Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Tag

Sonhos

Qual o tamanho do seu sonho?

QUAL O TAMANHO DO SEU SONHO?

Como medir um sonho que se tem?
Como fazer para bem dimensionar
Dá para mensurar pela (im)possibilidade de realizar?

Qual o tamanho do seu sonho?

É maior o que mais dinheiro gastaria
Ou aquele que mais abrir mão exigiria?

É de bom tamanho o que aproxima da realidade
Ou aquele que traria mais felicidade?

Qual o tamanho do seu sonho?

É maior o que for justo sem onerar ninguém
Ou aquele que engrandece a alma de quem o obtém?

É grande o bastante o que gera prazer e paz
Ou o que não se esvai, se eterniza, não é fugaz?

Qual o tamanho do seu sonho?

Alda M S Santos

Quisera

QUISERA

Quisera ser uma fada e ter todo o conhecimento
Poderes do bem, do discernimento
Saber distinguir o que será de bom aproveitamento
E o que não irá trazer aborrecimento

Quisera poder afastar o mal com um simples toque
Despertar a todos para o bem, para a luz, sem choque
Não ser enganada, ter poderes sobrenaturais
Daqueles que nos fazem querer amar mais e mais

Quisera ser uma fada capaz de consertar o mundo
Colocar a Terra de novo nos eixos, em órbita
Despertar sentimentos nobres e profundos

Quisera ser uma fada, não ficar apavorada
Mas se conseguir a paz em minh’alma já estarei abençoada
Já poderei levar bons adeptos comigo nessa escalada

Alda M S Santos

Devagarzinho

DEVAGARZINHO

Chegou devagar, entrou, ficou na antessala
Foi avaliando o espaço, se aproximando
Trazia grande bagagem, estava cheia a mala
Ia aos poucos seu lugarzinho conquistando

Não quis saber de nada de falsidade
Seu desejo era de apenas partilhar o viver
Em busca de paz e tranquilidade
E de uma doce e recíproca amizade

Nos sonhos ela entrou, conquistou, ficou
Não quis mais fugir, seu coração se encantou
E daquele lugarzinho se apossou

Uma fada, um anjo protetor
Todos nós precisamos na vida
Na realidade, nos sonhos, seja como for…

Alda M S Santos

Quem planta sonhos

QUEM PLANTA SONHOS

Quem planta a dor, colhe tristezas
Mas quem rega a paz, colhe belezas
Quem planta sorrisos, colhe alegria
Quem irriga o amor, colhe harmonia
Quem planta e não cuida perde a colheita
Mas quem rega frágil semente a fortalece
E uma árvore frondosa e bela agradece
Plantações e colheitas nos rejuvenescem
Em águas mornas corpo e mente espairecem
Sonhar, plantar, colher, uma vida em prece
Nunca desistir de plantar, mesmo que sejam sonhos
Pois se quem planta vento colhe tempestade
Também é importante verdade
Que quem planta sonho colhe realidade

Alda M S Santos

Faça três pedidos

FAÇA TRÊS PEDIDOS
Não encontrei a lâmpada de Aladim
Tampouco um gênio a me conceder três pedidos
Mas ele me disse: meu amor te concederá três desejos
Olhei para ele e não consegui identificar de onde o conhecia
Tinha um olhar terno de imensa bondade
Olhava fundo em meus olhos
Havia muito amor ali, parecia me conhecer até a alma
Eu não precisaria nada pedir
Ele chegou e me deu um longo abraço apertado
Daqueles que matam saudades seculares
“Este pedido não vale”- ele disse
“Não quero mais nada”- beijou as lágrimas que escorriam
Deu-me as mãos, levou-me com ele
Como se asas brotassem em mim
Voei alto, bem alto, tudo apreciando
Sentindo-me tão à vontade, total sintonia
Não havia medo, tampouco ansiedade
Sentamo-nos no alto de uma montanha
Da altura das nuvens, cachoeiras em cascata ao redor
Pássaros pousavam nas nossas mãos
“É sonho? Não quero acordar!”- afirmei
Uma veste branca, fina e leve cobria meu corpo
Balançava todo o tempo como um halo de luz
Eu flutuava, levitava, cheguei a uma imensa porta
Estendi as mãos para ele
“Não! Ainda não! Virei te buscar na hora certa”
Deu-me um longo beijo e me colocou de novo lá embaixo
“Siga seu caminho, você está indo bem”!
Falei que meu único pedido era ir com ele
“Ainda não é chegada a hora”
Soprou-me um beijo e sumiu…
Fiquei ali com meus três desejos
Fé, esperança e amor renovados…
O outro teria que esperar!
Alda M S Santos

Nossos sonhos

NOSSOS SONHOS

Somos movidos por nossos sonhos
São eles que nos impulsionam
Nos empurram para a frente
São as asas que nos mantêm no ar
Quando tudo parece declinar

Somos movidos por nossos sonhos
São eles que nos fazem levantar
A cada dia ter mais garra, vontade de lutar
Ir em busca deles em qualquer lugar

Somos movidos por nossos sonhos
Eles crescem em nossos corações, adentram nossa alma
Criam asas, voam alto, invadem outros corações
E vivemos assim, plainando
Com eles nos atiçando

Somos movidos por nossos sonhos
Não importa se parecem impossíveis
Eles sempre nos parecerão cabíveis
Se um dia deixarem de existir
Já teremos deixado a vida de nós se esvair…

Qual sonho te impulsiona?

Alda M S Santos

Leveza

LEVEZA

Sonhei que estava a caminho do céu
Vestes brancas e leves a flutuar
Na cabeça uma tiara de rosas, um véu
Subia, girava, sorria, ia devagar

Vez ou outra parava no caminho
Sentava numa nuvem para baixo a olhar
Quem foi que deixei sozinho
Isso pesava, não me deixava viajar

Era tão bom poder plainar
Cada vez mais longe, mais alturas alcançar
Tal qual águia na imensidão a voar
Tudo ficava leve, pétalas de rosas a carregar

Mas algo não estava bem
Ainda não posso ir, preciso retornar
Aqui tinha ficado alguém
Mas já conhecia o caminho do céu a atravessar

Me despedi de mim mesma
Minha leveza, minha destreza
Quem sabe não chegaria o dia
Que iria com certeza pra lá

Enquanto não é possível
Quero de novo sonhar
E nas asas de uma borboleta
Às alturas de novo chegar…

Alda M S Santos

Vista-se de sonhos

VISTA-SE DE SONHOS

Não dá para perder as estribeiras
Mesmo se a vida nos passa rasteira
Melhor é seguir nessa estrada
Ainda que ela pareça estagnada

É bom poder curtir a paisagem
Não deixar pesar muito a bagagem
Se por aqui estamos de passagem
Melhor mesmo é curtir a viagem

Quando a alegria quiser minar
Ative a fé, nunca deixe de acreditar
A roda da vida nunca para de girar

Se a realidade parece muito crua
Expõe angústias, deixa a alma nua
Vista-se de sonhos, dispa-se para a Lua

Alda M S Santos

Firmando laços

FIRMANDO LAÇOS

Cansaço, medo, dor, preocupação
Repouso, um pedido em forma de oração
Que haja paz, que o mal não prevaleça
Que num belo sonho tudo se esclareça

Caminhos nebulosos, difíceis, assustadores
A vida se apresenta, mostra suas dores
Passando por elas, em cada uma, aprendendo
Em cada tropeço, evoluindo, crescendo

Força, fé e coragem são renovadas
Em frente, gratidão, não estamos sós
Há anjos amigos, enviados a nós

Somos usados para desfazer os nós
O bem em olhares, palavras, abraços
Reforçando a parceria, firmando laços

Alda M S Santos

De sonho em sonho

DE SONHO EM SONHO

Há sonhos que machucam, fazem sofrer
Há sonhos que curam, fazem vencer
Há sonhos que alegram, fazem sorrir
Há sonhos que desanimam, fazem desistir

De sonho em sonho vamos vivendo…

Há sonhos que despertam, fazem desejar
Há sonhos que encorajam, fazem acreditar
Há sonhos que amedrontam, para esquecer
Há sonhos amalucados, fazem enlouquecer

De sonho em sonho vamos vivendo…

Sofrendo, esquecendo, enlouquecendo
Amando, desejando, querendo
Machucando, curando, acreditando
Sorrindo, seguindo, a vida realizando

De sonho em sonho vamos vivendo…

Alda M S Santos

Amanhecendo

AMANHECENDO

Uma nesga de luz atravessa a persiana
E entra sem cerimônia, sem pedir licença
Invade espaços escuros, traz o alvorecer
Acordo, não era pesadelo, acabo por perceber

A angústia e o medo estão ali ainda, apertando
Silêncio lá fora, barulhos cá dentro, sufocando
Insegurança, apreensão misturada à esperança
Coragem e fé com os temores lutando

Mais um dia começando…
Há muito ainda por fazer… será?
Terei tempo, energia, saúde… a que preço?
O que a vida me reservará.. eu mereço?

Friozinho, pássaros em alvoroço… levanto?
A luz do sol parece indiferente à minha exitação
Não respeita barreiras ou obstáculos
Segue invadindo, iluminando… pura excitação

Mais um dia… levanto e acendo em mim o alvorecer
Ao medo peço para esperar o que irá acontecer
Até quando… quem poderá dizer?
Uma oração… vou amanhecer…

Alda M S Santos

Parte de mim

PARTE DE MIM

Gostaria de conhecer acordada
Os lugares em que vou dormindo
Aqueles que vou por prazer e encanto
Até mesmo aqueles nos quais pareço fugindo
Às vezes campo aberto, cor, muita luz
Tantas vezes parece um mundo perfeito
De compaixão, paz, amor, amizade que seduz
Noutras medos, dores, culpas, tudo imperfeito
Angústias a que a humanidade nos reduz
Gostaria de passear acordada nesses lugares
Desafogar o peito, aliviar, respirar outros ares
Em rochas me sentar, navegar noutros mares
Encontrar a alegria numa conversa aos pares
São tantos esses lugares…
Vêm e vão, são fugazes
Ora sou eu, ora um espectro de mim
Meio perdida, a flutuar entre as nuvens
Brancas, negras, cinzentas, até mesmo carmim
Quero ir acordada nesses lugares
Pelos quais tenho grande apreço
E encontrar uma parte esquecida de mim

Alda M S Santos

Muitos caminhos

MUITOS CAMINHOS

São muitos os caminhos, os sonhos
Ora são lindos, prazerosos, ora medonhos
Cabe a nós fazer a melhor escolha
Nos mover, sair feliz dessa bolha

Num eterno ir e vir, cair, seguir
Desejamos ser amor, nunca desistir
Nos alegramos, decepcionamos
Erramos, assumimos falhas, perdoamos

De encontros se faz o viver
Amizades,  amores, relações de prazer
Somos da vida a civilização
E tantas vezes  disso abrimos mão

Mas a cada dificuldade, um aprendizado
A cada tombo, um levantar mais animado
A vida é de quem não fica parado
E busca seu sonho, mesmo amedrontado

Alda M S Santos

No céu azul

NO CÉU AZUL

Qual seu sonho mais secreto
Que te deixa afoito, inquieto
Aquele que não se pode contar
E desperta vontade de poder realizar?

Qual seu desejo mais indiscreto
Que te faz caminhar por trilhas incertas
Que vai e volta, te anima, apavora
E na imaginação parece que você mora?

Qual seu segredo mais cativo
Que pode até te colocar em perigo
Mas sem o qual você não parece vivo?

O que é realidade ou ficção
Que te faz feliz, devanear,  sair do chão
Voar para sempre no céu azul da idealização?

Alda M S Santos

Além do olhar

ALÉM DO OLHAR

O que está além do olhar
Que dele não carece para sentir
É apenas um algo a mais a nos suprir
E nossa alma sedenta saciar?

O que pode ser amado
Ainda que não esteja do lado
Ao alcance de nosso toque afiado
Ou do nosso olhar apaixonado?

O que está além do olhar
Mas que dele necessita para captar
Lá para o fundo da alma levar
E encher-nos de amor e desejo até extravasar?

Que há lá longe, além do olhar
Além do alcance de nossos abraços
Mas que é tão forte em nossos sonhos
Que alimentamos, apertando  os laços?

Que há além do olhar 
Seja o que for que se vê sem preciso olhar
É algo que vale a pena cultivar
É nutriente da alma carente de  amar…

Alda M S Santos 

Era a vida

ERA A VIDA
Caminhava devagar numa praia deserta, sozinha
Chutava as águas, descalça, olhar no horizonte
Vez ou outra se abaixava para pegar uma conchinha
Um vestido leve e fino ao sabor do vento
Mexia também com seu pensamento
Sabia que deveria estar ali, mas não entendia
Simplesmente seguiu um desejo, a magia
Faltava algo para tudo se encaixar
Mas por que nada acontecia?
Seguiu sua suave e intrigante caminhada
Avistou alguém ao longe, ficou arrepiada
Seria a brisa, a expectativa ou uma cilada?
Não tinha medo, seguiu o vulto que lhe acenava
Correu, segurou sua mão e sumiram na mata fechada
Coração aos saltos, sorriram, nada importava
Era a vida que numa nova forma se apresentava…
Alda M S Santos

Ah, se eu pudesse

AH, SE EU PUDESSE
Ah, se eu pudesse e coragem não me faltasse
Muito mais que três desejos eu iria realizar
Nem precisaria de gênio da lâmpada
Queria mesmo era ter o prazer de alcançar
Por meu próprio esforço e mérito
Poder aquele amor tornar eterno
Aqueles amigos alcançar e dar um abraço fraterno
O mundo todo girar levando muita humanidade
Paz, união, alegria em meio à simplicidade
São muitos os sonhos, ah se eu pudesse
Mas só esses três vou te contar
Deixarei você seus próprios desejos sonhar
Alda M S Santos

Ela queria

ELA QUERIA
Ela queria dizer algo, mas a voz não saía
Peito estava muito apertado, machucado
Nem as lágrimas que corriam incessantemente aliviavam
Olhava fundo, mergulhava, e mais o peito apertava
A necessidade de soltar o grito era urgente
Mas tudo que saía era o silêncio da lágrima que caía
Um bom observador entenderia
Em cada lágrima que escorria
Um verso de decepção e tristeza
Uma história de paixão e entrega
Um viver de intensidade e aguda ansiedade
Um quase desistir, sobrepujado pelo instinto de sobreviver
Pelo louco e insano desejo de mais uma vez reviver…
Alda M S Santos

Sonhe!

SONHE!
Se a realidade parece intolerável
Está difícil manter a fé, acreditar
E a solidão está quase palpável
Sonhe!
Se o dia está muito nublado
À noite o céu não está estrelado
E você se sente abandonado
Sonhe!
Se o amanhã não dá para enxergar
O ontem já não permite voltar
A dor hoje não quer passar
Sonhe!
O sonho alimenta o coração
Renova a vida de esperança
Traz sossego, calma, renovação
Sonhe!
Mesmo que hoje pareça impossível
Sonhar reenergiza, anima
Quem sabe um dia tudo seja possível?
Permita-se sonhar…
Alda M S Santos

Voltei

VOLTEI
Caminhava num lugar de intensa luz e calor
Sentia-me leve, parecia caminhar sobre nuvens de algodão
Uma brisa suave balançando os cabelos
Um vestido florido e brilhante, bem fino
Eu procurava por alguém, sentia uma presença
Mas não conseguia ver quem era
Sentei-me na grama à beira de um lago
Descalça, balançava os pés na água
Esperava…Não sei bem o quê …
Via reflexos no lago, alguns conhecidos, outros não
Uns sorridentes, outros tristes
Ouvi meu nome sendo chamado
Entrei na água chorando, alguém me abraçou
Não identifiquei o rosto, mas era puro amor
“Já ganhou o abraço que queria, pode voltar”
Disse sem dizer
Mostrei resistência, quis ficar
“Não! Ainda não!” – e desapareceu…
Voltei…
Alda M S Santos

Sonhar é…

SONHAR É…

Sonhar é ter direito a um passo a mais
Nas areias nas quais ficam impressas nossas pegadas

Sonhar é brincar com nossa criança interior que nos pede com fervor “mais uma vez”

Sonhar é mais uma vez poder sorrir ou chorar, se encantar, se emocionar

Sonhar é sempre se apaixonar, ser calor, outra vez fazer amor

Sonhar é mais uma vez aprender, ensinar, fazer valer esse viver

Sonhar é fazer as pazes com nossa alma,
Sabendo que, a seu modo, erros e acertos merecem palmas

Sonhar é ter um dia a mais no calendário da alma
Aquele que marca emoções e não dias…

Sonhar é potencializar o viver…

Alda M S Santos
Mais no meu blog vidaintensavida.com
Poema inspirado em ChronosFer2 Fotografia: observação

É tempo de sonhar

É TEMPO DE SONHAR

Sempre será tempo de sonhar
Por um mundo melhor, por mais gente a se amar
Por um cantinho no coração de alguém para morar
Por espaço em nós para outros abrigar
Sempre será tempo de sonhar
De viver, amar, continuar, recomeçar
Os sonhos são da vida a propulsão
Nos acalmam, nos alegram, nos tiram do chão
Sempre será tempo de sonhar
Nas asas dos anjos poder voar, nos amparar
No sorriso de uma criança encontrar a esperança
Fazer da beleza da criação nosso melhor passo de dança
Sempre é tempo de sonhar!
Alda M S Santos

Castelos de areia

CASTELOS DE AREIA

Ainda que a vida nos pareça um castelo de areia

Desmoronando quando parece linda e perfeita

Mesmo que a gente se prenda nos fios dessa teia

Que tenhamos forças e coragem para continuar

Que possamos sempre encher nosso baldinho de água

Quantas vezes forem necessárias para outro castelo construir

Que seja ainda mais belo e resistente

Para abrigar sonhos de príncipes e princesas reais ali

Que a gente possa perceber que a beleza está no construir

Em cada detalhe feito e refeito com amor

Assim já terá sido lindo quando ele ruir

E a vida ficará mais leve e fluida, sem rancor

Alda M S Santos

Sonhos

SONHOS

Muitos têm, outros não

Uns dispensam, outros reivindicam

Dormindo ou acordados

São inspiradores…

Partilháveis ou não,

Dão forças, geram energia

Sem eles é estagnação

Com eles vamos avante

Mantê-los é saudável

Lutar por eles é promissor

Realizá-los é o paraíso!

Alda M S Santos

Vida paralela

VIDA PARALELA

Vivo uma vida paralela à vida oficial

Aquela quando meu corpo repousa na madrugada

E meu espírito sai por aí numa missão especial

Não sei ainda o que ele quer nessa invernada, afinal

Faz visitas acolhedoras, anda por lugares inimagináveis

Veste-se de seres lendários, encantados

Sorri, chora, faz amor, sobe e desce trilhas incansáveis

Refaz trajetos difíceis, encontra seres amados

É uma vida paralela que o corpo que descansa desconhece

Mas a alma quer rever, refazer, ela não adormece

Ela deve saber o que faz, cuidadosa, em prece

Gostaria apenas de poder acessar mais facilmente

O que ela vive, repara, conserta na noite insolente

Talvez numa transversal a gente bata de frente, se encontre, finalmente

Alda M S Santos

Qual o tamanho do seu sonho?

QUAL O TAMANHO DO SEU SONHO?

Como medir um sonho que se tem?

Como fazer para bem dimensionar

Dá para mensurar pela (im)possibilidade de realizar?

Qual o tamanho do seu sonho?

É maior o que mais dinheiro gastaria

Ou aquele que mais abrir mão exigiria?

É de bom tamanho o que aproxima da realidade

Ou aquele que traria mais felicidade?

Qual o tamanho do seu sonho?

É maior o que for justo sem onerar ninguém

Ou aquele que engrandece a alma de quem o obtém?

É grande o bastante o que gera prazer e paz

Ou o que não se esvai, se eterniza, não é fugaz?

Qual o tamanho do seu sonho?

Alda M S Santos

Quisera

QUISERA

Quisera ser uma fada e ter todo o conhecimento

Poderes do bem, do discernimento

Saber distinguir o que será de bom aproveitamento

E o que não irá trazer aborrecimento

Quisera poder afastar o mal com um simples toque

Despertar a todos para o bem, para a luz, sem choque

Não ser enganada, ter poderes sobrenaturais

Daqueles que nos fazem querer amar mais e mais

Quisera ser uma fada capaz de consertar o mundo

Colocar a Terra de novo nos eixos, em órbita

Despertar sentimentos nobres e profundos

Quisera ser uma fada, não ficar apavorada

Mas se conseguir a paz em minh’alma já estarei abençoada

Já poderei levar bons adeptos comigo nessa escalada

Alda M S Santos

Devagarzinho

DEVAGARZINHO

Chegou devagar, entrou, ficou na antessala

Foi avaliando o espaço, se aproximando

Trazia grande bagagem, estava cheia a mala

Ia aos poucos seu lugarzinho conquistando

Não quis saber de nada de falsidade

Seu desejo era de apenas partilhar o viver

Em busca de paz e tranquilidade

E de uma doce e recíproca amizade

Nos sonhos ela entrou, conquistou, ficou

Não quis mais fugir, seu coração se encantou

E daquele lugarzinho se apossou

Uma fada, um anjo protetor

Todos nós precisamos na vida

Na realidade, nos sonhos, seja como for…

Alda M S Santos

Um anjo passou por aqui

UM ANJO PASSOU POR AQUI

Um anjo passou por aqui

Senti o bater de suas asas suaves

Quase me ofusquei com o brilho que irradiava

E me apaixonei por aquilo que falava

Um anjo passou por aqui

Trouxe esperança, carinho, cuidado

Não tinha pressa, não se incomodava

Apenas me ouvia, minhas lágrimas enxugava

Um anjo passou por aqui

Mostrou um caminho mais colorido

Despertou-me sorrisos, alegria

E se propôs a ser meu guia

Um anjo passou por aqui

Fez-me dormir, meu coração acalmava

Meu corpo cansado acalentava

E minha alma sedenta abençoava

Um anjo passou por aqui

Quando acordei não mais o vi

Mas sua presença ficou gravada em mim…

Alda M S Santos

Faça três pedidos

FAÇA TRÊS PEDIDOS

Não encontrei a lâmpada de Aladim

Tampouco um gênio a me conceder três pedidos

Mas ele me disse: meu amor te concederá três desejos

Olhei para ele e não consegui identificar de onde o conhecia

Tinha um olhar terno de imensa bondade

Olhava fundo em meus olhos

Havia muito amor ali, parecia me conhecer até a alma

Eu não precisaria nada pedir

Ele chegou e me deu um longo abraço apertado

Daqueles que matam saudades seculares

“Este pedido não vale”- ele disse

“Não quero mais nada”- beijou as lágrimas que escorriam

Deu-me as mãos, levou-me com ele

Como se asas brotassem em mim

Voei alto, bem alto, tudo apreciando

Sentindo-me tão à vontade, total sintonia

Não havia medo, tampouco ansiedade

Sentamo-nos no alto de uma montanha

Da altura das nuvens, cachoeiras em cascata ao redor

Pássaros pousavam nas nossas mãos

“É sonho? Não quero acordar!”- afirmei

Uma veste branca, fina e leve cobria meu corpo

Balançava todo o tempo como um halo de luz

Eu flutuava, levitava, cheguei a uma imensa porta

Estendi as mãos para ele

“Não! Ainda não! Virei te buscar na hora certa”

Deu-me um longo beijo e me colocou de novo lá embaixo

“Siga seu caminho, você está indo bem”!

Falei que meu único pedido era ir com ele

“Ainda não é chegada a hora”

Soprou-me um beijo e sumiu…

Fiquei ali com meus três desejos

Fé, esperança e amor renovados…

O outro teria que esperar!

Alda M S Santos

Nossos sonhos

NOSSOS SONHOS

Somos movidos por nossos sonhos

São eles que nos impulsionam

Nos empurram para a frente

São as asas que nos mantêm no ar

Quando tudo parece declinar

Somos movidos por nossos sonhos

São eles que nos fazem levantar

A cada dia ter mais garra, vontade de lutar

Ir em busca deles em qualquer lugar

Somos movidos por nossos sonhos

Eles crescem em nossos corações, adentram nossa alma

Criam asas, voam alto, invadem outros corações

E vivemos assim, plainando

Com eles nos atiçando

Somos movidos por nossos sonhos

Não importa se parecem impossíveis

Eles sempre nos parecerão cabíveis

Se um dia deixarem de existir

Já teremos deixado a vida de nós se esvair…

Qual sonho te impulsiona?

Alda M S Santos

Leveza

LEVEZA

Sonhei que estava a caminho do céu

Vestes brancas e leves a flutuar

Na cabeça uma tiara de rosas, um véu

Subia, girava, sorria, ia devagar

Vez ou outra parava no caminho

Sentava numa nuvem para baixo a olhar

Quem foi que deixei sozinho

Isso pesava, não me deixava viajar

Era tão bom poder plainar

Cada vez mais longe, mais alturas alcançar

Tal qual águia na imensidão a voar

Tudo ficava leve, pétalas de rosas a carregar

Mas algo não estava bem

Ainda não posso ir, preciso retornar

Aqui tinha ficado alguém

Mas já conhecia o caminho do céu a atravessar

Me despedi de mim mesma

Minha leveza, minha destreza

Quem sabe não chegaria o dia

Que iria com certeza pra lá

Enquanto não é possível

Quero de novo sonhar

E nas asas de uma borboleta

As alturas de novo chegar…

Alda M S Santos

Mais no meu blog vidaintensavida.com

Faça seu pedido

FAÇA SEU PEDIDO

Fonte dos desejos: faça seu pedido

Algo material, profissional, familiar, emocional

Que pedir?

Será que algum desejo será impedido

Ou a fé que tenho nele

É o bastante para ser validado?

A quem vou dirigir meu desejo

Onde vou cobrar resultado?

Fonte dos desejos: faça seu pedido

Águas transparentes, belas e convidativas

Busco lá dentro algo que prove

Que tudo isso não é embromação

Que tenha mesmo poderes de realização

Fonte dos desejos: faça seu pedido

Descrente, mas com vários desejos no coração

Debruço-me para melhor enxergar e não me enganar

E tudo que vejo é meu reflexo distorcido a me encarar

Fonte dos desejos: faça seu pedido

Enfim, entendo o que realmente é a fonte dos desejos

A fonte que tem poder de nos despertar

Mostrar que qualquer desejo é possível

Que só depende de nós mesmos realizar…

Fonte dos desejos: faça seu pedido

Jogue uma moeda, por desencargo de consciência

Corra atrás dele, tenha paciência

Mas nunca desista de sua existência…

Alda M S Santos

Será que sou daqui?

SERÁ QUE SOU DAQUI?

Tantas vezes olho para cima

Um céu noturno, salpicado de estrelas

Uma lua de tantas fases e faces

Nuvens pesadas separando os mundos

Ou um lindo sol a uni-los

Um infinito de possibilidades

Uma via láctea ali estampada e convidativa

E sinto que não pertenço a esse mundo

Um mundo tantas vezes cruel e injusto

Desigual e repleto de males do corpo e da alma

Sinto que não sou daqui

Que há uma força a me atrair

Será que de lá eles olham para cá

E têm a mesma impressão?

Será que cada estrela não é um ente querido que se foi

Como falamos para as crianças?

Será que há uma porção minha do lado de lá

Que quer me levar embora daqui?

Ou sou eu que carrego comigo uma porção delas

E esteja querendo atraí-las para cá?

Será que temos algo a trocar, a compartilhar?

Sei que esse mundo é muito maior que isso aqui

E há muito a aprender, a ensinar

A pedir, a oferecer…

Quero voar, subir, encontrar com outros seres

Iguais ou não, encontrar com Ele

Correr sobre as águas, sentar num banco de nuvens

Bater um papo longo, ganhar um colinho

Quem sabe assim a gente se complete

E construa um mundo mais justo

Lá e cá?

Sinto que não sou daqui

Mas enquanto estiver aqui tentarei fazer o melhor…

Alda M S Santos

Devaneios

DEVANEIOS

Vou escrever uma história

Daquelas bem bonitas

Real ou imaginária

Talvez mesclada, realizada e sonhada

E colocar numa garrafa de vidro

Enrolada tal qual pergaminho

Exalando um pouco de perfume suave

Um beijo de batom rosa

Umas lágrimas desobedientes

Muitos sorrisos de satisfação e amor

Colocar uma rolha fechando a vácuo

E lançar no oceano…

Quem sabe um dia, décadas à frente, alguém a encontre

A esfregue para retirar marcas do tempo

E, tal qual gênio da lâmpada de Aladim

De lá de dentro a história se materialize novamente

Rica em detalhes e melhor vivida

Ou que apenas deixe para a posteridade

O registro de uma história de vida bonita

Espero que seja a nossa…

Alda M S Santos

Sonhos queimados

SONHOS QUEIMADOS

“Quem não sonhou ser um jogador de futebol”?

Uma habilidade, um dom especial, um sonho

Os pés tão hábeis com a bola,

E um coração recheado de esperanças

Num novo lugar, novas pessoas, novos amigos

Juventude, futebol, alegria, Flamengo, sacrifícios

“Posso morrer pelo meu time

Se ele perder, que dor, imenso crime”

Longe da família, investindo num sonho:

Ser um jogador famoso, ganhar dinheiro

Ajudar familiares, ser feliz…

Onde estava o erro disso?

Sonhos queimados tão precocemente

Viraram cinzas as esperanças

Dez adolescentes com vidas interrompidas sob fogo

“Bola na área sem ninguém pra cabecear

Quem não sonhou em ser um jogador de futebol?”

Canto, de luto, muda, com Skank…

Hoje é triste uma partida de futebol

Tantas dores, tantas tragédias, luto

Parem o mundo que eu quero descer!

Alda M S Santos

Foto G1

#flamengo #skank #ninhodourubu

A importância que te dou

A IMPORTÂNCIA QUE TE DOU

Dou importância demais a você

Teria dito novamente a psicóloga

Por isso não sai dos meus sonhos

Dos meus pesadelos, para ser mais exata

Entra sem pedir licença, invade

Amedronta, assusta, aterroriza

Sou eu que preciso definir qual espaço você ocupará na minha vida

Muito, pouco ou nenhum!

O que não se resolveu na consciência

Tenta-se resolver na inconsciência

Você me assaltou, roubou, assustou, machucou, feriu

Causou medos e traumas, mas vencemos, ambos

Estou viva e você ficou sem uma dívida a mais a pagar

Então, fiquemos assim: não precisa mais me assustar

Você não tem participação especial na minha história

Ou, se teve, pela realidade dolorida da situação, passou

Não te desejo mal, apenas que encontre seu caminho

E que não precise mais assaltar ninguém…

E que Deus nos proteja a todos!

Alda M S Santos

Sobre as águas

SOBRE AS ÁGUAS

Queria ser capaz de correr sobre as águas

Com toda a confiança de nunca afundar

Até chegar do outro lado do horizonte

Onde o mar se encontra com o céu

Ou sobrevoar as águas tal qual pássaro

E mergulhar vez ou outra em busca de um peixe

Num barco também não seria nada mal

Numa maré baixa deixar-me levar

Debruçar sobre ele e jogar água para todos os lados

Sei lá!

Sinto uma atração irresistível pela água

Uma atração que causa-me medo e prazer

Parece que ela me chama todo o tempo

Será que se eu atendesse esse chamado seria capaz de voltar?

Conseguiria? Quereria?

Daqui fico a observar, a sonhar, a imaginar

Com os pezinhos na areia

Na beira do mar…

Alda M S Santos

Expectativas

EXPECTATIVAS

Às vezes temos altas expectativas, daquelas bem difíceis de se alcançar

O que torna a conquista maravilhosa e a derrota decepcionante

Noutras as expectativas são muito baixas, pouco esforço para atingi-las

Boas, gostosas, mas nem sempre tão valorizadas

E noutras vezes as expectativas são tão impossíveis, tão inalcançáveis

Daquelas proibidas que nos impomos, sabendo que não daremos conta

Por isso as colocamos lá no alto

Para culpar o impossível e não a nós mesmos…

Todos podemos ter várias dessas fases

A fixação numa delas é que nos torna pessoas muitas vezes insatisfeitas

Conosco mesmas e com o mundo…

Quais suas expectativas?

Alda M S Santos

Desejo apenas isso…

DESEJO APENAS ISSO…

Desejo que possamos ter tudo aquilo que precisamos

O que nem sempre coincide com aquilo que desejamos

E tudo na medida bastante para nossas necessidades

Sem contudo acarretar falta para outro alguém

Desejo que possamos lutar corajosamente pelo que nos é essencial

Sem que para isso precisemos nos valer de armas letais para nós ou para os outros

Desejo que tenhamos sabedoria bastante para identificar pelo que vale a pena lutar

Que saibamos construir sem destruir

Mais que isso, que possamos valorizar o conquistado, o merecido, fruto de nossas escolhas e batalhas

Porque pior que não conquistar algo almejado

É perder o já conquistado e não devidamente valorizado

Desejo que sejamos agradecidos por tudo que recebemos, as bênçãos e maravilhas

Sabendo ofertar aos outros as mesmas oportunidades de conquista e realização

Desejo que possamos ser verdadeiramente humanos

Deixando o amor do Pai, o amor-família, o amor fraterno

Sempre tomar as decisões nos momentos mais difíceis…

Desejo apenas isso…

Alda M S Santos

Foi assim…

Dores e delícias do viver

DORES E DELÍCIAS DO VIVER

É dor ou delícia?

Dispor de um céu infinito para voar

E encontrar alimento num cativeiro alheio?

É dor ou delícia?

Ter asas leves e fortes capazes de alçar voo nos sonhos do coração

E precisar manter os pés firmes e pesados no chão?

É dor ou delícia?

Avistar um deslumbrante e convidativo horizonte além-mar a desbravar

E desejar um porto distante e inalcançável a um barquinho de papel?

É dor ou delícia?

Flutuar nas águas límpidas e leves do amor incondicional

E, afoito, se afogar nas águas turvas e densas da ilusão?

Viver é se molhar e se secar, tornar a se molhar e tornar a se secar

No brilho líquido e vibrante dos sorrisos e das lágrimas

Que nos tomam todo o tempo de delícias e dores….

É dor ou delícia?

Cada qual que responda por si…

Alda M S Santos

Delírios

DELÍRIOS

Em poucos minutos, flashs de imagens nos invadem

Dolorosas, sofridas, assustadoras

Amedrontam a alma da gente

Em poucos minutos, flashs de imagens nos invadem

Carinhosas, ternas, quentes, apaixonadas

Encantam a alma da gente

Acendem e apagam, chegam e se vão

Alternam-se desejos e delírios, bons e ruins

Mas deixam um rastro iluminado de esperança no caminho

Fazendo bater mais forte o coração…

Alda M S Santos

Há esperança

HÁ ESPERANÇA

Há esperança, ah, esperança…

Aquela que vai, voa, se perde, volta

Flutua e pousa insegura em sua mão

Ah, esperança…

De asas leves, voo verdejante

Machucada, temerosa, insistente

Repousa em sua alma, batendo asas no ritmo de seu coração

Há esperança!

Voa na brisa suave, deixa-se levar nos vendavais

Ou apenas se recolhe num canto…

Espera, paciente, que alguém nela espere

Como toda esperança será a última a morrer

Ah, esperança…

Há esperança?

Alda M S Santos

Reservado

RESERVADO

Num mundo que se assemelha a um gigante estacionamento

Onde há vagas demarcadas, ou não

Mas não temos lugar reservado, personalizado

E nem sempre há vagas ou espaço para todos

Gostamos mesmo é de estacionar nossos corações no mesmo lugar

Naquele espacinho onde nos cabe direitinho

Onde o sol aquece, mas não queima

Onde o silêncio aconchega e acalenta

Onde há sombra de uma boa cobertura sem esfriar

Onde estamos protegidos de tempestades e granizos

Onde não há qualquer dificuldade de manobras, sem medos

Onde nos encaixamos de olhos fechados sem erros

Com a certeza e prazer de ter chegado em casa…

Encontrar ocupada essa “vaga” não reservada, mas sempre utilizada

Com cones de proteção ou placas de estacionamento proibido

Ou sequer desconfiar que ela não esteja mais disponível para nós

É, no mínimo, angustiante…

Desejo de colocar uma placa de uso cativo com letras garrafais nas vagas que “ocupo”

RESERVADO!

Sujeito a reboque!

Alda M S Santos

Alma livre

ALMA LIVRE

Ela é uma poetisa que hoje mora num lar de idosos

Extremamente educada, delicada e gentil

Idade já avançada, mente alerta, olhar “invasor“, observador

Como só os poetas de alma podem ser

Ela me olhava conversar com um idoso de longe sentada em sua cadeira

Apoiada no andador, o corpo não mais acompanha a agilidade da mente e dos sentimentos

Olhava por cima dos óculos todos os demais em roda

Interagindo com a música como podiam

Cantando, dançando, ouvindo, fazendo parte…

Cheguei até ela, fiz um carinho do qual fui correspondida

Perguntei pelos poemas, se ainda escrevia aquelas preciosidades que já declamou para nós outras vezes

“Ah, não! Não tenho mais cabeça e memória para isso, faltam palavras”

“Mas para escrever poemas não precisa memória, precisa sensibilidade e sentimentos que a senhora tem de sobra ”- retruquei

Ela deu um lindo sorriso, fez-me um carinho no rosto

“Que linda e gentil você é! Estava vendo como era atenciosa com aquele senhor.”

“Ele é uma ‘peça’, gosta de conversar. Falava das filhas”- completei

“Mas não são todos que têm paciência com ele! E seu blog, ainda escreve?”

Essa foi a pergunta de quem disse não ter a mente boa…

Falei sobre o blog pra ela há tempos…

Uma alma delicada de poeta naquele corpo frágil, num lar para idosos

Será que se sente presa ali, no próprio corpo, naquele lar, ou a alma é livre?

Não tive coragem de perguntar, mas acho que ela percebeu o que eu sentia/temia

Sorriu e me beijou o rosto, agradeceu a presença

Não tem como não pensarmos no nosso próprio futuro…

Cada Carinhólogo certamente se faz essa pergunta!

Alda M S Santos

#carinhologos

Fecho os olhos

FECHO OS OLHOS

Fecho os olhos quando não quero ver algo

Fecho os olhos quando quero me isolar do exterior

Fecho os olhos quando quero ver melhor

Fecho os olhos quando quero me conectar com meu interior

Fecho os olhos quando não quero ver o que é feio, o que magoa

Fecho os olhos fingindo não ver, não perceber, não saber ou sentir

Fecho os olhos para me proteger do desamor, das decepções

Fecho os olhos quando quero ver o essencial

Fecho os olhos para ver com outros sentidos

Fecho os olhos para ver a brisa leve arrepiar a pele

Fecho os olhos para ver as ondas batendo nas pedras

Fecho os olhos para ver o voo livre das gaivotas

Fecho os olhos para me aquecer nos primeiros raios de sol da alvorada

Fecho os olhos para absorver bênçãos, para potencializar o bem

Fecho os olhos quando quero ver com os olhos do coração

Como num beijo de amor e entrega

Que tudo vê e sente com os olhos da alma…

Fecho os olhos, tudo vejo, tudo percebo…

Feche os olhos!

Alda M S Santos

Nublado

NUBLADO

Quero um dia inteirinho de chuva

Daqueles cujo céu fique totalmente encoberto

Chuvinha constante, ora fininha, ora mais intensa

Daqueles que nos “autorizem” a ficar o dia todo sob as cobertas

Sem precisar justificar, sem precisar de um porquê

A nostalgia e introspecção comuns desses dias nos liberam para tal

Eles são, por si só, a razão do recolhimento

Sentindo o friozinho úmido lá de fora, as gotas da chuva escorrendo na janela

Cheirinho de terra molhada, flores agradecidas, pessoas correndo

Escondendo-se sob as marquises, dividindo guarda-chuvas

Umas felizes, outras praguejando, esbravejando

Os abraços molhados, os encontros, os reencontros

O amor, a saudade de infância que sempre fica no ar…

Crianças sempre amam, andam nas enxurradas, nada temem

Adoro observar as pessoas em dias assim

O cinza molhado ativa as cores ou ausência delas nas pessoas

Os cães sequer saem das casinhas

O bem-te-vi por certo também está em “casa”

Um pijama macio, uma meia velha, cabelos revoltos, uma xícara de chá

Um livro, um filme ou uma música

Uma história para escrever…

Sei lá…

Dias nublados e chuvosos são dias muito produtivos

Ainda que o produto seja apenas interno e invisível aos olhos de fora…

Alda M S Santos

Estou viva!

ESTOU VIVA!

Estou no perfume doce e inebriante da flor

Também nos espinhos que a protegem e nos causam dor

Estou no calor escaldante do sol a brilhar

Também na chuva fria que cai fininha sem cessar

Estou na paz e inocência do sorriso infantil

Também na ternura do olhar de um idoso senil

Estou no beijo de um casal apaixonado

Também na saudade de um amor do passado

Estou na brisa suave que acalma, refresca, arrepia a pele e os cabelos balançam

Também nos ventos fortes dos vendavais que assustam e tudo bagunçam

Estou nos acordes suaves da empolgante canção

Também nos corpos grudados que dançam sensuais pelo salão

Estou na claridade da lua cheia ao anoitecer

Também na nebulosidade de um dia em que o sol esqueceu de nascer

Estou na finalização que nos traz todo entardecer

Também na esperança que renasce verdejante em cada alvorecer

Estou no amor vivido, na dor cortante, frustrante

E na vida que se renova no silêncio de paz dos amantes

Estou viva, sou a poesia

E, vez ou outra, me transmuto em versos, em poemas, em magia…

Alda M S Santos

Noite estrelada

NOITE ESTRELADA

Há sonhos belos como uma noite escura

Como um céu salpicado de estrelas brilhantes, reluzentes

Atraindo, despertando esperanças, expectativas

Mas, como as estrelas, “apagam-se” ao amanhecer

Seu brilho não se sustenta perante à dura realidade do dia

Assim como as estrelas se escondem

Diante do brilho intenso dos raios de sol

Muitos sonhos se escondem atrás dos medos

E covardias que tiram seu brilho

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: