FEZ AS MALAS… E FOI
Quando não mais a cabia, sentia-se apertada e desconfortável
Fez as malas e foi…
Quando o que se apresentava não era o bastante, machucava, atemorizava
Fez as malas e foi…
Quando caiu por terra a esperança de tudo melhorar, do chão se levantar 
Fez as malas e foi…
Quando o amor não mais justificava as batalhas sofridas
Fez as malas e foi…
Quando o viver produzia mais nuvens escuras e pesadas,
Chovia mais lágrimas que sorrisos
Havia mais chuva que dias ensolarados
Fez as malas e foi…
Ou quando a paixão por isso aqui não foi grande o bastante para fazer o amor acontecer
E a tristeza e desolação se aliavam ao medo que trazia no olhar
Sequer deu tempo de fazer as malas
Simplesmente, foi…
Tentando não olhar para trás
E levou na bagagem apenas dor e saudades de tempos mais livres
Em que abraços só nos contagiavam de alegria …
Mas quando o amor apertava tanto o peito, a consciência doía,
A saudade feria, a vida se esvaía
Fez as malas, encheu-se de fé e esperança, de Deus
E…voltou…
Ir ou ficar, lutar ou desistir,
Esperar, acreditar, se proteger e confiar,
O que é maior prova de amor à vida?
Alda M S Santos