Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Categoria

solidariedade

Tão bom!

TÃO BOM! 
Tão bom! 
Ser alguém que leva o amor
Que doa tempo, atenção 
Que desperta sorriso de montão 
Tão bom! 
Ser o abraço, o beijo, o carinho 
A conversa, a brincadeira, a canção 
Aquela que dança junto no salão
Tão bom! 
Ser aguardada, querida, desejada 
Nesse “trabalho” de amor e solidariedade 
Abraço e sorriso por si só geram reciprocidade 
Tão bom! 
Perceber Deus em cada um ali
E nessa troca de amor, de amizade 
Sentir que Ele nos ama mais ainda na adversidade
Alda M S Santos 

Escolhas ou acaso

ESCOLHAS OU ACASO

Há dores, há diferenças, injustiças e dissabores

Mas também há coração, bondade, alegrias e amores

Escolhas ou acaso?

Há abandono, indiferença, tristeza e solidão

Mas também há companhia, carinho, cuidado e proteção

Escolhas ou acaso?

Há choro, lamentos, lembranças e saudade

Mas também há brincadeiras, músicas, sorriso e amizade

Escolhas ou acaso?

Há descrença, doenças, patologias e depressão

Mas também há abraços, beijos, tempo e doação

Escolhas ou acaso?

O mal pode ser obra do acaso

Mas o bem sempre será uma escolha!

Alda M S Santos

#carinhologos

Sentimentos tão (des)humanos

SENTIMENTOS TÃO (DES)HUMANOS

Determinação : Você poderia me arrumar um emprego? Quero trabalhar!

Arrependimento: Vim de Pouso Alegre e acabei aqui sem pouso.

Fome: Pode repetir? Estou faminto hoje!

Depressão: Faço uns bicos durante o dia, durmo no abrigo, saio às vezes, a depressão bate fundo.

Fé: Um dia estarei do lado que vocês estão, se Deus quiser!

Tristeza: Meu filhinho de três anos está internado.

Maternidade: Preciso de roupas de criança. Lembra de mim e do meu filhinho loirinho e de olho azul?

Vaidade: Gosto de sabonete cheiroso, esse é bom!

Preferências: Não posso com esse cobertor, sou alérgico, pinica!

Simplicidade: Tem um chinelo ou tênis? Se for grande pode ser de mulher mesmo!

Humildade: Não tem mais blusa de frio? Tenho frio! Pode me dar essa sua?

Satisfação: Que massa! Ganhei uma blusa do Galo(Atlético MG)

Simpatia: A vida na rua dói, moça! Tem pasta de dente aí, ajuda a sorrir!

Mulher: Acabaram os absorventes? Estava precisando…

Oportunismo: Tem gente que pega coisa que tem, eu não faço isso, não!

Má índole: Pode me dar uma sacola grande? Se a gente não dormir por cima eles roubam!

Vícios: Não dê cobertores para aqueles lá, não, que vendem para comprar “cola”.

Gratidão: Deus abençoe e proteja vocês!

Realidade: E assim segue a vida nas ruas de Belo Horizonte

Nos cantos, nas filas de doações, nas camas improvisadas

No fogo para aquecer, na bebida ou droga para esquecer

Nas barracas de cobertores que servem de casa, dia ou noite…

Sentimentos tão (des)humanos que transbordam

No meio de todos nós…

Alda M S Santos

Nas ruas da cidade

NAS RUAS DA CIDADE

Nas ruas da cidade a vida acontece

Nem sempre como a gente imagina

Mas acontece…

Cinco carros estacionam ali, nas ruas escuras, onde seres humanos “moram”

Naquelas calçadas geladas da noite

Voluntários abrem o porta-malas lotado

Treinados pela vida, eles logo aparecem

Uma fila gigante se forma e espera

Nas ruas da cidade a vida acontece

Nem sempre como a gente imagina

Mas acontece…

Lanches quentinhos são servidos

A quase totalidade de homens de toda idade

Menos mulheres, mas até crianças estão na fila

Corpos expostos ao frio, pés descalços

E pedem por roupas, calçados, agasalhos, cobertores

Os carros logo são esvaziados

E tudo o que levaram e parecia bastante

Some, é logo doado…

Nas ruas da cidade a vida acontece

Nem sempre como a gente imagina

Mas acontece…

Eles se vão, outros chegam

A vida segue seu rumo

Mas de um modo um pouco diferente

Lá e cá…

Nas ruas da cidade…

Alda M S Santos

Dentro do coração

DENTRO DO CORAÇÃO

Afixados nas paredes de um lar de idosos

Acima de cada cama, estão ali, à mostra

Uma colagem dos sonhos de cada um

Feita de recortes de revistas e um bom papo

Sonhos não têm idade

Nascem e crescem dentro do coração da gente

Uns tornam-se realidade

Outros existem para fazer brilhar a luz do olhar

De quem insiste em viver nesse lugar…

Ali para todos verem, expostos em papel

Os sonhos desses idosos falam, gritam

“Tenho muitos anos de vida

Mas nunca deixarei de sonhar

Pois quando isso acontecer

Já terei deixado de viver…

Alda M S Santos

Certeiros ao ajudar

CERTEIROS PARA AJUDAR

Tantas vezes não somos tão bons assim

Tão rápidos em julgar

Tão lentos em ajudar

Tão velozes em diagnosticar doenças

Tão inertes quando é para promover a cura

Tão “Cristãos” ao identificar pecadores

Tão pagãos ao lhes virar as costas

Tão “certeiros” ao apontar o dedo

Mas erramos o alvo quando é para dar as mãos

Somos falhos no momento crucial

Aquele em que o outro mais precisa

Ver falhas, erros, defeitos, pecados do outro

Qualquer um de nós pode

Essa é a parte fácil

Criticar o que o outro faz, idem

Mas estar ali para somar

Ser mais um para diminuir as desigualdades

Poucos são capazes e nisso investem

Essa é a parte em que todos encontram desculpas

E alguém para responsabilizar …

Só teremos o mundo que queremos

Quando mudarmos em nós aquilo que queremos do outro…

Sejamos mais luz, mais irmãos, mais compaixão

Um pouco de cada um pode fazer a diferença no todo

Sejamos certeiros ao ajudar

Sejamos paz!

Alda M S Santos

Que seja o bem

QUE SEJA O BEM

Se for para se esforçar

Que seja com o peso do bem

Se for para sorrir ou chorar

Que seja por motivos do bem

Se for para se apaixonar

Que seja pela graciosidade do bem

Se for para se perder ou se encantar

Que seja pelos caminhos do bem

Se for para se encontrar

Que seja nos recantos do bem

Se for para repousar

Que seja no colo do bem

Se for para copiar

Que seja o que dá certo no bem

Se for para confiar

Que seja naqueles que propagam o bem

Se for para amar

Que seja para transformar o mal em bem…

Alda M S Santos

Marqueteiros do amor

MARQUETEIROS DO AMOR

Deixe-se contagiar, não se vacine

Não feche as portas do coração

Distribua “quentinhas”, abraços, remédios

Faça arte, cante, dance, pinte, doe carinho

Espalhe esperança num mundo melhor

Baixe a guarda, deixe-se atingir

Abra sua alma, deixe esse “vírus” do bem te pegar

Ele te imuniza contra tristeza

Afasta a angústia e desesperança

Abastece suas reservas emocionais de alegria

Cria uma barreira bem visível contra o mal

Há muitos vírus do ódio e da indiferença por aí

Assim como também há vírus do amor e da esperança

Apenas o mal é mais divulgado, mais propagado

Seu merchandising tem sido melhor

Pulverize o bem, contagie alguém

Seja marqueteiro do amor

Amor é contagiante!

Alda M S Santos

#carinhologos

Fraternidade: eu faço parte

FRATERNIDADE: EU FAÇO PARTE

Queremos um mundo novo!

Onde abraços possam aquecer

Famílias com menos brigas, mais união

E o medo não nos impeça de crescer

Queremos um mundo novo!

Onde haja esperança e afeto

Humanos mais solidários e bondosos

E que todos tenham direito a um teto

Queremos um mundo novo!

Onde o amor possa livre reinar

Um mundo com justiça social

Onde o pão seja para todos

E sorrisos possam cativar

Queremos um mundo novo!

Onde a violência seja eliminada

A caridade seja o novo lema

Nenhuma arma seja usada

A não ser um belo poema

Queremos um mundo novo!

Onde a vida seja prioridade

Ninguém seja excluído por qualquer condição

Que a lei seja a igualdade

E que Jesus more em cada coração

Queremos um mundo novo!

Mas percebi que um mundo novo depende de mim

Depende também de você

Fraternidade: eu faço parte!

E você?

Queremos um mundo novo!

Alda M S Santos

Apresentação na Matriz São Sebastião e Santa Edwiges- BH

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: