Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Categoria

balanço da vida

Matemática da vida

MATEMÁTICA DA VIDA

A matemática da vida nem sempre é exata
Muitas incógnitas permanecem desconhecidas
Nem todo problema tem uma solução
Não dá para resolver toda equação

Nem toda adição gera ganho real
A subtração tantas vezes parece mais natural
Para multiplicar é preciso primeiro bem dividir
Para não zerar,  desanimar ou desistir

Regra de três no amor não funciona
Um mais um que é a verdadeira soma
Mas a capacidade do coração é incalculável
E o valor de X é muito variável

Mas não se preocupe com isso, não 
Se um problema não se resolve com a razão
Na matemática do viver use a emoção
Quase sempre ela dita a melhor solução

Alda M S Santos

Mergulhos

MERGULHOS

Mergulhar em nossas águas turvas
Adentrar espaços de escuridão
Alcançar o fundo de nossas angústias
É um modo de encontrar absolvição

Seres em constante evolução
Precisamos do que vem lá de fora
Aquilo que movimenta nosso interior
Nos atiça, anima, impulsiona, revigora

O outro aciona nossa fonte de energia
Aquilo que traz para nós o caos
De onde irá brotar a rosa da sabedoria

Conhecer o outro é necessário, importante
Também interessante saber o que se passa no exterior
Mas nada se compara a desvendar nosso próprio interior

Alda M S Santos

O que me move?

O QUE ME MOVE?

O que me move, que não me deixa estacionar
Que me leva para outros lugares, me faz caminhar
O que me move, me faz estrelas alcançar
E num céu de anil poder voar?

O que me move, me embaralha a visão
Que faz bater mais forte o coração
O que me move, me acorda nos sonhos
Em busca de sua realização?

O que me move em direção ao infinito
Que me faz crer num mundo mais bonito
O que me move me instiga a crescer
Enfrentando a dor e o padecer?

O que me move é aquilo que me dá prazer
Que me faz ser mais gente
Gente que gosta de gente
Que quer ser feliz, fazendo mais gente contente

Alda M S Santos

No meio do caminho

NO MEIO DO CAMINHO

No meio do caminho
Tinha buracos, tinha espinhos
Tinha amigos, tinha amores
Tinha poeira, tinha carinhos
E tinha você…

No meio do caminho
Tinha pedras, tinha árvores
Tinha rampas, tinha escadas
Tinha trabalho, tinha preguiça
E tinha você …

No meio do caminho
Tinha aviso, tinha perigo
Tinha desamparo, tinha abrigo
Tinha gritos, tinha silêncio
E tinha você …

No meio do caminho
Tinha sol, tinha chuva
Tinha luz, tinha escuridão
Tinha desânimo, tinha perseverança
E tinha você…

No meio do caminho
Tinha dor, tinha ansiedade
Tinha sorrisos, tinha lágrimas
Tinha medos, tinha afinidade
E tinha você…

Mas no meio do caminho
Tinha o mundo todo perfeito
De belas escolhas recheado
Da saudade acompanhado
Mas era insignificante, pois não tinha você!

Qualquer caminho só será bonito
Se tiver você!
Valorize-se!

Alda M S Santos

Na vida da gente

NA VIDA DA GENTE

Há gente de todo tipo na vida da gente

Gente com quem a gente ri, pura amizade
Gente com quem a gente briga, pura falsidade
Gente que a gente quer distante, falta reciprocidade
Gente que nos põe para baixo, pura maldade

Há gente de todo tipo na vida da gente

Gente que nos instiga a superar e afastar o pranto
Gente que nos abraça com o olhar, puro encanto
Gente que foi embora, por desencanto
Gente que veio para ficar, se fazendo nosso recanto

Há gente de todo tipo na vida da gente

Gente com quem a gente faz amor, pura sensualidade
Gente que está longe da gente, muita saudade
Gente que nos ama desse jeitinho, pura intimidade
Gente que faz melhor a vida da gente, pura felicidade…

Com tanta gente na vida da gente
Será que ainda falta mais gente?

Há gente de todo tipo na vida da gente…

Alda M S Santos

A cor da solidão

A COR DA SOLIDÃO

Solidão tem cor, tem cheiro, sabor
Solidão tem até som, talvez de cachoeira
E não é sempre cinza, pode até ser prata
Tampouco é silêncio total, às vezes é musical

A solidão tem a cor que a gente pinta
O cheiro que a gente guarda
O som que toca dentro da gente
Solidão é estado de espera

Solidão pode até ser barulhenta
Tocar uma música suave
Pode ter cheiro de saudade
E ser da cor verde ou magenta

Solidão é a vida que não desistiu
Que não quer mais tanta gente
Fica com quem quis, persistiu
Que resolveu morar mais dentro da gente…

A cor da solidão é a cor que nosso amor-próprio pinta…

Alda M S Santos

Acenda sua luz

ACENDA SUA LUZ


Se o caminho tem muitos pontos escuros
Seus planos estão cheios de furos
Há poucas pontes, muitos muros

Acenda sua luz!

Se a tristeza quer tomar conta
Tanto pesadelo que amedronta
Ser feliz ja é quase uma afronta

Acenda sua luz!

Se lá fora está muito nublado
Não se vislumbra um dia ensolarado
Querem te tornar desanimado

Acenda sua luz!

Alda M S Santos

Temos pressa

TEMOS PRESSA

O tempo voa, a vida passa
E ficamos a esperar na janela
Por aquilo que de nós não sai
Ainda que pareça balela

Temos pressa…

Nem tudo o que a gente quer
Chega na velocidade desejada
Mesmo sabendo que o mais valioso
Chegará só na hora apropriada

Temos pressa…

A paciência é uma virtude
Que precisa ser bem dosada
Porque se confundida com inércia
Não nos ajuda em nada

Temos pressa…

Cansados de ver ir embora
Tantos sonhos que viraram pó
Queremos aproveitar melhor agora
Para não terminar a vida só…

Temos pressa…

Alda M S Santos

Deixa rolar

DEIXA ROLAR

Não se perturbe tanto
Com aquilo que atormenta
Machuca, fere
Deixa rolar
Logo vai passar…

Não se vanglorie tanto
Com aquilo que é bonito
Encanta, alegra
Deixa rolar
Isso também vai passar…

Não se torture tanto
Com aquilo que parece não ter fim
O bom, o mau, o saudoso
Deixa rolar
Logo irá passar…

Entre começos e fins
Angústias e recomeços
A vida segue infinita
Deixa rolar
Ela sempre irá para onde tem esperança e gente bonita…

Deixa rolar…

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: