Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Autor

Alda M S Santos

Para mim, a vida é apaixonante, deixo o amor brotar, rego-o, alimento-o e o distribuo por onde passo.

Um teatro


UM TEATRO

A vida é muitas vezes um grande teatro
Ora estamos no iluminado palco atuando
Fazendo nosso papel, representando
Ora estamos na plateia aplaudindo, ou vaiando

Importante lembrar que essa peça está valendo
O tempo está passando, as cenas acontecendo
Drama, comédia, suspense, romance, não importa
Vale mesmo é como agimos, o que dela estamos fazendo

No palco ou na plateia, fazemos parte
Essa é nossa história, nossa obra de arte
Precisamos nos unir, não fazer apartes

O espetáculo só termina quando as cortinas se fecham
E cada um retorna para o camarim, dentro de si
E é aí que os aplausos mais interessam

Alda M S Santos

O mal

O MAL
O mal é audacioso, mascarado, até atencioso
Disfarca-se de bem, de amigo
Ele também se moderniza, viraliza
Age dia ou noite, quando menos se espera
Invade nossas casas, não pede licença
Ou entra pela porta que, inocentes, abrimos
Pelas janelas que não fechamos
Pelas nossas falhas e fragilidades
Pelas nossas carências e necessidades
Nossas trincas e frestas sentimentais
São pessoais, do dia a dia, ou virtuais
Levam bens materiais ou emocionais
Tomam nossa família, nossa alma
Levam nossos filhos, nosso sossego
Virtuais ou pessoais, são reais
O mal é real!
Cuidemos do que temos de mais precioso
Presente do céu: nossa família
E nossa paz de espírito …
Alda M S Santos

Esperança

ESPERANÇA
Esperança é sinônimo de fé
Fé é para quem acredita em algo maior
A comandar essa grande nau
Da qual somos ora tripulantes, ora tripulação
Enfrentando todo e qualquer vendaval
Esperando por um bom final
Alda M S Santos

COMUNHÃO

COMUNHÃO
Na fé, aguardemos dias melhores
Agindo no bem para nova construção
Crendo que Ele tem um propósito para tudo
Na esperança buscando vida e regeneração
Sigamos todos em comunhão
Alda M S Santos

Mundo sem poesia

MUNDO SEM POESIA
O que o poeta diz é o que sua sensibilidade captou, 
Processou dentro de si e transformou em versos
Um poema é o mundo revestido pela alma do poeta
Um mundo sem poeta é um mundo nu e cru…
Alda M S Santos

SEM POETA

SEM POETA
Dá para viver sem o poeta
A poesia não deixará de existir
Ela estará por aí…
Mas sem ninguém para captar
Ninguém para as belezas divulgar
Ou para com a vida se apaixonar
Dá para viver sem o poeta
Mas será triste e vazia
Como um jardim sem jardineiro para cuidar
Uma refeição sem ninguém para apreciar 
Uma mulher sem ninguém para admirar
Um amor sem ninguém para amar
A magia sem o mágico para alegrar
Uma criança sem ninguém para brincar
Dá para viver sem o poeta
Mas não serão tão belos
A cachoeira para alguém se purificar
O luar para enamorados se amar
A praia para em suas areias caminhar
O mar intenso para navegar
Um alguém encantador para amar
Uma curva feminina para derrapar
Dá para viver sem o poeta 
Mas os sentimentos ficarão sufocados
O amor não será divulgado
O universo não será admirado
Os somhos não serão alcançados
As lágrimas não serão choradas
Sobre o mal ninguém será alertado
Dá para viver sem o poeta
Mas a beleza será desperdiçada
Tudo estará em escala de cinza
Nada será tão encantado 
O mundo parecerá acabado…
Alda M S Santos

Eu queria

EU QUERIA
Eu queria poder entender os gritos silenciados
Aquela dor profunda escondida nos olhos alagados
Eu queria ter uma palavra capaz de curar a dor
Envolver o sofrimento num abraço de puro calor
Eu queria não me entristecer tanto com o mal
Saber que ele tem suas razões de ser
E procurar com suas linhas bordar
Um jardim encantado para se viver
Eu queria ser capaz de amar a todos igualmente
Saber que nem todos têm a mesma oportunidade
Não souberam plantar boa semente
Eu queria ser nesse mundo confuso, a esperança
Nunca, nunca desistir, persistir
Aquela que após tantas andanças
Trilhas sem saída e caminhos mal iluminados
Não desanima, segue nessa dança
E ainda quer ser companhia aos abandonados
Eu queria ser apenas um ser abençoado
Que por aqui caminha até ser chamado para o outro lado…
Alda M S Santos

Vai passar

VAI PASSAR
A dor vai passar
O medo vai embora
Ficarão por aqui
O amor, a luz, a poesia
Numa Terra renovada
Onde reinará a alegria
Acreditemos!
Alda M S Santos

Ele não enviou

ELE NÃO ENVIOU

Que Ele quer nos dizer
Quando nos faz recolher
Pelo futuro da humanidade temer
Sem muito poder fazer?

Que Ele quer nos ensinar
Ao nos levar a pensar
Para o lar retomar
E o mundo avaliar?

Ele quer nos levar à introspecção
Fazer -nos ter mais compaixão
Saber- nos mais fortes quando mais irmãos

Esse vírus Ele não nos enviou
Construção nossa, pura ambição
A cura virá do amor e da união

Alda M S Santos

Que inteligência é essa?

QUE INTELIGÊNCIA É ESSA?
Que inteligência é essa
Que produz máquinas e armas de destruição
Mas que não cura um câncer, um mal do coração?
Que inteligência é essa
Que num simples acionar de um botão
Pode lançar um míssel nuclear e nos reduzir a pó
Mas deixa morrer de fome um irmão?
Que inteligência é essa
Que nos leva à guerra, ao terreno do outro, por insanas disputas emocionais ou materiais
Mas não enxerga a vida que míngua bem nos seus quintais?
Que inteligência é essa
Que viaja em naves e foguetes pelo longínquo campo do espaço sideral
Mas não acha o caminho da paz e do amor dentro de si, de seu tão próximo campo emocional?
Que inteligência é essa?
Alda M S Santos

Quantos degraus?

QUANTOS DEGRAUS?
Quantos degraus até o céu?
A escada é sinuosa, rolante, escorregadia, antiderrapante?
Quem pode subir, há restrições, limites de entrada?
Podemos levar alguém, sermos levados por alguém?
E se nos cansarmos no caminho, tropeçarmos, cairmos?
Podemos voltar a subir ou perdemos a vez?
Os últimos serão os primeiros?
Quantos degraus até o céu?
A entrada é franca? Paga-se com quê?
Qual a “moeda” de troca?
Muitas perguntas… Sei lá!
Enquanto isso vou fazendo do agora o meu céu
Tal qual crianças a brincar, a pular amarelinha
Continuo subindo até o céu…
Alda M S Santos

Um mundo novo

UM MUNDO NOVO
Tudo aponta para um mundo novo
Há medos, dúvidas, ansiedade
Inseguranças de toda a humanidade
O mundo como conhecemos está sendo testado, remexido
Mas há que se preservar a vida
Não é só aqui ou ali
O planeta todo está sendo ameaçado, sacudido
Precisamos mesmo de mudanças
Para garantir a vida, nossas andanças
Não é só um vírus que mata
Tudo o que ele traz consigo exige reflexões
Nesse momento de escolhas difíceis
Percebemos quais são nossas prioridades
De um, de outro, de toda uma comunidade
Que sobrará disso tudo?
Estamos prontos para lidar com isso
Para recomeçar do zero se preciso for
Há em nós suficiente coragem e amor?
Alda M S Santos

Em orações

EM ORAÇÕES
Que possamos ouvir o que Ele quer dizer
Que possamos agir como Seu querer
Que possamos com Seu amor viver
Em orações pela Terra
Alda M S Santos

Mais irmão

MAIS IRMÃO
A bagunça que precede toda arrumação
A tempestade antes de cada arco-íris
O inverno que guarda toda primavera
A escuridão antes de toda linda aurora
A ignorância vencida pela sabedoria
O ódio amortecido pela compaixão
A indiferença subjugada pelo amor
As lágrimas enxugadas pelo colo acolhedor
A luz que chega para iluminar um novo caminho
De união, igualdade, paz e comunhão
Um novo lugar para sermos mais irmãos
É o que esperamos, acreditamos, desejamos
E Nele confiamos…
Alda M S Santos

Pandemia

Pandemia

Quanto maior o medo
Mais necessária a fé
Quanto maior o risco de contaminação
Mais necessária a reclusão
Quanto maior a confusão
Mais necessária a oração
Alda

Salve-se quem puder

SALVE-SE QUEM PUDER
Tempos difíceis vivemos
A vida como a conhecemos pede socorro
Preta, branca, amarela ou vermelha
Salve-se quem puder
Somos capazes de ouvir?
A humanidade corre risco
Nem isso é capaz de nos unir?
Salve-se quem puder
Não há como se esconder ou fugir
Dinheiro, bens, títulos, posses diversas nada valem
O único modo de nos salvarmos
O único transporte possível para nos tirar daqui
É o que carregamos dentro de nós
A medida exata entre razão, amor, compaixão
A capacidade de nos vermos como espécie
Como um todo que faz parte de algo maior
Salve-se quem puder não é lema individual
Só nos salvaremos se agirmos coletivamente
Não há como se salvar deixando o outro para trás
Na perspectiva da continuidade da vida
Ou nos salvamos todos, ou nos perdemos como raça, como espécie…
Salvemo-nos todos se pudermos!
Alda M S Santos

Depois do caos

DEPOIS DO CAOS
Logo estaremos juntos novamente
Mas não seremos todos nós
Alguns terão ficado para trás
Muitos terão sido levados pelo vírus
Ainda que a gente não os conheça
Serão pessoas que deixarão vazios em nós
E quem ficar também não será mais o mesmo
Muitos ainda amedrontados, chateados, em luto
Outros mais fortalecidos e agradecidos
Logo tudo irá se encaixar novamente
Mas precisaremos nos recuperar
Física, econômica, moral, social e emocionalmente
E enquanto nos recuperamos
Vamos construindo algo melhor
Sabendo bem onde pisamos
Escolhendo bem o que vale a pena priorizar
Voltando a amar…
Só assim essa pandemia terá feito sentido
Se puder sacudir para refazer mais forte
Uma Terra mais unida, amorosa
Que vibre em perfeita sintonia no cosmos
Que valorize todo tipo de vida
Que ame incondicionalmente, sem medida
Alda M S Santos

Ele está aí

ELE ESTÁ AÍ

São tempos difíceis para a humanidade
Mas vocês já os conhecem bem
Certamente passaram por muitos
Tudo vai passar, vocês sabem também
É um vírus que assusta, machuca
Nos põe a pensar….
Mas logo iremos derrotar
Agora podem faltar abraços, carinhos
Um alguém especial com aquele jeitinho
De levar esperança e muitos beijinhos
Mas Ele sabe o que faz
Colocou-nos recolhidos para nos cuidar
Cada qual em seu espaço para a vida avaliar
E tentar melhorar para nós mesmos esse lugar
Mas Ele não nos abandona
Ele está conosco, aqui, está aí
Fechem os olhos, sintam Deus em vocês
Sentimos muitas saudades de cada um
Fiquem firmes, mantenham a fé
E logo a gente vai se encontrar
Cantar, abraçar, beijar, a vida partilhar
Amamos vocês…
Alda M S Santos

https://www.instagram.com/tv/B-IT3BLlZti/?igshid=1q93fqiliv3ix

Impotente

IMPOTENTE

Sinto- me meio impotente tão parada
Mas não me sinto desconfortável, isolada
Por estar em casa, que tanto amo
O que me incomoda é não poder escolher
Onde e quando ficar, o que fazer
Ter a liberdade de ir e vir cercada é ruim
Sinto-me frágil, medos por aqueles que amo
Medo pela humanidade…
Mas nesse caos todo, sinto-me esperançosa
Podemos usar os dons que possuímos para ajudar
Ser aquela palavra amiga
Aquele ouvido atento
Na nossa família, entre os nossos
Um vírus que nos obriga o retorno ao lar
Que será que quer nos ensinar?
Creio que não é por acaso tudo isso
A vida sabe usar de muitos mecanismos
Para salvar a Terra e os seus
Sairemos diferentes dessa pandemia
Que possamos sair melhores
A vida se impõe
Podemos ajudar com boas conversas
Não espalhando o pânico, sendo amor e verdade
Sendo luz, levando a esperança, a caridade…

Alda M S Santos

Só um vírus

SÓ UM VÍRUS

Foi só mais um vírus
Mas foi tão poderoso
Capaz de sacudir a Terra
E acordar todo esse povo

Fez todos ficarem em casa
Uns se rebelaram, brigaram
Outros como anjos abriram as asas
E a muitos acolheram, ajudaram

Foi só mais um vírus, letal
Mas a cada vida perdida
Uma lição era aprendida

Um vírus que veio contrariar
Por as coisas no devido lugar
E ensinar-nos o que valorizar

Alda M S Santos

Não estamos sozinhos

NÃO ESTAMOS SOZINHOS
Nesse tão esburacado caminho
É preciso nele buscar a sombra
As flores, os frutos, um riozinho
JESUS disse que não estaríamos sozinhos
Confio e sigo…
Essa pandemia há de passar
E muito aprendizado irá nos deixar
Que a fé e amor sejam nosso guia…
Alda M S Santos

Quero acreditar

QUERO ACREDITAR

Quero acreditar que tudo vai passar
Que logo vou poder sair, trabalhar
Brincar, passear, abraçar, amar
Ter a “vida” de novo para me ocupar

Mas não quero que volte a ser como antes
Quero que esse medo de tudo perder
Tenha mudado algo dentro de cada ser
Que tenham acordado para o que vale a pena viver

Que aproveitemos a reclusão e introspeção
Para autoanálise, autocrítica e autoavaliação
Que tudo sirva de aprendizado e lição

Que tenhamos sentido a nossa fragilidade
Também a força que brota na necessidade
E a importância da compaixão e solidariedade

Alda M S Santos

Ausência

AUSÊNCIA
Quando a falta evidencia a fartura
O risco iminente da perda
Nos faz olhar com candura
Para o que sequer notávamos
E portanto ainda almejávamos
Seguimos buscando a fé
Lutando com coragem e bravura
Avaliando nossos bens
A saúde que está em xeque
A liberdade de ir e vir cerceada
A doçura de um toque proibida, vigiada
A família que volta a ser nossa morada
A vida que não queremos abandonada
Quando a falta evidencia a fartura
Do que era antes e depois dessa tortura
Do que pode ser durante essa guerra sanitária
Contra um vírus, um maldito pária
É preciso amor, fé e doçura
Temos muito a perder, e isso não é pouco…
Alda M S Santos

Posso te tocar?

POSSO TE TOCAR?
Não posso tocar sua mão
Mas posso juntar as minhas, em oração
Não posso te dar aquele abraço
Mas no pensamento aperto nosso laço
Não posso sua face beijar
Mas de longe posso te imaginar
Não posso ir te visitar pra conversar
Mas posso fazer poema pra te tocar
Não podemos muitas coisas fazer
O amor exige esse cuidado para sobreviver
Mas daqui vai aumentando a saudade
Pra quando tudo isso passar
Podermos num longo abraço nos perder
E, finalmente, agradecer…
Alda M S Santos

Amor e fé

#Dueto     #Tema:

AMOR E FÉ

#POETISA: Amor é coisa bela, corriqueira
Mas cada um o faz a sua maneira
O essencial, porém, é não dar bobeira
Cuidar do outro, exige ir além da fronteira

#POETA: O amor é tão leve, e tão macio
É como uma chávena de vidro
Merece todo nosso cuidado
Exige atenção e carinho

#POETISA: Amor é dádiva, é luz, proteção
Não dá pra viver sem ele não
Se você é amado, é abençoado
Se ama, tem seu paraíso legalizado

#POETA: O amor é ir á luta é obter conquista
Mas atenção!
Ele não está envolvido em brigas ou confusão
O amor é paz e harmonia

#POETISA: Amor é mente, é corpo, é coração
É desejo, é cuidado, é emoção
Amor gostoso se equilibra nesse tripé
E segue a vida na doçura da fé

#POETA: O amor é um sentimento contagiante
Ambos vivem um só romance
Não é pra quem se acha importante
Ele penetra num coração infante

#POETISA: O amor é a salvação do mundo
Atinge a alma ao fundo
Contagie e deixe-se contagiar
Nada há melhor e mais belo que amar.

Direitos Reservado dos Autores: #Don Djone ö #Poeta
E a Poetisa Alda Maria Silva Santos

Aos 21 03 2020

Preciso desse amor

PRECISO DESSE AMOR
Preciso desse amor pra caminhar
Preciso desse abraço, desse carinho
Preciso sentir que estás comigo
Que não estou sozinho
Que nunca me abandona, que me ensina
Me mostra o melhor caminho 
Joga luz sob meus pés
Esperanca em meu coração
Coragem para agir no momento certo
Com calma e emoção
Mas, sobretudo, a sabedoria de saber esperar
Renove e fortaleça minha fé
Usa-me como instrumento do Vosso propósito
Caminhe ao meu lado
Se preciso, carregue-me no colo
Preciso desse amor pra caminhar …
Alda M S Santos

Por quê?

POR QUÊ?
Essa é a questão que não se cala
Tanta gente que silencia, perde a fala
Por que um vírus nos põe à prova
Urge buscar algo na vida, a contra prova
Por quê?
A vida se mostra tão frágil
Onde buscaremos a força, a fé
A coragem para sair desse pé
Por quê?
Um vírus que nos leva de volta
À nós mesmos, aparente solidão
Quer mesmo da gente é reflexão
Por quê?
Para ensinar que o que vale de verdade
É ser amor, carinho, simplicidade
Porque um vírus pode ser a maldade
Mas o amor ainda pode ser a cura
De um mundo que se perdeu em amargura
Alda M S Santos

O que é importante

O QUE É IMPORTANTE

Ela disse que tudo vai passar
Não sem antes muito nos ensinar
Que há um propósito em tudo
Ainda que o mundo pareça mais carrancudo

A fadinha com sua capacidade de voar
Com o corações das pessoas conversar
Ir a todos os cantos com seu encanto
Aos pouquinhos acalmando a dor e o pranto

Há um grande propósito de reaproximação
Mesmo que pareça afastar e desunir
O que se objetiva é perdão e união

A fadinha quer mostrar o valor da simplicidade
Da atenção, do carinho, dos abraços
Volte-se para o que é importante, aperte os laços

Alda M S Santos

Mintam para nós

MINTAM PARA NÓS
A verdade anda tão nua, tão crua, cruel e dura demais
Que muitas vezes andamos preferindo uma mentira
Mais leve, mais doce, mais fácil de carregar
Pedimos para mentirem para nós
Para nos deixarem ser felizes assim, ao menos um pouquinho
Sem ter que brigar tanto, enfrentar tanto, lutar tanto
Fazer de conta que estamos num paraíso
Onde tudo é belo, calmo e pacífico
Tudo verde, um rio tranquilo, céu azul e aves a plainar
Todos se amam, ou ao menos não se odeiam
Se valorizam, cuidam dos seus, respeitam os outros
Não usurpam nada de ninguém
São compreensivos e solidários, estendem a mão
Se amam, não se matam…
Se a verdade da humanidade é tanta crueldade
Mintam pra gente!
Assim seremos poupados, ignorando tanta maldade
E teremos mais fé que tudo é possível!
Alda M S Santos

ALGUÉM

ALGUÉM

Alguém que entenda um caminhar
Um tropeçar, um cair, um levantar
Alguém que nem precise perguntar
Já consegue perceber num olhar

Alguém que saiba ser parceiro
Nas lutas da vida, companheiro
Que consiga após um dia inteiro
 noite brincar, ser faceiro

Alguém que saiba ser doçura
Que afaste sua amargura
E lute por você com bravura

Alguém que seja feliz por ter você
Que te valorize, o amor te dê
Alguém, apenas um alguém

Alda M S Santos

COVID-19: ATENÇÃO (IN)DEVIDA

COVID-19: ATENÇÃO (IN)DEVIDA?

Há os desesperados, apavorados
Não sossegam, são desconfiados
Disseminam o pânico, são atordoados
Tornam todos a sua volta amedrontados

Há os que nada levam a sério, descrentes
Acham que tudo é exagero, imprudentes
Invenção de toda a gente, mente doente
Colocam-nos em risco iminente

Há os tranquilos, cuidadosos
Sem alarde, firmes, com fé
Informam-se, são atenciosos
Há sabedoria, são conscienciosos

Em toda situacao catastrófica, difícil
Há muitos de todos esses
O coronavírus é pandêmico, complicado
Consciente, imprudente ou apavorado
Qual fila você vai engrossar, qual seu lado?

Alda M S Santos
Mais no meu blog vidaintensavida.com

Quando mais preciso

QUANDO MAIS PRECISO
Não se afaste quando eu chorar
Tampouco quando eu só lamentar
Tenha paciência se eu for cansativa
Quando discordar de você
Ou provocar uma briga
Não se afaste se eu errar
Se ao consertar me atrapalhar
Compreenda se eu quiser me afastar,
Mas ainda assim, não se afaste de mim
Quando eu menos merecer
Quiser de tudo me desfazer
Sumir, fugir, desaparecer
É quando mais preciso de você,
Amor…
Alda M S Santos

Pandemia de amor

PANDEMIA DE AMOR

Precisamos de uma pandemia de amor
Com vários epicentros no mundo
Que atinja a todos rapidamente
Onde raça, idade ou sexo seja indiferente

Precisamos de uma pandemia de amor
Cujo contágio se dê em várias vias
Neutralizando qualquer cuidado ou proteção
Sintomas atraentes, afastando a solidão

Precisamos de um vírus mutante
Que não se intimide perante covardia
E que enfrente resistência constante

Precisamos do virus pandêmico do amor
Que não seja abatido por corações vacinados
E que, forte, seja em altos brados proclamado

Alda M S Santos

Brilho

BRILHO
Buscamos o brilho das estrelas
Queremos a beleza e encanto da Lua
Almejamos um céu azul e ensolarado
Ou um destino de sombra e água fresca
Mas nem sempre o caminho até eles é brilhante
Ou a trilha sob nossos pés é plana
Tantas vezes teremos estradas esburacadas
Não haverá flores, perfume, brilho ou companhia
Mas não podemos desistir
É preciso persistir, insistir
E saber aproveitar quando houver luz sob nossos pés
Para seguir adiante, acreditando que tudo é possível
E que a roda da vida gira
Ora luz, ora escuridão
Ora companhia, ora solidão
Mas vale manter o brilho
Dentro de nós, sob nós…
Em frente! Enfrente!
Alda M S Santos

DOSE EXTRA DE AMOR

DOSE EXTRA DE AMOR
O que falta é uma dose extra de amor
Algo que machuca por qualquer lado que se olhe
Se há réu, há vítima, há dor
Presidiários isolados do mundo, dura realidade
Mas é apenas um lado dessa polêmica verdade
Dessa aparente justiça e privação da liberdade
Sentimento de dor, mágoa, impunidade
O lado da mãe é dor que não passa
Uma vida infantil de modo cruel foi ceifada
Não dá para medir a dor dessa alma indignada
Criança que cedo foi embora
Maltratada, infância roubada, maculada
A alma grita, silencia, chora
E um abraço que remexe a ferida
Em rede nacional, quiçá mundial
Parece aplaudir o mal, desvalorizar a vida
Um abraço que doeu quase tanto quanto a perda
Que ainda cutuca na vida vazia
Agora parece tão longa, tão comprida
Mas falta-nos uma dose extra de amor
Para compreender que amor é amor
Abraço é abraço…
E que nenhum de nós pode calcular
Ou ter a pretensão de avaliar
Onde o amor mais faltou ou é necessário
Abraço que dói, ausência dele mais ainda
E a falência humana pode ser medida
Pelo número de presídios, liberdade perdida
É uma responsabilidade que todos temos
É uma falha da humanidade
Vamos menos julgar, mais abraçar
Ninguém perde por amar…
Alda M S Santos
Foto blasting news

Joga no chão

JOGA NO CHÃO
Tão velha, caindo aos pedaços
Paredes de adobe, ainda fortes
Telhado gasto, em ruínas, madeiras de sustentação abaladas
Assoalho rangendo, janelas caídas
Uma casa centenária, morada de muitos
Lar de uma família, muitas histórias
Quem vê de fora não nota as marcas que ela deixou nele
“Não compensa reformar, desperdício”
“Joga no chão e faz outra”
Mas ele não quer, afirma que ela está boa
Só refazer aqui, consertar ali…
Como jogar no chão uma história?
Seria o mesmo que jogar por terra o coração que está ali
Como se ao conservar a casa de pé
Estivesse conservando o amor que ali viveu
Respeitando a história que ainda vive dentro dele
Bom seria se não precisasse se preocupar com capital financeiro
Se o capital emocional fosse o bastante para mantê-la de pé
Conservá-la inteira, segura e habitável
Como o amor e o respeito pelos que ali viveram e se foram
E permanece inalterado dentro de si…
Ruínas… será?
Por dentro dele está tudo inteiro
Até que ponto o que está inteiro nele
Depende da sustentação dessa “casa velha”?
Ou o amor à sua história e aos antepassados que ali viveram
Depende exclusivamente de seu coração amoroso?
Alda M S Santos

Abraço que doeu

ABRAÇO QUE DOEU

Abraço que doeu, que machucou
Que aguçou a válvula do julgamento
Aquela que todos nós temos
E tantas vezes é ativada quando envolve sentimento

Não dá para medir a dor de quem perdeu um filho
Esse abraço deve ter deixado corações paternos maltrapilhos
Especialmente se envolve criança, crueldade
E num tema mal resolvido, como a sexualidade

Mas um abraço é um abraço
São curativos, apertam laços
Ativam talvez o que faltou em algum espaço

Jesus a todos recebeu, por nós morreu
Somos pecadores, os que Ele mais acolheu
Não dá, portanto, para criticar o abraço que se deu

Alda M S Santos

#drauziovarella

Onde estará?

ONDE ESTARÁ?

A procura pela fadinha continua
Esse serzinho belo e encantado
Que faz da nossa vida a sua
E deixa todo mundo enamorado

Ela traz pureza, leveza
Com sua varinha e delicadeza
É magia, alegria, mistério
Todos a procuram, é caso sério

Mas não precisa ir longe não
Ela é poderosa, está em seu coração
Feche os olhos, sinta a emoção

Se você se concentrar irá notar
Ela pode chegar, devagarinho te tocar
Sentirá suas asinhas fazer seu mundo vibrar

Alda M S Santos

Sintonia

SINTONIA

É preciso haver sintonia
Olhos que se desvendam, se leem
Corpos que se atraem, se desejam
Mãos que se dão, abraços que enlaçam
Sorrisos que se comunicam
Bocas que acariciam com doces palavras
Que sabem seguir o bonito caminho
Levando-os a uma vida de mais amor
É preciso haver sintonia
Mentes que se conectam no mesmo canal
Que agem em harmonia, mesmo sem ser igual
Que respeitam o agir da outra
Isso é bom sinal
É preciso haver sintonia
Almas que captam o que a outra sente
Que reconhecem uma na outra
Um par do passado no presente
Corações que batem em uníssono 
Que dançam a valsa do amor
Sem nada precisar dizer
Ativando assim o prazer de viver
É preciso haver sintonia …

Alda M S Santos

Quanto tempo?

QUANTO TEMPO?
Quanto tempo é preciso
Para curar um mal?
Um vírus demora uma semana
É canja de galinha e cama
Uma bactéria com antibióticos se trata
Na hora certinha o medicamento
Acaba com ela sem sofrimento
Se é dor de cabeça ou de dente
Um analgésico é bom combatente
Uma ferida ou fratura
Também no máximo um mês já se cura
E quando o mal é do coração
Aquele que carrega emoção
E precisa curar-se da decepção?
Quanto tempo leva nessa situação?
Qual o remédio para curar frustração?
Sei não…
Acho que vai depender do coração
E do que ele carrega de montão
Mas se for amor, melhor curar não
Deixa ele lá quietinho
Não é doença que necessita medicação
Na hora certa ele tudo entende e acerta
E terá sua compensação
O amor está além de qualquer ponderação
Alda M S Santos

(DES)ENCANTOS

(DES)ENCANTOS
A vida se faz de muitos encantos
Estimulantes, inspiradores, enaltecedores 
Trazem sorrisos, prazeres
Quase não há dissabores
Mas quando o encanto passa
E o desencanto toma conta
Só queremos ficar num canto
Quietos, acabrunhados, entristecidos
Tentando afastar o pranto
Questionando a vida,  a razão
De tantos encantos e desencantos
Chegarem para maltratar o coração
Porém, estar encantado é estar como enfeitiçado
Estado que não corresponde à realidade
O desencanto vem como a  cura
De um mal, de uma amargura
É alívio,  é liberdade,  é de novo a realidade
É extrair da vida a doçura
Encantos ou desencantos?
Tudo irá depender daquilo que te faz sofrer
Ou do que vem como bênção, como prazer…
Encanto ou desencanto?
Passar o encanto pode ser libertador
Acaba a dependência.
Passar o desencanto ccertamente é cura
Alda M S Santos

Amor, amar!

AMOR, AMAR!
Amor é substantivo abstrato, pois designa um sentimento:
“Amor é dor que desatina sem doer”
Amor é adjetivo, pois qualifica um ser agradável:
“Ela é um amor de pessoa”!
Amor é objeto direto, pois completa o sentido do verbo:
“Não há quem não goste de fazer amor”.
Amor é advérbio de modo, pois modifica o verbo:
“Cuida dele amorosamente, independente do que faça”.
Amor é sujeito: aquele que age sobre o verbo
“O amor cura todas as feridas”.
Amor é predicado: o que se diz sobre o sujeito:
“Aquele senhor não é muito amoroso!”
Mas principalmente, o amor é verbo.
Ele não poderia ser mais nada se não sofresse nossa ação direta ou indireta.
Amor é construção diária! Eu amo, tu amas, ele ama!
Eu sofro, tu és feliz, ele acredita! Não importa!
Verbo amar! Quero conjugar!
Em todos os tempos, modos, vozes e espaços!
Alda M S Santos

Seja como for

SEJA COMO FOR
Amor é cheiro, é tato, é contato
É pele, é desejo, é atração
Amor é ouvido, audição, atenção
É palavra doce que acalenta o coração
Amor é olhar profundo, admiração
É olhar que desvenda, é paixão
Amor é gosto, é sabor, é fervor
É adocicado, agridoce, apimentado
Amor é pidão, imaginação
Realidade ou sonho que alimenta o coração
Seja como for, é amor
E aguarda o momento certo
De fazer da vida de alguém a razão…
Alda M S Santos

Rosas, sim, todas elas…

ROSAS, SIM, TODAS ELAS…
Mulheres…
Rosas, sim, todas elas
Não só pela delicadeza, suavidade e perfume
Tampouco apenas pelas cores, beleza e encanto
Mulheres…
Rosas, sim, todas elas
Pela força que brota mesmo em terreno árido
Pelos ventos e tempestades que suportam
Pelos espinhos que usam para se proteger
Mulheres…
Rosas, sim, todas elas
Pelos outonos em que perdem partes de si
Pelos invernos frios sem se abaterem
Pelas primaveras que recebem em total plenitude
Mulheres…
Rosas, sim, todas elas
Pelos “cravos” que ainda a “despedaçam”
Mas aprenderam a fazer mais que chorar “debaixo de uma sacada”
Por precisar a cada dia conquistar seu espaço, ir à luta
Por sobreviver, muitas vezes, irrigadas com as lágrimas
Que poderiam matá-las pouco a pouco
Mulheres…
Rosas, sim, todas elas
Por toda a força, beleza e grandeza
Pelas vidas que geram, pelo amor que doam
Nesse lindo jardim no qual, mesmo podadas,
Elas, como rosas, resistem cada vez mais belas
Sem perder a doçura
Mulheres, rosas, jardins…
Tudo parte da mais bela criação…
Cultive sua rosa, cuide de sua mulher!
Alda M S Santos

Bela e natural

BELA E NATURAL
Mulher mãe, mulher filha
Mulher acompanhada, mulher sozinha
Mulher-menina, menina- mulher
Mulher amante, mulher amada
Mulher forte ou desamparada
Mulher delicadeza, mulher pureza
Mulher de alma nobre, pura grandeza
Mulher paixão, sedução, intensa emoção
Mulher especial, bela, sensual
Mulher inteligente, páreo duro, sem igual
Mulher colo, mulher aconchego
Mulher que chora pede arrego
Mulher que gosta de ser desejada, de apego
Mulher múltipla, ímpar, especial
Que quer alguém que a ame e aceite
Do seu jeito mais belo e natural
Alda M S Santos

Simplesmente, mulher

SIMPLESMENTE, MULHER

Nela a vida começa
Num momento de magia e ardor
Cresce, acontece
Nela a vida se faz amor
Delicadeza, paixão
Com ou sem pudor
Nela a vida grita, chama,
Silencia, docemente clama
O amor e a união sentencia, proclama
Nela a vida é beleza, pureza
O orvalho, o perfume da flor
Nela o amor se faz, desejo
Carinho, doçura, abraço e beijo
Nela o mesmo peito que é sensualidade
É alimento, é cuidado, é maternidade
É força e é coragem num mundo de vaidade
Nela tudo se faz mais intenso
Em controvérsias ou consenso
Pode o que quiser, lhe aprouver
Sozinha ou com quem quiser
É puro potencial, ventania, vendaval
Mas fica mais feliz, mais inteira
Num colo que a faz única, amada, especial
Simplesmente, mulher…
Alda M S Santos

Mulher!

MULHER!
Ser humano do sexo feminino
Bela, mas que pode ser fera
Encantadora, mas que assusta
Frágil, mas de força descomunal
Levanta ou derruba com um olhar
Capaz de ser colo enquanto pede colo
Emoções de tirar o fôlego ou devolver o ar.
Submissa? Só se quiser!
Parceira? Pra quem merecer!
Inteira, mas que se faz metade
Para ter o prazer de completar e completar-se,
Sendo a metade de outro alguém.
Simplesmente, Mulher!
Alda M S Santos

Mulher: PURA POESIA

MULHER: PURA POESIA
Para o poeta ela é magia, pura poesia
Para os pais, a filha, a eterna menina
Para o rapaz, a moça encantada, a doce namorada
Para o filho, a mãe, o colo, o porto seguro
Para o esposo, a amante, a guerreira, a companheira
Seja para quem for
A mulher representa o amor
A beleza, a delicadeza, a força que brota na dor
Para iluminar uma casa, um coração, uma vida
Para ser um abrigo, do perdido a guarida
Para ser nesse mundo tão duro
A doçura, um pouco de ternura
Na fragilidade e no medo, a bravura
Deus criou a Mulher, sua mais intensa criatura
Para salvar o mundo de tanta amargura
Alda M S Santos

Sou mulher, sou minha!

SOU MULHER, SOU MINHA!
Ora sou forte, ora sou frágil
Sou humana, feminina, carente ou autossuficiente
Não sou mais nem menos que você
Posso ser razão ou emoção,
Pés no chão ou cabeça nas nuvens
Sou mel, sou fel, rosa ou azul
Multicor!
Choro sorrindo, sorrio chorando
Transbordo amor!
Rosa ou espinho, ora ferida, ora ferindo
Se você me enxergar e bem cuidar
Se me aceitar como sou e a mim respeitar
Terá uma alma sempre leal para te amar
Posso te fazer chorar, mesmo sem querer
Mas posso ser a razão do seu sorriso
Aquela que desperta seu lado bom, te faz crescer
Posso ocupar qualquer espaço que eu queira
Profissional, social, pessoal, amoroso
Inclusive um lugarzinho especial dentro de você
Não sou sua costela, tampouco um corpo apenas
Mas posso ser seu coração
Assim como você também pode ser o meu
Não para tomarmos posse um do outro
Mas por querermos e escolhermos estar juntos
Por saber que só somos plenos
Quando encontramos no outro
Aquilo que atiça o melhor de nós…
Sou mulher, sou feminina e, como todas elas,
Posso ser sua, nua e crua, mistério
Mas antes de tudo sou minha!
Alda M S Santos

Vamos lavar a alma

VAMOS LAVAR A ALMA!
Pode ser meiga, tímida, frágil e amorosa,
Ativa, quente, carinhosa, sensual e cheirosa…
Pode ser lágrimas, sorriso, colo, ombro, abraços e beijos,
Expediente, turnos, horários, prazos e metas…
Pode ser amiga, irmã, filha, neta,
Mãe, profissional, avó, esposa/amante, família…
E tudo ao mesmo tempo, desde que queira,
Pois é MULHER…
Esse frágil ser que, paradoxalmente,
Quando menos espera, vê brotar de si uma força descomunal,
Uma força que vem de Deus.
Parabéns a todas as mulheres!
E aos homens que sabem valorizá-las!
Alda M S Santos
Mais no meu blog vidaintensavida.com

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: