UM RIO QUE PASSOU…

O rio passa…

Límpido, cristalino ou nem tanto

Algumas vezes turvo e sem oxigênio

Águas calmas ou turbulentas

Em cursos de águas rasas, outras profundas

Arborizado ou não, matas ciliares protetoras

Espaços de assoreamentos e ausência de fluxo

Habitat de peixes e outras vidas que acolhe e alimenta

Enfrenta remansos ou quedas nas pedras em lindas cachoeiras

Irriga, favorece a vida em seu entorno

Recebe afluentes, transborda

Ou até parece secar em alguns pontos

Poluído, parece morrer…

Mas onde um rio passou sua marca deixou

Tudo que ele trouxe consigo

Ficará para sempre na vegetação que irrigou

Tudo que leva consigo irrigará outras margens, outros leitos

E vez ou outra a mina renasce e jorra vida novamente

Onde houve um rio fica a saudade

Ali sempre haverá a lembrança de vida, de umidade

Mesmo nas fases de seca…

Um rio sempre será um rio

Até que morra no mar…

Um rio passou, um rio ficou…

Na vida de quem naquelas águas se banhou…

Alda M S Santos