Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Problemas?

PROBLEMAS?

Ah, os problemas… nem sempre são o que a gente vê
Posso estar sorrindo e passando pelo mesmo que você
Posso estar triste e em busca de sei lá o quê
Não somos melhores que ninguém
Problemas todo mundo tem
O jeito de encarar é que é variável
Há quem bata de frente,  brigue, chore, esperneie
Há quem, cansado, desista dessa lida, vagueie
Há quem pare, pense, tente entender o momento
Quer levantar em si qual o real sentimento
Quando percebe analisa, encara, sofre, chora
Às vezes bota tudo para fora e vai embora
Noutras, renova a alma ferida e machucada
Apara as arestas, e segue em busca de nova jornada
Ah  problemas…todo mundo tem
Atrás daquela alma boa e aparente alegria
Há um alguém que luta para manter a harmonia
Bom acolher com amor e empatia!

Alda M S Santos

Somos presentes?

SOMOS PRESENTES?

Tempo de presentar, espírito de Natal à prova
Mas o que seria mesmo um bom presente
O que tem maior valor material ou utilidade
Ou aquele que toca a alma da gente?

Uma roupa, um calçado, uma conta paga
Abrigo, água, luz, calor, remédio, alimento
O que faria um ser humano feliz
Que traria alegria e contentamento?

Saúde, fé, paz, coração em harmonia
Presença de verdade é bom presente
Aquela que é atenção, tempo, parceria
Não há melhor presente a um ser vivo carente

Nesse Natal, janeiro a janeiro, todo o tempo
Sermos ou termos embrulhados para presente
Um olhar, um sorriso, uma palavra ou abraço
E o mundo terá mais gente feliz e sorridente

Alda M S Santos

E a chuva não quer cessar

E A CHUVA NAO QUER CESSAR…

E a chuva que não quer cessar
Tantos corações que não param de pulsar
Tempo fechado que deixa a alma nublada
Gente que gosta, feliz, gente que tá assustada

O impacto sobre os mais pobres é maior
O sol para quem tem pouco é melhor
Difícil poder curtir a beleza, chuva traz dor
Deixa perdas e marcas, povo sofredor

As desigualdades são grandes na humanidade
Mundo cresce para todo lado sem piedade
Riquezas mal distribuídas, essa é a verdade

Que a chuva possa promover reflexões
Trazer solidariedade, inundar corações
Que o amor nos inunde de boas sensações

Alda M S Santos


Ao Velho Noel

AO VELHO NOEL

Vou preparar uma cartinha ao Papai Noel
Colocar na janela, no sapatinho, sob lindo céu
Não sei se ele poderá trazer meu presente
Há nesse mundo tanta gente carente

Mas se Papai Noel for bem esperto e atento
No caminho já vai deixando tudo a contento
Pois o que quero é presente para toda gente
Trocando dor por humanos mais sorridentes

Vários pacotes de amor e conciliação
Muitos de paz, luz, harmonia e união
Bolinhas de carinhos, beijos, abraços
Encurtar distâncias, apertar os laços

Peço a ele nossa vitória como humanidade
Para isso precisamos ver a grande verdade
Só seremos bons e evoluídos se unidos
Na paz, na harmonia, tendo o mal banido

Alda M S Santos

Poder de viver

PODER DE VIVER

Temos o poder de colocar luz ou escuridão
Em cada passo dado nesse mundão
De escolher o que irá nos causar impacto
Em nosso corpo ou emoções, isso é fato!

Deixar nosso dia colorido, não escurecer
Depende de nós não nos deixarmos entristecer
Conseguir fazer a noite escura brilhar
Ter o poder de ser lua ou estrela, de encantar

Mundo anda tão triste, notícias do mal
Vamos alimentar o bem, afastar vendaval
Quero poder abraçar, ser amor e carinho
Na falha, pedir desculpas com jeitinho

Ganhamos esse poder da criação
Chama-se livre arbítrio, usemos então
Eu escolho plantar sementes de alegria
Para poder colher flores e frutos de harmonia

Alda M S Santos

Chegando o Natal!

CHEGANDO O NATAL!

Vem, sorria, tá chegando o Natal
Há espaço para sonhos ou é tudo demais real?
Tanta coisa a minar a esperança
Mas Papai Noel tá assumindo a liderança

Eleições que tiram nossa energia
Copa do mundo que arrefece a alegria
Ainda um vírus que insiste em ser pandemia
E a guerra que assusta o mundo, tão sombria

Mas o Natal tá chegando, Jesus é harmonia
Mostra que o mundo tá girando, há poesia
Pode sentir esse encanto, deixar ser magia?

Ele sempre nos deixou a grande lição
É preciso agir na solidariedade, compaixão
A resposta para tudo é o amor, a união

Alda M S Santos


Amigo oculto?

AMIGO OCULTO?
Estamos em tempo de amigo oculto, amigo secreto, amigo da onça…
Muitas são as variações.
O que vale mesmo é a brincadeira, a confraternização
Pessoas que dividiram espaços de trabalho, de estudo, de vida.
Brincadeiras à parte, gosto mesmo é de amigos declarados, às claras, revelados.
Amigos de verdade nem conseguem se esconder, não precisam.
Basta um olhar que todos já sabem: são amigos.
E presenteiam-se todos os dias com aquele abraço gostoso, aquele olhar que compreende nosso interior.
Aquele puxão de orelhas, alertas de perigo, sinal de fogo.
Amigo que grita, que sussurra, que gargalha, que chora junto.
Amigo que passa sms, que conta que sonhou contigo, que perde no jogo pra gente, ou ganha e a gente nem se importa.
Amigo que sabe seu número de roupas e calçado, que diz que você emagreceu ou que está com o cabelo desgrenhado… E você sabe que tudo é carinho.
Amigo que a gente empresta o marido ou esposa…bem, nem tão amigo assim.
Até aceito um amigo oculto de vez em quando…
Mas bom mesmo é brincar de amigo declarado a vida toda.
Alda M S Santos

Confiança

CONFIANÇA

Ah, que palavra doce que traz aconchego
Que combina com paz e sossego
Rima com segurança e esperança
Exige fé, coragem, amor e perseverança

Nem sempre fácil nos dias atuais
Confiar em meio a tantos vendavais
Acreditar que tudo vai melhorar, ver os sinais
Ignorar negativismo, enaltecer pontos divinais

Vontade de agir como delicada criança
Num colo entrega seus medos, faz aliança
Certa que ali há carinho, cuidado e bonança

Sob a imensidão de um céu de sol ou luar
Ser grato, ser luz, com humildade confiar
Logo, logo toda a angústia e medo vão passar

Alda M S Santos

Melancolia

MELANCOLIA

Dia de chuva, domingo, típica melancolia 
Aquela vontade de ficar na cama, letargia
Um filme de Natal na TV aumenta a nostalgia
Passado, presente e futuro lutam por sintonia

Gratidão pelo já vivido, aprendizado
Vitórias, alegrias que alimentam o passado
Presente de sonhos pedindo realização
A vida clama por paz, ação, resignação

Futuro em pauta, o que nos cabe no coração
A mente alerta tenta fazer ponte com a razão
Esperança de tempos melhores, boa sensação

Se há algo que a vida ensinou até aqui
Lutar apenas pelo que vale o existir
No mais, deixa a vida seu curso seguir

Alda M S Santos

Porteiras abertas

PORTEIRAS ABERTAS

Em porteira aberta passa boi, passa boiada
Passa também a visita chata e indesejada
Bom deixar apenas entreaberta, uma fresta
Aí permitimos passar só o que coração atesta

Se entra a luz, entra também a escuridão
Se entra alegria, também entra decepção
Não dá para convidar para ficar quem veio apenas para o café 
Quer seja em nossa mansão ou casinha de sapé

A tristeza tem mania de querer se instalar
Alia-se ao cansaço e desesperança para ficar
Mas se a alegria for bem nutrida, alimentada
Faz parceria com amor e expulsa essa danada

Alda M S Santos

O triste canto do canarinho

O TRISTE CANTO DO CANARINHO

Mais vale um caminho longo trafegado
Pela força das próprias pernas, não hesitado
Que uma trilha dada, imposta por alguém
Onde apenas se deixa levar, não convém

Mais vale uma derrota com honra e coragem
Que uma vitória com cara de traquinagem
Tantas vezes é superior a humildade
Valiosa se comparada à falsa superioridade

Técnica, espírito de equipe, habilidade
Tudo isso vale muito num jogo bom de verdade
Se a derrota pede complacência e angustia
A vitória festeja, mas não tripudia

Por aqui sigo em paz meu camimho
No meu ritmo, depressa ou devagarinho
Não importa o mau agouro do corvo no ninho
Prefiro o doce e triste canto de um canarinho

Alda M S Santos
#Brasil #copa2022 #cbf #rumoaohexa

Em tempos de guerra

EM TEMPOS DE GUERRA

Ser humano é capaz de fazer acontecer
De iniciar, finalizar, recomeçar, retroceder
Cada um carrega em si esse poder
De deixar florescer só aquilo.que escolher

Não que seja algo fácil essa empreitada
Muitas vezes há dor e lágrimas nessa parada
Também há sorrisos, alegria, amor e esperança
Basta saber com quem ou o que fazer aliança

Bem sabemos, só cresce o que é alimentado
Se não quero deixo secar, jogo de lado
Esqueço, não permito, largo abandonado
Busco outro foco, o ruim logo será descartado

Penso coisas boas, invisto e ajo no bem
Afasto o desânimo e a tristeza também
Tenho fé, coragem, não me deixo ser refém
Em tempos de guerra, só a paz me convém

Alda M S Santos

Nossas réguas

NOSSAS RÉGUAS

Ah, mas são diferentes, sim
Minha régua não é igual a sua
Podemos medir as mesmas coisas
Porém, com resultados diversos
Quer sejam físicos ou emocionais
Amorosos, sociais ou intelectuais
A dor ou a alegria, a chatice ou a simpatia
Nossas réguas só medem a nós mesmos
Sua régua não mede com precisão minha agonia
Não seria fiel, seria falsa, mera fantasia
Minha régua não dimensiona sua dor, sua realidade
Há outro padrão que não cabe na minha verdade
Para medir o que se passa contigo
Para ser bem próximo de um amigo
É preciso usar a sua régua, o seu metro
Ver sob sua ótica, sentir sob seu espectro
Sob pena de ser cruel, maldoso, falacioso
A medida para não ser tão impiedoso
É ser flexível, resiliente, acolhedor e respeitoso
Nada se aproxima mais de uma medida universal
Que o abraço, a voz, a palavra amiga e especial
Estou aqui! Para você e para mim, ao natural…

Alda M S Santos

Faça por amor, seja voluntário!

FAÇA POR AMOR, SEJA VOLUNTÁRIO!

Faça aquilo que você gosta
Avalie bem cada proposta
Além do seu fazer, sua profissão
Encontre em si mesmo a motivação

Não importa o que te leva a ajudar
A ser voluntário nessa nau, nesse lugar
Se quer ocupar seu tempo, fazer a diferença
Ser útil, reduzir a desigualdade, ser presença

Vale mesmo é encontrar e oferecer seu dom
É ser apenas um ser humano, é ser bom
Poder replicar o que traz felicidade
Todos podemos distribuir sensibilidade

Há tanta coisa para poder escolher
Cantar, palestrar, conversar, escrever
Fazer bem consertos ou concertos
Permitir evolução, reduzir os apertos

Ser voluntário é devolver vida ao mundo
Do jeito que escolher, ser profundo
Em cada coração brota flor,  há calor
Parabéns a todos por tão belo amor!

Alda M S Santos

Essa paz…

ESSA PAZ

Será que está ali onde posso mergulhar
Ou no alto, no céu, em leves asas voar?
Será que está num canto, lá dentro de mim
Flores à espera de água para ser jardim?

Será que está no sorriso de um amigo
Naquele abraço que sabe ser abrigo
Será que está no amor que é reciprocidade
Que luta, permanece,  mantém sua verdade?

Será que está na fé que se professa
Na dor que não se cala, se confessa
Ou na esperança que é bela promessa?

Será que dá para acessar dentro da gente
Essa paz tão essencial, essa vertente
Que faz valer cada minuto como ser vivente?

Alda M S Santos

Carregando…

CARREGANDO…

Como uma máquina em perfeito estado
Tentando manter por aqui bons aliados
É preciso tempo de atividade e repouso
Por isso sigo em paz, eu ouso
Importante tirar um tempo para a gente
Iluminar a alma feliz, sofrente ou carente
Repleta de carinhos, de doces amizades
Um passeio lá fora, cá dentro, sonhos e realidades
Boas risadas, cuidados, confidências
Essa missão fica mais leve, baixando pendências
Amigos são a forma de Deus estar presente
Tê-los é estar ciente que a vida passa rapidamente
É o jeitinho melhor de fazer valer essa viagem
Ser grato, fazer reverencia a tão bela paisagem

Alda M S Santos

Esporte unindo irmãos

ESPORTE UNINDO IRMÃOS

Esporte é mais que competição
É saúde, é vida, é disposição
Vencendo ou não, é superação
É respeito pelo adversário, é ser nação

É partilhar culturas, belo time, bela tropa
Na água, na terra, no ar, ou com a bola na Copa
Seleções orgulhosas se enfrentam no gramado
Ganha quem disputa melhor, o mais animado

Mais que vencer ou ganhar, vale competir
Atletas que sabem valorizar o interagir
Desponta pelo outro a deferência, a admiração
Dentro ou fora de campo somos todos irmãos

Alda M S Santos

Formatar esse HD

FORMATAR ESSE HD

Onde será que está a falha
Tem que haver uma nessa batalha
Será a falta de uma educação de qualidade
Que tenha história e profundidade?

Será que a falha está na família
Na igreja, na sociedade, nessa matilha
Que não aprende e não ensina a lição
Dos maiores erros humanos como nação

Inconcebível que haja apologia ao nazismo
De fora da ilha dá pra ver todo o ostracismo
Nossa vergonha maior como humanidade
Achar-se melhor, ter sobre outros superioridade

Excluir, destruir,, humilhar, torturar e matar
Meu Deus, não dá para sequer imaginar
Que alguém tenha isso como convicção
É, o mundo carece de intensa renovação

Em tempos em que tudo parece distorcido
Valores falhos, mentiras, mundo sofrido
A tecnologia em alta, humanidade em baixa
Vamos formatar o HD, reiniciar, passar borracha

Alda M S Santos

Sou a favor do Brasil!

SOU A FAVOR DO BRASIL!

Não sou contra a seleção brasileira

Sou contra a seleção de alguns brasileiros

Em qualquer esfera: política, econômica, social, religiosa, esportiva…

Inclusive no futebol!

Sou contra brasileiros bitolados

Que não sabem diferenciar e separar as coisas

Que mergulham a cabeça nos campos gramados do futebol

Nos púlpitos religiosos, na câmara política, nos palcos da hipocrisia

E se fecham para o resto, bom ou ruim

Esquecem que todos nós escrevemos o Brasil!

Tal qual avestruzes, enfiam as cabeças nas areias do egoísmo

Ou se justificam com “isso é Brasil”, como se não fizessem parte

Torcer contra a seleção brasileira de futebol

Não ajuda a eliminar as outras seleções mal feitas!

Futebol é futebol, política é política, religião é religião

A cada um o seu aplauso

Ou não!

Alda M S Santos

Paciência

PACIÊNCIA

Mundo que gira tão rápido, tensiona
Noutros momentos ele para, estaciona
Mundo que nos exige paciência, resistência
Calma, alma, fluência, resiliência

Mundo que traz sofrimento, crescimento
Evolução a cada dor ou descontentamento
Mas a vida segue sempre em frente
Não para nunca, ainda que pareça indiferente

Viver é de uma incrível grandiosidade
Nem sempre percebida na dura realidade
Peçamos a nós mesmos mais paciência
Tudo, tudo passa, é preciso sapiência

Alda M S Santos

Vai lá, Brasil!

VAI LÁ, BRASIL!

Brasil de várias caras, várias cores
De várias nuances e sabores
Brasil de alianças e boas jogadas
De gente boa, bonita e apaixonada

Brasil de verde, amarelo, meião e chuteira
De esperança que alimenta a nação inteira
Brasil de coração no pé quer poder gritar
Vai, lá, Brasil, queremos todos festejar!

Brasil que em todo o mundo tem seu lugar
Vai buscar nossa taça no Qatar
Brasil de alegria, de samba e futebol
De arte, cultura, fé, acenda seu farol

Brasil que acolhe seus filhos, nossa nação
Povo trabalhador que precisa de diversão
Vai lá, enfeita esse nosso céu azul anil
Deixa a gente, enfim, gritar feliz: é Brasil!

Alda M S Santos

Desejo

DESEJO

Desejo de catar lindezas por aí
Em todo canto poder me abstrair
Em grandes campos ou passarelas
Jardins de lindas flores amarelas

Desejo de me envolver só na simplicidade
Ignorar o que não agrega, a maldade
Mentiras e falsos profetas mandar embora
Quero a paz e a luz que sei, não demora

Chega a chuva, a luz, o calor do sol
Sob estrelas, frio, brisa ou arrebol
Quero a sabedoria simples do girassol

Viver num universo paralelo é perigoso
Por aqui pode estar difícil, pedregoso
Bom cuidar do jardim interno, ser cauteloso

Alda M S Santos

Não é opção!

NÃO É OPÇÃO!

Quantas vezes desistir surge como opção
Aquela angústia que aperta o peito, o coração
Mundo tão perdido, sem sonhos, negativista
Próprio umbigo é marca de todo individualista

Aquele desejo de jogar a toalha, ir embora
Se entregar, abrir mão, a alma silencia e chora
Tanta desigualdade, fome, exclusão
Mas tantos com limitada e excludente visão

Perde-se a noção do todo, da coletividade
Com isso some qualquer sinal de normalidade
Vai-se aos gritos todo indício de humanidade

A Terra clama por mais, pede que se levante
Acorde e sacuda a bandeira da paz, triunfante
Tenha humildade, amor, não seja arrogante!

Alda M S Santos

Como ovelhas

COMO OVELHAS

Andando em círculos, umas atrás das outras
Por doze horas seguidas sem cessar
Que faz com que as ovelhas fiquem nesse caminhar
Qual delas teve a ideia de começar
Há uma que esteja na frente a liderar
Por que as outras não conseguem evitar?
Qual a razão desse aparente transe
Uma parte delas não seguiu o rebanho
O contágio não foi para todas elas
Parte ficou no meio só observando, alheias
Quantas vezes seguimos a marcha, a tropa
Sem sequer raciocinar, sem entender a razão
Apenas seguindo a multidão
Que falta para desligar o interruptor
Quem está certo: o caminhante ou o desertor?
Quem segue indefinidamente ou quem espera?
Não sei o que move a coreografia das ovelhas
Tampouco sei o que tem movido nossas humanas centelhas
O povo parece abobalhado, atordoado
Será que o mesmo sinal que guiou as ovelhas
Tem guiado os humanos grudados em suas parelhas?

Alda M S Santos

Radicais?

RADICAIS?

Precisamos de humanos que saibam ouvir, não só falar
Que saibam conversar, sem com isso brigar
A capacidade de interagir e compreender
Permite nosso evoluir, nosso florescer

Cada qual em seu canto radicalizado
Não possibilita um diálogo civilizado
Apontar o dedo, julgar, fazer acusações
Cria um mundo nocivo, cheio de aberrações

É preciso ter o coração e mente abertos
Manter a civilidade e sabedoria por perto
Bate-boca e insultos ferem, desrespeito não é certo

Quando eu me permito mergulho interior, autoconhecimento
Abro espaço para razão e sentimento
Assim, posso entender melhor no outro o pensamento

Alda M S Santos

Em dimensões continentais


EM DIMENSÕES CONTINENTAIS

Todo mundo precisa de muito amor
Muito mesmo, dimensões continentais
Que pareça nos aquecer com seu calor
E que nos faça perceber seus sinais

Um amor que seja tolerante e amigo
Que não desrespeite, que seja abrigo
Que entenda que você é um ser especial
Mas que não precisa ser dele um igual

Amor que se doa, se faz, se reparte
Não pede brigas, do mal não faz parte
Com sabedoria e lucidez ergue o estandarte

Precisamos de mais tolerância
Colo, empatia, total observância
Da paz, harmonia, sem beligerância

Alda M S Santos

O que se vê…

O QUE SE VÊ…

Em cada amanhecer, através de minha janela
Imagino uma grande tela branca em aquarela
Quais as cores e dores que pinto nela?
Imagino ali uma extensa e convidativa passarela

Os tons que vou observar e escolher cabem a mim
As flores que vou pintar farão original meu jardim
Os valores que vou priorizar, as companhias
Serão especiais nessa minha travessia

Vejo dores, gritos, violência e insanidade
Vejo embates, vejo fé, medos, fragilidade
Também vejo coragem, amor, paz, realidade

Minha aquarela é móvel, muda de tom
Tem borrões e bordões de lágrimas, tem som
Tem música que acalma a alma, tem colo e edredom

Alda M S Santos

Oito bilhões

OITO BILHÕES

Um número meio difícil para a imaginação
Sabe-se que é muita gente nessa dimensão
Somos nós, humanos por aqui, seguindo
Estamos mais destruindo ou construindo?

Quais as medidas deveriam ser usadas
Para saber se estamos crescendo nessa empreitada
Avançamos muito em números absolutos
Somos um povo bom, capaz, impoluto?

O que conquistamos foi a custa de quê?
Destruímos natureza, civilizações, qual o porquê?
Lá do alto a Criação está triste e atenta
Observando quem causa guerra, quem as apascenta

Imagina se fôssemos oito milhões de gente diferente
De mãos dadas, irmanados, seguindo em frente
As chances de sermos maiores, sobreviventes incansáveis
Passam pelo coração, por ações autossustentáveis

Alda M S Santos

E a jabuticabeira ali…

E A JABUTICABEIRA ALI…

E se a vida fosse uma grande jabuticabeira
Convidativa ali na cerca, bem na beira
Carregadinha de frutos para quem quiser saborear
Só chegar, colher e aproveitar

O mundo anda tão complicado
Coisas simples são deixadas de lado
Só é aplaudido o que é difícil de ser conquistado
O que é natural já não é valorizado

Disputas e lutas são incentivadas
Verdades e mentiras são calibradas
Num eterno ringue brigas são travadas

E a jabuticabeira ali no meu caminho
Diminuo o passo, sorrio, sou passarinho
Me aboleto ali, colho e como devagarinho

Alda M S Santos

Perigo das certezas

PERIGO DAS CERTEZAS

Tanta gente cheia de certezas
De convicções, querendo virar a mesa
“Verdades” absolutas de lá e de cá
Sem respeito e cuidado isso não vai prestar

Tanta gente agindo de modo, no mínimo,  irreverente
Por vezes ilegal, radical e contundente
Falta parar um pouco, analisar, refletir
A massa nem sempre sabe para onde ir

A primeira postura daquele que se julga certo
Deveria ser manter a sabedoria e a paz por perto
Nunca semear discórdia e desunião, sob pena de criar deserto

É preciso compreensão ao ponto de vista diverso
Respeitando as próprias crenças, a lei, o que for controverso
Sabendo que nossa atitude muda o ritmo do universo

Alda M S Santos

Noves fora

NOVES FORA

Na tentativa de entender melhor esse mundo
Busco sair da superfície, mergulhar fundo
Uso a lógica, o raciocínio, a razão
Mas nem sempre as exatas trarão a solução

Somo, subtraio, multiplico, divido, noves fora
Vou tentando achar a resposta certa a toda hora
Entendo que para melhor compreensão
Terei que dosar razão e coração

Meu pensar pode ser bem diferente do seu
Será que seu sentir se parece com o meu?
Talvez nesse ponto encontremos um apogeu

Humanos sempre nesses difíceis embates
Vitórias, derrotas, empates
Casos de vida e morte, há algo que os aparte?

Alda M S Santos

A missão

A MISSÃO

Qual será por aqui nossa tarefa, nossa missão
Como saber se não estamos na contramão
Se seguimos a turma, a maioria, a massa
Se nos importa bem sentir sentados na praça?

Como estaremos no check-out final
Será doce calmaria ou intenso vendaval
Haverá dívidas e créditos nesse balanço
Ônus ou bônus, alegrias, paz ou ranço?

Nosso HD interno será útil, aproveitável
Ou pode-se deletar tudo, resetável
E reiniciar do zero o que for aceitável?

Seria bom usar Bluetooth, poder trocar dados
Aparelhar corpo e alma, presente e passado
Fazer de nosso coração o maior aliado

Alda M S Santos

Disco voador

DISCO VOADOR

Luzes no céu de nosso Brasil
Em tons branco ou azul anil
Girando em trios ou paradas
Pilotos reportam questão inusitada

Será que são discos voadores
Talvez OVNIs com seus sensores
Somos espécie a ser estudada
Gente que anda perdida e amalucada

Vieram trazer ou buscar informação
Qual será a dúvida, a questão
Poderiam nos ensinar a dar as mãos

Espaço sideral todo precisa de amor
“Oh, oh, seu moço do disco voador
Me leve com você pra onde você for…”

Alda M S Santos

Aniversariar…

ANIVERSARIAR…

Aniversário é momento de reflexão
De sorrir, chorar, ir fundo no coração
É descobrir novas áreas demarcadas
No rosto, no corpo, na alma escancarada

É tempo de avaliar o baú da memória
Saber o que guardar dessa história
Novos lugares que doem, decepção
Também o que faz feliz o coração

Num balanço bem seletivo anual
Quero apreciar o belo no meu quintal
Vou conservar meu potinho de riquezas
Jogar fora o que não for minha natureza

Sem ser meu próprio carrasco
Olhar o lado cheio desse frasco
Fazer do vazio espaço para crescimento
Ser só gratidão ao Rei do firmamento

Alda M S Santos

Tão difícil

TÃO DIFÍCIL

Tão difícil o mundo assim dividido
Como será que Ele olha seu filho combalido
A Terra tomada pelas guerras, pelo degredo
Famílias desunidas, isoladas em seus medos

Tão difícil a briga dentro de si, interna
Por autenticidade, verdade, alheio à baderna
A confusão quer abarcar a todos, quer aliados
Manter-se são é tantas vezes complicado

Quiséramos olhar para o céu como grande tela
A transmitir o caminho, luz sobre nossas mazelas
Sem nada a nos ser forçado ou empurrado pela goela

Busquemos essa tela dentro da gente
Somos capazes de achar essa semente
Nossa essência, nosso bem, efetivamente

Alda M S Santos

Nebuloso

NEBULOSO

Estamos vivendo tempos nebulosos
Para todo lado que se olhe há inescrupulosos
Donos da verdade há para todo canto
E o que nos resta é dor ou pranto

Diz que toda tempestade traz a bonança
É preciso saber aguardar com esperança
Mas é importante agir com calma e cuidado
Atrás de toda nuvem há céu azul, ensolarado

Alda M S Santos

Abalos sísmicos

ABALOS SÍSMICOS

A natureza humana está sendo abalada
Estrutura sendo fortemente danificada
Tanta gente gritando, tanta gente silenciada
As paredes da alma estão todas trincadas

Bom verificar o índice do abalo sísmico
A origem, a duração, o quanto é polêmico
A escala Richter do coração poderá dizer
Os danos que podem causar esse enlouquecer

Análise feita, causas e consequências descobertas
É chegada a hora de aparar as arestas
Não dá é para deixar trincas abertas

Abalos sísmicos geram nova acomodação
Bom estar alerta para evitar infiltração
A vida precisa de amor, essa é a solução

Alda M S Santos

Acalma tua alma

ACALMA TUA ALMA

Sempre algo para abalar a paz
Sacudir o coração, tornar o ser incapaz
Urge buscar um pouco de serenidade
Resgatar momentos de luz e felicidade

O foco não precisa ser na dor, na ferida
Remexer demais não ajuda, cabeça erguida
Reflexão, sossego, não entrar nessa pilha
Bom voar na imaginação, acumular milhas

Tanto já foi enfrentado e vencido
Há momentos em que tudo parece frágil, falido
Mas a força está lá dentro, desejo suprido

Cada qual tem seu modo de ser, seu limite
Mas todos ouvimos da Criação o convite
Vencer o que faz mal, a vida permite

Alda M S Santos

Vamos pedir!

VAMOS PEDIR!

A Deus, que nos ampare, console e oriente com seu amor
Aos cidadãos que saibam lidar com tristeza e dor
Que não usem disso para ferir seu semelhante
É preciso agir com sabedoria e doçura, como um infante

Que a luz possa iluminar de dentro para fora
Que possamos lutar pelo bem, sem demora
Que saibamos identificar o bem de verdade
Para não gastar munição na maldade

Amém!

Alda M S Santos

Acreditar e florescer

ACREDITAR E FLORESCER

Precisamos acreditar que tudo está como tem que estar
E se não estiver que vamos lutar para colocar
Urge saber que cada um é mais um trabalhador
Que assim, agindo, é por todos um vencedor

Precisamos acreditar que somos Pátria Amada
Que não vamos desistir de nossa jornada
Aqui fomos plantados, aqui vamos florescer
Sorrir, chorar, fazer o melhor acontecer

Acreditamos que o mundo bonito começa em nós
Nos corações em laços, sem nós
Deus conosco sempre, nos ônus e bônus, contras e prós

Quero acreditar que vamos vencer
Muito há por lutar, por todos, por fazer
O mundo não para, felizes ou não, vamos todos viver!

Alda M S Santos

Um modo de olhar

UM MODO DE OLHAR

Que bom seria poder assim olhar
Com empatia e afinidade, bem devagar
Olhar que carrega bondade e sapiência
Como o olhar do Pai a nós com benevolência

Um olhar que acolhe o que é diferente
Que põe no colo e diz: meu filho sofrente
Cada fragilidade, inadequação, medo, dor
Ele observa e não abandona nosso temor

Quisera melhorar essa capacidade
De olhar nosso irmão com bondade
Focar no que há do bem em profundidade

Ninguém é de todo bom ou mau
A poeira suja pode ser só superficial
Lá dentro brilha um humano especial

Alda M S Santos

Por um pouco mais de paz

POR UM POUCO MAIS DE PAZ

Hoje, e enquanto puder, sejamos mais gentis
Olhar para o outro e ver além do que ele diz
Qual a dor e o medo que há por trás
De toda atitude de rebeldia que ele traz

Por um pouco mais de paz
Vamos fazer o que é eficaz
Aceitar o outro, mesmo sem concordar
Conseguir seguir, dialogar sem brigar

Você pode ter uma visão diferente
Mas não precisa ser tão contundente
Haja com sabedoria, seja resiliente

Sua verdade, pode não ser a minha, sabemos
Não é que haja duas verdades, entendemos
Só o jeito de olhar é que é diverso, aceitemos!

Alda M S Santos

Chegada a hora

CHEGADA A HORA

É hora de ouvir o coração
Hora de se encher de muita emoção
Mas não é bom esquecer a razão
E lembrar da dor e da carência de nosso irmão

É chegada a hora de deixar brilhar a  luz
Seguir a estrela maior que nos conduz
Aquela que fala do amor maior
Pela criação, pelo próximo, ninguém é menor

É hora de ouvir seu próprio sentir
De ter sensibilidade no agir
Momento de cuidado para ninguém ferir

É fundamental respeito ao outro, a si
O que se lança no tempo volta para ti
Que a paz e o amor reinem para você e para mim

Alda M S Santos

Tem hora…

TEM HORA…

Tem hora que tudo é leveza
Alegria, satisfação, luz e beleza
Tem hora que tudo fica escuro
Dor, mágoa, dúvida, em cima do muro

Tem hora que há compreensão e clareza
Sensação de pertencimento, inteireza
Tem hora que busco qualquer disco voador
Que me leve para o espaço… Por favor!

Tem hora que nada parece fazer sentido
Qual a razão de tudo isso, povo sofrido
Tem hora que quero apenas passar batido

Tem hora que mergulho bem fundo
Nas minhas emoções, meu submundo
Tem hora que quero somente ir embora

Alda M S Santos

Ela invade, cuidado!

ELA INVADE, CUIDADO!

Ela chega em todo e qualquer lugar
No trabalho, no ônibus, na igreja, no bar
Não pede licença, é capaz de enganar
Se enfia na cama do casal, em todo o lar

Como coisa ruim qualquer ela invade, arromba
Pode chegar devagar ou como uma bomba
Se a gente não se cuidar ela leva tudo embora
E deixa o coração doído, a alma chora

Causa danos nas famílias, nas amizades
Cansada de pisar em ovos, que infelicidade!
Vejo se esvair de nós toda humanidade
Politica: quem ganha com isso na verdade?

Queria que toda a população do meu Brasil
Lembrasse que não compensa todo esse ardil
Hoje somos um voto a mais nesse covil
Amanhã, um pobre qualquer sob o céu anil

Alda M S Santos


Deixe Deus agir

DEIXE DEUS AGIR

Inspira, expira, deixe a paz em circulação
Entra e sai… entra e sai…no e do coração
Troca de oxigênio e gás carbônico
Antes que o mal se torne crônico

Em que momento começou a dar errado
Dá vontade de esquecer, não deixar parado
Inspira fundo, outra vez, expira devagar
É bom a gente ativar a alegria, contaminar

Pedimos paz, sabedoria, sem violência
Que Jesus cubra o Brasil de amor e resiliência
Que vejamos o outro, sem prepotência

Inspira, expira, inspira, expira, não conspira
Respeito, amor e fé e a roda da vida gira
E Deus agirá em nós, na verdade, sem mentira

Alda M S Santos

Para além do espelho

PARA ALÉM DO.ESPELHO

Não basta olhar só para si
Ao se olhar no espelho precisa ver além
Não é suficiente você estar bem
É preciso que o outro esteja bem também
Que possa ter chance de ser mais alguém
Um mundo melhor não gira em torno de mim
Uma visão ampla, de sociedade, para a comunidade
É o jeito mais certeiro de ser mais humanidade
Quando olho para o meu entorno, para fora 
Tiro o foco de mim, abro a porta para o mal ir embora
As janelas da alma permitem a entrada
De quem pode ser a razão dessa nossa jornada
Você está bem? Que bom! Divida com alguém!
Pense em alguém, coloque-se no lugar de outrem
Assim seu agir será sempre para o bem!

Alda M S Santos

Ar-mando um arsenal

AR-MANDO UM ARSENAL

Quero uma gente bonita e armada
Mais que isso, uma população amada
De luz, de paz, de bem-aventurança
No peito a alegria do amor e da esperança

Montar para nós um grande arsenal bélico
Capaz de combater todo mal maquiavélico
Saúde, alimento do corpo para toda população
Escolas para a mente, poesia e educação

Quero uma blindagem de sabedoria e respeito
De fé, de espiritualidade pulsando no peito
E no olhar o amor sendo lançado de todo jeito

Quero entender o que vem da Criação
Os ensinamentos de amor, a grande lição
Amar a Deus, a todos, a si, sem alienação

Alda M S Santos

Além do horizonte

ALÉM DO HORIZONTE

Além, bem além do horizonte
Atrás das montanhas, pra lá dos montes
Lá longe onde o mar se encontra com o céu
Quero poder encontrar você, fazer meu papel

A imaginação viaja: será que poderei encontrar
Um espaço de luz e bondade pra conversar
Colocar os pingos nos is, descobrir a razão
De estar por aqui ainda, qual a melhor ação?

Fecho os olhos, deixo a sensação fluir
Meu interior se remexe, quer fugir
Mas algo diz que não é a hora de partir

Percebo-me em oração, em poesia
Converso com Deus, total sintonia
Ele diz: vá, você faz parte dessa magia!

Alda M S Santos

Mi-mi-mi

MI-MI-MI

Vi a definição outro dia: o que é mi-mi-mi?
É aquela dor que não dói em mim
Achei tão perfeito, não se tem a dimensão
Aquilo que dói no outro carece compaixão

Posso tentar imaginar, me colocar no lugar
Se minha alma for terna, souber avaliar
Mas a exata complexidade do que ele sente
Só cabe a ele dimensionar, sejamos prudentes

Se é dor no corpo, na alma, no coração
Se é algo que fere com força a emoção
Se machuca, remexe feridas, martiriza
Não cabe ser algoz quando a ele traumatiza

Não é mi-mi-mi dar voz a sua dor
Quem faz pouco caso já perdeu o valor
Cabe a cada um de nós total respeito
O que é do outro, é do outro, vamos agir direito!

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: