Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Categoria

flores

Floresça!

FLORESÇA

Regue o que tens de mais belo

Cultive, adube, are a terra

Dê sombra nas tardes quentes

Aqueça-se nos longos invernos

Permita-se curtir a chuva

Fortaleça suas raizes nas tempestades

Seja grato aos seus parasitas ou protetores

Compartilhe seu sol, sua sombra

Espalhe sua luz, contenha sua escuridão

Mas nunca roube o sol do outro

Cresça nas adversidades e nas intempéries

Alcance o céu, floresça!

Alda M S Santos

Puro encanto

PURO ENCANTO

O galho, frágil ainda, quebrou

Tombou, ficou ali dependurado

Carregando na ponta um botão fechado, interrompido

Os espinhos não a protegeram

A violência venceu a fragilidade

Bem que tentou manter-se de pé, mas em vão

E ali ficou, lutando para sobreviver, desabrochar

Usando de energia reserva

Buscando a luz, a vontade de viver

Enfim, numa bela manhã

Abriu-se para a vida, para o amanhecer

Com perfume, cor, encanto

Ressurgiu, renasceu

E embelezou a vida no seu entorno

Só secou, morreu, se entregou, depois de cumprir seu papel

De fazer deste um mundo mais belo

Linda roseira minha…

Alda M S Santos

Nosso desabrochar

NOSSO DESABROCHAR

Até poderia viver sem sua cor

Sem seu perfume, sem sua beleza

Sem participar de seu lento desabrochar

Sem me encantar com tanta delicadeza

Sem nossa troca e irrigação diários

Mas tudo é mais suave quando temos um ao outro

Eu te cuido, você me cuida

Assim, a beleza do jardim

E nosso eterno e cíclico desabrochar…

Alda M S Santos

Florescendo, flores(sendo)…

FLORESCENDO, FLORES(SENDO)…

Sob sol, sob chuva, sob tempestades

Florescendo, flores sendo…

Acolhendo abelhas, borboletas e beija-flores

Ensurdecendo com o canto das cigarras

Florescendo, flores sendo…

Sob o entardecer, sob o luar ou a aurora

Dividindo espaço, multiplicando belezas

Queimando e perdendo pedaços para as formigas

Florescendo, flores sendo…

Alimentando-me de brisa, de doçuras, de toques delicados

Fazendo minha fotossíntese

Purificando o ar, espetando os dedos com espinhos

Molhando a raiz de lágrimas salgadas

Florescendo, flores sendo…

Nascendo, crescendo, perfumando a vida, encantando, morrendo…

Florescendo, flores sendo…

Alda M S Santos

Precisando de cuidados?

PRECISANDO DE CUIDADOS?

Num jardim há flores de todos os tipos

Cores, perfumes, texturas, tamanhos, resistência

Umas preferem o Sol, outras a sombra

Algumas precisam de muita irrigação, outras bem pouca

Umas são do dia, outras da noite

A floração também é muito variada

Algumas são bem frágeis, necessitam proteção

Inclusive exigindo sacrifício de outras, que se doam

Para garantir sua sobrevivência

Tratamento igual para todas poderá levá-las à morte

Única coisa que deve ser igual para todas é a dedicação do jardineiro

Conhecer bem cada uma e do que ela necessita

Aceitá-las em suas peculiaridades que as tornam únicas e belas

Até mesmo impedir que umas sufoquem as outras

Cada planta no jardim exige um cuidado e proteção especial

Assim é com as flores,

Assim é com as pessoas…

Somos flores, boa parte do tempo, precisando de cuidados

Somos também jardineiros, devendo cuidar…

Cuidemos de nós e dos outros, quando flores, quando jardineiros…

Alda M S Santos

PRIMAVERANDO

PRIMAVERANDO

Doce expectativa, espera tranquila

Raízes que se desenvolvem e grudam no tronco da mangueira

Buscam ali os nutrientes que precisam para crescer

Sem causar danos, perfeita harmonia

Numa manhã, alguns botões surgem

Se abrem para a luz, para o calor do sol

Tal qual meu sorriso a saudá-las

Brancas, lilases, rosas, amarelas e mescladas

Passo a vigiar, parecem demorar mais

Noutra manhã, mais cores, perfume, ternura

Beleza pura e delicadeza que encantam

Que necessitam para ser tão belas assim?

Precisam antes terem sido plantadas no coração

No desejo de quem as ofereceu ou recebeu

No carinho de quem cuidou e por elas esperou

Precisam do tempo, do repouso, da paciência, da reclusão

Fases que a maioria não nota, sequer considera

Querem apenas a beleza da flor, que antes foi raiz, galhos, folhas

Quem curte apenas a orquídea em flor perde todo um processo de vida

Que germina, brota, cresce, luta pela sobrevivência

A flor é mesmo bela, digna de admiração e encanto

Mas quem acompanha todas as etapas do desabrochar, do primaverar

Sabe mesmo ser jardim!

Vale para jardins de flores ou de pessoas…

Alda M S Santos

Flores no caminho

FLORES NO CAMINHO

São flores, doces, lindas, coloridas

Enfeitam, perfumam, ocupam todos os espaços possíveis

Alegram os caminhos nem sempre fáceis ou justos

São vida!

Pelo olhar adentram a alma, invadem recônditos escuros

Deixam uma suave fragrância de vida onde passam

Abrem um sorriso iluminado onde tocam, em quem presenteiam

Fazem minar nos olhos gotas brilhantes como orvalho

Mas também precisam ser podadas, cortadas

Ou podem sufocar tudo a sua volta, matar por asfixia

A sabedoria consiste em identificar o momento certo da poda

E o quanto é possível cortar sem matar

E seguir o caminho …

Na esperança de novo broto, mais forte e mais bonito

Nos ciclos vitais da natureza que brotam dentro de nós

A primavera vem mais bonita para quem soube apreciar o inverno

Não somente tolerá-lo!

Alda M S Santos

Sangrando

SANGRANDO

Tão bela, tão delicada, tão perfumada

Singela, encantadora, frágil

Frágil? Às vezes!

Sabe se defender, tem espinhos, fere

Resiste às tempestades constantes

Perde folhas, galhos, flores, para manter a raiz

Assim são as roseiras, assim são as pessoas…

A diferença é que elas não ferem a si mesmas

Humanos ferem-se com os próprios espinhos

Se atrapalham, se automutilam, confundem-se

Machucam seus amigos, quem lhes quer bem,

Afastam o essencial, sangram…

Sangrando buscam um caminho menos nebuloso, menos árido

Mais aconchegante, tranquilo, pacífico, alegre

Para colorir, florir, encantar, viver, amar…

Alda M S Santos

Muros e flores

MUROS E FLORES

Muros, duros, íngremes, sem vida, arames farpados

Criam obstáculos, impõem limites, machucam

Separam, demarcam espaços

Flores, cores, leveza, beleza

Desconhecem limites, brotam em bons terrenos

Crescem, encantam, invadem, enfeitam

Formam uma cortina harmônica e perfumada

E até os muros ficam bonitos

Ainda que continuem muros

Mesmo ainda delimitando espaços…

Flor e amor são assim, transformam onde passam

Vencem pelo carinho, persistência, boa essência

Bem cuidados, têm o dom de tornar tudo belo e se eternizar…

Alda M S Santos

Puro encanto

PURO ENCANTO

São tantas as flores, tanta beleza, tanto perfume

Cores e formas diversas, umas mais frágeis e delicadas

Outras fortes e de perfume intenso

Sob o orvalho, frio, sol, tempestades…

Algumas florescem todo o tempo, outras são sazonais

Morrem, “hibernam” e retornam mais lindas

Há as que preferem a sombra de um recanto do jardim

Outras se adaptam ao centro do canteiro, muito ar, sol e exposição

Qual irá nos atrair mais?

A mais simples e delicada, a mais forte e resistente

A mais parecida conosco que nos tranquiliza

A mais diversa de nós que nos instiga

Todas elas, nenhuma delas

Ou irá depender de nossa fase da vida

Do nosso estado de espírito ou carência de afeto e beleza?

Insetos e pássaros se regalam,

Uns sabem bem o que querem, alimentam-se, alimentam-nas

Outros, perdidos e encantados, insaciáveis e volúveis, se servem de todas

E nessa vida de puro encanto

Todos acabam por deixar um pouco de si,

E levam muito de cada uma…

Alda M S Santos

Ervas daninhas no jardim

ERVAS DANINHAS NO JARDIM

Cuidando das plantas, retirando galhos com ervas de passarinho de uma mangueira

Observei o quanto é importante não perdermos o “timing” da vida

Retiramos as ervas já floridas perdendo inúmeros galhos, mas salvamos a mangueira

Um tempo a mais que demorasse talvez não fosse possível salvar a árvore

Como uma doença descoberta no início, podendo ser curada

A questão é identificar o mal, as ervas daninhas, os matos sufocantes e extraí-los

Mesmo amando plantas tenho dificuldade de identificar os matos e ervas “disfarçados” no jardim

Acho lindas as flores com suas cores maravilhosas e perfumes embriagantes e me perco

Tantas vezes não identificamos o mal que se apresenta em nossas vidas

E perdemos o momento certo de arrancá-los

Talvez nem seja uma erva daninha, apenas uma outra “flor” que ocupa espaço demais

Que impede de vermos, de recebermos a luz, nos afasta do essencial e nos sufoca

Mas, o que é importante sabermos e estarmos atentos

É que o momento certo de extirpar uma erva

Pode significar a diferença entre vida ou morte

Tanto para as roseiras quanto para as pessoas…

Alda M S Santos

Florescendo

FLORESCENDO

A vida é feita de cores, de flores, de amores

Quanto mais amor, mais cor, mais flor

Ou seria mais flor, mais amor, mais cor

A ordem não importa…

Oferecidas com alegria, por prazer, por vontade

Rosas, orquídeas, flores quaisquer

Doados com carinho, por desejo, por necessidade,

Amizades ou amores quaisquer

Sempre irão florescer, encantar

Perfumar, colorir o mundo…

Se houver o mesmo carinho e amor em quem recebe e sabe cultivar!

Alda M S Santos

O amor na ausência

O AMOR NA AUSÊNCIA

O amor é sentimento tão ímpar

Que é sempre identificado

Ainda que na sua ausência.

Onde ele encontra morada

Tudo é luz, brilho, resplandecer

Cor, forma, contágio, alegria

Visível até aos mais incrédulos

Onde ele não é percebido

Notamos as pegadas de sua ausência:

Secura, tons acinzentados, amargor

Opacidade, escuridão, tristeza

Lágrimas, espaços vazios, vácuos

Mas ele está lá, em forma de semente

Pronta para germinar à primeira gota d’água

Ao calor do primeiro raio de sol

Ao cuidado de um mínimo gesto de reciprocidade

Vira broto, desenvolve raiz, cresce

Torna-se flor, árvore frondosa

Sem precisar fazer sombra ou derrubar outras “árvores”…

Alda M S Santos

Borboletas e rosas

BORBOLETAS E ROSAS

Cada flor com sua cor, seu encanto, seu néctar

Mel que alimenta, perfume que inebria, beleza que extasia

Borboletas que transitam, pólen que gera vida

Ainda assim, não é atraente a todos

Cada borboleta e beija-flor com suas preferências

Encantos e desencantos

Mas doçura sempre atrai doçura

Quem não está acostumado a doçuras tem dificuldade em ser doce

Em aceitar a doçura dos outros

Ainda que sejam as que mais dela necessitem

Mas tudo pode se transformar

Até mesmo uma borboleta, tão leve e linda

Já foi uma lagarta pavorosa um dia…

Alda M S Santos

Podar ou arrancar?

PODAR OU ARRANCAR?

Eu podava umas plantas na cerca e um garotinho do sítio vizinho apareceu

“Por que você está cortando as flores todas”?

“Não! Estou cortando os matos e podando as flores”- respondi!

“Mas mato também é da natureza”!

“Sim, mas matos sufocam as flores que precisam ser podadas para crescerem mais bonitas e fortes”!

“Mas você está cortando as flores, elas são bonitas ”-ele acusou!

Expliquei o que era podar, e pus-me a pensar na nossa conversa.

Em nossa natureza humana, somos feitos de matos e flores.

Nossa tendência é sempre arrancar nossos matos: os sentimentos negativos.

As flores, lindas e perfumadas, nossos sentimentos nobres, queremos deixar livres!

Todo cuidado é necessário para não cultivar matos e arrancar flores.

Mas, mesmo sentimentos bonitos precisam ser educados, podados, contidos.

Como as rosas, por exemplo, mesmo que a gente se machuque ao podá-las, é preciso!

Se deixados livres demais, tomam conta de tudo e sufocam a gente.

Até mesmo o amor em excesso pode nos sufocar!

Alda M S Santos

Flores e matinhos

FLORES E MATINHOS

Estive a cuidar de meu jardim

Não sou jardineira muito boa

Amo flores e jardins, mas não sei cuidar muito bem

Molho, admiro muito, cuido razoavelmente

Tenho dificuldade em identificar o que é mato ou erva daninha

Trato a todos, a princípio, como flores ou folhagens

Muito matinho com cara inocente se passando por flor…

E o jardim fica abarrotado, uns sufocando os outros

Disputa acirrada por espaço, por oxigênio, por luz

Até aparecer uma alma caridosa e me dizer o que podar, arrancar, jogar fora

Sobra quase nada! Que pesar!

Aí a gente cuida da terra e replanta tudo!

O mesmo vale para nossos jardins internos

Muitas vezes passamos pelas mesmas dificuldades…

E precisamos de um bom jardineiro ao nosso lado!

Alda M S Santos

Flores…

FLORES…
Em todo caminho elas estão,
Embelezam, alegram, encantam, renovam as forças,
Coloridas, perfumadas, singelas, grandes ou pequenas,
De todo tipo ou forma.
Às vezes se disfarçam de gente, de pessoas,
Mas se observarmos bem,
Pela beleza, perfume, colorido
E capacidade de encanto,
Veremos que, no fundo,
Todas as pessoas que nos encantam são flores!
Jardins nos quais queremos habitar!
Alda M S Santos

MUDANDO O/OU PARA O INTERIOR?

MUDANDO O/OU PARA O INTERIOR?
Cada dia que passa as pessoas têm procurado mais a vida no campo. Uns querem apenas desfrutar de suas belezas e conforto, por um fim de semana ou férias. Outras, querem voltar às origens, retornar ao passado que ficou lá atrás e, após um tempo, volta com tudo, especialmente após os 40 anos. Há também aquelas que nunca tiveram experiência com a vida rural, e se encantam ao primeiro contato.

Outro dia, numa sala de espera de um consultório médico, dois senhores conversavam sobre isso. Um dizia que o médico tinha recomendado procurar uma vida mais calma para afastar o estresse. O outro sugeriu que comprasse um sítio, ao que ele respondeu que não se acostumaria àquele silêncio todo e à vida dura de trabalhos braçais.

Daí surgiu todo um relato da nova vida que passou a levar após um infarto. Passou a viver num sítio, cujos familiares se opuseram veementemente. Acharam que era mania de velho, visto que nunca tinha demonstrado interesses pela área rural. Acabaram por ceder, visando preservar a saúde do patriarca da família. Compraram um sítio não muito longe da cidade. Todos os dias, esposa e filhos dirigiam 50km para ir para o trabalho.

Reclamaram muito no início, mas se acostumaram. Sentiram falta das regalias da cidade no início: pizzarias, cinemas, celulares, internet, shoppings… Mas acabaram por se encantar pela pureza do ar, as cores dos jardins, o contato com a terra, a horta, as árvores frutíferas, os animais que passaram a criar, o rio.

A família ia e voltava todos os dias. Não acreditava que quisessem ficar lá para sempre. Quanto a ele, não abria mão daquela vida. Gostava de acordar cedo, ver o sol nascer, alimentar seus bichos e cuidar de suas plantas. Quem diria que teria forças para usar a enxada? Gostava das caminhadas nas trilhas de terra, de sentar-se à beira do rio, ouvir os pássaros, cochilar à tarde, ouvir música em seu mp3 velho… Sentia prazer nas mínimas coisas. Num bate-papo com os poucos vizinhos que encontrava quando ia ao pequeno comércio na região, nas leituras prediletas, no violão que gostava de tocar à noite… Voltou a escrever poemas, hábito da juventude, abandonado pelos atropelos da vida.

Só ia à cidade para realizar consultas periódicas com o cardiologista. Logo o médico o chamou. Despediu-se do amigo e foi recebido pelo médico com carinho. “Estou precisando ir para o campo também! Que saúde, vigor e alegria você demonstra”! O outro senhor atendeu ao celular, ficou vermelho e concluiu: “Preciso mesmo dar um novo rumo à minha vida”!

Saí de lá pensando no privilégio que é poder ter as duas opções: o campo e a cidade. Mas o fundamental é desacelerar, adquirir hábitos mais simples, menos consumismo, adquirir paz interior. O campo, com suas dificuldades geográficas e de consumo, pode aumentar os problemas se não mudarmos nosso interior “urbano” e estressado. Mudar nosso interior antes de nos mudarmos para o interior.
Alda M S Santos

 

 

Vida!

Minhas orquídeas:

Pode não haver flores todo o tempo, mas há vida!

Há raízes, folhas, força interna.

Cultivadas no interior,

Cedo ou tarde as flores aparecem,

mais maravilhosas que nunca.

Sabedoria da natureza à disposição de todos.
Alda M S Santos

Setembro

O mês pode ser novo, nova estação a caminho…
Renovando as esperanças, criando expectativas
Mas a primavera é construída bem antes
Não surge de uma hora para a outra…
Para que possamos receber suas flores
Suas cores, perfume, brilho e beleza
Temos que tê-la cultivado desde o inverno
Aquele escuro e frio que nem todos apreciam
Mas de onde brotam as mais belas rosas
Os mais belos e fortes sentimentos…


Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: