QUEM SERÁ?
Ela me pedia para poder ajudá-lo
Porém, não usava as palavras, mas a mente
Eu ouvia atenta, disposta a atendê -la
Mas não sabia o que poderia fazer
Qual era o problema ela não sabia me dizer
Mas que só eu poderia aquele dilema resolver
Que posso fazer, não sei como ajudar
Use a poesia e ele aparecerá, pode apostar
Nessa conversa mental com alguém que não conheço
Eu buscava em mim um modo de ser útil
De atender aquele pedido feito com tanto apreço
Quem será que está precisando de mim?
Será que posso mesmo ajudar?
Essa questão ficou em mim a martelar
Vou olhar por aí,
Talvez não seja só o meu sonhar…
Alda M S Santos