Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Tag

poemas

Versos

VERSOS
Os versos falam todo o tempo
Não há verso mudo, calado
São expressões infinitas de sentimento
Cada qual os recebe de acordo com seu entendimento
Há versos que falam de fazer amor
Outros de amizade, de intensidade
Há os gritos de aviso, denúncia ou alerta
Quase sempre estão na medida certa
Mas na medida meio confusa do poeta
Há versos que querem curar uma dor
Cicatrizar uma alma machucada, ferida
Há versos com raiva, compram uma briga
Há versos que tentam saldar uma saudade
Ou fazer do sonho uma realidade
Talvez no silêncio cantem uma vontade
Ou gritem aos quatro ventos sua necessidade
Os versos são uma linguagem única
Entende quem quer, quem pode
Quem aprecia, entra em sintonia
E faz do verbo, na rima, no verso
Sua vida, sua alma registrada em poesia
Alda M S Santos

Poetas

POETAS

Captar um momento sublime com sensibilidade

Encantar-se com detalhes mínimos da natureza

E disso fazer belos versos com destreza

Só os poetas têm essa habilidade

Inebriar-se com um momento de sensualidade

De atração, carinho, boa vontade

Descrever o ato de amar com sonoridade

Sem vulgaridade ou maldade

Expor emoções, intimidades, sentimentos

Com a coragem ali exigida para se expressar, desabafar

Numa história sua ou não,

Só outros poetas sabem captar

É preciso saber ler o não dito

Entender o que a outros passa despercebido

Num jogo de palavras gritadas no silêncio, nas entrelinhas

Aquilo que nem sempre vale a pena ser estendido

Um poeta encontra em outro parceria, compreensão

Um alguém que faz dele um irmão

Que usa a arma, a cura mais perfeita da emoção

O ato de dividir com outro seu coração

Alda M S Santos

Poetas

POETAS

Todo poeta é adepto de um pouco de solidão

Pois é desses momentos que brota a inspiração

Mergulhamos em densa ou suave conversação

Vamos para um cantinho de nós mesmos em reflexão

Somos nós, poetas, uma espécie ruminante da criação

Tudo ingerido, ruminamos, fazemos a “digestão”

Num canto, acompanhados pela nossa imaginação

Usamos o amor que trazemos em nosso coração

Criamos prosas, versos, nossa mais íntima exibição

Daquilo que em nós extravasa, e é muita emoção

Não dá para guardar, não fazemos estoque, não

Se você viu um poeta em momento introspecção

Talvez ele te ignore ou não te dê muita atenção

Mais saiba, não é descaso, é a arte da criação

Alda M S Santos

Rascunhos

RASCUNHOS

Somos meros rascunhos a viver

Uma página rabiscada, por escrever

Um verso torto, inacabado

Um sonho bom a ser realizado

Estamos sendo aqui rascunhados

Compondo uns poemas rimados

Em busca de uma prosa, um dueto

Ou de um amor versado em soneto

A composição será ainda mais bela

Quando passada a limpo, nova tela

O amor pintado com toda tinta da aquarela

Somos a folha, o verso, a trova, a poesia

O tinteiro, a pena, a tinta, a doce magia

Nossa história: realidade vivida ou boa fantasia?

Alda M S Santos

Somos todos poesia

SOMOS TODOS POESIA

Em nosso caminhar do dia a dia

Tristes, felizes, falantes ou calados

Tranquilos, afoitos, solitários ou acompanhados

Somos todos poesia…

Carentes, completos, amantes ou amados

Profundos ou superficiais, intensos nessa louca travessia

Juntos, separados, magoados ou abandonados

Somos todos poesia…

Doentes, sadios, loucos ou apaixonados

Sentados no caminho, subindo numa árvore, seguindo ou parados

Lutando por uma fantasia ou sofrendo de paralisia

Somos todos poesia…

Poesia aberta a quem possa apreciá-la

Poesia que carece de alguém que a leia, que a sinta

E possa transformar nosso avesso em versos

Que organize nossa confusão em rimas

E que faça de nós um poema, sua maior obra-prima

Somos todos poesia…

Alda M S Santos

Leia-se!

LEIA-SE!

Hoje é o Dia Internacional do Livro

Leia, releia um livro, emocione-se

Tente, se nunca leu, pode se apaixonar

“Esqueça” um livro por aí,

Para que alguém o encontre

Presentei-se, faça-se bem, regue seu interior

Equilibre sua razão e emoção

Leia livros digitais, impressos, antigos ou novos

Alimente sua mente, sua alma

Viaje!

Encontre-se nos versos de um poema

Compreenda ali sua trajetória, ou parte dela

Ler um livro é o melhor modo de entender o mundo

É um jeito de aprender a ler o outro

A maneira mais eficaz de entender a si mesmo

Quem sabe um dia você escreva um livro, um verso

Sobre si, sobre o outro, sobre o mundo

Sobre essa grande interação que vivemos

Pois, fazer parte de uma história

Todos nós já fazemos

A mais linda história que alguém já escreveu

A história da nossa vida!

Leia-se!

Alda M S Santos

O POEMA QUE DEU NOME AO LIVRO

Respondendo a quem quis saber o porquê do título, esse é o poema que deu nome ao livro…

QUANDO NÃO ESTOU EM MIM

Procuro-me em todos os cantos

Tento me identificar, me localizar

Saber onde me encontro

Quando não estou em mim.

Se eu não estivesse mais aqui

Onde poderia ser mais facilmente encontrada?

O que remeteria as pessoas diretamente a mim?

O que olhariam e diriam: isso me faz lembrar dela!

Uma cachoeira, uma mata densa, pássaros, borboletas, flores?

O mar, um rio, a chuva, as estrelas, a Lua cheia?

Certamente, sinto-me em casa junto a tudo isso.

Um sorriso, um abraço, uma palavra, um poema? Identifico-me.

Meus filhos? Claro, partes mais lindas de mim.

Meus pais? Sim, sou parte deles.

Meu amor, meus amigos? Alguns deles, os que me amaram, me entenderam, sintonizaram comigo.

Em cada pessoa que passou por minha vida, que me agregou valores, me fez feliz, me fez sofrer?

Sim, foram também partes de mim.

Estou em muitos lugares, em cada pedaço de chão que pisei

No ar que respirei, mas, principalmente, no amor que doei.

Se quiserem me encontrar, procurem em tudo isso,

Também no sorriso de uma criança,

Na nostalgia de um idoso, no abraço de um casal apaixonado…

De preferência, num dia de chuva.

Eu estarei lá!

Quando não estou em mim estou naqueles que amo,

Onde quer que estejam.

E estar neles, é um modo de estar em mim.

Alda M S Santos

QUANDO NÃO ESTOU EM MIM

A poesia está em toda parte, mas é preciso sentidos alertas para captá-la.

Transformar em poemas e prosas poéticas parte dessa poesia é o objetivo principal dessa obra.

Captar sensações, sentimentos, a relação com Deus, com o outro, consigo mesma é trabalho minucioso, prazeroso.

Destrinchar relacionamentos de amizade, de amor, de carinho, relações conturbadas, fazer da poesia sua maior catarse.

E, o principal, fazer com que o leitor sinta-se parte disso tudo é o desejo da autora.

Mesmo quando ela não está em si mesma, procura se encontrar no outro.

E deseja que, em contrapartida, ele também nela se encontre quando estiver distante de si mesmo…

GRATUITO na Amazon.com.br até hoje. Baixe o seu!

Simplesmente, viaja…

SIMPLESMENTE, VIAJA…

Da janela, na janela, para o mundo

Simplesmente, viaja…

Ora em grandes navios no vasto oceano ou em barquinhos de pescadores

Ora em aviões bimotores, supersônicos ou teco-tecos

Simplesmente, viaja…

Ora em foguetes para o espaço sideral ou fugindo no calor do deserto

Ora caminha em florestas densas e fechadas ou deitada na relva sob o luar

Simplesmente, viaja…

Nas páginas de um livro, romance, poemas

Sozinha ou acompanhada, lutando ou desanimada, feliz ou nem tanto

Nas asas da imaginação, da memória

Nos capítulos felizes ou infelizes do passado

Ou nos capítulos sonhados para o futuro

Simplesmente, viaja…

Num mundo criado pelos outros, para os outros, ela se inclui

Sente-se parte, faz parte, mergulha

Vive, revive, imagina-se…

E cria, assim, sua própria viagem…

Simplesmente, vive…

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: