Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Categoria

Autoimagem

Camuflagens

CAMUFLAGENS
Habilidade de passar despercebido onde quer que esteja
Meio de se proteger, assemelhando-se ao ambiente para não chamar a atenção
Tornar-se um igual a tantos outros iguais
Apagar algum brilho ou cor, acender outras
Gritar onde se grita, silenciar onde tudo é silêncio,
Ser cinza onde tudo é cinzento, desligar-se onde tudo está em off
Mexe daqui, mexe dali, e…pronto!
Tudo homogêneo, nada se destaca, todos uniformizados
Um bloco de iguais!
O risco é acabar esquecendo o que se é
E, na tentativa de se autoproteger ou agradar aos outros,
Acabar por não ser mais nem um e nem outro…
Pior, perder até o prazer de ser o que se é!
Alda M S Santos

RÓTULOS

RÓTULOS

Não me adapto com rótulos
Não há um que consiga definir
Por mais que tente não é correto
É uma prisão que acaba por excluir

Ou te colocam além ou aquém
Daquilo que você realmente é
E, você, se não ficar atento
Se perde, tentando ser o que não quer

Rótulos nos limitam, travam
Ignoram que a vida é evolução
Impedem o agir da emoção, da razão

Quero a liberdade de ser eu
Se houver conceitos, que sejam meus
E, se quiser, você pode uni-los aos teus

Alda M S Santos

Melhor companhia do mundo

MELHOR COMPANHIA DO MUNDO
Viver é a habilidade de nos refazer sempre
Curtir cada momento, eternizando-os
Ou transformando-os em algo tolerável,
Que não nos machuque, não nos domine.
Viver é a capacidade de mergulhar em todos os sentimentos,
De neutralizar alguns, refazer outros, transformar outros tantos.
É manter-nos de pé, enquanto a roda da vida gira forte
Ou levantar, quando cair, mesmo que ainda tonto.
Viver é, principalmente, quando se está no chão, sofrido,
Ainda ser capaz de estender a mão e ajudar.
Viver é saber valorizar as companhias que se tem, todas elas,
Mas, essencialmente, estar acompanhado, ainda que só,
É encontrar em si mesmo a melhor companhia do mundo.
Alda M S Santos

Quando você deixa de ser você

QUANDO VOCÊ DEIXA DE SER VOCÊ
Um dia te levam uma moeda, você deixa
Era apenas uma moeda…
Noutro levam um objeto, sua bolsa, esvaziam seus bolsos
Não faz mal, você conquista outros
Tiram um direito, mais outro, substituem por deveres
E você vai cumprindo todos eles fielmente
Logo estão levando outros valores
Suas ideias, sua liberdade, seu sorriso, seus sonhos, sua essência
Seus ideais estão perdidos nesse mundo nublado
Não há mais brilho ou cor, você está opaco
Você sente um vazio, um desconforto
Não se reconhece no espelho
Não consegue reagir…
Mas segue acreditando que é por uma boa causa
“Para melhorar tem que piorar”-dizem
A quota de sacrifícios é de todos- propagam
Levam pouco a pouco até sua história
E te convencem que você sempre esteve enganado
Apagam tudo que um dia você foi
Quando percebe estão esvaziando sua alma
E a preenchendo com aquilo que eles querem
Com aquilo que não é você
Então, você deixa de ser você
Quando isso acontece você já morreu
Você tornou-se apenas um deles
Apenas uma cópia que caminha na multidão…
Reaja! Não deixe te roubarem de você!
Alda M S Santos

Real

REAL

Sou assim, queira ou não, bem real
Acerto, erro, brinco, fico séria
Gosto de ser o máximo natural
Descabelada, arrumada, no salto ou descalça

Sou assim, queira ou não, bem real
Sorrio até a barriga doer
Choro até não mais poder
O rosto inchado, olhos vermelhos
Até passar o vendaval
Sou doçura, carinho, colo, desejo
Por vezes bem sensual

Sou assim, queira ou não, bem real
Ora distante, falante, alegre ou enraivecida
Isso tudo faz parte da vida
Ora pura candura, fácil leitura
Ora travessura, bravura, amargura
Buscando apenas uma cura

Sou assim, queira ou não, bem real
Ora lindeza, feiúra, pureza, levadeza, comunicação
Ora tristeza, dor, reflexão, introspecção, solidão
Apenas alguém que quer da vida amor, emoção, evolução
Sou assim, queira ou não, bem real…

Alda M S Santos

Sonhei com você

SONHEI COM VOCÊ

Sonhei com você essa noite e tive saudades

Você estava trajando um lindo sorriso, vinha no mar

Carregava a vida com uma leveza tão doce

Que a gente queria partilhar e ficar junto

Até os momentos tristes você sabia contornar

Com cuidado para ninguém machucar

Era meio autossuficiente, autoconfiante

Nada na vida parecia sugar sua energia

Era amor, despertava amor, causava um certo furor

Havia muitos que dependiam do seu calor, do seu labor

Era luz, brilhava e inveja, por vezes, despertava

Quase nada temia, viver era uma intensa alegria

Eu olhava para você e olhava para mim

Éramos a mesma pessoa, ontem e hoje

A mesma mulher, mesmo que diferentes

Perdemos partes no caminho, ganhamos outras

Mas em algum momento algo mudou, amadureceu

Talvez tenha sido nos momentos em que a vida doeu

Por vezes não sei bem quem sou eu

Mas sigo ainda com energia, uma certa magia

Acendendo o sorriso, abrindo os braços

Oferecendo colo, ouvidos, abrigo

Ocultando os medos em segredo, atrás de abraços

Tentando levar amor onde há descompasso, necessidade

Reabastecendo assim meu ciclo vital de bondade

Você desapareceu, aqui fiquei eu

Mas o essencial de você aqui permaneceu

Prometo seguir no amor, não te decepcionar!

Prazer rever você!

Alda M S Santos

Mais no meu blog vidaintensavida.com

Ainda estou em mim

AINDA ESTOU EM MIM
Quando encontro alguém que faz questão
De ressaltar alguma qualidade que não lembrava mais possuir
Algo que fiz por elas e que as marcou
Um defeito que reconheço que melhorei
Uma virtude perdida, uma deficiência amenizada
Ou uma mania que não passa de jeito nenhum
Sinto-me bem…
Sei que ainda estou em mim, que não me perdi pelo caminho
Que são bonitas as marcas que deixei
Que sou apenas uma criatura em evolução
E que posso melhorar muito ainda
É aí que percebo que o ”pão que o diabo amassou”
Não faz tão mal assim, pois Deus é quem dá o toque final
O diabo pode até sovar a massa, mas é Deus quem põe o pão para assar
E basta um toque divino para tudo se reverter
Tudo melhorar…
Eu ainda estou em mim, mesmo imperfeita
E gosto mesmo muito disso!
Alda M Santos

Sabotagem

SABOTAGEM

Chorar quando algo machuca é normal

Mas viver cutucando a ferida é masoquismo

Ter medo daquilo que virou trauma é comum

Ficar esmiuçando o trauma em detalhes é maluquice

Errar é por demais humano

Mas ficar se auto flagelando por ter errado é desumano

Sentir saudade daquilo que não volta mais é até saudável

Mas deixar que isso impeça novo caminhar é patológico

Ter cuidado para não cometer os mesmos erros é sabedoria

Esconder-se da vida para não errar é autossabotagem…

Alda M S Santos

Moro num lugar

MORO NUM LUGAR

Moro num lugar simples e encantador

Nada paguei por ele, veio de graça

Tantas vezes tem brilho e cor

Talvez eu tenha pedido, merecido

Às vezes fica úmido, escuro, até meio mofado

Noutras é dia lindo, ensolarado

Mas é o que tenho de mais meu, mais concreto

A mim cabe saber cuidar, amar, estar por perto

Zelar, seja nos dias de luz ou escuridão

Nos dias em que há festa no salão

Quando fica apertado e parece não me caber

Ou quando sobra tanto espaço que não sei o que fazer

Pode ser muitas vezes uma mansão luxuosa

Noutras uma casinha simples no pé da serra

Não posso partilhar com qualquer um minha morada

Pois é casa simples, especial, até sagrada

Mas gosto de dividir com pessoas especiais

Com as quais me sinto bem, amada

O prazer de aqui morar, ser abraçada

Essa casa, meu corpo, onde minha alma fez morada

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: