Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Coração em prece

CORAÇÃO EM PRECE

Um momento de profunda reflexão
Buscando o que vai lá no fundo do coração
Elevo a Deus minha prece de gratidão
E coloco uns pedidos no altar da oração

Que fazer com gente que só pensa na maldade
Que não se irmana, a guerra é sua verdade
Peço ao Pai que nosso coração seja capaz
De permanecer no bem, saber espalhar a paz

Pai, não nos deixe seduzir por aquilo que é vão
Mantenha viva a fé de ver no bem a realização
Afaste de nós o desejo de luta e competição

Senhor Jesus, Pai de toda criação
Plante amor nos cantos desse mundão
Conte comigo, possa ajudar regar a plantação

Alda M S  Santos

Post Destacado

Dia do pão de queijo

DIA DO PÃO DE QUEIJO

Diz que hoje é dia do pão de queijo
Bobagem é essa?
Mesma coisa de dizer que tem dia de beijo
Mineiro gosta de queijo igualzinho gosta de beijo
Todo dia, toda hora, sem demora
Quentinho, acompanhado ou sozinho, com cafezinho
Pao de queijo é desculpa para prosear
Para chamar a moça para passear
Para qualquer data comemorar
Pão de queijo é energia para subir a serra
Para ganhar dos outros no cabo de guerra
É alimento antes ou depois da refeição
É sabor que alegra o coração
E junta só gente boa em qualquer situação…
Todo dia é dia de pãozinho de queijo
Aceitam?

Alda M S Santos

Tamanho não é documento

TAMANHO NÃO É DOCUMENTO

Tamanho não determina a força, tampouco a capacidade
Legislando em causa própria, será verdade?
Dizem que tamanho não é documento
Vale o que está dentro do coração, o sentimento

Há grandes e pequenos seres na natureza
Nada disso limita a atitude, a grandeza
Há força e capacidade entre altos e baixos
Considerar só o tamanho é limitar, só acho

Entre as plantas também há enorme riqueza
Tantas pequeninas carregando tanta beleza
Cores, flores, odores, sem importar a dimensão do frasco
Quem se atém ao tamanho se mete num fiasco

Já humanos valorizam demais a aparência exterior
Cedo ou tarde percebem que vale mais o interior
A estampa que se expõe na vitrine pode ter qualidade
Mas não diz o que há pulsando no coração de verdade

Alda M S Santos

No self-service da vida

NO SELF-SERVICE DA VIDA

No grande self-service da vida há muito arroz com feijão
Há também pratos carregados de sofisticação
Há aqueles que nos ganham pelos olhos
Outros pelo sabor, pelo preço, pela nutrição
Tantos de nós ficamos perdidos nessa vitrine alimentar
E nos empanturramos, confundindo nosso paladar
Escolhas implicam sins, carregam também muitos nãos
Maioria das vezes nos bastam o arroz com feijão
E nos iludimos com o que não é boa refeição
Quando percebemos já prejudicamos a digestão
Bom saber o que faz bem para o corpo e o coração
Na vida emocional vale a mesma ponderação
Vícios causam males, grande confusão
Gosto mesmo de um prato simples e saboroso
Não me engano com o que na vitrine parece apetitoso
Na certeza de estar bem nutrida e alimentada
Sei escolher meu prato físico e emocional
Sigo em paz, ignoro o que não é essencial

Alda M S Santos

Maior que o medo…

MAIOR QUE O MEDO…

Maior que o medo de tropeçar, de cair
É o desejo de trilhar, de seguir
Descobrir novas companhias, novos caminhos
Se temos a nós mesmos não estamos sozinhos

Maior que o medo de sofrer uma decepção
É o desejo de atender o que pede o coração
Quando o peito aperta e pede por uma solução
É hora de agir, de voar para dentro de si, ser emoção

Maior que o medo de naufragar nesse oceano
É saber que tempestade tem todo o tempo, não me engano
Os ventos em alto mar podem ser bom sinal
Que pode haver nova rota pós vendaval

Maior que o medo de vir a sofrer
É não aproveitar por aqui esse viver
Essa viagem tem data de chegar e partir
Mas tem plano de voo, bom mesmo é nos divertir

Alda M S Santos

De você, em mim…

DE VOCÊ, EM MIM

Sim, é seu metade do meu código genético
Foi herdado, não tomei, somos meio ecléticos
Uma atração genuína pela simplicidade
Acreditando que ela basta para a felicidade

Se se fala de mato, natureza, amamos
De cores vivas, regateiras, como diz, adoramos
Pontualidade e compromisso é nosso forte
Somos desbussolados, perdemos nosso norte

Nossa marca é ter no outro extrema confiança
Em busca de amizade, interação, aliança
Isso nos leva a sofrer muitas decepções
Sorrir, chorar, tentando aprender as lições

Trabalho, fé, esperanca e dedicação
Até seus erros me ensinaram a agir com razão
Sem nunca abrir mão do coração
Seguimos a vida plantando amor, sendo emoção

Alda M S Santos

Remédio de toda cura

REMÉDIO DE TODA CURA

Buscando um pouco de harmonia e aconchego
Coração gritando, pedindo arrego
Tão difícil nos livrar de alguns desapegos
No silêncio talvez esteja o desejado sossego

Mundo carregado de ilusões e utopias
Tanto a machucar, ferir, tirar as alegrias
Algo que sobra em nós, nossos excessos
Algo que falta também, que é carência, retrocessos

Inveja, desilusão, ciúmes e decepção
Navegando entre o sim e o não
Não se sabe ao certo o que mais dói
E que faz o viver um bichinho que corrói

A humanidade anda em rápida e constante descida
Falta coragem e força para engrenar na subida
Corações duros dificultando a recuperação
Precisamos nos irmanar, ser parceria, dar-nos as mãos

Há momentos em que a vida parece tão escura
Que a sensação de incapacidade perdura
Urge buscar em nós o remédio de toda cura
O amor que brota silencioso na alma madura

Alda M S Santos

Não chore!

NÃO CHORE!

Não chore, se chorar, lave a alma e siga
A vida requer paz, não vale qualquer briga
Se conseguir, prefira um sorriso iluminado
Ainda que ele comece de lágrimas molhado

Não chore, ou só chore para amenizar o coração
Mas não fique preso nessa dor, não
Entenda a causa de toda essa situação
Fuja dela, alimente o que alivia a tensão

Não chore, prefiro a alegria de fazer você sorrir
Não me faça chorar, prefiro que me leve a amar
Não chore, esteja comigo, seja meu porto, meu abrigo
Gosto do calor do colo de um amor amigo

Não chore, a vida é luta intensa e constante
Não vale jogar a toalha, ela passa num instante
Vamos brincar, passear, cantar e amar
Assim o.choro não tem aqui bom lugar

Alda M S Santos

Seria muito?

SERIA MUITO?
Seria muito imaginar que fui o sonho de alguém
Que minha existência foi planejada
Que antes de aqui chegar eu existi em outro lugar
E foi a mente, a alma, o coração
A imaginação e o desejo de um alguém
Que me tornaram possível viver por aqui?
Será que estive antes no coração de meus pais
Que tudo estava combinado previamente
Que para esta dimensão eu viria
E que teria por aqui um trabalho a fazer?
Seria muito pensar que me materializei nesse plano
Para tornar real o amor de um alguém?
Seria muito imaginar que esperam algo de mim
Que me “vigiam” o existir e o fazer
Na esperança de que eu caminhe sempre para e pelo bem?
Sendo assim, seria muito pedir
Que me perdoassem os atos falhos
Os caminhos sem saída que peguei
As trilhas com inúmeras bifurcações que me enveredei
A luz que outras vezes ignorei?
Seria muito pedir, a quem sonhou comigo
A quem permitiu meu existir
Que estivesse sempre a meu lado
Levando-me pelas mãos para o melhor caminho
Que não me permitisse fugir
Orientando-me com palavras de doçura e carinho
Alertando-me aos buracos nas vias existenciais
Preparando-me para o porvir
Dando-me colo, atenção, amor?
É que pareço forte, sabe
Mas, a verdade, é que tantas vezes só quero um pouquinho de colo
De apoio e da certeza de que não estou só
Seria muito pedir?
Alda M S Santos

É arte!

É ARTE!

É arte a habilidade de se expressar
Não importa se através do pintar, tecer, cantar, poetizar
Nem sempre se fará entender
Mas deixar registrado já é um belo modo de ser

Pode ser uma escultura, um painel, uma pintura
Em três dimensões, em relevo, beleza pura
O artista põe sua alma em sua arte
O apreciador ao observar, contemplar, acrescenta sua parte

Sempre tento sentir uma obra, o que ela me desperta
Muitas vezes é admiração, perplexidade na certa
Outras tantas fico na contemplação incerta

O que ele me diz aqui?- a questão não quer calar
A verdade é que arte é para sentir, captar
Não precisa entender, basta saber admirar, se encantar

Alda M S Santos

A vida em cores e odores

A VIDA EM CORES E ODORES

Vejo a vida em muitas e misturadas cores
Em sonhos, devaneios, gente, bichos e flores
Numa amalucada e saudável interação
Essa viagem vai se tornando rica em emoção

Beija-flor que degusta o néctar no jardim
Flores que atraem, se abrem, felizes, enfim
Borboletas, abelhas e joaninhas
Fazem a cor, o odor e a beleza de manhãzinha

A vida tem a cor e o aroma que a gente pinta
Ainda que doa e alegria a gente não sinta
Vale ser Sol, ser oceano e a paz a gente pressinta

Gosto de gente que gosta de toda gente
Gosto de gente que se faz presente
Gosto de gente que é o amor que a gente sente

Alda M S Santos

A gente combina…

A GENTE COMBINA…
Vento que uiva, que canta
Fala baixinho, sussurrando
Ora grita, nervoso, intenso
Traz e leva pensamentos e desejos
Vento que passa veloz
Muda o plano de voo das aves,
Traz consigo tempestade atroz
Balança galhos das árvores
Que se curvam ao seu poder
E, resilientes, retomam seu prumo, até sem querer
Vento que acaricia feito brisa suave, que atiça
Que arrepia cada centímetro da pele, que enfeitiça
E que esquenta corpo e alma, lá dentro, bem fundo
Ou que, devastador, gela tudo em nosso mundo
Vento que chega sem qualquer aviso
Deixa em alvoroço rios e mares, impreciso
Pega toda a gente desprevenida
Correndo em busca de boa guarida
Ou se entregando a ele, sem saída
Vento que vem e que vai
Uma hora a gente combina direitinho
Quem sabe a gente não vai juntos pro mesmo caminho?
Alda M S Santos

Toma lá, dá cá!

TOMA LÁ, DÁ CÁ!

Seria bem matemático se a vida fosse assim
Um toma lá, dá cá, noves fora, equacionar, enfim
Mas não sou tão adepta das Ciências Exatas
Sou da área de humanas, nem sempre tão sensata

Prefiro lidar com sentimento, emoção
O que ofereço aqui não precisa reposição
Se o bem fluir livre para outro alguém
Estarei feliz desse jeitinho também

Fico pensando se Deus fosse assim tão matemático
Em sua avaliação fosse tão exato e prático
Se quisesse nos cobrar na ponta do lápis o que ofereceu
Será que a conta bateria certinho, seu Dirceu?

Gosto de ser assim: o que tenho me foi doado
Veio da Criação, até mesmo o que foi conquistado
Se puder fazer melhor a vida de outro ser humano
Penso que estarei realizando algo bom nesse plano

Alda M S Santos

Quanto tempo o tempo tem?

QUANTO TEMPO O TEMPO TEM?

Lembro de uma trova de quando era criança
Parecia tão confuso questionar o tempo, a esperança
O tempo perguntou pro tempo quanto tempo o tempo tem
Será onde estará a resposta que nos convém?

Percebo que a medida que o tempo tem
Varia de pessoa para pessoa, do alguém
Faz diferença de quando se questiona também
Se é na juventude ou maturidade que se faz bem

O tempo pode ser rígido, elástico ou flexível
Quase tudo dentro dele torna-se possível
A imaginação viaja para trás e para frente
Esticando aquilo que queremos que dure eternamente

Já sei qual a medida, qual a extensão do tempo
É do tamanho certinho do meu pensamento
Aquele determinado pelo meu real sentimento
É que dá a exata dimensão do (contra)tempo

Alda M S Santos

Amor é o melhor remédio!

AMOR É O MELHOR REMÉDIO!

Há quem diga que amor machuca
Que deixa a pessoa insana, maluca
Mas penso que não há melhor remédio
Que um amor de verdade que afaste o tédio

Amor de Deus é o maior, soberano
A certeza dele nos anima nesse plano
Esse é incondicional, amor perfeito
Não se importa com nosso mau jeito

Há o amor da amizade carregado de lealdade
Que ampara, é luz pra toda eternidade
Não há nada melhor para nos curar
Do sufoco, da tristeza, da falta de ar

Há o amor romântico, água, fogo, sintonia
É carinho, é desejo, lua e sol, brisa e ventania
Quem tem deve saber dar o devido valor
Esse dói se a morada no coração for de favor

Amor mesmo, se verdadeiro, não fere, não dói
A ausência dele é que maltrata, corrói
Nada melhor que um amor família bem vivido
Daqueles que sabemos ser bem correspondido

Alda M S Santos

Caixinha de lembranças

CAIXINHA DE LEMBRANÇAS

Aquela caixinha tão bem guardada
De doces lembranças recheada
Parece sempre tão bela e atraente
Convidativa a um mergulho, envolvente

Tirar um tempo para essa revisita
Alguns momentos a gente hesita
Demanda estar preparado, forte coração
Para não criar nenhuma confusão

Há luz, sorriso, alegria e muito amor
Há tempos escuros, frios, sem calor
Em todos aprendizados, grandes lições
Lembranças de vitórias, derrotas, emoções

Para estar em paz com nossas memórias
Ainda que não tenham sido só de glórias 
Necessário é saber ser bom guardião
De tudo que foi vivido, também ser perdão

Bom mesmo mesclar passado e presente
Somos um todo de vida, simplesmente
Para essa viagem ter futuro, bom destino
Urge fazer as pazes com qualquer desatino

Alda M S Santos

Palavras ao vento

PALAVRAS AO VENTO

Palavras têm poder, não dá para esconder
Podem paralisar ou fazer tudo acontecer
Às vezes são leves como a brisa que acaricia
Ou fortes como a tempestade que alicia

Palavras acionam, despertam um amor
Apaixonam, ativam, aquecem, fazem calor
Às vezes são cortantes, baldes de água fria
Outras vezes são luz, botão que nos reinicia

Palavras podem ser delicadas tal pétala de flor
Urgentes como mãos ávidas sob o cobertor
Podem ser tão velozes como estrela cadente
Ou cálidas como lua cheia na vida da gente

Palavras são um meio de comunicação
Jeito bonito de ser amor, ser emoção
Na poesia são a mais pura sensibilidade
De uma alma repleta de sonho e realidade

Alda M S Santos

Não tenho medo

NÃO TENHO MEDO!

Não tenho medo da morte
Tenho medo de viver sem norte
Não tenho medo de enfrentar o fim
Mas tenho medo de me perder de mim

Não me amedronta a vida do outro lado
Mas me assusta não a ter aproveitado
Tenho medo de sofrer ou machucar alguém
Mas o medo pode me paralisar também

Tenho medo de uma vida sem propósito
De fazer dessa viagem só um depósito
De coisas e mais coisas conquistadas
Sem perceber as almas abençoadas

Temo um viver sem que e nem pra quê
De não saber realizar o que vim fazer
Não tenho medo de não ser valorizada
Sei que estou por Ele bem assessorada

Alda M S Santos

Nessa caminhada

NESSA CAMINHADA 

Vou a cada passo me cansando um pouco mais 
Também vou me fortalecendo, sem desistir jamais 
As flores me fazem parar, me encantam 
As pedras ensinam-me a saltar, a buscar novas trilhas 
Nessas novos caminhos encontro novas companhias 
Vou aprendendo a conquistar,  a ser conquistada
A cada amanhecer me sinto abençoada 
Caí, levantei, ganhei, perdi, prossegui 
Juntei algumas coisas, mas são só coisas 
O que me tornei, o que permiti sentir
Os corações em que faço morada 
Os moradores que permito morar em mim
Essas são as maiores conquistas nessa caminhada 
E não são mensuráveis, não em números 
A medida de uma vida bem vivida está no pulsar do coração 
No sorriso que é motivo de alegria e união 
Na alma que carrega paz e gratidão 

Alda M S Santos 

Como você se comunica?

COMO VOCÊ SE COMUNICA?

Como você se comunica?
Fixa no que é dito de modo verbal
Entende algum outro tipo de sinal
Ou se perde, logo põe ponto final?

Como você se comunica?
Interpreta o brilho de um olhar, um sorriso
Cuidado, carinho podem ser o paraíso
Ou se não são palavras fica indeciso?

Como você se comunica?
Capta a essência do silêncio fecundo
Adequa, atrai, acolhe, acredita ser profundo
Ou desiste por não fazer parte de seu mundo?

Como você se comunica?
Já pensou no que pode estar deixando passar
Por restringir tanto seu entender, seu pensar
A comunicação vai muito além do verbalizar…

Alda M S Santos

Gente que faz bem

GENTE QUE FAZ BEM

Tão bom encontrar gente como a gente
É bom lidar e aprender com gente diferente
Mas em casa nos sentimos é com gente que é parecida com a gente
Ou que em sua diferença nos inspira confiança
Nos faz sentir bem, sem medos, boa aliança
Que podemos dormir no colo a qualquer hora
Acordar descabelada ou mal humorada
Sem correr risco de não se sentir amada
Gente que olha nos olhos e reflete admiração
Gente que brinca, que briga, que se irrita,
Mas não vive sem você não…
Gente que você sente que tem muita afinidade
Que pode até ser o oposto, não haver muita similaridade
Mas que prevalece o respeito e a amizade
Porque o amor é que dá o tom do sonho e da realidade
Gente que é brisa suave ou cobertor pesado
Que sabe a hora certa, não te deixa de lado
Gente que te aplaude, te estimula a crescer
Que sabe que estar perto não te deixa esmorecer
Gente que você confia que irá te levantar quando estiver frágil
Que não irá te abandonar quando já não for tão ágil
Gente que Deus enviou para que nunca se sentisse sozinho
E que pudessem se cuidar com amor e carinho…
Gente que você ama, que faz a vida ser leve…e feliz…

Alda M S Santos

Tenho você!

TENHO VOCÊ!

Não estamos sós nessa viagem
Em cada tempestade, em cada estiagem
Posso sentir você a me acolher, me abraçar
Dando- me as mãos, não me deixando naufragar

Não estamos sós nessa vida
Tantas vezes dolorida, sofrida
Em cada gesto de dor, de amor, de carinho
Sei que foi você que me enviou cada anjinho

Não estamos sós nessa nossa jornada
Escolhemos estar aqui enfrentando toda invernada
Ainda que tanta maldade esteja disseminada
Sinto que tenho você, não estou desamparada

Não estamos sós nessa trilha, nesses caminho
Ainda que às vezes me isole e vá chorar num cantinho
Posso sentir com força seu amor, seu abraço
Dizendo “sei que dói”, e juntando meus pedaços

Definitivamente, não estamos sós! Gratidão!

Alda M S Santos

Por aí… a poesia

POR AÍ…A POESIA

Por aí andam lembranças juvenis
Que nos energizam, não são nada sutis
Por aí bailam memórias de amor
São a doce melodia a nos embalar, são calor

Por aí há tristeza, há lágrimas, também há alegria
Há esperança de um mundo melhor, há fantasia
Por aí há amizade, há companheirismo e parceria
Também há encontros, há luz, há magia

Por aí há sonhos, há viagem, há imaginação
Há desejo que faz pulsar o coração
Por aí há alguém que é bondade e compaixão

Por aí há quem nada entenda, há também sabedoria
Há quem tente ser a harmonia, a sintonia
Nesse mundo tão desconexo quer ser a poesia

Alda M S Santos

Digo sim, digo não!

DIGO SIM, DIGO NÃO!

Digo sim para um dia bonito e ensolarado
Abro-me para a vida, para um mundo  abençoado
Digo sim para cada trilha do caminho
Torcendo que seja acompanhada, nunca sozinha

Digo não para o que machuca meu coração
Para o que é maldade, falsidade ou desunião
Digo não para qualquer tipo de desumanidade
Afasto de mim o que não agrega, não quero em minha realidade

Digo sim para o amor, para a amizade
Para os abraços quentes, carinho de verdade
Digo sim para a beleza e leveza da natureza
Essa magia que devemos cuidar com delicadeza

Digo não para a revolta ou pessimismo
Digo sim para a fraternidade, companheirismo
Digo não para a dor, qualquer extremismo
Digo sim para Deus, minha fonte de otimismo

Alda M S Santos

Fez para mim?

FEZ PARA MIM?

Se é o sorriso, a lágrima ou a dor de alguém
O amor, a fé, a tristeza e esperança também
Um sentimento profundo com sensibilidade
O poeta descreve esse mergulho, essa verdade

Pode ser um silêncio ou grito de apelo
Saem em rimas diversas, prazer ou flagelo
Talvez a voz que clama em protesto
Expõe uma carência, um pedido, um gesto

Seus versos falam de mim, fez para mim?
O poeta ouve vezes sem fim
Fica feliz por sintetizar alguém assim

Na poesia a vida se faz, se renova, se refaz
Palavras têm poder, tornam o ser capaz
De se buscar, se encontrar, ser, enfim, paz

Alda M S Santos

Re(encontros)

RE(ENCONTROS)

Fico encantada com os (re)encontros que a vida permite
Aqueles que você pensa: teve a mão de Deus aqui
Não é simples coincidência, é Jesuscidência
Reencontros de almas, de outras fases desse existir
Ou até mesmo de outras eras, vale investir
Parece que a vida tem um belo propósito por aqui
A Terra vai girando e tudo se encaixando
Como uma grande nave girando no espaço sideral
Em cada lugar ou momento vai possibilitando algo especial
Encontros que irão fazer a diferença na vida de alguém
Alguns curtos, outros longos, se eternizando também
Cada pessoa que a vida me permite encontrar
Aprender, ensinar, trocar, amar
Procuro refletir; não existe coincidência ou acaso
Quero aproveitar o que puder, não sei qual o prazo
Uma coisa é certa: a vida se encarrega de unir
Aquilo que tem algo bom para juntos construir
Por alguns momentos ou por todo o existir

Alda M S Santos

Estranha sensação

ESTRANHA SENSAÇÃO

Um sentimento estranho que aperta o coração
Não se sabe ao certo a razão
Só se sabe que há ali um vazio, uma ausência
Que machuca e aperta a consciência

Tentamos entender ao certo para seguir
Ignorar não adianta, tampouco fugir
É preciso encarar de frente
Entender a razão de martelar na mente

Há sentimentos fortes e inexplicáveis
Outros claros, mas nada amigáveis
Por substituição tentamos torná-los aceitáveis

Sentir, pensar, agir, essa é a melhor receita
Não dá para inverter a ordem, felicidade à espreita
A vida ainda que pesada a gente se sujeita

Alda M S Santos
Mais no meu blog vidaintensavida.com

Um escritor,um poeta

UM ESCRITOR, UM POETA…

Uma semente, um broto, uma ideia
Sob o sol ou a lua uma bela panaceia
É dor, é lágrima, é sorriso, é cura
É catarse, é entrega, é sentimento que perdura
Pulsa na mente uma forte inspiração
Aliada a uma extrema admiração
Pelas letras, pelas palavras, uma certa solidão
Se juntar a isso uma alma recheada de emoção
Estão aí os ingredientes para o escritor
O poeta que deixa nos versos seu amor
Pela vida, pela natureza,  pela criação
Ele dá voz ao silêncio que grita
Sacode os movimentos internos, ele agita
Se perguntado como isso  acontece
Não sabe responder, só sabe que padece
Dessa vontade de colocar tudo para fora
No papel, na tela, o que o faz vivo antes de ir embora
É um modo bonito de se eternizar
Deixando por aqui suas marcas, seu jeito de ser e amar

Alda M S Santos

Sonhar…

SONHAR…

Sonhar é poder ensaiar um futuro
Habilmente construir pontes, derrubar muros
É brincar com aquilo que parece impossível
É tornar qualquer desejo possível

Sonhar é antecipar uma realização
É ser jovem, alegre, só satisfação
Sonhar é amar, ser correspondido
É alimentar nosso mais difícil pedido

Os sonhos têm asas, viajam por todo canto
Fazem belas visitas, acalmam o pranto
Há sonhos que assustam, são alertas
É preciso estar atento, deixar a mente desperta

Bom é escolher quais sonhos cultivar
Assim irrigados, adubados poder realizar
Um sonho que faz feliz o coração
Não deve nunca ser esquecido num porão

Alda M S Santos

Em busca do mar

EM BUSCA DO MAR

Como um rio que nasce na serra
Apenas um olho d’água que flui, não erra
Sigo meus caminhos em busca do mar
Sem saber o que irei enfrentar

Haverá dias de calor, seca e solidão
Em meio a matas, perdido em escuridão
Mas a certeza de ir em busca do destino
Afasta as angústias, os medos, os desatinos

Haverá dias de intensas tempestades
Misturado a tanta coisa quase perde a identidade
A visão do mar mantém a força e coragem
De não desistir ou estacionar em qualquer paragem

Como um rio sigo, ora forte, ora frágil
Tentando respeitar meu ritmo lento ou ágil
A visão do oceano deve instigar, animar
Não a ponto de tirar o prazer do agora, de aqui desbravar

Alda M S Santos

Lealdade

LEALDADE 

Um desafio no nosso modo de viver: 
Ser fiel a nós mesmos em cada acontecer 
Ser nosso próprio amigo exige lealdade 
Não esmorecer, insistir, buscar nossa verdade 

Não quer dizer que não haverá mudanças 
Mas é preciso encarar os fatos, ter esperança 
Confiar na própria capacidade de superação 
Investir no amor, na luz, na evolução 

É bom ser leal ao outro, suas posições 
Mas fundamental é ser fiel às próprias convicções 
Ser respeitoso ao modo de ser de alguém 
Exige primeiramente sermos conosco também 

No final das contas somos responsáveis 
Por tudo que permitimos quando somos maleáveis
Também quando somos irredutíveis e intransigentes
Aí fechamos as portas para uma vida mais benevolente 

Alda M S Santos 

Não combinam

NÃO COMBINAM

Há coisas que não se encaixam, não combinam
É preciso esforço para ver se se acertam
Praia e chuva pedem uma dose extra de coragem
Lua e estrelas sem um amor parecem bobagem

Cachoeiras e rios que não chegam ao mar são desperdício
Ausência de humor, muita pirraça são na vida mau indício
Sol sem alegria, sem animação é  bobagem
O vento que não leva o negativo é só friagem

Vitória com preguiça é embromação
Amizade com mentira é decepção
Amor sem parceria, com mentira é solidão

Gaiolas e asas são um insulto à liberdade
Sorriso que não chega aos olhos é falsidade
Amor sem acolhimento, não é alimento, não é de verdade

Alda M S Santos

Em casa


EM CASA

Uma unanimidade: estar em casa é sensacional 
Uma leveza, bem-estar, algo que é sempre especial 
Muitos são os modos de se sentir em casa 
Quando o coração fica leve, parecendo ter asa

Podemos nos sentir em casa sob o olhar de alguém 
Ou quando nos abraçam e acolhem também 
Estar em casa não é questão de lugar
É saber-se querido, amado, é poder amar 

A casa pode ser simples ou requintada 
Mas é preciso que seja boa morada
Só fará bem se houver boa energia 
De um viver onde pulse a harmonia 

Podemos nos sentir em casa numa igreja, na rua 
Na praia, na mata, sob a chuva ou sob a lua 
Se houver paz, abrigo até mesmo na solidão 
Mas não há casa melhor que um coração 

Qual sua casa?

Alda M S Santos 

Amigos…

AMIGOS…

Amigos,
O jeitinho especial de Deus dizer que não estamos sozinhos
São anjos enviados por Ele nos momentos mais diversos
Que nos trazem a palavra de conforto, um sorriso
Um abraço, um olhar, um carinho, um alerta
São a leveza quando tudo está pesado
A brisa suave quando o calor tá de matar
O cobertor quando o frio tá de congelar
São a companhia nas festas ou na solidão
Riem juntos, choram também
São um lar quando o sentimento é de desabrigo
São confidentes, são ouvidos, são amor
Aquele amor especial que se eterniza…
Amigos,
O jeitinho especial de Deus dizer que não estamos sozinhos…
Meu amor a todos vocês!

Alda M S Santos

Dia dos amigos

DIA DOS AMIGOS
Há amigos de todo tipo na vida da gente
Amigos que a família nos dá
Amigos que a igreja nos traz
Amigos de escola, de trabalho
Amigos da juventude, amigos de amigos
Amigos que puxam orelhas, que abraçam
Amigos que são sintonia, magia, sinergia
Amigos tranquilos e serenos, são paz
Amigos crianças, adultos e idosos
Amigos virtuais, amigos de farra
Amigos de gostos comuns ou nem tanto
Amigos da magia, da viagem, da poesia
Amigos que vão embora e deixam um buraco vazio
Uma saudade danada na alma da gente
Amigos de segredos, de troca, de tempos idos
Amigos que são abrigo, consolo, aconchego
Amigos de altas e gostosas risadas
Amigos que riem juntos das próprias misérias
Amigos que são palavras encorajadoras na dor
Que enxugam nossas lágrimas, que brigam por nós
Principalmente amigos que amam por nós, que lutam para estar conosco
Amigos que nos protegem a despeito de si mesmos
Amigos de longe e de perto
Amigos que são amigos quando nem nós mesmos nos aguentamos
Amigos/namorados/casados eternizados no carinho
Amigos que são uma trilha de amor
Até o coração da gente…
Há amigos de todo tipo
Só não há ex-amigo!
Uma vez amigo, para sempre amigo…
Amo todos vocês meus amigos de todas as épocas
De longe ou de perto, da infância, da juventude, da maturidade, para sempre…
Alda M S Santos

Dói

DÓI

Dói não acreditar quase em nada
Também dói investir em canoa furada
Dói se espetar no espinho da rosa, machuca
Dói mais ainda não ter uma roseira, vida maluca

Dói sofrer por um amor não correspondido
Mais doloroso é não amar, é tempo perdido
Dói ver o mundo com tanta desumanidade
E que ainda não aprendemos a viver com dignidade

Dói não realizar os sonhos, os desejos
Dói mais ainda já não sonhar com abraços e beijos
Dói ver por aqui tanta indiferença e desigualdade
E por mais que se faça, não amenizar essa realidade

Viver é por vezes pesado e doloroso
Mas não desistir faz o mundo mais prazeroso
Amar, amar, se doar é o único caminho
Para doer menos, não se sentir inútil e sozinho

Alda M S Santos

Recomeçar do zero

RECOMEÇAR DO ZERO

Não existe recomeçar do zero
Porque se temos essa prerrogativa
É porque um dia já começamos
E todo começo deixa nem que seja uma negativa

Retirando o que perdemos, o que permaneceu?
E não diga que nada ficou
De tudo que se construiu, viveu
Ao menos entulho restou

Separe o joio do trigo
Descarte, reaproveite, reserve, busque abrigo
E se ainda assim só encontrar a dor
É com ela que irá recomeçar
E com renovado fervor…

Recomece do amor que encontrar em você, por você!

Alda M S Santos

No calor dos seus braços

NO CALOR DOS SEUS BRAÇOS

Se estou triste ou amargurada
Sem esperanças ou bem  desanimada
Se o mundo parece frio e escuro
Se as pontes não aparecem, só os muros

Busco a paz que há no calor dos seus braços…

Se só quero ficar presa no quarto
Se num disco voador, vou embora, eu parto
O travesseiro não tem sido bom companheiro
Se o que falta não se consegue com dinheiro

Busco a paz que há no calor de seus braços…

Se um mundo mágico parece atraente
Se por aqui nada é tão envolvente
Se esse presente que nos foi dado
Tem causado dores para todo lado

Busco a paz que há no calor dos seus braços…

Quando nada parece bonito
E não se resolve no silêncio ou no grito
Busco seu abraço, seu amor
Só você me renova, meu Amado Senhor!

Alda M S Santos

Tudo pode acontecer

TUDO PODE ACONTECER

O mundo segue girando no espaço
Ora seguimos firmes, ora fora de compasso
Cansa-nos tantas vezes algumas expectativas
Quando sabemos de tantas negativas

Tanta dor, tanta desumanidade
Mas tudo pode acontecer, na verdade
Para aquele que crê que tudo se constrói
Cada ato é importante, nem precisa ser herói

O amor sempre pedirá por reciprocidade
Compaixão, carinho e bondade
Como um sol se pondo na serra
Amar é certeza de que a vida não erra

Tudo pode acontecer nessa viagem
Aqui viemos para lutar com coragem
Nunca desistir deve ser nosso maior lema
E buscar nossa poesia, o amor como tema

Alda M S Santos

Nas nuvens

NAS NUVENS

O dia pode estar quente, ensolarado
Céu azul de branco mesclado
Na areia da praia ou sob o luar
Dá vontade de ali para sempre ficar

Pode estar escuro, nuvens pesadas
Ar carrancudo, almas amedrontadas
Não importa, o coração pede companhia
Daquelas aconchegantes, que trazem alegria

Nuvens chamando para nelas voar
Corações enamorados a se amar
Nas nuvens com você quero passear

No chão ou no ar, na terra ou no céu
Vou por aqui rasgando o véu
E a vida sendo pintada com firme pincel

Alda M S Santos
Sarau: Nas nuvens com você

Com espinhos

COM ESPINHOS

Não precisa eliminar os espinhos
Basta ter cuidado, ir com jeitinho
Rosas são belas mesmo assim
Têm cor, perfume, espetam, enfim

Não adianta exigir que seja perfeito
Todos temos nosso lado imperfeito
Somos um misto de defeitos e qualidades
É sábio conseguir priorizar o que traz felicidade

Nessa viagem escolhemos nossos caminhos
E as companhias para não seguir sozinhos
Tão importante quanto saber para onde ir
É escolher quem nos acompanhará sem fugir

As rosas nos ensinam a lidar com os espinhos
Nas estradas a saltar as pedras do caminho
A grande lição é amar o outro em sua essência
No bem, no mal, sempre, não só de aparência

Alda M S Santos

O que se propaga

O QUE SE PROPAGA…

Tanta coisa ruim tendo espaço
Tanta maldade desfazendo laço
O mal sendo por todo lado propagado
O bem pede passagem, merece ser divulgado

A mão esquerda quer saber o que faz a direita
E que ela diga a todos dessa bela feita
Assim será capaz de se sobrepor ao mal
Contágio do bem é necessário, é essencial

Ainda há muitas coisas belas por aí
Em versos, em prosas, no modo de agir
Urge que o bem seja uma opção a seguir

Quero ler coisas bonitas, ficar encantada
Não ignorar o mal, não ser alienada
Mas alimentar as almas de coisas abençoadas

Alda M S Santos

Ah, o tempo…

AH, O TEMPO…

Dizem que cura tudo, torna curtido
Basta estar aberto, tempo curto ou comprido
Não sei disso não, penso que machuca
Se ficar remexendo muito, alma fica maluca
Querendo voltar lá atrás, momento bem vivido
Ou dar um salto para a frente, algo sonhado e querido
No espelho ele é meio cruel, atroz
Se observarmos bem pode ser até um algoz
É preciso ter com ele mais benevolência
As marcas no rosto têm histórias, completude ou carência
Mas são únicas, especiais, são estradas de vida
Grafadas ali em suave relevo a nossa lida
No olhar estão as maiores marcas do tempo
Se alguém souber observar com o coração
Tudo ali diz: valeu cada emoção
Tempo pode tirar o viço, a energia
Mas a vontade de ser e fazer feliz
Tempo só potencializa esse desejo, essa magia
Olhe o tempo através do espelho, do olhar
Lá terá paz, serenidade, em si mesmo um bom lugar …

Alda M S Santos

Extremismos

EXTREMISMOS

Sem medo de errar: todo extremismo é nocivo
Seja esportivo, religioso, político ou de qualquer tipo
Trazem consigo uma carga de amor e ódio
Uma insanidade patológica e agressiva, uma bomba relógio
Não permitem crescimento ou evolução
E sempre causam tragédias em diversas situações
Os excessos, quaisquer que sejam, envolvem insanas paixões
Daqueles tipos que causam amargas polarizações
Envolvem um “amor” meio adoentado
E como carona um ódio pelo outro lado
Na maioria das vezes por outro também extremista
E a vida vai sendo posta à prova, danos causados
Urge nos curarmos ou nos vacinarmos
Munirmos de respeito e sabedoria
Para não nos envolvemos nessa louca patologia
A vida pede por paz, luz e serenidade
Ainda que cada qual lide com sua verdade
Apreciar em si e no outro o jeito de ser liberdade
Faz-nos crescer em nossa humanidade

Alda M S Santos

Se vem…

SE VEM…

Se vem do coração é por sedução, nunca por coação
Se vem da emoção é por conquista, nunca por violação
Se vem do interior é desejo, é inspiração, nunca enganação…

Se vem de Deus é perdão, é compaixão
Nunca culpa ou embromação
Se vem da alma é profundo, é pacífico, é união
Nunca superficial ou inquietação…

Se vem do amor é prazer, é verdade, gera saudade
Nunca mentira ou maldade
Se vem do amor é infinito, é para toda a eternidade
Não termina na distância, na vontade ou na infelicidade…

O que vem do amor nunca se acaba
Multiplica-se infinitamente…

Alda M S Santos

No coração da Sé

NO CORAÇÃO DA SÉ!

“Pode chegar, pode olhar, pode falar”
Estava ali um homem meio que a divagar
Falava alto, parecia querer desafiar
“Pode escrever, não vou me importar!”

Centro de São Paulo, ser humanos em busca de um lugar
Pedem em silêncio ou aos gritos um novo olhar
Desafiam o que está posto, constituído
É justo, já que se sentem excluídos

Como ele sabia que escrevo tenho apenas uma ideia
Mas aquele jeito sofrido de ser já não tem plateia
Ele segue na luta, abandonado, almejando nova odisseia

No chão sob cobertas velhas ou na porta dos grandes monumentos
A cidade está cheia deles, pulsando no coração da Sé
Naqueles corações, será que há ainda um pouco de fé?

Alda M S Santos

Sobre filhos, árvores e livros…

SOBRE FILHOS, ÁRVORES E LIVROS …

Uma forminguinha nesse imenso formigueiro
Uma letra, um verso, nesse imenso livreiro
Um universo de opções literárias
Vai tornando nossa alma menos precária

Plante uma árvore escreva um livro, tenha um filho
Talvez a vida assim já tenha seu brilho
Tenho lindos filhos, plantei árvores maravilhosas
Quanto aos livros, é uma experiência… gostosa

Altos e baixos, momentos de luz ou obscuridade
Têm filhos, árvores e livros, cada qual com sua prioridade
Não desistimos de seguir com alegria e lealdade

Sigo amando os filhos que gerei
Admirando e cuidando das árvores que plantei
Divulgando os livros em versos que poetizei

Alda M S Santos

Ah, me deixe assim!

AH, ME DEIXE ASSIM!

-Não suba, não deite, não sente!
Ah, me deixe ser feliz assim…
Árvores pedem para ser escaladas
Sentar num tronco, deitar em outro, serem admiradas
São na natureza a beleza, fico encantada
São mais lindas quanto maiores e mais copadas
Não dá para não se sentir tocado
Num lugar assim tão bem cuidado
Mas mata virgem é maravilhosa também
Parece me chamar;: ah, vem para cá também!
– Não suba, não deite, não sente!
Que nada! Vou fazer o que me der na mente!
Assim vou plantando boa semente…
Vamos?

Alda M S Santos

Das pedras, das rosas…

DAS PEDRAS, DAS ROSAS…

Ah, aqui tem pedras e muitos arranha- céus
Também tem parques, tem matas e jardins
Tem demônios, santos, anjos e querubins
Tem Casa das Rosas, gente calada e toda prosa
Tem gente sozinha e acompanhada
Também tem pompa e gente abandonada
Tem mirante, brisa fresca, sol quente
Tem museus, livrarias, tem muita gente
E somos nós que escolhemos o que curtir
Em tudo um jeitinho para se distrair
Tem também amizade linda na cidade da garoa
Amiga hospitaleira, acolhedora, gente boa
E cá estamos nós, mineiros agradecidos
Entre pedras ou rosas, aceitando o que a vida nos tem oferecido…

Alda M S Santos

Poesia…meu lugar!

POESIA… MEU LUGAR!

Poesia tem a cor da delicada flor
Poesia tem o cheiro do amor
Gosto de morar nesse jardim
Como abelha polinizar, ser vida, enfim

Poesia tem poder curativo, calmante
Ali mergulho sem medo, nao é decepcionante
Poesia é o sumo da vida, adocicado
Poesia é a força e a suavidade ao meu lado

Poesia é igualitária, é democrática
Está para o rico, para o pobre, emblemática
Basta ligar o botão da emoção
E os olhos a levarão direto ao coração

Poesia está para o poeta
Como o esporte está para o atleta
Como o beijo doce da namorada
Ela é a inspiração para a alma apaixonada

Alda M S Santos

Quando…

QUANDO…

Quando um corpo requer outro corpo
Qualquer corpo pode tentar trazer conforto
Mas quando a alma depende de outra alma
É preciso muita persistência, muita calma

Quando a intimidade traz boa conversa amiga
Quando o silêncio é tranquilo, não gera briga
Quando a confiança é forte, soberana
A vida fica mais suave, doce, se irmana

Quando os caminhos se encontram num ponto
Os sonhos não geram tanto contraponto
A sensação de paz promove suave alegria
Dispensável ebulição sempre, há calor nessa magia

A vida é feita de muitos momentos
Bom mantermos só os bons no pensamento
Aqueles que despertam luz, união e sintonia
E jogar fora os que ferem, não têm harmonia

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: