PURO ENCANTO

São tantas as flores, tanta beleza, tanto perfume

Cores e formas diversas, umas mais frágeis e delicadas

Outras fortes e de perfume intenso

Sob o orvalho, frio, sol, tempestades…

Algumas florescem todo o tempo, outras são sazonais

Morrem, “hibernam” e retornam mais lindas

Há as que preferem a sombra de um recanto do jardim

Outras se adaptam ao centro do canteiro, muito ar, sol e exposição

Qual irá nos atrair mais?

A mais simples e delicada, a mais forte e resistente

A mais parecida conosco que nos tranquiliza

A mais diversa de nós que nos instiga

Todas elas, nenhuma delas

Ou irá depender de nossa fase da vida

Do nosso estado de espírito ou carência de afeto e beleza?

Insetos e pássaros se regalam,

Uns sabem bem o que querem, alimentam-se, alimentam-nas

Outros, perdidos e encantados, insaciáveis e volúveis, se servem de todas

E nessa vida de puro encanto

Todos acabam por deixar um pouco de si,

E levam muito de cada uma…

Alda M S Santos