Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Tag

Amor

O amor e o tempo

O AMOR E O TEMPO

Que o amor faz ao tempo: acelera, modifica?
Que o tempo faz ao amor: fragiliza, solidifica?
O amor tem poder de parar o tempo
Congelar nos momentos mais felizes
Onde não haja contratempos?
Ou segue indefinidamente, mero passatempo?
O tempo dilui o amor, desaparece, enfraquece
Ou o enraiza, fortalece, engrandece?
Por si só o tempo não faz nada
Tudo dependerá da ação empenhada
Do que queremos ter em nós eternizada
Lembranças boas e aprendizados
Carinhos e atenção recebidos e doados
O tempo apenas potencializa
Aquilo que temos como prioritário
Fará crescer o que foi cuidado e regado
Fará morrer o que foi a segundo plano relegado
Mas o tempo sempre permite aprendizado
E novo recomeço a coração magoado
Disposto a se enveredar nesse mundo
Onde aquele que ama é sempre abençoado
Sempre haverá tempo para um alguém
Que se dispõe a amar e ser amado …

Alda M S Santos

É a cura

É A CURA

Amor é a cura para quase tudo
Mas amor também adoece?
Será que fica dolorido, envelhece?
E se reativado, renasce, rejuvenesce?

Amor é remédio para desilusão
É mel que adoça o fel da solidão
É alimento em qualquer situação
É da vida a própria realização

Amor não pode doer, fazer sofrer
Não dá para viver de amargura
Amor é a vacina, a cura

Amor é saúde, é beleza
Não pesa, não morre, é pura leveza
Amor é da vida a maior grandeza

Alda M S Santos

Só assim

SÓ ASSIM
Um mundo de tantas conquistas e riquezas
Só valerá a pena se eu puder levar comigo aqueles que amo
Só assim será bom…
Um mundo de tanto luxo e sofisticação
Só valerá a pena se não houver tanta gente passando necessidade
Só assim será bom…
Um mundo cheio de grandes prazeres
Só valerá a pena se não tiver deixando ninguém para trás no sofrimento
Só assim será bom…
Um mundo de grandes conquistas só será valioso
Se não tiver tirando nada de ninguém
Só assim será bom…
Um mundo onde a vista é bela do alto de onde estivermos
Só será valioso se a vista de quem olha de baixo também for bela
Só assim será bom…
Um mundo só será realmente belo quando for mais igualitário
Enquanto isso, prefiro ficar do lado de cá
Só assim posso me sentir melhor…
Alda M S Santos

Deixar-se amar

DEIXAR-SE AMAR
Que aprende-se a amar, todos sabemos
Mas aprende-se também a deixar-se amar
Ambas as ações se conectam, se interligam
Quem não sabe amar, não sabe aproveitar o amor que recebe
Amor bem dado e amor bem recebido se multiplicam
Aprende-se a receber amor, doando amor
E aprende-se a doar amor, amando, na prática.
Não há manuais ou receitas, talvez algumas experiências.
Ambas as vozes do amor são ativas
Não existe passividade no amor
Amor passivo é vida inativa!
Alda M S Santos

É amor?

É AMOR?

Amor não é difícil de perceber
Quando já se “instalou” em um ser
Basta observar com atenção
O cuidado que se tem, então…

Amor de verdade deixa rastro
Um brilho, uma cor, um olhar
Mas só é amor de fato
Se houver cuidado no trato

Amor tem desejo, sexo, atração
Tem admiração, loucura e satisfação
Mas se ficar só nisso, não confunda, é paixão
Amor de verdade gera cuidado e proteção

Um amor assim todos almejamos
É riqueza, grandeza, como sonhamos
Você cuida de mim, eu cuido de você
Até sem existir um porquê

Você quer um amor assim?

Alda M S Santos

Ciúme e amor

CIÚME E AMOR

Cuidado e proteção todo amor quer
Seja naquele de amizade
Ou numa relação homem-mulher
Mas e o ciúme  é sinal de amor?
Ou é mais uma desconfiança qualquer
Coisa de uma mente doente
De uma alma possessiva, insegura, demente
Que quer manter o outro atado, preso a si
Não é uma emoção pura!
Traz em si muita nocividade
Que envenena uma boa relação
É pesado, tira a leveza, gera maldade
Quem ama quer ter segurança
Quem ama a oferece ao ser amado
Se é preciso fiscalizar, cobrar, exigir
Já é doentio, melhor escapar, fugir
O amor só vale a pena se trouxer alegria
E o ciúme retira essa beleza, essa magia
Quem ama tem medo de perder
Isso é normal, dá para entender
Mas daí a prender para se sentir seguro
É enveredar por caminho obscuro
Ame, deixe-se amar, seja feliz
Mantenha o coração puro…

Alda M S Santos

Passe!

PASSE!

Se levanta dúvida ou desconfiança
Se não valoriza, é só cobrança

Passe!

Se gera enfado ou cansaço
Não estimula, não respeita seu espaço

Passe!

Se tripudia, deixa seguir à revelia
Não traz encanto ou magia

Passe!

Se causa lágrimas ou dor
Não se importa, fica devedor

Passe!

Mas se for carinho, cuidado e atenção
For amor, colo, encanto, admiração

Fique…abrace!

Alda M S Santos

Como se mede o amor?

COMO SE MEDE O AMOR?

Como se mede o amor?

É maior o que tem mais carinho

Mais cuidado, mais ciúmes?

É maior o que mais deseja, se expressa mais no corpo,

No contato, no sexo?

É maior o que mais se expõe, mais se arrisca,

Mais tem a perder?

É maior o que mais demonstra, mais dedica, mais busca,

Mais está presente?

É maior o que mais admira, mais confia, mais é confiável?

É maior o que mais respeita, mais se entrega, mais se doa?

Como medir o amor?

Simples!

É maior aquele que nos satisfaz, que mata nossa sede!

Aquele que nos deixa felizes,

Na nossa medida e necessidade individuais!

Alda M S Santos

Eis-me aqui

EIS-ME AQUI

Eis-me aqui, ora inteira, ora faltando pedaços
Mas ainda assim, eu mesma
Buscando a cola que irá reconectar
O pedaço que de mim se quebrar

Eis-me aqui, ora frágil, ora forte
Mas com a mesma essência
Procurando algo que possa preencher
O que hoje se tornou ausência

Eis-me aqui, ora louca, ora sã
Sem deixar de ser humana, machucada
Gritando silêncios em resposta a dores caladas

Eis-me aqui, ora amante, ora amada
Persistente em busca do que justifica todo o viver
A alegria do amor sempre fazer, refazer

Eis-me aqui, ora sorrisos, ora lágrimas
Sem nunca desistir dessa caminhada
Conquistando a reciprocidade que acalenta, a paz que alimenta…

Eis-me aqui…até quando?

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: