Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Contato

CONTATO

Tantas vezes queremos fazer contato

Contatos com extraterrestres, contatos mais humanos

Sem saber que é preciso muito tato

Pois o mais essencial é o autocontato

Aquela conexão especial que fazemos conosco mesmos

Buscando em nosso interior o fio de amor e compreensão

Numa yoga, numa meditação

Num momento relax, de prazer, de comunhão

O novo ser que precisamos nos tornar nessa nossa evolução

Irá brotar do mais íntimo de nós mesmos

De lá vem o fio conector que nos ligará aos demais

Que promoverá a verdadeira união

Uma transição de paz começa numa autoaceitação

Num ato de amor que brota na alma, cresce no coração

E se espalha por toda a nação…

Vamos lá?

Alda M S Santos

Rascunhos

RASCUNHOS

Somos meros rascunhos a viver

Uma página rabiscada, por escrever

Um verso torto, inacabado

Um sonho bom a ser realizado

Estamos sendo aqui rascunhados

Compondo uns poemas rimados

Em busca de uma prosa, um dueto

Ou de um amor versado em soneto

A composição será ainda mais bela

Quando passada a limpo, nova tela

O amor pintado com toda tinta da aquarela

Somos a folha, o verso, a trova, a poesia

O tinteiro, a pena, a tinta, a doce magia

Nossa história: realidade vivida ou boa fantasia?

Alda M S Santos

Um mundo

UM MUNDO

Um mundo mais alegre, menos sofrido

Com mais bênçãos, menos perigo

Onde todo soldado combalido

Encontre no outro um bom abrigo

Um mundo mais suave, menos amargo

Com menos “passar de pernas”, mais dar-se as mãos

Onde o amor e amizade fiquem a cargo

De seres humanos mais irmãos

Um mundo onde seja permitido sonhar

E bons desejos poder realizar

Na fraternidade e na paz nos irmanar

Um mundo onde reine o respeito e harmonia

Pelas criaturas, natureza e Criador

E que saibamos que só seremos felizes onde houver amor

Alda M S Santos

Transição

TRANSIÇÃO

Se você está aqui, você já faz parte

Já terá papel preponderante nessa arte

Já está incluído nas mudanças, no porvir

Fique atento, cuide de suas andanças, seu existir

A transição planetária está aí, é para evoluir

É tempo de fazer algo, não se eximir

Abrace o bem, seja o bem, espalhe o bem

Não seja por aqui apenas mais um alguém

A natureza grita, seres extraterrenos estão na jogada

Crianças já vêm renovadas, intensas, preparadas

Abra-se, fique na parada, deixe sua alma ser lavada

A vida flui e nos convida ao batente

A mudança está ocorrendo, você está contente?

Acorde, lute, vá para a linha de frente!

Alda M S Santos

Ela permite

ELA PERMITE

Ela permite quase tudo

A silenciosa e calma admiração

O grito alto, que alivia, surdo

O encanto, a paixão, a veneração

Ela permite ir a qualquer lugar

Para o saudoso ontem ou o amanhã a despontar

Ainda que não saiba aonde chegar

Mesmo no mais íntimo sonhar

Ela permite quebrar fechaduras, abrir janelas

Arrombar portas, estourar taramelas

Despir-se de tudo, pular cancelas

Ela quer mesmo é uma vida de magia

De amor, de paz, de fantasia

Ela permite tudo, ela é a poesia…

Alda M S Santos

Devagarzinho

DEVAGARZINHO

Chegou devagar, entrou, ficou na antessala

Foi avaliando o espaço, se aproximando

Trazia grande bagagem, estava cheia a mala

Ia aos poucos seu lugarzinho conquistando

Não quis saber de nada de falsidade

Seu desejo era de apenas partilhar o viver

Em busca de paz e tranquilidade

E de uma doce e recíproca amizade

Nos sonhos ela entrou, conquistou, ficou

Não quis mais fugir, seu coração se encantou

E daquele lugarzinho se apossou

Uma fada, um anjo protetor

Todos nós precisamos na vida

Na realidade, nos sonhos, seja como for…

Alda M S Santos

Diferenças

DIFERENÇAS

Há diferenças que nos aproximam

Aquelas que são complementares, claramente

E tornam duas pessoas afins

Numa relação de parceria que é comovente

Há diferenças que separam, apartam

Não são harmônicas entre si

Para que possa haver crescimento

É preciso respeito, boa vontade e discernimento

Diferenças são necessárias quando fazem evoluir

Mas causam danos quando só um passa a usufruir

Enquanto o outro é aquele que tem vontade de fugir

O amor é bonito, pede harmonia, sintonia

Quando acolhe as boas diferenças com energia

E faz da vida uma dança bonita, uma boa parceria

Alda M S Santos

Sorria!

SORRIA!

Se a vontade é de chorar

Se já está cansado de tentar

E ainda assim tudo parece sem lugar

Sorria, a alegria coloca tudo no lugar…

Se o amor nem sempre corresponde

Se a dor está pesada como um bonde

Se a felicidade brinca de esconde-esconde

Sorria, o sorriso é luz, não importa de onde

Se tudo está muito sério, sem critério

Se está faltando um refrigério

Se ser feliz é um mistério

Sorria, o sorriso desperta o amor e une dois hemisférios…

Alda M S Santos

O amor e eu

O AMOR E EU

Caminhamos lado a lado faz tempo

Acredito que nossa relação venha de outras vivências

Já nos demos as mãos, já ficamos de mal

Já fingimos estar bem para manter as aparências

Já sorri por ele, chorei, briguei

Já cansei, fui embora, desanimei

Já me esforcei, levantei, me entreguei

Quase desisti, acordei, voltei, de novo amei

Ele e eu somos assim, inseparáveis

Se nos apartam, ficamos vulneráveis

Se estamos em harmonia somos admiráveis

O amor e eu somos complementares

Não sou nada sem ele, ele é nada sem mim

Seguimos assim, um caminho sem fim

Alda M S Santos

Coração calado

CORAÇÃO CALADO

Uma angústia, uma sensação de pesar

Peito apertado, coração calado

Não sei de onde vem esse “inexistir”

Que às vezes dá vontade de sumir

Premonição, certeza de um porvir

Que nem sempre será belo, pode ferir

Mas talvez traga um certo avanço, crescimento

Que nos permita mais rápido evoluir

Sol meio incerto de sua posição

Parece saber que haverá momento de reclusão

Quando o coração for chamado à ação

Céu carregado, nuvens pesadas

Uma alma elevada, às vezes cansada

Mas segura de sua caminhada

Alda M S Santos

Quero um banho

QUERO UM BANHO

Quero um banho de cachoeira

Daqueles que lavem a alma inteira

Que provoquem gritos de alegria

E nos permitam ter com a vida melhor sintonia

Quero um banho de mar

Daqueles que nos tirem o ar

Que nos façam sentir noutro mundo

Onde haja um lugar especial para amar

Quero um banho de ducha quentinha

Onde eu possa deixar ir embora pelo ralo

Tudo aquilo que me aperta o calo

Quero um banho de rio

Onde eu possa me deitar num cantinho sob o luar

E junto a uma árvore amiga poder desabafar

Alda M S Santos

Ser forte

SER FORTE

Ser forte é conseguir excluir

Afastar da vida da gente

Aquilo que nos faz mal

Parecendo fazer o bem

Alimentos açucarados, pessoas amarguradas

Carnes gordurosas, pessoas mentirosas

Bebidas alcoólicas, pessoas melancólicas

Vícios atrativos, pessoas negativas

Grandes noitadas, pessoas mal amadas

Os dentes sisos, pessoas de falsos sorrisos

O sol forte da tarde, pessoas covardes

Os sonhos impossíveis, pessoas insensíveis

Ser forte é conseguir fazer tudo isso, ou não

E manter-se de pé, inteiro

Por causa ou apesar disso…

Alda M S Santos

Que é felicidade?

QUE É FELICIDADE?

Que é felicidade?

Será abrir portas e escancarar janelas no muque

Conquistar espaços e corações com a força do desejo?

Que é felicidade?

Será quando os planos do universo coincidem com os nossos

E tudo se encaixa perfeitamente?

Que é felicidade?

Será quando deixamos tudo acontecer à nossa revelia

E vamos nos encaixando às brechas que nos cabem?

Que é felicidade?

Será a gratidão de aceitar o que a vida nos oferece

Sendo luz, amor, carinho, sem reclamar?

Que é felicidade?

Será quando nos entregamos nas mãos de uma Força Maior

Que nos rege e nos aponta a direção a caminhar?

Que é felicidade?

Será amar, nunca desistir e sempre, sempre prosseguir?

Que é felicidade?

Alda M S Santos

Não é bom ter medos

NÃO É BOM TER MEDOS

Não é bom ter medos

A sensação é angustiante, dolorosa

Porém, só mudamos de fase se os enfrentamos

E fazemos passar essa etapa tão chorosa

Não é bom ter medos

Menos ainda se o medo vier de onde deveria vir amor

A sensação de andar na corda bamba

Ou na beira do abismo causa pavor

Não é bom ter medos

O desconhecido é como andar na contramão

Mas ele nos tira da mesmice e permite evolução

Não é bom ter medos

Nesses casos bom buscar carinho, abraços

Fazer de todos os nós, lindos laços…

Alda M S Santos

Nesta data querida

NESTA DATA QUERIDA

O espelho não mente, dizem

Que ele me diz nesse dia especial?

-Espelho, espelho meu, quantos anos tenho eu?

Corajosa eu o encaro

– Tens a idade da sua carteira de identidade!

Engraçadinho ele!

Ainda bem que não perguntei

Se existe alguém mais bela do que eu!

Eu o ignoro, olho firme e respondo eu mesma

-Completas hoje 53 anos!

Em muitos aspectos já esteve melhor

A pele, as curvas, a agilidade…

Melhor nem entrar em detalhes!

Mas continuo a me encarar…

Os olhos brilham, o sorriso é sincero

Os sentimentos são muitas vezes bem nobres

Cabelos rebeldes de sempre

A alma já não se rebela tanto

Coração grande, cheio, emocional

Amizades, amores, família, tanta gente…

Cheio de vazios também

De quem esteve por ali e já se foi…

É, se avaliar bem, o espelho tem razão

Carrego dentro de mim, felizmente, tudo que vivi

Tenho realmente esses 53 anos!

Até posso muitas vezes me sentir com 20

Noutros com 10, 70 ou 80

Mas são 53, não os nego!

São bem vindos, com tudo de bom e ruim que trazem

Sou eu! Alda! Construída nessas cinco décadas!

Aliso as curvas que persistem, um pouco mais generosas

Dou um giro sobre mim mesma

Rodo a saia do meu vestido colorido

Passo um batom, jogo um beijo

Balanço os cabelos revoltos

E respondo para o espelho

Hoje sou mais “bela” do que eu mesma!

Estou viva! Isso basta!

Mais um aniversário! Parabéns para mim!

Alda M S Santos

Terreno fecundo

TERRENO FECUNDO

Quanto mais coisa ruim eu percebo

Mais me impressiono com pequenas belezas

Se de um lado há dores e brigas de dar medo

Também há beijos e abraços, doces levezas

Para cada idoso abandonado

Penso na vovó que tem o neto ao seu lado

Para cada criança que perdeu a infância

Penso no amor que posso doar em abundância

Se quisemos equilibrar essa balança

É preciso ignorar a tristeza

E chamar a vida para uma contradança

Não dá para salvar o mundo

Mas um pouco de sabedoria

Faz do amor terreno fecundo

Alda M S Santos

Banhos de Lua

BANHOS DE LUA

A noite parecia não ter fim

Virava e mexia e nada do sono vir

Carneirinhos contava, a mente divagava

E, desistiu de dormir, enfim

Levantou-se devagar, e saiu dali

Cabelos emaranhados, descalça a caminhar

Longa camisola de seda a flutuar

Foi atraída pelo brilho fascinante do luar

Na imensidão de água, sob o brilho intenso da Lua

Foi despindo-se de tudo que a incomodava

Vestes, dores, medos, culpas, até ficar toda nua

A Lua de longe carinhosamente a chamava

E no encontro com o mar mais fascinada ficava

E, num banho de lua e mar, ao amor se entregava

Alda M S Santos

Amor, amar

AMOR, AMAR

Há vários tipos de amar

Mas o amor é um só

E o mais lindo jeito de amar

É aquele que sabe cuidar

Amor sorriso, luz, amor anseios

Amor pele, sonhos, amor abrigo

Amor de esperanças e desejos

Amor que se faz amigo, afasta o perigo

Amor que se entende num olhar

Amor que se eterniza no silenciar

Amor que busca na saudade um bom lugar

Amor natureza, beleza, intensidade

Amor em qualquer idade, sem maldade

Amor que faz da vida sua verdade….

Alda M S Santos

Amor e/ou paixão

AMOR E/OU PAIXÃO

Se há admiração, respeito, cuidado,

Se chega de mansinho, acha seu cantinho

E ali encontra aconchego e carinho

É amor!

Se arde, queima, é tensão, confusão

Se chega, invade espaços, derruba tudo

Desapropria moradores, bota fogo, deixa mudo

É paixão!

Paixão é desassossego, intensidade

É pular do trem em movimento, tormento

É insanidade!

Amor é sentar na janela, intimidade

Aproveitar a paisagem, doce sentimento

É cumplicidade!

Gostamos de ambos, juntos, mãos dadas é o paraíso

Um equilíbrio que faz incendiar a alma, rasgar sorriso

Paixão é fogo avassalador

Tantas vezes confundido com amor

Paixão é o ninho preparado

Para o amor receber, se desenvolver

E quando amadurece, fica meio de lado

Mas esse ninho será sempre revisitado…

Amor é luz, paixão é luz

A diferença está na intensidade

E na durabilidade do brilho e calor

Enquanto a luz no amor tende a aumentar com o tempo

A luz da paixão arrefece, é fogo brando, doce ardor

Amor é o que fica quando as labaredas cessam

Mas mantém o coração em paz e cheio de calor…

Alda M S Santos

O verso e o reverso

O VERSO E O REVERSO

Cada qual faz uso daquilo que possui

Uns usam o grito, a oração, a canção

Há quem faça uso do silêncio que intui

Vale tudo se for boa a intenção

O poeta tem papel de suma importância

Cabe a ele espalhar beleza, leveza, alegria

Também denunciar o mal, a intolerância

Lançar mão do amor, da magia, da poesia

Há quem diga que isso é utopia, tá falido

Que não há mais jeito, tudo bandido

Que esse mundo já era, tempo perdido

Prefiro acreditar no poder do verso

Da voz que se expressa no reverso

Do amor que insiste em ser a luz do universo

Alda M S Santos

Tá no ar

TÁ NO AR

Tá no brilho de mais um dia que se inicia

No despertar com ânimo e energia

Na gratidão que o viver propicia

No desejo de fazer deste um bom dia

Tá no ar, na brisa suave, no leve caminhar

Nos pássaros que cantam, confiantes, a voar

Nas crianças que sorriem, que correm a nos abraçar

Nos idosos postos ao sol para se esquentar

Tá na rosa que se abre para o amanhecer

Naquelas que também já vão perecer

Na vida de fartura ou de carecer

Tá no ar, tá no sorriso, no ato de se doar

Não precisa ir longe, está em todo lugar

O amor de Deus não falta, saiba encontrar…

Alda M S Santos

Coexistência

COEXISTÊNCIA

Vida e morte, morte e vida

No mesmo espaço, no mesmo cacho

Coexistência…

Fases de um viver, circularidade do existir

Por que tanta resistência em aceitar um partir?

Doloroso, fere fundo

A saudade que fica é paradoxal

Alimenta a ausência, machuca

Mas da vida é prova cabal

Quero a vida que há mesmo na morte

Aquela que nos deixa mais forte

E confiantes num poder maior

Num porvir que justifique esse existir

Saudade…

De tudo que partiu

De tudo que morreu em mim

Para mim

Saudade…

Um dia nos encontraremos

Em qualquer lugar, noutro plano

E, enfim, entenderemos…

Alda M S Santos

Escalando

ESCALANDO

Um galho de cada vez, se estica

Faz força, gira, apoia o pé

Dependura-se mais em cima

E escala a árvore como chimpanzé

Parece criança, dizem, é muita sapequice

Se tá difícil pede ajuda, insiste

E vai subindo, pura meninice

Senta, lá em cima nada é triste

Plantou aquela árvore, boa sensação

Regou, cuidou, viu crescer, não foi em vão

Agora é acolhida em seus galhos, seu coração

Em cima é encanto, embaixo é paraíso

Sombra que refresca, que acalma

E diverte-se na gangorra que traz leveza à alma

Alda M S Santos

Santos?

SANTOS?

Para quem neles crê, hoje é o dia deles

Todos os santos e mártires, conhecidos ou não

Quantos haverão por aí escondidos

Aos quais podemos em pedido estender a mão?

Famosos ou anônimos, não importa, se santos, entenderão

Certamente as dores e angústias do coração

Nossos silêncios, nossos pedidos calados

As lágrimas engolidas e os choros represados

Sabem de quantas lutas se faz uma vitória

De quantas quedas é preciso levantar com energia

E quantos sorrisos valem uma alegria…

Mesmo quando desanimaram, a fé foi sua companheira

Santos? Talvez nem saibam disso! São luz!

A eles humildemente clamamos por força nessa vida passageira…

Alda M S Santos

Quem de mim irá cuidar?

QUEM DE MIM IRÁ CUIDAR?

Mexo para lá, mexo para cá

Cuido de um, cuido do outro

Entre tantas mexidas e cuidados

Fico a pensar: quem de mim um dia irá cuidar?

Não há como saber quem poderá a mim se dedicar

A vida é apenas um constante esperar

Enquanto só posso imaginar

Faço o que me cabe: de mim mesma vou cuidar

Enquanto a pergunta persiste e angustia

Melhor ir seguindo sendo energia

Buscando no viver essa doce magia …

Bom é que aprendendo do outro cuidar

Vou assimilando que a vida é doação

Na hora certa, Deus me mandará anjos cheios de compaixão….

Alda M S Santos

Feitiço

FEITIÇO

Chega suavemente, olhar profundo

Um toque das mãos, um abraço apertado

Daqueles nas pontas dos pés que fazem esquecer o mundo

E tudo além daquele momento fica de lado

Uma palavra sussurrada ao ouvido

Acompanhada de um doce beijinho de arrepiar

Um movimento leve, insistente, todo atrevido

Um giro suave sob a luz do luar

Uma dança linda ali se inicia

Onde roupa é dispensável

Em meio a toda essa magia

Tudo o mais, além deles, é descartável

Não precisa de um grande caldeirão

Tampouco de qualquer outra poção

É o amor o mais antigo feitiço do mundo

Do qual a natureza é apenas pano de fundo

Esse feitiço só precisa de uma bruxinha, um mago

Só precisa de mim e de você…

Alda M S Santos

Poderes mágicos

PODERES MÁGICOS

Hoje é dia de feitiço, dia de magia

Quem sabe se eu fizer um esforço

Não atiço aquela bela fantasia

E transformo nossa vida num alegre alvoroço?

Será que basta um pensamento

Ou precisa de uma frase de efeito

Uma oração, uma prece, mais envolvimento

Para que todo desejo seja satisfeito?

Poderes de fada, de bruxa, de mulher

Basta mexer o caldeirão com uma grande colher

Ou um olhar de amor e já tem tudo que se quer?

Alda M S Santos

Halloween

Toda bruxa que se preze tem um gato preto!

Estou quase pronta… Vamos?

SARAU DIA DAS BRUXAS: DOÇURAS OU TRAVESSURAS? GRUPO DE POESIAS BANHOS DE LUA

As 18 horas até as 21 horas

Uma fada, uma bruxa

UMA FADA, UMA BRUXA

Duas faces da mesma pessoa

Duas fases da mesma mulher

Uma fada ou uma bruxa

Cada qual conquista a que puder

Amor e carinho despertam a fadinha

Também a ternura, doçura, bom coração

Já uma certa malícia, rebeldia, boa briga, olhar de sedução

Acordam a bruxinha, muita emoção

Todas carregamos ambas em nós

Fadinha ou bruxinha, tanto faz

Com nossa varinha ou vassoura seguimos

Numa vida intensa de magia, amor e paz…

Alda M S Santos

Bruxinha bonitinha

BRUXINHA BONITINHA

Bruxinha bonitinha, que podes fazer por mim

Um feitiço que não seja tão ruim

Talvez um passeio sob a lua na sua vassoura de capim?

Bruxinha bonitinha, que tal me fazer um favor

Sei que já não preferes o terror

Podes preparar pra mim, então, um pouquinho de amor?

Bruxinha bonitinha, que há em seu caldeirão

Língua de sapo, patas de aranha, rugidos de leão

Que tal botar algo doce que torne o mundo mais irmão?

Bruxinha bonitinha, sela comigo um acordo, me dê sua mão

Você me ajuda a salvar o mundo

E eu te dou meu coração…

Alda M S Santos

Brincadeiras à parte

BRINCADEIRAS À PARTE

Dia das bruxas, halloween,

Doçuras ou travessuras…

Tudo uma brincadeira!

Mas que dá vontade de ser capaz de fazer poções mágicas

Não de caldeirão, mas de coração

Que nos torne mais aptos numa “colherada”

Num abracadabra, numa oração

Ser capazes de trocar o amargo pelo doce

A dor pela alegria

Saudade por reencontro

Egoísmo por solidariedade

Medo por coragem

Lágrimas por sorrisos

Tristeza por amor…

Em nós, nos outros!

Quem não queria?

E não precisa de bruxices

Basta humanidade a fundo

Em doses diárias e profundas…

Alda M S Santos

Busco

BUSCO

Busco lá fora algo que não encontro aqui dentro

Olho para o céu, inspiro o ar puro

Recebo a luz que vem do alto

E ela vem iluminando devagar cada canto escuro

Busco inspiração, conexão, energia

Tento encontrar no outro tão perto ou nem tanto

Um pouco de empatia, sinergia

Que me abra o sorriso e me cesse o pranto

Busco na natureza, nos seres da criação

Um complemento para minhas falhas

Algo imperioso, que me permita evolução

Busco nos amigos, nos meus “iguais”

O amor, a sintonia, a perfeita harmonia

Que nos faça ser mais irmãos, universais…

Alda M S Santos

SARAU

SARAU BANHOS DE LUA

🎃 👻 Abasteçam suas vassouras, preparem suas vestes e chapéus, lustrem os caldeirões e não se esqueçam do livro de receitas. A convenção das bruxas e magos será no DIA 31/10 em mais um SARAU BANHOS DE LUA. 18 às 21 horas

Venha conosco partilhar doçuras e travessuras em poemas.🧙‍♀️🧙‍♀️

Não tem explicação

NÃO TEM EXPLICAÇÃO

Não adianta questionar

Não tem explicação

Sequer posso argumentar

Sei apenas que é paixão

Relação intensa, muito especial

Com fenômenos naturais até parece anormal

Chuva, vendaval, temporal

É um encanto atemporal

Rios, lagos, mares, cachoeiras, natureza

Flores, bichos, matas, árvores, é muita grandeza

Não dá para resistir a tanta beleza

Posso dizer que sinto-me parte

De tudo isso que a mim fascina

E fazer parte já é algo que me ilumina…

Alda M S Santos

Aqueles dias

AQUELES DIAS

Aqueles dias em que ela sequer quer levantar

A luz do Sol passa pela janela, invasora

Os pássaros já cantam lá fora

Indiferentes ao que se passa dentro dela

Sonhos estranhos, medos, desejo de proteção

Movimento de gente cuja vida já começou

Seguindo a marcha…

Por que, às vezes, é tão difícil tocar em frente?

Não é preguiça, não é desânimo

É uma angústia estranha, que aperta

Ficar deitada até esse sentimento passar

Ou levantar e a vida enfrentar?

O portão se abre, um carro sai

Uma oração, ela espreguiça como uma gata

Se estica toda na frente do espelho

Tem saúde, tem um caminho pela frente

Sorri, levanta, a vida segue

Eram só pesadelos…

Não é o fim, ela pensa e vai enfrentar os medos

Seguindo a marcha, a própria marcha

“Tocando em frente”…

Alda M S Santos

Nublado

NUBLADO

O Sol se cobriu, virou pro canto, escondeu seu rosto

Não quer amanhecer, tampouco aparecer

Hoje não estará brilhando em seu posto

Precisa de descanso, se recolher

Nuvens escuras são seu denso cobertor

Recolhido em si tudo está nublado

Ele necessita sossego, por favor

Não adianta insistir, não está animado

Talvez sua reflexão gere lágrimas, doa

E venha a chuva para tudo lavar

Talvez um vento assopre pra longe, devagar

E com um lindo sorriso amarelo abra o véu

E como fogo caloroso volte a brilhar no céu…

Alda M S Santos

É preciso viver

É PRECISO VIVER!

Construir um caminho

E não seguir sozinho

Ainda que sair do ninho

Não seja tão bom, passarinho

É preciso viver!

Não dá pra ser o próprio algoz

Nesse viver, às vezes, atroz

É como ser rio sem foz

Um desejo calado, um amor sem voz

É preciso viver!

Afrouxar os muitos nós

Fazer amor, apertar os abraços

Transformar “eu” em “nós”

Derreter nos amassos, criar eternos laços

É preciso viver!

Alda M S Santos

Caos, cais

CAOS, CAIS

Ventos, granizo

Tempestade, ondas gigantes

Nosso barco está frágil, vai tombar

Nossa vida prestes a perecer

A coragem começa a se esvair

Chacoalha tudo, quebra, desmonta

Caos…

Mas tudo passa, estamos alquebrados

Ainda assim, levantamos mais fortes

Buscamos abrigo

Ressaca, calmaria

Reconstrução, esperança

Cais…

Do caos ao cais

Nem tanto num

Nem tanto noutro

A vida vai acontecendo…

Alda M S Santos

Desfocando

DESFOCANDO

Quisera ter esse poder

De desfocar sem perder

A alegria e prazer de viver

Se machuca, maltrata

Irrita, desrespeita ou ameaça

Desfoca!

Se tira a paz, o sossego

Se nada acrescenta, se o bem afugenta

Desfoca!

Se o amor não enaltece

Se a amizade não prevalece

Se apenas nos aborrece

Desfoca!

Olhe novamente, seja resiliente

Balance ao sabor da corrente

E foque naquilo que é luz!

Desfoca!

E foca apenas no que for por amor…

Alda M S Santos

Desavenças

DESAVENÇAS

Uma pequena desavença, um dormir de mal

Um levantar de voz, um pouco caso, uma briga banal

Cenas de ciúmes, decepções

Indiferenças, chateações

São humanos aprendendo a conviver

A se relacionar, a ceder, argumentar, crescer

Onde há amor e respeito tudo isso é superado

Beijos, juras de amor, dormir de conchinha e isso fica de lado

Mas quando as desavenças são constantes

Agressões verbais, físicas, rompantes

Estar junto já não é prazeroso

Sonhar juntos já não é mais gostoso

Os desgostos crescem, o medo impera

O tanto faz já é a lei, nada supera

O amor adoeceu, precisa de aliados da emoção

É necessário respeito, cuidado, admiração, paixão

Quando o fio do amor se rompe, se parte

Não é bonito, não é arte

Egos feridos, amor bandido

E, tantas vezes, leva vidas consigo…

Amor é pra fazer sorrir, para dar prazer, se emocionar

Talvez até um pouco fazer chorar

Mas amor não pode só doer, só decepcionar

Amor melhor não é aquele que suporta tudo, mas nos faz voar!

TARDE DE POESIAS: TEMA DESAVENÇAS

Alda M S Santos

Quase nada sabemos

QUASE NADA SABEMOS

O que se passa com quem se fecha no quarto

Com quem se esconde atrás de um sorriso

De atitudes que atraem ou afastam

Ou atrás de um comportamento diferente ou “antinatural”

Quase nada sabemos …

Todo excesso carrega em si uma falta

Se nos déssemos ao trabalho de investigar

Se tivéssemos habilidade para apurar, ajudar, sem julgar

Talvez não existissem tantas faltas

Quase nada sabemos…

Tantos mundos fechados nos quartos, claros ou escuros

Nos sorrisos, nos falsos abrigos

Quase nada sabemos…

Alda M S Santos

Trocas

TROCAS

As vezes queremos fazer umas trocas

Daquelas que não contam o valor financeiro

Fecham em nós algumas brocas

E geram o prazer de nos sentir inteiros

Alguém troca?

Um sol quente no ar condicionado por um banho de cachoeira

Uma balada entre luzes por um vinho em volta de uma fogueira

Um restaurante sofisticado por uma pipoca na praça

Uma saudade que machuca por alguém que nos abraça

Alguém troca?

Uma conta bancária por um trabalho prazeroso

Um banho de sais por um mergulho no rio gostoso

Um passeio de volta ao mundo

Por alguém que te faça se sentir o próprio mundo…

Alguém troca?

O valor das coisas está no prazer que nos proporcionam

Na capacidade de nos tornar especiais

Entre tantos outros iguais…

Alguém troca?

Alda M S Santos

Tem poder

TEM PODER

Mais que força, tem poder

Mais que animação, tem energia

Mais que luz, tem brilho

Mais que truques, tem magia

Move montanhas, alcança as estrelas

Seca lágrimas, abre sorrisos

Abraça apertado, grita calado

Destrói barreiras, atravessa fronteiras

Despe-se sem pudor, o corpo, a alma

Banha-se na cachoeira, se aquece numa fogueira

Pensa morrer de dor, de saudades,

Mas vive cultivando sorrisos, bondades

Sonha alto, se banha na lua, brinca de viver

Dá um olé no tempo, que insiste em correr

Abre caminhos, segue até sozinho

Mas prefere ter você para fazer acontecer…

Mais que força, tem poder

É o amor…

Alda M S Santos

Vida desperdiçada

VIDA DESPERDIÇADA

Quantas lágrimas serão derramadas

Até nada haver mais para chorar?

Quantas quedas serão necessárias

Até cair de vez e não mais levantar?

Quantos medos irão nos consumir

Até a coragem os mandar sumir?

Quantos amores irão naufragar

Até desaparecer o desejo de nesse barco navegar?

Quanta luz está sendo apagada

Por palavras tão duras, tão mal faladas?

Quantas pessoas estão se perdendo

Por falta de carinho, envelhecendo?

Quantos sorrisos e quanto amor desperdiçado

Num viver tão assim questionado?

Quanta vida está sendo perdida

Com tantas lutas, tanta briga?

Não perca tempo!

Enquanto houver vida

Simplesmente, viva!

Alda M S Santos

Na cachoeira, ao luar…

NA CACHOEIRA, AO LUAR…

Um dia ela acordou sem acordar, sabe como é, estava noutro mundo.

Andava nas trilhas da mata, pé ante pé. Ia em direção ao som que ouvia.

Era um som mágico. Não sabia se os outros também ouviam.

Não importava!

Ela só queria ir em direção à cachoeira. Seguia assim, toda faceira!

Buscava proteção!

Parecia ouvir passos indo na mesma direção, mas não via ninguém. Apenas sentia!

Sentia que alguém a seguia, mas nada temia. Era uma boa vibração, tal qual a que vinha da cachoeira e de seu coração.

Era noite ainda, o intenso luar iluminava o caminho.

Chegou à cachoeira, maravilhosa!

Sem sequer se despir, nela entrou. Lavou tudo, deixou lágrimas rolarem, lavou a alma…

Sua veste branca parecia uma segunda pele, grudada.

Foi atraída por uma força incomum.

E lá estava ele. Olhar profundo, doce, pidão!

Não teve medo, lentamente foi se aproximando…

E a ele estendeu a mão, os lábios, o corpo, a alma, o coração…

E toda a sua vida…

Alda M S Santos

Mais no meu blog vidaintensavida.com

#flalfestival 2019

Miniconto- palavra “proteção”

Sedução

SEDUÇÃO

Um toque de sedução

Leve, irresistível, puro

Nos envolve em emoção

Seja na luz ou na escuridão

Como um sonho, vem suave

Aos poucos, devagarzinho

Nos abraça, nos acolhe

Nos aquece de mansinho

Logo é torrente, sensação

Como onda fria, intensa vibração

Nos encanta, nos invade

Forte, prazerosa, sem maldade

Pura sedução em forma de natureza

É vida, é prazer, é grandeza!

Entregue-se!

Alda M S Santos

Identidade

IDENTIDADE

Quando a identidade está meio confusa

Não nos enxergamos, está desfocada

Perdemos a essência daquilo que somos

Bons amigos nos trazem de volta, dão uma animada

Sem pedir, nos relembram aquilo que fomos, que somos

Nos devolvem a luz do que nos é essencial

Fazem-nos ver sob o olhar do amor

Aquilo que deixamos se perder no corriqueiro, no trivial

Nada melhor que quem conosco conviveu

De nós trabalho, alegria e amor recebeu

Para nos fazer crer que ainda existimos

Que pelas dificuldades não nos consumimos

O outro é o espelho amigo que reflete o melhor de nós

Quando precisamos reativar nossa identidade

Ser para nós mesmos mais amor, mais bondade!

Alda M S Santos

Mantra

MANTRA

Ser e fazer feliz- esse é meu mantra

Não dá para desligar, separar um do outro

Assim a vida não nos desencanta…

Fazer do trabalho um lazer

Do dia a dia sempre algo novo por fazer

Dos amigos uma vida de prazer…

Olhar bem, compreender, perdoar, aceitar

Não precisa ter pressa, ir devagar

Fazer do nosso espaço um bom lugar…

Meu mantra é sempre amar

Ser sorriso, carinho, abrigo

Mesmo se a vida doer, fraquejar

Não sofrer ou oferecer perigo…

Meu mantra é amar enquanto a vida por aqui durar…

Alda M S Santos

O que me toca fundo

O QUE ME TOCA FUNDO

O que me toca mais fundo?

A sinfonia de pássaros numa árvore na janela

O desabrochar de um botão de rosa

O som suave no leito de um rio

A força torrencial das águas de uma cachoeira

O constante vai-e-vem das ondas do mar

Uma canção feita de versos singelos

Uma valsa dançada por um par em sincronia

O sorriso puro de uma criança

Uma mãe que amamenta seu filho

Um jovem de joelhos a rezar

O abraço de um casal apaixonado

A saudade nos olhos de um idoso que sofre abandonado pela vida

A bondade no coração de quem se doa?

Não sei…

São muitas as coisas tristes na vida,

Mas são tantas as coisas tocantes e lindas,

Que por elas vale um esforço para viver!

Alda M S Santos

Poetar

POETAR

A habilidade de os sentidos apurar

Acionar até o sexto sentido

Nada perder, tudo captar no ar

Até o que parece falido

Ter um novo olhar, mais atento

Ativar olfato, audição, aguda percepção

Ter em si mesmo novo alento

Potencializar ainda mais a intuição

Entraves enxergar, parcerias buscar

Não querer sozinho caminhar

Será que isso é poetar?

O poeta Estevam disse que poetar é

“Transmitir angelicais inspirações”

Vou mais além: é receber, processar e repartir sensações…

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: