A LUZ BRILHA PARA TODOS?
Num espetáculo de fogos no céu de Copacabana
Sob os braços abertos do Cristo Redentor
Uma música animada no palco ali armado
A luz pipocava no céu em cores e formas variadas
Uns nas festas luxuosas nas grandes coberturas
Outros deitados nos cantos, no asfalto, na vida dura
As vestes brancas pediam paz para o novo ano chegando
Uns mendigando, muitos vendendo, outros roubando
Alguns apenas esbanjando o que tinham
Outros festejando como podiam
Será que tentavam equalizar diferenças, injustiças
Equilibrar uma balança meio descalibrada?
Poucos com tanto, tantos com tão pouco
Será que não percebiam a parte errada
Tanto de quem dos outros tirava
Como daqueles que apenas esbanjavam?
E Iemanjá ia devolvendo as oferendas, matéria
Certamente queria essência…
Humanos de todo gênero, idade, nação, profissão
Condição social, financeira, religião
Todos de olhos no alto saudavam o novo ano que chegava
A luz maravilhosa no céu brilhava para todos
Será que iluminava a cada um do mesmo modo?
E a imagem do Cristo Redentor ali, sabedor de tudo, abençoava
E, mais que todos, pedia amor e paz para essa gente que tanto amava…
Alda M S Santos