Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Categoria

poesia

Só a poesia

SÓ A POESIA
Só a poesia nos permite ter um olhar especial
Para aquilo que todos veem como trivial
Só a poesia nos faz sentir algo, ser mensageiro
Daquilo que todos têm como corriqueiro
Só a poesia nos habilita a tocar fundo no sentimento
De perto, de longe, no pensamento
Só a poesia nos deixa a flutuar, a divagar
Mesmo quando a tendência é parar, estacionar
Só a poesia nos permite manter a sanidade
Em meio às nossas loucuras diárias
Só a poesia é capaz de enxergar o sorriso
Aquele que está atrás das lágrimas
E as lágrimas atrás de cada “tudo bem”
Só a poesia nos permite ainda amar
Mesmo que tudo aponte para a indiferença, para o odiar
Só a poesia nos mantém de pé
Ignorando os ventos contrários e a falta de fé
Só a poesia nos capacita
A mirar o futuro com esperança
A atravessar o passado sem desconfiança
Sem perder o foco do presente
Sendo a interação, a boa energia
Poesia é a alma que se vê
Poesia é pura magia…
Alda M S Santos

Ouvindo poesia

OUVINDO POESIA

Quem pensa que poesia só se escreve, se engana
Muito antes de ser escrita, verbalizada ou declamada
Já foi sentida, entendida e escutada
Abusando da sensibilidade que se tem aguçada

Pássaros cantam poesia na alvorada
Em doces e belos tons, rima apaixonada
Entregues, não desistem, persistem nessa empreitada
Até ter rendida para si a linda namorada

Árvores são poesia aos quatro ventos sussurrada
Gostam de se fazer sentir, serem abraçadas
Junto das flores são alimento, beleza, poesia perfumada

Poetas são esponja, são ímã, alma encantada
Sintonizam suavemente no canto da passarada
Deixam o coração falar, pela brisa ser levada

Alda M S Santos

Poeta

POETA

Poeta, aquilo que sai da sua cabeça
É algo que talvez nunca se esqueça
Aquilo que sai da sua cachola
E um pouco até extrapola
Vira versos, poemas, te ajuda a sair de sola

Poeta, aquilo que sai da sua alma
Que vem do coração até a palma da sua mão
Transborda sentimentos, escreve, extravasa
Vira versos, poemas, são levados pelo vento
Lavam a alma, atingem outro coração…

Poeta, o que passa por sua cabeça
Vira sonho, faz um atalho pelo coração
Deixa você mais leve, doce, sublime
Te lava por dentro, te redime
Isso se chama amor, revestido de inspiração
E te faz ser mais emoção…

Poeta, que se passa em seu coração?

Alda M S Santos

Nasce a poesia

NASCE A POESIA

Ela brota em nós, suave doçura
Rompendo barreiras da terra escura
Tal qual semente que a luz procura
Desabrocha, encanta, louca fissura

Alimentada por nossos sentimentos
Aquecida em densos momentos
Irrigada pelas lágrimas dos tormentos
Despertada na alegria dos acontecimentos

É sonho, é realidade em letras versada
Escrita, declamada, aclamada
No outro se vê, encontra morada

A poesia nasce e cresce assim
Nos poetas, em você, em mim
Seguindo, inseparáveis, até o fim

Alda M S Santos

Simplesmente, amo!

SIMPLESMENTE, AMO!

Será que precisa mesmo esse desvendar
De um amor, um intenso precisar
Quer saber a razão, o porquê
De um viver agarrado assim em você

É necessidade que não sai
Um desejo que não se esvai
É um modo de partilhar
Emoções que estão meio sem lugar

Tantas vezes não há como falar
Não se sabe como expressar
Mas você nos permite esse passear

Uma vez que encontra essa sintonia
Nos versos, na prosa, na poesia
Não há mais jeito, abrir mão é heresia

Alda M S Santos

Poesia

POESIA
Poesia não é para entender, não é para explicar
Poesia é para sentir, para se fazer sentir
Poesia não é para racionalizar, equacionar
Poesia é para apreciar, emocionar
Pois é fruto das boas energias
Que transbordam de algo ou alguém
E viram versos, poemas
Poesia é para alguém faminto de magia, de encanto
Não são todos que sabem uma poesia apreciar
Poesia é para a alma de simplicidade alimentar
De emoções, de amor, de beleza e encanto
Poesia faz a vida fazer sentido
Sem precisar explicar!
Alda M S Santos

Pouso e repouso

POUSO E REPOUSO

Quero encontrar um porto, um cais
Onde possa organizar o caos, os ais
Lançar âncora, extrair partes mortas
Reavaliar rotas, fechar algumas portas

Voando alto ou baixo, longe ou perto
Alcançando oásis no quente deserto
Quero mesmo é obter saudável pouso
Onde houver paz, harmonia, repouso

Entre rimas, versos e reversos
Na poesia encontro bom pouso
Harmonizo nas palavras, repouso

Nada melhor que a paz de um lar
Descalçar, nu de alma ficar, descansar
Brincar, relaxar, pousar, repousar

Alda M S Santos

Nos seus versos

NOS SEUS VERSOS

Quero estar registrada em seus versos
Naqueles que mostram que de ti faço parte
Da sua inspiração, do seu pensamento
Que em você sou a própria obra de arte

Quero estar impressa em você
Nos sonhos, no futuro que antevê
No sorriso ou seu jeito afoito de ser
No modo intenso de amar, de querer

Quero ser seus versos, a poesia desejada
Aquela já escrita ou apenas imaginada
A que fica reclusa, na alma guardada

Quero ser sua rima, sua canção, sua sina
A que dá o ritmo, o tom, a que fascina
Quero ser para sempre sua menina

Alda M S Santos

Quando os versos não saem

QUANDO OS VERSOS NÃO SAEM
Vontade danada de escrever, de organizar esse caos
Colocar pra fora o que se espreme aqui dentro.
Mas é tanta coisa misturada, tanta pressão!
Não há uma válvula de escape,
Não há saída de emergência,
E todos os sentimentos, toda essa poesia em mim
Que poderiam vir a ser um poema,
Ficam travados em frases sem nexo,
Se confundem num texto complexo,
E os versos não se materializam,
Se apertam na saída, barram a passagem
A magia e encanto se perdem.
E nada sai…
Quando os versos não saem,
Morre um pouco a poesia,
Morre um pouco de mim…
Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: