Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

A namorada

A NAMORADA

Ela pode ser doce, meiga, linda, sedutora

Se apresentar nua, vestida, colorida, tentadora

Chegar de mansinho ou de supetão

Mas nunca irá te deixar na mão

Se você souber dela cuidar

Nunca irá se decepcionar

Pode ser sério ou com ela brincar

Sorrir, correr, se cansar, chorar

Mas jamais deixe de namorar, de amar

Se quiser ter um belo amor por toda a vida

Não fuja, seja verdadeiro, corajoso

Ela é valente, corajosa e boa de briga

É a namorada encantada, amada, querida

Não a perca, seja atraente, envolvente

Abrace forte sua namorada, confie

Aceite-a como ela é, deixe-se levar

Apaixone-se por ela todos os dias

Namore muito, namore com a vida…

Alda M S Santos

No pé

NO PÉ

Quero colher o que a vida oferecer
No momento certo, quando amadurecer
Ela tem sua hora, seu próprio tempo
Não adianta apressar, gera contratempos

Saberei o que fazer na hora apropriada
Há tempo para tudo, para cada jornada
Vou colher a fruta doce no pé
Serei feliz ao saboreá-la com boa-fé

Os sabores da vida são muito variados
Ácidos, amargos, doces ou salgados
A nós cabe escolher o mais adequado

Mas amor quase sempre é saboroso
É fruta boa em qualquer maturação
Agridoce, melado, até meio amargo, sabe ser gostoso

Alda M S Santos

Não compro!

NÃO COMPRO
Não compro essa “felicidade” que se vende por aí
Vitrines abarrotadas de produtos reluzentes
Enchem os olhos, agradam, atraem
Compradores seduzidos e ávidos
Hipnotizados diante de “seu” objeto de desejo
Pagam qualquer preço pelo seu sonho de consumo
Estoques lotados de mercadorias devolvidas
Consumidores insatisfeitos
Com felicidade vendida, embrulhada em bonitos pacotes
Feita em formas, em série, massificadas
Numa medida que não é da gente
Não compro essa “felicidade” que se vende por aí
Que não é feita no meu número, no meu manequim
Que precisa de reformas e retoques
Que deforma o que tem de belo na gente
Alegria fugaz à base de porcaria
Conteúdo feio em embalagem atraente
Sorriso que se desmancha na primeira ventania
Coração que sofre e chora dentro de um modelo apertado
Uma alma que perde o encanto, a magia
Não compro esse modelo de felicidade
Na verdade não quero nem doado
Bom mesmo é escalar a própria alegria na simplicidade
A felicidade deve ser feita sob medida
De cada alma, de cada coração…
Alda M S Santos
Mais no meu blog http://www.vidaintensavida.wordpress.com

Não tem graça!

NÃO TEM GRAÇA!

Não é só porque ele era famoso
Tampouco por fazer a nação da alegria sorrir
Em momentos de medos, onde tudo é doloroso
Mas por evidenciar que qualquer um pode partir
É por colocar a todos no mesmo patamar
Somos passíveis de sofrimentos, não há como negar
A morte chega e machuca sem avisar
Seus critérios desconhecemos, não dá para adivinhar
Leva quem faz sorrir lá na tela da televisão
Também quem está pertinho do coração
Vidas ceifadas, levadas daqui tão cedo
Somos passageiros por aqui, não há segredo
Paulo Gustavo não era mais importante que ninguém
Era apenas ser humano no topo do coração de alguém
Mas algo nisso mexe com nossa fragilidade
Ninguém está a salvo!
Ele era mestre do humor, fazia sorrir
Hoje faz chorar, não tem graça!
Isso reafirma a única certeza da vida
A qualquer hora podemos ir embora
Urge ser irmão, ser amor, sem demora
E, se pudermos aprender algo com isso
Fazer sorrir é um belo meio
De fazer valer nosso existir por aqui
RIP
Alda M S Santos

Quero ser

QUERO SER

Quero ser o ritmo da canção
Aquele que enternece o coração
Na dança ser leve compasso a flutuar
Te encantar, girar, fazer você dançar

Quero ser a fantasia, o sonho bom
Mesclado de muitas cores, vários tons
Daqueles que não queremos acordar
Num reino encantado poder morar

Quero ser sua bela história
Forte e marcante em sua trajetória
E seus mais lindos momentos de vitória

Quero ser suas melhores lembranças
O passado, suas loucas andanças
O presente e um futuro cheio de bonança

Alda M S Santos

Desapego

DESAPEGO

Deixar para lá, essa é a nova ordem, desapegar
Não insistir no que só faz machucar
No que te afasta de si, te deixa sem lugar
Ou que tira o foco, faz nublar, faz chorar

Desapegar com consciência
Ter a alma livre, sem dependência
Somos feitos de mente e coração
Equilibrar é bom, não faz mal não

Busquemos assim o desapego
Mas não vale trocar um por outro apego
É preciso algo que traga paz e sossego

A vida pede carinho, busque arrego
Ainda que venha de si mesmo
Amar-se é por aqui um bom emprego

Alda M S Santos

Revelação

REVELAÇÃO
Quero revelar todas as fotos que minha lente captou
Nem sempre tão objetivamente assim
Mas capturadas todas elas em momentos de intensa emoção
Numas pode haver luz e escuridão
Noutras alegria, descontração
Pode haver talvez insegurança e tristeza no olhar
Desejo, tensão, atração no modo de me expressar
Podem ter sido registradas num instante de puro amor
Alguns talvez sejam apenas lembranças
Outros são as atuais andanças
E há ainda os que alimentam esperanças
De um viver sempre em evolução
Quero, preciso revelar todas essas fotografias em mim
Registradas nessa longa trajetória
É fazer delas um grande álbum, enfim
De uma vida, de luta, de história
Onde possa mergulhar numa tarde de nostalgia
E tudo reviver, aprofundando a magia
Quero revelar todas as fotos contidas na lente do meu olhar…
Alda M S Santos

Segue a rota

SEGUE A ROTA

Tantas vezes queremos deixar a vida escolher a rota, fazer o arco
Vontade de fechar os olhos, entrar no barco
Optar cansa, frustra, traz pesos e responsabilidades
Desejo de aguardar o que vier, entregar-me às novidades

Tipo o “deixa a vida me levar”, não quero optar
Quero brincar, passear, surtar, viajar, amar
Sem ter medo de não dar tempo ou do sonho acabar
Quero momentos lindos poder eternizar

Pode ser apenas um desejo de paz
Mesmo quando parecer coisa de gente maluca
Ou que tem preguiça, que não quer esquentar a cuca

Nesses momentos em que a vontade é de a vida entregar
Que sejamos raptados pelo amor, pelo bem
Que faça para nós aquilo que é certo, que convém

Alda M S Santos

Ah, se eu pudesse

AH, SE EU PUDESSE
Ah, se eu pudesse e coragem não me faltasse
Muito mais que três desejos eu iria realizar
Nem precisaria de gênio da lâmpada
Queria mesmo era ter o prazer de alcançar
Por meu próprio esforço e mérito
Poder aquele amor tornar eterno
Aqueles amigos alcançar e dar um abraço fraterno
O mundo todo giraria levando muita humanidade
Paz, união, alegria em meio à simplicidade
São muitos os sonhos, ah se eu pudesse
Mas só esses três vou te contar
Deixarei você seus próprios desejos contar
E uma vida melhor poder sonhar
Alda M S Santos

Adeus

ADEUS

Tchau, até mais, bye, não quero dizer adeus
A Deus quero entregar os sonhos meus
Que Ele cuide bem de minha emoção
E nao deixe ir a alegria em meu coração

Não vou deixar ir embora
Se o abraço ainda se enlaça, se demora
Se o beijo ainda desperta tentações
Se lembranças são motivo de boas sensações

Não vou dizer adeus ao que a vida traz de bom
Que me faz dançar, cantar em alto e bom som
E amar em qualquer situação, em belo tom

Adeus, não, a Deus, sim
Ele sabe de tudo que se passa em mim
E me cuida como delicada flor de um jardim

Alda M S Santos

Dançar

DANÇAR

Gosto de dançar, não importa o som
Vale mesmo é não sair do tom
Pode ser valsa, tango ou bolero
Importante é dançar com quem eu quero

Dançar faz a vida ser mais feliz
Em qualquer lugar é meu chamariz
Extravasar o que transborda, como se diz
Atrair para perto da gente, ser asa e raiz

A música que a vida toca
Não importa tanto assim
Quero dançar do meu jeito sim

Quem quer ser bom par
Basta seguir o olhar, o bailar
E o amor tem na dança seu lugar

Alda M S Santos

Caí da cama

CAÍ DA CAMA

Era noite, escuridão, breu total
Eu ali, dançando, brincando, ao natural
Ao tentar mexer, virar, me equilibrar
Caí da cama, nossa, foi de assustar!

Navegava, dançava, ria, me divertia
Sensualizava, agradável passeio, pura alegria
Derrepente no balanço do barco eu via
Uma vida de amor e pura magia e…caía

Um sonho de encanto na natureza
Mata, vento, rio, tanta beleza
Onde o amor faz festa, é a realeza

Ele me puxa para si, enlaça
Machucou? Chega para cá, vou te segurar
Cair da cama, isso é que não dá!

Alda M S Santos

Seus vestígios

SEUS VESTÍGIOS

Percebo-o em cada cantinho de mim
Ora fazendo sorrir, ora fazendo chorar
Mas sempre há em mim espaço para você
No lento adormecer ou no suave despertar
Na esperança de a tudo de bom conquistar
Ou, simplesmente, sob o céu de estrelas amar
Sinto vestígios de seu existir
Certeza que nunca me deixará partir
Sempre impregnado nos espaços do meu ser
Dos mais racionais aos mais irracionais
Quero mesmo que seja esse enternecer
Que há eternamente entre eu e você
Vestígios que nunca se apagam
E se confundem em sintonia
Somos mistura especial;
Somos, o AMOR e EU, doce magia

Alda M S Santos
XXXVIII Encontro Pôr do Sol
Tema “Percepções íntimas, vestígios de você

Cadê o sorriso que tava aqui?

CADÊ O SORRISO QUE TAVA AQUI?
Vamos brincar?
Cadê o sorriso que tava aqui?
A angústia levou.
Cadê a angústia?
Amigou com a tristeza.
Cadê a tristeza?
Foi dormir com a escuridão.
Cadê a escuridão?
Foi aliciar a alma.
Cadê a alma?
Acendeu uma luz.
Cadê a luz?
Iluminou o sorriso.
Cadê o sorriso?
Encontrou o amor.
Cadê o amor?
Tá procurando você…
Então lá vai o amor pegar você
Lá vai o amor pegar você…
Pegou! ❤️😇
Alda M S Santos

Escuridão (Dueto Brasil e Angola)

ESCURIDÃO ( Dueto Brasil e Angola)

Eu me assusto e temo a escuridão
Ela faz ver o que assombra o coração
E esconde o que seria bonito para a emoção
Busco a luz para iluminar esse mundão

Busco eu aquelas estrelas
Para iluminar esse escuro,
Para haver um bom futuro
Para esse mundão ter uma boa explicação!

Quando me assusto com a escuridão
Fecho os olhos para o todo, busco a solidão
Assim vejo melhor meu interior
E de lá trago a luz para todo o exterior

Sim! Levo comigo aquela lanterna
Que brilha de forma eterna Eu não vou desistir , vou
persistir até conseguir
Vencer essa escuridão que aterroriza o meu coração

Alda M S Santos & Pe Dro

Dormência

DORMÊNCIA

Aquela brisa suave que toca a pele, revitaliza
Refresca o corpo, o coração reenergiza
Melhor ainda, atinge a alma, arrepia
Leva- nos a viajar por mundos em harmonia

Aquela água que esfria o corpo quente
Desperta doces sensações dormentes
Conecta o indivíduo à tanta beleza
E traz para fora sua real natureza

O Sol que aquece, a Lua que ilumina
As estrelas que salpicam num teto natural
Um espetáculo maravilhoso, bem divinal

Somos todos natureza em dormência
Prontos a sermos pelo outro despertados
Por nós mesmos, ao nos fazermos amados

Alda M S Santos

O som do silêncio

O SOM DO SILÊNCIO
Silêncio fala, silêncio grita
Na linguagem universal da dor
Da saudade ou do amor…
No entanto nem todos ouvem
Som em altíssima frequência
Quem ouve e não entende se incomoda
Busca um refúgio, faz barulhos diversos
Quer tirá-lo desse transe de comunicação
Tenta de outro modo algo dizer
Silêncio…
O som do silêncio é calmante
Para quem sintoniza na mesma frequência
Silêncio…
O som do silêncio é estressante
Para quem só ouve o nada que tanto diz
Silêncio…
Silenciando vamos tudo dizendo
Àqueles que sabem ouvir…
Alda M S Santos

Para ver melhor

PARA VER MELHOR

Está escuro e cinzento lá fora
Em pequenas gotas o mundo chora
Insistente desagua, sem demora
Parece não se preocupar com a hora

Tons de cinza de outras cores apagam nuances
Mexe com nosso interior, questiona alguns lances
Que há no cinza lá fora, no exterior
Que insiste em também acinzentar o interior?

Caminho por minhas trilhas internas
Umas já conhecidas, desbravadas
Outras ainda virgens a serem desvendadas

Fecho os olhos para ver bem e melhor
A pele arrepia, sinto a energia, a poesia
E mergulho em mim mesma, sonhos de magia

Alda M S Santos

Outon(ando)

OUTON(ANDO)
Cores amarronzadas, folhas secas, leves, caídas
Levadas pelo vento friozinho que arrepia a pele
Deixo-me levar suavemente
Tal qual folha caída da gigante árvore
Busco um repouso num cantinho qualquer
Encolhimento, proteção, recolhimento
Tempo de hibernar, dormir, voltar para dentro de si
Repor energias, reabastecer o corpo
Tudo é silêncio, cuidado, organização do caos
Aquecendo a alma e o coração vou outon(ando)
Aguardando um casulo crescer, a borboleta se formar
Linda e necessária estação
Lá fora e cá dentro…
Até um novo florescer…
Alda M S Santos

Na luz seguir

NA LUZ SEGUIR

A oração é o canal mais direto
Com o que há de mais bonito e certo
Quando oramos nos conectamos com o bem
Atraímos a luz, espalhamos amor também

Se ao orar pudermos também agradecer
Não nos esquecendo de mais ser do que ter
Ela se tornará mais certeira e abençoada
Paz, harmonia e alegria em nossa caminhada

A Criação nos fez para sermos irmãos
Solidariedade,  união, um dar-se as mãos
Assim evoluímos nessa dimensão

Se quisermos mesmo nos abençoar
Basta pedir, agradecer e agir 
Oração é o primeiro passo para na luz seguir

Alda M S Santos

Instrumento

INSTRUMENTO

Quero ser usada, ser um instrumento
Daqueles que tocam em harmonia
E leve a quem se aproximar a alegria
Quero que meus braços e meu colo
Sejam emprestados a quem está solo
Que meus olhos levem um pouco de calor
A quem anda carente de amor
Que eu possa ser um bom recurso
Que ajude ao necessitado seguir seu curso
Quero ser instrumento de amor
E que toda eu, mente, alma, corpo e coração
E tudo que conquistei ou recebi de antemão
Seja usado para abençoar e fazer o bem
Quero que minha poesia leve alegria
E encontre pouso e repouso
Que seja o que falta nessa vida: a magia
Deus tudo pode, mas gosta de conosco contar
Quero ser instrumento para Ele nos abençoar

Alda M S Santos

ORANDO POR NÓS

ORANDO POR NÓS

Quem ama cuida, se importa
Está junto no caminhar, respeita
Abre persianas, janelas e portas
Afasta todo mal que estiver à espreita

Quem ama tem fé, esperança
Faz uma prece, insiste, não desiste
Acredita que tudo é possível
Para aquele que no bem persiste

O amor é bênção, é luz, é sempre a cura
É prazer que se doa e afasta a amargura
Na reciprocidade é a mais pura candura

Eu oro por você, você ora por mim
Juntos oramos por um amor sem fim
E que isso se propague a todos, enfim

Alda M S Santos

Amor é bênção

AMOR É BÊNÇÃO

O amor em si já é uma bênção
Abençoo quando agradeço pela natureza
Pela saúde, pela paz, luz e união
Ou quando te trato com delicadeza

Abençoo quando te quero bem
E bem pertinho de mim também
Abençoo quando te faço um cafuné
Te abraço e beijo da cabeça aos pés

Abençoo quando te dou atenção
Uma palavra, um ouvido, colo e oração
Abençoo minha família, meus amigos
A todos vocês que viajam comigo

Ser capaz de dar e receber amor
Intensamente, seja ele de que tipo for
É o melhor meio desse mundo mudar
E fazer tudo se encaixar em seu devido lugar

Assim, podermos adormecer e felizes sonhar…

Alda M S Santos

Uma carta especial

UMA CARTA ESPECIAL

Espero que essas linhas te encontrem bem disposto
A ser sempre firme e não deixar seu posto
Apesar das forças que muitas vezes agem contra
Sabe que preciso de você, não abro mão
Sem ti, a vida não tem graça, não…
Entendo que há muitas coisas desfavoráveis
O tempo nem sempre é nosso amigo
Por essa razão, mais ainda necessito de seu abrigo
Preciso de seu olhar, seu colo, seu carinho
Da sua mão, suas palavras, sua disposição
A fazer desse mundo um lugar mais irmão
Quero um pouco de atenção, chamego, coração
E que não me deixe na solidão, sem sossego
Lembranças são boas, expectativas também
Mas bom mesmo é ter você como companhia
Sendo a razão de minha vida, minha alegria
Você, AMOR, é tudo que me convém…
Com amor,

Alda M S Santos
Homenagem ao Dia do Amor- UMA CARTA DE AMOR para o amor.

Livro

LIVRO
Livro que faz bem, que trago sempre comigo
Livro-me da ignorância, encontro abrigo
Livro-me das dores, do perecer
Livro-me da angústia do ser ou não ser
Livro que acalma, que é luz
Livro que esclarece dúvidas e nos conduz
Livro que é diversão, é passaporte, é transporte
Para um “País das Maravilhas”, mesmo sem sermos Alice
Que pode estar a poucas milhas de nós
Quase sempre dentro de nós…
Livro que é caminho da fé, da Ciência, da religião, de Deus, do conhecimento
Livro que perpetua o amor, que é acolhimento
Livro é tão bom que dentro dele pode caber tanto um mundo de dor
Quanto trazer em si registrada a maior História de Amor
Abram um livro, percam-se nele
Encontrem-se…
Alda M S Santos

Leia-se!

LEIA-SE!
Dia Mundial do Livro
Leia, releia um livro, emocione-se
Tente, se nunca leu, pode se apaixonar
“Esqueça” um livro por aí,
Para que alguém o encontre
Presentei-se, faça-se bem, regue seu interior
Equilibre sua razão e emoção
Leia livros digitais, impressos, antigos ou novos
Alimente sua mente, sua alma
Viaje!
Encontre-se nos versos de um poema
Compreenda ali sua trajetória, ou parte dela
Ler um livro é o melhor modo de entender o mundo
É um jeito de aprender a ler o outro
A maneira mais eficaz de entender a si mesmo
Quem sabe um dia você escreva um livro, um verso
Sobre si, sobre o outro, sobre o mundo
Sobre essa grande interação que vivemos
Pois, fazer parte de uma história
Todos nós já fazemos
A mais linda história que alguém já escreveu
A história da nossa vida!
Leia-se!
Alda M S Santos

Sedução

SEDUÇÃO

Você se mostra sempre bela e encantadora
Uma energia ímpar, arrebatadora
Ora perfumada se vestindo de muitas flores 
Ora nua se despindo de suas dores

Maravilhosa em qualquer fase ou estação
Mexe com emoção, pulsa forte meu coração
Brinca comigo, me mantém cativa, presa
Sou incondicional fã de sua força e delicadeza

Você brilha, atrai meu olhar
Não consigo me cansar, desviar
Você é pura atração a bailar

És presente, és luz, és grandeza
Você me seduz com sua beleza
Sou parte de ti, sedutora natureza

Alda M S Santos
TARDE DE POESIAS : VOCÊ ME SEDUZ

Canoa furada

CANOA FURADA

São tantas as canoas nas quais embarcamos nessa vida
Algumas por querer, por escolha, boa opção
Outras por não haver alternativa, imposição
E aquelas que parecem, na verdade, melhores do que são

Bem ou mal as canoas são transportes
Devagarinho, certo ou não, mostram-nos um norte
Mas todo cuidado é pouco com as canoas furadas
Elas podem nos fazer afundar e sofrer nessa jornada

Mau uso, super lotação, descaso ou abandono
Tudo isso pode quebrar ou furar a canoa
E fazer dessa nau uma viagem à toa

Quero uma canoa que seja forte para não me afogar
Que me leve a navegar, por aí passear, flutuar
E encontrar um bom cantinho, parar e amar…

Alda M S Santos

Sentimentos

SENTIMENTOS

Se formos hierarquizar sentimentos
No topo os que trazem mais contentamento
E lá embaixo os que são mais sofrimento
Em que lugar estariam os seus a contento?

Amor está no topo, de todos o melhor
Mas outros que não são tão nobres
Ele pode trazer atrelados consigo
Causando mágoas, parecendo castigo

Respeito, confiança, lealdade são bons aliados
Indiferença e desatenção são mal falados
Machucam e ao fracasso estão fadados
Mas o ciúme é o pior e mais mal avaliado

Ciúme ruim de sentir, além de doer e cortar
Também pode coisas boas podar ou matar
Certamente lá embaixo é seu lugar

Alda M S Santos

Ela exige

ELA EXIGE

Se eu quiserpreciso ir buscar
Não importa o tempo que irá levar
Cabe a mim a necessária dedicação
Todo desejo almeja sua realização

Na mente ele se constrói, pura imaginação
Se faz do alimento diário, da emoção
Aí você coloca amor, carinho, sedução
E está pronta a mesa, para degustação

A vida é mais feliz com nossas conquistas
Vamos aprendendo a ver caminhos, ler pistas
Para chegar ao topo é preciso ser otimista

Não culpar o outro, a vida, a situação
De cada um de nós ela exige aptidão
Usemos com equilíbrio razão e coração

Alda M S Santos

Pilotando

PILOTANDO

Quero sempre ser piloto de minha própria máquina
Sem medo, e nas estradas retas com boa visibilidade, acelerar
Com cuidado e firmeza nas curvas do caminho para não derrapar
Aproveitando a luminosidade natural para avançar
E nos espaços mais escuros parar e descansar
Não quero me deter diante de nada
Usar proteção boa, segura e adequada
Apenas avaliar e seguir minha jornada
Ser da vida uma boa e doce namorada
Dar umas caronas, levar amores e amigos
Eles fazem a travessia mais leve, são abrigo
Se a máquina der problema levo à oficina
Aquela que me faz refletir sobre os buracos nas trilhas dessa sina
Muitas vezes colocando mais amor como combustível
Após a grande largada parar só mesmo nos pit-stops
Trocar óleo, pneus, verificar freios, faróis
Até mesmo substituindo peças já avariadas
O que vale é seguir em frente até a chegada
Seja ela qual for…

Alda M S Santos

Ele nunca me abandona

ELE NUNCA ME ABANDONA
Ele é insistente, persistente
Não desiste, se intromete onde não lhe cabe
Mistura-se a situações complicadas, tristes
É invasor, arromba portas, faz barulho, acende a luz
Ou chega de mansinho, faz carinho, silencioso
Não gosta de lugares escuros,  mas nada teme
Caminha por espaços que desconhece
Algumas vezes é sapeca, fraterno, noutras, sensual
Ou ainda repleto de compaixão e amor
Às vezes parece arrastado, meio forçado, cansado
Mas nunca, nunca desiste, é sobrevivente
Nem sempre parece feliz ao espelho
Mas sabe que se não fosse por ele não haveria vida ali
Tampouco alegria nas vidas que acende quando se abre
Ainda que esteja umedecido pelas lágrimas
Ele não pode morrer nunca
Pois quando isso acontecer, levará consigo meu viver
Ele nunca poderá me abandonar
Ou sou eu que nunca poderei deixá-lo
Meu inseparável e amigo sorriso
Alda M S Santos

Esperança

ESPERANÇA
Esperança: motiva ou paralisa?
Instiga, encoraja, estimula, impele
Ou abate, esmorece, deprime, limita?
Dizem que é a última que morre.
Esgotadas as possibilidades, ela morre?
Ou quando morre, mata também as possibilidades?
Tudo vai depender dos aliados que a esperança amealha.
Ela sozinha é paralisante, único foco, coloca viseiras
Nada mais permite que se veja ou faça.
Mas se ela se une à força, à determinação,
A uma razão equilibrada com o coração,
Tem muitas chances de ser estimulante,
E levar à conquista do objetivo.
Esperança é inerente aos seres humanos de qualquer idade.
Uma pessoa sem esperanças é uma pessoa sem sonhos…
Uma pessoa sem sonhos…
É uma pessoa sem vida!
Alda M S Santos

A porteira da vida

A PORTEIRA DA VIDA
Nem todo dia o sol brilha na minha janela
Muitas vezes não está convidativo lá fora
Não quero sair, não quero levantar, quero ficar aqui
Tentando encontrar a luz que falta lá fora
Num cantinho qualquer dentro de mim
Mexo, remexo, troco as coisas de lugar
Escorrego em lugares em que já caí
Retorno, choro, saio logo dali
Busco espaços onde o amor mantém a vitalidade
Alguns são só saudade, outros em plena atividade
Tropeço em gargalhadas, me aconchego em abraços
Refaço algumas trilhas, aperto alguns laços
Encontro com o que já deixou de ser, aceno em paz
Outros prefiro nem passar perto, cicatriz nova ainda
Rolo para lá e para cá, olho de novo a janela
Um solzinho sem vergonha ameaça aparecer
Quer saber? Vou ficar por aqui hoje…
Assim que estiver menos nebuloso faço acontecer
Acendo meu próprio sol, abro o sorriso
Visto- me de esperança, meu vestido mais colorido
E abro a porteira da vida, ela precisa ser bem vivida…
Alda M S Santos

Versos

VERSOS
Os versos falam todo o tempo
Não há verso mudo, calado
São expressões infinitas de sentimento
Cada qual os recebe de acordo com seu entendimento
Há versos que falam de fazer amor
Outros de amizade, de intensidade
Há os gritos de aviso, denúncia ou alerta
Quase sempre estão na medida certa
Mas na medida meio confusa do poeta
Há versos que querem curar uma dor
Cicatrizar uma alma machucada, ferida
Há versos com raiva, compram uma briga
Há versos que tentam saldar uma saudade
Ou fazer do sonho uma realidade
Talvez no silêncio cantem uma vontade
Ou gritem aos quatro ventos sua necessidade
Os versos são uma linguagem única
Entende quem quer, quem pode
Quem aprecia, entra em sintonia
E faz do verbo, na rima, no verso
Sua vida, sua alma registrada em poesia
Alda M S Santos

Ele é amigo

ELE É AMIGO
Não tenha medo ou receio
Pode não parecer, mas ele é amigo
É paciente quando possibilita reflexões e aprendizados
Mesmo que nos faça não só sorrir, mas também chorar
É sábio mesmo quando é rápido e veloz
Quando parece nos abandonar ou deixar para trás
Quando parece nos limitar ou cortar nossas asas
Mesmo sem nos tocar ele nos atinge
Não há como fugir dele
Seu efeito é variável de pessoa para pessoa
Age de modo individual em cada mente
Influencia com doçura ou amargura cada coração
Ainda que pareça só fazer o mal
Ele é amigo, tenta parear conosco
É um remédio que se não cura, imuniza
De longe ou de perto, ele está sempre presente
Mesmo à nossa revelia o tempo age
E porque age é nosso amigo
Sempre!
Percepção que só se tem quando ele passa…
Alda M S Santos

Para todo o sempre, meu Pablinho

PARA TODO O SEMPRE, MEU PABLINHO

Saí do laboratório sem ainda conseguir captar a dimensão

Do que queria dizer aqueles 5000mlU/ml no BhCG

No peito bem alto e forte pulava o coração

Voltei à atendente e perguntei se não faltava uma vírgula

Ela disse “não, parabéns, você está muito grávida”!

Era tanta alegria misturada à sensação ainda indefinida

Saber que dentro de mim devagarzinho crescia uma vida…

Não pude pegar um ônibus, ele era pequeno pra me caber

Não, não, ainda não estava gorda, mas alegria ocupa espaço

Fui a pé para casa, três quilômetros, contando cada passo

Sorria, chorava, queria gritar para todos meu poder

O poder de gerar uma vida… como ninguém podia ver?

Parecia flutuar, na verdade, passos de algodão

Afinal, era um filho tão desejado, intensa emoção

Em casa aguardava a outra parte nesse milagre

Afinal, eu era poderosa, uma MÃE, mas não fiz sozinha

Queria contar de um jeito especial, um suspensezinho

Mas quando ele viu meu rosto, sorrisos e lágrimas

Soube que havia algo diferente, pus a mão na barriga inexistente

E começamos a dividir a expectativa, a alegria, a responsabilidade

Acho que meu pequeno sentiu a pressão sobre ele, tadinho

Seis meses depois veio ao mundo com 33 semanas, um tiquinho

Minha pressão ficou muito alta, parto antecipado

Meu lindo Pablinho, meu carinho, meu sonho primeiro de mãe

Bênção e presente maior de Deus, completa 29 anos de vida

Ainda hoje sinto, muitas vezes, que flutuo em nuvens de algodão

Admito que sempre encheu meu coração de preocupação

Por sentir que era o amor que Deus me confiou, mandou para ser cuidado

E, ao vê-lo tão bem encaminhado, abençoado, sei que não muito errei

Para sempre irei lembrar daquele caminho que fiz há quase 30 anos

Em cada passo já calculando, orando, planejando e pedindo

O que toda mãe deseja àquele que gerou e criou

Que cresça saudável, que encontre seu caminho, que seja feliz!

Devo ter feito algo de muito bom para merecer você

Não mora na minha casa mais, encontrou seu amor, fez seu ninho

Mas quem disse que meu coração também não é bem quentinho?

Aqui foi e sempre será sua morada, seu cantinho…

Te amo para todo o sempre, Pablo Vinícius, meu Pablinho!

Mamãe.

Alda M S Santos

Pintados de coragem

PINTADOS DE CORAGEM

Com o perdão da caricatura
Sei que ser índio tem sido vida dura
É mais que uma tanga, uma oca, um cocar
É para sobreviver ter que muito trabalhar
Sua arte, seus costumes, sua saúde cuidar
Não só na natureza bichos caçar
Na rede brincar, no rio nadar
Ou numa canoa nas águas namorar
É em cada nascer do sol bem acordar
Sabedor que precisa sua terra cultivar
E com outros bichos argumentar
Sua gente e sua cultura preservar
E não ter que a todo tempo seus direitos provar
Ser índio não é ser uma caricatura social
É em cada dia dançar, não só para festejar
É a cara pintar de coragem e enfrentar
Um mundo que nem sempre valoriza seu lugar
Um viva aos índios brasileiros e do mundo inteiro!

Alda M S Santos

Navegando

NAVEGANDO

Há três verdades irrefutáveis
Das quais não podemos abrir mão
O amor, a luz e a esperança são desejáveis
Essenciais na vida, em cada coração

São três que parecem um, na verdade
Quem tem amor tem os demais, tem felicidade
Luz e esperança em qualquer idade
Banham-se em rios caudalosos de bondade

Águas que vão e que vêm
Trocas de energia, o que de bom contém
Doce balanço, calor, alegria, vigor
Deitam-se em nós, desaguam amor

Navegando suavemente no rio da nossa alma
De matas ciliares  protetoras, acolhedoras
A vida se faz de desejos, vontades, sonhadora

Alda M S Santos

Quanto tempo falta?

QUANTO TEMPO FALTA?
Quanto tempo falta para não se ter mais tempo?
Falta o tempo que o coração for capaz de suportar
Tanta gente longe sem poder se amar
Falta o tempo em que a alma aguentar
Sem querer ir embora chateada com esse lugar
Falta o tempo em que for possível chorar
Mas sem aos outros decepcionar ou magoar
Falta o tempo em que ainda conseguir sorrir
Por mais que tudo pareça ruir
Falta o tempo em que conseguir se aquecer
Longe de tudo, de um colo, sem fenecer
Falta o tempo em que o silêncio puder dizer
Aquilo que o peito carrega em seu intenso sofrer
Falta o tempo em que a fé ainda for capaz de remover montanhas
Não desistindo de desfazer tantas artimanhas
Falta o tempo em que a vida ainda pulsar
Num peito cansado de lutar
Mas que não desiste de caminhar e amar…
Esse tempo que ainda falta…
Alda M S Santos

Livro e infância

HOMENAGEM AO LIVRO INFANTIL
MONTEIRO LOBATO

LIVRO E INFÂNCIA

Infância é feita de brincadeira e magia
De doces, festas, alegria e fantasia
E junto aos livros corre solta a imaginação
Tempo bom que faz bem ao coração

Monteiro Lobato era o rei da meninada
Era a animação para a criançada 
Em seu Sítio do Pica-pau Amarelo
As crianças viajavam em seus castelos

Não importa se com o livro na mão
Ou se diante da televisão
A aventura não tinha freio não

Quando queria passear nesse mundão
Ou nas doces asas da imaginação
O livro sempre foi uma boa opção

Alda M S Santos

Emília

EMÍLIA

Apresento Emília no País da Gramática
Um livro para mergulhar nos mistérios da língua
De um modo encantador, na prática
Na bela escrita de Monteiro Lobato

Na acidez sabida e engraçada da Emília
Podemos conhecer as tribos da linguagem
Em viagens etéreas e maravilhosas
Encantadoras e ricas passagens

Nos domínios da sintaxe,  etimologia
Na casa de pronomes, adjetivos, na casa da gritaria
Emília forma palavras e ensina a magia
O mundo infantil é rico em poesia

Alda M S Santos

Quintal fecundo

QUINTAL FECUNDO

A imaginação funciona assim
Muitas cabecinhas que estão a fim
De mergulhar num mundo de magia sem fim
Juntam-se a uma professora animada
E logo a festa está preparada
Emílias com sua astúcia e sapequice
A boneca de pano de nossa meninice
Viscondes que são a sapiência
Um sabugo de milho que é pura inteligência
Histórias e mais histórias , Narizinhos e Pedrinhos
Fazem parte dessa alegria que há no Sitio do Pica-pau Amarelo
Uma vida de simplicidade, amor puro e singelo
Morávamos todos na criatividade de Monteiro Lobato
Quem não viveu isso não sabe o que é bom de fato
Minotauro, Mula Sem Cabeça, Saci e Cuca
Era o que nos tirava o sono, deixava a mente maluca
Tempo bom, de viagem nos livros, mergulhos profundos
Nossa mente, nosso quintal mais fecundo

Alda M S Santos
Mais no meu blog vidaintensavida.com

BARQUINHO AMARELO

BARQUINHO AMARELO

Esse livro é uma cartilha de alfabetização
Para quem entende um pouco, método global
Nele mergulhei no mundo das letras
Em mim deixou marca sensacional

Marcelo e Rosinha em belas aventuras
Cavalos, piabas, bolhas de sabão
Rios, amigos, bichos ativando a imaginação
Trazendo a quem o lê muita emoção

Tatuado em minha memória emocional
É minha mais bela lembrança desse mundo
O lindo mundo da literatura, encanto especial

Mais tarde o reencontrei, como professora, na escola
Já era ultrapassado, foi sobrepujado, mas amo assim mesmo
Tratei de guardar um para mim, feliz, sem demora

Alda M S Santos

Sou

SOU

Sou a brisa a tocar sua pele suavemente
Quando o sol queima e castiga perigosamente
Sou a chuva que esconde seu pranto
Quando quer mesmo é ficar só num canto

Sou a Lua que brilha e ilumina sua noite
Que afasta os maus pensamentos feito açoite
Sou o rio que com as águas te abraça
Que entende suas vontades, te enlaça

Sou o olhar que te deseja
A mão ativa e benfazeja
Sou a boca que quente te beija

Sou a paz, o afeto, a natureza
Sou o perfume, o fruto, a flor
Sou, na verdade, teu amor

Alda M S Santos
Mais no meu blog vidaintensavida.com
Tarde de Poesias: Sou…teu amor

Lapidação

LAPIDAÇÃO
O que somos, aquilo que nos tornamos
Vem sendo em nós lapidado ao longo do tempo
A cada momento diferente do viver
Uma camada nos é acrescentada
Ou, diferentemente, uma nos é retirada
Nosso ser é uma joia que vem sendo lapidada
Vamos sofrendo polimentos a cada amargura ou decepção
A cada medo, perda ou frustração
A cada confiança quebrada ou partida
A cada tristeza profunda sofrida
A cada caminhar ou estrada pelo outro interrompida
Nossa cerâmica abre trincas, fendas, fragiliza
Nossa alma sofre, chora, parece ruir
Mas a cada amor ou amizade que se vive
A cerâmica brilha, a alma se alegra
Se reconstrói, se refaz, fica mais bela
Nova camada polida e brilhante aparece
Mesmo que ainda possa doer ou amargar
Ela enfrenta novamente o viver
Mais experiente, mais forte, nem sempre mais feliz
Mas mais preparada para sofrer menos danos
No próximo polimento, na próxima lapidação
Viver é parecer inteiro, é construir laços
A despeito da alma ainda estar em pedaços
Alda M S Santos

Ferida

FERIDA
Aquela ferida que todos carregamos
Causada por um machucado doloroso
Relíquia de um tombo inesquecível
De bicicleta, da escada, do galho de uma árvore
De um sonho, do alto de uma esperança, de uma ilusão
Escorregando de um colo ou despencando de um coração qualquer
Ferida que está disfarçada, coberta por uma cicatriz
Para não chamar a atenção dos curiosos
Para não assustar os mais sensíveis
Para que se evite cutucar
Para que não sangre tudo outra vez
Para que cure, se cure, se cuide
Cicatrizes servem para nos lembrar que sobrevivemos
E que saudade é a bonita cicatriz da vida que doeu, sangrou
Que nos ensinou pela alegria e pela dor
Que ela pode ser bela
Mesmo com nossos machucados…
Alda M S Santos

Basta um toque

BASTA UM TOQUE

Basta que olhe com carinho
Que tenha um terno jeitinho
De acolher, de abraçar bem juntinho
Cantar, dancar, hipnotizar, ser bom caminho

Basta que saiba o que dizer
Mais importante ainda, o que não dizer
De um modo especial, saiba ouvir
Que esteja ali, capaz de fazer a dor sumir

Basta que tenha admiração, que seja calor
De um jeito gostoso, que faça amor
E regue esse jardim, cuide da flor

Basta que com um único toque
Seja capaz de fazer o mundo parar
E ainda assim, tudo ficar em seu devido lugar

Alda M S Santos

Era tão lindo

ERA TÃO LINDO
Fui entrando devagarinho, receosa, temerosa
Sem querer me expor, muito cuidado para não me machucar
Ganhando espaços,  abrindo portas
Aos poucos arrebentando comportas
Angariando simpatia, conquistando a confiança
Passeva por um mundo tão livre, tão lindo
Sem entraves, sem falsos pudores, sem censuras
Recheado de palavras doces,  mas também algumas duras
Havia muitas moradas, jardins maravilhosos
Janelas e portas abertas todo o tempo
Não havia muros ou grades, não precisava
Os abraços eram constantes, sorrisos idem
Era um mundo recheado de histórias, de versos
Era um mundo tão livre, tão belo
Era o mundo da alegria e magia
Era o mundo dos sonhos, da poesia
Que dura enquanto há sintonia
Alda M S Santos

Uma festa poética

UMA FESTA POÉTICA

Era uma linda festa, alegria, comemoração
Havia vinho, violino, música, animação
Um livro sendo lançado, grande divulgação
Moças e moços, à caráter, dançavam batendo os pés no chão

Era puro encanto, magia, vestes e dança cigana
Coisas de quem tem alma livre, que não se engana
Numa mesa bem exposta a bela e poética obra
Pelo visto, bem aceita, não haveria qualquer sobra

Poetas e poetisas sorridentes bailavam em roda
Atraíam, encantavam ao ritmo da moda
Quem não se adequava era expulso da roda

Tão bom quando o que se faz espalha amor
Só atrai coisas boas, gera doce calor
A poesia em festa perfumando como botão da flor

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: