ELA CONVIDA
Apenas um ser solitário na multidão consciente de si
Ouve ecos de muitos corações a tocar o seu
Caminha como se flutuasse entre nuvens de algodão
Uma pluma ao sabor do vento sendo levada
Um certo receio em acreditar no que via
A luz é forte, intensa, brilhante
Atinge de forma ímpar sua alma
Aquece cada recanto carente de calor
Gira, rodopia, se encanta com sons
Cada cor parece mais forte e bonita
Há música, melodia suave, quer dançar
Tudo parece mais belo, perfumado e colorido
Parece que estava presa num porão qualquer
Sequestrada pela vida, pela necessidade de crescimento
O resgate foi pago, a vida foi devolvida
E ali estava ela num mundo novo
Muito mais bonito, muito mais humano
No sentido mais literal e verdadeiro que poderia haver
Cada coração único e solitário via os demais de modo diferente
Sentia que era parte imprescindível no todo
Assim como todos os demais também eram necessários
O mundo agora só fazia sentido na união
Alguém chegou até ela, deu um abraço
Dançaram juntos pela rua a festejar
A comemorar uma nova chance de viver e fazer diferente
A esperança era o que havia no caminho a seguir
E convidava a todos: vamos?
Alda M S Santos