Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Tag

paz

NUM BANCO À BEIRA-MAR

NUM BANCO À BEIRA-MAR

Sonhei que estava num banco à beira-mar
Longe, distante, perdido estava o olhar
Ele chegou, sentou, se dispôs a conversar
Não saberia dizer quem era, parecia familiar

Quieto, tranquilo, transmitia paz
Deixou-me à vontade, método eficaz
Não tinha pressa, não pressionava
Sabia o que fazia, calmamente aguardava

Comecei a falar, não conseguia parar
Ele, muito empático, ouvia sem julgar
Parecia tudo entender, me acolhia com o olhar

Um dedo suave minha lágrima limpou
Com extremo carinho, corpo e alma abraçou
Parecia dizer: em frente, contigo sempre estou

Alda M S Santos

A paz

A PAZ

A paz que buscamos, onde estará
Será num navio em alto-mar
Numa praia deserta sentados a divagar
Ou numa cachoeira fria a nos banhar?

A paz que buscamos, onde estará
Numa relva deitados sob o luar
Numa aeronave bem alto a viajar
Nas veredas de seu coração a desbravar?

A paz que precisamos somente iremos encontrar
Quando soubermos como acionar
Aquilo capaz de nossa alma despertar

A paz que tanto necessitamos
Está no amor que preservamos
Dentro e fora de nós acalentamos

Alda M S Santos

Quero fazer um pedido

QUERO FAZER UM PEDIDO

Quero fazer um pedido à estrela cadente

Pode tornar realidade o meu sonho mais urgente?

Quero fazer um pedido ao gênio da lâmpada de Aladim

Pode trazer um amor na medida só para mim?

Quero fazer um pedido aos mais valentes ancestrais

Podem nos ensinar a não lutar por motivos tão banais?

Quero fazer um pedido à chuva que cai torrencial

Pode levar embora tudo aquilo que me faz mal?

Quero fazer um pedido à fada que mora em mim

Pode me afastar os medos de uma vida assim, assim?

Quero fazer um pedido ao Deus do amor e da paz

Pode nos ensinar um viver um pouco mais eficaz?

Quero fazer um pedido a todo mago, amigo da poesia

Promete não me deixar desistir de nela encontrar a magia?

Alda M S Santos

Quero a paz

QUERO A PAZ

Quero a paz de uma manhã de pássaros a cantar

Lembrando que a vida é breve, é bela

E que não vale a pena chorar

Quero a paz que sinto num abraço fraterno

Que diz “te amo” sem palavras

E faz todo meu mundo mais terno

Quero a paz que reina numa cachoeira

Um sorriso doce que ilumina até a alma

E na natureza, intensa à sua maneira

Quero a paz de um amor verdadeiro

Onde haja confiança, prazer, intensidade

Daqueles aos quais nos entregamos por inteiro…

Alda M S Santos

No amor e na guerra

NO AMOR E NA GUERRA

No amor e na guerra vale tudo

Afirma a “sabedoria” popular

Uma vez que “tudo” pode não ser bom

Não dá para nisso se fiar…

Na guerra é disputa por territórios

Petróleo, religião ou pedaço de pão

No amor é “disputa” também por território

Espaço dentro da alma, do carinho, da emoção

Por um cantinho especial no coração…

Na guerra sempre há perdedores

Ainda que alguém pense ter vencido

No amor só há vencedores

Ainda que alguém pense ter perdido…

Não, no amor e na guerra não vale tudo…

Só vale aquilo que sejamos capazes de carregar

No bolso, na mente ou no coração

Na “derrota” ou na “vitória” …

Alda M S Santos

Refúgio

REFÚGIO

Quero encontrar um refúgio

Um lugar de paz e sossego

Onde possa me abrigar

Quando minh’alma precisar se calar

Quero encontrar um refúgio

Para o qual eu possa fugir

Quando tudo parecer difícil

E poder relaxar, sem fingir

Quero encontrar um refúgio

Para os males buscar reparo

Que me traga discernimento, refrigério

Quem sabe em mim mesma obter amparo

Quero encontrar um refúgio

Acho um lugar, mergulho em mim mesma

Lá encontro paz, lá encontro Deus!

Alda M S Santos

Sombras

SOMBRAS

As sombras são meio assustadoras

Por vezes, falta-nos coragem para encará-las

O medo toma conta, ficamos inertes

Ou fugimos apavorados

Outras vezes percebemos

Que ser forte e resistente

Não se resume à força física

Ser forte pode ser tantas vezes

Acalmar, buscar energia dentro da gente

Encarar a própria sombra escura que se agiganta

Acender ali uma luz que brota de nosso interior

Iluminar tudo e seguir…

Isso é força, é fé!

Quando o chão nos falta

É preciso aprender a voar

Buscar o céu para encontrar a paz!

Alda M S Santos

A paz que buscamos

A PAZ QUE BUSCAMOS

Buscamos sempre a paz

Mas muitas vezes vamos armados

Escondidos atrás de nossas próprias barricadas

Andando entrincheirados por sentimentos negativos

A paz que buscamos

Às vezes passa pela guerra

Não uma guerra com o outro

Mas uma guerra interior

Até entendermos que estar em paz

Não depende da nossa relação com o meio, com outros seres

Isso vem depois…

Estar em paz é construir uma relação harmoniosa

Entre nossos vários “eus”

É quando levantamos a bandeira branca para nossos monstros e inimigos internos

E passamos a notá-la em todos a nossa volta

A levá-la a quem de nós se aproximar

Essa é a paz que buscamos e nem sempre encontramos

Perdendo tempo procurando-a em caminhos fora de nós…

Alda M S Santos

Com as mesmas armas?

COM AS MESMAS ARMAS?

Se quisermos vencer o que nos faz mal

Não será usando as mesmas armas que conseguiremos

Armas carregadas e recarregadas

Pentes repostos, violência sem fim

Mesmo que a arma seja o verbo desenfreado

A intolerância, a impaciência, o desamor

A palavra má e cortante que flui infinitamente

O bate-boca maléfico e improdutivo

Acusações e calúnias paralisantes

São tão fatais quanto um fuzil

O bom combate é feito no antagonismo

Silêncios em resposta a gritos

Paciência e sabedoria se contrapondo a ignorância

Tolerância e resiliência para enfrentar a rigidez e radicalismo

Bem nos ensina a oração de São Francisco de Assis

“Onde houver ódio que eu leve o amor”

Oh, mestre, ajudai-nos!

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: