UMA FADA, UM OGRO

Uma fada invadiu suavemente meus sonhos

Brilhava, flutuava, chegava, desaparecia

Eu estendia os braços e ela a mim se unia

Numa brincadeira de luz e sombra, reluzia

Nesse constante vai e vem um ogro surgia

Amedrontada, frágil, ao lembrar dela me fortalecia

O ogro chegava, tentava, assustava

De gato e rato brincava, não agradava

Mas a fada sem medo se levantava, me ajudava

O ogro desistia, ia embora, se cansava

E para aquele mundo encantado eu voltava

Quase como uma só, a fada me acompanhava

No reino dos sonhos ela era parte de mim, me encorajava

Nenhum ogro mais se aproximava

Fugia daquela magia que até a ele encantava

Alda M S Santos