Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Categoria

Viver melhor

Injusta

INJUSTA

A vida pode ser cruel
Dolorosa, intensa, parcial
A cada um de nós caberá
Torná-la menos desigual

Muitas vezes parece tão longa
Noutras é por demais curta
Mas é o que fazemos por ela
Que a tornará menos injusta

Buscamos no outro a alegria
Ou a paz que de nós fugiu
Sequer percebemos que está na gente
O prazer de viver que um dia sumiu

Mesmo injusta ela é só nossa
Mas se torna mais bela
Quando destrancamos portas fechadas
E sorrisos abrimos em nossa janela…

Mesmo injusta ainda podemos fazer dela
Uma linda e encantadora aquarela…

Alda M S Santos

Onde o Sol nasce

ONDE O SOL NASCE

Quero ir lá onde o Sol nasce

Não aquele que se vê do alto de um edifício

Tampouco aquele que entra nas frestas da janela

Ou aquele que do avião parece uma bola amarela

Quero ir lá onde o Sol brilha mais bonito

Onde seu calor é mais forte, intenso, uma aquarela

Quero ir lá onde o Sol nasce

Talvez na linha do horizonte, no fim do mar

Ou atrás daquele pico bem alto que quero escalar

Onde nada possa haver entre ele e eu, quero conversar

Olhos nos olhos, pura luz a brilhar

Quero ir lá onde o Sol nasce

Quero senti-lo aquecer minha pele

Arrepiar, queimar, animar, me bronzear

Quero ir lá onde o Sol nasce, atrás da cachoeira

Preciso trocar uma ideia com ele, não posso dar bobeira

Quero perguntar para ele como se faz

Para todo dia morrer atrás do monte, tudo esquecer

E novamente lindo e forte renascer

A cada manhã num belo e novo alvorecer

E vver feliz com um amor, sem doer

Será que ele poderá me dizer?

Preciso aprender…

Alda M S Santos

Um dia

UM DIA 

Um dia ainda vamos acordar

E sermos livres para por aí caminhar

Mais que isso, poderemos confiar

Que o mundo se tornou um bom lugar 

Bastaria um leve e atento olhar 

Para saber que nada se deveria temer 

Pois haveria menos humanos a sofrer 

E sempre seria prazeroso viver

Um dia ainda iremos acordar 

E saberemos o valor de poder tocar 

Chegar perto, abraçar,  beijar, amar 

Deixar fluir a emoção…

Estamos em hibernação 

Juntando forças, recarregando bateria

E, ao despertar, tudo será energia 

Para ser usada em prol da vida 

Com muito mais amor e alegria 

Um dia…tudo será harmonia…

Alda M S Santos 

Revelação

REVELAÇÃO
Quero revelar todas as fotos que minha lente captou
Nem sempre tão objetivamente assim
Mas capturadas todas elas em momentos de intensa emoção
Numas pode haver luz e escuridão
Noutras alegria, descontração
Pode haver talvez insegurança e tristeza no olhar
Desejo, tensão, atração no modo de me expressar
Podem ter sido registradas num instante de puro amor
Alguns talvez sejam apenas lembranças
Outros são as atuais andanças
E há ainda os que alimentam esperanças
De um viver sempre em evolução
Quero, preciso revelar todas essas fotografias em mim
Registradas nessa longa trajetória
É fazer delas um grande álbum, enfim
De uma vida, de luta, de história
Onde possa mergulhar numa tarde de nostalgia
E tudo reviver, aprofundando a magia
Quero revelar todas as fotos contidas na lente do meu olhar…
Alda M S Santos

Feito menina

FEITO MENINA
Feito criança pequenina quero receber a vida
Acolher com prazer o amanhecer que ela me oferece
Como menina, abrir os grandes olhos brilhantes e sorrir
Não me importar com os cabelos ou a vida bagunçados
Andar descalça, correr na grama, cair, esfolar os joelhos
Aceitar os cuidados que me forem ofertados
Desembrulhar o dia como um grande presente
Aproveitar o sol e quintal lá fora para brincar
Sentir o frio na barriga do calor de viver
Feito menina quero curtir cada minuto que tiver
Sabendo que o entardecer chega, o anoitecer idem
Mas ser leve, sem preocupações excessivas
Chorar quando sentir vontade
Mas nunca deixar de sorrir, de sonhar, de acreditar
Confiante que novo amanhecer chegará
E tudo se repetirá, ou não, (in)finitamente
Mas que ele sempre será bom como tem que ser
E, feito menina, confiar e balançar ao sabor da vida…
Alda M S Santos

Canarinhos

CANARINHOS
Canarinhos na ameixeira, cantam, comem, fazem zoeira
São muitos, brigam, disputam uma fêmea
Fico a observar a fêmea namoradeira
Qual irá escolher, o mais amarelinho, o mais galante
Ou o que canta mais bonitinho, mais “falante”?
Banham-se no rodador do jardim
Divertem -se, encantam, encantam-se
Qual será desse romance o fim?
E a algazarra continua até o despertar da Lua
Vão-se embora, não sei qual deles venceu
Qual ficou com a fêmea que se ofereceu
Vida linda, doce, colorida e simples
Comer, cantar, namorar…
E nós aqui a vida a complicar…
Alda M S Santos

Arte de viver

ARTE DE VIVER

Desenhei no caderno da vida um sonho colorido

Pintei na tela da existência um cérebro bem resolvido

Bordei na colcha macia um amor fantasia, pura sintonia

Escrevi no seu coração um poema cheio de emoção

Depositei beijinhos no seu corpo, com carinho

Acendi na nossa estrada a luz da Lua, encantada

Para uma noite de amor, dancei suave, sem pudor

Criei uma letra, uma música, uma melodia, uma história de amor

Mãos postas, um silêncio, uma oração, gratidão

Com minha ajuda o destino escreveu na linha do horizonte nosso apogeu

Deixei registrada por aqui nossa passagem em arte magia, poesia

A vida e eu…

Alda M S Santos

De gota em gota

DE GOTA EM GOTA

De gota em gota vão chegando as alegrias

Aquelas que a vida nos presenteia dia a dia

E nós, tolos, queremos copo cheio

Nos perdemos e nos afogamos nesse meio

De gota em gota vai chegando um grande amor

Aquele que aos poucos faz a vida ser flor

Colorida, bela, perfumada, seja como for

E nos ensina que de beijo em beijo se satisfaz o beija-flor

Chuviscos, garoa ou furacão

Qualquer deles irriga um coração

Basta querer bem, ser atenção, (com)paixão

A conta-gotas também dá para ser feliz

Brotar, crescer, criar raiz

Ser árvore frondosa no céu de quem me quis

Alda M S Santos

Fadinha encantada

FADINHA ENCANTADA

Quisera ter alma limpa e purificada,

Muita leveza no gesto e no escrever

Certeira e destra em minha alçada,

Sempre amando a Natureza e o ser.

Quisera ser uma mágica fadinha,

Linda, sonhada, doce e bem amada,

De repente, de anjo à bruxinha,

Sendo mais que encantada, abençoada

Esta é a fadinha que eu sonho ser,

Em minhas poesias, que brinco, gracejo,

Quero levar luz, amor, beijos e desejo

E viva a fadinha purificada, sempre bem acompanhada

De poetas, bruxos, feiticeiras amadas

É a fadinha, aquela que sonho e parece encantada

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: