DECISÕES

Decidi não mais me preocupar
Não quero mais sofrer ou me amargurar
Ou se isso acontecer
Que seja apenas um atalho bem rápido
Que logo me devolva ao saudável caminhar
Decidi não mais me importar
Com quem já encontrou guarida noutro lugar
Preciso mais de mim mesma me ocupar
Abastecer meu estoque para poder me doar
Decidi sempre procurar ajudar
A quem de mim verdadeiramente precisar
Que fique feliz com minha presença
Meu sorriso, atenção e doce abraçar
Decidi resgatar entre as muitas de mim
Aquelas que possam se autoabastecer
Que não necessitem tanto dos outros
Para garantir o seu próprio viver
Decidi nunca me esquecer de mim
Aquela que tem alegria, energia, prazer
Até mesmo aquela que às vezes só quer desaparecer
Porque ambas são partes do mesmo viver
Lados diferentes da mesma moeda lançada
Todo o tempo dessa vida abençoada…
Decidi…
Alda M S Santos