PROVISÕES

Arrumou bem arrumada sua bagagem
Nada queria deixar para trás naquela viagem
Seu intento era ter muitas provisões
Para enfrentar o que viesse, muitas emoções

Colocou boas memórias, muitas lembranças
Cada passo dado, estacionado, as andanças
Guardou na mala expectativas, sonho especial
O motor de tudo, suas vontades, seu natural

Seguiria em frente, não haveria um rumo
Certo é que buscaria onde quer que fosse
Um cantinho que oferecesse paz, um prumo

Abriria as porteiras da alma, sentaria à mesa, tomaria um café
Uma prosa longa, pacífica, demorada, desejada
Restaurando consigo a alegria, o autoconhecimento, a fé

Alda M S Santos