Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Tag

Amor

Um mundo novo

UM MUNDO NOVO
Tudo aponta para um mundo novo
Há medos, dúvidas, ansiedade
Inseguranças de toda a humanidade
O mundo como conhecemos está sendo testado, remexido
Mas há que se preservar a vida
Não é só aqui ou ali
O planeta todo está sendo ameaçado, sacudido
Precisamos mesmo de mudanças
Para garantir a vida, nossas andanças
Não é só um vírus que mata
Tudo o que ele traz consigo exige reflexões
Nesse momento de escolhas difíceis
Percebemos quais são nossas prioridades
De um, de outro, de toda uma comunidade
Que sobrará disso tudo?
Estamos prontos para lidar com isso
Para recomeçar do zero se preciso for
Há em nós suficiente coragem e amor?
Alda M S Santos

Quero acreditar

QUERO ACREDITAR

Quero acreditar que tudo vai passar
Que logo vou poder sair, trabalhar
Brincar, passear, abraçar, amar
Ter a “vida” de novo para me ocupar

Mas não quero que volte a ser como antes
Quero que esse medo de tudo perder
Tenha mudado algo dentro de cada ser
Que tenham acordado para o que vale a pena viver

Que aproveitemos a reclusão e introspeção
Para autoanálise, autocrítica e autoavaliação
Que tudo sirva de aprendizado e lição

Que tenhamos sentido a nossa fragilidade
Também a força que brota na necessidade
E a importância da compaixão e solidariedade

Alda M S Santos

Ausência

AUSÊNCIA
Quando a falta evidencia a fartura
O risco iminente da perda
Nos faz olhar com candura
Para o que sequer notávamos
E portanto ainda almejávamos
Seguimos buscando a fé
Lutando com coragem e bravura
Avaliando nossos bens
A saúde que está em xeque
A liberdade de ir e vir cerceada
A doçura de um toque proibida, vigiada
A família que volta a ser nossa morada
A vida que não queremos abandonada
Quando a falta evidencia a fartura
Do que era antes e depois dessa tortura
Do que pode ser durante essa guerra sanitária
Contra um vírus, um maldito pária
É preciso amor, fé e doçura
Temos muito a perder, e isso não é pouco…
Alda M S Santos

Posso te tocar?

POSSO TE TOCAR?
Não posso tocar sua mão
Mas posso juntar as minhas, em oração
Não posso te dar aquele abraço
Mas no pensamento aperto nosso laço
Não posso sua face beijar
Mas de longe posso te imaginar
Não posso ir te visitar pra conversar
Mas posso fazer poema pra te tocar
Não podemos muitas coisas fazer
O amor exige esse cuidado para sobreviver
Mas daqui vai aumentando a saudade
Pra quando tudo isso passar
Podermos num longo abraço nos perder
E, finalmente, agradecer…
Alda M S Santos

Amor e fé

#Dueto     #Tema:

AMOR E FÉ

#POETISA: Amor é coisa bela, corriqueira
Mas cada um o faz a sua maneira
O essencial, porém, é não dar bobeira
Cuidar do outro, exige ir além da fronteira

#POETA: O amor é tão leve, e tão macio
É como uma chávena de vidro
Merece todo nosso cuidado
Exige atenção e carinho

#POETISA: Amor é dádiva, é luz, proteção
Não dá pra viver sem ele não
Se você é amado, é abençoado
Se ama, tem seu paraíso legalizado

#POETA: O amor é ir á luta é obter conquista
Mas atenção!
Ele não está envolvido em brigas ou confusão
O amor é paz e harmonia

#POETISA: Amor é mente, é corpo, é coração
É desejo, é cuidado, é emoção
Amor gostoso se equilibra nesse tripé
E segue a vida na doçura da fé

#POETA: O amor é um sentimento contagiante
Ambos vivem um só romance
Não é pra quem se acha importante
Ele penetra num coração infante

#POETISA: O amor é a salvação do mundo
Atinge a alma ao fundo
Contagie e deixe-se contagiar
Nada há melhor e mais belo que amar.

Direitos Reservado dos Autores: #Don Djone ö #Poeta
E a Poetisa Alda Maria Silva Santos

Aos 21 03 2020

Por quê?

POR QUÊ?
Essa é a questão que não se cala
Tanta gente que silencia, perde a fala
Por que um vírus nos põe à prova
Urge buscar algo na vida, a contra prova
Por quê?
A vida se mostra tão frágil
Onde buscaremos a força, a fé
A coragem para sair desse pé
Por quê?
Um vírus que nos leva de volta
À nós mesmos, aparente solidão
Quer mesmo da gente é reflexão
Por quê?
Para ensinar que o que vale de verdade
É ser amor, carinho, simplicidade
Porque um vírus pode ser a maldade
Mas o amor ainda pode ser a cura
De um mundo que se perdeu em amargura
Alda M S Santos

O que é importante

O QUE É IMPORTANTE

Ela disse que tudo vai passar
Não sem antes muito nos ensinar
Que há um propósito em tudo
Ainda que o mundo pareça mais carrancudo

A fadinha com sua capacidade de voar
Com o corações das pessoas conversar
Ir a todos os cantos com seu encanto
Aos pouquinhos acalmando a dor e o pranto

Há um grande propósito de reaproximação
Mesmo que pareça afastar e desunir
O que se objetiva é perdão e união

A fadinha quer mostrar o valor da simplicidade
Da atenção, do carinho, dos abraços
Volte-se para o que é importante, aperte os laços

Alda M S Santos

ALGUÉM

ALGUÉM

Alguém que entenda um caminhar
Um tropeçar, um cair, um levantar
Alguém que nem precise perguntar
Já consegue perceber num olhar

Alguém que saiba ser parceiro
Nas lutas da vida, companheiro
Que consiga após um dia inteiro
 noite brincar, ser faceiro

Alguém que saiba ser doçura
Que afaste sua amargura
E lute por você com bravura

Alguém que seja feliz por ter você
Que te valorize, o amor te dê
Alguém, apenas um alguém

Alda M S Santos

Quando mais preciso

QUANDO MAIS PRECISO
Não se afaste quando eu chorar
Tampouco quando eu só lamentar
Tenha paciência se eu for cansativa
Quando discordar de você
Ou provocar uma briga
Não se afaste se eu errar
Se ao consertar me atrapalhar
Compreenda se eu quiser me afastar,
Mas ainda assim, não se afaste de mim
Quando eu menos merecer
Quiser de tudo me desfazer
Sumir, fugir, desaparecer
É quando mais preciso de você,
Amor…
Alda M S Santos

DOSE EXTRA DE AMOR

DOSE EXTRA DE AMOR
O que falta é uma dose extra de amor
Algo que machuca por qualquer lado que se olhe
Se há réu, há vítima, há dor
Presidiários isolados do mundo, dura realidade
Mas é apenas um lado dessa polêmica verdade
Dessa aparente justiça e privação da liberdade
Sentimento de dor, mágoa, impunidade
O lado da mãe é dor que não passa
Uma vida infantil de modo cruel foi ceifada
Não dá para medir a dor dessa alma indignada
Criança que cedo foi embora
Maltratada, infância roubada, maculada
A alma grita, silencia, chora
E um abraço que remexe a ferida
Em rede nacional, quiçá mundial
Parece aplaudir o mal, desvalorizar a vida
Um abraço que doeu quase tanto quanto a perda
Que ainda cutuca na vida vazia
Agora parece tão longa, tão comprida
Mas falta-nos uma dose extra de amor
Para compreender que amor é amor
Abraço é abraço…
E que nenhum de nós pode calcular
Ou ter a pretensão de avaliar
Onde o amor mais faltou ou é necessário
Abraço que dói, ausência dele mais ainda
E a falência humana pode ser medida
Pelo número de presídios, liberdade perdida
É uma responsabilidade que todos temos
É uma falha da humanidade
Vamos menos julgar, mais abraçar
Ninguém perde por amar…
Alda M S Santos
Foto blasting news

Sintonia

SINTONIA

É preciso haver sintonia
Olhos que se desvendam, se leem
Corpos que se atraem, se desejam
Mãos que se dão, abraços que enlaçam
Sorrisos que se comunicam
Bocas que acariciam com doces palavras
Que sabem seguir o bonito caminho
Levando-os a uma vida de mais amor
É preciso haver sintonia
Mentes que se conectam no mesmo canal
Que agem em harmonia, mesmo sem ser igual
Que respeitam o agir da outra
Isso é bom sinal
É preciso haver sintonia
Almas que captam o que a outra sente
Que reconhecem uma na outra
Um par do passado no presente
Corações que batem em uníssono 
Que dançam a valsa do amor
Sem nada precisar dizer
Ativando assim o prazer de viver
É preciso haver sintonia …

Alda M S Santos

Amor, amar!

AMOR, AMAR!
Amor é substantivo abstrato, pois designa um sentimento:
“Amor é dor que desatina sem doer”
Amor é adjetivo, pois qualifica um ser agradável:
“Ela é um amor de pessoa”!
Amor é objeto direto, pois completa o sentido do verbo:
“Não há quem não goste de fazer amor”.
Amor é advérbio de modo, pois modifica o verbo:
“Cuida dele amorosamente, independente do que faça”.
Amor é sujeito: aquele que age sobre o verbo
“O amor cura todas as feridas”.
Amor é predicado: o que se diz sobre o sujeito:
“Aquele senhor não é muito amoroso!”
Mas principalmente, o amor é verbo.
Ele não poderia ser mais nada se não sofresse nossa ação direta ou indireta.
Amor é construção diária! Eu amo, tu amas, ele ama!
Eu sofro, tu és feliz, ele acredita! Não importa!
Verbo amar! Quero conjugar!
Em todos os tempos, modos, vozes e espaços!
Alda M S Santos

Seja como for

SEJA COMO FOR
Amor é cheiro, é tato, é contato
É pele, é desejo, é atração
Amor é ouvido, audição, atenção
É palavra doce que acalenta o coração
Amor é olhar profundo, admiração
É olhar que desvenda, é paixão
Amor é gosto, é sabor, é fervor
É adocicado, agridoce, apimentado
Amor é pidão, imaginação
Realidade ou sonho que alimenta o coração
Seja como for, é amor
E aguarda o momento certo
De fazer da vida de alguém a razão…
Alda M S Santos

Tempero

TEMPERO

Uns dizem que é prova de amor
Para outros é possessividade
Certamente é desconfiança
No outro, em si mesmo, em sua capacidade

Ciúme pode até ser doce, bonitinho
Prova de cuidado e carinho
Mas quando há invasão, perde-se a razão
Passa a machucar, a ferir o coração

Dizem que ciúme é do amor um tempero
Para aqueles que não sabem dosar
O sal que dá sabor, também pode amargar

Bom mesmo é temperar o amor com outras iguarias
Agridoces, adocicadas, apimentadas
Que agradem às almas apaixonadas, enamoradas

Alda M S Santos

Escolho o amor

ESCOLHO O AMOR

Num mundo tão dificil, complicado
Onde nossas escolhas envolvem tantas vidas
Implicando até mesmo no futuro ou passado
Não dá pra ser tolo, ficar alienado

Escolher entre o agir ou se omitir
Entre o sentar, ficar ou partir
Entre o se calar ou o amor gritar
Entre sorrir ou chorar, tudo irá nos afetar

As escolhas precisam ser conscientes
Entre muitas, ou não, sempre faremos uma opção
Envolvendo alegria, dor, esperança ou solidão

É preciso escolher a si mesmo, escolher o amor
Quem não escolhe amar a si mesmo primeiro
Não terá nada a oferecer a um terceiro

Alda M S Santos

Prazo de validade

PRAZO DE VALIDADE

Tudo nesse mundo tem prazo de validade
E se a gente não se cuidar pode a saúde afetar
Até mesmo a sanidade um dia bagunçar
Portanto, não dá para brincar ou facilitar

Alimentos perdem, até os ditos não perecíveis
O corpo não vigora, a paixão deteriora
Não importa se o coração chora ou a alma implora
Chegou a hora, tudo vai embora

Uns dão caruncho, azedam, apodrecem
Outros secam, murcham, desfalecem
E há os que caem, evaporam, desaparecem

Mas há algo que vai além do prazo de validade
Se for sincero e primar pela simplicidade
Não importa a idade, o amor mantém a vitalidade

Alda M S Santos

Quero um mar

QUERO UM MAR

Quero um mar de ondas calmas, areia molhada

Espirrando na minha pela nua, arrepiada

Quero um mar de vastos caminhos

A me levar com doçura e carinho

Quero um mar de brisa suave e refrescante

A tornar meus cabelos rebeldes, esvoaçantes

Quero um mar de vento forte o bastante

Para levar o que machuca para bem distante

Quero um mar de possibilidades e encantos

Um mar de pura alegria, sem qualquer pranto

Quero um mar, quero amar, sem machucar

Sem amargura, sem tontura, sem frescura

Quero um mar, um amar que a alma cura…

Alda M S Santos

O que é amor?

O QUE É AMOR?

Que é amor? Sabe identificá-lo?

Aquela irresistível e inconfundível atração

Que aquece o corpo, confunde a mente, embaralha a emoção?

Isso certamente todos afirmam ser amor

Unanimidade nos sonhos e desejos de todos nós…

Mas e quando ficam o carinho, o cuidado, o compromisso firmado

A gratidão pela parceria, até uma certa monotonia

Nem sempre acompanhados da louca paixão

O tesão já não dita as regras de toda ação

A exuberância física já cede lugar a um corpo cansado, talvez doente

Mas que mantém na mente sonhos de um tempo mais quente

Isso é amor? Que é amor para você?

Desejo, sexo, tesão, loucura?

Isso também é amor, faz parte dele

Mas o tempo traz a calma, o sossego

A tranquilidade substitui as constantes borboletas no estômago

Elas agora voam e pousam no jardim belo cultivado na alma

Repousam numa cama ainda aquecida por corpos que se desejam

Mas sabem dar valor a tudo que o convívio trouxe

Quem cultiva esse jardim ao longo dos anos

Tem uma bela morada para os sonhos e borboletas

Amar é cultivar juntos o mesmo jardim

Até tornar-se parte dele, seja como flores ou beija-flores

E não desejar dali sair…

Alda M S Santos

Sempre presente

SEMPRE PRESENTE

Um largo sorriso, um abraço, um beijo
Uma foto que eterniza o desejo
De que tudo seja belo e infinito
Enquanto verdadeiro for, amor prevejo

A vida surpreende, assusta, magoa
Nem sempre tão bela, atraiçoa
Mas quem traz levezas na alma
Ainda que doa, que sofra, não perde a calma

Independente do que chegar, se apresentar
Um coração bom há de ficar, não abandona
A emoção que se fez presente, foi sempre sua dona

Tudo que a vida vier a nos oferecer
Um espírito em evolução segue, sabe de antemão
Nada que nos acontecer é sem razão, terá seu galardão

Alda M S Santos

Intimidade

INTIMIDADE

É bom ser íntimo de alguém
Intimidade de almas, de pensamentos
Intimidade física é bom também
Mas bom mesmo é ser íntimo de si mesmo
Reconhecermos o que sentimos
Saber lidar com desejos e emoções
Chorar, sorrir, enfrentar as frustrações
É bom a gente se sentir em casa com alguém
Chinelos, cara lavada, roupa amassada
Saber onde e como andar, repousar, apenas ali ficar
Sem medo de ser atropelados por um trem
Comungar ideias, pensamentos, um doce momento
Apresentarmo-nos nus, corpo e alma, sem medo para alguém
Isso é boa e desejada intimidade
Apresentarmo-nos nus, corpo e alma para nós mesmos
Isso é a suprema felicidade da intimidade…
Alda M S Santos
Mais no meu blog vidaintensavida.com

Tão bom!

TÃO BOM! 
Tão bom! 
Ser alguém que leva o amor
Que doa tempo, atenção 
Que desperta sorriso de montão 
Tão bom! 
Ser o abraço, o beijo, o carinho 
A conversa, a brincadeira, a canção 
Aquela que dança junto no salão
Tão bom! 
Ser aguardada, querida, desejada 
Nesse “trabalho” de amor e solidariedade 
Abraço e sorriso por si só geram reciprocidade 
Tão bom! 
Perceber Deus em cada um ali
E nessa troca de amor, de amizade 
Sentir que Ele nos ama mais ainda na adversidade
Alda M S Santos 

Inimigos do amor

INIMIGOS DO AMOR

Como tudo que é bom e belo
O amor precisa de fortes aliados
Para se manter intenso e eterno
Necessita carinho, confiança e paixão
Mas tudo que é belo também tem seus inimigos
Desconfiança, ciúme, frieza, solidão
Mas a indiferença é a que mais causa destruição
Amor precisa ser regado, adubado, cuidado
Na meiguice de um olhar, no toque doce dos lábios
Num abraço terno, forte, apertado, acochado
Na intensidade do amor debaixo do cobertor
Amor pra ser eterno precisa de reciprocidade
E de quem afaste os inimigos com coragem
Mantendo pertinho só o carinho e a bondade…

Alda M S Santos
Tarde de Poesias Tema: Inimigos do Amor
Mais no meu blog vidaintensavida.com

Maturidade

MATURIDADE

A maturidade nos premia com algumas habilidades

Alguns bônus que nos fazem compensar os ônus

A capacidade de ter para o mundo um novo olhar

De poder em cada beleza nos demorar

Enquanto a vida se impõe e nos exige ação até sem pensar

Viver, criar família, correr, trabalhar

Mecanização do viver, do dever, do fazer

A maturidade nos permite mais o refletir, o curtir, o ser

Não é crítica ou olhar de censura à juventude

Tampouco de supervalorização da maturidade

É apenas um repensar, uma mudança de atitude

Aquela que nos faz ter com tudo mais boa vontade

Tudo, no final das contas, depende de onde se olha

O quanto da vida é intensidade ou “chove e não molha”

Para saber aquilo que em cada fase se pode ver

Não há outro jeito a não ser naquele lugar poder viver

Alda M S Santos

No pódio: o amor!

NO PÓDIO, O AMOR

E esse ano o prêmio máximo novamente é dele

O amor expresso em palavras e ações

Ou até mesmo aquele existente no silêncio

O amor que se permitiu viver, partilhar

Ou até mesmo aquele que se acovardou

O amor solidário, que se multiplicou, que estendeu a mão

Ou até mesmo aquele que ficou na vontade

O amor que foi correspondido, dividido,

Ou até mesmo aquele que sobreviveu sozinho

O amor que produziu sorrisos, frutos, que se doou

Ou até mesmo o que deixou lágrimas e saudades

O amor que abdicou de si mesmo para proteger o outro

Ou até mesmo aquele que não soube se cuidar

O amor que lutou, que soube esperar e até se afastar

O amor que foi filho, pai, o amor que foi amigo,

Ou até mesmo aquele que nada pareceu ser além de dor…

No pódio: o amor

Porque amor é soberano, simplesmente por ser amor

O menor dos amores, ainda semente, engatinhando, é maior

Que qualquer outro sentimento árvore frondosa

Pois, se cuidado, enraíza-se e atinge alturas inimagináveis…

No pódio: o amor!

Que ele possa estar em seu coração…

Alda M S Santos

O amor está no ar

O AMOR ESTÁ NO AR

Lista de sugestões de presentes para um amigo oculto

Uns nada sugerem, outros apontam inúmeras opções

E há ainda aqueles que optam por colocar o que não querem…

E se fosse uma lista mágica?

Se num vento norte vindo de um sopro especial

Ela pudesse se tornar real

Como nos pedidos ao gênio da lâmpada de Aladim?

E se alguma fada, bruxa, feiticeiro, anjo, mago

Dela se apoderasse como tarefa de Natal

Que você colocaria nessa lista?

Pedidos? Desejos? O que quer ganhar, afinal?

Ou optaria por colocar o que não quer perder?

Como você usaria essa chance de realizar algo?

Um sonho, um desejo, um pedido apenas…

De que você realmente precisa nesse Natal?

Fique atento! A magia está no ar…

O amor também…

Alda M S Santos

Onde você queria estar?

ONDE VOCÊ QUERIA ESTAR?

Feche os olhos do corpo vagarosamente

Abra os olhos da alma suavemente

Inspire fundo, traga algo de bom para a mente

Expire e deixe sair o cansaço lentamente

Sinta a brisa na pele a arrepiar

O coração batendo no ritmo de amar

Onde você gostaria de estar?

Seria capaz de pra lá se transportar?

Inspire novamente, sinta o amor de dentro fluir

Pense em alguém que desejaria que pra lá pudesse ir

Num pensamento pacifico sinta-se para lá partir

Chegando lá tudo é encanto, delicadeza

Reinam a paz, a magia da criação, muita beleza

É o encontro de almas, do amor junto à natureza

Alda M S Santos

Estrela cadente

ESTRELA CADENTE

Deitada numa rede na noite quente

Lua a brilhar, soberana, envolvente

Uma brisa suave, um céu de estrelas salpicado

Sons noturnos, pensamentos voam, embaralhados

O céu parece ora tão longe, ora tão perto

Desejo danado de ir até lá, parece tão certo

Estrelas que piscam, atraem, chamam

Encanto constante daqueles que amam

Logo risca o céu uma estrela cadente

Opa! Um pedido torna-se urgente…

Quero um mundo de gente mais gente!

Outra estrela cadente desfila para mim

Que será que ela que dizer assim?

Ame! A vida é linda, mas logo tem um fim…

Alda M S Santos

Curas

CURAS

Somos como uma casa cheia de remendos

Trincas abertas, fechadas, cicatrizes e fendas

Troca daqui, troca dali, põe, repõe, substitui

E a casa fica com uma aparência de nova

Só quem nela mora sabe de todas as reformas

Cada base reconstruída, vigas levantadas

Estrutura a duras penas renovada

Como nossas dores, alma machucada

Lágrimas molhando a massa da nova fachada

Amizades substituindo amizades falidas

Amores curando feridas de outros amores

Brilhos e sorrisos eliminando medos e dores

A vida se renovando em novos jardins, novas flores

Medicamentos que vão tratando corpo, alma, coração

Só não dá pra ficar dependente, não

Remédio bom, que cura, ilumina, vitaliza

Não pode escurecer ou matar um coração…

Alda M S Santos

Um fio invisível

UM FIO INVISÍVEL

Dizem que há um fio invisível

A ligar pessoas que por aqui irão se encontrar

E cedo ou tarde isso se tornará possível

Essas almas afins com trabalho a realizar

Esse fio, essa energia, é poderosa

Uns a percebem azul, branca ou rosa

Há quem não a veja, apenas sinta a conexão

Aquela atração que parece sem explicação

É quando dizemos que o santo bateu, afinou

Que foi amor ao primeiro toque, palavra ou olhar

Ou que não conseguimos de jeito algum nos afastar

Perceptível ou não, certo é que existe essa conexão

Que une familiares, amantes, amigos, irmãos

Fio que atrai quem deverá parear rumo à evolução

Alda M S Santos

Basta

BASTA

Não é preciso uma fé que mova montanhas

Basta uma que apazigue nosso coração

Que não nos cause medos nem se valha de artimanhas

E que seja estímulo para o amor e compaixão

Não é preciso um amigo que esteja em nós grudado

Basta um que mesmo de longe acalme nosso enfado

Que festeje conosco nossas alegrias

Ou que seja ombro acolhedor, mesmo calado

Não é preciso ter muitos bens ou dinheiro guardado

Basta não passar necessidades e poder ajudar alguém

Não é preciso energia de atleta ou um corpo “sarado”

Basta ter saúde e disposição para o trabalho no bem

Não é preciso fama ou sucesso desmedido

Basta ter alguém especial que nos conheça de verdade

Alguém que saiba ser colo, ouvidos, ser amigo

Que ouça nossa história e nos acolha, sem maldade

Não é preciso um amor sem fronteiras

Basta um que seja verdadeiro e não vá embora

Que saiba ser calor na dor

E todo o tempo um aliviante frescor

Alda M S Santos

Que bom seria

QUE BOM SERIA

Que bom seria se pudéssemos

Sintonizar nosso timer interno

Com o Sol que brilha no externo

Harmonizando verão e inverno

Que bom seria se pudéssemos

Num banho de Sol ou de Lua

Deixar ir qualquer coisa que não seja sua

E, em paz, encarar a vida de alma nua

Que bom seria se pudéssemos

Abrir os olhos, a janela, o sorriso

Ao mesmo tempo, sempre que preciso

Mas bom mesmo seria

Se pudesse haver total sintonia

Entre o sonhado, o real, e a fantasia

Alda M S Santos

Pra ser feliz

PRA SER FELIZ

Do que a gente precisa pra ser feliz

Dinheiro, saúde, amizade, amor alegria

Será que a gente consegue um dia ser como se diz

Ou ser feliz é tudo invenção e diz que me diz?

Será que a felicidade não está nos bons momentos

Um carinho, um sorriso, um passeio no parque, na praça

Em instantes carregados de alegria e bons sentimentos

Em brincadeiras, bate-papos e

das mazelas fazer graça?

É sabido que a vida é fugaz, independe do nosso querer

Quando se vê o que era já deixou de ser

Seja a alegria, o amor, a dor, o prazer

Vale mesmo por aqui é ser intenso na leveza

Curtir cada momento de amor, sonho e beleza

E isso, sim, já é felicidade com certeza!

Alda M S Santos.

Além das nuvens

ALÉM DAS NUVENS

Subindo, subindo, além das nuvens

Cada vez mais alto, mais longe

Qual seria o limite permitido

Para um coração tão incontido?

Além das nuvens, altitude indefinida

Desejo de subir, seguir, não parar

Buscar o que há além do que a vista alcançar

Até não ser mais possível retornar

Quem sabe haverá no espaço

Aquilo que não encontramos aqui embaixo

E nos faça entrar de novo no mesmo compasso

Talvez haja um botão liga/desliga

Que afaste a letargia, a briga, a fadiga

E plugue a todos no amor, na mesma cantiga?

Alda M S Santos

Superpoder

SUPERPODER

Se pudesse adquirir um superpoder

Qual deles você gostaria de ter

Ver o futuro, mudar o passado, viajar no tempo

Mudar no outro um sentimento?

Uma superforça física, exímia visão

Supervelocidade ou tirar a dor com a mão?

Debaixo d’água respirar, no céu azul poder voar

Ou com quem morreu poder se comunicar?

Ser capaz de voltar à vida, todo sonho realizar

Poder todo o mal apagar

Ou a vida de alguém poder restaurar?

Para bem viver nem é preciso superpoder

Basta a gente ter um coração a bater

E alguém que saiba nosso amor receber

Alda M S Santos

Banhos de Lua

BANHOS DE LUA

Lua: símbolo dos amantes, símbolo dos namorados

Inspiração de todo apaixonado

Lá do alto a tudo observar, tudo iluminar

Em cada coração planta o desejo de amar

Lua: tema de lendas, de oferendas

Fases que interferem em nós, doces contendas

É a força da vida, tem poder de remover problemas

Seu encanto quebra do coração as algemas

Lua: embriagante, hipnotizante

Objetiva enfeitiçar, banhar os amantes

Mas no amor somos aprendizes, infantes

Lua: por ela somos levados

Não nos importamos, vamos calados

Sabemos que do amor seremos aliados

Alda M S Santos

O amor

O AMOR

Não é escolha, não é opção

O amor está em todo coração

Não adianta ignorar, evitar

Brotará quando menos esperar

O amor carrega aliados consigo

Respeito, admiração, solidariedade

Em cada um deles, um amigo

Esperança, fé, carinho e bondade

A natureza comanda todo o espetáculo

Não podemos escolher a quem amar

Simplesmente, o amor está solto no ar

A essência humana está envolvida pelo amor

Quem dela foge ou desacredita

Da vida só obterá tristeza e dissabor

Alda M S Santos

Os anjos não dormem

OS ANJOS NÃO DORMEM

Enquanto brincamos nesse intenso viver

Correndo e “aprontando” para todos os lados

Os anjos estão pra lá e pra cá a nos proteger

Longe ou perto, nunca estão cansados

Os anjos estão alertas, nunca dormem

Sua tarefa por aqui é descomunal

Já imaginou quantas vezes

Foi salvo de situação do mal?

Alguns estão tão perto, mas não notamos

Outros são especiais, nós não os vemos

Só encontramos à noite, quando adormecemos

Aí sim passeamos com eles por todo canto

Terra, céu, matas e cachoeiras, qualquer doce recanto

Falamos, abraçamos, amamos, acalmamos qualquer pranto

Alda M S Santos

Talismã

TALISMÃ

Quero um pequeno talismã comigo carregar

Para fazer minha coragem retornar

Que me faça sorrir quando a vontade for chorar

Ou até que me deixe chorar sem tanto me incomodar

Quero um talismã que tenha boas energias a espalhar

Que me permita sem medos continuar a amar

Que me acompanhe e me impeça de errar

E que faça encontrar no coração do outro bom lugar

Quero um talismã, não só por, às vezes, ser frágil

Mas por nem sempre poder ser forte

Nesse mundo de batalhas entre a vida e a morte

Quero um talismã que me renove a esperança

Num futuro bonito e iluminado em minhas andanças

Com mais alegria, paz, amor, e uma vida de mais alianças

Alda M S Santos

Adivinhação

ADIVINHAÇÃO

Sonhei que tinha acordado com o poder de adivinhar

Bastava olhar alguém e sua alma podia enxergar

Rapidinho percebia de quem poderia gostar

Ou no coração de quem eu já tinha bom lugar

Para uns eu olhava e dava vontade de chorar

De outros eu queria apenas me distanciar

Havia aqueles que queria muito abraçar e beijar

E outros, tão ternos, o que fazer melhor nem contar

Parecia coisa boa ter poder de adivinhação

Saber de longe o que se passa em um coração

Mas, afinal, não é assim grande coisa, não

Só valeria a pena se a adivinhação

Viesse acompanhada com poder de ação

Aquela que no coração do outro faz transformação

Alda M S Santos

A língua do amor

A LÍNGUA DO AMOR

A linguagem do amor é universal

Pode ser sintonizada em qualquer canal

Sempre será falada e entendida

Pelos mais necessitados, gente sofrida

Ela grita no silêncio das carências

Ela se cala na angústia das dependências

Ela se aninha no carinho do acolhimento

Ela se faz entender em cada sofrimento

Abraço fala, beijo fala, colo fala

Falam a linguagem dos anjos, do amor

Todos aqueles que sabem acalentar uma dor

Linguagem inata, mas que pode também ser aprendida

Por toda uma geração tão perdida

Que não encontra em ninguém uma guarida

Alda M S Santos

Qual o tamanho do seu sonho?

QUAL O TAMANHO DO SEU SONHO?

Como medir um sonho que se tem?

Como fazer para bem dimensionar

Dá para mensurar pela (im)possibilidade de realizar?

Qual o tamanho do seu sonho?

É maior o que mais dinheiro gastaria

Ou aquele que mais abrir mão exigiria?

É de bom tamanho o que aproxima da realidade

Ou aquele que traria mais felicidade?

Qual o tamanho do seu sonho?

É maior o que for justo sem onerar ninguém

Ou aquele que engrandece a alma de quem o obtém?

É grande o bastante o que gera prazer e paz

Ou o que não se esvai, se eterniza, não é fugaz?

Qual o tamanho do seu sonho?

Alda M S Santos

Bodas de pérola

BODAS DE PÉROLA

Já faz tanto tempo, não consigo mensurar

Mas o relógio não parou de girar

São 35 anos, diz o calendário

Eu era uma menina num mundo temerário

E nos aproximamos, nos enamoramos

Dois terços de minha vida são com você

Casamos, dois filhos lindos criamos

Que ainda falta para nos acontecer?

Você sempre soube meus sonhos, meus desejos

Trocamos alegria, dor, beijos

Nem sempre foram flores, houve também espinhos

Mas compartilhamos conquistas, dividimos caminhos

São 35 anos lado a lado, 30 anos de casados

Será que imaginaríamos nossas vidas separados?

“Até que a morte nos separe”, foi nossa promessa

Ela que demore, não temos pressa!

Sonhamos uma vida juntos, bonita

Juntos a temos realizado

Que possam vir mais trinta

A gente enfrenta, lado a lado!

Alda M S Santos

Queremos

QUEREMOS

Queremos alguém que nos faça amor, que nos tire a dor

Que nos beije com a delicadeza e a fome de um beija-flor

Queremos alguém que nos afaste os monstros, acenda a luz

Que seja o anjo amigo que por caminhos lindos nos conduz

Queremos alguém que goste de amar na chuva, na cachoeira se banhar

Que pule a janela e nos leve a caminhar de mãos dadas ao luar

Queremos alguém que nos abrace, nos dê colo, nos faça cafuné

Nos fortaleça e nos restaure a esperança e a fé

Queremos alguém que nos bote para dormir, acorde juntinho

E que seja, acordado ou dormindo, nosso sonho de carinho

Queremos alguém que nos mantenha junto a si, não nas grades de uma prisão

Mas alguém que nos enlace nos laços do amor e da proteção

Queremos alguém…

Alda M S Santos

Quero fazer um pedido

QUERO FAZER UM PEDIDO

Quero fazer um pedido à estrela cadente

Pode tornar realidade o meu sonho mais urgente?

Quero fazer um pedido ao gênio da lâmpada de Aladim

Pode trazer um amor na medida só para mim?

Quero fazer um pedido aos mais valentes ancestrais

Podem nos ensinar a não lutar por motivos tão banais?

Quero fazer um pedido à chuva que cai torrencial

Pode levar embora tudo aquilo que me faz mal?

Quero fazer um pedido à fada que mora em mim

Pode me afastar os medos de uma vida assim, assim?

Quero fazer um pedido ao Deus do amor e da paz

Pode nos ensinar um viver um pouco mais eficaz?

Quero fazer um pedido a todo mago, amigo da poesia

Promete não me deixar desistir de nela encontrar a magia?

Alda M S Santos

Onde foi parar?

ONDE FOI PARAR?

Onde foi parar a alegria de brincar na chuva

De correr na enxurrada, dispensar guarda-chuvas?

Onde foram parar as brincadeiras na rua

Aquelas com os amigos coloridos sob a Lua?

Onde foram parar os bate-papos na calçada à noitinha

Os abraços e amassos no alpendre da madrinha?

Onde foi parar a expectativa por uma carta

A dor de barriga por um amor que não se farta?

Onde foram parar os sonhos, os contos de fadas

A esperança no futuro, vidas mais amadas?

Onde foi parar a animação num banho de rio

De tanque, de mangueira por horas a fio?

Onde foi parar a alegria na simplicidade

Quando passamos a querer mais e mais numa insanidade?

Quando foi que passamos a enxergar só a maldade

E com isso encontramos só infelicidade?

Quando?

Alda M S Santos

Um mundo

UM MUNDO

Um mundo mais alegre, menos sofrido

Com mais bênçãos, menos perigo

Onde todo soldado combalido

Encontre no outro um bom abrigo

Um mundo mais suave, menos amargo

Com menos “passar de pernas”, mais dar-se as mãos

Onde o amor e amizade fiquem a cargo

De seres humanos mais irmãos

Um mundo onde seja permitido sonhar

E bons desejos poder realizar

Na fraternidade e na paz nos irmanar

Um mundo onde reine o respeito e harmonia

Pelas criaturas, natureza e Criador

E que saibamos que só seremos felizes onde houver amor

Alda M S Santos

Transição

TRANSIÇÃO

Se você está aqui, você já faz parte

Já terá papel preponderante nessa arte

Já está incluído nas mudanças, no porvir

Fique atento, cuide de suas andanças, seu existir

A transição planetária está aí, é para evoluir

É tempo de fazer algo, não se eximir

Abrace o bem, seja o bem, espalhe o bem

Não seja por aqui apenas mais um alguém

A natureza grita, seres extraterrenos estão na jogada

Crianças já vêm renovadas, intensas, preparadas

Abra-se, fique na parada, deixe sua alma ser lavada

A vida flui e nos convida ao batente

A mudança está ocorrendo, você está contente?

Acorde, lute, vá para a linha de frente!

Alda M S Santos

O amor e eu

O AMOR E EU

Caminhamos lado a lado faz tempo

Acredito que nossa relação venha de outras vivências

Já nos demos as mãos, já ficamos de mal

Já fingimos estar bem para manter as aparências

Já sorri por ele, chorei, briguei

Já cansei, fui embora, desanimei

Já me esforcei, levantei, me entreguei

Quase desisti, acordei, voltei, de novo amei

Ele e eu somos assim, inseparáveis

Se nos apartam, ficamos vulneráveis

Se estamos em harmonia somos admiráveis

O amor e eu somos complementares

Não sou nada sem ele, ele é nada sem mim

Seguimos assim, um caminho sem fim

Alda M S Santos

Coração calado

CORAÇÃO CALADO

Uma angústia, uma sensação de pesar

Peito apertado, coração calado

Não sei de onde vem esse “inexistir”

Que às vezes dá vontade de sumir

Premonição, certeza de um porvir

Que nem sempre será belo, pode ferir

Mas talvez traga um certo avanço, crescimento

Que nos permita mais rápido evoluir

Sol meio incerto de sua posição

Parece saber que haverá momento de reclusão

Quando o coração for chamado à ação

Céu carregado, nuvens pesadas

Uma alma elevada, às vezes cansada

Mas segura de sua caminhada

Alda M S Santos

Terreno fecundo

TERRENO FECUNDO

Quanto mais coisa ruim eu percebo

Mais me impressiono com pequenas belezas

Se de um lado há dores e brigas de dar medo

Também há beijos e abraços, doces levezas

Para cada idoso abandonado

Penso na vovó que tem o neto ao seu lado

Para cada criança que perdeu a infância

Penso no amor que posso doar em abundância

Se quisemos equilibrar essa balança

É preciso ignorar a tristeza

E chamar a vida para uma contradança

Não dá para salvar o mundo

Mas um pouco de sabedoria

Faz do amor terreno fecundo

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: