ

Não importa se o caminho é longo
Se está complicado prosseguir
O cansaço assume, não deixa fluir

Sigo a luz..

Quando não consigo acreditar
Que tudo isso irá passar
E poderemos de novo nos abraçar

Sigo a luz…

Quando o brilho do Sol é insuficiente
A escuridão da noite é persistente
E fica impossível ser bom previdente

Sigo a luz…

Quando o amor é mais dor que calor
Quando o jardim já não tem mais flor
E tudo parece querer nos indispor

Sigo a luz…

Só a luz renova a energia
Só a luz promove a magia
Só a luz de Deus em nós, só ela
É capaz de em nós ser o guia

Sigo essa luz…

Alda M S Santos

Muitos caminhos

MUITOS CAMINHOS

São muitos os caminhos, os sonhos
Ora são lindos, prazerosos, ora medonhos
Cabe a nós fazer a melhor escolha
Nos mover, sair feliz dessa bolha

Num eterno ir e vir, cair, seguir
Desejamos ser amor, nunca desistir
Nos alegramos, decepcionamos
Erramos, assumimos falhas, perdoamos

De encontros se faz o viver
Amizades,  amores, relações de prazer
Somos da vida a civilização
E tantas vezes  disso abrimos mão

Mas a cada dificuldade, um aprendizado
A cada tombo, um levantar mais animado
A vida é de quem não fica parado
E busca seu sonho, mesmo amedrontado

Alda M S Santos

Ela caminha pela vida

ELA CAMINHA PELA VIDA

Ela caminha pela vida vestida de saudade
Saudade de tempos que não sabe bem definir
Talvez em que fosse mais real um sentir
Ou um desejo grande de fazer sorrir

Ela caminha pela vida vestida de brisa
Ora suave, leve, refrescante
Ora quente, envolvente, vibrante
Abraçando os sonhos, amante, delirante

Ela caminha pela vida vestida de amor
Transita em jardins, colhendo flor
Querendo ter asas como borboletas
Ou sendo a rosa daquele beija-flor

Ela caminha pela vida vestida de Lua
Só brilho, eclipses, fases
Corpo entregue, alma nua
Doce vida, belos sonhos em tons lilases

Ela caminha pela vida…

Alda M S Santos

Atalhos

ATALHOS

Buscamos muito por atalhos
Por caminhos mais rápidos
Sem saber que tantas vezes
A longa estrada é que faz viver
Nos atalhos queimamos etapas
Não aspiramos as flores que perfumam
Não ouvimos o cantar dos pássaros
Não amamos sob as estrelas que iluminam
Não recebemos o sol que nos aquece
Ou a brisa cálida que nos enternece
Queremos chegar logo, atalhar
Para o objetivo logo alcançar
Não quero mais atalhos!
Quero trilhar o caminho mais longo
O destino final todos sabemos
Urge aproveitar os beijos e o dar-se as mãos
Abraçar a vida que se apresenta nessa estrada
Entre a aurora e o anoitecer
Quero mesmo é poder viver
Acolhendo tudo com prazer
Lágrimas, sorrisos, beijos, flores
A doçura da vida, dos amores
Não quero atalhos!

Alda M S Santos

Um norte

UM NORTE

Pode haver coisa mais linda
Que uma estrada assim tão colorida
Cheiro de mato, de terra molhada
De uma vida que segue, não fica parada?

Verde em vários matizes, brilhantes
Aromas da natureza, marcantes
Sons que acalmam, energizantes
Cachoeira que seduz, atraente, hipnotizante

Não importa se há bichos
Eles fazem parte do encanto
São natureza viva, cada qual em seu canto

Há quem goste, há quem desgoste
Há quem fique totalmente perdido
Há quem encontre aqui o seu norte

Alda M S Santos

Simplesmente, ia…

SIMPLESMENTE, IA…
As árvores passavam rápido lá fora
Um vento gostoso entrava pela janela
E bagunçava todo o cabelo dela
Uma música alta tocava ali atiçando a coragem
Pisava fundo, subia, reduzia na banguela
Quanto mais seguia, mais caminho surgia
E ela dirigia meio sem saber para onde ia
Simplesmente, ia…tinha que ir, disso sabia…
Algo estranho a impulsionava, nada a impedia
Ora sol, ora chuva, sempre a música a embalava
Que buscava?
Não sabia, simplesmente ia…
Quando chegasse, saberia, ou regressaria…
Alda M S Santos
Mais no meu blog vidaintensavida.com

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: