Busca

Categoria

solidariedade

Nas ruas da cidade

NAS RUAS DA CIDADE

Nas ruas da cidade a vida acontece

Nem sempre como a gente imagina

Mas acontece…

Cinco carros estacionam ali, nas ruas escuras, onde seres humanos “moram”

Naquelas calçadas geladas da noite

Voluntários abrem o porta-malas lotado

Treinados pela vida, eles logo aparecem

Uma fila gigante se forma e espera

Nas ruas da cidade a vida acontece

Nem sempre como a gente imagina

Mas acontece…

Lanches quentinhos são servidos

A quase totalidade de homens de toda idade

Menos mulheres, mas até crianças estão na fila

Corpos expostos ao frio, pés descalços

E pedem por roupas, calçados, agasalhos, cobertores

Os carros logo são esvaziados

E tudo o que levaram e parecia bastante

Some, é logo doado…

Nas ruas da cidade a vida acontece

Nem sempre como a gente imagina

Mas acontece…

Eles se vão, outros chegam

A vida segue seu rumo

Mas de um modo um pouco diferente

Lá e cá…

Nas ruas da cidade…

Alda M S Santos

Dentro do coração

DENTRO DO CORAÇÃO

Afixados nas paredes de um lar de idosos

Acima de cada cama, estão ali, à mostra

Uma colagem dos sonhos de cada um

Feita de recortes de revistas e um bom papo

Sonhos não têm idade

Nascem e crescem dentro do coração da gente

Uns tornam-se realidade

Outros existem para fazer brilhar a luz do olhar

De quem insiste em viver nesse lugar…

Ali para todos verem, expostos em papel

Os sonhos desses idosos falam, gritam

“Tenho muitos anos de vida

Mas nunca deixarei de sonhar

Pois quando isso acontecer

Já terei deixado de viver…

Alda M S Santos

Certeiros ao ajudar

CERTEIROS PARA AJUDAR

Tantas vezes não somos tão bons assim

Tão rápidos em julgar

Tão lentos em ajudar

Tão velozes em diagnosticar doenças

Tão inertes quando é para promover a cura

Tão “Cristãos” ao identificar pecadores

Tão pagãos ao lhes virar as costas

Tão “certeiros” ao apontar o dedo

Mas erramos o alvo quando é para dar as mãos

Somos falhos no momento crucial

Aquele em que o outro mais precisa

Ver falhas, erros, defeitos, pecados do outro

Qualquer um de nós pode

Essa é a parte fácil

Criticar o que o outro faz, idem

Mas estar ali para somar

Ser mais um para diminuir as desigualdades

Poucos são capazes e nisso investem

Essa é a parte em que todos encontram desculpas

E alguém para responsabilizar …

Só teremos o mundo que queremos

Quando mudarmos em nós aquilo que queremos do outro…

Sejamos mais luz, mais irmãos, mais compaixão

Um pouco de cada um pode fazer a diferença no todo

Sejamos certeiros ao ajudar

Sejamos paz!

Alda M S Santos

Que seja o bem

QUE SEJA O BEM

Se for para se esforçar

Que seja com o peso do bem

Se for para sorrir ou chorar

Que seja por motivos do bem

Se for para se apaixonar

Que seja pela graciosidade do bem

Se for para se perder ou se encantar

Que seja pelos caminhos do bem

Se for para se encontrar

Que seja nos recantos do bem

Se for para repousar

Que seja no colo do bem

Se for para copiar

Que seja o que dá certo no bem

Se for para confiar

Que seja naqueles que propagam o bem

Se for para amar

Que seja para transformar o mal em bem…

Alda M S Santos

Marqueteiros do amor

MARQUETEIROS DO AMOR

Deixe-se contagiar, não se vacine

Não feche as portas do coração

Distribua “quentinhas”, abraços, remédios

Faça arte, cante, dance, pinte, doe carinho

Espalhe esperança num mundo melhor

Baixe a guarda, deixe-se atingir

Abra sua alma, deixe esse “vírus” do bem te pegar

Ele te imuniza contra tristeza

Afasta a angústia e desesperança

Abastece suas reservas emocionais de alegria

Cria uma barreira bem visível contra o mal

Há muitos vírus do ódio e da indiferença por aí

Assim como também há vírus do amor e da esperança

Apenas o mal é mais divulgado, mais propagado

Seu merchandising tem sido melhor

Pulverize o bem, contagie alguém

Seja marqueteiro do amor

Amor é contagiante!

Alda M S Santos

#carinhologos

Fraternidade: eu faço parte

FRATERNIDADE: EU FAÇO PARTE

Queremos um mundo novo!

Onde abraços possam aquecer

Famílias com menos brigas, mais união

E o medo não nos impeça de crescer

Queremos um mundo novo!

Onde haja esperança e afeto

Humanos mais solidários e bondosos

E que todos tenham direito a um teto

Queremos um mundo novo!

Onde o amor possa livre reinar

Um mundo com justiça social

Onde o pão seja para todos

E sorrisos possam cativar

Queremos um mundo novo!

Onde a violência seja eliminada

A caridade seja o novo lema

Nenhuma arma seja usada

A não ser um belo poema

Queremos um mundo novo!

Onde a vida seja prioridade

Ninguém seja excluído por qualquer condição

Que a lei seja a igualdade

E que Jesus more em cada coração

Queremos um mundo novo!

Mas percebi que um mundo novo depende de mim

Depende também de você

Fraternidade: eu faço parte!

E você?

Queremos um mundo novo!

Alda M S Santos

Apresentação na Matriz São Sebastião e Santa Edwiges- BH

Palhaços

PALHAÇOS

Palhaço não é só alegria, só sorrisos

Assim como médico não é só saúde e cura

Nem professor é só saber e ensinamentos

Palhaço, às vezes, é tristeza, amargura

Médico pode ser, na doença, apenas o remédio, o paliativo

Professor ser na ignorância a busca, leitura, aprendizado

O que os difere é a vontade de fazer diferente

É a coragem de não aceitar o “não” das desigualdades da vida

É buscar a saúde nas mais variadas formas de enfermidades

É buscar sabedoria nas mais diversas situações

É abrir um sorriso, ser e levar a alegria

Ainda que haja lágrimas e dor

Num mundo nem sempre colorido

Muitas vezes cinzento, sem saúde e sem saber

Pintar a cara, sorrir, querer aprender e ser a diferença …

Palhaço nem sempre está feliz

Mas palhaço é sempre carinho e alegria para quem vê

É aquele que leva, divide e multiplica o amor

Somos palhaços #carinhologossolidarios

Muito prazer!

Alda M S Santos

Queria viver…

QUERIA VIVER…

Queria um dia chegar aos 103 anos como a Dona Geralda

Mas só se for para ter a lucidez e clareza de ideias dela

Ainda que o corpo não obedeça mais tão bem aos comandos

Queria ter grandes alegrias nos pequenos momentos como a Dona Clarice e seus bichos

Passar o tempo realizando sonhos como a Dona Cristina se alfabetizando

Ou sempre buscando inovação como a minha xará Alda com seu tablet…

Queria viver talvez 95 anos como Dona Altina

Com o prazer de cantar, ter fé e ser grata à vida, ainda que seus olhos não mais enxerguem

Queria manter o dom de fazer poemas e declamar como Dona Yara

Não ter vergonha de chorar como a Dona Eugênia quando tudo doer

Ou de ser receptiva a carinhos e afagos como Dona Tereza, sempre vaidosa

Ter aquele sorriso puro e ingênuo de quem sabe todas as coisas como Dona Elvira,

Mas que prefere se concentrar nas boas…

Mas, queria mesmo, viver muito

Só se fosse para manter-me leve, sem grandes culpas

Aprendendo um pouquinho com cada uma delas

Com o dom de ser poesia na vida de todos

E a capacidade de perdoar, de dar e receber amor

Pois só assim viver vale a pena

Independente da quantidade em anos…

Alda M S Santos

#carinhologos

Amor ponto a ponto

AMOR PONTO A PONTO

Ponto a ponto vamos tecendo uma história de amor

Uma arte feita a mão, com carinho em cada laço e arremate

Em cada cor, em cada brilho

Uma estrela de Natal para aqueles que têm tão pouco

Silenciosamente pensando nas histórias daqueles que a receberão

Em oração por cada um, por suas lutas e dificuldades

Pela alegria que demonstram ao receber tão simples gesto

“Você que fez? Que anjinha boa”!

Diz o ditado que mentes e mãos vazias são oficinas do diabo

Mas prefiro acreditar em Madre Teresa de Calcutá

“Mãos que servem são mais santas do que lábios que rezam”

Creio que as mãos e os lábios juntos em bom trabalho são mais preciosos ainda

Um pouco de cada um faz a diferença para todos

Que essa estrela de amor traga consigo muita luz, saúde e alegrias

Feliz Natal, amores!

#carinhologos

Então…é Natal!

ENTÃO…É NATAL!

Então…é Natal!

Corações mais solidários, mais receptivos, mais abertos

Humanidade à flor da pele, contagiante, espírito do bem

Disseminação de amor e compaixão

Abraços, carinho, prosa boa, atenção

Peito apertado, fragilizado, presentes, presença

O amor está no ar…

O amor está em cada um de nós

É Natal!

Ele começa de verdade quando o permitimos brotar em nós

Alastrar, crescer e se multiplicar no outro

Se bem plantado e cuidado

O Natal pode durar o ano todo, uma vida inteira

Que Ele renasça em cada um de nós todos os dias

Feliz Natal, amores!

Alda M S Santos

#carinhologos

Meu país tem jeito!

MEU PAÍS TEM JEITO!

Meu país tem muitas pessoas carentes, sofridas, na miséria, mesmo

De todas as idades e gênero

Muita desigualdade, é verdade!

Mas meu país tem também pessoas maravilhosas, caridosas

Meu país tem pessoas que trabalham muito,

Por si e pelos outros

Que acreditam que quem faz um mundo melhor

Inclusive o próprio país

São aqueles que o habitam e nele acreditam

Um pouquinho de cada um pode nos salvar

Meu país, como os demais, não tem só problemas

O Brasil tem muitas pessoas que nele investem

Que se preocupam com algo além de seus próprios umbigos

Olhar nessa perspectiva nos faz lutar e acreditar

Que nosso país tem jeito, sim!

Alda M S Santos

#carinhologos

Obrigada por doar vida!

OBRIGADA POR DOAR VIDA!

“Obrigada por doar vida!”- falou a atendente simpática.

Tão simples, tão necessário, tão essencial, tão insubstituível!

Envergonhada, confesso que foi a primeira vez.

Mais duas pessoas na sala fazendo o mesmo

Eu observava a bolsa se enchendo de sangue

Enquanto abria e fechava a mão

Gotas preciosas para tantos que precisam…

Coloquei junto meu amor e desejo que pudesse realmente salvar a vida de alguém

Particularmente da prima que me levou a tal ato

Anteriormente, eu não tinha o peso mínimo necessário.

Há uns três anos já me sobram alguns quilos além do mínimo exigido

Mas sempre houve algo que impedia quando solicitada

Além do medo de agulhas que superei

Não havia mais nada a impedir

Fiquei realmente emocionada por saber que um ato tão simples

Pode salvar a vida de, no mínimo, três pessoas!

Uma primeira vez, de muitas que virão, emocionante!

Há muitas maneiras de salvar uma vida

Doar sangue é uma delas e que pouco exige!

Doe sangue, doe amor, doe vida!

Alda M S Santos

Um grupo, um violão

UM GRUPO, UM VIOLÃO

Um grupo, várias vozes, um violão

Uma roda, ao ar livre, numa tarde gostosa no sabadão

Nem precisa ser muito afinado, não

Basta que tenha vontade, carinho, amor e atenção

Que as músicas sejam de uma época saudosa, refinada seleção

Que tragam boas lembranças e animação

Que despertem desejo de cantar, de dançar pelo salão

Que haja poesia nos versos singelos e amorosos da canção

Que sequer se importem com qualquer limitação

Que a gente perceba em cada voz que vibra o pulsar do coração

Em cada sorriso que se abre a luz que brota da gratidão

Em cada palavra terna a sincera satisfação

Em cada abraço, a troca do amor precioso, o amor irmão!

Alda M S Santos

#carinhologos

É bom?

É BOM?

É bom quando nos torna pessoas do bem, quando desperta nossa melhor versão,

Mas se é algo que nos impede de ser ou fazer o que gostamos

Se é algo que nos desestrutura, mais entristece que alegra

Não é bom!

É bom quando aumenta nossa fé em Deus e na humanidade, aproxima pessoas e nos orgulhamos em fazer parte,

Mas se é algo que nos envergonha, frustra, amedronta

Não é bom!

É bom quando nos desperta para o amor e a solidariedade, a compaixão e a fraternidade,

Mas se nos faz criar “dívidas” sociais, familiares e emocionais muito pesadas,

Não é bom!

É bom quando queremos e podemos divulgar em “rede nacional”, contagiar a todos e levar a paz, amor e segurança que sentimos,

Mas se nos afasta dos outros, daqueles que amamos e nos querem bem

Mas, principalmente, se nos leva para longe de nós mesmos,

Para um lugar dúbio e sem volta

Se nos distancia daquilo que sempre tivemos orgulho em ser e fazer

Não! Definitivamente não é bom!

Oscilando entre o que é bom e o que não é, vamos vivendo

Caindo menos, derrubando menos ainda, ajudando, aprendendo, seguindo…

Viver é bom quase sempre!

Alda M S Santos

#carinhologos

Pedro negou “só” três vezes

PEDRO NEGOU “SÓ” TRÊS VEZES

Diante de um medo profundo

Covardia, mau caráter, falha humana, fraqueza

Para cumprir o que diziam as escrituras

A razão em si não nos importamos tanto

O que ficou para todos nós foi que Pedro O negou três vezes

Diante do risco iminente de prisão e morte

Ele se acovardou, negou O amigo, O protetor

Que se encontrava em apuros

Aquele que o amou e o ensinou a amar acima de tudo

Somos tão bons para julgar!

E nós?

Quantas vezes o temos negado

Ao virar as costas a um necessitado

Ao dizer que uma criança carente é problema do governo

Ao abandonar nossos idosos ou não estender a mão, podendo fazê-lo

Ao priorizar nosso bem estar independente dos outros

Ao desistir de amigos e familiares

Ao abandonar quem em nós confiou

Quem muito de nós esperou?

Quantas vezes fugimos por medo ou covardia?

Quantas vezes seguidas mais destruímos que construímos

Nas nossas vidas e nas vidas dos outros?

Pedro negou Jesus três vezes somente

Quantas vezes O temos negligenciado em cada irmão que Ele habita?

Quantas vezes não nos misturamos na precariedade que Ele sempre encontra morada?

Afinal, somos “superiores”, já fizemos “nossa parte”

Nos salvamos. Será?

Seria menos vergonhoso se fôssemos Pedro!

Alda M S Santos

Desertos e seus oásis

DESERTOS E SEUS OÁSIS

Imagine o que é ouvir de alguém

“Hoje sei que sou importante

Mas nem sempre foi assim

Já me achei doente, a problemática, descartável

Já me acharam um nada, uma qualquer

Já quis morrer, já quiseram que eu morresse…”

Se já é doloroso ouvir isso de um ser humano

Imagine para quem viveu, para quem compartilha, agora, tal sentimento

Imaginar-se passando por um deserto desses

Seco, sem trilhas, sem vida, irrigado apenas por lágrimas

Despertadas pelas tempestades de areia quente que enfrentou

Onde os possíveis acompanhantes eram “inimigos”

Imagine, então, o que seria causar esse deserto em alguém

Ou, pior, ter retirado os oásis que ela poderia recorrer pelo caminho

Para irrigar os lagos secos dentro de si e renovar a vida?

Qual nossa responsabilidade de ouvinte?

Ser, senão a água ou o camelo que a retira de lá

Tentar ser, pelo menos, os arbustos do caminho

Onde possa se abrigar do sol quente e descansar sob seus galhos

Ser a fonte de energia que ela precisa para prosseguir

Ser apenas outro ser humano que entende de desertos, de oásis

Mostrando que, devagar, um passo de cada vez

É possível sair de lá e, mais que sobreviver

Querer viver!

Alda M S Santos

Estoque baixo?

ESTOQUE BAIXO?

Estender a mão é sempre um risco

É submeter-se à avaliação, é dar a cara a tapas

Ora rotulados de superiores, de “ego enorme”

Ora de inferiores, carentes e de baixa autoestima

Na verdade, estender a mão ao outro é estendê-la a nós mesmos

E nos reconciliarmos com nossas próprias falhas

Nossos vazios e necessidades

Enxergar o que o outro precisa é ter sentido aquela falta em algum momento

É temer evidenciar aquilo num futuro

É abastecer duas almas simultaneamente

Estender a mão oferecendo algo é dúbio

Pode ser doar aquilo que temos sobrando em estoque

Mas também é, por vezes, um modo de receber

Aquilo que estamos necessitados no hoje

Ou não queremos deixar baixar o estoque para o futuro…

Alda M S Santos

#carinhologos

Onde está teu tesouro?

ONDE ESTÁ O TEU TESOURO?

Busque todo o tempo suas relíquias

Procure em seu dia a dia o que lhe dá ânimo e disposição

Invista sempre naquilo que te dá força e coragem pra seguir

Preferencialmente, algo que envolva o outro, que espalhe amor

Encontre nesse agir o teu tesouro diário

Pois ali está o teu maior estímulo, o seu coração

Uma razão pela qual vale a pena viver

“Onde está o teu tesouro, ali também está teu coração”

Alda M S Santos

#carinhologos

Digam o que quiserem, um carinho sempre faz bem…

DIGAM O QUE QUISEREM, UM CARINHO SEMPRE FAZ BEM…

Digam o que quiserem, um carinho sempre faz bem

Na cadeira de rodas ela agora passa suas horas

Não fala, não anda, dependente dos outros para tudo

Cheguei, me abaixei, fiz “festa” por encontrá-la fora da cama

Beijei seu rosto de pele negra, enrugada, 92 anos, macia

Beijei também suas mãos, uma envolta em faixa para não arrancar as sondas

Falei que senti saudades, que a amava, que Jesus a protegia

Sorriu feliz, olhos úmidos, querendo falar comigo – “ela só quer, só pensa em namorar”,

Fiz muito carinho em seu rosto, relembrando canções que cantávamos

“Ela está feliz, sorrindo, gosta de você, não aceita carinho assim de todos”- diz uma cuidadora

Falei que éramos amigas e que ela já havia me contado do antigo namorado que ficava horas batendo papo com sua mãe

Dizia que ele era um homem branco como eu e muito bonito- sorria, sapeca, enquanto eu relatava os bons tempos dela

Pode parecer muito pouco, mas esse carinho e cuidado faz bem para quem recebe

Mas fico tão emocionada que acredito que faz melhor ainda mais para mim…

Esse alimento da alma é tão necessário quanto o pão do dia a dia que alimenta o corpo

Um carinho sempre faz bem e não tem contraindicações

Digam o que disserem…

Alda M S Santos

Não temos esse poder!

NÃO TEMOS ESSE PODER!

Não temos poder de tirar o sofrimento de ninguém

Mas podemos desviar o foco da dor, qualquer uma

Por poucos segundos que seja

Independe se com uma “palhaçada”, uma canção ou uma flor

Um abraço fraterno, uma palavra de estímulo ou ouvido atento

Um olhar de aprovação, um toque afetuoso ou um silêncio cúmplice

O que queremos é desviar o foco daquilo que fere, corta, machuca, sangra

Queremos despertar sorrisos e afastar a tristeza

Quer seja no outro, quer seja em nós mesmos

Pelo máximo de tempo que conseguirmos

Esse poder todos nós temos…

Alda M S Santos

#carinhologos

Por detrás de cada sorriso

POR DETRÁS DE CADA SORRISO

Que há por detrás de seu sorriso?

Todo sorriso carrega algo especial, encantador

Objetiva levar alegria, trazer júbilo consigo

Mas nem sempre é assim

Que há por detrás de seu sorriso?

Esse sorriso largo, colorido e iluminado

É um modo de se proteger, de se curar

De dizer que é forte, que vai superar?

Que há por detrás do seu sorriso?

Você é capaz de assumir, de identificar

No seu, nos dos outros?

Ou prefere não se preocupar?

Que há por detrás de seu sorriso?

Felicidade, paz, fé, alegria, inocência

Animação, sapequice, sensualidade

Ou traumas, medos, culpas, saudades

Dor, decepção, tristeza, fuga?

Escondido atrás de um sorriso que pretende levar amor

Há quase sempre um forte desejo de trazê-lo de volta na mesma proporção

De apagar ou amenizar algum mal que poderia ser fatal

Que há por detrás de seu sorriso?

Independente do que seja, não abra mão dele

Amarelo, triste, feliz, brilhante, opaco, que não chega aos olhos, não importa

Ele é a porta de entrada para tudo que há de bom…

Alda M S Santos

#carinhologos

Viver é contagioso

VIVER É CONTAGIOSO

Mau humor e dor contagiam tanto quanto vírus

Frieza e indiferença são transmissíveis no ar

Alegria “pega”, tristeza “pega”

Basta estar perto e aberto e respirar

Se não podemos escolher com o que ser contaminado

Temos alguma escolha naquilo que queremos contaminar

Escolhemos contagiar o mundo de coisas boas, de amor

Basta de tristeza e dor

Abraços e carinho são profiláticos

“O amor é contagioso”!

Alda M S Santos

#carinhologos

#abracosgratis

Quando abraço cura

QUANDO ABRAÇO CURA

Quando enxugar a lágrima do outro

Reduz o fluxo delas nas nossas faces

Quando um olhar de apreço ao outro

Aumenta nosso apreço por nós mesmos

Quando se atentar para o problema do outro

Tira o foco de nossos próprios problemas

Quando levar um abraço solidário e fraterno

Nos mostra que um carinho ameniza muitos males

Principalmente a indiferença, o descaso e o desamor

Pode não matar a fome do corpo

Mas sacia parte da fome da alma

Aumenta nossa autoestima, agiganta a fé na humanidade

E dá energia e esperança em dias melhores…

Abraços bons são os gratuitos e verdadeiros

Porque vêm com carinho de alma para alma…

Alda M S Santos

#AbraçosGrátis #CarinhólogosSolidáriosDeBH #Carinhólogos

Não faz sentido?

NÃO FAZ SENTIDO?

Quando estivermos meio perdidos

Sem conseguir encontrar o sentido da vida

Talvez estejamos procurando no lugar errado

Melhor afastar um pouco o foco de nós mesmos

Lançar o olhar para fora, para o outro, perto ou longe de nós

O sentido pode estar no que podemos fazer por eles

E encontrando-o ali, como mágica

O encontramos novamente em nós

Tudo volta a fazer sentido…

Alda M S Santos

#carinhologos

Fazemos o bem, proclamamos o bem

FAZEMOS O BEM, PROCLAMAMOS O BEM

“A mão direita não deve saber do que faz a esquerda”

“Não se deve fazer propaganda do bem que se faz”- ouvimos

A TV, jornais, outdoors, rádios, web, toda a mídia, em tudo se vê o mal propagado

Por que o bem deveria ficar calado, se esconder?

O mal tem vencido muitas vezes e adquirido adeptos, porque é amplamente divulgado

O bem precisa “aparecer” para poder contagiar…

Calado, inerte, compactua com aquilo que nada de bom produz

O Carinhólogos Solidários de BH divulga seu trabalho, sim!

E é assim que conseguimos doadores e ajudantes para nossos idosos

Atraímos novos membros, sensibilizamos corações…

Concordo, em parte, em manter sigilo, se a divulgação for apenas por vaidade pessoal

Mas se for para contagiar e propagar o bem

Nossa mão direita faz, alicia a esquerda, contamina de amor o corpo todo

Contagia a alma, grita aos quatro ventos

E agora convida você, suas duas mãos

Apela para o seu coração:

Vamos ajudar?

@carinhologossolidarios

@carinhologos

Alda M S Santos

Aprendizado

APRENDIZADO

Observamos neles a gratidão nas mínimas coisas:

“Deus é muito bom, pois manda vocês para nos alegrar”

A fé inabalável em Cristo:

“Sinto dores, não enxergo mais, tenho 94 anos, e fico aqui enquanto Jesus quiser, ele sabe de tudo”

A capacidade de reflexão, resignação e até uma certa incompreensão dos males

“Não sei porque minhas vistas ficaram assim, nunca fiz mal a ninguém nessa vida”

O arrependimento perante certas atitudes que causaram infelicidade aos outros

“Nunca esperei passar por isso, causar mal a alguém no final da minha vida”

A certeza de que aqui se colhe o que se planta

“Nessa cadeira passo meus dias, mas não reclamo, se devo algo, pago”

E a cada visita aprendemos que ali estão seres humanos que acertaram, que erraram

Vindos de famílias destruídas, por si mesmos, pelos outros

E procuram viver com dignidade e esperança o que lhes resta de vida

Os sentimentos maiores notados ali são: resignação, arrependimento, fé, uma certa nostalgia

E amor, mesmo que em forma de saudade

A nós, não cabe julgar, mas levar todo amor e carinho que pudermos…

Alda M S Santos

#carinhologos

Mil cairão, dez mil cairão, todos cairão

MIL CAIRÃO, DEZ MIL CAIRÃO, TODOS CAIRÃO

Qual a responsabilidade de quem fica de pé?

“Mil cairão ao teu lado, e dez mil à tua direita, mas não chegará a ti” (Salmos 91)

Ou de quem, aparentemente, ainda não caiu?

Vida de momentos, de tombos, de quedas

De por-se de pé, de levantar

Nem sempre estamos de pé

Nem sempre estamos no chão

Mas na hora em que estivermos de pé

Cabe-nos estender a mão

Ser a alavanca que ajuda a levantar

Se não para ser bom e justo

Para, no mínimo, ter quem nos estenda a mão

Quando for nossa hora de estar caído…

Alda M S Santos

Carinho também se aprende

CARINHO TAMBÉM SE APRENDE!

O ato de doar carinho, amor, atenção

É aprendido, desenvolvido, trabalha-se a emoção

O fato de ser inerente ao ser humano, a cada coração

Não implica necessariamente que todos tenham na mesma dimensão ou proporção

Uns apresentam maior dificuldade em oferecer

Já outros são inseguros, travados para receber

Mas ambos podem e devem essa habilidade praticar

Quem trabalha doando carinho e amor sabe bem valorizar

Oferecer o abraço acompanhado daquele olhar empático, terno

E de um “eu te amo” fraterno, sincero

Leva a sentir no outro e em si a grandeza e elasticidade do amor Paterno

Fluindo de nós para o outro, do outro para nós, seu poder curativo, eterno…

Alda M S Santos

#carinhologos

#carinhologossolidarios

De tudo um pouco fazemos nosso tudo

DE TUDO UM POUCO FAZEMOS NOSSO TUDO

Um pouco de tudo, de tudo um pouco

Recheamos de amor, sorrisos

Compreensão, abraços, beijos, solidariedade

Troca de calor, de empatia, de lágrimas, doação de amor

Prazer na presença, nas companhias

De pouco em pouco, de muitos poucos,

Amizade embebida de amor, carinho, saudade

Embrulhamos na embalagem do amor e nos fazemos felizes…

Um pouco de tudo, de tudo um pouco

Tornam, assim, parte de nosso tudo…

Alda M S Santos

#carinhologos

#carinhologossolidarios

Sempre amor

SEMPRE AMOR

Um grupo com um objetivo: levar alegria

A razão que trouxe cada um é variável

Todos parecem felizes, profissões variadas, vidas diferentes

Unidos no desejo de ajudar os outros, os idosos, particularmente

Olho para cada rosto desses palhacinhos, cada sorriso

Sei um pouco a história de alguns

Histórias de lutas secretas, sofrimentos, nem sempre vitoriosas

Muitos carregam angústias, frustrações e dores

Não doam o que lhes sobra, mas aquilo que mais precisam

Aquilo que valorizam, que sabem precioso

No prazer de levar amor, encontram uma razão a mais para lutar…

Para viver…

Alda M S Santos

#carinhologos

#carinhologossolidarios

Há esperança na humanidade

HÁ ESPERANÇA NA HUMANIDADE

Um mendigo disfarçado de cuidador de veículos

Sujo, descalço, dormindo nos passeios a qualquer hora

Vive do que recebe da caridade dos que transitam por ali

Abandonado, largado, entregue ao mundo?

Mas é um ser humano!

Alcoolizado sempre, não sei se outros entorpecentes também

Sempre me compadeço de sua situação

Vejo-o todos os dias na rua da academia

Já perguntei uma vez se precisava de ajuda quando estava largado na calçada

Hoje vi uma mulher dando banho nele no meio da rua

Jogava água contida em algumas garrafas pet, ensaboava, esfregava

Ele aceitava a ajuda a contragosto, alcoolizado.

Um misto de sentimentos me invadiu

Feliz por alguém ter ajudado, uma mulher se arriscando

Triste por um ser humano precisar desse tipo de ajuda de desconhecidos

Envergonhada por eu mesma não ter tido essa coragem, essa iniciativa!

Orgulhosa dessa mulher que conheço e deu um exemplo de bondade…

O amor precisa ser convertido em ações!

Há esperança na humanidade!

Alda M S Santos

Os outros e nos

OS OUTROS E NÓS

Quando fazer-se bem passa, necessariamente,

Pelo fazer bem ao outro

Quando encontrar-se passa, obrigatoriamente,

Pelo caminho que atravessa o coração do outro

Quando acender a luz no olhar de alguém

É o modo mais eficaz de refleti-la em nós mesmos

Quando dar colo a quem dele precisa

É um modo de encontrar um ombro para descansar

Quando ser o motivo do sorriso de alguém

Torna-se o lenço capaz de enxugar nossas lágrimas

Quando direcionar nossa vida ao outro

É a maneira mais paradoxal de valorizar nossa própria vida!

Alda M S Santos

#carinhologos

Ausências

AUSÊNCIAS

A gente percebe que não é autossuficiente

Quando começa a sofrer de ausências

Ausências de gente do bem conosco

Percebemos que somos essenciais uns aos outros

Quando começamos a “exigir” presenças

Presenças do amor e da alegria

Do carinho, do sorriso, da atenção

Aquelas que quando se vão fazem falta, a gente chora

Mas que sorri ao lembrar da marca que deixou

Por menor que tenha sido o convívio…

Alda M S Santos

#carinhologos

#carinhologossolidarios

Amores da minha vida

AMORES DA MINHA VIDA

“Que linda, amor da minha vida”!

Assim, arranquei um sorriso da idosa mais rabugentinha do lar dos idosos!

“Amor da minha vida!” – ela repetia e sorria…

Sempre mal- humorada e a espantar quem chegasse perto

Consegui, aos pouquinhos, me aproximar dela

Conversar, trocar umas palavras, fazer uns carinhos…

“Para de me alisar”!

“Não! Eu gosto de fazer carinhos em você”!- e a abraçava e beijava.

“Você fica me gastando”!

Está sempre dizendo que está morta, que foi para o outro lado…

Num lar desses percebemos os vários modos de lidar com a dor e solidão.

Uns são agressivos, outros muito doces e carinhosos

Há ainda aqueles que cobram presença, presentes,

Ou os revoltados com tudo e todos…

Não nos cabe julgar porque estão ali

Sempre conseguimos um modo de chegar até eles!

Nosso propósito é levar amor, carinho, atenção, roupas, alimentos, remédios

O que precisarem e conseguirmos

E um sorriso que recebemos é “pagamento” bastante!

Alda M S Santos

#carinhologos

Nosso papel, nossa escolha

NOSSO PAPEL, NOSSA ESCOLHA!

Eram seis homens idosos numa mesa a jogar cartas

Num clube tradicional e caro da cidade

Observamos e comentamos sobre a vida tranquila

Diversão num clube numa terça-feira de manhã

Olharam para nós de longe, talvez estranhando

Aquelas pessoas vestidas de palhaço numa terça-feira

Distribuindo abraços grátis, um sorriso, palavras doces.

Concluímos que eram aposentados, vida ganha…

E seguimos nossa atividade ali.

Ao sair, dirigindo o carro com cinco palhaços

Num semáforo adiante, outro idoso vinha trôpego

Camisa torcida e mal abotoada vendendo balas de goma

Passou por nós, olhou, sorrimos, sorriu

Ganhou um cartão de coração, um Feliz Natal e nosso carinho

Não conheço nem aqueles idosos e nem esse

Não sei o que determinou que uns estariam lá no clube

E que outros estariam a vender balas no semáforo

Berço? Escolhas? Trabalho? Dedicação? Sorte? Fé?

Sei que a nós não cabe julgar! Uns não são melhores que os outros!

Levar a todos aquilo que pudermos oferecer, sem preconceitos

Esse é nosso papel, nossa escolha!

Alda M S Santos

#carinhologos

Amor sazonal?

AMOR SAZONAL?

O amor quando é real e verdadeiro

Não é amor sazonal

Pode até se intensificar em algumas épocas

Mas é amor de todo o tempo

É amor que dura, que perdura

Que se multiplica em qualquer estação!

Alda M S Santos

#carinhologos

Dia Internacional do Voluntariado

DIA INTERNACIONAL DO VOLUNTARIADO

Temos certeza que é algo trabalhoso de realizar

Que exigirá disponibilidade de tempo e dedicação

Sabemos que é algo bom e até fundamental para quem recebe

Muitas vezes, sendo o pouco com que podem contar

Imaginamos que seja prazeroso para quem realiza,

Mas que o trabalho voluntário é viciante

Só descobrimos quando começamos…

E queremos ajudar mais e mais e mais!

Chegamos a um ponto em que, se pararmos

Sofreremos de grave crise de abstinência

E percebemos que o tempo aparece, a dedicação aumenta

Ajudar, ser voluntário, fazer parte de algo assim

Levar carinho, atenção, distração

Em forma de doações materiais e emocionais

Nos faz valorizar muito o poder do carinho, de um abraço…

Nos faz valorizar ainda mais a vida

A nossa, a dos outros…

Alda M S Santos

#carinhologos

Nunca me canso!

NUNCA ME CANSO!

Difícil não nos emocionarmos,

Trabalhoso conter as lágrimas algumas vezes

Prazeroso sorrir junto, partilhar amor

Com eles a gente retoma o passado, vislumbra o futuro

Reorganiza o presente, tenta ajeitar a própria vida…

São um dos extremos do viver

Aquele no qual todos esperamos chegar…

Dizem que voltamos a ser crianças…

Pode ser na dependência física e emocional

Mas idosos carregam uma história rica, quase completa

Cheia de muitos percalços, lutas, saudades

Nem sempre feliz…

Mas estarmos juntos nos faz felizes, ainda que por momentos,

A eles e a nós!

E aguardamos ansiosos a próxima visita…

Prazer sem fim!

Alda M S Santos

#carinhologos

Uma mãozinha

UMA MÃOZINHA

Percebemos o quanto o simples gesto de tocar as mãos, o rosto

Pode ser importante e valioso

Quando seguramos as mãos de pessoas carentes

Carentes de atenção, de carinho, de uma simples conversa

Não querem largar nossas mãos, nos soltar

Abrir mão de nossa presença

Fixam nossos olhos, os seus cheios de saudades, lembranças

Contam-nos histórias…

Reais ou imaginárias, ricas em detalhes

Pudessem, nos “prenderiam” ali

Onde, muitas vezes, sentem a vida indo embora aos pouquinhos…

Ainda assim, dizem rezar por nós!

E a gente se sente feliz por fazer parte dessa história

De um capítulo ao qual nossa vida chegará um dia…

Alda M S Santos

#carinhologos

O que nos redime?

O QUE NOS REDIME?

Se o amor não justifica tudo

A ausência dele, tampouco

Se existe nesse mundo ou no outro

Algo capaz de nos redimir

São os atos realizados por amor,

Com amor, para o amor

Em nome do amor…

Não amar, por si só, já é pecado!

Alda M S Santos

Impotência

IMPOTÊNCIA

Não existe sensação pior que a da impotência

A incapacidade de realizar algo que se quer

Por quem se ama, por si mesmo.

Saber do sofrimento, da necessidade premente

Do grito contido, calado, sofrido

No silêncio audível, no sorriso disfarçado

Na distância forçada, na solidão,

Nas lágrimas escondidas…

Saber que tudo que somos de nada vale

Que os caminhos trilhados nem sempre ajudam

Que não conseguimos tirar a dor com a mão, como gostaríamos

E que, certas coisas, somente o tempo pode curar

Ou anestesiar, ou fazer adormecer…

Alda M S Santos

Não é!

NÃO É!
Não é desejo de ser grande

Tampouco vontade de aparecer

Ou ser mais que qualquer pessoa.

É saber que quando nos doamos

Seja em carinho, amor, tempo,

Sempre sobra algo para nós mesmos.

É apenas o desejo de ser bem melhor

Que fomos ontem, mas ainda menos

Do que podemos e queremos ser amanhã.

A vida da humanidade como um todo

Pode ser melhor, se cada um de nós for melhor,

Um pouquinho a cada dia…

Alda M S Santos

#carinhologos

É preciso sorrir

É PRECISO SORRIR

Um sorriso opera milagres

Em quem sorri, em quem recebe o sorriso

Vi num outdoor, não lembro qual marca

“Vamos mudar o mundo: um sorriso de cada vez”!

Acho muito válido!

Mas o nosso precisa estar incluído

Como causa ou consequência! 

É preciso sorrir, para fazer sorrir os outros.

Alda M S Santos

#carinhologos

Anestesiados 

ANESTESIADOS

Estamos todos insensíveis,

Ou a sensibilidade mudou de cara?

Estamos todos inertes,

Ou nosso movimento é que é parado mesmo?

Estamos todos anestesiados por medo da dor,

Ou é pura covardia mesmo?

Estamos todos imunes à dor e sofrimento do outro,

Ou apenas estamos usando de autodefesa?

Seja como for, insensibilidade, inércia, imunização não são infalíveis!

Podem apenas mascarar um problema que cresce a despeito da analgesia.

Quando passar, chegará o momento da dor…

Quem estará preparado?

Alda M S Santos

Quando é amor

QUANDO É AMOR

Quando é amor, qualquer um nota.

Não precisa dizer “eu te amo” com palavras.

Quando é amor, os olhos brilham e falam,

Quando é amor, o sorriso se abre e “grita”,

Quando é amor, está escrito na testa,

Quando é amor, está desenhado no rosto caipira ou de palhaço,

Ou de ambos, ou de nenhum desses, 

Mas em qualquer cara de “bobo” que se apresente.

Quando é amor, todo o corpo diz, da cabeça aos pés.

Quando é amor, reflete, bate e volta feito bumerangue, 

E enche todos os seres da mais pura alegria!

Quando é amor, tudo vale a pena, ou melhor, o tinteiro todo! 

Alda M S Santos

#carinhologos

Rir ou chorar?

RIR OU CHORAR?

Qual a melhor canção, a que faz rir ou chorar?

Qual o melhor livro ou poema, o que faz rir ou chorar?

Qual o maior e mais sincero amigo, o que faz rir ou chorar?

Qual o maior e mais verdadeiro amor, o que faz rir ou chorar?

Sorriso e lágrimas são expressões de fortes emoções.

Se a emoção despertada for boa, não importa

Se é demonstrada por sorrisos ou lágrimas!

O que não vale são emoções mais ou menos

De sorrisos amarelos e lágrimas de crocodilo.

Viver é uma emoção forte e maravilhosa!

Ria, chore, mas viva!

Alda M S Santos

#carinhologos

Toque de amor

TOQUE DE AMOR

Amor verdadeiro, amor real, 

Amor presença, amor presente

Amor além de qualquer sonho, amor que se doa…

Amor de pertinho, amor que se pega

Nos braços, nos laços, nos enlaces.

Amor de abraços, de beijos, de carinhos, de sensações.

Amor de trocas, de afetos, amor gratuito.

Amor de força, de fragilidade, de entendimento, 

Amor colo, que dá, que recebe. 

Amor segurança, amor de olhares, de palavras,

Amor de histórias partilhadas, amor de segredos. 

Amor que não se explica, amor que se sente.

Amor que toca:

O corpo, o coração, a alma.

Amor que se toca, 

E sabe que amor mesmo se mantém e se renova

Na presença, em cada gesto,

Em cada toque de amor. 

Alda M S Santos 

#carinhologos

AMOR SEMPRE CONVÉM!

“Há muito tempo eu não dançava.

Você alegrou o meu dia!

Só seria melhor se eu enxergasse…

Muito obrigada, palhacinha”!

Não importa de onde vem

Se é amor, sempre convém!

Não há nada que pague ou apague.

Nada que substitua, nada!

Alda M S Santos

#carinhologos

Se eu nascesse de novo

SE EU NASCESSE DE NOVO

Se eu nascesse de novo, o que gostaria que fosse diferente?
Talvez não ter nascido no Brasil, terceiro mundo, corrupção…

Ter a beleza da Penélope Cruz, a fama da Júlia Roberts?

Ser a amada do Antônio Banderas ou casada com Denzel Washington?

Ser dona da fortuna do Bill Gates?

Loucuras à parte, conformo-me com meu tipo físico, minha “pobreza”,

Meu país, meu anonimato, minha profissão, minha família, minha vida…

Mas eu bem que poderia nascer com desejo menor de me envolver nas coisas alheias!

Se fosse difícil, que eu pudesse mesmo ter a capacidade de ajudá-las, não atrapalhar a elas ou a mim mesma.

Na impossibilidade, que eu ao menos não me importasse ou me frustrasse tanto.

Ou, ao contrário, que me importasse tanto, tanto para me tornar uma Madre Teresa de Calcutá!

Já que nada disso é possível, um pouquinho de (in)sanidade agora não me faria mal.

Alda M S Santos

Apenas um pouquinho de afeto

APENAS UM POUQUINHO DE AFETO
Repetidas vezes pergunta meu nome completo. Eu respondo. E recita o seu.
Sento-me ao seu lado, seguro suas mãos, faço carinho.
E completa: “Nascida a 22 de março de 1922. Tenho 90 e muitos anos.”
“Você sabe quem descobriu o Brasil? Pedro Álvares Cabral em 22 de abril de 1500.”
“Tem que decorar, senão a professora briga e a mãe bate.”
“Cadê o banheiro? Não posso fazer xixi na calçola. Você me leva?”
“Que dia é hoje? Ah! Amanhã é domingo, dia de Jesus! Gosto de Jesus, nascido em Belém da Judéia, crescido e criado em Nazaré, por isso era chamado de Jesus Nazareno.”
“Aprendi na escola dominical. Ah, domingo é quando meus filhos vêm me ver.”
“Faz muito tempo que não aparecem. Que dia é hoje? A gente não pode obrigar, né?”
“Você é baiana? Chapéu de Maria Bonita. Parece baiana. Eu sou baiana, mas me trouxeram para cá. Mãos macias, eu gosto das suas mãos.”
“Meu marido voltou para lá. Será que levou meus filhos embora também?”
“Você tem mãe? Eu tinha! E tem filhos? Traz seus filhos aqui.”
“Vamos cantar música de louvor? Eu gosto, senão fico brava.”
E ela fala sem parar com poucas interferências minhas, exceto o carinho.
Cantamos Maria de Nazaré. Voz forte. Diz que cantou no coral da igreja. Sabe a música de cabo a rabo.
Levanto-me, sento ao lado de um senhor e começo a conversar com ele.
“Senta aqui! Você estava aqui! Fica perto de mim.”
Ao que ele responde: “Baiana, ela agora é minha, tem que dividir!”
Ela se cala e fica emburrada. Jogo beijos. Faz beicinho.
Deixo uma mão com ele, levanto, vou lá e a aperto.
São crianças brigando por um pouquinho de afeto.
Apenas um pouquinho de amor…
Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: