Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Categoria

Abrigos

Araras urbanas

ARARAS URBANAS

Variadas peças, cores e tamanhos

Expostas numa grande arara urbana

Feita das grades sobre muros no centro da cidade

O cliente chega, pega, olha, até experimenta

Não há atendentes, não há provadores

Há alguns expectadores

Algumas peças seminovas

Outras um pouco surradas

Menos surradas que os clientes que por elas procuram

Não há marcas, sequer se preocupam com isso

O que precisam é que sirva

Não há sacolas, não embalam

Vestem umas sobre as outras

Não estocam nada, não guardam nada também

A marca que vejo ali é só uma: compaixão

Aliada à solidariedade e amor

Não há caixa, não há preços

Um cartaz diz apenas: DOAÇÃO

O cliente pega o que lhe serve

E vai embora…

Mas não vai para sua casa

Fica por ali mesmo, nesse espaço que tem sido seu lar…

Quando precisa de algo “novo”

Recorre novamente às araras urbanas

Você tem algo para doar

Para essas araras alimentar?

Alda M S Santos

Dentro do coração

DENTRO DO CORAÇÃO

Afixados nas paredes de um lar de idosos

Acima de cada cama, estão ali, à mostra

Uma colagem dos sonhos de cada um

Feita de recortes de revistas e um bom papo

Sonhos não têm idade

Nascem e crescem dentro do coração da gente

Uns tornam-se realidade

Outros existem para fazer brilhar a luz do olhar

De quem insiste em viver nesse lugar…

Ali para todos verem, expostos em papel

Os sonhos desses idosos falam, gritam

“Tenho muitos anos de vida

Mas nunca deixarei de sonhar

Pois quando isso acontecer

Já terei deixado de viver…

Alda M S Santos

Marqueteiros do amor

MARQUETEIROS DO AMOR

Deixe-se contagiar, não se vacine

Não feche as portas do coração

Distribua “quentinhas”, abraços, remédios

Faça arte, cante, dance, pinte, doe carinho

Espalhe esperança num mundo melhor

Baixe a guarda, deixe-se atingir

Abra sua alma, deixe esse “vírus” do bem te pegar

Ele te imuniza contra tristeza

Afasta a angústia e desesperança

Abastece suas reservas emocionais de alegria

Cria uma barreira bem visível contra o mal

Há muitos vírus do ódio e da indiferença por aí

Assim como também há vírus do amor e da esperança

Apenas o mal é mais divulgado, mais propagado

Seu merchandising tem sido melhor

Pulverize o bem, contagie alguém

Seja marqueteiro do amor

Amor é contagiante!

Alda M S Santos

#carinhologos

Amor

AMOR

Amor é assim, vai, multiplica-se

Volta redobrado…

Amor que cura, que se cura

Que é luz lá e cá

Amor que é Páscoa

Amor que é vida nova!

#carinhologos

Páscoa no Lar Santa Zita

Choro por nós

CHORO POR NÓS

Eu choro por todos nós

Choro pela humanidade que se desumaniza

Que promove mais discórdia que concórdia

Que destrói o meio em que vive

Que transforma vida em morte

Eu choro por todos nós

Choro por pessoas que sofrem

Por pessoas que nada fazem para amenizar o sofrimento alheio

Que se acreditam superiores

Eu choro por todos nós

Choro pela humanidade que tanto tem

Que ignora o que falta ao semelhante

Mas que prefere reclamar

Opta por brigar pelo que não tem

Escolhe invejar o que é do outro

Eu choro por todos nós

Choro pela humanidade tão manipulada

Que, por opção, ignorância ou alheamento,

Escolhe o ódio pensando buscar o amor

Eu choro por todos nós

Choro por toda humanidade

Particularmente por quem tem o poder de fazer a diferença para o bem

E escolhe danificar a vida de tantos

Ou mesmo de um alguém

Eu choro…

Chorando, vou buscando um caminho diferente…

Alda M S Santos

#carinhologos

Linda aura

LINDA AURA

Linda, sorridente, costureira, bordadeira

Lindaura: LINDA AURA

Sempre mexendo, parecia uma formiguinha

Vaidosa, amava se enfeitar de cores e flores

Música, dança, abraços, carinhos e mimos

Ela nos fazia felizes, nos tornava especiais para si

De tudo participava, sempre animada, ignorava limitações

Que vamos fazer hoje? -perguntava

Já passando mal foi para junto de todos nós neste sábado

Um sábado de colorir, um sábado colorido

Um sábado para se despedir…

Que de repente perdeu as cores

Um olhar muito meigo e profundo

Um olhar que sorria…

E que hoje nos desperta lágrimas de saudade

Abracei, beijei, conversei, fiz carinho

Demos o que sabíamos dar: amor, atenção, tempo

Nos despedimos sem querer, sem saber…

Agora foi enfeitar o céu com seu largo sorriso

E seus laços e tiaras coloridas, seu olhar brilhante

Aqui ficamos tristes, mas com a sensação que fizemos sua vida mais colorida

Vá em paz, Lindaura, com sua linda aura, missão cumprida!

Dê aquele seu lindo sorriso e abraço gostoso para Ele em nosso nome

O tempo que pudemos desfrutar de sua companhia foi maravilhoso

Amamos você!

Sentiremos imensas saudades…

Alda M S Santos

E as lágrimas secaram…

E AS LÁGRIMAS SECARAM…

Sentada num canto ela dizia que já sofreu demais

Tanto chorou, e chorou, que hoje,

Por maior que fosse a dor, não tinha o alívio das lágrimas

Secaram todas, afirmava

Décadas e décadas vividas, evidenciadas em cada ruga

No corpo frágil que parecia muito leve

Para carregar tamanho peso…

Que será que carrega a pesar tanto?

Algo que fez, que deixou de fazer, ou permitiu que fizessem consigo?

Males que causou aos outros, a si mesma, arrependimentos,

Sonhos que não viveu, impediu que outros vivessem

Caminhos que não trilhou, portas que arrombou

Lições que não aprendeu ou não ensinou

Ou saudades, alegrias perdidas, não mais vividas?

Observo os mais velhos, e considero a sabedoria da natureza

Ao ir limitando a memória dos idosos

Um modo de poupar energia

E aliviar um pouco o sofrimento daquilo que não tem mais jeito,

Pois lágrimas e sorrisos, ambos podem fazer bem ou mal

Dependendo do modo que se olhe para eles,

E da expectativa que se tenha pela frente…

Alda M S Santos

O bem e o mal

O BEM E O MAL

O mal pode ser contagioso,

mas o bem também pode

Vence aquele que for melhor propagado!

Alda M S Santos

#carinhologos 💖

Mas que amor ô ô ô ô ô ô

MAS QUE AMOR Ô Ô Ô Ô Ô Ô

Allah-lá-ô, ô ô ô ô ô ô

Mas que amor ô ô ô ô ô ô

Dançam pra lá e pra cá

Cantam, sorriem, se divertem

Idosos que tentam ignorar limitações

Aceitam carinho, atenção, amor

Na lembrança de uma marchinha de carnaval

As comportas se rompem

Jorram outras memórias feito água nas pedras de uma cachoeira

Que inundam a alma de alegria

E se espalham feito confete e serpentina

Atravessaram o deserto do Saara, ops, da vida

Queimaram-se e estão aqui

Sempre em busca de um oásis

Do qual amamos participar

Sendo e buscando a água limpa nesse extenso deserto

Que muitas vezes se tornam nossas vidas

E matamos a sede…

Alda M S Santos

#carinhologos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: