PEQUENOS GRANDES PRAZERES

Há prazeres de incomparável valor
Acordar ao lado do seu amor
Não mais sentir aquela dor
Dormir em paz com sua consciência
Conseguir ignorar toda maledicência

Há prazeres de incomparável valor
Encontrar dinheiro onde não esperava
Sorrir renovado onde antes chorava
Esquecer o que não vale a pena mais lembrar
Guardar no peito direitinho o que merece eternizar

Há prazeres de incomparável valor
Balançar numa gangorra na árvore presa
Sair de um trauma, quase ilesa
Ocupar-se ao outro dando a mão, sendo irmão
Tomar chuva em tardes de verão

Há prazeres de incomparável valor
Morar noutro coração por direito, não por favor
Nas noites frias sempre fazer amor
Perceber que não mais sangra aquela cicatriz
Responder aos enxeridos com “seu nariz” ou “isso nada me diz”

Há prazeres de incomparável valor
Rir até a barriga doer
Ser criança, sapeca, até não mais poder
Receber um abraço de carinho apertado
Ser sempre seu maior e melhor aliado…

Há pequenos grandes prazeres de incomparável valor…

Alda M S Santos