Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Tag

Amor

Adivinhação

ADIVINHAÇÃO

Sonhei que tinha acordado com o poder de adivinhar

Bastava olhar alguém e sua alma podia enxergar

Rapidinho percebia de quem poderia gostar

Ou no coração de quem eu já tinha bom lugar

Para uns eu olhava e dava vontade de chorar

De outros eu queria apenas me distanciar

Havia aqueles que queria muito abraçar e beijar

E outros, tão ternos, o que fazer melhor nem contar

Parecia coisa boa ter poder de adivinhação

Saber de longe o que se passa em um coração

Mas, afinal, não é assim grande coisa, não

Só valeria a pena se a adivinhação

Viesse acompanhada com poder de ação

Aquela que no coração do outro faz transformação

Alda M S Santos

A língua do amor

A LÍNGUA DO AMOR

A linguagem do amor é universal

Pode ser sintonizada em qualquer canal

Sempre será falada e entendida

Pelos mais necessitados, gente sofrida

Ela grita no silêncio das carências

Ela se cala na angústia das dependências

Ela se aninha no carinho do acolhimento

Ela se faz entender em cada sofrimento

Abraço fala, beijo fala, colo fala

Falam a linguagem dos anjos, do amor

Todos aqueles que sabem acalentar uma dor

Linguagem inata, mas que pode também ser aprendida

Por toda uma geração tão perdida

Que não encontra em ninguém uma guarida

Alda M S Santos

Qual o tamanho do seu sonho?

QUAL O TAMANHO DO SEU SONHO?

Como medir um sonho que se tem?

Como fazer para bem dimensionar

Dá para mensurar pela (im)possibilidade de realizar?

Qual o tamanho do seu sonho?

É maior o que mais dinheiro gastaria

Ou aquele que mais abrir mão exigiria?

É de bom tamanho o que aproxima da realidade

Ou aquele que traria mais felicidade?

Qual o tamanho do seu sonho?

É maior o que for justo sem onerar ninguém

Ou aquele que engrandece a alma de quem o obtém?

É grande o bastante o que gera prazer e paz

Ou o que não se esvai, se eterniza, não é fugaz?

Qual o tamanho do seu sonho?

Alda M S Santos

Bodas de pérola

BODAS DE PÉROLA

Já faz tanto tempo, não consigo mensurar

Mas o relógio não parou de girar

São 35 anos, diz o calendário

Eu era uma menina num mundo temerário

E nos aproximamos, nos enamoramos

Dois terços de minha vida são com você

Casamos, dois filhos lindos criamos

Que ainda falta para nos acontecer?

Você sempre soube meus sonhos, meus desejos

Trocamos alegria, dor, beijos

Nem sempre foram flores, houve também espinhos

Mas compartilhamos conquistas, dividimos caminhos

São 35 anos lado a lado, 30 anos de casados

Será que imaginaríamos nossas vidas separados?

“Até que a morte nos separe”, foi nossa promessa

Ela que demore, não temos pressa!

Sonhamos uma vida juntos, bonita

Juntos a temos realizado

Que possam vir mais trinta

A gente enfrenta, lado a lado!

Alda M S Santos

Queremos

QUEREMOS

Queremos alguém que nos faça amor, que nos tire a dor

Que nos beije com a delicadeza e a fome de um beija-flor

Queremos alguém que nos afaste os monstros, acenda a luz

Que seja o anjo amigo que por caminhos lindos nos conduz

Queremos alguém que goste de amar na chuva, na cachoeira se banhar

Que pule a janela e nos leve a caminhar de mãos dadas ao luar

Queremos alguém que nos abrace, nos dê colo, nos faça cafuné

Nos fortaleça e nos restaure a esperança e a fé

Queremos alguém que nos bote para dormir, acorde juntinho

E que seja, acordado ou dormindo, nosso sonho de carinho

Queremos alguém que nos mantenha junto a si, não nas grades de uma prisão

Mas alguém que nos enlace nos laços do amor e da proteção

Queremos alguém…

Alda M S Santos

Quero fazer um pedido

QUERO FAZER UM PEDIDO

Quero fazer um pedido à estrela cadente

Pode tornar realidade o meu sonho mais urgente?

Quero fazer um pedido ao gênio da lâmpada de Aladim

Pode trazer um amor na medida só para mim?

Quero fazer um pedido aos mais valentes ancestrais

Podem nos ensinar a não lutar por motivos tão banais?

Quero fazer um pedido à chuva que cai torrencial

Pode levar embora tudo aquilo que me faz mal?

Quero fazer um pedido à fada que mora em mim

Pode me afastar os medos de uma vida assim, assim?

Quero fazer um pedido ao Deus do amor e da paz

Pode nos ensinar um viver um pouco mais eficaz?

Quero fazer um pedido a todo mago, amigo da poesia

Promete não me deixar desistir de nela encontrar a magia?

Alda M S Santos

Onde foi parar?

ONDE FOI PARAR?

Onde foi parar a alegria de brincar na chuva

De correr na enxurrada, dispensar guarda-chuvas?

Onde foram parar as brincadeiras na rua

Aquelas com os amigos coloridos sob a Lua?

Onde foram parar os bate-papos na calçada à noitinha

Os abraços e amassos no alpendre da madrinha?

Onde foi parar a expectativa por uma carta

A dor de barriga por um amor que não se farta?

Onde foram parar os sonhos, os contos de fadas

A esperança no futuro, vidas mais amadas?

Onde foi parar a animação num banho de rio

De tanque, de mangueira por horas a fio?

Onde foi parar a alegria na simplicidade

Quando passamos a querer mais e mais numa insanidade?

Quando foi que passamos a enxergar só a maldade

E com isso encontramos só infelicidade?

Quando?

Alda M S Santos

Um mundo

UM MUNDO

Um mundo mais alegre, menos sofrido

Com mais bênçãos, menos perigo

Onde todo soldado combalido

Encontre no outro um bom abrigo

Um mundo mais suave, menos amargo

Com menos “passar de pernas”, mais dar-se as mãos

Onde o amor e amizade fiquem a cargo

De seres humanos mais irmãos

Um mundo onde seja permitido sonhar

E bons desejos poder realizar

Na fraternidade e na paz nos irmanar

Um mundo onde reine o respeito e harmonia

Pelas criaturas, natureza e Criador

E que saibamos que só seremos felizes onde houver amor

Alda M S Santos

Transição

TRANSIÇÃO

Se você está aqui, você já faz parte

Já terá papel preponderante nessa arte

Já está incluído nas mudanças, no porvir

Fique atento, cuide de suas andanças, seu existir

A transição planetária está aí, é para evoluir

É tempo de fazer algo, não se eximir

Abrace o bem, seja o bem, espalhe o bem

Não seja por aqui apenas mais um alguém

A natureza grita, seres extraterrenos estão na jogada

Crianças já vêm renovadas, intensas, preparadas

Abra-se, fique na parada, deixe sua alma ser lavada

A vida flui e nos convida ao batente

A mudança está ocorrendo, você está contente?

Acorde, lute, vá para a linha de frente!

Alda M S Santos

O amor e eu

O AMOR E EU

Caminhamos lado a lado faz tempo

Acredito que nossa relação venha de outras vivências

Já nos demos as mãos, já ficamos de mal

Já fingimos estar bem para manter as aparências

Já sorri por ele, chorei, briguei

Já cansei, fui embora, desanimei

Já me esforcei, levantei, me entreguei

Quase desisti, acordei, voltei, de novo amei

Ele e eu somos assim, inseparáveis

Se nos apartam, ficamos vulneráveis

Se estamos em harmonia somos admiráveis

O amor e eu somos complementares

Não sou nada sem ele, ele é nada sem mim

Seguimos assim, um caminho sem fim

Alda M S Santos

Coração calado

CORAÇÃO CALADO

Uma angústia, uma sensação de pesar

Peito apertado, coração calado

Não sei de onde vem esse “inexistir”

Que às vezes dá vontade de sumir

Premonição, certeza de um porvir

Que nem sempre será belo, pode ferir

Mas talvez traga um certo avanço, crescimento

Que nos permita mais rápido evoluir

Sol meio incerto de sua posição

Parece saber que haverá momento de reclusão

Quando o coração for chamado à ação

Céu carregado, nuvens pesadas

Uma alma elevada, às vezes cansada

Mas segura de sua caminhada

Alda M S Santos

Terreno fecundo

TERRENO FECUNDO

Quanto mais coisa ruim eu percebo

Mais me impressiono com pequenas belezas

Se de um lado há dores e brigas de dar medo

Também há beijos e abraços, doces levezas

Para cada idoso abandonado

Penso na vovó que tem o neto ao seu lado

Para cada criança que perdeu a infância

Penso no amor que posso doar em abundância

Se quisemos equilibrar essa balança

É preciso ignorar a tristeza

E chamar a vida para uma contradança

Não dá para salvar o mundo

Mas um pouco de sabedoria

Faz do amor terreno fecundo

Alda M S Santos

Banhos de Lua

BANHOS DE LUA

A noite parecia não ter fim

Virava e mexia e nada do sono vir

Carneirinhos contava, a mente divagava

E, desistiu de dormir, enfim

Levantou-se devagar, e saiu dali

Cabelos emaranhados, descalça a caminhar

Longa camisola de seda a flutuar

Foi atraída pelo brilho fascinante do luar

Na imensidão de água, sob o brilho intenso da Lua

Foi despindo-se de tudo que a incomodava

Vestes, dores, medos, culpas, até ficar toda nua

A Lua de longe carinhosamente a chamava

E no encontro com o mar mais fascinada ficava

E, num banho de lua e mar, ao amor se entregava

Alda M S Santos

Amor, amar

AMOR, AMAR

Há vários tipos de amar

Mas o amor é um só

E o mais lindo jeito de amar

É aquele que sabe cuidar

Amor sorriso, luz, amor anseios

Amor pele, sonhos, amor abrigo

Amor de esperanças e desejos

Amor que se faz amigo, afasta o perigo

Amor que se entende num olhar

Amor que se eterniza no silenciar

Amor que busca na saudade um bom lugar

Amor natureza, beleza, intensidade

Amor em qualquer idade, sem maldade

Amor que faz da vida sua verdade….

Alda M S Santos

Amor e/ou paixão

AMOR E/OU PAIXÃO

Se há admiração, respeito, cuidado,

Se chega de mansinho, acha seu cantinho

E ali encontra aconchego e carinho

É amor!

Se arde, queima, é tensão, confusão

Se chega, invade espaços, derruba tudo

Desapropria moradores, bota fogo, deixa mudo

É paixão!

Paixão é desassossego, intensidade

É pular do trem em movimento, tormento

É insanidade!

Amor é sentar na janela, intimidade

Aproveitar a paisagem, doce sentimento

É cumplicidade!

Gostamos de ambos, juntos, mãos dadas é o paraíso

Um equilíbrio que faz incendiar a alma, rasgar sorriso

Paixão é fogo avassalador

Tantas vezes confundido com amor

Paixão é o ninho preparado

Para o amor receber, se desenvolver

E quando amadurece, fica meio de lado

Mas esse ninho será sempre revisitado…

Amor é luz, paixão é luz

A diferença está na intensidade

E na durabilidade do brilho e calor

Enquanto a luz no amor tende a aumentar com o tempo

A luz da paixão arrefece, é fogo brando, doce ardor

Amor é o que fica quando as labaredas cessam

Mas mantém o coração em paz e cheio de calor…

Alda M S Santos

Quem de mim irá cuidar?

QUEM DE MIM IRÁ CUIDAR?

Mexo para lá, mexo para cá

Cuido de um, cuido do outro

Entre tantas mexidas e cuidados

Fico a pensar: quem de mim um dia irá cuidar?

Não há como saber quem poderá a mim se dedicar

A vida é apenas um constante esperar

Enquanto só posso imaginar

Faço o que me cabe: de mim mesma vou cuidar

Enquanto a pergunta persiste e angustia

Melhor ir seguindo sendo energia

Buscando no viver essa doce magia …

Bom é que aprendendo do outro cuidar

Vou assimilando que a vida é doação

Na hora certa, Deus me mandará anjos cheios de compaixão….

Alda M S Santos

Caos, cais

CAOS, CAIS

Ventos, granizo

Tempestade, ondas gigantes

Nosso barco está frágil, vai tombar

Nossa vida prestes a perecer

A coragem começa a se esvair

Chacoalha tudo, quebra, desmonta

Caos…

Mas tudo passa, estamos alquebrados

Ainda assim, levantamos mais fortes

Buscamos abrigo

Ressaca, calmaria

Reconstrução, esperança

Cais…

Do caos ao cais

Nem tanto num

Nem tanto noutro

A vida vai acontecendo…

Alda M S Santos

Desfocando

DESFOCANDO

Quisera ter esse poder

De desfocar sem perder

A alegria e prazer de viver

Se machuca, maltrata

Irrita, desrespeita ou ameaça

Desfoca!

Se tira a paz, o sossego

Se nada acrescenta, se o bem afugenta

Desfoca!

Se o amor não enaltece

Se a amizade não prevalece

Se apenas nos aborrece

Desfoca!

Olhe novamente, seja resiliente

Balance ao sabor da corrente

E foque naquilo que é luz!

Desfoca!

E foca apenas no que for por amor…

Alda M S Santos

Desavenças

DESAVENÇAS

Uma pequena desavença, um dormir de mal

Um levantar de voz, um pouco caso, uma briga banal

Cenas de ciúmes, decepções

Indiferenças, chateações

São humanos aprendendo a conviver

A se relacionar, a ceder, argumentar, crescer

Onde há amor e respeito tudo isso é superado

Beijos, juras de amor, dormir de conchinha e isso fica de lado

Mas quando as desavenças são constantes

Agressões verbais, físicas, rompantes

Estar junto já não é prazeroso

Sonhar juntos já não é mais gostoso

Os desgostos crescem, o medo impera

O tanto faz já é a lei, nada supera

O amor adoeceu, precisa de aliados da emoção

É necessário respeito, cuidado, admiração, paixão

Quando o fio do amor se rompe, se parte

Não é bonito, não é arte

Egos feridos, amor bandido

E, tantas vezes, leva vidas consigo…

Amor é pra fazer sorrir, para dar prazer, se emocionar

Talvez até um pouco fazer chorar

Mas amor não pode só doer, só decepcionar

Amor melhor não é aquele que suporta tudo, mas nos faz voar!

TARDE DE POESIAS: TEMA DESAVENÇAS

Alda M S Santos

Trocas

TROCAS

As vezes queremos fazer umas trocas

Daquelas que não contam o valor financeiro

Fecham em nós algumas brocas

E geram o prazer de nos sentir inteiros

Alguém troca?

Um sol quente no ar condicionado por um banho de cachoeira

Uma balada entre luzes por um vinho em volta de uma fogueira

Um restaurante sofisticado por uma pipoca na praça

Uma saudade que machuca por alguém que nos abraça

Alguém troca?

Uma conta bancária por um trabalho prazeroso

Um banho de sais por um mergulho no rio gostoso

Um passeio de volta ao mundo

Por alguém que te faça se sentir o próprio mundo…

Alguém troca?

O valor das coisas está no prazer que nos proporcionam

Na capacidade de nos tornar especiais

Entre tantos outros iguais…

Alguém troca?

Alda M S Santos

Tem poder

TEM PODER

Mais que força, tem poder

Mais que animação, tem energia

Mais que luz, tem brilho

Mais que truques, tem magia

Move montanhas, alcança as estrelas

Seca lágrimas, abre sorrisos

Abraça apertado, grita calado

Destrói barreiras, atravessa fronteiras

Despe-se sem pudor, o corpo, a alma

Banha-se na cachoeira, se aquece numa fogueira

Pensa morrer de dor, de saudades,

Mas vive cultivando sorrisos, bondades

Sonha alto, se banha na lua, brinca de viver

Dá um olé no tempo, que insiste em correr

Abre caminhos, segue até sozinho

Mas prefere ter você para fazer acontecer…

Mais que força, tem poder

É o amor…

Alda M S Santos

Mantra

MANTRA

Ser e fazer feliz- esse é meu mantra

Não dá para desligar, separar um do outro

Assim a vida não nos desencanta…

Fazer do trabalho um lazer

Do dia a dia sempre algo novo por fazer

Dos amigos uma vida de prazer…

Olhar bem, compreender, perdoar, aceitar

Não precisa ter pressa, ir devagar

Fazer do nosso espaço um bom lugar…

Meu mantra é sempre amar

Ser sorriso, carinho, abrigo

Mesmo se a vida doer, fraquejar

Não sofrer ou oferecer perigo…

Meu mantra é amar enquanto a vida por aqui durar…

Alda M S Santos

Um caso de amor

UM CASO DE AMOR

Vivo um caso de amor

Às vezes o deixo meio abandonado

Mas mesmo quando parece descuidado

Ele é antigo, eterno, apaixonado

Vivo um caso de amor

Esse amor é leal, pede atenção

Fica mais bonito com disciplina e dedicação

Corpo, mente e alma em busca da harmônica condução

Vivo um caso de amor

É comigo meu caso de amor mais intenso

Tem desejo, tem paixão, bom senso

Falhas, admiração, perdão, consenso

Meu caso de amor maior é assim

Cercado por anjos: Querubim, Serafim

Saúde, cuidado, começa e termina em mim

Aí, sim, quem sabe venha a ter no outro algum fim…

Alda M S Santos

Idosos: nosso passado, nosso futuro

IDOSOS: NOSSO PASSADO, NOSSO FUTURO

Carentes de amor, carentes de afeto

Uma memória repleta de passado

Um futuro distante, meio incerto

Um presente às vezes magoado

De quem quer alguém ao seu lado

São idosos, muitos anos idos

Tempo para o o idoso é algo duvidoso

A barra de rolagem está quase no fim

Querem amor, abrigo, amigos

São nosso passado e futuro, enfim…

Dia dos idosos para quê?

Para nos lembrar de que o tempo passa

Para nos fazer as mãos estender

E para finalmente entender

Que essa é parte importante do viver…

Alda M S Santos

Ai que saudade…rebobina!

AI QUE SAUDADE…REBOBINA!

Ontem: “Não chore mais não sofra assim”

“Porque posso te dar amor sem fim”

Hoje: “Minha eguinha pocotó”

Antes “Dona, desses traiçoeiros, sonhos sempre verdadeiros”

Agora: “São as cachorras, uhu hu hu hu”

Ontem: “Mesmo quando quis morrer de ciúme de você

Você me fez falta”

Hoje: “Pras cretinas do baile cheias de tesão

Popozão vai descendo até o chão”

Ontem: “Rimas de ventos e velas, vida que vem e que vai“

Hoje: “Cheguei chegando bagunçando a zorra toda”

Ontem: “Essa é a última canção que eu faço pra você”

Hoje: “Vai, malandra, an an

Ê, tá louca, tu brincando com o bumbum”

Ontem: “Se um um beija-flor invadir

A porta da sua casa

Te der um beijo e partir

Fui eu que mandei o beijo”

Não dá! Quero voltar! Rebobina!

Me mandem de volta para a década de 70!

“Ai que saudade de ocê”!

Falta amor? Falta amar?

Falta criatividade, se respeitar?

Em qual momento deixamos o romantismo

O respeito, o encanto e beleza da canção noutro lugar

E permitimos essa porcalhada toda nos enterrar?

“A solidão que fica e entra

me arremessando contra o cais…”

A música, o amor, o romantismo pedem socorro!

Alda M S Santos

Abrigo

ABRIGO

Tão bom poder voar

Bater asas, ser liberdade

Não ter algemas físicas ou emocionais

Deixar livre a quem se ama

Sendo colo, aconchego, abrigo

Ninguém fica com ninguém por obrigação

Mas quem ama fica por paixão

Pelo prazer de estar junto, por tesão

Pelo intenso desejo de amar

E por saber que ali sempre será seu melhor lugar

Atravessando época ou estação

Amar é encontrar a liberdade no abrigo

Nos braços abertos de um amor amigo…

Alda M S Santos

Chuva lá fora

CHUVA LÁ FORA

Quero ouvir o tamborilar da chuva no telhado

E o bater do seu coração ao meu lado

Enxergar as gotas escorrendo na vidraça, tudo molhado

Enquanto aqui, deitados, sob o cobertor

Tudo é calor…

As árvores balançando, entregues ao vento

E nós aqui, entregues a esse momento

Uns raios lá fora iluminam a tarde escura

E trovões que apavoram rasgam o céu, total bravura

Mas aqui, tudo é paz, é doçura …

Amo a chuva lá fora, leve candura

Amo nós dois aqui dentro, doce aventura…

Alda M S Santos

Como fazer amor

COMO FAZER AMOR

Fazer um poema é como fazer amor

É preciso interesse, desejo

Um olhar terno, talvez um pouco de pudor

Uma lenta aproximação, um beijo

E, no tempo de cada um, nasce o poema

Faz-se o amor…

Fazer um poema é como fazer amor

Não dá para ser de qualquer jeito

É preciso encanto, admiração

Captar a magia, a poesia, o pulsar do coração

E, com total entrega e paixão

Nasce um poema

Faz-se o amor…

Fazer um poema é como fazer amor…

Alda M S Santos

No azul

NO AZUL

Entre positivo e negativo

Entre ônus e bônus oscilando

Entre créditos e débitos balançando

Negociando com cuidado meus ativos

Sigo mantendo a vida no azul…

Ainda que quando se trate de emoção

Não dê para ser tão razão

É impossível ser sempre exato

Quando a sensibilidade é que é o fato

Sigo mantendo a vida no azul…

A medida é o peso ou leveza

Aquela capacidade do peso de um sorriso soltar

Da leveza de uma lágrima segurar

E manter com toda sutileza

O que a vida tem de beleza

Sigo mantendo a vida no azul …

Alda M S Santos

Mais no meu blog vidaintensavida.com

Ainda me ama?

AINDA ME AMA?

Sei que me ama

Quando sou sorriso, alegria, atividade

Sei que me ama também

Quando sou entrega, amor, pura sensualidade

Ou luz, carinho, bondade, verdadeira amizade

Mas será que me ama ainda

Quando tudo fica escuro

O sorriso vira lágrima

A atividade cessa

O amor não tem pressa

A alegria arrefece

A sensualidade adormece…

E aí? A amizade se compadece?

Seu amor está condicionado a quê,

Para que possa permanecer ao meu lado?

Posso contar contigo, meu coração

Para ser, mesmo nos erros, meu abrigo, meu irmão?

Alda M S Santos

Eu quero

EU QUERO

Quero uma bússola,

Que me dê um norte

Que me aponte o caminho

E me torne mais forte…

Quero uma âncora,

Que me mantenha firme

Só a suavemente balançar

E não me deixe me afastar

Do que for um bom lugar…

Quero uma vela,

Que me leve lentamente

Ao sabor do vento,

Do bom sentimento

Para um lugar de autoconhecimento…

Quero asas grandes, coloridas

Que me levem para bem alto

Para apreciar os encantos

De uma vida mais bonita…

Quero um colo, bem quentinho

Que me ampare, me dê carinho

E me faça entender rapidinho

Que na vida o que vale mais

Pode estar bem pertinho…

Eu quero!

Alda M S Santos

Cristal quebrado?

CRISTAL QUEBRADO?

Cristal quando se quebra

Não tem jeito, mesmo que colemos

Perde o brilho, bem sabemos!

Nunca mais ficará igual

O erro é comparar o amor a um cristal

Amor de verdade é diamante, é especial

Não se quebra tão facilmente

É firme, duradouro, resistente

Amor que se faz eterno torna-se joia rara

É difícil, precisa garimpar para encontrar

Uma vez encontrado pode até ser machucado

Sofrer arranhão, avaria e dano

Que nunca estará acabado

Jamais ficará em segundo plano

Um amor cristal vai se transformando com o tempo

A várias mãos, a dois corações

No mais precioso diamante

Atravessando as muitas atribulações

Se se quebra como cristal, não é amor de verdade

Amor de verdade é diamante, é raridade…

Alda M S Santos

Que somos?

QUE SOMOS?

Para alguns somos abraço bom

Para outros cumplicidade

Para outros ainda, a bondade…

Para alguns somos doçura

Para outros acolhimento

Para outros ainda, aborrecimento…

Para alguns somos a luz

Para outros, sintonia

Para outros ainda, a magia…

Para alguns somos sorriso

Para outros, sensualidade

Para outros ainda, amizade…

Para alguns somos companhia

Para outros, agonia

Para outros ainda, terapia…

Para alguns somos apenas dor

Para outros, jabuticabeira em flor

Para outros ainda, verdadeiro amor…

Para alguns somos beleza

Para outros, fortaleza

Para outros ainda, delicadeza…

Para alguns somos só euforia

Para outros, sabedoria

Para outros ainda, ousadia…

Para alguns somos razão

Para outros, coração

Para outros ainda, solidão…

Para alguns somos briga

Para outros, intriga

Para outros ainda, a própria vida…

Para alguns somos o sonho

Para outros, realidade

Para outros ainda, a saudade…

E a vida assim se faz veloz

Entre aquilo que somos para os outros

E aquilo que eles são para nós …

Alda M S Santos

No mesmo lugar

NO MESMO LUGAR

São seis filhos, tantos netos

Vários bisnetos e até uma tataraneta

Mas ela não queria ir com eles morar

Dizia: “aqui é meu lugar”

Agora, 96 anos, não teve jeito

Foi com uma das filhas ficar

Lúcida, esperta, mas nesse mundo tão mau

Não dá pra facilitar!

Tantos queriam levá-la para perto

Poder dela com carinho cuidar

Mas nenhum podia ir com ela morar

A casa ainda está no mesmo lugar

Mas falta vida ali

Ela não mora mais lá

Mas a sentimos em todo lugar…

Salvo quando vem filho de longe visitar

Aí ela vem para sua casa cuidar

Mas o terreiro não é mais o mesmo

Aquele que sempre me encantou

Está tão árido!

A fonte secou, a cacimba soterrou

Roseira reclamou, o galo não cantou

Galinheiro caiu, a horta murchou

Ainda há uns pássaros na goiabeira

Que se adonaram do lugar

E reclamam quando a gente vem passear

Mas agora vou aproveitar

Estamos aqui, ela também

E aqui ela veio conosco ficar…

Assim será até quando Deus nos permitir

Poder em seu colo descansar

E, a bem da verdade, nosso coração é que é seu lugar..

Alda M S Santos

Que é preciso?

QUE É PRECISO?

Que é preciso fazer

Para o mundo ser menos violento

Para que vidas não pereçam nesse tormento

E a justiça seja imparcial, a contento?

Que é preciso fazer

Para haver menos desigualdade

Proteção em qualquer idade

Compaixão e atos de irmandade

E se manter a sanidade?

Que é preciso fazer

Para o amor ser prioridade

A empatia se tornar realidade

Entre humanos haver cumplicidade

E a vida ser menos infelicidade?

Que é preciso?

Alda M S Santos

É amor?

É AMOR?

Amor não é difícil de perceber

Quando já se “instalou” em um ser

Basta observar com atenção

O cuidado que se tem, então…

Amor de verdade deixa rastro

Um brilho, uma cor, um olhar

Mas só é amor de fato

Se houver cuidado no trato

Amor tem desejo, sexo, atração

Tem admiração, loucura e satisfação

Mas se ficar só nisso, não confunda, é paixão

Amor de verdade gera cuidado e proteção

Um amor assim todos almejamos

É riqueza, grandeza, como sonhamos

Você cuida de mim, eu cuido de você

Até sem existir um porquê

Você quer um amor assim?

Alda M S Santos

De igual para igual?

DE IGUAL PARA IGUAL?

Somos tão iguais em nossas diferenças

Tão diferentes em nossas semelhanças

E isso é o que nos completa como seres humanos

Um olhar que tem no outro a resposta para suas inquietações

Uma palavra que abraça e alivia suas dores

Um carinho que fala silenciosamente o que faz bem

Um estar perto, mesmo longe, um estar dentro que traz paz

Um sorriso correspondido a dizer “te amo”

Um beijinho soprado de longe

Aconchego…

Aquele grito preso na garganta

Mas que extravasa no olhar

De igual para igual

Sem importar nível cultural, situação financeira

Credo, gênero, raça, idade

Estamos por aqui para nos completarmos

Nos ajudarmos a crescer, evoluir

E o único jeito que sei que funciona

É através do amor…

Na duvida do que fazer, ame!

Não sabe amar? Não tem problema!

Amar se aprende amando…

De igual para igual!

Alda M S Santos

Viagem

VIAGEM

Entre todas as viagens maravilhosas que já fiz

Na terra, no mar, no ar, pelo universo

A pé, usando rodas, velas ou motores

Longas ou curtas, sozinha ou acompanhada

Na beira de um rio, no alto de um pico

No meio do oceano, no alto, nas nuvens

Mergulhada nas páginas de um livro

Entre os takes de um bom filme

Nos versos de um poema escrito na varanda ao luar

A mais completa de todas foi sem sair do lugar

Nas cenas que busco ou crio na minha imaginação

Interagindo com meu universo interior

Edito, dou replay, apago, refaço

Avanço, passo em câmera lenta…

Mexo e remexo ao meu bel prazer

Ela não tem medos, não tem censura

Não tem limites ou barreiras

Não fere, não machuca, nem mata ninguém

Ela é livre e voa…

A viagem para dentro de nós mesmos

É a melhor que podemos fazer…

Alda M S Santos

No amor e na guerra

NO AMOR E NA GUERRA

No amor e na guerra vale tudo

Afirma a “sabedoria” popular

Uma vez que “tudo” pode não ser bom

Não dá para nisso se fiar…

Na guerra é disputa por territórios

Petróleo, religião ou pedaço de pão

No amor é “disputa” também por território

Espaço dentro da alma, do carinho, da emoção

Por um cantinho especial no coração…

Na guerra sempre há perdedores

Ainda que alguém pense ter vencido

No amor só há vencedores

Ainda que alguém pense ter perdido…

Não, no amor e na guerra não vale tudo…

Só vale aquilo que sejamos capazes de carregar

No bolso, na mente ou no coração

Na “derrota” ou na “vitória” …

Alda M S Santos

Eu escolho

EU ESCOLHO

Entre as tantas partes de mim

As bem antagônicas ou paradoxais

Que todos nós temos, afinal

Eu escolho as que me fazem mais feliz

Que podem me tornar mais acessível

A quem precisar de ajuda, de amor fraterno

Aquelas bem claras em detrimento de outras escuras

As alegres como dia de sol

Mesmo gostando da nostalgia dos dias nublados

As flores perfumadas no jardim

Ao invés do conforto do quarto escuro

O sorriso e as palavras de incentivo

Ignorando a desesperança e tristeza

Não fecho os olhos para o que há de mau por aí

Para o que há de negativo em mim

Apenas tento, sempre que posso

Optar pelo que sei, por experiência própria

Que fará bem a mim

E a quem de mim se aproximar…

Longe de agradar a todos

Tento ser fiel a mim mesma

E nisso já tenho bastante trabalho…

Alda M S Santos

(Con)viver

(CON)VIVER

Ato ou efeito de viver com o outro

Não perto dele, mas junto com ele

Não apenas no mesmo espaço físico

Mas dentro do outro…

Conviver é interagir, é trocar

É ensinar, é aprender

É gargalhar juntos, chorar mais juntos ainda

É ouvir mesmo quando falta a sintonia

É ser colo quando o outro chora

É ser brisa quanto tudo parece pesado

É encontrar no outro o sorriso quando tudo está sisudo

É rir das próprias bobeiras e fraquezas

É orar juntos, beber juntos

É se perdoar, seguir o caminho mesmo cansado

Passear de mãos dadas, viajar, mesmo “na maionese”

É entender o outro apenas num olhar

É decifrar silêncios, é pedir explicações

É ser carinho e segurança, mesmo na corda bamba

É saber oferecer, mas também saber pedir, aceitar

É poder discordar, debater, brigar, se preciso for

É dormir e acordar lado a lado, é ser prazer, é fazer amor

É ter medos juntos, enfrentar o adversário no mesmo time

É nunca ter medo um do outro

É saber que somos uns para os outros aqui

Os maiores presentes que poderíamos ter recebido

E quando Ele em algum momento nos perguntar

“Que fez dos presentes que te confiei”?

Possamos responder com convicção

“(Con)vivi bem, respeitei, sobretudo, amei”!

Alda M S Santos

Pais e filhos

PAIS E FILHOS

Pais e filhos, filhos e pais…

Não sabemos o que o amanhã nos reserva

Quem vai para o outro lado da vida primeiro

O que podemos encontrar do lado de lá

Quanto tempo ainda nos resta do lado de cá

Uma hora a vida irá nos separar

O que é possível ser feito, que façamos agora

Quando ainda estamos por aqui

Para que não tenhamos que lidar com o arrependimento

Além da dor da falta e da saudade

Não importa o que cada um fez ou deixou de fazer por nós

Se acreditamos que cumpriram bem ou não seu papel

Vale o que nós fazemos por eles

Pela nossa capacidade de amar, de nos doar

De sermos gratos a quem nos deu a vida

De dar a eles um pouquinho de alegria e conforto

Cuidemos de nossos pais, eles não estarão aqui para sempre!

Te amo, papai! Que todos os dias sejam seus!

Alda M S Santos

Vá!

VÁ!

Vá! Não pare!

Crie em você um recanto de brincadeira e magia

Onde todos possam encontrar a criança perdida, a alegria

Vá! Não pare!

Conserve em você um colo amigo, acolhedor

Onde todos possam enxugar as lágrimas, esquecer a dor

Vá! Não pare!

Desperte em você uma alma caridosa, que se doa, que sorri, que abraça

Onde todos possam ter esperança e sentir que todo mal passa

Vá! Não pare!

Deixe refletir o amor e bondade em cada ato seu

Onde todos possam ver ali o carinho e cuidado de Deus!

Vá! Não pare!

Um mundo melhor começa em você, em cada um de nós!

Alda M S Santos

Escolhas ou acaso

ESCOLHAS OU ACASO

Há dores, há diferenças, injustiças e dissabores

Mas também há coração, bondade, alegrias e amores

Escolhas ou acaso?

Há abandono, indiferença, tristeza e solidão

Mas também há companhia, carinho, cuidado e proteção

Escolhas ou acaso?

Há choro, lamentos, lembranças e saudade

Mas também há brincadeiras, músicas, sorriso e amizade

Escolhas ou acaso?

Há descrença, doenças, patologias e depressão

Mas também há abraços, beijos, tempo e doação

Escolhas ou acaso?

O mal pode ser obra do acaso

Mas o bem sempre será uma escolha!

Alda M S Santos

#carinhologos

Da cor que a gente pinta

DA COR QUE A GENTE PINTA

Verde, vermelho, amarelo ou azul

A vida tem a cor que a gente pinta

Roxo, branco, preto ou laranja

Cinzenta ou multicolorida, talvez a gente a sinta

Se as cores que recebermos não forem suficientes

Vamos misturar, agitar, novas cores criar

Como as crianças dizem “quero de todas as cores” pintar

Vamos escolher melhor nossas paletas

Um jardim de muitas flores em várias facetas

E tingir nosso céu de azul anil

Nosso chão de marrom terra infantil

Nossas emoções de delicada violeta

Nossas lágrimas de clara magenta

Nosso sorriso de dourado amizade

Nossa esperança de verde solidariedade

Nosso amor de vermelho forte, vibrante

Nossas dores de amarelo calmante

Nossa alma furta-cor, multicor

Fazer do nosso e do mundo à nossa volta uma tela abstrata, repleta de amor

E quando tudo cinzento e tempestuoso parecer

Um arco-íris no céu de nossas emoções iremos fazer

Onde todos possamos nosso pote de ouro buscar

E o tesouro brilhante e valioso de uma vida em paz encontrar!

Alda M S Santos

À primeira vista

À PRIMEIRA VISTA

Não existe amor à primeira vista

Existe atração à primeira vista

Que pode vir a ser amor

Ou terminar na fase da paixão

Amor precisa chegar devagarzinho

Abrindo portas com sorrisos sinceros

Destrancando cadeados com a chave da amizade

Quebrando medos com a força da confiança

Vencendo tabus com aceitação das diferenças

Destravando segredos com a segurança de um ombro

Derrubando com delicadeza muros levantados pela autoproteção

Escalando degraus da reciprocidade, um por vez

Amor não invade, conquista

Amor não toma, pede, se doa

Amor não é à primeira vista

Amor se mantém quando a vista, a alma atinge fundo

Mesmo quando nem tudo é bonito

Mas sabe que é ali que você quer ficar para sempre…

Isso é amor! A muitas vistas!

Alda M S Santos

Como pipa no céu

COMO PIPA NO CÉU

Quanto tempo o tempo tem?

Para trás podemos contar

Para frente não há como saber, apenas imaginar

Quanto tempo o tempo tem?

Para trás tantas lembranças boas

Há sonhos e realidade, muita vida, união

Para frente um mundo esperado a construir

Como sinto saudades…

Outro dia eram pequetitos

Sempre juntos a brincar e artes aprontar

Grudados estávamos sempre a nos amar

Como a pipa colorida que soltam hoje no céu

Meus para sempre meninos lindos

Voam agora longe de mim, noutros espaços

Mas há uma linha especial a nos unir

E nada nesse mundo será capaz de cortar

Voam longe, mas no mesmo céu

Amor verdadeiro é assim

Independente da distância há uma linha especial a uni-los

Meus pequenos anjos que o amor me deu, que me fascinam

Eternamente amarei…

Quanto tempo o tempo tem?

Não sei!

Sei que, como fiz até agora

Tentarei aproveitar ao máximo cada sorriso, cada vitória ou batalha

Cada momento juntos é precioso

Cada pipa colorida que juntos soltarmos

Até quando for permitido estarmos sob o mesmo céu

Depois, o futuro a Deus pertence

E confio no que Ele nos reserva…

Alda M S Santos

Vamos transformar o mundo

VAMOS TRANSFORMAR O MUNDO

Vamos transformar esse mundo frio

Aquecendo cada coração carente que se aproximar

Vamos transformar esse mundo amargo

Sendo sorriso para cada cara amarrada que encontrar

Vamos transformar esse mundo sério, tolo e feio

Sendo brincadeira, sendo criança, sendo alegria

Vamos transformar esse mundo individualista

Sendo abraço, sendo colo a cada olhar opaco que baixar

Vamos transformar esse mundo faminto

Oferecendo o que pudermos para alimentar

Vamos transformar esse mundo doente da alma

Sendo a paz, a serenidade e a luz para curar

Vamos transformar esse mundo injusto

Sendo a mão que tenta as diferenças equalizar

Vamos transformar esse mundo incrédulo

Sendo a fé e o amor divino a quem precisar

Vamos transformar esse mundo de tanta angústia e dor

Sendo o bálsamo calmante e apaziguador

Vamos transformar esse mundo, sim

Como?

Pelo exemplo, pelo contágio, pelo amor

Devagarzinho, um ser humano de cada vez…

Alda M S Santos

Data limite

DATA LIMITE

Uma data “limite” para a vida continuar ou se findar

Para o amor fluir, acontecer

Vida, tecnologia, ciência, evolução

Mas, principalmente, amor

Uma data limite na batalha contra a morte e destruição

Uma data limite para interação entre os seres da criação

Data limite para sentir-se parte, para ajudar, para a autoaceitação

Um mundo tão injusto e cruel

Mas cheio de oportunidades de crescimento, de compaixão

Nunca se falou tanto de amor

Nunca se “brigou” tanto pelo amor

Pelo amor aos pequenos, às minorias, àqueles que nem podem se defender

Amor a vegetais, animais, amor aos que não são “iguais”

Amor à natureza, ao planeta, à galáxia, a seres especiais

Quem é mesmo que sempre amou o diferente, o pequeno

Quem se entregou pelos fracos e pecadores

Quem lutou por justiça pelos desamparados?

Ele está aqui…tão perto…tão dentro…

Vamos deixar o amor fluir…

A data não é limite, é continuidade

Se você está aqui, você faz parte

Deixe o amor fluir de você, para você

A nova era chegou…

Alda M S Santos

#datalimite

Fundamental, mesmo…

FUNDAMENTAL, MESMO…

É fundamental…

Andar ao lado, não à frente ou atrás, de quem pareia e caminha conosco

Comunicar-nos do mesmo modo seja dialogando, sorrindo ou silenciando

Sentir-nos parte estando na mesma casa, na mesma cidade ou a quilômetros de distância

É fundamental…

Dividir a mesma cama, os mesmos sonhos, projetos, derrotas e vitórias sem medos

Ainda que os gostos e prazeres sejam diferentes, que haja sintonia

Não deixar que a energia se acabe, que a sedução, a “tensão” boa desligue

É fundamental…

Respeitar as diferenças de ritmo, tempo e espaço, físicas ou emocionais

Acolher aquilo que podemos absorver e não atritar com o que não casa tão bem

Colecionar beijos, abraços, lembranças boas, descartar as mágoas

É fundamental…

Ser casal, unidos, mas nunca abrindo mão do individual

Investir num propósito de vida, de amor, de parceiros, de família, de Deus

Renovar-nos sempre, estando abertos ao crescimento do amor

Mas fundamental mesmo numa relação que se pretende eterna

É ser prioridade na vida de quem nos é prioridade…

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: