Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Tag

Vida

Que é preciso?

QUE É PRECISO?

Que é preciso fazer

Para o mundo ser menos violento

Para que vidas não pereçam nesse tormento

E a justiça seja imparcial, a contento?

Que é preciso fazer

Para haver menos desigualdade

Proteção em qualquer idade

Compaixão e atos de irmandade

E se manter a sanidade?

Que é preciso fazer

Para o amor ser prioridade

A empatia se tornar realidade

Entre humanos haver cumplicidade

E a vida ser menos infelicidade?

Que é preciso?

Alda M S Santos

Mulher/menina

MULHER/MENINA

Ela caminha pela vida

Vestindo sorriso de menina, alma de mulher

Ou será sorriso de mulher, alma de menina?

Tanto faz, mulher/menina ou menina/mulher…

Ela caminha pela vida

Levando abraços, beijos, delicadeza

Em busca de resgatar da vida a pureza

E absorver da rosa a beleza…

Ela caminha pela vida

Deixando onde passa pequenas partes de si

Em cada canto um encanto

Junto a uma fragrância de jasmim…

Ela caminha pela vida

Trazendo consigo na alma, no sorriso

As cicatrizes de cada alegria, cada perigo

E as marcas de onde encontrou abrigo…

Ela caminha pela vida

Mulher/menina, menina/mulher

Até quando puder…

Alda M S Santos

As portas

AS PORTAS

Temos várias portas de acesso a nós

Aquelas que permitem que as pessoas cheguem

Que se assentem e decidam ficar

Às vezes são apenas janelas,

Ou pequenas frestas…

Por causa de medos e traumas anteriores

Quem chega tem o trabalho de descobrir

O melhor modo de entrar, nos conquistar e nos fazer bem…

Assim se dá com Deus

Tantas vezes Ele tenta chegar nas alegrias diárias

Através da família, dos amigos, de um amor

No trabalho ou na igreja

E muitas vezes não percebemos

Não O deixamos passar por essas portas

Às vezes só permitimos que Deus entre através das lágrimas

Dos momentos de sofrimento ou dor

Somos nós que escolhemos quem tem acesso a nós

Quando e onde…

Estejamos atentos as nossas portas

E a quem temos permitido acesso a nosso interior

Quem entra pode ajudar a arrumar a bagunça

Ou bagunçar o que já está arrumado…

Que saibamos fechar algumas portas desnecessárias

Abri-las para o amor de verdade, sem medos

E que Deus possa entrar por todas as portas!

Alda M S Santos

Sem caixas, por favor!

SEM CAIXAS, POR FAVOR!

Há pessoas que vivem cercadas de caixas

E nelas vão distribuindo as outras pessoas de acordo com seus critérios

Algumas caixas elas aceitam, outras descartam

E há ainda as caixas que ficam de reserva

Só gostam daquelas que cabem direitinho ali

Ou que se adequam para “enquadrar”

Muito complicado caber nas caixas alheias

Muitas vezes sobram partes da gente para fora

Que logo extirpam de nós

Noutras precisamos forçar, nos dobrar inteiros para entrar ali

Ou temos que nos moldar tanto para adaptar

Que além de doer muito

Com o tempo não mais nos reconhecemos

Quem gosta da gente nos aceita como somos

Claro que podemos melhorar, evoluir

Mas não a esse custo, ingresso muito caro a se pagar

Não dá para forçar tanto para agradar aos outros

Não importa por qual razão

Essas caixas costumam ser prisões

E prisão é sempre prisão

Mesmo que venha enfeitada de sol, lua ou coração…

Se coubermos de verdade na vida de alguém

O coração aceita do jeitinho que somos

Pacote de defeitos e qualidades…

Sem caixas, por favor!

Alda M S Santos

Eu escolho

EU ESCOLHO

Entre as tantas partes de mim

As bem antagônicas ou paradoxais

Que todos nós temos, afinal

Eu escolho as que me fazem mais feliz

Que podem me tornar mais acessível

A quem precisar de ajuda, de amor fraterno

Aquelas bem claras em detrimento de outras escuras

As alegres como dia de sol

Mesmo gostando da nostalgia dos dias nublados

As flores perfumadas no jardim

Ao invés do conforto do quarto escuro

O sorriso e as palavras de incentivo

Ignorando a desesperança e tristeza

Não fecho os olhos para o que há de mau por aí

Para o que há de negativo em mim

Apenas tento, sempre que posso

Optar pelo que sei, por experiência própria

Que fará bem a mim

E a quem de mim se aproximar…

Longe de agradar a todos

Tento ser fiel a mim mesma

E nisso já tenho bastante trabalho…

Alda M S Santos

A primeira vez

A PRIMEIRA VEZ

Nunca se esquece ou se apaga

A emoção da primeira vez

Os primeiros amigos, as brincadeiras

Primeiro dia na escola, primeiro namorado

Um olhar, um beijo, um sorriso

O mergulho no mar, a escalada até uma cachoeira

Casamento, maternidade…

A vida é feita de emoções

Aquele friozinho na barriga, rosto ruborizado

Respiração entrecortada, ansiedade descontrolada

Tudo isso dá prazer de viver

Essa montanha russa alucinada

Mas nada se iguala ou se compara

À tranquilidade de uma vida sossegada

Um tranquilo carrossel que gira

A emoção de um rio que segue seu curso

Com alguns entraves no caminho, algumas quedas

Encantando-se com alguns banhistas que nele mergulham

Mas sem grandes sobressaltos, repleta de amor

A certeza de saber para onde vai, sem medos

Sendo valorizado, querido, amado…

Uma vida boa é feita de entrega e muitas primeiras vezes

Mas é melhor ainda uma vida

Que é feita de uma primeira vez que se eterniza…

Alda M S Santos

Seria muito?

SERIA MUITO?

Seria muito imaginar que fui o sonho de alguém

Que minha existência foi planejada

Que antes de aqui chegar eu existi em outro lugar

E foi a mente, a alma, o coração

A imaginação e o desejo de um alguém

Que me tornaram possível viver por aqui?

Será que estive antes no coração de meus pais

Que tudo estava combinado previamente

Que para esta dimensão eu viria

E que teria por aqui um trabalho a fazer?

Seria muito pensar que me materializei nesse plano

Para tornar real o amor de um alguém?

Seria muito imaginar que esperam algo de mim

Que me “vigiam” o existir e o fazer

Na esperança de que eu caminhe sempre para e pelo bem?

Sendo assim, seria muito pedir

Que me perdoassem os atos falhos

Os caminhos sem saída que peguei

As trilhas com inúmeras bifurcações que me enveredei

A luz que outras vezes ignorei?

Seria muito pedir, a quem sonhou comigo

A quem permitiu meu existir

Que estivesse sempre a meu lado

Levando-me pelas mãos para o melhor caminho

Que não me permitisse fugir

Orientando-me com palavras de doçura e carinho

Alertando-me aos buracos nas vias existenciais

Preparando-me para o porvir

Dando-me colo, atenção, amor?

É que pareço forte, sabe

Mas, a verdade, é que tantas vezes só quero um pouquinho de colo

De apoio e da certeza de que não estou só

Seria muito pedir?

Alda M S Santos

Anjos que choram

ANJOS QUE CHORAM

Absorvendo nossas quedas e dores

Anjos se machucam, anjos choram

Choram quando veem que insistimos no caminho errado

Choram quando nos ferimos

Choram quando ferimos os outros

Choram quando não conseguem nos ajudar

Choram quando choramos…

E o mundo chora com eles

Aqueles que estão por aí

Insistentes, persistentes, corajosos

Que se machucam, se ferem, se doem, se doam

Por aqueles que protegem nas dores

Que acolhem no sofrimento, na fragilidade

Se olharmos bem, se apurarmos nossos ouvidos

Seremos capazes de ouvir o choro dos anjos

De ver seu sofrimento atrás de sorrisos

Suas lágrimas silenciosas nas batalhas por nós

Por lutar por seres humanos melhores

Por um mundo melhor,

Anjos choram…

Quem são nossos anjos?

Alda M S Santos

Um rio que passou…

UM RIO QUE PASSOU…

O rio passa…

Límpido, cristalino ou nem tanto

Algumas vezes turvo e sem oxigênio

Águas calmas ou turbulentas

Em cursos de águas rasas, outras profundas

Arborizado ou não, matas ciliares protetoras

Espaços de assoreamentos e ausência de fluxo

Habitat de peixes e outras vidas que acolhe e alimenta

Enfrenta remansos ou quedas nas pedras em lindas cachoeiras

Irriga, favorece a vida em seu entorno

Recebe afluentes, transborda

Ou até parece secar em alguns pontos

Poluído, parece morrer…

Mas onde um rio passou sua marca deixou

Tudo que ele trouxe consigo

Ficará para sempre na vegetação que irrigou

Tudo que leva consigo irrigará outras margens, outros leitos

E vez ou outra a mina renasce e jorra vida novamente

Onde houve um rio fica a saudade

Ali sempre haverá a lembrança de vida, de umidade

Mesmo nas fases de seca…

Um rio sempre será um rio

Até que morra no mar…

Um rio passou, um rio ficou…

Na vida de quem naquelas águas se banhou…

Alda M S Santos

Vá!

VÁ!

Vá! Não pare!

Crie em você um recanto de brincadeira e magia

Onde todos possam encontrar a criança perdida, a alegria

Vá! Não pare!

Conserve em você um colo amigo, acolhedor

Onde todos possam enxugar as lágrimas, esquecer a dor

Vá! Não pare!

Desperte em você uma alma caridosa, que se doa, que sorri, que abraça

Onde todos possam ter esperança e sentir que todo mal passa

Vá! Não pare!

Deixe refletir o amor e bondade em cada ato seu

Onde todos possam ver ali o carinho e cuidado de Deus!

Vá! Não pare!

Um mundo melhor começa em você, em cada um de nós!

Alda M S Santos

Refúgio

REFÚGIO

Quero encontrar um refúgio

Um lugar de paz e sossego

Onde possa me abrigar

Quando minh’alma precisar se calar

Quero encontrar um refúgio

Para o qual eu possa fugir

Quando tudo parecer difícil

E poder relaxar, sem fingir

Quero encontrar um refúgio

Para os males buscar reparo

Que me traga discernimento, refrigério

Quem sabe em mim mesma obter amparo

Quero encontrar um refúgio

Acho um lugar, mergulho em mim mesma

Lá encontro paz, lá encontro Deus!

Alda M S Santos

Tudo em nós fala

TUDO EM NÓS FALA

Tudo em nós fala daquilo que há pulsando dentro da gente

O sorriso fala e não engana a um bom observador

Se ele ocultar em si alguma dor

O olhar de brilho ofuscante ou apagado fala

Aquele que encara ou, frustrado, se desvia

Fala também do coração que pulsa forte

Que se resguarda e se aquieta em letargia

O andar firme, trôpego ou confiante

Fala do peso ou leveza que se carrega nas costas, na alma

As mãos que se estendem, abraços que enlaçam

Falam de amor, de paz, de paixão

A força do que há plantado em nosso interior

Sempre irá florir ou morrer de algum modo

Em nosso exterior…

Alda M S Santos

Eis-me aqui

EIS-ME AQUI

Eis-me aqui, ora inteira, ora faltando pedaços

Mas ainda assim, eu mesma

Buscando a cola que irá reconectar

O pedaço que de mim se quebrar

Eis-me aqui, ora frágil, ora forte

Mas com a mesma essência

Procurando algo que possa preencher

O que hoje se tornou ausência

Eis-me aqui, ora louca, ora sã

Sem deixar de ser humana, machucada

Gritando silêncios em resposta a dores caladas

Eis-me aqui, ora amante, ora amada

Persistente em busca do que justifica todo o viver

A alegria do amor sempre fazer, refazer

Eis-me aqui, ora sorrisos, ora lágrimas

Sem nunca desistir dessa caminhada

Conquistando a reciprocidade que acalenta, a paz que alimenta…

Eis-me aqui…até quando?

Alda M S Santos

Circularidade da vida

CIRCULARIDADE DA VIDA

Acredito nos ciclos vitais

Sejam da água, das plantas, da Lua

Das marés, da Terra ou dos humanos

Fazemos nossa própria rotação

Giramos em torno de nós mesmos e dos nossos

Sem percebermos que, tal qual a Terra em torno do Sol,

Fazemos também nossa translação em torno do mundo

E em cada parte desse ciclo que vamos criando

Enfrentamos marés altas, calmarias

Tsunamis e ressacas

E vamos aprendendo a lidar com cada uma

Protegendo-nos de riscos desnecessários

Acolhendo com tranquilidade fases ruins

Resistindo melhor ao gosto pelo supérfluo

Aproveitando ao máximo a face bela e luminosa do período amoroso

Aprendemos a nos fortalecer

Na certeza da circularidade da vida: tudo vai, tudo volta

E procuramos melhorar a cada ciclo

Sem perder nossa essência, nossa individualidade

O que faz de nós aquilo que somos: únicos!

Alda M S Santos

Ser feliz

SER FELIZ

Descobri um jeito simples de ser feliz

Não exige tanto esforço ou trabalho

Não há necessidade de acumular bens

Nem estar vestido na última moda

Dispensável ser sarado, esbelto, musculoso ou curvilíneo

Ou ter rosto de capa de revista

Não há necessidade de ter QI de Einstein

Ou a bondade da Madre Teresa de Calcutá

Não exige que esteja com alguém

Tampouco será problema se estiver sozinho

Basta ser o motivo da felicidade de alguém

Aquela pessoa que desperta sorrisos no outro

Aquela alma que parece carregar consigo o segredo da paz mundial

Que faz com que o outro se sinta acolhido e aquecido

Que faz com que se sinta alguém especial

Que exala, amor, luz, carinho, bondade

E faz outro ser se sentir valorizado, amado…

Aquela pessoa indispensável na vida de outro alguém

Que faz o dia ser mais belo simplesmente por ela existir

Isso é ser feliz: fazer feliz!

Simplesmente porque isso gera energia boa

Que flui em mão dupla

Vai e volta simultaneamente…

Quer ser feliz? Faça um alguém feliz!

Alda M S Santos

Há dias assim…

HÁ DIAS ASSIM…

Há dias de extremo cansaço

Falta a coragem, sobra desejo de jogar a toalha

Há dias de muita agitação

Energia e vontade de tudo fazer, melhorar

Há dias de dúvidas intensas

A fé mina, raciocínio falha, inércia pura

Há dias de emoções turbulentas

Desestruturam, balançam e tiram tudo do lugar

Há dias de calmaria, paz

O barco da vida segue seu curso sem grandes solavancos

Há dias de mergulhos emocionantes e profundos nas águas da vida

Mas também há dias de emoções rasas e superficiais

Tudo parece não fazer sentido

Há dias de amor, paixão, sintonia

Tudo é beleza, carinho e acolhimento

Há dias de ausência de conexão e interatividade

Falta comunicação, silêncios e distância prevalecem

Há dias de saudades, de esperança

Onde o presente fica espremido entre passado e futuro

Há dias de sonhos e realidades interagindo

Tentando encontrar um equilíbrio que satisfaça

Há dias felizes, outros nem tanto

Enquanto houver dias por viver

Sempre haverá dias assim…

Alda M S Santos

Histórias arrancadas

HISTÓRIAS RABISCADAS

São tantas as histórias, tantos os momentos

Bons ou ruins, saudosos ou amargos

E muitas vezes queremos rabiscar alguns capítulos

Arrancar algumas páginas

Apagar definitivamente algumas cenas dolorosas

Mas isso não é possível…

Tudo está gravado definitivamente

Seja rabiscado, arrancado, queimado, lançado fora

Tudo está lá em nosso HD interno

E salvo no Livro da Vida o qual não temos acesso

Podemos desfocar, desviar a atenção

Deixar ir embaçando por falta de uso

Grifar com brilho páginas mais interessantes

Destacar capítulos alegres e prazerosos

Colocar rosas a marcar o que se quer “reler”

Mas apagar, definitivamente, não dá!

Vira e mexe cenas reaparecem

E só podemos aprender com elas

Reeditar, consertar, reestruturar, melhorar o que for possível

E mandá-las novamente para a caixinha de histórias rabiscadas

Daquelas que só serão relidas do outro lado da vida…

Alda M S Santos

Plurais

PLURAIS

Gosto de pessoas plurais

Intensas, diversas, multi

Capazes de me despertar de qualquer letargia

E me inspirar a ser cada dia mais

Gosto de pessoas singulares, únicas

Daquelas que carregam o sol em si sem perecer

E mesmo nas noites mais escuras e frias

São capazes de brilhar e me aquecer

Gosto de pessoas plurais ou singulares

Contanto que enxerguem o mundo a sua volta, tudo natural

Que me vejam como as vejo

E façam-me sentir única, especial

Gosto de pessoas, todas elas

Desde que sejam reais, verdadeiras

Plurais ou singulares, pares ou ímpares

Que me façam sentir que existo, que sejam parceiras…

Gosto de pessoas…

Alda M S Santos

Ninguém rouba de nós

NINGUÉM ROUBA DE NÓS

O bem estar de saber-se num bom caminho

A satisfação de poder ajudar, doar carinho

A coragem de nas lágrimas nos aliviar

A capacidade de aprender com as falhas e recomeçar

Ninguém rouba de nós…

A saudade de um tempo bom, de alguém

Um passado de dores e amores, sem dever ninguém

A humildade de conseguir pedir perdão

A esperança de um amanhã com mais união

Ninguém rouba de nós…

A indignação diante de uma injustiça com alguém

A hombridade em nada ter tirado de ninguém

A liberdade de poder escolher companhia ou solidão

A felicidade que há em amar um irmão

Ninguém rouba de nós…

A honestidade de nunca deixar ninguém para trás

A serenidade de uma alma criança, em paz

A crença num Deus de amor, nossa fé

A delícia de ser quem se é…

Ninguém rouba de nós…

Só se a gente deixar que o façam …

Alda M S Santos

Por aí…

POR AÍ…

Ando por aí…

Ora concentrada, absorta

Ora distraída, dispersa

Atenta ao que parece não importar

Mas, na verdade, quero a todos motivar

Ando por aí…

Notando cores, construções, edificações

Percebendo também destroços, demolições

Ando por aí…

Tentando parear com quem caminha só

Buscando direcionar o passo de quem parece perdido

Ando por aí…

Levando abraços, sorrisos, um pouco de fé e esperança

Porque nessa vida o que mais pesa na balança

O que mais nos trará valor positivo

É aquilo que de nós foi amor, foi abrigo

Ando por aí…

Alda M S Santos

Da cor que a gente pinta

DA COR QUE A GENTE PINTA

Verde, vermelho, amarelo ou azul

A vida tem a cor que a gente pinta

Roxo, branco, preto ou laranja

Cinzenta ou multicolorida, talvez a gente a sinta

Se as cores que recebermos não forem suficientes

Vamos misturar, agitar, novas cores criar

Como as crianças dizem “quero de todas as cores” pintar

Vamos escolher melhor nossas paletas

Um jardim de muitas flores em várias facetas

E tingir nosso céu de azul anil

Nosso chão de marrom terra infantil

Nossas emoções de delicada violeta

Nossas lágrimas de clara magenta

Nosso sorriso de dourado amizade

Nossa esperança de verde solidariedade

Nosso amor de vermelho forte, vibrante

Nossas dores de amarelo calmante

Nossa alma furta-cor, multicor

Fazer do nosso e do mundo à nossa volta uma tela abstrata, repleta de amor

E quando tudo cinzento e tempestuoso parecer

Um arco-íris no céu de nossas emoções iremos fazer

Onde todos possamos nosso pote de ouro buscar

E o tesouro brilhante e valioso de uma vida em paz encontrar!

Alda M S Santos

À primeira vista

À PRIMEIRA VISTA

Não existe amor à primeira vista

Existe atração à primeira vista

Que pode vir a ser amor

Ou terminar na fase da paixão

Amor precisa chegar devagarzinho

Abrindo portas com sorrisos sinceros

Destrancando cadeados com a chave da amizade

Quebrando medos com a força da confiança

Vencendo tabus com aceitação das diferenças

Destravando segredos com a segurança de um ombro

Derrubando com delicadeza muros levantados pela autoproteção

Escalando degraus da reciprocidade, um por vez

Amor não invade, conquista

Amor não toma, pede, se doa

Amor não é à primeira vista

Amor se mantém quando a vista, a alma atinge fundo

Mesmo quando nem tudo é bonito

Mas sabe que é ali que você quer ficar para sempre…

Isso é amor! A muitas vistas!

Alda M S Santos

Vamos transformar o mundo

VAMOS TRANSFORMAR O MUNDO

Vamos transformar esse mundo frio

Aquecendo cada coração carente que se aproximar

Vamos transformar esse mundo amargo

Sendo sorriso para cada cara amarrada que encontrar

Vamos transformar esse mundo sério, tolo e feio

Sendo brincadeira, sendo criança, sendo alegria

Vamos transformar esse mundo individualista

Sendo abraço, sendo colo a cada olhar opaco que baixar

Vamos transformar esse mundo faminto

Oferecendo o que pudermos para alimentar

Vamos transformar esse mundo doente da alma

Sendo a paz, a serenidade e a luz para curar

Vamos transformar esse mundo injusto

Sendo a mão que tenta as diferenças equalizar

Vamos transformar esse mundo incrédulo

Sendo a fé e o amor divino a quem precisar

Vamos transformar esse mundo de tanta angústia e dor

Sendo o bálsamo calmante e apaziguador

Vamos transformar esse mundo, sim

Como?

Pelo exemplo, pelo contágio, pelo amor

Devagarzinho, um ser humano de cada vez…

Alda M S Santos

Pequenos grandes prazeres

PEQUENOS GRANDES PRAZERES

Há prazeres de incomparável valor

Acordar ao lado do seu amor

Não mais sentir aquela dor

Dormir em paz com sua consciência

Conseguir ignorar toda maledicência

Há prazeres de incomparável valor

Encontrar dinheiro onde não esperava

Sorrir renovado onde antes chorava

Esquecer o que não vale a pena mais lembrar

Guardar no peito direitinho o que merece eternizar

Há prazeres de incomparável valor

Balançar numa gangorra na árvore presa

Sair de um trauma, quase ilesa

Ocupar-se ao outro dando a mão, sendo irmão

Tomar chuva em tardes de verão

Há prazeres de incomparável valor

Morar noutro coração por direito, não por favor

Nas noites frias sempre fazer amor

Perceber que não mais sangra aquela cicatriz

Responder aos enxeridos com “seu nariz” ou “isso nada me diz”

Há prazeres de incomparável valor

Rir até a barriga doer

Ser criança, sapeca, até não mais poder

Receber um abraço de carinho apertado

Ser sempre seu maior e melhor aliado…

Há pequenos grandes prazeres de incomparável valor…

Alda M S Santos

A vida segue…

A VIDA SEGUE…

Sozinho ou acompanhado

Com os pares de sempre ou novos acompanhantes

Importante é seguir em frente…

Essencial é carregar a consciência limpa

Levando conosco a delícia de uma alma em paz

E a disposição para enfrentar períodos de turbulência

A vida segue e vai levando a todos

Grandes ou pequenos, fortes ou frágeis

Dispostos ou não, falsos ou verdadeiros

Leves ou pesados, conscientes ou confusos

Mas tem voos mais emocionantes e melhores pousos

Para quem sabe o que quer e luta por isso

Sem contudo cortar as asas

Ou derrubar o avião de ninguém…

A vida segue…

Ir junto não é uma opção

Mas como e com quem iremos podemos, sim, escolher…

A vida segue…

Alda M S Santos

Vá lá e faça o melhor

VÁ LÁ E FAÇA O MELHOR

“Vá, filho, desça lá e faça o melhor que puder”

E, corajosos, tendo-o por perto naquele momento, descemos

E cá estamos errando e acertando

Tantas vezes trocando os pés pelas mãos

Outras tantas correspondendo a tão altas expectativas sobre nós

Pedindo ajuda em momentos de tristeza e solidão

Implorando perdão nas sucessivas burradas que cometemos

Agradecendo pela oportunidade de estar aqui

Pelas chances de crescimento e aprendizado

Pelos anjos bons que enviou para que não nos sentíssemos tão sozinhos

E, principalmente, por não nos ter abandonado

Mesmo que tantas vezes a gente se sinta só e triste

Em meio a tanta maldade, tanta desumanidade, tanta saudade

E queira logo voltar para casa…

Que nossas energias e fé se fortaleçam

E que nunca, nunca nos abandone

Que nos permita vê-Lo nos outros

E que os outros possam vê-Lo em nós

Amém!

Alda M S Santos

Disfarces

DISFARCES

A vida é para quem gosta de enigmas

Para quem não perde as estribeiras

E fica até o fim nessa brincadeira

Aqueles que conseguem perceber e agradecer

Os anjos disfarçados de amigos

Os aprendizados atrás das dores

Os colos disfarçados de sermões

A proteção escondida num adeus

A vitória que muitas vezes parecia ser uma perda

E há ainda alguns entraves no caminho também

Pistas falsas escondidas atrás de sorrisos

Caminhos duvidosos em belas pessoas

Coisas e bens materiais se passando por felicidade

Inveja se interpondo em estradas que seriam limpas

Invasores de espaços e bens alheios

Mas ela também vai ensinando

E quem se dispõe a aprender

Já consegue escapar de suas ciladas

Já não leva gato por lebre

Percebe que a felicidade é a que mais se encontra disfarçada

E que o amor também é o mais fraudado

Um bom “jogador” nessa vida

Sabe que a felicidade não tem qualquer requinte

E que o amor é o mais complexo, mas o mais simples dos sentimentos

Retire tudo, qualquer adereço, qualquer acessório

Qualquer artificialidade ou maquiagem

Quando estiver despido de tudo

Nu de corpo e de alma

Se o que ficar estiver limpo, se te fizer bem, isso é amor

Se encontrar o amor aí encontrou a felicidade

Sem disfarces!

Alda M S Santos

Bom mesmo

BOM MESMO

Bom mesmo é viver a vida

De tal modo que não deixe para ela saída

A não ser se aliar a nós

Nos ajudando a eliminar qualquer algoz

Bom mesmo é dar o melhor da gente

Para todos igualmente

E se isso parecer impossível

Que façamos, para tanto, todo o possível

Bom mesmo é cuidar direitinho

Com amor, respeito e muito carinho

Daqueles que recebemos como presente

Para dar sentido à vida da gente

Bom mesmo é ser agradecido

A tudo que nos foi consentido

Com sabedoria e muita calma

Aceitar o fim, quando chegar, com paz na alma…

Alda M S Santos

Sou amante

SOU AMANTE

É frio, é calor

É cachoeira, é cobertor

É a vida em fúria, em extremos

Em busca de mais amor

É frio lá fora

É aquecimento aqui dentro

Porque ela é atrevida

E a vida só vale se faz sentir, se faz sentida

É frio, é calor

Tanto faz, proibido é proibir

É preciso trair o tempo

Com a alegria de existir

Que alonga todo momento…

É frio, é calor

É lareira, é fervor

Em inverno gelado ou verão escaldante

É preciso viver com ardor

Nessa vida da qual sou amante…

Alda M S Santos

A música que a vida toca

A MÚSICA QUE A VIDA TOCA

A vida é um grande musical

Toca músicas animadas, dançantes

Também toca músicas tristes, frustrantes

Tantas vezes aprendemos o ritmo, dançamos com prazer

Mas a música que a vida toca nem sempre irá nos satisfazer

Muitas vezes teremos vontade de chorar

Outras, até desejo de partir, não mais bailar

Mas precisaremos aprender a dançar

Porque a vitrola da vida não para de tocar

Podemos dançar sozinhos

Mas melhor mesmo é quando dançamos com um par…

Com o outro aprende-se nova coreografia

A dançar a dois com harmonia

Rimos dos erros e tropeços

Até novas canções passamos a tocar

Uma dança aos pares ou em grupos

Tem muito mais magia…

Posso até ter minha canção favorita

Mas ela só fará mais sentido

E se tornará ainda mais prazerosa e bonita

Se tiver alguém que aceite dançá-la comigo…

Alda M S Santos

A chave

A CHAVE

Uma porta, uma fechadura, uma chave

Inseriu, girou, abriu

Nem sempre é assim tão simples

Pode estar emperrada como nunca se viu…

Às vezes a chave não é aquela

A fechadura está enferrujada

Ou talvez te falte o jeitinho

Para enfrentar essa parada

Outras vezes a porta não está à vista

Exigirá muito tato e habilidade

A chave não é tão concreta

Mas feita de carinho e intimidade

Não há portas intransponíveis

Tampouco fechaduras invioláveis

O que nos falta é perícia e perseverança

Para torná-las acessíveis, maleáveis

Se a força bruta não adiantou

A chave também não serviu

Não adiantará de nada arrombar

Use o amor, seja doce, seja gentil

E pela porta poderá entrar e ficar…

Alda M S Santos

Lavo a alma

LAVO A ALMA

Debaixo de uma cachoeira gelada

Abro um sorriso assustada

Solto um grito, encantada

E saio de alma lavada

Água que alegra, que anima

Desperta-me para a vida

Banha-me, não tenho saída

E saio de alma despida

Água que escorre das rochas

Com a força da natureza

Nunca vi tamanha beleza

E saio de alma indefesa

Ali deixo a tristeza, a solidão

A pureza que brota do chão

Deve ser essa a razão

De minh’alma ser só emoção

Água, terra, natureza e eu

Renovação, encanto, sintonia

Um banho de pura magia

Na alma banhada de energia…

Alda M S Santos

Assim somos feitos

ASSIM SOMOS FEITOS

Do barulho das gargalhadas de alegria

Do colo quentinho que doamos, pura magia

Da luz de cada olhar que o bem irradia

Do mel de um beijo de bom dia

Assim somos feitos…

De uma oração no tapete ajoelhados

Dos gritos de medo na garganta sufocados

Dos abraços na ponta dos pés, apertados

Do adormecer no travesseiro de lágrimas molhado

Assim somos feitos…

Do passado que ficou na saudade

Do hoje que se impõe sem piedade

Do amanhã que aguardamos com ansiedade

Do viver sempre em busca da felicidade

Assim somos feitos…

Alda M S Santos

Páginas arrancadas

PÁGINAS ARRANCADAS

No livro de sua vida

Há mais capítulos novos

Ou páginas arrancadas

Há mais histórias apagadas

Ou novas registradas

Há mais folhas já usadas a desprender, esquecer

Ou mais em branco, a escrever

Há mais partes bem romanceadas

Que carregam marcas calientes de batom

Ou há mais dor nas vidas dos outros roubadas

Há muitos trechos daqueles de gargalhada solta

Ou mais de lágrimas escorridas

Que é melhor manter escondidas

Há mais corações grudados

Ou trechos rabiscados

Há ilustrações emocionantes

Ou textos longos e fatigantes

A leitura é prazerosa, instigante

Ou cansativa, massante

A autoria é sua, compartilhada

Ou você a entregou de mão beijada

É uma história para na estante ficar esquecida

Ou lida, relida, revivida

Você recomendaria esse livro

Ainda que para si mesmo?

Alda M S Santos

Um brinde

UM BRINDE

Ao sol que nos aquece toda manhã

À vida que nos permite sonhar com um amanhã

Aos caminhos que a nossa frente se descortinam

Às pedras que a refletir nos ensinam

Tim tim!

Às lágrimas que lavam nossa alma

Aos amigos que nos trazem a calma

Às janelas dos sorrisos que nos iluminam

Às belas flores que em nós germinam

Tim tim!

À noite que nos acolhe sedenta

Às estrelas que iluminam nossa vida, às vezes cinzenta

À esperança que em nós desperta

À vida, às vezes, tão incerta

Tim tim!

Ao amor que brota em nosso peito

À saudade que faz tudo ser perfeito

Ao trabalho que nos enobrece

E à diversão que o cansaço amortece

À vida!

Tim tim!

Alda M S Santos

Timing

TIMING

Tão triste é perder

Aquele instante certo

A conexão que se dá

Nos momentos mais incertos

Quando Lua e Terra se alinham

Na imensidão do universo

Também por aqui há pessoas

Num eclipse que se traduz em versos

Vagam astros, estrelas e planetas

Em rotação ou translação

Todos têm o timing ideal

Ora são luz, ora escuridão

O timing entre humanos é mais complexo

Vagam num céu individual

Buscam sintonias sem nexo

Num viver que se pretende plural…

Alda M S Santos

Rascunhos

RASCUNHOS

Não há borrachas, tampouco corretivos

Não dá para apagar ou descartar

Não escrevemos nossa história a lápis

A vida é pintada à tinta

Com as cores que escolhemos

Direto na tela final

Não dá para viver de ensaio

Não dá para ficar rascunhando

A vida é um espetáculo ao vivo

Não se pode parar, retornar

Ou ficar aguardando boa luz

Essa obra-prima é original, única versão

É sempre uma finalização

Não faça rascunhos, não viva de esboços

Talvez não haja tempo para passar a limpo…

Alda M S Santos

Eu me rendo

EU ME RENDO

Um friozinho da manhã

A relva toda molhada de orvalho

Um passeio a cavalo

O sol brilhando atrás da serra

Eu me rendo…

Pássaros cantando, bois mugindo

Cachorros brincando, patos nadando

A vida acontecendo

Eu me rendo…

Uma tarde preguiçosa

A rede na varanda

Todos parecem aboletados em algum canto

Uma soneca relaxante, aroma de café

Eu me rendo…

A noite chegando

A escuridão abraçando todos os espaços

Todos buscando abrigo

A lua reinando no céu

Gatos namorando em cima do telhado

E a gente cá embaixo

Eu me rendo…

A vida acontecendo lá fora

A vida acontecendo cá dentro

Eu me rendo…

Alda M S Santos

Temos pressa

TEMOS PRESSA

O tempo voa, a vida passa

E ficamos a esperar na janela

Por aquilo que de nós não sai

Ainda que pareça balela

Temos pressa…

Nem tudo o que a gente quer

Chega na velocidade desejada

Mesmo sabendo que o mais valioso

Chegará só na hora apropriada

Temos pressa…

A paciência é uma virtude

Que precisa ser bem dosada

Porque se confundida com inércia

Não nos ajuda em nada

Temos pressa…

Cansados de ver ir embora

Tantos sonhos que viraram pó

Queremos aproveitar melhor agora

Para não terminar a vida só…

Temos pressa…

Alda M S Santos

Universo paralelo

UNIVERSO PARALELO

Alguns parecem viver num universo paralelo

Distantes e avessos ao que é tido como normal

Não gostam de seguir a boiada

Lutam por algo diferente, bem mais natural

Autênticos e verdadeiros

Não ferem a própria essência

Preferem ficar à margem

Ainda que acusados de demência

Entre tantos descaminhos

Dores e atrocidades de alta magnitude

Viver num universo paralelo

Além de autoproteção, chega a ser grande virtude…

Alda M S Santos

Aboletada

ABOLETADA

Ando meio cansada

Ainda não sei bem de quê

Quero apenas ficar aboletada

Até descobrir o porquê

De tanto andar desse jeito

Inquieta e sempre atarefada

Mesmo não sendo nenhum defeito

Quero mais é ficar aboletada

Andei levando alfinetada

De gente que não é muito camarada

Mas não me importo, sou arretada

E ficarei, sim, aboletada

Pensando, meio encasquetada

A uma conclusão cheguei

Tão bom ficar aboletada

Que até já descansei

E antes de ser mal interpretada

Seguirei assim agitada e com a vida encantada

E deixo uma coisa decretada

Sempre que quiser ficarei de novo na natureza aboletada!

Alda M S Santos

Injusta

INJUSTA

A vida pode ser cruel

Dolorosa, intensa, parcial

A cada um de nós caberá

Torná-la menos desigual

Muitas vezes parece tão longa

Noutras é por demais curta

Mas é o que fazemos por ela

Que a tornará menos injusta

Buscamos no outro a alegria

Ou a paz que de nós fugiu

Sequer percebemos que está na gente

O prazer de viver que um dia sumiu

Mesmo injusta ela é só nossa

Mas se torna mais bela

Quando destrancamos portas fechadas

E sorrisos abrimos em nossa janela…

Mesmo injusta ainda podemos fazer dela

Uma linda e encantadora aquarela…

Alda M S Santos

Muitas vezes…

MUITAS VEZES…

Muitas vezes, os caminhos difíceis que evitamos

E dos quais fugimos todo o tempo

São atalhos a nos levar para um lugar há muito sonhado

Muitas vezes, os ventos dos quais nos abrigamos

Por medo de destruição e perdas

É o que falta para levar embora o que machuca

E trazer o que falta para nos tornar mais felizes

Muitas vezes, as pedras que tememos

E das quais nos desviamos

São degraus a nos levar para o topo

Não o topo do mundo

Mas o topo de nós mesmos

Muitas vezes, enquanto lamentamos

Reclamamos, choramos e criticamos

Deixamos de estar atentos

Para aproveitar tudo que se apresenta…

Alda M S Santos

Não vai muito longe

NÃO VAI MUITO LONGE

Não vai muito longe

Aquele que corre demais

Foca pouco e não olha para trás…

Não vai muito longe

Aquele que, a despeito de tudo e de todos

Segue trilhas não muito eficazes…

Não vai muito longe

Aquele que desvia e se perde no caminho

E em busca de coisas “grandes”

Perde algo que aparenta pequenez

Mas na verdade é fundamental:

Sua própria essência…

Na verdade só vai longe

Quem não abandona a si mesmo

Tentando ser aquilo que não é!

Alda M S Santos

O cuidado dele

O CUIDADO DELE

Se fizermos um pequeno esforço

Se não olharmos com revolta

Se ficarmos de coração aberto

Com uma alma em paz

Notaremos que fomos protegidos

Em cada ganho ou perda

Em cada medo que nos apavorou

Em cada derrota sofrida

Em cada ameaça que nos magoou

Em cada partida, em cada solidão

Quando o sorriso era radiante

Ou quando o travesseiro era só lágrimas

Até mesmo naquilo que consideramos muito injusto

Mesmo quando menos merecemos

Ele estava ali nos amparando

Triste com nossas atitudes e revolta

Sabendo que mesmo quando seguíamos um caminho estreito demais

Que sairíamos machucados dali

Ele estava lá, nunca nos abandonou

É o único que nunca desiste de nós

Acreditar nisso é força para sempre seguir em frente

Sabendo que na verdade tudo é ganho

Nele não há perdas, claro ou escuro

Procurar escolher melhor os caminhos

Carregando as marcas de nossas escolhas

Crendo que Ele divide conosco nossos males

E sempre nos orienta e ampara

Basta aprender com as falhas

E sempre Nele crer!

Alda M S Santos

Imperfeita

IMPERFEITA

Ela é assim, imperfeita

Interessante, atraente, convidativa

Ora boa, outras nem tanto

Mas com fé a gente se ajeita

Ela é assim, imperfeita

Bela, cinzenta ou colorida, engraçada

Faça rir ou faça chorar

Ninguém nunca a rejeita

Ela é assim, imperfeita

Inteira ou faltando pedaços

Repleta de amores e desamores

E de coragem que a gente respeita

Ela é assim, imperfeita

Nem sempre como almejamos

Mas é a vida que a gente não enjeita

E a amamos mesmo assim:

Imperfeita!

Alda M S Santos

Demolição

DEMOLIÇÃO

Demolir é tão importante quanto construir

Tantas vezes é pré-requisito para uma nova construção

Trincar, quebrar, desmoronar, ruir

O que não serve mais deixar cair, jogar no chão

Entregar-se, se preciso, à emoção

Sofrer, chorar, lamentar, mas levantar

Das ruínas tirar uma lição

Aproveitar o que for útil, der suporte

Regar com suor, sorrisos ou lágrimas esse chão

E ali construir base sólida, forte

Aproveitar a demolição para recomeçar

Nova e bela construção

Um novo castelo nascido em nós ressurge

Só assim mantém-se vivo nosso coração…

Alda M S Santos

Pessoas

PESSOAS

Lembrar das pessoas de nossas vidas

E perceber o que cada uma fez ou deixou em nós

Deixa-nos ora saudosos, ora aliviados

É trabalho catártico, terapêutico

Vêm à mente palavras ou ações

Boas ou ruins, algumas já esmaecidas ou quase apagadas

Outras ainda marcantes como digitais

Muitas vezes nos esquecemos do cheiro, da voz, das palavras, do olhar

Mas sempre nos lembraremos

Da sensação que nos causaram

Dos sentimentos despertados

De como nos acordaram para a vida

Ou do modo que nos apagaram ou jogaram para baixo

Focar nos sentimentos bons que ficaram em nossa alma

É um modo inteligente de seguir em frente…

Pessoas são pessoas, errando ou acertando

Ser marcante positivamente

Deixar boas lembranças registradas nos corações dos outros

Deve ser um propósito de vida…

Alda M S Santos

Nossa toxicidade

NOSSA TOXICIDADE

Mundo tóxico em que vivemos

Onde dezenas de venenos são liberados

Agrotóxicos, “humanotóxicos”

Venenos banidos noutras partes

Têm livre uso por aqui

Alto índice de toxicidade

Nos alimentos, na água

Na agricultura, na cultura

Nas palavras, nas ações

No comportamento preconceituoso e discriminatório

Quem poderá dizer

Qual deles é mais fatal?

Matamos pragas, criamos doenças

Controlamos parasitas, descontrolamos nosso DNA

A ilusão de exterminar o que nos causa mal

Quer seja físico, emocional ou sócio comportamental

Torna o ser humano cada dia mais letal

Somos humanotóxicos com alto índice de toxicidade

Tentando aqui sobreviver mais um dia…

Alda M S Santos

Inhotim -Brumadinho- MG

Visita preciosa

VISITA PRECIOSA

Certas visitas quando chegam

São tão preciosas e queridas

Fazem-nos vibrar, sentir bem

Simplicidade e beleza que encantam

Mostram que o ambiente está receptivo

Trazem a paz consigo e nos dão sensação de pertencimento

A esse lugar, a esse plano, a essa natureza tão rica

Nos fazem crer que resta ainda uma esperança

Para o nosso tão lindo planeta

Que nos foi dado a cuidar e amar

Que pode ainda haver salvação

Para nossa alma, nosso coração

Para nós mesmos como membros dessa humanidade tão complexa

Precisamos acreditar e agir

Proteger-nos como espécie integrante de um todo maior

E, principalmente, fazer tornar sempre atual a lição

Amar aos outros como a nós mesmos

Aqui somos visitantes apenas

Que deixemos melhor que encontramos…

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: