Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Tag

simplicidade

Essa gente simples

ESSA GENTE SIMPLES

Em cada cantinho um gesto dessa gente
Que mostra a simplicidade no jeito de ser gente
O jeitinho de sorrir e cumprimentar
A doçura do olhar e o modo de prosear
A disponibilidade sempre em ajudar
Podem estar lavando a toalha na pedra
Trançando os cabelos sentada no quintal
Dependurando roupas no varal
Ou servindo um almoço caseiro pro pessoal
Nunca deixam de atender aquele que chega
Abrem as porteiras da sua fazenda
Oferecem um pouco de sua merenda
Deixam você colher jabuticaba no seu terreiro
Pegam a escada, nada cobram, seria um exagero
Essa simplicidade no agir que encanta
Que faz dessa alma simples e acolhedora
A beleza dessa terra e dessa gente encantadora
Quanto mais simples, mais humilde, mais se doa
Deus colocou nesse cantinho só gente boa…

Alda M S Santos

Por aí

POR AÍ

Por aí sigo captando belezas
Num cantinho qualquer
Sendo alvo das gentilezas
Apreciando o que de encanto há
Nas flores, nas cores, na pureza…

Por aí sigo captando a música
Que o vento sopra
Que os pássaros cantam
Que as árvores dançam
Aquelas que tocam lá fora,
Tocam cá dentro
E nos encantam…

Por aí sigo em busca da sintonia
Aquela que vem na percepção da poesia
Que nos faz frágeis, fortes
Que nos inebria, contagia…

Por aí encontro algo que todos buscam
Aquela que há nos momentos mais inesperados
Onde um desavisado só vê simplicidade
Eu encontro felicidade!

Alda M S Santos

Nas coisas simples

NAS COISAS SIMPLES

Bobagem perder tempo, se na realidade
Nas coisas simples está a felicidade
Quanto mais buscar sofisticação
Mais ainda demorará a satisfação

Também há imensurável prazer
Em cuidar da felicidade de outro ser
Aliviar uma dor, fazer despertar para o amor
Tal qual o desabrochar de uma flor

Não adianta embromação
Joias, ouro, fama, palacete
Isso tudo é um grande falsete

Brisa suave, descalços, pés no chão
Alma em paz, bom coração
Isso, sim, é felicidade de montão

Alda M S Santos

Parceira da felicidade

PARCEIRA DA FELICIDADE

A mentira se veste e reveste

Se cobre, se enfeita e se recobre

Brilhos, sons, manhas e artimanhas

Faz de tudo para parecer bela e envolvente

Precisa tapar aquilo que no fundo é bem feio e assustador

Verdade não precisa de vestimentas ou artifícios

Apresenta-se nua e crua, não se envergonha

Preferir estar “vestido” à nudez nem sempre é por pudor

Pode ser por ser tão feio que prefira estar “encoberto”

Mesmo que possa machucar, a verdade é cheia de carinho

Não precisa se cobrir ou disfarçar

Ser verdadeiro já é por si só cheio de beleza

O encanto está em ser real, autêntico

A boniteza está na clareza, na transparência

A maravilha está na naturalidade

Verdade traz alegria, cedo ou tarde

Simplicidade e verdade são parceiras da felicidade…

Alda M S Santos

Deus nos quer crianças

DEUS NOS QUER CRIANÇAS

Na infância somos crianças autênticas e felizes

Encontramos alegria nas pequenas coisas…

Um bichinho de estimação, uma brincadeira qualquer…

Crescemos, buscamos felicidade onde não se encontra

Esquecemos o quanto é simples ser feliz

Deus nos torna pais e mães para nos relembrar

O quanto a felicidade se encontra no brilho de um sorriso puro e inocente

Os filhos crescem…

Deus manda os netos, sobrinhos-netos, para exercerem o mesmo papel

Renovarem a fé, alegria e esperança

Uma aula de reforço de simplicidade e pureza

Quando não conseguimos mais notar ou acompanhar as crianças

Nós mesmos nos tornamos crianças na velhice…

Deus quer pra nós a alegria, pureza, simplicidade, confiança e inocência das crianças…

Ele sabe o que é bom para nós!

Alda M S Santos

A riqueza da simplicidade

A RIQUEZA DA SIMPLICIDADE

Uma casinha simples, uma terra fértil

Flores coloridas e perfumadas, gramado,

Árvores nativas ou pequeno pomar,

Uma gangorra na mangueira,

Uma porteira entreaberta e convidativa

A vista alcança longe…

Aromas de fogão a lenha e café recém-coado

Pássaros cantando, macacos gritando, galinhas cacarejando

Ora sol forte, ora chuva refrescante

Cai no telhado, cai lá fora, inebria

Sempre leva à nostalgia, à saudade de tempos idos

Espetáculo da natureza, sempre agradecida

Uma rede na varanda, um livro,

E eu…aprendendo a viver…

Alda M S Santos

Dores na simplicidade e no luxo

 DORES NA SIMPLICIDADE E NO LUXO

Numa semana, num lar de idosos de classe baixa, na outra, num núcleo luxuoso para a maturidade.

Ambos com idosos colocados ali para serem cuidados, tratados, terem sua dignidade preservada.

Espaços limpos, pequenos e simples de um, destoam dos espaços amplos, muito bem decorados e bem aproveitados de outro.

Idosos em seus melhores trajes para receberem as visitas.

Um banho e roupas simples e ausência de acessórios de um, roupas e calçados finos, colares, brincos, maquiagem, chapéus, penteados, cabelos bem pintados e unhas bem feitas do outro.

No primeiro, poucas atividades além da rotina diária: refeições, banho, TV, pátio, sono, medicamentos.

No segundo, agenda cheia: leituras, músicas, visitas agendadas, apresentações, artes, convidados de todo tipo.

Mulheres interagem mais. Os homens, ou são galanteadores ou ranzinzas, muito calados, ou quase incapazes.

O que há de semelhante além de serem homens e mulheres idosos entre 70 e 100 anos de idade?

São como crianças! Olhos sem muita vivacidade, mas com brilho úmido, carentes de afeto. Todos eles!

Abraçam-nos e agradecem a nossa atenção e dedicação como algo precioso.

Querem ser tocados, ouvidos, compreendidos. Precisam do nosso tempo.

Cantamos músicas da sua época (com nossas vozes maravilhosas), deixamos a vergonha em casa, dançamos, tentamos ignorar os mais rabugentos, trazê-los para nós. Quase sempre conseguimos.

Em ambos, poucas visitas recebem. Alguns, ninguém os procura.

O mais triste é que, mesmo aqueles cercados de gente, de atividades, de “amigos”, de tarefas, falta-lhes algo.

Recebem amor, mas querem aquele amor especial, aquele amor específico, aquele que grudou na alma e dói a ausência.

Como me disse uma idosa sabiamente, eles têm muitas presenças, mas uma ou duas ausências impedem definitivamente a felicidade.
Concordo com uma senhora trovadora, residente do lar, autora de livros de outrora:

“Saudade, com tanto lugar lá fora, porque você insiste em doer aqui dentro?”

Divirto-os, me divirto e agradeço a cada um deles a oportunidade de me tornar uma pessoa melhor.

Alda M S Santos

Tão fácil!

TÃO FÁCIL! 

Aparentemente tão fácil! 

Encontrar um companheiro para voar juntos

Descobrir novos espaços, novos ares,

Namorar!

Novo céu, azul intenso, sol mais brilhante…

Um lar, um ninho, simples e caprichado.

Materiais retirados da natureza!

Uma família sonhada, constituída, alimentada e amada…

Ali encontram todos os alimentos que precisam.

Têm de sobra: confiança que tudo vem

Têm em falta: preocupações e ansiedades. 

O que importa têm em fartura: 

Alegria para viver e cantar!

Tão fácil!

Em qual parte complicamos, se somos “superiores” e racionais? 

Alda M S Santos

Se puder, siga

SE PUDER, SIGA

Se puder, siga o caminho mais simples

Mais rústico, menos requintado

É onde há mais alegrias sinceras

Se puder, siga as pessoas que te dão as mãos, os sorrisos

A alma, o coração

São elas que recarregam suas forças quando você cai

Se der, ouça e se encante com o canto dos pássaros

Com a leveza das borboletas, as cores das flores selvagens

São alimento para a alma cansada

 Se puder, ouça, interprete e siga seu coração,

As mais importantes lições que sua mente apagou

Ele traz gravadas consigo

Se puder, siga…

Alda M S Santos

O que perdemos quando crescemos?

O QUE PERDEMOS QUANDO CRESCEMOS ?

Deixamos de ser crianças, crescemos…

O que perdemos?

A capacidade de nos divertir correndo um atrás do outro?

Rir das mínimas coisas, desde um tombo até uma fresta onde enfio a cabeça?

Correr, abraçar e beijar no meio do aeroporto quem amo e tenho saudades? 

Dizer não quando algo me desagrada, sem culpas?

Pedir colinho quando estou triste ou cansada? 

Chegar em casa e ficar de calcinha e cueca para aliviar o calor? 

Chorar quando algo dói ou machuca sem vergonhas?

Acreditar que um beijinho cura qualquer mal?

Pedir desculpas, oferecer a chupeta para consolar quem chora?

Ouvir e sentir prazer com a mesma história ou canção infinitas vezes?

Manter a fé inabalável na invencibilidade de nossos pais? 

Ganhamos muito quando crescemos.

Perdemos mais ainda!

A balança favorece as crianças. 

Não acredita? Observe-as nessa noite de Natal. 

Independente da situação financeira, são as que mais se divertem, as que menos sofrem. 

Se conseguirmos resgatar em nós um pouquinho da naturalidade e simplicidade delas ficaremos melhores!

E já que não acreditamos mais em papai Noel

Que o Papai do Céu nos permita sermos crianças…

Ao menos nessa noite! 

Alda M S Santos 

Simplicidade

SIMPLICIDADE

Uma mansão pode ser linda, mas prefiro o aconchego de uma casinha na roça. 

Um restaurante da moda pode ser chique, mas prefiro a mesa cheia na varanda. 

Um longo de festa pode ser estonteante, mas um vestido florido de algodão e sandálias é delicado e confortável.

Um rosto maquiado e penteado armado ficam maravilhosos, mas rosto lavado e rabo de cavalo têm sua beleza.

Um banho e sono numa suíte de cobertura pode ser gostoso, mas nada mais relaxante que tomar um banho de cachoeira e dormir na rede sob a Lua. 

Dar umas voltas de limusine pode ser divertido, mas um passeio de moto com o vento no rosto é incomparável! 

Luxo pode ser tentador, atraente, mas não há nele conforto.

A beleza está na naturalidade, na simplicidade. 

Nas coisas mais comuns, com as pessoas mais simples é que nos sentimos bem, podemos ser nós mesmos, sem sofisticação! 

O mais chique é o que nos proporciona mais prazer, e isso só conseguimos onde nos sentimos à vontade, onde há simplicidade! 

Quer seja com roupas, acessórios, lugares ou pessoas. 

Quero viver onde e com quem possa me sentir à vontade, confiante, amada e sinceramente feliz! 

Disso não abro mão! 

Alda M S Santos 

Sonhar é antecipar felicidade

SONHAR É ANTECIPAR FELICIDADE
A felicidade bate à nossa porta tantas vezes, de tantas formas…
E não atendemos! Ocupados estamos procurando-a em outros cantos, em variadas distrações, coisas ou pessoas.
Quase sempre, está nas coisas bem simples:
No sorriso de um filho, no abraço de um irmão,
Na gentileza recebida no trânsito, no beijo apaixonado de bom dia,
Na paz de uma oração, na “festinha” feita por nosso cãozinho ao nos ver,
Num elogio no trabalho, na nostalgia de um dia chuvoso,
Na beleza do sol nascente, na preguiça após o almoço,
Na magia do desabrochar de uma flor, no balançar dos galhos de uma árvore,
No aconchego de nossa cama, na sinceridade de um “eu te amo”,
Na saudade de alguém, na esperança na realização de um sonho…
Isso mesmo! Felicidade também é ter expectativa, é sonhar! Quem vive, sonha!
Esse é o caminho, essa é a felicidade. Não adianta ir longe.
Ela está bem ao nosso alcance, bem pertinho de nós todos os dias…
Basta ter olhos para ver, coração para sentir, alma para absorver…
Alda M S Santos

Criador e criaturas

CRIADOR E CRIATURAS
Não importa o tamanho, a simplicidade, a cor, o perfume.

Foi pensada com carinho em cada detalhe pelo Criador, portanto, é bela.

Assim também somos nós! Especiais, únicos e importantes para Ele.

Seu olhar para nós é de carinho e amor.

Que possamos olhar assim para nossos “pares”.

Que possamos olhar assim para aquela pessoa que nos encara,

sorri ou desvia o olhar no espelho todas as manhãs.

Boa noite! Com Deus!

Alda M S Santos

Ser feliz é ser simples

SER FELIZ É SER SIMPLES

Gosto de acordar cedo, ainda ao romper da aurora, ir à padaria, observar o burburinho e movimento do dia que se inicia… Gosto de dirigir pro trabalho agradecendo a Deus pelas bênçãos concedidas e pedindo proteção para o novo dia. Adoro chegar à escola, ser recebida por sorrisos e abraços dos amigos e pela doçura, agitação e carinhos sinceros dos meus pequenos. Depois de toda a correria do dia, do trabalho entremeado de torpedos carinhosos para familiares e amigos, e a certeza do dever cumprido, ainda encontrar energia para academia, caminhadas e afazeres domésticos. E assim, encerrar o dia, dando e recebendo colo, na paz e aconchego do lar. É na simplicidade de nossos dias que encontramos a felicidade, pois não precisamos de muito para sermos felizes, basta extrair o melhor do que a vida nos proporciona. Expectativas sobre o que não temos, e que muitas vezes nem devemos ter, só nos trazem infelicidades… 

❤❤

Alda M S Santos

Obra-prima

OBRA-PRIMA

Não importa o tamanho, a forma,  a cor, o perfume, a delicadeza, a simplicidade… 

Nota-se cuidado, carinho e dedicação em cada detalhe. 

É criação de Deus e, como tal, lindas! Uma obra-prima! Assim são as flores, assim somos nós!  

Valorizemo-nos! 😘

Alda M S Santos

Como os livros

Se as pessoas fossem livros, muitas seriam escolhidas pela capa, várias seriam descartadas pela profundidade do conteúdo, pela extensão da narrativa ou densidade de sua prosa. Tantas outras, ignoradas pela simplicidade ou complexidade de seus versos não compreendidos. Como os livros, muitas seriam escolhidas ou preteridas pelos motivos errados. Como os livros, também não há pessoas ruins. Como os livros, o que há são pessoas mal lidas e mal interpretadas.

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: