Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Tag

primavera

É tempo de desabrochar

É TEMPO DE DESABROCHAR

É tempo de desabrochar
Rosas em tantos belos tons
Brancas, amarelas, laranjas
Qual mais te causa frisson?
Azul, cor-de-rosa, champanhe, vermelha
Despertam o sentir, acendem a centelha
Rosas são em nós puro simbolismo
Prenúncio de amor, amizade e otimismo
É tempo de desabrochar…
Suavidade no toque, perfume de inebriar
Rosa atrai, encanta, sabe eternizar
O que faz bem, leva-nos  a apaixonar
E terá sempre em nós um bom lugar
É tempo de desabrochar…
Em cada alma há um botão
Fechado ainda, aguardando a melhor ocasião
Prestes a se abrir, ser emoção
Espalhando boa energia em cada coração
É tempo de desabrochar…
Branca, laranja, vermelha ou amarela
Tanto faz, todas são belas
Vale mesmo o que você traz
Que faz brilhar os olhos dela
É tempo de desabrochar e encantar…

Alda M S Santos

É Primavera

É PRIMAVERA
O mês pode ser novo, nova estação a caminho…
Renovando as esperanças, criando expectativas
Mas a primavera é construída bem antes
Não surge de uma hora para a outra…
Para que possamos receber suas flores
Suas cores, perfume, brilho e beleza
Temos que tê-la cultivado desde o inverno
Aquele escuro e frio que nem todos apreciam
Mas de onde brotam as mais belas rosas
Os mais belos e fortes sentimentos…

Alda M S Santos

Flor é poesia

FLOR É POESIA

Se é cor, é pura intensidade
Se é delicadeza é suavidade
Se é perfume, é atração, magia
É flor, é beleza, é poesia

Nada há nela de falso ou artificial
Num belo jardim ou no quintal
Flor é poesia, na calmaria ou vendaval
Pura doçura, acalma qualquer mal

Em broto, botão, belo desabrochar
Como o poeta aos poucos a versar
Abertos para o mundo encantar

Flor é na natureza a melhor poesia
Enfeita a vida, sinal de paixão, amor
Vale como abraço, é calor, tem valor

Alda M S Santos

Bem-vinda

BEM-VINDA!

Um broto em cada cantinho
Em cada canteiro, uma flor
Em cada flor, uma esperança, um caminho
Tudo é alegria, tudo é perfume e cor
Ninguém quer ser ou estar sozinho
Borboleta, joaninha, passarinho
Todos querem fazer parte desse mundinho
É primavera que chega, sempre chega
Alegria que tanto a gente almeja
Podemos ouvir os sons, a sintonia
A música que a vida toca, a harmonia
O desejo de dançar, ser amor, magia
O inverno fica para trás, diz: até breve
Ele volta, sempre volta, nos resfria
Mas não assusta quem tenta ser luz, cor, calor
Quem carrega a primavera dentro de si
Em harmonia com todas as estações
Vivendo intensamente todas as vibrações
Bem-vinda, primavera!

Alda M S Santos

A primavera chegará

A PRIMAVERA CHEGARÁ 
Podem deixar meus frutos cairMinhas flores não vingaremE as folhas voarem por aí Meus galhos podem estar quebrados E tudo parecer abandonado Mas a primavera chegará  …
Podem tirar tudo de mimDeixar-me nua, frágil, expostaAos malefícios do desamor e do tempo À mercê de todo contratempo Mas a primavera chegará…
Minha raiz, minha base, minha essência Estas estarão intocadas, recolhidas Em intenso trabalho de regeneração E, no tempo certo, com força total retornarão A primavera chegará…
Assim é na natureza, nos seres humanosNa seca, no deserto, nos corações mundanosAssim também é no planeta, na Terra Deus é bom, é Pai, nunca erraA primavera chegará…
Alda M S Santos

Primaveras de dentro

PRIMAVERAS DE DENTRO

Quem vê a beleza de uma rosa,

Sua frescura, sua cor e perfume

Intensa delicadeza e suavidade

Não imagina quantos obstáculos rompeu

Quantas dores sofreu, sede passou,

Insetos e pragas enfrentou,

Ou quanta persistência foi necessária

Para chegar a mostrar tamanho esplendor.

De tantas lutas ficaram os espinhos,

Lembrança de que nada se alcança,

Por mais delicada e bela, sem lutas.

Foi inverno, é primavera!

Mas nada dura para sempre!

Nem os invernos, nem as rosas, nem as primaveras,

Fora ou dentro da gente.

Alda M S Santos

Meu jardim

MEU JARDIM

Amo cultivar meu jardim

Pequeno ou grande, não importa

Quero apenas que seja assim

Uma saída, uma porta

Uma entrada para dentro de mim

Tantas cores, cada uma mais bela

Tanto perfume e suavidade

Adentrando em minha janela

Um toque de delicadeza, de simplicidade

No rubro, rosa, branca ou amarela

Misturo-me às rosas, camuflo

Ali quietinha, adormeço

E que venha a chuva, o sol, as borboletas

As joaninhas e beija-flores, puro apreço

Disputando rosas e violetas

Já nem sei quem sou

Gente, bicho ou flor

Sei lá, não me importo

Serei feliz, seja como for…

Alda M S Santos

Quero chuva

QUERO CHUVA

Quero chuva na minha primavera

Abraços e amor quando tudo for solidão

Uma vida por demais sincera

E alegria constante no coração

Quero chuva para disfarçar meu pranto

Fazer brotar meus jardins internos

Dos pássaros ouvir o canto

E amigos cada vez mais ternos

Quero chuva para irrigar a vida

Lavar e levar para longe

Tudo que não for bênção, mão amiga

Em ouro, prata ou bronze

Quero chuva, quero alma, quero paz

Quero um viver mais eficaz

De humanos mais amigos

E que não seja tão fugaz!

Quero chuva!

Alda M S Santos

Somos primavera

SOMOS PRIMAVERA

Nos longos e escuros invernos

Tal qual a semente que sob a terra adormece

Quietinha, hiberna, se aquece

Estamos nós sonhando com abraços ternos

Em busca daquilo que a alma carece

Reclusos, confusos, tantas vezes obtusos

Vamos desabrochando, as dores ignorando, a luz enxergando

Acordando de novo para a vida, enaltecida

Somos brotos, somos folhas, somos flores, somos cores

Somos perfume, delicadeza, esquecidos das dores

Somos primavera que atravessou o frio inverno

E abraça, feliz e bela, o mundo de coração fraterno

No inverno ou na primavera

Somos amor, desejo, quimera…

Alda M S Santos

Quando sou primavera

QUANDO SOU PRIMAVERA

Quando sou primavera

Sou flor, cheiro, cor

Beleza, harmonia

Atraio, encanto,

Perfumo e embelezo…

Porém, não sou primavera todo o tempo

Venho de invernos frios, longos e solitários

Quase destruída nos verões de muitos ventos e tempestades

Abandonada e recolhida em mim mesma nos outonos

Em que perdi boa parte de mim…

Reconstruí, floresci, renasci….

Enfim, primavera!

Trago comigo arraigados

Meus verões, outonos e invernos…

E com eles, quem me acompanhou

Com eles quero dividir

Minhas flores, minhas alegrias, meu perfume

Minhas cores, meu encanto!

E sigo devagar, sem pressa…

Nas chuvas e nas brisas vou florindo meu jardim

E me abasteço para o próximo outono

Ele sempre vem!

Alda M S Santos

Primavera: música e poesias no Abrigo Frei Otto #carinhologos

PRIMAVERANDO

PRIMAVERANDO

Doce expectativa, espera tranquila

Raízes que se desenvolvem e grudam no tronco da mangueira

Buscam ali os nutrientes que precisam para crescer

Sem causar danos, perfeita harmonia

Numa manhã, alguns botões surgem

Se abrem para a luz, para o calor do sol

Tal qual meu sorriso a saudá-las

Brancas, lilases, rosas, amarelas e mescladas

Passo a vigiar, parecem demorar mais

Noutra manhã, mais cores, perfume, ternura

Beleza pura e delicadeza que encantam

Que necessitam para ser tão belas assim?

Precisam antes terem sido plantadas no coração

No desejo de quem as ofereceu ou recebeu

No carinho de quem cuidou e por elas esperou

Precisam do tempo, do repouso, da paciência, da reclusão

Fases que a maioria não nota, sequer considera

Querem apenas a beleza da flor, que antes foi raiz, galhos, folhas

Quem curte apenas a orquídea em flor perde todo um processo de vida

Que germina, brota, cresce, luta pela sobrevivência

A flor é mesmo bela, digna de admiração e encanto

Mas quem acompanha todas as etapas do desabrochar, do primaverar

Sabe mesmo ser jardim!

Vale para jardins de flores ou de pessoas…

Alda M S Santos

Quando primavera

QUANDO PRIMAVERA

Quando sou primavera

Sou flor, cheiro, cor

Beleza, harmonia…

Atraio, encanto,

Perfumo e embelezo.

Porém, não sou primavera todo o tempo

Venho de invernos frios, longos e solitários…

Quase destruída nos verões de muitos ventos e tempestades.

Abandonada e recolhida em mim mesma nos outonos em que perdi boa parte de mim…

Reconstruí, floresci, renasci….

Enfim, primavera!

Trago comigo arraigados

Meus verões, outonos e invernos…e com eles

Quem me acompanhou.

Com eles quero dividir

Minhas flores, minhas alegrias, meu perfume, minhas cores, meu encanto!

Sabiamente, me abasteço para o próximo outono.

Ele sempre vem!

Alda M S Santos

Repostando

Estações

ESTAÇÕES 

Nascemos Primavera, flores, beleza, encanto, projetos, sonhos, árvores a plantar,

Crescemos Verão, sol, calor, energia, diversão, frutos a colher, realizações,

Amadurecemos Outono, perdas, danos, reconstrução, seletividade, recomeços,

Envelhecemos Inverno, sabedoria, tranquilidade, paz, serenidade, resignação, calmaria…

Não há como escapar das estações de nossas vidas.

 É preciso aproveitar! 

Nada impede que possamos curtir os veranicos em pleno outono ou inverno. 

Nossa estação “interna” apenas nossa alma pode determinar…

Alda M S Santos

Outono

OUTONO
As folhas caem, o ar se veste de tons amarronzados,
A brisa suaviza, esfria, galhos ficam seminus,
O clima resseca, a natureza se protege para a temporada gelada.
Sábia, antevê tempos difíceis, reserva energia.
Para muitos, a beleza e alegria se perdem no outono,
Para outros, elas apenas ficam camufladas, protegidas, resguardadas.
Um outono verdadeiro é muito mais lindo que uma primavera forçada.
Quantas vezes precisamos ser outono, nos resguardar, fortalecer,
E insistimos em ser primavera, desperdiçando energia valiosa?
Quando encaramos de frente os outonos de nossas vidas,
O inverno torna-se menos pesado e retornamos com esplendor redobrado,
Deixando a primavera desabrochar no tempo certo,
Com novo brilho, novas cores, novas flores, novos amores,
Nova vida!!!
Alda M S Santos

Quando Primavera

Quando sou primavera

Sou flor, cheiro, cor

Beleza, harmonia…

Atraio, encanto,

Perfumo e embelezo.

Porém, não sou primavera todo o tempo

Venho de invernos frios, longos e solitários…

Quase destruída nos verões de muitos ventos e tempestades.

Abandonada e recolhida em mim mesma nos outonos em que perdi boa parte de mim…

Reconstruí, floresci, renasci….

Enfim, primavera! 

Trago comigo arraigados

Meus verões, outonos e invernos…e com eles

Quem me acompanhou.

Com eles quero dividir 

Minhas flores, minhas alegrias, meu perfume, minhas cores, meu encanto! 

Sabiamente, me abasteço para o próximo outono.

Ele sempre vem! 

Alda M S Santos 

Setembro

O mês pode ser novo, nova estação a caminho…
Renovando as esperanças, criando expectativas
Mas a primavera é construída bem antes
Não surge de uma hora para a outra…
Para que possamos receber suas flores
Suas cores, perfume, brilho e beleza
Temos que tê-la cultivado desde o inverno
Aquele escuro e frio que nem todos apreciam
Mas de onde brotam as mais belas rosas
Os mais belos e fortes sentimentos…


Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: