Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Tag

Vida

Eu queria

EU QUERIA
Eu queria poder entender os gritos silenciados
Aquela dor profunda escondida nos olhos alagados
Eu queria ter uma palavra capaz de curar a dor
Envolver o sofrimento num abraço de puro calor
Eu queria não me entristecer tanto com o mal
Saber que ele tem suas razões de ser
E procurar com suas linhas bordar
Um jardim encantado para se viver
Eu queria ser capaz de amar a todos igualmente
Saber que nem todos têm a mesma oportunidade
Não souberam plantar boa semente
Eu queria ser nesse mundo confuso, a esperança
Nunca, nunca desistir, persistir
Aquela que após tantas andanças
Trilhas sem saída e caminhos mal iluminados
Não desanima, segue nessa dança
E ainda quer ser companhia aos abandonados
Eu queria ser apenas um ser abençoado
Que por aqui caminha até ser chamado para o outro lado…
Alda M S Santos

Vai passar

VAI PASSAR
A dor vai passar
O medo vai embora
Ficarão por aqui
O amor, a luz, a poesia
Numa Terra renovada
Onde reinará a alegria
Acreditemos!
Alda M S Santos

O que é importante

O QUE É IMPORTANTE

Ela disse que tudo vai passar
Não sem antes muito nos ensinar
Que há um propósito em tudo
Ainda que o mundo pareça mais carrancudo

A fadinha com sua capacidade de voar
Com o corações das pessoas conversar
Ir a todos os cantos com seu encanto
Aos pouquinhos acalmando a dor e o pranto

Há um grande propósito de reaproximação
Mesmo que pareça afastar e desunir
O que se objetiva é perdão e união

A fadinha quer mostrar o valor da simplicidade
Da atenção, do carinho, dos abraços
Volte-se para o que é importante, aperte os laços

Alda M S Santos

Brilho

BRILHO
Buscamos o brilho das estrelas
Queremos a beleza e encanto da Lua
Almejamos um céu azul e ensolarado
Ou um destino de sombra e água fresca
Mas nem sempre o caminho até eles é brilhante
Ou a trilha sob nossos pés é plana
Tantas vezes teremos estradas esburacadas
Não haverá flores, perfume, brilho ou companhia
Mas não podemos desistir
É preciso persistir, insistir
E saber aproveitar quando houver luz sob nossos pés
Para seguir adiante, acreditando que tudo é possível
E que a roda da vida gira
Ora luz, ora escuridão
Ora companhia, ora solidão
Mas vale manter o brilho
Dentro de nós, sob nós…
Em frente! Enfrente!
Alda M S Santos

Jogo

JOGO

No jogo da vida somos peças
A avançar, recuar, sempre sendo movidos
Não dá para parar, bobear
Sob pena de sermos engolidos

As apostas são feitas na grande mesa
Lances altos, dinheiro circula, a roleta gira
Saber as fichas de que dispomos é importante
Caso contrário a gente enlouquece, pira

Bom mesmo é ser o dono das próprias cartas
Comprar, vender, saber do que se desfazer
Aproveitar o que se apresentar, apostas fazer

Nesse grande cassino que se torna nosso viver
O jogo prioriza a máquina, é preciso saber
Para que possamos mais ganhar que perder

Alda M S Santos

Sem borracha

SEM BORRACHA

Viver é escrever à caneta, desenhar sem borracha
É precisar aproveitar cada linha escrita, cada traço feito
E nessa louca procura, em que o que se quer nem sempre se acha
Precisamos transformar dor em versos, disfarçar o que é tido como defeito

Para cada flor desenha-se um beija-flor
Para cada lágrima que cai uma rosa a sugar e reaproveitar sua dor
Para cada risco incerto desse desenho, às vezes sem cor
Tentamos fazer um grande e colorido mosaico furta-cor

Viver é pintar com verde-mata, vermelho-sangue ou branco- neve
Mas não dispensar o preto retinto ou o amarelo-girassol
É entender que nessa mistura é que se faz o que é eterno ou o que é breve
É saber dia ou noite, ser lua, céu, mar, estrela ou sol

Viver é desenhar sem borracha, é não descartar o borrão
É fazer uma obra-prima digna do Mestre, original
Ter sempre o olhar do artista, valorizar toda a emoção
É acreditar que a arte da vida sempre tem um tom divinal…

Alda M S Santos

Faça

FAÇA

Faça aquilo que te dá vontade
Faça aquilo que tem que ser feito
Faça com fé e coragem
Mas nunca faça de qualquer jeito

Faça com amor, com carinho
Faça acompanhado, faça sozinho
Com cuidado para não bagunçar
E não conseguir mais endireitar

Faça com pressa, faça devagarinho
Faça como beija- flor, com jeitinho
Faça sempre, nada deixe pelo caminho

Haja luz ou escuridão, indiferença ou emoção
Faça sol ou faça chuva, frio ou calor
Faça da vida um lugar de mais amor

Alda M S Santos

Infinito

INFINITO

Quero o infinito e seus mistérios
A (im)possibilidade que atormenta
O desconhecer que não acalenta
Quero o mundo e seus refrigérios

Quero um amor infinito, maduro
Mas não um amor qualquer
Que seja verdadeiro, puro
Intenso, cheio de bem-me-quer

Quero esquecer que a vida é finita
Quero-a infinita, sempre bonita
Não vou desistir, não insista

Quero no infinito mergulhar
Me perder, me achar, me reencontrar
Fazer esse mundo louco girar

Alda M S SANTOS

Borboleta voou

BORBOLETA VOOU

Uma borboleta, linda, suave
Colorida, leve, encantadora
Passou por duras e incompreensíveis penas
Lagarta, casulo, criou asas
Borboleteou por aqui, incansável
Voou amou, flores tocou
Intensa, semeou vida, polinizou
Viveu sua metamorfose, aceitou
Lutou suas batalhas, recuou, avançou
Pediu trégua, venceu…
Ao Criador sempre agradeceu
Enfim, pousou…
Mas toda borboleta sabe que há fases
Logo estará voando do lado de lá
Borboleta tão bela assim de lá irá tudo aqui enfeitar
Saudades imensas no coração deixou
Mas os lugares que aqui voou, pousou, enfeitou
Nunca deixará de estar…
Seu brilho intenso, perfume delicado de flor
Será para todos que ficaram
A prova irrefutável de um grande amor
Vá com Deus, Borboleta
Outras flores precisam de ti…

Alda M S Santos

Sem fronteiras

SEM FRONTEIRAS

Quisera romper toda e qualquer fronteira
Subir, escalar, derrubar, contornar
Não deixar que me limitem, não dar bobeira
Um multiverso de possibilidades a explorar

Quisera romper toda e qualquer fronteira
As impostas pelo medo, pela razão ou religião
Atravessar qualquer ponte ou trincheira
Para apenas poder ouvir as batidas do coração

Quisera romper toda e qualquer fronteira
Deixar a vida se impor, abrir a porteira
Ser nesse espaço livre a pioneira

Quisera romper toda e qualquer fronteira
Sendo alegre, sem culpas, faceira
Em busca de uma vida completa, mais inteira

Alda M S Santos

Tá no ar

TÁ NO AR

Não precisa ir muito longe, não há mistério
Tudo que precisa saber está ali, é sério
Basta um olhar atento, aguçar a percepção
Inspirar, expirar, pra captar no ar toda a emoção

Se quer algo direto é só as palavras ouvir
Mas cuidado, com elas é fácil fingir
Mas se quer algo verdadeiro busque o olhar
Ali poderá ver opacidade ou sua luz brilhar

Há profundidade na essência, ela não é superficial
É o que temos de autêntico, belo, bem natural
E quando atiçada causa até mesmo um vendaval

Mas se quer mesmo alguém desvendar
Veja as atitudes, o sorriso, inspire, tá no ar
Perfumada como rosa, linda e clara como a luz do luar

Alda M S Santos

Transbordar

TRANSBORDAR

Transbordar, ir além das bordas
Ultrapassar limites, extravasar
Tudo aquilo que não cabe, transborda
O fluxo intenso do rio transborda nas vias
As lágrimas são escape das tristezas, agonias
O sorriso largo é por onde escapolem as alegrias
Mas o amor quando não tem cabimento
Usa várias maneiras de transbordamento
O abraço doce, longo e terno
Mãos que se dão, se medem
Olhares que se buscam, se entendem
Silêncios cúmplices e sem constrangimento
Harmonia, sintonia, entendimento
Corpos que se desejam no amor
Almas nuas, em paz, sem pudor
São sinais do amor sem cabimento
Sao sintomas do amor, transbordamento de sentimento
Aquilo que não extravasa, na natureza ou na gente, causa sofrimento…

Alda M S Santos

Quero um tempo

QUERO UM TEMPO

Hoje não dá pra brincar
Peito apertado, coração angustiado
Medos, dores, inseguranças e incertezas
Quero um tempo …

Hoje não dá pra sonhar
Mente confusa, corpo cansado
Vontade de ir para um canto, chorar
Parar, voltar, redirecionar, que fazer?
Quero um tempo…

Hoje não dá para sorrir, avançar
Preciso de um tempo com o Criador
Como um técnico com seu time de jogadores
Ouvir orientações, puxões de orelha, dicas
Erros, acertos, um estímulo, um crédito, esperança

Talvez até ir pro banco, dar um tempo…

Hoje não dá! Quero um tempo!
Preciso… para seguir sem desfalecer
Para talvez mais tarde vencer…

Alda M S Santos

Dalia

DALIA

Vermelho vibrante, linda, chamativa
A Dalia assim enfeita jardins
Quem a vê assim tão bela
Não imagina que boa parte do ano
Concentra sua força só na raiz
Parece morrer para o mundo
Mas na época certa brota em linda flor
E encanta todos onde estiver
Nunca devemos menosprezar nossos momentos raiz
Aqueles que parecemos morrer para todos
Se houver fé, esperança, sabedoria na dor
Cuidarmos de nosso interior como flor
Logo seremos beleza, força, luz, resplendor…

Alda M S Santos

Haverá tempo?

HAVERÁ TEMPO?
Tantas vezes a vida parece tão curta
Parece debochar da ingenuidade da gente
Atiça o desejo, mostra algumas lindas possibilidades
Mas que não estão ao alcance da nossa vontade
Inacessíveis, inexploráveis, impossíveis, inexplicáveis
Por inúmeros e variados motivos
Não teremos tempo…
Será que haveria tempo para conhecermos
Todos os lindos lugares por aí
Para fazermos tantas maravilhosas amizades
Para amarmos a todos sem vaidade
Para sermos a diferença para alguém nesse mundo gigante
Mas ao mesmo tempo tão pequeno?
Será que há tempo para explorar tudo por aí
Como criança curiosa e sedenta de vida
Será que haverá tempo para a autoexploracão?
Somos tão extensos e lindos como tudo que há
Uma miniatura complexa desse mundão vasto
Talvez a resposta irônica para essa questão seja:
Nada há lá fora que você não possa encontrar primeiro em si mesmo
Ame-se, explore-se, conheça-se, divirta-se consigo mesmo
E tudo o mais será lindo complemento
E o tempo será apenas… o tempo…
Alda M S Santos

Ponta-cabeça

PONTA-CABEÇA 
A vida gosta de nos virar de todos os modos 
Joga para cima, para baixo, para todos os lados 
Até nos deixar de ponta-cabeça 
Para aprendermos a nos levantar 
Descobrir o melhor modo de nos ajeitar nesse lugar 
A vida, muitas vezes, parece ter prazer em nos sacudir
Balançar para despertar, não nos deixar sucumbir
É seu jeito nem sempre doce 
De nos fazer seguir em frente e agir 
A vida não é boa quando estagnada
Melhor cachoeira que água parada 
Quando sentir que está muito quieto 
Levante, ande,  ajude alguém, estenda a mão 
O amor tem o dom de movimentar e estremecer esse chão…
Alda M S Santos 

Ele me trouxe

ELE ME TROUXE

Gosto de pensar que cheguei aqui trazida pelas águas

Isso explicaria meu encanto por elas, doces ou salgadas

Quando Ele decidiu que eu deveria vir para cá

Pensou que seria para mim um bom modo de chegar

Posso passar horas nelas admirando, olhando

Curtindo, andando, amando…

É uma fantasia multicor, surreal

Por vezes parece tão distante, outras tão real

Mas é um misto de encanto, respeito, medo, ansiedade

Será que também voltarei como cheguei, será verdade?

Nos braços das águas para minha definitiva morada na eternidade?

Enquanto isso não acontece

Não importa se amanhece, entardece ou anoitece

Vou por aqui admirando toda essa beleza

Quero mesmo é fazer parte dessa natureza…

Alda M S Santos

Viciados em beleza

VICIADOS EM BELEZA

Nunca podemos nos envergonhar de nossa capacidade de nos encantar com o belo.

Ao contrário, tal habilidade de apreciação deve ser aprimorada.

Há tanto a observar!

Nossa alma precisa dessas maravilhas para se manter leve e plena!

Pode estar na natureza: paisagens diversas, rios, mares, montanhas e vales, jardins, animais…

Nos fenômenos naturais: chuvas, sol, luar, tempestades, auroras boreais, pôr do sol…

Ou simplesmente nos seres humanos…

Estes, que além da beleza física de cada um,

Nos encantam e impressionam com seus sentimentos complexos, intensos e contraditórios.

“Não há nada de mau em ser viciado em beleza. A beleza é a letra de Deus.”(Jandy Nelson).

Por isso, em momentos de tristeza, precisamos dessa “letra” de Deus a nos animar!

Alda M S Santos

Como coçar

COMO COÇAR

Há certas coisas que são como coçar

Se você começar não dá pra parar

Fazer xixi, dormir, chorar, ou gargalhar

Se começou fica difícil parar

Cada qual sabe melhor de si

Onde não dá pra se meter

Ou o viver que se pode fazer

Pois sabe bem como é difícil interromper

Para uns é comer, beber, jogar, amar

Para outros é falar, confiar, desabafar

Se for impossível parar, melhor nem começar

Bom seria fazer o que traz somente bem-querer

Mas se for impossível saber

Vá com calma, a vida vai ensinando a viver

Alda M S Santos

Mais no meu blog vidaintensavida.com

É tempo de sonhar

É TEMPO DE SONHAR

Sempre será tempo de sonhar
Por um mundo melhor, por mais gente a se amar
Por um cantinho no coração de alguém para morar
Por espaço em nós para outros abrigar
Sempre será tempo de sonhar
De viver, amar, continuar, recomeçar
Os sonhos são da vida a propulsão
Nos acalmam, nos alegram, nos tiram do chão
Sempre será tempo de sonhar
Nas asas dos anjos poder voar, nos amparar
No sorriso de uma criança encontrar a esperança
Fazer da beleza da criação nosso melhor passo de dança
Sempre é tempo de sonhar!
Alda M S Santos
Mais no meu blog vidaintensavida.com

Batam palmas

BATAM PALMAS

Numa praia cheia, vez ou outra ouvimos palmas
Vindas de todos os lados chamam a atenção
Vão aumentando gradativamente
E uma criança é suspensa nos braços de alguém
Estava perdida e logo os pais aparecem
Uma salva de palmas em comemoração…

Bom seria que a cada vez que ficássemos perdidos
Do mundo ou de nós mesmos
Alguém batesse palmas, assobiasse
Um tambor tocasse, sinal de fumaça lançasse
E quando de volta a nós mesmos fôssemos resgatados
Uma salva de palmas, um beijo, um abraço apertado
Fossem-nos dados em sinal de amor e comemoração

Tem alguém perdido por ai?
Batam palmas!

Alda M S Santos
Mais no meu blog vidaintensavida.com

Sabotagem

SABOTAGEM

Chorar quando algo machuca é normal

Mas viver cutucando a ferida é masoquismo

Ter medo daquilo que virou trauma é comum

Ficar esmiuçando o trauma em detalhes é maluquice

Errar é por demais humano

Mas ficar se auto flagelando por ter errado é desumano

Sentir saudade daquilo que não volta mais é até saudável

Mas deixar que isso impeça novo caminhar é patológico

Ter cuidado para não cometer os mesmos erros é sabedoria

Esconder-se da vida para não errar é autossabotagem…

Alda M S Santos

Sinais

SINAIS

A vida é repleta de bons momentos

Uns bem sinalizados até com holofote

Enquanto outros exigem uma certa habilidade

Uma destreza no caminhar, uma certa “maldade”para não tropeçar

Alguns têm sinais de livre passagem

Outros têm alerta de retorne, beco sem saída

Entender quando o sinal está fechado para nós

Ou quando está aberto é que nos faz evitar os nós

A vida vai dando as dicas, apresentando as pistas

Nesse jogo de várias fases, começos e finais

Viver é não desistir de encontrar esses sinais

Ou seguir com coragem e fé a despeito deles…

Alda M S Santos

Nunca é tarde!

NUNCA É TARDE

Nunca é tarde demais para preservar bom hábitos

Tampouco para novos hábitos criar…

Nunca é tarde demais para se arrepender e os erros corrigir

E um novo caminhar na vida seguir…

Nunca é tarde demais para encarar o fim como estágio vencido

E recomeçar a viver com novo sentido…

Nunca é tarde demais para ser jovem

A idade do coração e a juventude da alma é que nos movem…

Nunca é tarde para ser de verdade parte desse mundão

E aprender a viver em comunhão…

Nunca é tarde demais para reaprender a amar, ser mais

Pois, quase sempre, a vida vai embora cedo demais…

Alda M S Santos

Estrela cadente

ESTRELA CADENTE

Deitada numa rede na noite quente

Lua a brilhar, soberana, envolvente

Uma brisa suave, um céu de estrelas salpicado

Sons noturnos, pensamentos voam, embaralhados

O céu parece ora tão longe, ora tão perto

Desejo danado de ir até lá, parece tão certo

Estrelas que piscam, atraem, chamam

Encanto constante daqueles que amam

Logo risca o céu uma estrela cadente

Opa! Um pedido torna-se urgente…

Quero um mundo de gente mais gente!

Outra estrela cadente desfila para mim

Que será que ela que dizer assim?

Ame! A vida é linda, mas logo tem um fim…

Alda M S Santos

Partes de mim

PARTES DE MIM

Há partes de mim que ficaram lá atrás

Essas sei bem que não voltam mais

Boas ou ruins, agora são só lembranças

Mas construíram atalhos para minhas andanças

Há partes de mim que são apenas projetos

Estão em constante e firme construção

Sua massa são os sonhos, geram preocupação

São ainda algumas estrelas de uma grande constelação

E há as partes de mim que são a realidade

O hoje que bate à porta, se impõe, é minha verdade

É onde posso agir, mudar, optar pela bondade

Passado, presente e futuro agem em mim

Não tem jeito, sempre será assim

O que prevalecer é o que fará florir meu jardim

Alda M S Santos

Um fio invisível

UM FIO INVISÍVEL

Dizem que há um fio invisível

A ligar pessoas que por aqui irão se encontrar

E cedo ou tarde isso se tornará possível

Essas almas afins com trabalho a realizar

Esse fio, essa energia, é poderosa

Uns a percebem azul, branca ou rosa

Há quem não a veja, apenas sinta a conexão

Aquela atração que parece sem explicação

É quando dizemos que o santo bateu, afinou

Que foi amor ao primeiro toque, palavra ou olhar

Ou que não conseguimos de jeito algum nos afastar

Perceptível ou não, certo é que existe essa conexão

Que une familiares, amantes, amigos, irmãos

Fio que atrai quem deverá parear rumo à evolução

Alda M S Santos

Basta

BASTA

Não é preciso uma fé que mova montanhas

Basta uma que apazigue nosso coração

Que não nos cause medos nem se valha de artimanhas

E que seja estímulo para o amor e compaixão

Não é preciso um amigo que esteja em nós grudado

Basta um que mesmo de longe acalme nosso enfado

Que festeje conosco nossas alegrias

Ou que seja ombro acolhedor, mesmo calado

Não é preciso ter muitos bens ou dinheiro guardado

Basta não passar necessidades e poder ajudar alguém

Não é preciso energia de atleta ou um corpo “sarado”

Basta ter saúde e disposição para o trabalho no bem

Não é preciso fama ou sucesso desmedido

Basta ter alguém especial que nos conheça de verdade

Alguém que saiba ser colo, ouvidos, ser amigo

Que ouça nossa história e nos acolha, sem maldade

Não é preciso um amor sem fronteiras

Basta um que seja verdadeiro e não vá embora

Que saiba ser calor na dor

E todo o tempo um aliviante frescor

Alda M S Santos

Preciosidade pura

PRECIOSIDADE PURA

Que fazemos do nosso tempo?

Ele parece pouco, muito, sobra ou falta?

Ou veio para nós no ponto, na medida exata?

Nós o preenchemos com trabalho, descanso, lazer

Ou estamos sempre correndo em busca de mais prazer?

Que precisamos para o tempo nos satisfazer?

Dinheiro, amor, descanso, sexo, diversão

Família, passeios, amizade, simplicidade, oração

Ou apenas aquilo que deixe em paz nosso coração?

Não temos tempo para aquilo que precisamos realizar

Ou ele causa tédio, frustração, custa a passar?

Curtimos o agora ou sempre estamos pela “festa”a esperar?

Saber dividi-lo é o que melhor nos convém

Preencher bem esse presente que recebemos é arte

Não sabemos nunca quanto nos falta, qual nossa parte

Amor, solidariedade, poesia, compaixão

Descanso, amizades, diversão, oração

E logo o tempo se esvai sem dúvidas, dívidas ou senão…

Alda M S Santos

Moro num lugar

MORO NUM LUGAR

Moro num lugar simples e encantador

Nada paguei por ele, veio de graça

Tantas vezes tem brilho e cor

Talvez eu tenha pedido, merecido

Às vezes fica úmido, escuro, até meio mofado

Noutras é dia lindo, ensolarado

Mas é o que tenho de mais meu, mais concreto

A mim cabe saber cuidar, amar, estar por perto

Zelar, seja nos dias de luz ou escuridão

Nos dias em que há festa no salão

Quando fica apertado e parece não me caber

Ou quando sobra tanto espaço que não sei o que fazer

Pode ser muitas vezes uma mansão luxuosa

Noutras uma casinha simples no pé da serra

Não posso partilhar com qualquer um minha morada

Pois é casa simples, especial, até sagrada

Mas gosto de dividir com pessoas especiais

Com as quais me sinto bem, amada

O prazer de aqui morar, ser abraçada

Essa casa, meu corpo, onde minha alma fez morada

Alda M S Santos

Vida paralela

VIDA PARALELA

Vivo uma vida paralela à vida oficial

Aquela quando meu corpo repousa na madrugada

E meu espírito sai por aí numa missão especial

Não sei ainda o que ele quer nessa invernada, afinal

Faz visitas acolhedoras, anda por lugares inimagináveis

Veste-se de seres lendários, encantados

Sorri, chora, faz amor, sobe e desce trilhas incansáveis

Refaz trajetos difíceis, encontra seres amados

É uma vida paralela que o corpo que descansa desconhece

Mas a alma quer rever, refazer, ela não adormece

Ela deve saber o que faz, cuidadosa, em prece

Gostaria apenas de poder acessar mais facilmente

O que ela vive, repara, conserta na noite insolente

Talvez numa transversal a gente bata de frente, se encontre, finalmente

Alda M S Santos

Piloto automático

PILOTO AUTOMÁTICO

Deixando o barco correr, o avião plainar

A carroça ranger, a vida nos levar

Seguimos deixando o piloto automático acionado

Sem notar qualquer esforço que foi adicionado

A vida segue e nos arrasta sem piedade

O viver se impõe, tentamos manter a sanidade

O piloto automático alivia muitas vezes o cansaço

Dá uma trégua para apertarmos alguns laços

O risco de viver no automático é esquecer como se faz

Quando for necessário retomar a direção manual

Ser capaz de pegar o leme, usar o próprio potencial

Voltar a assumir o timão, direcionar as velas da vida

Implica em rever e aceitar pontos falhos dessa lida

Lembrar que somos nós os comandantes até a despedida

Alda M S Santos

Uma gota

UMA GOTA

Basta uma gota d’água para o pote transbordar

Basta uma única palavra para o pranto desabar

Basta um simples olhar para o coração apaixonar

Basta o primeiro passo para se estender o caminhar

Basta uma gota de carinho para a tristeza passar

Basta um abraço acochado para a alma sintonizar

Basta um minuto de atenção para conquistar um coração

Basta uma dose de compaixão para mudar a direção

Basta uma gota nesse mundo de tanta carência

Um tiquinho que seja de consciência

Para melhorar um pouco nossa existência

Uma gota é o bastante para fazer extrapolar

A dor, a tristeza, a alegria, o ato de amar

E podemos escolher onde queremos transbordar

Alda M S Santos

Espaço aéreo

ESPAÇO AÉREO

No céu das possibilidades é possível voar

Um voo solo ou acompanhado

Traçar planos de voo, rota

Ou simplesmente seguir despreocupado

No céu das possibilidades a vista é linda

Aquela pensada, imaginada, sonhada

Não há limites, não há medos ou sanções

O voo é pacífico, não há luta armada

Nesse espaço aéreo nunca me perco de mim

Naquela atitude tudo parece tão claro

O que quero, posso, desejo são perguntas ao mesmo sim

No céu das possibilidades voo devagar

Não há pressa, não há destino a alcançar

Largada e chegada são apenas pontos do mesmo viajar…

Alda M S Santos

Vivendo do mar

VIVENDO DO MAR

Para uns a diversão, lazer, contemplação

Para outros o trabalho, a lida, o ganha-pão

Seja no pescado em alto-mar

Ou nas atividades à beira-mar

Muitos fazem dali seu dia a dia, seu lugar

Nativos já conhecem sua impar linguagem

Quando está bravo, de ressaca, qual sua mensagem

Quando a maré vai subir ou baixar

Se vai chover ou o quanto irá ventar

Sabem direitinho até onde se pode brincar

Respeitam a natureza, de onde vem seu sustento

A pele já castigada pelo sol, são gratos a todo momento

Turistas vêm para passear, conhecer, se apaixonar

Pela cultura, encantos naturais, querem fundo mergulhar

Se gostarem certamente irão voltar

Talvez até venham a fazer dali o seu novo lar

Bom mesmo é que nativos e turistas

Saibam cuidar, amar, preservar

Esses maravilhosos encantos que a Criação veio nos presentear…

Alda M S Santos

O barco do tempo

O BARCO DO TEMPO

Tão longo, tão curto, tão fugaz

Independente de nós o barco está passando

Inertes, estacionados ou correndo atrás

O tempo vamos curtindo, significando

Queremos espichá-lo quando há prazer

Encurtá-lo quando nos faz sofrer

Talvez até dar um bom replay

Pausar, voltar, avançar, atracar, não sei

Aqui é diferente do lado de lá do horizonte

Uma vida inteira aqui lá é um piscar

Mas não podemos escolher onde ficar

Melhor aceitar e aproveitar esse presente

Tão abstrato, ilusório, nada linear

E pra menos errar, procuremos mais amar

Alda M S Santos

A morte

A MORTE

Sempre parecerá mórbido falar de morte

Enquanto ela for vista como um fim, uma punição

O desconhecimento do porvir causa apreensão

Quando o legado que se tem não traz satisfação

É preciso saber viver, diz a canção

E isso inclui também saber morrer

Ainda que machuque o coração

É a única certeza nesse mundão

Aprender, crescer, encarar tudo como lição

Captar tudo que ela puder nos ensinar

E aproveitar esse momento para evolução

Aceitar a morte como transição

Deve fazer parte de nosso caminhar

Para uma vida que continua noutro lugar

Alda M S Santos

Pegadas

PEGADAS

Se daqui a um século

Tudo que existir de você

For aquilo que deixou registrado

Em palavras, versos quase apagados

Se seguissem suas pegadas

Aquelas impressas, leves ou pesadas

Conseguiriam ao menos de você fazer um esboço?

Em tudo que compôs, escreveu

Que iria sobressair como seu?

Paz, esperança, amor, tranquilidade

Medos, lutas, persistência, coragem, solidariedade

Qual seria seu retrato, seu moço?

Não é preciso um grande feito para se eternizar

Vários pequenos feitos também têm seu lugar

Suas pegadas, poetas, são suficientes

Para seu presente no futuro te eternizar?

Alda M S Santos

Efeito borboleta

EFEITO BORBOLETA

Tanto ela passou para chegar até ali

Colorida, brilhante, linda, intensa

Livre, leve, voando e a tantos encantando

Quase pareceu morrer, se desfazer

Apertos, insegurança, luz e escuridão

Tempo de se recolher e esperar pela transformação

Em muitos momentos de dor e solidão

Chorou, sorriu, insistiu, não desistiu, acreditou

No valor da vida, no poder do amor, da criação

Precisou ser força quando a fragilidade queria reinar

Ser coragem onde o medo queria imperar

Ser luz onde a escuridão não deixava lugar

E, metamorfoseando-se, de lagarta à borboleta

De prisão à liberdade, de menina à mulher

Ei-las ali, lutando por sua melhor faceta!

Alda M S Santos

Mudanças

MUDANÇAS

De nada adianta negar, fugir ou temer

As mudanças sempre irão acontecer

Na natureza, no espaço, dentro do ser

Felizmente isso faz parte do viver

A Lua, o vento, as marés são grandes agentes de mudanças

Derrubam, constroem e destroem em suas andanças

Formam dunas de areia, unem ou separam localidades

E atingem a todos nós em qualquer idade

Bom mesmo quando decidimos o que mudar

Ou o que devemos não mais aceitar, permitir

O que vale a pena manter, investir

Ir fundo em nós mesmos, crescer, evoluir

Somos um barco e não devemos ficar à deriva

Assumir o controle para onde ir é essencial

Essa é a mudança mais importante, fundamental

Um ser que muda a si mesmo faz do mundo um lugar bem especial

Alda M S Santos

Se um dia…

SE UM DIA…

Se um dia eu voltar aqui

Quero ter poder de escolha

Onde nascer, com quem conviver

E aqueles com quem partilhar o amor

Não me importo em ter que lidar com a dor

Se puder ser acolhida, acolher, levar um pouco de calor

Quero poder estar perto, ser parte da natureza

Poder me extasiar com sua beleza

Quero me embriagar de magia

Viver entre poetas, ser a poesia

Se possível, estar na mata ou perto do mar…

A única riqueza que faço questão

É a de trazer bons sentimentos no coração

Não preciso de luxo ou ostentação

Troco tudo pela paz e o abraço de um irmão

De gente bonita de alma e amigos do coração

Quero nem muito pedir

Quero ser apenas gratidão

E ter vocês nessa vida de evolução…

Alda M S Santos

Como tudo começou …

COMO TUDO COMEÇOU…

Não há ninguém no colo

Tampouco na poltrona da frente ou de trás

Ninguém para eu me preocupar se está bem

Se tem fome, sede, sono ou medo

Se precisarei segurar a mão

Deixar que fique na janela pra apreciar a vista

Negociar os desejos e vontades

Apartar brigas e incentivar a parceria

Parece que a vida deu uma volta quase completa

E retornou ao começo…

Há pouco tempo eles caminhavam conosco

Os sonhos e planos eram similares aos nossos

O ponto de partida e chegada eram os mesmos

Ainda dependiam de nós…

Hoje já fazem seus próprios voos

Solo ou com novas companhias

Felizmente? Certamente!

Pode não ter sido o suficiente

Mas foram abastecidos do que tínhamos de melhor

Acrescentaram o que oferecemos ao que já possuíam

Já podem voar sozinhos, alcançarão novos ares

Conquistarão seus próprios espaços

Farão seus próprios ninhos

Mas por que parece tão estranho?

Por que ainda sentimos um vazio

A sensação de que está faltando alguém?

Precisamos reaprender a viver sozinhos

A viver com o círculo quase se fechando

Início e fim se aproximando

Que acontece quando a volta se completa?

Termina ou recomeça?

Já que não temos acesso a essa informação

Precisamos seguir voando

Mesmo com as asas já gastas, alcançando novos ares

Confiando que tudo acabará como tem que ser

Que esse plano de voo já foi feito noutra dimensão…

Boa viagem a todos os tripulantes e passageiros

Sozinhos ou acompanhados, isso é só um detalhe

Sempre voarão conosco em nossas mentes

Eternamente em nossos corações e orações…

Alda M S Santos

Revelação

REVELAÇÃO

Um dia iremos acordar

Abrir não só os olhos para o dia

Abrir a alma para realmente despertar

Ser luz, paz, o amor que a todos contagia

Nesse dia tudo irá fazer sentido

Tudo que por aqui foi sofrido

Os percalços, as companhias, a solidão

Os momentos em que ouvimos um não

Quando esse dia de revelação chegar

Ou a gente irá chorar ou muito se alegrar

Pelo tempo que soubemos usar ou desperdiçar

Quiséramos nada ter a lamentar

Poder apenas agradecer, abraçar

E, feliz, ter a certeza que valeu a pena amar

Alda M S Santos

A cura

A CURA

Qual a cura para um mundo de amargura

Para humanos tão sem ternura

Que pouco fazem por evolução

E não temem a própria extinção?

Qual a cura para um mundo tão sem compaixão

Egoísta, que vive na alienação

Quer tudo, é imediatista, destrói o futuro

E já não sabe mais como ser puro?

Qual a cura para você, para nós

Há como desatar tantos nós

Refazer os laços, oferecer mais abraços?

Já foi apontada a cura para tanto desengano

Houve um Alguém que disse, um Senhor

Que a cura para qualquer mal é o amor…

Alda M S Santos

Queremos

QUEREMOS

Queremos alguém que nos faça amor, que nos tire a dor

Que nos beije com a delicadeza e a fome de um beija-flor

Queremos alguém que nos afaste os monstros, acenda a luz

Que seja o anjo amigo que por caminhos lindos nos conduz

Queremos alguém que goste de amar na chuva, na cachoeira se banhar

Que pule a janela e nos leve a caminhar de mãos dadas ao luar

Queremos alguém que nos abrace, nos dê colo, nos faça cafuné

Nos fortaleça e nos restaure a esperança e a fé

Queremos alguém que nos bote para dormir, acorde juntinho

E que seja, acordado ou dormindo, nosso sonho de carinho

Queremos alguém que nos mantenha junto a si, não nas grades de uma prisão

Mas alguém que nos enlace nos laços do amor e da proteção

Queremos alguém…

Alda M S Santos

Quero fazer um pedido

QUERO FAZER UM PEDIDO

Quero fazer um pedido à estrela cadente

Pode tornar realidade o meu sonho mais urgente?

Quero fazer um pedido ao gênio da lâmpada de Aladim

Pode trazer um amor na medida só para mim?

Quero fazer um pedido aos mais valentes ancestrais

Podem nos ensinar a não lutar por motivos tão banais?

Quero fazer um pedido à chuva que cai torrencial

Pode levar embora tudo aquilo que me faz mal?

Quero fazer um pedido à fada que mora em mim

Pode me afastar os medos de uma vida assim, assim?

Quero fazer um pedido ao Deus do amor e da paz

Pode nos ensinar um viver um pouco mais eficaz?

Quero fazer um pedido a todo mago, amigo da poesia

Promete não me deixar desistir de nela encontrar a magia?

Alda M S Santos

Rascunhos

RASCUNHOS

Somos meros rascunhos a viver

Uma página rabiscada, por escrever

Um verso torto, inacabado

Um sonho bom a ser realizado

Estamos sendo aqui rascunhados

Compondo uns poemas rimados

Em busca de uma prosa, um dueto

Ou de um amor versado em soneto

A composição será ainda mais bela

Quando passada a limpo, nova tela

O amor pintado com toda tinta da aquarela

Somos a folha, o verso, a trova, a poesia

O tinteiro, a pena, a tinta, a doce magia

Nossa história: realidade vivida ou boa fantasia?

Alda M S Santos

Transição

TRANSIÇÃO

Se você está aqui, você já faz parte

Já terá papel preponderante nessa arte

Já está incluído nas mudanças, no porvir

Fique atento, cuide de suas andanças, seu existir

A transição planetária está aí, é para evoluir

É tempo de fazer algo, não se eximir

Abrace o bem, seja o bem, espalhe o bem

Não seja por aqui apenas mais um alguém

A natureza grita, seres extraterrenos estão na jogada

Crianças já vêm renovadas, intensas, preparadas

Abra-se, fique na parada, deixe sua alma ser lavada

A vida flui e nos convida ao batente

A mudança está ocorrendo, você está contente?

Acorde, lute, vá para a linha de frente!

Alda M S Santos

Quero um banho

QUERO UM BANHO

Quero um banho de cachoeira

Daqueles que lavem a alma inteira

Que provoquem gritos de alegria

E nos permitam ter com a vida melhor sintonia

Quero um banho de mar

Daqueles que nos tirem o ar

Que nos façam sentir noutro mundo

Onde haja um lugar especial para amar

Quero um banho de ducha quentinha

Onde eu possa deixar ir embora pelo ralo

Tudo aquilo que me aperta o calo

Quero um banho de rio

Onde eu possa me deitar num cantinho sob o luar

E junto a uma árvore amiga poder desabafar

Alda M S Santos

Ser forte

SER FORTE

Ser forte é conseguir excluir

Afastar da vida da gente

Aquilo que nos faz mal

Parecendo fazer o bem

Alimentos açucarados, pessoas amarguradas

Carnes gordurosas, pessoas mentirosas

Bebidas alcoólicas, pessoas melancólicas

Vícios atrativos, pessoas negativas

Grandes noitadas, pessoas mal amadas

Os dentes sisos, pessoas de falsos sorrisos

O sol forte da tarde, pessoas covardes

Os sonhos impossíveis, pessoas insensíveis

Ser forte é conseguir fazer tudo isso, ou não

E manter-se de pé, inteiro

Por causa ou apesar disso…

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: