ARQUIRRIVAIS

Perder não tá com nada, nada mesmo

Mas perder para arquirrivais é pior

Cruzeiro e Atlético, Superman e Lex Luthor

Flamengo e Fluminense, Sêmele e Hera

Brasil e Argentina, Davi e Golias

Tom e Jerry, Batman e Coringa, Piu-piu e Frajola

Brutus e Popeye, Davi e Golias

Elsa e Ariel, Afrodite e Perséfone…

São muitos! Cada qual sabe de seus arquirrivais

Nem existe racionalização nisso tudo

É uma questão bem mais de emoção, de coração

No trabalho, no esporte, no amor, na vida…

Cada qual sabe o quanto dói perder

O quanto dói perder para os adversários mais temidos

Cada qual com seu time, suas preferências pessoais de vida ou amorosas

Mas cruzeirenses e atleticanos, arquirrivais clássicos

Tornam-se torcedores de um time só nessa época: Brasil

E, afinal, todo cuidado é pouco ao lutar nessa guerra “mitológica”que é a vida

Podemos até querer “matar” uns argentinos ou aquele rival que só nós conhecemos

Mas isso não nos fará verdadeiros vitoriosos

Mesmo porque, somos nossos maiores adversários!

E, afinal, todos fazemos parte do mesmo time:

O time de Deus! Ou não?

Alda M S Santos