Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Posso ser

POSSO SER

Posso ser tudo que pede meu ser
Há forças internas a se romper
Nada há por aqui que possa me tolher
O amor que brota faz tudo florescer

Posso ser as águas calmas de um rio, faceira
A energia que cai nas pedras de uma cachoeira
Posso ser da tempestade o temor, a agonia
Ou as cores do arco-íris, o brilho, a fantasia

Posso ser em mim, em você, o beijo doce
O sonho belo e mágico, se real fosse
Um sabor embriagante que alucina, agridoce

Posso ser do dia, a luz, da noite, a escuridão
Posso ser frio no estômago, calor no coração
Enfim, posso ser na vida esse intenso turbilhão

Alda M S Santos

Tempo de amor

TEMPO DE AMOR

Diz o Grande Livro que há tempo para tudo
Tempos alegres, outros sisudos
Será que dá para definir bem
O tempo de cada coisa que nos convém?

Há tempos mais chorosos, conflitos internos
Há outros de muita dependência do externo
Mas todos requerem amor, esperança
Para poder seguir em nossas andanças

Quero tempo de luz, alegria e paz
Alimento da alma que no bem se refaz
E espalha ao mundo tudo que satisfaz

Seja em qual estação estivermos
Primavera, verão, outono ou inverno
Quero deixar brilhar o Sol, ser amor fraterno 

Alda M S Santos

Ao seu lado

AO SEU LADO

É bom a gente se acomodar bem
Naqueles lugares onde nos sentimos alguém
Saber-se aceito, querido, sentir-se abrigo
Bem-vindos, não somos ou oferecemos perigo

Bom poder se sentir no aconchego de um lar
Ser acolhido, compreendido, o coração acomodar
Lugar onde podemos andar descalços
Alma leve, nua, segura, sem percalços

Paz, refrigério, luz, aceitação, ameaça zero
Não se cobra, não se impõe, isso eu reitero
Precisa ser recíproco o querer, o desejo ser sincero

Se se sentir inseguro, ameaçado ou tolerado
Não perceber que a felicidade sentou ao seu lado
Não fique, mude a rota, não é legal ser indesejado

Alda M S Santos

Amar é…

AMAR É…

Amar é tão simples que parece complicado
Mas a verdade é que o amor precisa de aliados
Só amor não transpõe barreiras, não perdura
Respeito, lealdade, carinho, admiração, candura

A admiração, o encanto nisso tudo é essencial
Pelo outro como um todo, físico e espiritual
É ela que mantém acesa aquela chama
Que aquece a mente, o corpo, a alma clama

Amar é respeitar o que cada um é
Crescer juntos em sabedoria e fé
Amar é cuidar do outro, é se cuidar
Quem ama quer estar bem, quer agradar

Amar é transpor obstáculos, derrubar barreiras
Juntos seguir, romper fronteiras
Para o amor quase nada é impossível
E a felicidade é algo simples, acessível

Alda M S Santos
Tarde de Poesias; AMAR É ROMPER BARREIRAS

Revisitando

REVISITANDO

Revisitando cantinhos de mim tomei uma decisão
Não quero memórias que machuquem meu coração
Não visitarei mais alguns espaços que são tormento
Que me lembrem que meu agir não foi tão a contento

Também não serei comigo tão severa
Não tinha a compreensão de hoje, fui sincera
Mas sei que a lição ficou na alma gravada
Não, não caio mais nessa cilada

Não vou mais ser tão confiante
Evitarei assim situação decepcionante
Mas no porvir serei sempre perseverante

Só cuido para não me perder de mim
Minha essência é fundamental em meu jardim
Meu perfume, minha cor serão meus, bem assim

Alda M S Santos

Com o vento

COM O VENTO

Seria meio mágico ser parceira do vento
Ir para todo canto que indicar o pensamento
Num vendaval forte na praia ou suave brisa
Brincar de pousar em todo lugar, romper divisa

Quando bem leve e refrescante
Ser frescor para todo viajante
Se forte, intenso, uma tormenta
Ajeitar o que já não apascenta

Quando for meio incerto e bandoleiro
Poder ser a inspiração de um safoneiro
Se for intenso como um tornado
Poder me levar e deixar ao seu lado

Se for aterrorizante como um furacão
Que sossegue no calor de uma paixão
Se chegar docemente como um beija-flor
Que encontre pouso nutritivo na flor, no amor 

Alda M S Santos

O que sobra?

O QUE SOBRA?

De tudo que trazemos em nós
Pós-análise dos contras e prós
O que fica, o que sobra
Que nos impele a agir, nos desdobra?

Se foi grande a tempestade
Ventos fortes mostrando nova realidade
Separando o aproveitável do que é lixo
Dá pra juntar o que sobra com algum capricho?

O que sobra de uma noite de lágrimas e dores
O que fica depois de grandes amores
Sabemos que nem tudo por aqui são flores
Será que podemos ser autoprotetores?

Sei que a vida pode ser vivida em plenitude
Mas é preciso se entregar, ter atitude
Nossa alma tem verões, invernos, mistérios
Urge acolher a ambos sem sermos muito sérios

Alda M S Santos

Bagagens

BAGAGENS

Nessa viagem sempre carregaremos bagagens
Não dá para seguir sem nada levar
Mas podemos fazer melhor a listagem
Do que vale a pena por aqui carregar

Há bagagens leves e outras pesadas
Há embalagens que enganam, são ciladas
Umas ocupam grandes espaços, são sufocantes
Outras são flexíveis, adaptáveis, reconfortantes

As que fazem sofrer, são pontiagudas
Tento esquecer lá atrás, são carrancudas
Bagagens dolorosas atrasam o caminhar
E afastam da gente o prazer de viajar

Gosto das bagagens que aquecem a alma
Que me aliviam a dor, trazem calma
Essas eu carrego com prazer e satisfação
Expressos no corpo, na mente, no coração

Alda M S Santos

É preciso coragem!

É PRECISO CORAGEM!

Aceitamos fazer por aqui essa viagem
É indefinido nosso tempo nessas paragens
Sei que é necessário vencer, ter coragem
Ou tudo desanda, nem se curte a paisagem

É preciso coragem para poder sonhar
Mais coragem ainda para tentar realizar
Nessa festa não dá para ficar sentado
Se não dançar, fica logo enferrujado

É preciso coragem para poder falar
Mais coragem ainda para silenciar
Também não dá para viajar tão devagar
Veloz e com sabedoria para ninguém atropelar

É preciso coragem para seguir a razão
Sem abrir mão do que grita o coração
Somos o piloto dessa nave, ditamos a rota
Com a leveza e sutileza de uma gaivota 

Alda M S Santos

Revelação

REVELAÇÃO

Um dia iremos acordar
Abrir não só os olhos para o dia
Abrir a alma para realmente despertar
Ser luz, paz, o amor que a todos contagia

Nesse dia tudo irá fazer sentido
Tudo que por aqui foi sofrido
Os percalços, as companhias, a solidão
Os momentos em que ouvimos um não

Quando esse dia de revelação chegar
Ou a gente irá chorar ou muito se alegrar
Pelo tempo que soubemos usar ou desperdiçar

Quiséramos nada ter a lamentar
Poder apenas agradecer, abraçar
E, feliz, ter a certeza que valeu a pena amar

Alda M S Santos

A Lua e eu

A LUA E EU

Olho para ela que suavemente me chama
Diz em silêncio: acenda sua chama
O coração se enternece, a alma clama
Pede um viver leve, sem muito drama

A Lua e eu falamos o mesmo idioma
Temos várias fases, diferentes sintomas
Ora ficamos bem nessa nossa redoma
Ora nos afligimos, o viver nos embroma

Somos assim, ora do Sol refletindo a luz
Cheia de si, puro encanto, seduz
Aos poucos míngua, carrega sua cruz
Ora é Nova, brilho interno, só em seu céu reluz

Somos assim, nós duas, eu e a Lua
Misteriosas, ainda que de corpo e alma nua
O amor é alimento em qualquer fase
Temos na intensidade de viver a nossa base

Alda M S Santos

Qual a cor do seu amor?

QUAL A COR DO SEU AMOR?

Se o amor tivesse cor
Qual seria a cor do seu amor?
Seria branco feito a neve
Amarelo como o sol brilhante
Negro como a noite envolvente
Vermelho como coração pulsante
Ou seria confuso, furta cor?
Qual a cor do seu amor?

Rosado feito rosa acanhada
Verde feito mata na chuvarada
Magenta feito moça assanhada
Rubro feito desejo em noite enluarada
Negro feito olhos de prazer na madrugada
Qual a cor do seu amor?

O amor tem a cor da emoção
A cor de uma saudade que aperta o coração
A cor de um beijo ardente de tensão
A cor de todo o arco-íris quando há afinação

A cor de um sorriso de prazer
Por sentir-se do viver a maior razão
Amor é de toda cor
Amor é da cor do prazer
Da cor de toda pele que brilha
Pelo intenso prazer de viver!

Alda M S Santos
Dia da consciência negra

Dói na pele negra

DÓI NA PELE NEGRA

Dói na pele negra que disfarça o rubor
Dói na raça negra que carrega esse andor
Dói a discrimininação clara ou velada
Doem as brincadeiras, as bobas piadas

Dói o preconceito, não ser aceito como se é
Dói saber que nem todos disso dão fé
Do quanto a luta é diária nessa batalha
Na tentativa de vencer, a alma se retalha

Dói que não entendam que a vida é colorida
O preto faz parte dessa lida também sofrida
No peito pulsa amor preto, branco, multicor
Cor de pele não faz alguém inferior ou superior

A pele é negra, a mente resiste, a raça é forte
Nunca fugiram da luta, de encontrar seu norte
Para quem não entende, fica a explicação
A cor da pele não dita o que vai no coração

Alda M S Santos

Dói na pele negra

DÓI NA PELE NEGRA

Dói na pele negra que disfarça o rubor
Dói na raça negra que carrega esse andor
Dói a discrimininação clara ou velada
Doem as brincadeiras, as bobas piadas

Dói o preconceito, não ser aceito como se é
Dói saber que nem todos disso dão fé
Do quanto a luta é diária nessa batalha
Na tentativa de vencer, a alma se retalha

Dói que não entendam que a vida é colorida
O preto faz parte dessa lida também sofrida
No peito pulsa amor preto, branco, multicor
Cor de pele não faz alguém inferior ou superior

A pele é negra, a mente resiste, a raça é forte
Nunca fugiram da luta, de encontrar seu norte
Para quem não entende, fica a explicação
A cor da pele não dita o que vai no coração

Alda M S Santos

Medos e sonhos

MEDOS E SONHOS

Tenho medos grandes, até assustadores
No meio deles meus sonhos, encantadores
Intercalam-se nessa escalada, minha travessia
E vou seguindo alimentando essa fantasia

Medos são alerta de cuidado e proteção
Um freio, um breque para não ir na contramão
Sonhos são trilhas bonitas, adjacentes
Um convite a uma viagem envolvente

Medos e sonhos, sonhos e medos
Haverá nisso tudo algum segredo
Algo a aprender, evoluir, não ficar em degredo?

Se morrem os sonhos morre também o sonhador
Estamos aqui para ser ator e autor
Sonhos são um convite aberto ao portador

Vamos?

Alda M S Santos
Mais no meu blog vidaintensavida.com

Palavras mágicas

PALAVRAS MÁGICAS

Abracadabra, pirlimpimpim, que devo dizer
Se quiser um amor na medida só para mim?
Quero um modo de algo poder falar
E imediatamente um desejo meu se realizar

Se quiser que uma porta se abra
Certamente direi logo: abracadabra
Se quiser ganhar um abraço e um beijo
Fecho os olhos e digo: que se realize esse desejo

Se quiser aparecer em outro lugar
Aquele imaginado em meu divagar
Penso bem forte e claro na minha mente
E logo apareço onde almejo diariamente

Se o sonho parece tão distante
Vale mesmo é nele acreditar, confiar
Passar da imaginação para a ação
Aqui a palavra certa é a oração

Alda M S Santos

Eu, sendo eu…

EU, SENDO EU…

Se quer abraçar o mundo
Acolher a todos, mergulhar fundo
Ficar sobrecarregada, sem tempo, 
E ser feliz nesse contratempo

Sou só eu, sendo eu…

Se gosta de mato, de natureza
Quer num rio mergulhar, pura beleza
Prefere o dia, a noite é fantasia
É um estoque de  fragilidade e energia

Sou só eu, sendo eu…

Se erra, cai, levanta, acredita
Se decepciona, sofre, em silêncio grita
Se vai de novo e de novo nessa viagem
Levando na mala nova aprendizagem

Sou só eu, sendo eu…

Se ri de tudo, agita a galera
Ora se acalma, sobe, desce na banguela
Brinca, reflete, chora, poetiza, 
Doa amor, faz amor, romantiza

Sou só eu, sendo eu…

Alda M S Santos

Nos bastidores

NOS BASTIDORES

Quanto de nossas vidas acontece nos bastidores
Atrás das cortinas e dos refletores
Quanto de nosso brilho vem de lá
E nem sempre sabemos valorizar?

Quem está por trás daquilo que tu és
Que te anima, auxilia em todo revés
Acolhe quando você se alegra ou chora
E nao te deixa só quando quer ir embora?

Há muito no cantinho de nossos porões
Sempre lá encontramos boas sensações
Aquelas que são nossas várias memórias
Ajudando a viver e construir novas histórias

Não importa se somos bastidores ou refletores
Importa é acreditar e seguir, mesmo amadores
Bom lembrar que a plateia sumirá quando a cortina fechar
É que iremos para casa, nosso melhor lugar

Alda M S Santos

Nos sonhos da poesia

NOS SONHOS DA POESIA

Num doce e suave devaneio
A poesia é fantasia, é galanteio
Acalenta a alma de toda a gente
Se faz atração, se faz envolvente

Poesia ora é sonho, ora é realidade
Uma boa mistura em busca de felicidade
A poesia invade minha mente, meus sonhos
Uma adorável magia a que me exponho

A poesia me envolveu, me seduziu
Faz parte de mim, minha alma traduziu
Não dá para separar sonho da poesia
São encantos em total sintonia

Se um dia me levarem a poesia
Levam meus sonhos, fico em letargia
Minha alma se alimenta dessa energia
É luz, é amor, cura da dor, é analgesia

Alda M S Santos

Flores sazonais

FLORES SAZONAIS

Cada época ou fase da vida tem sua cor
Seu perfume, seu encanto, seu frio ou calor
Se é outono, inverno, primavera ou verão
Bom é estar pronto para qualquer sensação

Pode haver preferências ou escolhas
Importante é não estacionar, é sair da bolha
Posso abraçar minha primavera ou verão
Sabedora que no inverno houve hibernação

Posso aproveitar todo o potencial
Que a vida me traz de modo especial
Não fecho as  janelas ou portas para nada
Sempre há algo bom nessa jornada

A vida é um jardim de flores sazonais
Ser feliz é aprender identificá-las mais e mais
E, independentemente de qual seja a estação
Estarmos abertos para deixar pulsar o coração

Alda M S Santos

Pagando pra ver

PAGANDO PARA VER

Quero por aqui poder pagar para ver
Seja o que for, desejo poder viver
Quando chegar eu enfrento o momento
Se não for boa emoção, deixo ir com o vento

Pago para ver a beleza da aurora
O perfume do jardim que em mim aflora
O amor que chega bem devagarinho
E me aquece, alegra, juntinho faz carinho

Se pudesse pagaria para não ver certas situações
Dores, sofrimentos, más sensações
Na impossibilidade, gerencio minhas emoções

Bom seria poder nos servir gratuitamente
De um bom prato que sirva corpo e mente
E desperte a paz de viver alegre e suavemente

Alda M S Santos

Que procuras?

QUE PROCURAS?
Um mundo feito de muitas procuras
Muitas vidas feitas de poucos achados
-O que procuras, que buscas?
– Ainda não sei, mas hei de encontrar!
-Se não sabes nem o que buscas
Como queres encontrar?
-Quando encontrar saberei o que preciso
Será sintonia instantânea e atração imediata.
Essa crença que move boa parte da humanidade
É que mantém a roda da vida girando
Que procuras?
Podemos não saber, mas enquanto sentirmos a falta
Estaremos sempre em busca, sem estacionar
Ainda que pensemos ter desistido
O desejo de encontrar o que buscamos
Estará tal qual fumacinha lá no fundo
Bastará um sopro, um toque
Para tudo se acender e voltar ao fogo que atiça a vida…
Que procuras?
Um mundo feito de muitas procuras
Mas muitas vidas feitas de achados na mesma proporção
E a roda segue seu curso infinito…
Que procuras?
Alda M S Santos

Ressaca

RESSACA

Excessos que causam mal-estar
Desejo de estar em outro lugar
Tantas vezes somos acometidos pela ressaca
Dói a cabeça, o corpo, angustiante friaca

Ressaca também pode ser de ausência
Excesso de espaço vazio, carência
Ressaca que dói, aperta, má influência
Coração pulsa fraco, fica em dormência

A ressaca alcoólica se cura com muita água e repouso
Um cantinho qualquer para o corpo, bom pouso
Talvez um antiácido, um analgésico
Mas a ressaca emocional pede mais, um anestésico

Se o excesso é de carência e solidão
Essa ressaca machuca, gera muita emoção
Bom mesmo é carinho, paz,  boa sensação
Só assim se cura ressaca que atinge o coração

Alda M S Santos

Vista-se!

VISTA-SE!

Qual o mais belo e confortável vestido
Aquele que é curto, comprido colorido
Será o que desperta desejos escondidos
E faz a alma se desmanchar em sorrisos?

Será que a veste mais bonita é a verdade
Aquela que não dá corda para a maldade
A que é quentinha feito um abraço
Tem bom caimento, não aperta, dá espaço?

Como você se veste em seu dia a dia
Casual, chique sofisticado ou largado
Ou não se preocupa muito com isso
Quer mesmo é se vestir de amor, ser abençoado?

Brilhantes ou opacas, sejam quais forem as cores
Bom mesmo é se vestir de amizades, de amores
É a veste mais leve, mais transparente
Deixa a alma quase nua, feliz e envolvente

Alda M S Santos

Da vida, dos outros, de mim…

DA VIDA, DOS OUTROS, DE MIM…

Que posso exigir ou cobrar por aqui
Da vida, dos outros, de mim, o que esperar?
Criar expectativas não é bom, é frustrante
Mas isso em nós não tem jeito, é constante

Dos outros, exigir, seja o que for, não é legal
O que se faz por cobrança não é natural
Perde a alegria, o prazer, o valor
Não vale a pena, fica sem sabor

Da vida nada adianta cobrar
Ela é como um eco, devolve o que lançar
De mim, sim, posso algo reivindicar

Mas aprendi nas grandes lições dadas
Na pele e na alma ficaram registradas
Só eu mesma posso me fazer bem aventurada

Alda M S Santos

Noite nublada esconde segredos

NOITE NUBLADA ESCONDE SEGREDOS

Noite nublada que leva à introspecção
Esconde segredos, atiça a emoção
Desejo de um mundo bem acolhedor
Que seja mais terno, menos julgador

A Lua não apareceu, noutro canto se escondeu
Os amantes cansados buscam seu apogeu
As estrelas cadentes já não inspiram pedidos
O Sol claro, quente até a aurora estará  sumido

Lá fora está tenso, nebuloso, escuro
Há entre esses dois mundos um muro
Cá dentro tento manter acesa minha luz
Bem forte apontando o norte que me conduz

Segredos são benção ou perdição
Quem determina é a atitude, a ação
Em dias claros ou noites nebulosas
É a sabedoria da alma que faz a vida mais valiosa

Alda M S Santos

Quando o coração chora

QUANDO O CORAÇÃO CHORA

Por vezes chora o coração
Não se sabe ao certo a razão
Aperta, machuca, dolorosa sensação
Busca um refúgio em si, uma consolação

Quando o coração chora, fica-se em câmera lenta
Parece que a vida nada vale, se ausenta
Ora pulsa forte, ora frágil, delicado
Estaciona, perde agilidade, parece cansado

Quando o coração chora 
Urge buscar a alegria, a dor mandar embora
Sem reticências, sem demora

Mas se não se sabe o motivo
Busque em si mesmo um abrigo
Lá está Deus, um bom amigo

Alda M S Santos

Sonhei que tinha asas

SONHEI QUE TINHA ASAS

Sonhei um sonho tão doce, tão bom
Aqueceu meu coração, melodia de suave tom
Eu tinha grandes e belas e ágeis asas
Voava e voava, alma animada, não cansava

Eu escolhia aonde ir, onde o coração mandava
Eu ia voando alto e por ali pousava
Ficava conversando, brincando, namorando
E minhas asas no canto aguardando

Era um espaço de paz, luz, boa energia
Ninguém machucava ninguém, a vida fluía
A certeza de agir no, pelo e para o bem
Atraía outras asas a voar assim também

Pares e pares de de asas no mesmo voo
Um voo de amor, de doçura, eu nunca enjoo
As asas estão dentro de nós, sempre a esperar
Quando o coração quiser  é só acionar e voar…

Alda M S Santos
Tarde de Poesias: Sonhei que tenho asas…

Presente!

PRESENTE!

Hoje a vida faz a chamada:
Alda Maria Silva Santos
Presente! Digo há 55 anos…
Tantos os momentos, tantas alegrias
Muitas lágrimas, cair, levantar, utopias …
Presente! Digo com convicção
Salta no peito o forte coração
Vontade de perguntar quanto tempo me resta
Se terei boas surpresas,
Se poderei aproveitar a festa…
Aniversariar é ativar a máquina do tempo
Um passeio no passado, nosso aliado
Um pulo no futuro, saltando os muros
Mas vale mesmo é o momento de agora
O que se apresenta, se impõe, sem demora
Como estou hoje, a alma sorri ou chora?
Faço uma viagem meio insana
De fora para dentro, a alma chama
Presente! Estou presente, sou presente
Não sou banco, mas o saldo é positivo
Na balança da vida ainda me equilibro bem
Não fico tonta em seu constante vai e vem
Sou amor, quero amor, doo amor, peço amor
No mais, sigo voando como beija-flor
Leve, colorido, suave, extraindo o mel da flor
Não quero saber quanto tempo tenho ainda
Abraco a vida, acolho sua parte mais linda
E o que vier, quero mais é que seja bem-vinda!

Alda M S Santos

Nos sonhos da poesia



NOS SONHOS DA POESIA

NADA MAIS É COMO ERA ANTES, no QUADRO DA VIDA

Numa NOITE FRIA, imerso em SILÊNCIO APAIXONADO

Penso em TEUS LÁBIOS PINTADOS, sou refém DOS SENTIMENTOS

À mente, VELHOS TEMPOS, JURAS DE AMOR ao PÔR DO SOL

Encontro MINHA MORADA num AMOR ÍMPAR: EU, VOCÊ E DEUS

HOJE É DIA DE SER FELIZ, não quero DESPEDIDA

A DISTÂNCIA não precisa ser o DESTINO DO POETA

Nesse MOMENTO faço um LOUVOR, esqueço os FRACASSOS

Peço LICENÇA, em VERSOS MÉTRICOS, ao PÉ DA LETRA

Voo nas ASAS DA IMAGINAÇÃO como um PASSARINHO

Talvez como um COLIBRI, beijo A MAIS LINDA FLOR

Extraio dela o mais DOCE SABOR DO MEL

Em COMPASSOS DE DANÇA, seguimos SEDENTOS DE DESEJO

QUANDO O AMOR CHEGOU trouxe-nos NOVO AMANHECER

Num CAFÉ COM POESIA brindamos ao AMOR

QUERIA te encontrar no FUNDO DO MAR

Dizer-te que MINHA PAIXÃO está em total PLENITUDE

À ESPERA DA CHUVA, deixo uma LÁGRIMA rolar

MEUS LÁBIOS TREMERAM…

Enfim, VOCÊ ME ENCONTROU, FEZ-ME POESIA

LEVE-ME COM VOCÊ… EU SEMPRE HEI DE TE AMAR,

Sendo assim, DESISTIR, JAMAIS!

Alda M S Santos

 Poema feito a partir de títulos de poemas da antologia Sonhos de Poesias


Será que basta?

SERÁ QUE BASTA?

Será que bastam os sonhos, os desejos
Será que têm vida própria, seus lampejos
Ou o destino é algo feito, já pronto
E não há muito o que fazer para mudar esse conto?

Será que vale a pena investir no novo
Não se acomodar, tentar de novo, e de novo
E, se cair, levantar e, mesmo cambaleante
Saber que o bom mar não para, está sempre ondulante

Vem uma dolorosa lágrima, volta um sorriso satisfeito
Até mesmo nossos silêncios podem ser perfeitos
São o forno no qual cresce nossa alegria
Porque quase sempre vem carregado de sabedoria

Bom valorizar o outro, o que nos traz
Mas melhor mesmo é se saber capaz
De encontrar em si mesmo a resposta
Em nós a verdade está bem posta!

Percebo que posso ser para mim mesma o bastante
Mas prefiro contar com o outro, com Deus, é mais emocionante
E isso não precisa ser nada frustrante
Sigo me abastecendo de vida, de amor revigorante

Alda M S Santos

Reiniciar

REINICIAR

Quero encontrar um meio de me reiniciar
Quando tudo estiver travando, poder recomeçar
Não funcionou, deu pau, aperta um botão
Apaga tudo e faz nova inicialização

Será que um modo de reiniciar
Não seria encontrar um bom lugar
Conosco mesmo ficar quietinho
Até encontrar nosso próprio jeitinho?

Seria buscar no nosso HD interno
O que há de especial, cara de eterno
Que nos faz sensiveis, também fortes
E não nos deixa perder nosso norte?

Será que para nos reiniciar
Não precisamos de alguém para nos ajudar
Mostrar o que temos de mais valioso
Jogar fora o inútil e ficar só com o precioso?

Vamos reiniciar?

Alda M S Santos

Um dia nos veremos de novo

UM DIA NOS VEREMOS DE NOVO

Por aqui, sabemos, é só uma fase da vida
Ela continua noutro plano ou dimensão
Perdemos tanta gente, nossa alma fica sofrida
E dói não poder ver, tocar com a mão

Nascemos aqui, morremos, renascemos acolá
Por que não aprendemos a não sofrer do lado de cá?
A saudade nos consome, o peito aperta
E brota desejo de abraçar, deixarmos a porta aberta

A fé e crença nessa  continuidade
Na luz do alto, um ser maior, uma divindade
Nos faz acreditar na nossa  capacidade
De nos refazermos e aguardar nova oportunidade

Creio que verei vocês novamente
Amores meus, gente querida, guardada no coração e na mente
Só posso agradecer pelo tempo de convivência
E pedir a Ele muita paciência e resiliência

Ainda verei vocês de novo!

Alda M S Santos

Qual seu limite?

QUAL SEU LIMITE?

Qual seu limite, até aonde você se permite ir
Qual cerca você pode transpor sem se ferir
Seja em pensamento ou ação
Seria seu limite andar na contramão?

Qual a lei que te tolhe, te cerceia
Que te faz estacionar, você titubeia
A religiosa, a política, a familiar
Ou sua consciência não ser mais familiar?

O que determina sua ação é a carência, a solidão,
Ou a constante vigilância, a preocupação?
Para o amor você não se limita
Ou toda forte emoção deixa sua alma aflita?

Qual a medida ou a régua que você usa
Seria o aproveita, mas não abusa?
O que fere sua essência, sua humanidade
Será que o machucado do outro aciona sua bondade?

Até que ponto vale sua exposição
Abrir a mente, a alma, o coração
O que nos torna pessoas, humanos
E que nos faz menos mundanos?

O que te limita?

Alda M S Santos

Energia do bem

ENERGIA DO BEM

Poder de mudar, ser a transformação
Quem não gostaria de um pouco dessa poção
Num ato de um forte e intenso pensar
Mandar para longe o que já não cabe nesse lugar

Quisera levar a Deus o pensamento
Em forma de oração, afastar o tormento
Para isso basta boa energia, uma conexão
E Ele nos habilita, abastece o coração

Sois por aqui um projeto de Deus
Para amar, crescer, evoluir entre os seus
Se quisermos algo mudar, a mágica é uma só
Amar a todos de igual modo, sem dó

Fecho meus olhos, inspiro lentamente
Devagar, expiro o ar, limpo a mente
Sinto o amor supremo e incondicional
Renovo-me na luz do bem, essa energia vital

Amém!

Alda M S Santos

É magia

É MAGIA

Não é feitiço, é encanto
É algo do bem, é acalanto
É calmaria na tempestade
É luz, é sonho, é realidade

Não precisa de truques, são artificiais
Quem tem magia tem encantos naturais
Não força, não impõe, não pressiona
Mantém perto, abraça, não abandona

Feitiço não funciona onde há magia
Mágica do amor, ela, sim, é boa energia
Flui de coração para coração
É puro o prazer por viver em sintonia

Se traz alegria, boa sensação, leveza
Se ativa nossa melhor natureza
Acolhamos esse encanto, deixemo-nos levar
É caminho de doçura para um bom lugar

Alda M S Santos

Não vivo sem

NÃO VIVO SEM
Podem ser muitas as coisas sem as quais não vivemos
Não vivo sem meus filhos, partes essenciais de mim
Não vivo sem meus pais, refúgio certo
Não vivo sem o abraço e sorriso de meus amigos, colo e abrigo fundamentais
Não vivo sem a natureza por perto, ar que respiro
Não vivo sem trabalho, sem solidariedade, ocupações vitais
Não vivo sem Deus, alimento da alma
Não vivo sem amor, companhia necessária para todas as horas
São tantas as coisas essenciais
Aquelas que o dinheiro não compra!
Mas a principal de todas:
Não vivo sem mim mesma!
Preciso me encontrar, me admirar, me ajudar
Ser a alegria e força que nascem lá de dentro
Pois para viver e valorizar todo o resto
Preciso existir para mim…
Todos nós precisamos!
Alda M S Santos

É preciso!?

É PRECISO

É preciso Sol para poder aquecer
É preciso alegria para podermos florescer
É preciso a chuva para o interior irrigar
Mas é preciso cuidar para permitir germinar

É preciso a Lua para encantar
O rio pra levar para o mar
É preciso um sorriso para atrair
E um doce abraço para a vida conduzir

É preciso abrir os olhos do coração
A tudo um olhar de esperança e gratidão
É preciso brincar com simplicidade
Ser gente grande não precisa tanta seriedade

É preciso transformar sonho em realidade
Sem abrir mão do essencial, da verdade
É preciso ser broto de amor em qualquer idade
É preciso que viver seja a maior felicidade 

Alda M S Santos

Aquele sorriso

AQUELE SORRISO

Sorrisos são as mais belas expressões
Aquelas que de nós traduzem as emoções
Cada qual carrega intensa beleza
Mostra nossa mais interna natureza

Gosto da pureza do sorriso de uma criança
O sorriso de uma mãe transmitindo segurança
Sou fascinada pelo sorriso dos enamorados
Aqueles que sorriem com olhos apaixonados

Há sorrisos que escondem um dissabor
Só percebem os que conhecem bem uma dor
Há sorrisos mais lindos que uma rosa
Logo nos convidam para uma boa prosa

Os melhores sorrisos falam de amor
Sem precisar nada dizer, transmitem calor
A alma grita o silêncio, através deles extravasa
A alegria de, no fundo deles, chegar em casa

Alda M S Santos

Entre todos os caminhos

ENTRE TODOS OS CAMINHOS

Muitas vezes parecem haver inúmeros caminhos
Noutras sequer um se descortina, ficamos sozinhos
Tantas vezes nas rotatórias da vida
Perdemos o ponto, a hora, não vimos a saída

Ora há retas longas e intermináveis
Em declives e aclives inimagináveis
Ora a todo tempo há várias bifurcações
Vontade de sentar e esperar mais provisões

Há momentos em que seguir cansa
Bate uma vontade de desistir dessas andanças
Ou de fazer novos tratos, algumas alianças

Sejam quais forem as nossas opções
Vale sempre observar bem nossas emoções
Pois são elas que apontam as melhores direções

Alda M S Santos

A chuva traz…

A CHUVA TRAZ…

Chove chuva sem parar, incessante
Ela traz saudade no peito flutuante
Será o que diz a meteorologia
Qual a previsão, vai estiar ou manter a agonia?

Chove chuva fininha no meu quintal
Será que chegará um vendaval
No meu jardim ela é bem-vinda
No meu peito a saudade não finda

Chuva que irriga lá fora e cá dentro
Chuva que faz pulsar o pensamento
Chuva que tenta afastar o tormento
E fazer deste um bom momento

Chuva que provoca reflexão
Que faço aqui, não estou na contramão?
Chuva que me enche de coragem
De resolver qualquer coisa nessa paragem

Chuva que molha o palco da vida
Chuva que desanima de toda lida
Chuva que cutuca de amor o coração
Chuva, sempre desperta muita emoção

Alda M S Santos

O melhor amigo

O MELHOR AMIGO
O melhor amigo te olha nos olhos
Encara, enfrenta, diz a verdade
Diz que tem saudade do que você era
Daquilo que você tem deixado de ser
O melhor amigo não desvia os olhos
Fala onde você errou, te ampara nos seus medos
Ralha com você, mas te dá carinho e atenção
O melhor amigo não te deixa desviar o olhar
Está presente, não foge, te cobra presença
Diz que se orgulha de você, não te deixa esmorecer
O melhor amigo sabe tudo de você
Não te deixa se tornar seu pior inimigo
Tampouco permite que você faça gol contra
Ou que seja atingido por fogo amigo
O melhor amigo te alertará se fizer mal aos outros
Mas, sobretudo, se fizer mal a si mesmo
O melhor amigo, se você permiti-lo agir, nunca deixará você cair
E, se isso acontecer, não te deixará lá por muito tempo
Ele te ajudará a se reerguer e seguir
Olhe para ele, não se esconda!
Seu melhor amigo está diante de você
Naquele espelho que você se olha todos os dias
E nem sempre se vê…
Dê um abraço apertado nele
E aquele sorriso que faz tudo se renovar…
Diga com convicção e sinceridade:
Eu te amo para sempre e nunca te abandonarei…
Alda M S Santos

Pés no chão

PÉS NO CHÃO

Que bom seria poder voar com os pés no chão
Tocar as estrelas com a palma da mão
Ter o poder de alcançar qualquer espaço
Ir até à Lua e em São Jorge dar um abraço

Com os pés no chão sonhar um sonho bom
Poder dançar, ser a melodia, a letra, o som
Quem sabe navegar em outros mares
A remo, à vela, em busca de novos patamares

Seria bom ter a segurança dos pés no chão
A firmeza e a certeza de não ir na contramão
Mas sabedora de que a vida foi bem aproveitada
Em caminhos iluminados, escapando de qualquer cilada

Quero ter os pés no chão e a cabeça na Lua
Um coração em paz, em harmonia com a alma nua
Sem inibição, um belo voo sonhado, saudável loucura
A certeza de ter vivido a emoção pura e segura…

Alda M S Santos 

Sendo morada

SENDO MORADA

Quero ser por aqui boa morada
Por mim mesma ser acalentada
Me abraçar, me acolher, ser carinho
Um aconchego de paz, ninho quentinho

Quero ser uma casa aconchegante
Onde se possa ficar nua a qualquer instante
Sem me envergonhar ou lamentar
Corpo e alma chegar, me deleitar, ficar

Quero ser morada que acalma o coração
Sem precisar esconder na própria escuridão
Ser o abrigo em momentos de tormenta
Se tempestade, pintar a vida em tons magenta

Não preciso ser grande, basta ser na medida
Que caiba uma alma cansada, sofrida
Apenas um espaço para poder amar
Como caracol, carregar a casa pra todo lugar

Alda M S Santos

Ao encontro do teu coração

AO ENCONTRO DO TEU CORAÇÃO

Quero ir ao encontro do teu coração
Encontrar a magia, a rima, a sedução
Quero sentir a paz que nasce, que brota
Ou até mesmo a dor que abre uma broca
Quero dançar a música suave que toca
Desnudar a alma, abrir as comportas
Quero ser seu par, numa dança de salão
Quero acender a luz, iluminar a escuridão
Esquecer um pouco a razão, ser emoção
Quero deixar as lágrimas rolarem
Ou o sorriso em faíscas os olhos iluminarem
Quero ser aquele pedido de oração
Que vai ao encontro da Criação
Poder ser o meu  próprio perdão
Num momento de puro amor próprio e união
Conseguir ser a paz, a eterna gratidão
Quero ir de encontro a você
Meu mais profundo e sentimental coração

Alda M S Santos
Evento Poético Ao Encontro do teu coração

Nas tuas mãos, quero ser poesia!

NAS TUAS MÃOS, QUERO SER POESIA

Senhor, nas Tuas mãos quero ser poesia!

Quero ser a todo tempo a  sensibilidade
Aquela que acalenta, não causa infelicidade
Ser a paz que se entrega a um abraço
Que desfaz nós, não aperta, cria laços

Senhor, nas Tuas mãos quero ser poesia!

Ser tão doce quanto o perfume de rosa
Ou a alegria de um dedo de prosa
Ser a beleza na natureza, a magia, a sedução
O amor que brota dentro de um coração

Senhor, em Suas mãos quero ser poesia!

Quero ser o calor do Sol que aquece a pele
Ou a brisa do mar que nos instiga, nos impele
Ser a luz da Lua a inspirar os amantes
Numa entrega apaixonada, fascinante

Senhor, em Suas mãos quero ser poesia!

Quero ser a doação, a solidariedade
Aprender e ensinar a ser bondade
Quero ser uma vida a praticar o perdão
E nunca, nunca, esquecer de ser gratidão

Senhor, faça de mim Sua poesia!

Alda M S Santos
Tarde de Poesias: Senhor, em suas mãos quero ser poesia.

A natureza sabe!

A NATUREZA SABE!

Como a flor sabe a hora que deve abrir
A estação, o mês certo para florir
Como a Lua sabe a hora de ficar cheia
E inspirar o canto da sereia?

A natureza sabe!

Como canarinhos sabem a hora de fazer ninho
Buscando galhos, ficando juntinhos
Como o mar sabe que é hora da maré ser alta
Ou as árvores que as folhas não farão falta?

A natureza sabe!

Como os rios sabem quais caminhos seguir
Sempre para o mar, sem nunca desistir
Como o Sol sabe a hora de nascer ou se pôr
Ou quando ser mais frescor ou calor?

A natureza sabe!

Se somos parte dessa linda natureza
Saberemos a hora de seguir a correnteza?
Ou de aguardar tempo pra maior inteireza
Sem tanto sofrer, sendo mais amor, mais pureza?

Somos natureza também!

Alda M S Santos

No tempo certo

NO TEMPO CERTO

Uma das lições da vida: tudo acontece no tempo certo
Mas como saber se já chegou esse momento
Como identificar, como saber o sentimento?
Será que o tempo certo dirá: é agora!
Ou nos colocará no canto: calma, não apavora!
Será que precisa do Sol e da chuva para ele chegar
Como planta que carece de água e calor para brotar?
Será que é quando algo lá dentro abala nossas estruturas
E se move, mexe e remexe, novas conjecturas?
Será que é quando já não há mais lágrimas, tudo esgotou
Ou quando o sorriso já se impõe, aflorou?
Como saber esse tal de tempo certo
Para não deixá-lo passar,  puxá-lo para perto?
Posso acelerar esse relógio, mudar meu calendário
Ou não posso atropelar, devo aguardar novo cenário?
Tenho medo de ficar sempre a esperar
E esse tempo certo nunca chegar!
Muitas vezes penso: é agora, preciso fazer acontecer
O tempo precisa de minha coragem para florescer
E assim sigo a vida, a linha, equilibrando desejos e ansiedades
Em busca da melhor hora dos sonhos virarem realidades…
Vou controlar a ansiedade
Será que hoje é o tempo certo?

Alda M S Santos

Em meus sonhos

EM MEUS SONHOS

Em meus sonhos há luz a brilhar no horizonte
Enquanto navego tranquila no barco, boa fonte
Noutro momento há penumbra suave e calma
Danço a música, sedução a tocar minh’alma

Em meus sonhos há muita história, há magia
Trazendo angústia, amor ou alegria
Neles posso brincar, sorrir, ser o que quiser
Sem me importar com um medo qualquer

Em meus sonhos crio meu conto de fadas
De reis, príncipes, princesas encantadas
Viajo nas linhas que escrevo, sou a poesia
Aquela que irriga meu mundo de boa energia

Nos meus sonhos coloco e tiro a meu bel prazer
Escolho quem entrar ou sai, faço acontecer
E nem precisa muito esforço ou luta
Sonhos são mágicos, independente da conduta

Qual seu sonho?

Alda M S Santos

Chuvinha que cai

CHUVINHA QUE CAI

A chuvinha cai insistente lá fora
Por que sempre parece levar algo embora?
O céu escuro, carregado, parece que chora
Que fazer nesse dia, nesse agora?

A alma também se recolhe
Busca lá dentro de si algo que não se molhe
Cutuca, mexe e remexe e deixa brotar
Um jardim colorido para se enfeitar

O cinzento pode estar lá no exterior
O bolorento não tem vez no interior
A água de fora e a luz de dentro fazem um arco-íris
Que vão refletir no sorriso, no brilho da íris

Chuvinha que cai, leva embora consigo
Aquilo que já não é mais amigo
Também leve o que já não serve de abrigo
Deixe só o que for amor aqui comigo..

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: