Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Pra fazer sentido…

PRA FAZER SENTIDO…

Gosto do que me desperta sorriso de paz
Que brinca, que acalma, que simplifica, é eficaz
A vida quer gente que faça, que seja ação
Mas que nunca abra mão da emoção

Gosto do que a natureza me proporciona
Da riqueza, força, l suavidade que emociona
Aprecio quando tudo parece se encaixar
Quando encontro colo ao ver tudo desmoronar

Preciso que as coisas para mim façam sentido
Para que eu tenha sensação de dever cumprido
Mas que não pese, seja leve, um viver divertido

Pra fazer sentido é necessário tocar o coração
Não basta que seja apenas percebido na razão
Se não acariciar a alma não vale nada não

Alda M S Santos

Foi você?

FOI VOCÊ?

Foi você?
Que fez o Sol surgir na serra ou no mar
Aquecer a todos, sem ninguém deixar passar
E fazer aquela semente de esperança brotar?

Foi você?
Que trouxe brilho ao verde das matas, bela visão
Que me fez seguir em frente, com emoção
Os sonhos traçados dentro do coração?

Foi você?
Que minhas lágrimas deixou brotar
Mas não me deixou só, a chorar
Fez delas boa irrigação para a vida renovar?

Foi você?
Que sempre esteve por aqui
Que sinto pulsar forte dentro de mim
Quando tudo parece quase no fim?

Foi você?
Que é meu início, meu começo
Meu amor, minha vida, meu recomeço
Meu futuro, minha esperança, sem tropeço?

Foi você? Foi Você! Sempre é Você!

Alda M S Santos

Amor maior não há!

AMOR MAIOR NÃO HÁ!

Um amor sem dimensão, que não magoa
Que acolhe, entende, incentiva, perdoa
Que mostra caminhos, é luz, é verdade
Amor que se doa, sem qualquer vaidade

Amor que se fez homem, foi dor, sacrifício
Amor que não requer qualquer artifício
Amor que não exige grandes feitos
Tampouco que sejamos humanos perfeitos

Amor que se faz presente na natureza
Na grandeza de Seus atos, sua realeza
Amor que prima pela simplicidade
Que sabe estar junto, ser realidade

Amor que está em nós, em todo lugar
Amor que só soube em tudo nos ensinar
Se quisermos demonstrar nossa gratidão
Amemos ao próximo, essa foi Sua grande lição

Alda M S Santos

Há gente assim…

HÁ GENTE ASSIM…

Há gente de todo tipo nesse mundão
Há gente luz, há gente escuridão
Há gente que briga, outras que dão a mão
Há gente que é separação, outras união

Há gente que é lágrima, gente sorriso
Gente que é força, gente fragilidade
Gente que é medo, gente que é coragem
Gente que foge, gente que segue viagem

Há gente que que é peso, outras leveza
Gente que é feiúra, outras beleza
Há gente que é amor e doação
Gente que é descaminho e perdição

Há gente de todo tipo por aqui, incrível
O que nem sempre é tão perceptível
É que todas elas podem fazer morada
Dentro de nós mesmos em diferentes jornadas

Alda M S Santos

Viver pode ser difícil

VIVER PODE SER DIFÍCIL

A vida em si carrega tantos desafios
Muitos deles que angustiam e chacoalham nossos brios
Um mexer e remexer com a vida e a morte
Transitando nesse caminho em busca de luz, de sorte

Tantas vezes queremos brecar, botar um freio
Ou nos livrarmos de algumas prisões, anseios, arreios
Quisera que só conseguíssemos ver belezas
Ah, mas não… também há tanta tristeza!

Percebemos que a vida pode ser bem ferina, dolorosa
Mesmo quando se parece delicada e suave como uma rosa
Sentimos tanta falta de poder expressar tudo isso
Desmembrar esses sentimentos que parecem algo maciço

Ver no outro, sentir nele a compreensão
Sabendo que também  é outro humano onde bate um coração
Percebemos que por aqui tudo é mais difícil na solidão
Faz falta ter com quem partilhar tanta emoção

Somos seres humanos, carregamos essa condição
Por que é tão difícil, então, equilibrar o coração e a  razão?
Será que fica mais fácil se todos nos dermos as mãos?
A vida para se manter pede mais empatia e união…

Alda M S Santos

Ser poeta

SER POETA

Ser poeta é registrar em palavras a poesia
É verbalizar o que talvez seja agonia
Ser poeta é buscar sempre a sintonia
Em tudo que há, até mesmo na desarmonia

Ser poeta é sentir cada gota da chuva fria
É absorver qualquer calor em tempos de carestia
Ser poeta é acalentar sonhos, é ser fantasia
É saber fazer da lágrima uma bela melodia

Ser poeta é ver uma réstia de luz na escuridão
É caminhar em terrenos áridos, pés no chão
Ser poeta é tentar entender e aceitar a Criação
Sabendo extrair aprendizado em busca de evolução

Ser poeta é em cada canto enxergar o amor
É nunca desistir, insistir, é ser o perfume da flor
Ser poeta é acreditar que um mundo melhor não é ilusão
Ele nasce, brota e cresce dia a dia no coração

Alda M S Santos

A TELA DA VIDA

A TELA DA VIDA

A vida, por vezes, é composta de cor, brilho, traços definidos
Noutras tudo parece escuro, fosco, descolorido
Algumas vezes há nitidez, clareza de informações
Noutras, só um esboço, traços confusos ou borrões

Parece que recebemos tela difícil de pintar
Nossa arte dá a impressão de não ter lugar
Misturamos cores, mas nossa paleta é pobre
A crítica é cruel, machuca, não é nada nobre

A chuva tem hora que não refresca, assusta
O Sol não aquece, não acalenta, frustra
As amizades não acolhem, falta calor
Os amores não satisfazem, falta ardor

Buscamos um lindo e brilhante painel
Tão rico e salpicado de estrelas como o céu
Seja noite ou seja dia tem sua beleza
Será difícil encontrar em nós essa riqueza?

Alda M S Santos

Livre para sonhar…

LIVRE PARA SONHAR…

Mente e alma livres para sonhar
Sonhar de brincar…Brincar de quê?
Brincar de voar, planar, pousar
Pousar num cantinho bom para amar

Livre para sonhar de ser quem eu quiser
Um alguém que faça tudo que lhe aprouver
Coração leve, feliz, forte, despreocupado
Que tem na consciência tranquila seu aliado

Liberdade que implica em responsabilidade
De sonhar, lutar, buscar, realizar de verdade
Entre quedas, tombos, lágrimas e tropeços
A firme convicção de ser sorriso nos recomeços

Quero essa liberdade de poder sonhar
Nos espaços infinitos desse mundo transitar
Sei que quando sonhar já não for possível
Já não serei mais eu, isso é impossível

Alda M S Santos
Tarde de Poesias: Livre pra sonhar

Faz falta na vida da gente…

FAZ FALTA NA VIDA DA GENTE…

O que faz falta na vida da gente
Que dói se estiver ausente
Aquilo que deixa a alma carente
E o coração parece que fica dormente?

Faz falta um sorriso, a fantasia
Um abraço apertado, carregado de magia
Um Sol quente que renova a vida todo dia
A chuva que faz brotar a semente da alegria…

Faz falta na vida da gente a fé na Criação
Em algo maior para depositar nossa gratidão
Deixa-nos vazios a ausência de perseverança
Faz a vida parecer inócua, sem esperança

Faz falta ter um alguém, família, amor, amigos
Não fomos feitos para estar por aí sem abrigo
Nossa melhor morada é dentro de um alguém
Faz falta sermos boa morada também

Alda M S Santos

Será que sou daqui?

SERÁ QUE SOU DAQUI?
Tantas vezes olho para cima
Um céu noturno, salpicado de estrelas
Uma lua de tantas fases e faces
Nuvens pesadas separando os mundos
Ou um lindo sol a uni-los
Um infinito de possibilidades
Uma via láctea ali estampada e convidativa
E sinto que não pertenço a esse mundo
Um mundo tantas vezes cruel e injusto
Desigual e repleto de males do corpo e da alma
Sinto que não sou daqui
Que há uma força a me atrair
Será que de lá eles olham para cá
E têm a mesma impressão?
Será que cada estrela não é um ente querido que se foi
Como falamos para as crianças?
Será que há uma porção minha do lado de lá
Que quer me levar embora daqui?
Ou sou eu que carrego comigo uma porção delas
E esteja querendo atraí-las para cá?
Será que temos algo a trocar, a compartilhar?
Sei que esse mundo é muito maior que isso aqui
E há muito a aprender, a ensinar
A pedir, a oferecer…
Quero voar, subir, encontrar com outros seres
Iguais ou não, encontrar com Ele
Correr sobre as águas, sentar num banco de nuvens
Bater um papo longo, receber um puxão de orelhas, talvez um colinho
Quem sabe assim a gente se complete
E construa um mundo mais justo
Lá e cá?
Sinto que não sou daqui
Mas enquanto estiver aqui tentarei fazer o melhor…
Alda M S Santos

O que realmente importa?

O QUE REALMENTE IMPORTA?

Tantas as pontes, tantas as travessias 
Tantos ganhos e perdas nessas trilhas 
O que realmente importa, que traz alegrias? 
Será quanto vale ter uma casa onde morar 
Vale tanto quanto ser para todos um abençoado lar? 

Será que vale muito ter carro novo, um meio de transporte 
Ou vale mais seguir sem perder nosso norte? 
Será qual o valor de ter um emprego cobiçado 
Seria melhor fazer algo prazeroso, ainda que mal remunerado? 

Qual a importância de se sentir belo e inteligente 
Se isso nada de bom trouxer para a vida do outro, da gente? 
Qual o valor de ter saúde e muitos dons, ser habilidoso
Se não souber aproveitar e fazer disso um uso duvidoso 

Vale muito ter muitas coisas, várias conquistas, bom coração 
Mas nada se compara ao prazer de partilhar essa emoção 
É bom ter muitos amigos, vários alguéns, ser admirado, admirar 
Mas nada vale mais que ter alguém real para amar

O que realmente importa por aqui? 
Vale lembrar que nada levamos para a eterna morada 
Importa mesmo é o que de marcante em cada alma for deixada 
No mais é perda de tempo, é jogar fora uma vida que nos foi dada

Alda M S Santos 

Quero queijo!

QUERO QUEIJO!

Quero queijo!
Queijo com doce, queijo com café
Queijo da Serra Canastra, na rede, num chalé
Queijo para aumentar a minha fé

Quero queijo!
Queijo numa mesa na cozinha
Queijo acompanhada ou sozinha
Queijo para lidar com a  dor que se avizinha

Quero queijo!
Queijo que atrai um doce beijo
Queijo que mantém aceso o desejo
Queijo no qual a satisfação prevejo

Quero queijo!
Queijo para partilhar um dedo de prosa
Queijo que me deixa feliz e toda prosa
Queijo Minas, minha terra e de Guimarães Rosa

Quero queijo!
Queijo que nao rejeito, é desfeita
Queijo que cai bem em qualquer receita
Queijo que com prazer ofereço: aceita?

Alda M S Santos

Quando a vida escurecer

QUANDO A VIDA ESCURECER

Quando parecer não haver mais caminho
O mato tomar conta das trilhas, sentir-se sozinho
Quando o Sol lá fora não nascer, o interno esfriar
Urge fazer brotar a esperança, o mundo não pode acabar

Quando as lágrimas ocuparem todo o espaço
Embaçando o olhar, nublando, na alma um inchaço
É preciso se abrir para o sorriso que se apresentar
Nosso rosto pode ser para ele um bom lugar

Quando a chuva for o que o dia oferecer
E buscarmos proteção, fugir, correr
Bom seria uma nova avaliação dessa situação
Talvez dançar nela seja o que precisa o coração

Quando parecer que a dor tomou conta
Tudo que acontece parece ser à vida uma afronta
Necessário é rebater e fazer eco ao amor
Um fiozinho dele só, pode alastrar em nosso interior

Quando a vida se fizer noite, escurecer
O desejo for de desistir ou se recolher
Que possamos nos cobrir com um grande manto
Um edredom de Lua e estrelas para acalmar nosso pranto

Alda M S Santos

Desatinos

DESATINOS

De quantos desatinos se faz uma loucura?
De quantas loucuras se faz uma alegria?
De quantas alegrias uma vida precisa para ser feliz?

De quanta felicidade se faz uma história
De quantas histórias se faz uma memória
De quantas memórias uma vida precisa para renascer?

De quantas vidas se faz essa viagem
Em quantas viagens embarcamos nessas paragens
Dá para viver vendo o mundo se desfazer em bobagens?

De quantos desatinos precisamos para não enlouquecer
A quantos nãos conseguimos sobreviver
Dá para viver sem o amor fazer acontecer?

Alda M S Santos

Até à Lua

ATÉ À LUA…

Tantas vezes dá vontade de ir, só ir…
Sempre em frente em busca de outra gente
Que não faça tanto pouco caso uns dos outros
Que não faça tanto barulho por nada
Ou silencie, se omita quando é solicitada
Que não guerreie, não despreze, não mate
Desejo de ir em busca de novo astro, novo planeta
Quem sabe uma Lua não nos dê na veneta?
Se muito refletir, será que veremos valor por aqui
Será que há esperança nos humanos tão desumanos?
Fica a questão: qual parte me cabe nessa mudança?
A natureza sendo destruída, cidadão que nem liga
Tanta desigualdade material, emocional, moral
Cada qual lutando suas batalhas internas sem ver o essencial:
Qualquer luta fica mais fácil quando saio do meu pedestal
Quando dou as mãos, olho para o outro e me vejo ali
Como um alguém que deseja crescer
E fazer valer por aqui esse viver
A Lua está logo ali, parece que me chama
Digo a ela: ainda não! – ela não reclama
Mas somos parceiras, ela me ouve, me entende, me espera
Qualquer hora daremos juntas início a uma nova era
Enquanto isso eu sonho… e sigo…

Alda M S Santos

Telepaticamente

TELEPATICAMENTE

Tenho vontade de me conectar telepaticamente
De longe ou de perto me unir doce e delicadamente
Uma magia entre várias mentes e emoções
Sendo capaz de agir e produzir  boas sensações

Se isso um dia fosse possível nesse plano
Essa conexão por amor e paz entre humanos
O viver seria algo mais intenso, primoroso
O contágio do bem se alastraria, não sendo doloroso

Seria necessária uma densa e sutil barreira
Que não permitisse conectar o mal nem de brincadeira
Só seriam partilhados a luz, o amor, a união
O mais seria rompido na linha de tensão, corte de conexão

Quero fazer exatamente assim
Fechar os olhos e já me imaginar num suave motim
Quem sabe no silêncio do mar, das águas do oceano
Me unir em energia com quem deseje um mundo mais humano

Alda M S Santos

Meus outonos

MEUS OUTONOS 

Vejo lá fora e dentro de mim tons amarronzados
Mente cheia, corpo leve, coração abarrotado
Livre trânsito entre as quatro estações 
Gosto do outono, tempo de boas reflexões 

Período em que há vida em gestação 
Estação em que guardamos boa provisão 
O amor também tem seus frios invernos 
Outono me remete a cuidado suave e terno

Saber que a magia na terra está sendo preparada 
Tudo que é vivo tem altas e baixas temporadas
Recolher-se para descansar ou avaliar uma rota 
Faz parte do caminho, na vitória ou na derrota 

Se primavera é bela flor, verão é brilho e cor
Inverno tem a mágica hibernação em busca de calor 
Vamos eleger o outono como a estação do amor
Afinal, tem luz, brilho, cor e se despe sem pudor 

Alda M S Santos 



Por mais amor e paz

POR MAIS AMOR E PAZ

A paz que eu tanto quero deve começar em mim
O amor que desejo viçoso deve brotar em meu jardim
Eu posso ser facilitadora desse valioso processo
Quando cuido, rego, hidrato, flexibilizo, não engesso

Sou boa jardineira quando percebo as semelhanças
Melhor ainda quando atento para as discrepâncias
A paz começa quando o outro sei respeitar
E tudo que vier por aqui avalio, sem julgar

O amor é um só, mas há vários modos de amar
Em cada um deles o lema principal é cuidar
Não nos esqueçamos que na vida há tropeços
Mas, felizmente, somos preparados para recomeços

Não é preciso que seja tudo tão certo, perfeito
Estou aqui, sou protagonista, sou sujeito
O amor e a paz são para todos, nao dá para comprar
Sem guerras dá para investir, desejar, saber conquistar

Alda M S Santos

De braços abertos, sou namorada

DE BRAÇOS ABERTOS, SOU NAMORADA

Tento estar sempre de braços abertos
Expectativa de ter coisas boas por perto
Não me faço de rogada ou acanhada
É um pedido à vida, dela sou namorada

Braços estendidos em louvor, em admiração
São, muitas vezes, uma prece, pura gratidão
Olhando para o alto, para Deus. para a Criação
Sou submissa, aceito qualquer situação

Braços abertos são por aqui um estar disponível
Ser ombro, ser colo, estar acessível
É preciso coragem para acolher com bondade
Aquele que vem ao abraço, é fragilidade

Braços abertos que transmitem leveza
Um acariciar da brisa, intensa natureza
Se pudesse faria deles grandes asas
E sobrevoaria cada canto, cada coração, alma em brasas

Alda M S Santos
Tarde de Poesias: De braços abertos

Em comunhão

EM COMUNHÃO

Não vale se cobrir puxando do outro o cobertor
Melhor chegar perto e compartilhar o calor
Não vale tomar a sombra só para si
Sol e sombra devem ser divididos, coexistir

Não vale se perder para o outro poder ganhar
O que temos de mais nosso é o jeito de amar
O caminho que leva até um alguém
Não pode nos afastar da gente, bom nos aproximar também

Não vale querer viver isolado
É tão ruim se sentir abandonado
Nosso mais valioso e rico aprendizado
É nessa viagem poder amar e se sentir amado

É tão linda a vida assim, socializada
Ninguém vive só por aqui nessa jornada
Quando há troca e partilha há evolução
Somos feitos para viver em comunhão

Alda M S Santos

Ajuda, Pai!

AJUDA, PAI!

Preciso falar de tudo que está em meu coração
Coisas que magoam, sufocam, causam má sensação
Quero dividir com o Pai, com a Criação
Tenho medos, desejos, isso aqui não está bom não!

Ajuda, Pai, você é meu apoio, minha alegria, minha gratidão!

Sento num canto qualquer
Deixo vir à mente tudo que quiser
Sem freios, abro as portas da alma
A Ele levo tudo com bastante calma

Ajuda, Pai, você é meu apoio, minha alegria, minha gratidão!

Falo de minhas angústias e desesperanças
Das guerras internas e externas, das andanças
Expresso minha infinita gratidão
Por acreditar em mim, estar em minha solidão

Ajuda, Pai, você é meu apoio, minha alegria, minha gratidão!

Como amigos de sempre, de todas as horas
Digo a Ele que sei que nunca vai embora
Meu coração suave, mais leve, de verdade
Diz, Pai, meu amor é infinito, perdão pela fragilidade!

Ajuda, Pai, você é meu apoio, minha alegria, minha gratidão!

Alda M S Santos

Templos de várias estações


TEMPLOS DE VÁRIAS ESTAÇÕES

Passa o tempo bem contadinho
Marcado em vários pedacinhos
Verões de luz, sol, energia que seduz
Primavera de flores, quentes amores
Outonos e invernos chegando de mansinho
Um desafio para coração que está sozinho

A mente viaja, passeia, quase naufraga
Lembra de outros tempos, se embriaga
Lá fora as estações estão bem demarcadas
Cá dentro tentamos entender essa invernada
Os momentos em que nosso jardim perfumava
Tudo era cor e leveza, suavidade que encantava

Em qual ponto as folhas começaram a cair
Desnudando nossa alma, quase fazendo desistir
Tempos de mergulhos em nosso rico interior
Hibernando, evoluindo para encarar o exterior
A consciência da natureza que há em nós
A riqueza de entender e desfazer os nós

Somos também templos de várias estações
Descobrindo a beleza de nossos corações
Indo de encontro a nossa própria compreensão
Seja em outono, inverno,  primavera ou verão
É bom saber que temos a nós mesmos por aqui
Isso dá forças e esperança para poder prosseguir

Alda M S Santos

Pedaços de mim

PEDAÇOS DE MIM

Quantas vezes eu me quebrei toda por aqui
Sobre mil pedaços de mim, chorei, não havia mais conserto 
Quantas vezes eu me despetalei toda nesse jardim
E, juntando cada pétala, em harmonia, fiz um concerto?

Quantas vezes quis negar as lágrimas, ignorar
Mas foi com elas que pude os cacos colar
Quantas vezes me cortei com pedaços pontiagudos
Me recolhi, silenciei, sarei, em gritos agudos?

Quantas vezes quis me mudar para um canto escuro
Onde ninguém pudesse ver meu pranto obscuro
Quantas vezes quis pedir para esse mundo parar
Estava cansada, não queria mais brincar…

Tantas vezes sem conta eu me colei, fiz reparos
Até mesmo em peças de cristal, saiu bem caro
As marcas ficaram, as linhas de suturas 
Hoje me olho no espelho, estou mais segura?

Sou um alguém que perdeu partes nessa viagem
Os pedaços de mim fazem parte dessa bagagem
Meu eu tem cicatrizes, são valiosas, são minhas
Grudei com quem me amparou, não andei sozinha

Alda M S Santos

Uma nova canção

UMA NOVA CANÇÃO

Busco por aqui um novo cantar
Novos versos, novo jeito de rimar
Quero poder cantar aos quatro ventos
Tudo que se passa com meus sentimentos

Preciso me encontrar numa nova canção
Que toque fundo, que chegue ao coração
Uma canção que fale de amor
Que possa ser carinho, ser cobertor

Quero cantar nessa doce melodia
Toda a minha tristeza ou alegria
Preciso que chegue a todos, gere harmonia

Quero uma canção para apagar os barulhos da guerra
Que acalme a alma, que o tormento encerre
Que só deixe em nós os sons do amor pela Terra

Alda M S Santos

Que eu perca

QUE EU PERCA

Que eu perca a força
Mas que encontre braços que me amparem
Que eu perca a sanidade
Mas que faça loucuras com um alguém
Que eu perca a alegria algumas vezes
Mas encontre felicidade em outras tantas
Que eu perca a voz, a palavra
Mas encontre o tom nos versos, na poesia
Que eu perca o sono
Mas nunca o desejo de acordar
Que eu perca o norte
Mas que encontre pouso, repouso
Que eu perca um alguém
Mas aproveite para me encontrar também
Que eu perca a percepção, o tino
Mas que não viva sempre em desatino
Que eu perca a coragem
Mas não o desejo de vencer os medos
Que eu perca um amor
Mas nunca o desejo de amar
Que eu perca a tranquilidade
Mas que encontre a paz nas pequenas coisas
Que eu perca o brilho
Mas nunca a luz que trago comigo
Que eu perca a esperança por vezes
Mas que a fé permaneça ilesa
Que eu perca muitas folhas
Mas que fortaleça minhas raízes
Que eu perca o sorriso
Mas encontre um ombro que acolha minhas lágrimas
Que eu perca qualquer coisa por aqui
Mas que mantenha meu propósito de seguir
Que eu saiba que não dá para perder
O amor a Deus e minha capacidade de sempre recomeçar
Acreditando que a vida é maior que isso tudo aqui
Vai muito, muito além…

Alda M S Santos

Faça amor, não faça a guerra!

FAÇA AMOR, NAO FAÇA A GUERRA!

Faça amor, não faça a guerra
Parece tão claro e tão óbvio fazer uma opção
Como entender que há quem não saiba escolher
Será tão complicada assim a compreensão
Ou sou eu que não entendo desse mundão
Há quem diga que é preciso a guerra para se ter paz
Qual a lógica em algo tão ineficaz?

Faça amor, não faça a guerra
Um convite tão belo, tão pacifista
Será uma visão assim tão humanista
Que afasta os adeptos da razão e da competição
Por um pedaço de chão, de petróleo ou de religião
Perde-se a própria humanidade para manter a vaidade
Perde-se tantas vidas querendo manter a integridade
Vivemos num mundo com tanta temeridade

Faça amor, não faça a guerra
Quem ama não faz guerra, planta jardins
Na terra ou nos corações afins
Quem ama faz carinho, é abrigo
Quem ama estende a mão, é amigo
Quem ama carrega nas mãos e no coração
A arma mais eficaz do mundo: a solidariedade
Ela aproxima almas, afastando a vaidade
Quero viver num mundo onde reine a bondade!

Alda M S Santos
Tarde de Poesia: Quem ama não faz guerra

Ciclo da vida

CICLO DA VIDA

Sigo meu caminho com todo jeitinho
Sentindo, pensando, agindo
Num ciclo de vida intenso, sem fim
Nem sempre nessa ordem
Ora ajo sem pensar, penso e não sei como agir
Numa loucura em busca de entender meu sentir
Tantas vezes quero apenas poder expressar tudo isso
Que está meio entalado, sufocando, causando enguiço
Paro, analiso o que sinto, penso, sou um alguém
Será que há outro alguém que me vê assim também
Como pessoa falha, mas em construção
Ora em festa comigo mesma, ora em luto por minhas perdas
Tentando encontrar por aqui apenas um pouco de compreensão
Sei que sou quem mais pode me socorrer
Mas por vezes é tão doloroso viver
Quero um alguém para me entender
Mas quero sobretudo de mim não me perder
Então, sigo em frente nessa luta, nessa lida
Realizando em mim um grande vai e vem
Um grande e maravilhoso ciclo da vida

Alda M S Santos

Bem assim…

BEM ASSIM…

É na tristeza que jogamos fora o que faz mal
É na ingratidão que selecionamos o que é real
É na solidão que nos encontramos conosco mesmos
É no desconforto que operamos as mudanças, ainda que a esmo

É no cansaço que aprendemos a desacelerar
É na falsidade que o  joio do trigo dá pra separar
É nas tempestades que encontramos melhores abrigos
É na angústia que podemos abraçar os melhores amigos

É na insuficiência que buscamos a excelência
É na dor que mais valorizamos o amor
É o frio que nos ensina a adequar o cobertor
É nos invernos que aprendemos a cuidar da flor

É na decepção que aprendemos a nos valorizar
Nem tudo que vem precisa o mal causar
O uso que fazemos de cada coisa, cada situação
É que permite nosso aprendizado, nossa evolução

Alda M S Santos

Salvador

SALVADOR 

Tão bom quando sentimos que mesmo em momentos de solidão 

Quando as coisas estão bem, dando certo ou não

Naqueles instantes em que queremos atrair só boa sensação

Inspirar, expirar, fazer pedidos, receber bênçãos, ser gratidão 

Há lugares em que sentimos mais de perto a presença do Salvador

Espaços em que Seu cuidado está carregado de amor 

Não sei se já está em nós essa capacidade e percepção

Ou se é mesmo o exterior que cutuca o bem do interior 

Gosto de saber que há um alguém sempre presente

Ter a firme convicção que Ele cuida da vida da gente

Podendo ativar nossa esperança e, em passos firmes, seguirmos em frente

Gosto de sentir a presença do Salvador

Em Salvador ou em qualquer outro lugar em que haja amor…

Alda M S Santos 

Um caso de amor


UM CASO DE AMOR

Estou vivendo um lindo caso de amor
Mas estou meio dividida entre a luz e o calor
Amores do dia ou da noite, cada qual com seu encanto
Despertando doces desejos, afastando o pranto

O dia traz o amor Sol, aquece corpo e alma
Arrepia a pele, queima, impacienta, pede calma
Sabe ser vida e calor em abundância
É beleza, é luz, é alegria, é exuberância

A noite permite o reinado do amor Lua
Nos encoraja, nos despe, deixa a alma nua
É um afeto carregado de mistério e magia
Atrai, encanta, faz nascer amor com poesia

Diante de dois amores tomei uma decisão
Não me importo se não foi feita com a razão
Vou fazer o que pedir meu coração
Amo o Sol durante o dia, à noite a Lua e eu vivemos intensa paixão

Alda M S Santos

PAZ!


PAZ!

Nada mais é preciso querer ou pedir
Boiando de forma tal, deixando a magia fluir
É natureza, é maravilha, é energia, é paraíso
É entrega total, é quase insanidade, é perda do juízo

Sou ilha, sou água, sou bicho, sou céu e mar
Para todo lado que se olhe é Deus a falar:
Criei tudo que há, tantas coisas belas
E você sabe, filho meu, tu és uma delas

Faço da vida um instante infinito de brincadeira
Ora sou criança levada, sapeca e arteira
Ou sou mulher de fases, ora carente, ora namoradeira
Tentando fazer dessa viagem uma eterna saideira

O mundo parece distante com suas mazelas
Voltar para onde, se tenho tão linda aquarela?
Quero ficar aqui, abrir todas as janelas
Será que é possível…agora é que são elas!?

Alda M S Santos

Fonte da juventude

FONTE DA JUVENTUDE

A fonte da juventude é feita de muitos artifícios
Várias loções, pocões, unguentos e invenções
São apresentados com a promessa de ganhar uns anos de juventude
Ou até mesmo retardar a inevitável velhice
Daí fica aquela questão: como se fica velho?
Dá para amenizar, interromper o processo
Ou até mesmo recuperar danos já causados?
Restaurar uma pele que já não tem tanto viço
Um cabelo que talvez não tenha tanto brilho
A tonicidade e força da derme …é possível?
A ciência pode ter vários recursos, acredito
Mas ainda penso que o melhor remédio para manter a juventude
É uma alma feliz, amorosa e verdadeira
Esse brilho nenhuma poção mágica
Ou argila dourada, rosa ou roxa
Teráo o poder de criar ou restaurar
A juventude da alma tem reflexos poderosos no corpo
E essa só a paz de espírito é capaz de proporcionar…

Alda M S Santos

Apaixono?

APAIXONO?

Praia e mar já são um grande presente
Nem sempre ao alcance de todos, infelizmente
Aproveitar o encanto que há em cada canto
E saber curtir por aqui as belezas naturais
É algo que não dá para se furtar
A natureza sempre a nos surpreender e alegrar

Apaixono? Sim ou claro?

Quarta Praia de Morro de São Paulo, Bahia
Apresenta Piscinas Naturais, sonho e fantasia
Os peixes nos cercam em total harmonia
Extremal confiança, simplicidade e magia

Apaixono? Sim ou claro?

Preservação do que a Criação nos ofereceu de bandeja
É nossa obrigação, o que nossa alma almeja
Curto, me encanto, me regalo, me esbaldo
Mergulho, nado, aplaudo, é positivo meu saldo

Apaixono, sim ou claro?

Alda M S Santos

Cadeia alimentar

CADEIA ALIMENTAR

Vamos desconsiderar a cadeia alimentar
Onde um ser vivo use um ao outro para se alimentar
Que comemos uns aos outros até por diversão
Será que seria diferente nossa relação?
Haveria mais confiança e harmonia?
Talvez na Terra não houvesse tanta arrelia
Se alimento estivesse à disposição
E a vida acontecesse à nossa revelia?
Será que poderíamos nadar com os peixes
Voar com os pássaros, correr entre leões na selva
Até mesmo entre nós humanos haveria mais amor, emoção
Sem ter que estar com medo de virar um prato de refeição?
Sei que gosto de estar entre os animais
Não me causam medo, vejo como especiais
Apenas lindas e diferentes espécies naturais
Será que um dia todos conseguiremos
Viver por aqui sem nos devorarmos, evoluiremos?
Ou Deus nos fez assim mesmo
Para sermos alimentos uns para os outros
E seguir a cadeia alimentar a esmo?
Sei lá… gostaria que fosse diferente…

Alda M S Santos

Não tem idade

NÃO TEM IDADE

Há coisas que se deterioram com o tempo
Outras que melhoram com o passar dele
Há também aquelas que são atemporais
Passe o tempo que passar mantêm-se naturais
A saúde costuma fragilizar-se com a idade
O amor verdadeiro se fortalece com o decorrer do tempo
A poesia é atemporal… sempre será bela e natural
Será que podemos compartilhar essa realidade
Com poetas e poetisas de verdade
Deixar que cada um que registra em versos essa magia
Possa também se eternizar em alegria
Sendo atemporais como a poesia?
Só um pequeno pedido
De uma poetisa ao mundo mágico da fantasia…

Alda M S Santos

Banho de sol, banho de lua

BANHO DE SOL, BANHO DE LUA

Ah, como é linda essa natureza
Recheada de encantos e belezas
Durante o dia, banho de sol para animar
À noite, o banho de lua para alegrar

O banho de sol é forte, energizante
Na terra ou no mar é revigorante
Calor que aquece corpo e alma, vai germinar
A semente vital que há em todos faz rebrotar

Banho de lua é recheado de magia
Mexe com a mente, com nossa fantasia
Lá do alto São Jorge em seu cavalo amigo
Faz-nos ver que a lua pode ser bom abrigo

Gosto do sol, da lua, amo me banhar
Não importa onde, qual seja o lugar
A Criação nos oferece essas riquezas
Aproveitar tudinho deve ser nossa natureza

Alda M S Santos

Mais colorida

MAIS COLORIDA

À vida somos nós que damos o tom
Somos nós quem fazemos o som
Podemos fazê-la bem bela e florida
Usar e abusar da brisa ou do calor
Fazer a festa com a parte colorida
Brincar de ser o próprio amor
E quando estiver em tons de cinza
Faz mal não, a gente sorri mesmo assim
Mantém a alegria, não vale é ficar ranzinza

Alda M S Santos

No meio do caminho

NO MEIO DO CAMINHO

No meio do caminho tinha uma pedra
Já dizia nosso grande Drummond
Mas não é só isso que há nesse lugar
Além da pedra do meio do caminho,
A enfeitar terra e mar, céu e ar
Há também vegetação, coqueiros, majestosos
Balançando ao sabor do vento pra lá e pra cá
Após a chuva fina no calor do momento
Um imponente arco-íris, puro encantamento
Gente trabalhando, outras se divertindo
Fazendo a roda da vida girar vão seguindo
Cidadãos de todo canto turistando
E eu não perco o momento, vou observando, registrando
Balanço, feliz,  com o vento que anima os coqueiros
Me refresco na chuva, admiro o lindo arco-íris
E na simplicidade do que de mais belo há
Sou grata, abençoada, não posso negar…

Alda M S Santos

Dia ou noite?

DIA OU NOITE?

Tudo faz parte do mesmo cenário
Maravilha  noturna, encanto diário
A mesma beleza, a mesma paisagem
Qual possui mais atraente roupagem?

Tudo depende do olhar que se tem
A observar o dia e a noite também
Sob o luar e lindo céu estrelado
A beleza misteriosa, encanta os enamorados

Sob o brilho do sol, a brisa suave
A mesma magia em ondas,  essa é a chave
Gosto desse leve  e belo transitar
Do dia ensolarado para a noite de luar

O Criador fez tudo com perfeição
Colocou tanto por aqui para nossa diversão
Cuidar, proteger,  preservar, reverenciar
Essa é nossa missão, nosso modo de amar

Alda M S Santos

Tarde de veraneio

TARDE DE VERANEIO

Tantas vezes o destino parece inalcançável
É preciso lançar mão do que parece improvável
Por terra, por ar, por mar
Vale ir com fé, sorrir, sem desanimar
O caminho também faz parte do destino
Bom aproveitar cada parte, sem sofrer desatino
Certos voos trazem alguma turbulência
O desafio é relaxar, manter bons batimentos, boa frequência
Quero fazer disso aqui um suave passeio
Sem grandes solavancos, como uma tarde de veraneio
Seja no ar, na terra ou no mar vou seguir
Almejo ser paz, ser luz e o melhor disso tudo extrair

Alda M S Santos

Praia noturna

PRAIA NOTURNA

Sob as sombras da praia noturna
Coqueiros embelezam o lugar
O mar canta seus versos em ondas
Será que há gente a namorar?
O calor do dia ainda está na areia
Aposto que há em algum canto uma sereia
A cantar e encantar quem aporta por ali
Creio que ninguém é capaz de resistir
Teve sol, teve chuva, tem estrelas
Brilhando e convidando para o espetáculo
Não há quem não se encante ao vê-las
A Lua está imponente no céu
Ilumina os amantes, rasga seu véu
Brincando por aqui num alegre carrossel

Alda M S Santos

Escrevo o amor…

ESCREVO O AMOR…

Escrevo o amor, quem irá receber
Será que alguém conseguirá ler
As linhas nem sempre retilíneas
De uma alma intensa, sanguínea?

Escrevo o amor, será bem interpretado
Quem ler será por ele tocado?
A linguagem do amor é universal
Feita de carinhos, doação, algo especial

Escrevo o amor, leio o amor, espalho o amor
Mas há momentos em ele causa dor
A razão, alguém me diz, por favor?

Será por não haver aquela cumplicidade
Ou por faltar um pouco mais de reciprocidade
Dá para espalhar no vento, sem imunidade?

Alda M S Santos

Ser como antes…

SER COMO ANTES…

Às vezes queremos ser como éramos antes
Tempos idos, talvez como infantes
Mas não dá para voltar lá atrás
O rio segue para o mar, não corre para trás

Quando dói, fere, nos desconhecemos
Nem sempre é fácil que nos acostumemos
Vem a necessidade de apagar tudo
Retroceder a algo conhecido nesse mundo

Imaginar que tudo era menos complicado
É um modo de não nos ter como aliados
O hoje é o que é, somos o que somos
Seguimos a vida com aquilo que nos tornamos

A cada dor ou obstáculo superado
Somos novos seres, mais adaptados
Se não é possível voltar aos tempos de outrora
Urge aprender a lidar com quem somos agora

Alda M S Santos

Sem filtro

SEM FILTRO

Gosto das coisas bem ao natural
Quanto mais simples, mais especial
Prefiro o modo raiz, sem disfarces ou filtro
Ainda que pareça assustador ou sinistro

Opto pelas coisas bem nítidas, às claras
Na alegria ou sofrimento nada se compara
Bom sabermos com o que estamos lidando
Sem eufemismos, sem temer os danos

Amizade e amor devem ser fortes, reais, verdadeiros
Que saibam ser ombro, ser colo, ser parceiros
Quando se afasta, se esconde pode machucar
Sempre é bom saber chegar e conversar

Maquiagens ou máscaras não duram muito tempo
Quando lavadas ou retiradas causam contratempo
Melhor enfrentar a vida de cara limpa, coração aberto
Na certeza que ser natural é o mais certo

Alda M S Santos

A vida pede coragem

A VIDA PEDE CORAGEM

A vida pede coragem para seguir
Coragem para não desistir, não se ferir
Coragem para num momento lutar
Coragem para saber a hora de parar

Coragem também pede tréguas
Não adianta avancar léguas e léguas
É uma boa estratégia fazer uma parada
Reavaliar rotas, analisar jogada

A vida pede coragem para enfrentar os medos
Não vale ignorar, fazer deles segredos
Na hora certa ele não parecerá tão temível
Medo enfrentado deixa se ser tão terrível

A vida exige coragem para pedir ajuda
Especialmente nos momentos de dor aguda
Não é vergonha aceitar a mão estendida
Sabedoria de quem passou por muitas na vida

Alda M S Santos

Sonhos em poesias

SONHOS EM POESIAS

Poetizar é um modo de realizar
Uma maneira de encantar, partilhar
Sonhos, esperanças, vontades, desejos
Um pouco de doação, abraços e beijos

Sonhos em poesias…

Se é uma ferida, uma amargura
Na poesia transformo em doçura
Se é carência, sofrimento, latência
Dou cores, brilho, transparência

Sonhos em poesias…

Em versos vou transformando sonhos em poesia
Na poesia vou fazendo do sonho doce magia
Poetizando e sonhando vou me curando em terapia
Flutuando nessa vida, amando, suave travessia

Sonhos em poesias…

Alda M S Santos

Simplesmente, mulher

SIMPLESMENTE, MULHER
Nela a vida começa
Num momento de magia e ardor
Cresce, acontece
Nela a vida se faz amor
Delicadeza, paixão
Com ou sem pudor
Nela a vida grita, chama,
Silencia, docemente clama
O amor e a união sentencia, proclama
Nela a vida é beleza, pureza
O orvalho, o perfume da flor
Nela o amor se faz, desejo
Carinho, doçura, abraço e beijo
Nela o mesmo peito que é sensualidade
É alimento, é cuidado, é maternidade
É força e é coragem num mundo de vaidade
Nela tudo se faz mais intenso
Em controvérsias ou consenso
Pode o que quiser, lhe aprouver
Sozinha ou com quem quiser
É puro potencial, ventania, vendaval
Mas fica mais feliz, mais inteira
Num colo que a faz única, amada, especial
Simplesmente, mulher…
Alda M S Santos

Mulheres são tantas…

MULHERES SÃO TANTAS…

Mulher linda, mulher amiga e companheira
Mulher mãe, mulher filha, mulher namoradeira
Mulher menina, mulher madura, profissional
Mulher que ri, que chora, faz temporal
Mulher carente, insolente, sorriso ardente
Mulher parceira, bela, atraente e envolvente
Mulher que não se cala, que vai à luta
Mulher que desarma com sorriso, é labuta
Mulher jardim, mulher flor, mulher espinho
Mulher perdição, mulher ninho, mulher caminho
Mulher amante, mulher amada, mulher amor
Mulher que deseja seu colo, seu calor
São tantas as mulheres, todas em uma só
Tantas fases a fazer delas esses seres (sobre)naturais
Que iluminam a vida dos que a têm como especiais …
Parabéns a todas as mulheres!

Alda M S Santos

Mulher

MULHER
Ser de amor e complexidade inatas
Diz “tudo bem” quando nada está bem
Para não magoar ou entristecer um alguém
Diz “esqueça” quando ainda só faz se lembrar
De algo que a fez sofrer, se magoar
Pode abraçar e beijar só com o olhar
Mas também para não ferir pode se afastar
Pode dizer muito mais em silêncio
Do que quando está a discursar, a falar
Mas não é qualquer um que saberá lidar
É preciso entender a linguagem corporal
Magoada, tudo deixa de ser natural
O olhar que se desvia, o sorriso que não sacia
Mulher é poesia que o Poeta Maior escreveu
Colocou nela toda Sua sensibilidade
A capacidade intensa de amar e ser doar
E por amor se entregar, sorrir, sofrer, chorar
Mulher fala de tudo, de alegria, dor, sentimentos
E, mesmo contraditórios, eles refletem seus momentos
Fala quando gosta, quando ama, se importa
Quando quer manter aberta essa porta
Porque quando se cala, se fecha
Talvez não encontre mais brecha
Para chegar a sua emoção, seu coração
Aí talvez não tenha mais jeito não…
Mulher é poesia escrita no idioma do amor
Uns podem até ler, mas não saberão interpretar
Porque é uma escrita delicada e forte grafada em pétala de flor…
Alda M.S Santos

Mulher é flor!

MULHER É FLOR…

Um ser único, ímpar, sensacional
De todos os rótulos a ela ofertados
Um sobressai, define-a de modo especial
A associação com a flor, esse é abençoado
Mulher que sabe ser beleza e cor
Encanta com sua natureza, atrai beija-flor
Perfume que fascina e embriaga
Pena que atrai até mesmo as pragas
Com as quais ela precisa aprender a lutar
Sem perder sua doçura e jeito de amar
Como flor, se despetala, machuca, cai
Mas vai fortalecendo sua base, suas raízes
Retrai-se em fases de recuperação
E retorna mais bela, disposta e forte
Certa de que não há nada que nuble seu norte
Como flor, com delicadeza e suavidade
É capaz de se entregar sem maldade
Engana-se quem vê nela só fragilidade
Sua capacidade de resistência, sua bondade
Sabe ser colo, ser calor, ser ninho
Mas a vida também lhe deu espinhos
E com eles se protege e abre novos caminhos
Profissional, mãe, filha, amiga, namorada
Em qualquer papel que esteja ela se doa
E tudo que deseja mesmo é ser amada e valorizada!
Um viva a todas as mulheres!

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: