DISFARCES

A vida é para quem gosta de enigmas

Para quem não perde as estribeiras

E fica até o fim nessa brincadeira

Aqueles que conseguem perceber e agradecer

Os anjos disfarçados de amigos

Os aprendizados atrás das dores

Os colos disfarçados de sermões

A proteção escondida num adeus

A vitória que muitas vezes parecia ser uma perda

E há ainda alguns entraves no caminho também

Pistas falsas escondidas atrás de sorrisos

Caminhos duvidosos em belas pessoas

Coisas e bens materiais se passando por felicidade

Inveja se interpondo em estradas que seriam limpas

Invasores de espaços e bens alheios

Mas ela também vai ensinando

E quem se dispõe a aprender

Já consegue escapar de suas ciladas

Já não leva gato por lebre

Percebe que a felicidade é a que mais se encontra disfarçada

E que o amor também é o mais fraudado

Um bom “jogador” nessa vida

Sabe que a felicidade não tem qualquer requinte

E que o amor é o mais complexo, mas o mais simples dos sentimentos

Retire tudo, qualquer adereço, qualquer acessório

Qualquer artificialidade ou maquiagem

Quando estiver despido de tudo

Nu de corpo e de alma

Se o que ficar estiver limpo, se te fizer bem, isso é amor

Se encontrar o amor aí encontrou a felicidade

Sem disfarces!

Alda M S Santos