UMA QUESTÃO DE CABIMENTO

Quando não estamos cabendo bem dentro de nós mesmos

Nenhum lugar será bom o bastante para nos acomodar

Nunca será agradável, nunca nos sentiremos em casa

Ou será apertado como sapato novo ou grande demais como roupa de irmão mais velho

Tão escuro como noite sem estrelas, ofuscante demais como luz refletida no espelho

Será tão barulhento quanto quarto de adolescente, ou silencioso e triste feito funeral em dia de chuva

Enquanto não coubermos dentro de nós mesmos

Como meias quentinhas em tardes de domingo chuvoso

Não haverá cabimento para nós dentro de ninguém

Em lugar algum!

Alda M S Santos