AMANHECENDO

Uma nesga de luz atravessa a persiana
E entra sem cerimônia, sem pedir licença
Invade espaços escuros, traz o alvorecer
Acordo, não era pesadelo, acabo por perceber

A angústia e o medo estão ali ainda, apertando
Silêncio lá fora, barulhos cá dentro, sufocando
Insegurança, apreensão misturada à esperança
Coragem e fé com os temores lutando

Mais um dia começando…
Há muito ainda por fazer… será?
Terei tempo, energia, saúde… a que preço?
O que a vida me reservará.. eu mereço?

Friozinho, pássaros em alvoroço… levanto?
A luz do sol parece indiferente à minha exitação
Não respeita barreiras ou obstáculos
Segue invadindo, iluminando… pura excitação

Mais um dia… levanto e acendo em mim o alvorecer
Ao medo peço para esperar o que irá acontecer
Até quando… quem poderá dizer?
Uma oração… vou amanhecer…

Alda M S Santos