Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Categoria

viver a vida

Porque escolhi viver

PORQUE ESCOLHI VIVER
Porque escolhi viver nem sempre serei sorrisos.
Viver implica aceitar um pacote de possibilidades.
Tantas vezes é meter a cara onde parecia arriscado.
É pegar o ônibus em movimento.
Acordar cedo, dormir tarde, nem dormir…
É enfrentar humores oscilantes, humanos vacilantes.
É chorar de dor de dente, de dor de amor, sofrer pela dor do outro.
É dormir orando de preocupação ou agradecimento.
É ter dias nublados e outros ensolarados.
É encharcar-se até a alma nas tempestades próprias.
Poderia ter escolhido me recolher, não me envolver, não participar.
Sentar na janela e só observar a paisagem…
Mas eu escolhi viver.
Por isso, sou assim
Multifacetada…
Ora lágrimas, ora sorrisos…
Ora prazer, ora saudade…
Nem sempre sorrisos
Mas quando eles existem…
Sua luz é capaz de gerar brilho por dias…
Porque escolhi viver…
Alda M S Santos

Por aí…

POR AÍ…
Ando por aí…
Ora concentrada, absorta
Ora distraída, dispersa
Atenta ao que parece não importar
Mas, na verdade, quero a todos motivar
Ando por aí…
Notando cores, construções, edificações
Percebendo também destroços, demolições
Ando por aí…
Tentando parear com quem caminha só
Buscando direcionar o passo de quem parece perdido
Ando por aí…
Levando abraços, sorrisos, um pouco de fé e esperança
Porque nessa vida o que mais pesa na balança
O que mais nos trará valor positivo
É aquilo que de nós foi amor, foi abrigo
Ando por aí…
Alda M S Santos

Pequenos grandes prazeres

PEQUENOS GRANDES PRAZERES

Há prazeres de incomparável valor
Acordar ao lado do seu amor
Não mais sentir aquela dor
Dormir em paz com sua consciência
Conseguir ignorar toda maledicência

Há prazeres de incomparável valor
Encontrar dinheiro onde não esperava
Sorrir renovado onde antes chorava
Esquecer o que não vale a pena mais lembrar
Guardar no peito direitinho o que merece eternizar

Há prazeres de incomparável valor
Balançar numa gangorra na árvore presa
Sair de um trauma, quase ilesa
Ocupar-se ao outro dando a mão, sendo irmão
Tomar chuva em tardes de verão

Há prazeres de incomparável valor
Morar noutro coração por direito, não por favor
Nas noites frias sempre fazer amor
Perceber que não mais sangra aquela cicatriz
Responder aos enxeridos com “seu nariz” ou “isso nada me diz”

Há prazeres de incomparável valor
Rir até a barriga doer
Ser criança, sapeca, até não mais poder
Receber um abraço de carinho apertado
Ser sempre seu maior e melhor aliado…

Há pequenos grandes prazeres de incomparável valor…

Alda M S Santos

Não pode faltar…

NÃO PODE FALTAR…

A vida é um eterno precisar
Que vamos aos poucos tentando educar
Buscando satisfação para não pirar
Mas há aquilo que não pode faltar
Cada qual sabe em si determinar
Não dá para deixar de sonhar
Tampouco de tentar realizar
Ficar sem abraçar não dá
Ou a vida é um eterno lamentar
Não dá para deixar de caminhar
Na natureza, na mata, bom lugar
Brincar, cantar, passear, namorar
Fazer amor não pode faltar
Não dá para deixar de rezar
Na fé conseguir se harmonizar
Na areia da praia poder relaxar
Dançar, sorrir, cantar, poetizar
E toda dor e tristeza extravasar
Uma amizade verdadeira para acalentar
Sem amigos não dá para ficar
Não dá para faltar o amor
Esse, sim, tem que a alma animar
E fazê-la no céu bem alto voar
Que para você não pode faltar?

Alda M S Santos

Um portal

UM PORTAL

Atravessou um convidativo portal
Na esperança de encontrar algo especial
Um mundo mais humano, menos parcial
Onde viver não doesse tanto
Não houvesse tanto mal
Iluminou trilhas estreitas e escuras
Saltou obstáculos, recusou saídas obscuras
Recuou diante de muitas loucuras
Escalou montanhas altas, íngremes
Encontrou lindas pessoas, doçuras
Sorriu, chorou, sofreu, caiu, levantou
Esclareceu mentiras, lutou por verdades
Disse sim ao amor, enfrentou falsidades
Restaurou a fé, renovou a esperança
Finalmente percebeu que o portal é na realidade
Seu modo de encarar sua própria verdade
Com coragem, ânimo, dignidade
Aqui ou em qualquer dimensão
Viver com gratidão e intensidade

Alda M S Santos

É o desejo

É O DESEJO

É o desejo de saber mais que me faz compreender
É o desejo de entender que me faz aprender
É o desejo de descobrir que me impele a agir
É o desejo de mudar que me ensina a sonhar…

É o desejo de tudo conhecer que me faz crescer
É o desejo da grandiosidade que me ensina a humildade
É o desejo de viajar que me ensina a voar
É o desejo de não me afastar que me faz ficar…

É o desejo de me eternizar que me faz te amar
É o desejo de te ver feliz que me torna aprendiz
É o desejo de vencer a saudade que me torna realidade
É o desejo de promover a união que me leva a estender a mão…

É o desejo de não me perder que me leva a escrever
É o desejo de ter que me leva a ser
É o desejo de poetizar que me faz me emocionar
É o desejo de amar que me faz me encantar…

É o desejo que a tudo move
E também me move…

Alda M S Santos

Injusta

INJUSTA

A vida pode ser cruel
Dolorosa, intensa, parcial
A cada um de nós caberá
Torná-la menos desigual

Muitas vezes parece tão longa
Noutras é por demais curta
Mas é o que fazemos por ela
Que a tornará menos injusta

Buscamos no outro a alegria
Ou a paz que de nós fugiu
Sequer percebemos que está na gente
O prazer de viver que um dia sumiu

Mesmo injusta ela é só nossa
Mas se torna mais bela
Quando destrancamos portas fechadas
E sorrisos abrimos em nossa janela…

Mesmo injusta ainda podemos fazer dela
Uma linda e encantadora aquarela…

Alda M S Santos

Onde o Sol nasce

ONDE O SOL NASCE

Quero ir lá onde o Sol nasce

Não aquele que se vê do alto de um edifício

Tampouco aquele que entra nas frestas da janela

Ou aquele que do avião parece uma bola amarela

Quero ir lá onde o Sol brilha mais bonito

Onde seu calor é mais forte, intenso, uma aquarela

Quero ir lá onde o Sol nasce

Talvez na linha do horizonte, no fim do mar

Ou atrás daquele pico bem alto que quero escalar

Onde nada possa haver entre ele e eu, quero conversar

Olhos nos olhos, pura luz a brilhar

Quero ir lá onde o Sol nasce

Quero senti-lo aquecer minha pele

Arrepiar, queimar, animar, me bronzear

Quero ir lá onde o Sol nasce, atrás da cachoeira

Preciso trocar uma ideia com ele, não posso dar bobeira

Quero perguntar para ele como se faz

Para todo dia morrer atrás do monte, tudo esquecer

E novamente lindo e forte renascer

A cada manhã num belo e novo alvorecer

E vver feliz com um amor, sem doer

Será que ele poderá me dizer?

Preciso aprender…

Alda M S Santos

Um dia

UM DIA 

Um dia ainda vamos acordar

E sermos livres para por aí caminhar

Mais que isso, poderemos confiar

Que o mundo se tornou um bom lugar 

Bastaria um leve e atento olhar 

Para saber que nada se deveria temer 

Pois haveria menos humanos a sofrer 

E sempre seria prazeroso viver

Um dia ainda iremos acordar 

E saberemos o valor de poder tocar 

Chegar perto, abraçar,  beijar, amar 

Deixar fluir a emoção…

Estamos em hibernação 

Juntando forças, recarregando bateria

E, ao despertar, tudo será energia 

Para ser usada em prol da vida 

Com muito mais amor e alegria 

Um dia…tudo será harmonia…

Alda M S Santos 

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: