Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Tag

jardim

Jardins

JARDINS

Gosto de cuidar de meu jardim

Afofar a terra, regar cada pedacinho

Retirar folhas secas, fazer um carinho

Tomando cuidado com cada espinho

Gosto de cuidar do meu jardim

Aquele que carrego dentro de mim

Se uma parte deixo de lado, tudo fica nublado

E já não me sinto tão bem assim

Quero dele cuidar o dia inteiro

Mas preciso de ajuda de bom jardineiro

Um que seja entendido e bom companheiro

Quero que meu jardim tenha perfumes e cores

Que atraia fadas, borboletas e beija-flores

Que seja morada de encantos e amores

Alda M S Santos

Como rosa

COMO ROSA

Como uma rosa quero receber feliz a chuva da madrugada

E amanhecer viçosa e alegre mais uma alvorada

Como rosa quero me aquecer ao sol agradecida

E exalar para todos meu perfume intenso, bem colorida

Como rosa que atrai borboletas e joaninhas para se alegrar

Quero encantar quem de mim se agradar

Como rosa quero de intrusos me proteger

Se preciso, usar meus espinhos para me defender

Como rosa quero estar entre flores num jardim

Ou nas mãos de alguém apaixonado, a fim, enfim…

Como rosa quero cor, perfume, delicadeza, intensidade

Ser prazer e alegria nesse mundo cheio de maldade

Como rosa quero carinho, amor, presença e cuidado

De um jardineiro que sabe o que faz, apaixonante, apaixonado

Como rosa quero deixar doçura numa alma impregnada

Quando minhas pétalas forem adubo na terra molhada

Alda M S Santos

Beija-flor

BEIJA-FLOR

Beija-flor nos ensina uma lição

Daquelas boas que atingem o coração

Aproveite a vida, tenha leveza

Busque doçuras e perfumes

Espalhe simplicidade, lindeza

Vá sempre com delicadeza

Aproxime-se com jeitinho

Não acumule nada, toque com carinho

Deixe-encantar pela cor, pela beleza

Não exclua nada ou ninguém

Mas saiba onde o pouso convém

Beija-flor, encanto da natureza

Conta para mim seu segredo de pureza

De flor em flor, jardim em jardim

Não se apaixona?

Como mantém sua nobreza?

E, tendo tanto, não se deixa levar pela avareza?

Beija-flor, qual seu segredo de amor?

Alda M S Santos

Meu jardim

MEU JARDIM

Amo cultivar meu jardim

Pequeno ou grande, não importa

Quero apenas que seja assim

Uma saída, uma porta

Uma entrada para dentro de mim

Tantas cores, cada uma mais bela

Tanto perfume e suavidade

Adentrando em minha janela

Um toque de delicadeza, de simplicidade

No rubro, rosa, branca ou amarela

Misturo-me às rosas, camuflo

Ali quietinha, adormeço

E que venha a chuva, o sol, as borboletas

As joaninhas e beija-flores, puro apreço

Disputando rosas e violetas

Já nem sei quem sou

Gente, bicho ou flor

Sei lá, não me importo

Serei feliz, seja como for…

Alda M S Santos

Puro encanto

PURO ENCANTO

O galho, frágil ainda, quebrou

Tombou, ficou ali dependurado

Carregando na ponta um botão fechado, interrompido

Os espinhos não a protegeram

A violência venceu a fragilidade

Bem que tentou manter-se de pé, mas em vão

E ali ficou, lutando para sobreviver, desabrochar

Usando de energia reserva

Buscando a luz, a vontade de viver

Enfim, numa bela manhã

Abriu-se para a vida, para o amanhecer

Com perfume, cor, encanto

Ressurgiu, renasceu

E embelezou a vida no seu entorno

Só secou, morreu, se entregou, depois de cumprir seu papel

De fazer deste um mundo mais belo

Linda roseira minha…

Alda M S Santos

Nosso desabrochar

NOSSO DESABROCHAR

Até poderia viver sem sua cor

Sem seu perfume, sem sua beleza

Sem participar de seu lento desabrochar

Sem me encantar com tanta delicadeza

Sem nossa troca e irrigação diários

Mas tudo é mais suave quando temos um ao outro

Eu te cuido, você me cuida

Assim, a beleza do jardim

E nosso eterno e cíclico desabrochar…

Alda M S Santos

Borboletas…

BORBOLETAS…

Quisera essa leveza, essa cor, essa liberdade de ser

De flor em flor, jardim em jardim, puro prazer

Quisera encantar, polinizar, a vida levar nas asas

De metamorfose em metamorfose, voar, renascer

Quisera nunca perder a fé, acreditar num propósito maior

Saber onde pousar, em quem poder confiar

Ainda que seja curta e fugaz

Levar uma vida intensa de amor e paz

Quisera jamais perder a calma e trazer na alma a certeza

De que tudo está em seu devido lugar

Quisera sua marca aqui poder imprimir e deixar

Tal qual bela, leve e encantadora borboleta…

Alda M S Santos

Oh, jardineira

OH, JARDINEIRA
“Oh, jardineira por que estás tão triste”?
Não se importe com uma flor que se perdeu
Não será essa a sina das flores, das rosas
Nascer, crescer, florescer, perfumar, encantar
E partir?
Não fique triste, não se perca também
A cada flor o seu perfume e encanto
A cada jardineiro o seu cuidado e proteção…
Seja você flor ou jardineiro, seja cor
Seja amor!
“Não fique triste que esse mundo é todo teu”
Você é pessoa digna da vida florida que ainda nao morreu…

Alda M S Santos

Puro encanto

PURO ENCANTO

São tantas as flores, tanta beleza, tanto perfume

Cores e formas diversas, umas mais frágeis e delicadas

Outras fortes e de perfume intenso

Sob o orvalho, frio, sol, tempestades…

Algumas florescem todo o tempo, outras são sazonais

Morrem, “hibernam” e retornam mais lindas

Há as que preferem a sombra de um recanto do jardim

Outras se adaptam ao centro do canteiro, muito ar, sol e exposição

Qual irá nos atrair mais?

A mais simples e delicada, a mais forte e resistente

A mais parecida conosco que nos tranquiliza

A mais diversa de nós que nos instiga

Todas elas, nenhuma delas

Ou irá depender de nossa fase da vida

Do nosso estado de espírito ou carência de afeto e beleza?

Insetos e pássaros se regalam,

Uns sabem bem o que querem, alimentam-se, alimentam-nas

Outros, perdidos e encantados, insaciáveis e volúveis, se servem de todas

E nessa vida de puro encanto

Todos acabam por deixar um pouco de si,

E levam muito de cada uma…

Alda M S Santos

Ervas daninhas no jardim

ERVAS DANINHAS NO JARDIM

Cuidando das plantas, retirando galhos com ervas de passarinho de uma mangueira

Observei o quanto é importante não perdermos o “timing” da vida

Retiramos as ervas já floridas perdendo inúmeros galhos, mas salvamos a mangueira

Um tempo a mais que demorasse talvez não fosse possível salvar a árvore

Como uma doença descoberta no início, podendo ser curada

A questão é identificar o mal, as ervas daninhas, os matos sufocantes e extraí-los

Mesmo amando plantas tenho dificuldade de identificar os matos e ervas “disfarçados” no jardim

Acho lindas as flores com suas cores maravilhosas e perfumes embriagantes e me perco

Tantas vezes não identificamos o mal que se apresenta em nossas vidas

E perdemos o momento certo de arrancá-los

Talvez nem seja uma erva daninha, apenas uma outra “flor” que ocupa espaço demais

Que impede de vermos, de recebermos a luz, nos afasta do essencial e nos sufoca

Mas, o que é importante sabermos e estarmos atentos

É que o momento certo de extirpar uma erva

Pode significar a diferença entre vida ou morte

Tanto para as roseiras quanto para as pessoas…

Alda M S Santos

Raízes e asas

RAÍZES E ASAS

Beija-flor é volúvel por natureza

Sua sina é encantar, se encantar, se alimentar e voar

De flor em flor, polinizar, sem pousar

Possui asas…

Rosa é inabalável

Sua sina é atrair, perfumar, brotar, embelezar

Ser fixa, firme, permanente, agradar…

Possui raízes…

Uma rosa não pode ser ou seguir beija-flor,

Sem raízes, sem a segurança do jardim, sem o alimento da terra, morte certa

Um beija-flor não pode ser rosa, não sabe se fixar, não sabe ser flor

Sem voo, sem asas, sem espaço, atrofia, morre

Sina de flor, sina de beija-flor…

Na sabedoria da vida, vivemos entre flores e beija-flores

Entre raízes e asas somos jardineiros

Entre muitos jardins voamos buscando pouso,

Até construir nosso próprio jardim da vida, nosso próprio jardim do amor…

Alda M S Santos

Mal acostumados?

MAL ACOSTUMADOS?

Um dia, aguando o jardim fui alertada a reduzir a irrigação

“Não pode molhar todos os dias, vão se acostumar e sentir falta depois…”

Quantas vezes usamos esse raciocínio para a vida?

O quanto de bom somos privados para não ficarmos mal acostumados?

Um alimento, um passeio, noites de sono, descanso

Companhias, risadas, carinho, amor…

Claro, toda mudança é sentida

Particularmente quando algo de bom é retirado

Cuidar para não criar dependência do que é impossível manter é sábio

Mas privar-se de algo prazeroso pra não sentir falta depois

Não me parece muito inteligente.

E as flores recebiam felizes a água que eu as oferecia diariamente,

Amanhã é outro dia. Incerto.

Se precisarem buscarão reservas no solo

Como nós buscamos reservas em nossa alma quando precisamos

Se ela estiver bem nutrida,

A vida segue florida…

Alda M S Santos

Floração

FLORAÇÃO

Todo bom jardineiro conhece suas flores e plantas. 

Sabe que há aquelas que florescem sempre,

 E que há aquelas que secam e parecem morrer,

Perdem todas as suas folhas e flores…

Se não tivesse paciência,

Se entregasse os pontos, se arrancasse o “mal” pela raiz, 

Não haveria tantas flores!

Se o jardineiro Maior desistisse de um ipê que parecesse morrer,

Não nos deslumbraríamos diante de um Ipê Amarelo!

Quantas vezes parecemos estar secos, abandonados, 

Sequer lágrimas nos irrigam mais?

Mas nosso jardineiro está atento,

E cuida bem de nós… 

Mesmo que seja com uma ou outra florzinha amarela “temporona”,

Um ou outro amigo que nos manda,

Para não desanimarmos,

Antes da verdadeira florada, cada vez mais linda! 

Alda M S Santos

Alma de Jardineiro

ALMA DE JARDINEIRO
Alguns brotos morrem

Antes mesmo de adquirir força.

Dizem que não vingou…

É que tem gente que não tem vocação

Pra ser jardineiro

Brotos novos, quaisquer,

De planta, de amizade, de amor

Necessitam de nutrientes na dose certa.

Até mesmo um adubo ou água

Em excesso pode matar,

Ou, no mínimo, atrasar muito o crescimento.

Vamos fazer florir nosso jardim!

Alda M S Santos

Fora do jardim

FORA DO JARDIM

Sabem aquelas flores rebeldes?

São conhecidas como regateiras,

Não se contentam com os limites do canteiro.

Aquelas que você poda, arranca, transplanta,

Volta com elas para dentro dos canteiros,

E quando se apercebe, já nasceram nos limites da cerca.

Brotam fácil, crescem fácil, encantam fácil!

Comuns, muito comuns, coloridas, cheirosas…

Dão a graça e encanto em qualquer jardim, cerca ou passeio.

Muita gente é assim, muitos sentimentos são assim…

Não cabem dentro de si…não adianta transplantar, podar

Sequer arrancar…são mais fortes que qualquer tempestade,

Resistem a qualquer intempérie!

Eles necessitam aparecer, crescer, se alastrar por aí…

E sentimos falta quando não percebemos seu encanto, sua graça, sua cor, seu perfume…

Quando aprendemos isso, fica mais fácil conviver com eles.

Alda M S Santos

Roseiras

ROSEIRAS

Todos somos capazes de admirar uma roseira

Mas muito poucos se dão ao trabalho de conhecê-la

De saber do que ela precisa para se manter tão linda

Viçosa, com brilho e cor intensos e perfumada.

Precisa de água, de terra fértil, de adubo, de luz solar

De carinho do jardineiro, de uma boa poda.

Mas não há jardineiro que possa querer ofuscar seu brilho, apagar sua cor, 

Secar seu perfume, sequer arrancar seus espinhos…

Rosa que é rosa tem cor forte,

Brilha, perfuma e espinha.

Aí está seu encanto!

Todo bom jardineiro sabe a hora da poda ou de dar nutrientes básicos.

Todo bom jardineiro potencializa as qualidades de suas flores.

Rosa é rosa, cravo é cravo, jasmim é jasmim.

E há gostos para cada uma delas.

E as flores reconhecem bem o toque de seu jardineiro

E sentem sua falta! 

Cuidemos de nossas canteiros com amor.

Alda M S Santos

Nosso lugar

NOSSO LUGAR

Num jardim, como deveria ser, havia várias flores, todas lindas!

Numa parte reservada, algumas rosas recebiam água, nutrientes e eram protegidas das intempéries, de visitantes e invasores.

Eram perfeitas, poucas, lindas, mas qualquer vento as destruía.

Outras, mais à mostra, também eram cuidadas, podadas, adubadas, mas não se misturavam. 

Só ficavam entre suas iguais. Enfeitavam parte do jardim e tinham seus admiradores. 

Havia ainda outras que recebiam menos cuidados, estavam mais pro centro do jardim, enfrentavam o sol escaldante, a chuva, visitantes e algumas “pragas”. 

Todos podiam tocá-las, sentir seu perfume, admirar sua forma e cores.

Qualquer observador poderia ver que essas eram flores fortes, meio selvagens, que além de belas, cresciam e se alastravam.

Conosco também é assim. 

Quem muito se preserva, fica lindo, perfeitinho, mas, escondidos, falta-lhes algo, perde o melhor da festa. 

Não se misturar mantém a pureza, mas perde-se a possibilidade de crescimento com os demais.

 Quem está no meio da “bagunça”, no centro do canteiro, interage, perde folhas, flores, se espeta, espeta os outros, sofre nas tempestades, mas vive tudo de melhor que o jardim oferece.

Cada qual escolhe o lugar que melhor se adapta nesse jardim.

Alda M S Santos

Nosso Jardim

NOSSO JARDIM
Quando não conseguir enxergar a beleza ao seu redor, procure-a, primeiro, em seu interior.
Ainda que não a sinta, não a veja.
Entre, sente-se em seu jardim íntimo, retire as folhas secas, afofe a terra, mude algumas flores de lugar, pode alguns galhos, retire as ervas daninhas, regue, acaricie… Reaproveite a terra, misture-a com as folhas velhas que virarão húmus.
Quase nada se perde em nosso jardim íntimo!
Abra espaço para pássaros, beija-flores e joaninhas.
Não se preocupe com as lagartas, elas logo serão lindas borboletas!
Ame! O jardim de sua alma é miniatura do jardim do mundo!
Quando seu jardim secreto estiver bem cuidado, você abrirá espaço para os encantos dos outros e conseguirá admirar o grande jardim da Criação que o cerca!
Alda M S Santos
Bom diaaa!

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: