DETOX EMOCIONAL

Desintoxique, limpe, oxigene-se, reorganize

Chore, deixe escoar, lavar o pó acumulado e a ferrugem

Não alimente ou conserve emoções dolorosas ou negativas

Delete, apague, jogue na lixeira, tire teias de aranha

É como arrumar a casa- dizem

Fazem parecer tão simples! Que nada! Mas é preciso!

Abrir as janelas da emoção, deixar entrar a luz, novos ares

Permitir que o sol aqueça os cantos esquecidos, o limo acumulado

Ou aqueles espaços úmidos pelas lágrimas constantes

Também é necessário lustrar e iluminar os sorrisos e alegrias do passado com cuidado

Para que não escureçam e virem nuvens negras dentro de nós

E é preciso descartar o que já não produz nada!

Em meio a tanto lixo tóxico e outros reaproveitáveis

O risco é jogar fora algo valioso, cuja falta nos “apagaria” de vez

Aquilo que foi guardadinho com carinho num canto especial

Que mostra que tudo por lá valeu a pena

Saudades e lembranças, dolorosas ou não,

São como brinquedos espalhados, paredes riscadas, manchas nos móveis, fotos nos porta-retratos

Sinal que ali houve vida em abundância

Casa bagunçada, com fumaça na chaminé, indica moradores vivos

Todo cuidado é pouco ao se fazer uma faxina, um detox emocional

Para não jogar fora o bebê junto com a água do banho…

Alda M S Santos