Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Tag

viagem

Viagem

VIAGEM

Entre todas as viagens maravilhosas que já fiz

Na terra, no mar, no ar, pelo universo

A pé, usando rodas, velas ou motores

Longas ou curtas, sozinha ou acompanhada

Na beira de um rio, no alto de um pico

No meio do oceano, no alto, nas nuvens

Mergulhada nas páginas de um livro

Entre os takes de um bom filme

Nos versos de um poema escrito na varanda ao luar

A mais completa de todas foi sem sair do lugar

Nas cenas que busco ou crio na minha imaginação

Interagindo com meu universo interior

Edito, dou replay, apago, refaço

Avanço, passo em câmera lenta…

Mexo e remexo ao meu bel prazer

Ela não tem medos, não tem censura

Não tem limites ou barreiras

Não fere, não machuca, nem mata ninguém

Ela é livre e voa…

A viagem para dentro de nós mesmos

É a melhor que podemos fazer…

Alda M S Santos

Verão

VERÃO

Verão que tudo é luz, é calor

Energia que emana do interior

Do ar, da terra, do alto, do ser…

Verão que não é uma simples estação a viver

É rosa desabrochada, perfume, encanto, diversão

É amor em cores, multicores, alegria, brilho em profusão

É inspiração que instiga a alma, o coração

É o produto do longo hibernar do inverno, é emoção

É leveza, é brisa, é descanso, é preguiça, é união

Verão é viagem além-mar, logo ali

Ou mesmo na imaginação

Verão é só riso, sorriso, é gratidão!

Alda M S Santos

Decolar

DECOLAR

Viagem…

Malas arrumadas, cheias

De utensílios, de acessórios

De sonhos, esperanças

Expectativas de descanso, diversão

As malas levam as necessidades do corpo

O coração leva as necessidades da alma

Vai nua, quer novo figurino

Veste um sorriso no rosto

Um abraço de agasalho

Descalça, deseja sentir melhor onde pisa

Por onde caminha, o destino almejado

Quer se abastecer do novo

Revigorar o que já está meio gasto pela vida

Fortalecer o que estiver frágil

Potencializar o que está apto a crescer

Trazer para dentro de si o infinito

A aeronave decola sabedora de seu destino

Ela decola junto, confiante

Fecha os olhos e sonha…

Alda M S Santos

Medo? Que nada!

MEDO? QUE NADA!

Um pouco ansioso como em toda primeira vez

Afinal, isso é um “trem que voa” invenção de um mineiro

Boa expectativa, um voo curto de uma hora

Medos e receios do meu pai são vencidos

No alto, da janela passa a observar a pequenez do que fica pra trás

Admirado com as várias camadas de nuvens

Com o nublado lá de baixo

E o sol claro e céu limpo cá de cima

Quanto maior a altitude mais claro tudo se torna

Umas pequenas áreas de instabilidade

Sorriso de menino, “parece até que estamos no chão”

Nem o incômodo nos ouvidos ele sente

E papai abre aquele sorrisão satisfeito

Pousamos no aeroporto cujo nome homenageia o criador dessa grande invenção:

Santos Dumont

Voar é maravilhoso!

Alda M S Santos

Você chegará ao seu destino

VOCÊ CHEGARÁ AO SEU DESTINO

Escolha sua rota! Coloque os cintos!

Dirija com cuidado! Vamos!

Siga em frente por 25 Km até rodovia BR 040

Radar reportado à frente, atenção!

Fiscalização eletrônica semafórica em 300m

Mantenha-se à direita para saída 108 A para Angra dos Reis

Via de tráfego intenso, não se esqueça dos faróis

Acidente reportado no quilômetro 85

Cuidado! Veículo tombado à frente

Pegue acesso lateral para Arco Metropolitano

Polícia reportada à frente

Reduza a velocidade, declive acentuado

Área de intensa nebulosidade, mantenha faróis de milha acesos

Desvio à esquerda, via interditada

Tempo estimado no engarrafamento: 9 minutos

Atenção! Animal ferido e morto na pista

Uma estrada, uma viagem, muitos caminhos

A ansiedade, o desejo de chegar

Um guia do Waze…

Tudo torna-se mais fácil e seguro

Rota e destino pré-calculados

Previsão de chegada e revisão de rota

Perigos antecipados com prazo para reação

Alerta de avanço de sinais, áreas proibidas e fiscalizações

Sugestões para abastecimento e descanso

O medo de ficar perdido é quase nulo

A sensação de “conhecer” o desconhecido tranquiliza

E, se errarmos, ele recalcula e nos coloca novamente nos trilhos

Devíamos todos ter um guia assim acoplado ao cérebro

Não vá por aí, pode se acidentar na pista

Alerta amarelo aceso, atenção

Via sem saída, retorne e retome seu destino

Trânsito proibido, área privativa e reservada

Não estacione, parada proibida

Siga em frente por longos anos

Se não der pra ir de carro, vá de avião, de barco

Voe, nade, se arraste, mas prossiga!

Você chegará ao seu destino…

Alda M S Santos

Simplesmente, viaja…

SIMPLESMENTE, VIAJA…

Da janela, na janela, para o mundo

Simplesmente, viaja…

Ora em grandes navios no vasto oceano ou em barquinhos de pescadores

Ora em aviões bimotores, supersônicos ou teco-tecos

Simplesmente, viaja…

Ora em foguetes para o espaço sideral ou fugindo no calor do deserto

Ora caminha em florestas densas e fechadas ou deitada na relva sob o luar

Simplesmente, viaja…

Nas páginas de um livro, romance, poemas

Sozinha ou acompanhada, lutando ou desanimada, feliz ou nem tanto

Nas asas da imaginação, da memória

Nos capítulos felizes ou infelizes do passado

Ou nos capítulos sonhados para o futuro

Simplesmente, viaja…

Num mundo criado pelos outros, para os outros, ela se inclui

Sente-se parte, faz parte, mergulha

Vive, revive, imagina-se…

E cria, assim, sua própria viagem…

Simplesmente, vive…

Alda M S Santos

Qual seu barato?

QUAL SEU BARATO?

Em tempos dos mais variados alucinógenos

Das mais complexas e temidas doenças mentais e emocionais

Fugas são sempre um modo de reagir ao que incomoda

Os “baratos” são meios de tornar mais leve o que é pesado

Drogas de todo tipo dão a ilusão de paz

A falsa sensação de leveza que acaba por tornar-se mais pesada

Qual meu “barato”?

Leitura: viajo muito, de graça, sem sair do lugar

Natureza: encontro com o que tenho de mais natural

Música: a preferida, bem alta, com risos ou lágrimas e possibilidade de catarse mental

Escrita: divido com os outros o que nem eu mesma entendo

Atividade física: extravaso energia

Qual seu barato?

Alda M S Santos

Checkin

CHECKIN

Hora de voltar, fazer o checkin de vida, prosseguir

Conferir dados, documentos, bagagens a despachar

Facilitar acesso a itens importantes na bagagem de mão

Aqueles dos quais podemos precisar a qualquer momento.

Que colocaríamos em nossa bagagem de vida,

Se tudo que pudéssemos ter acesso se limitasse a uma mala de 23 kg,

E nada mais pudesse ser levado?

Deixaríamos muito para trás?

Que temos carregado de supérfluo a pesar em nossas costas?

Que temos carregado que não é nosso de verdade?

O quanto de importante temos deixado pelo caminho?

Temos feito bem nosso checkin de vida?

Alda M S Santos

Malas prontas

MALAS PRONTAS

Não importa para onde vamos

Se é logo ali ou atravessando o oceano

Malas arrumadas é fundamental

O que vai, o que fica,

Quem vai, quem fica?

Malas cheias, coração abarrotado…

Expectativas de diversão e alegria

Se necessário, mudamos o destino final(?),

E que possamos trazer mais que levamos

Uma alma mais leve, em sintonia com as demais

Em paz…

Vamos?

Alda M S Santos

Bagagem de mão

BAGAGEM DE MÃO

Na viagem para dentro de nós mesmos

A saudade vai na bagagem de mão

Livre e fácil acesso

Junto ao chocolate e um batom

Enquanto estes alimentam e embelezam o corpo

Aquela “satisfaz” e encanta a alma! 

Alda M S Santos

No corredor

NO CORREDOR

Na janela, no centro, no corredor,

Assim nos acomodamos para curtir o voo.

Cada qual curte essa viagem de um modo.

Dependendo do que “recebe” do ambiente

Do que busca, da sua disposição em mudar de lugar,

Do que consegue captar do local que ocupa. 

Uns querem “conquistar” tudo, curtir tudo, preferem a janela.

Outros estão sempre prontos para “sair” de qualquer situação, preferem o corredor.

Quem ocupa o meio, oscila, 

Espicha os olhos para a janela, olha para o corredor, indeciso,

Mas curte o que consegue de onde está.

Vale lembrar que o destino de todos é o mesmo.

Independente de nossa posição nesse voo,

É preciso aproveitar a viagem

Antes do destino final. 

Alda M S Santos 

Passagem comprada

PASSAGEM COMPRADA

Viemos para esse mundo com a passagem de volta comprada.

Falta apenas o carimbo com a data de retorno.

E quando acontecerá nós não sabemos.

Podemos fazer inúmeras viagens por aqui antes dela, 

E acompanhados!

Muitas são as possibilidades!

Concentrar-nos na derradeira viagem impede que aproveitemos o passeio.

Ela chegará, quer a gente queira, quer não. 

E nela iremos sozinhos!

Podemos escolher aproveitar bem todas elas.

Alguma delas pode ser nosso retorno, de avião, de trem, a pé…

 E iremos felizes de volta para casa! 

Alda M S Santos 

Viajar

VIAJAR

Quer seja sobre duas ou quadro rodas

Sobre as águas, hélices ou turbinas

Ou nas asas da imaginação…

Não importa o meio de transporte, 

Importa que queiram estar com a gente

Que apreciem estar conosco,

Que valorizem e lutem para estarmos juntos. 

Família, amigos, amores…

O que todos queremos, 

O que todos precisamos…

É ir longe, bem longe…

Sem perder o próprio chão

Alda M S Santos

O que fazemos nessa nau? 

O QUE FAZEMOS NESSA NAU? 

Há dias, períodos e fases que queremos jogar tudo para cima.

Chutar o balde, rodar a baiana, subir nas tamancas. 

Ou, diferentemente disso, enfiar debaixo das cobertas, atrás de uns óculos escuros num canto qualquer, sermos invisíveis.

De verdade: quantas vezes nos perguntamos a que viemos, o que estamos fazendo nessa nau? 

Milagrosamente, algo sempre nos tira de lá. Desse buraco escuro do nosso existir.

É preciso sempre acreditar que é apenas fase. Que vai passar. Por mais difícil que pareça.

Muita gente desistindo na primeira pedra ou buraco do caminho.

Não sabem que muitos caminhos, aparentemente errados, difíceis ou sombrios foram dar em veredas maravilhosas!

Tenhamos fé! Em nós mesmos, Naquele que nos enviou, nos acompanhantes que nos deu. 

Alda M S Santos

Na estação

NA ESTAÇÃO

O trem partiu…

Ela ficou ali, sentada sobre as malas carregadas, como num filme antigo.

Seu bilhete ia só até ali.

Olha o trem se afastando lentamente

Tem medo, não queria ficar, queria seguir 

Domina o impulso de correr atrás.

Esse não volta.

Será o fim da viagem? 

A linha continua, não para ela.

Tantos já desceram, não os vê…

Outros tantos, queridos, seguem naquele trem…

Ficar parada ali não é opção

Estação é passagem, não destino

Olha para as demais linhas,

Há bifurcações, outros destinos,

Encaminha-se lentamente para o guichê.

Escolhe um destino desconhecido e aguarda.

Novos passageiros, nova viagem

Recomeços…

Alda M S Santos

ADEUS

ADEUS

Tudo tem começo, meio e fim, 

Tempo contado, prazo de validade

Não importa!

O que vale é aproveitar, curtir, mergulhar fundo

Esgotar as possibilidades

E não se lamentar

Apenas agradecer!

À vida, a Deus, gratidão.

A essa terra, a esse mar maravilhoso, adeus! 

Até breve! 

Alda M S Santos

Viajando

VIAJANDO

Na mala, biquínis, shorts e chinelos

Vestidos, óculos escuros, protetor solar…

No coração, expectativas, sonhos, alegrias, aqueles que amo, 

Que vão e que ficam…

Na alma, a eterna busca pela paz, necessária a qualquer momento.

Para trás: aconchego, porto seguro.

Levo saudades daqui…

Trarei saudades de lá…

Melhor do que ter pra onde ir é a certeza de ter pra onde voltar.

Alda M S Santos 

Arrumando as malas

ARRUMANDO AS MALAS

Arrumar malas exige critério, seleção, paciência.

Não se pode levar tudo!

Mudas de roupas de acordo com a estação, artigos de higiene, calçados…

Depende do tempo que ficaremos longe.

Costumamos colocar também expectativas: passeios, diversão, descanso, família, amigos, amor, novos lugares e pessoas.

Quase sempre boas, dependendo também

das companhias a bordo, do motivo da viagem e do destino pretendido.

Para uma viagem curta, tudo é mais tranquilo e fácil.

Se for uma viagem longa ou definitiva, torna-se mais difícil saber o que levar, o que deixar…

Um modo fácil de saber é anotar tudo que usamos, tudo que necessitamos, todos em quem pensamos durante um ou dois dias.

Tudo da lista é importante, fará falta. Se der pra levar, ótimo!

Há coisas e pessoas que só irão no pensamento, no coração.

 Lá haverá substitutos para alguns. Para outros, o jeito é aguardar o retorno ou cultivar boas lembranças. 

Isso faz parte de toda viagem…

No ar, no mar, na terra ou na imaginação.

É preciso aceitar e aproveitar. 

Boa viagem!

Alda M S Santos

Viagem

VIAGEM 

Viajar é muito bom. 

 Há várias maneiras de fazê-lo! 

Viajamos de ônibus, de carro, de trem, de avião, de navio, de livro…

Nas páginas de um livro vamos mais longe, é muito prazeroso e com pouco gasto. 

Mas se quisermos viajar por aí acompanhados é só fincar raízes nos corações dos outros. 

As pessoas que moram no coração das outras nunca ficam pra trás. 

Vão com elas onde quer que elas forem. 

Sempre serão lembradas, faladas, queridas, saudadas…

Ando viajando por aí…

Levo viajantes por aqui…

E seguimos nossa viagem até o destino final. 

Alda M S Santos 

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: