Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Tag

Anjos

Os anjos não dormem

OS ANJOS NÃO DORMEM

Enquanto brincamos nesse intenso viver

Correndo e “aprontando” para todos os lados

Os anjos estão pra lá e pra cá a nos proteger

Longe ou perto, nunca estão cansados

Os anjos estão alertas, nunca dormem

Sua tarefa por aqui é descomunal

Já imaginou quantas vezes

Foi salvo de situação do mal?

Alguns estão tão perto, mas não notamos

Outros são especiais, nós não os vemos

Só encontramos à noite, quando adormecemos

Aí sim passeamos com eles por todo canto

Terra, céu, matas e cachoeiras, qualquer doce recanto

Falamos, abraçamos, amamos, acalmamos qualquer pranto

Alda M S Santos

Santos?

SANTOS?

Para quem neles crê, hoje é o dia deles

Todos os santos e mártires, conhecidos ou não

Quantos haverão por aí escondidos

Aos quais podemos em pedido estender a mão?

Famosos ou anônimos, não importa, se santos, entenderão

Certamente as dores e angústias do coração

Nossos silêncios, nossos pedidos calados

As lágrimas engolidas e os choros represados

Sabem de quantas lutas se faz uma vitória

De quantas quedas é preciso levantar com energia

E quantos sorrisos valem uma alegria…

Mesmo quando desanimaram, a fé foi sua companheira

Santos? Talvez nem saibam disso! São luz!

A eles humildemente clamamos por força nessa vida passageira…

Alda M S Santos

Um anjo passou por aqui

UM ANJO PASSOU POR AQUI

Um anjo passou por aqui

Senti o bater de suas asas suaves

Quase me ofusquei com o brilho que irradiava

E me apaixonei por aquilo que falava

Um anjo passou por aqui

Trouxe esperança, carinho, cuidado

Não tinha pressa, não se incomodava

Apenas me ouvia, minhas lágrimas enxugava

Um anjo passou por aqui

Mostrou um caminho mais colorido

Despertou-me sorrisos, alegria

E se propôs a ser meu guia

Um anjo passou por aqui

Fez-me dormir, meu coração acalmava

Meu corpo cansado acalentava

E minha alma sedenta abençoava

Um anjo passou por aqui

Quando acordei não mais o vi

Mas sua presença ficou gravada em mim…

Alda M S Santos

Um anjo de mil asas

UM ANJO DE MIL ASAS

Um anjo de mil asas

Uma querida amiga assim me define

A voar, o bem espalhar

Será que isso me redime?

Tantas vezes as asas pesam

Se é que elas existem

Não seriam apenas bondade

De uma amiga sem maldade?

Anjo ou não, sigo meu caminho

Voando, correndo, caminhando

Tentando não me perder de mim

Sempre o amor propagando

Quisera mesmo ser um anjo

Daqueles com poderes de arcanjo

Apenas um par de asas bastaria

Para levar a todos que amo

Um mundo com menos desengano…

Alda M S Santos

Anjos que choram

ANJOS QUE CHORAM

Absorvendo nossas quedas e dores

Anjos se machucam, anjos choram

Choram quando veem que insistimos no caminho errado

Choram quando nos ferimos

Choram quando ferimos os outros

Choram quando não conseguem nos ajudar

Choram quando choramos…

E o mundo chora com eles

Aqueles que estão por aí

Insistentes, persistentes, corajosos

Que se machucam, se ferem, se doem, se doam

Por aqueles que protegem nas dores

Que acolhem no sofrimento, na fragilidade

Se olharmos bem, se apurarmos nossos ouvidos

Seremos capazes de ouvir o choro dos anjos

De ver seu sofrimento atrás de sorrisos

Suas lágrimas silenciosas nas batalhas por nós

Por lutar por seres humanos melhores

Por um mundo melhor,

Anjos choram…

Quem são nossos anjos?

Alda M S Santos

Histórias ao vento

HISTÓRIAS AO VENTO

No princípio era assim: vários livros, pessoas e suas histórias

Ainda desconhecidas, a serem vividas, mas organizadas nesse livro

Um anjo, o Brincalhão, soltou todas as páginas de todos os livros

Um outro bem arteiro, Sapeca, soprou forte, bem forte

E os papéis voaram na ventania

Folhas, capítulos para todos os lados, terra, mar, montanhas, cachoeiras, campo, cidades

Áreas irrigadas e desertas, próximas e longínquas

E nossas histórias estão todas por aqui, espalhadas

Nosso papel é juntar novamente todas as páginas

Reescrever nossa história, começo, meio e fim,

Entrelaçar a outras histórias, encadernar nosso livro…

Os anjos foram mandados para arrumar a bagunça feita

Mas histórias “erradas”se misturaram e, às vezes, parecem bonitas desse jeito para uns

Mas nem tanto para outros…

Os anjos Brincalhão e Sapeca sopram de novo quando tudo parece desarrumado

Na tentativa de ajudar…

Arcanjos, querubins e serafins interferem, reorganizam

Somos autores construindo essas histórias que ora alegram, ora doem

Ora instigam, ora desanimam

Ora são puro amor e encanto

Ora são desilusão e sofrimento

E os anjos, atrapalhados e traquinas, tentam nos ajudar

Colam páginas erradas, outras certas, misturam enredos

E para desfazer e refazer dá muito trabalho, causa sofrimentos

Será que estamos com a página de alguém

Um capítulo que não é nosso

De uma história que não é nossa?

Onde estão nossas páginas para aquelas histórias que não encaixam bem

Aparentemente sem nexo, sem sentido, sem um fim no nosso livro?

Quantos capítulos que eram nossos abandonamos sem uma conclusão?

O Editor-Chefe assiste a tudo e observa nossas habilidades

E o que fazemos com o material que temos…

Afinal, Brincalhão e Sapeca nos deram oportunidades de crescimento

Que tipo de história há em nosso livro?

Um romance, terror, dramas, comédias?

Somos mesmo os autores de cada capítulo?

O quanto escrever nossa história tem implicado em apagar a história de alguém?

Se parecer sem sentido, se machucar, olhemos para o alto, “sopremos”

E um anjo virá nos ajudar…

Alda M S Santos

Uma nova chance

UMA NOVA CHANCE

Uma vida ameaçada, uma vida em risco

Uma arma de fogo, um olhar de sangue, triste, mau

Lágrimas, desespero, pedidos de clemência

E tudo ficou escuro…

Quanto tempo? Não se sabe…

Um ano se foi…a lembrança fica

A vida foi poupada- por quem, por quê?

Por quem a ameaçou, sim

Por Deus, com certeza!

Para entender seu amor e constante proteção!

O escuro ainda retorna, incomoda, dói

Uma nova chance foi dada

E precisa ser aproveitada!

Quantas vezes temos a vida poupada sem percebermos

Quantas novas chances foram-nos dadas e não aproveitadas

Quantos anjos Deus já nos enviou e nos salvaram de perigos iminentes apenas por amor

Quantos “anjos” agem de longe por nós, para nós, machucam-se, sem sequer notarmos?

Que o escuro que ainda aparece e amedronta

Seja apenas para fazer a luz ser mais brilhante…

Que o amor e bondade vençam sempre!

Em todos os corações…🙏😇

Alda M S Santos

Anjos e demônios

ANJOS E DEMÔNIOS

Sempre elegemos em nosso meio nossos anjos, nossos deuses salvadores

E também nossos demônios, nossa perdição

Numa hora é um medicamento milagroso, um alimento que cura tudo

Uma religião que salva ou condena a todos, uma máquina poderosa

Pessoas, comuns como qualquer outra, endeusadas ou endiabradas

E ali botamos nossas vidas, nossas esperanças ou desilusões

O lastimável é que nos baseamos na lei do menor esforço

Aquilo que poderá nos manter vivos e bem sem precisar sair do conforto do sofá

Independente do que estiver sendo destruído conosco ou com os outros para que esse “milagre” aconteça

Sem qualquer dor na consciência, sem atingir a alma

Quantas vezes fomos endeusados ou endemoninhados

Por nós mesmos, pelos outros

Qualquer método de salvação ou condenação

Que desconsidere a importância de nossa real participação é ineficaz

Existem anjos e demônios lá fora, muitos…

Mas os que têm poder de mudar qualquer coisa em nossas vidas

Aqueles que podemos temer ou nos quais depositar nossas esperanças

Moram dentro de nós mesmos

E ora parecem anjos, ora parecem demônios

Dependendo da situação em que se encontrem, em que atuarão

Cabe a nós despertá-los ou adormecê-los

Se quisermos nossa paz interior…

Alda M S Santos

Na madrugada

NA MADRUGADA

Ausência de luz, a cidade descansa

Sombras escuras se agigantam nas luzes artificiais

Shshshshsh, silêncio total

Crianças, jovens, famílias inteiras adormecidas

Os males, o medo, parecem muito maiores na madrugada…

Escondidos durante o dia, disfarçados na luz, de luz

Buscam os desprevenidos…

À noite parecem ganhar força

Sorrateiros, entram em lares, nas pessoas, nos corações

Se escondem, disfarçam, crescem, assustam

Invadem, arrombam, pilham, roubam,

Bens materiais, a família, a paz, o sossego, a vida…

Distraídos, por descuido ou enganados,

Muitas vezes cedemos a chave

Sonhos, pesadelos e realidades se misturam

E nossos anjos têm muito mais trabalho para nos salvar

Inclusive de nós mesmos

De nossa “escuridão” interior…

Mostrando que a luz é mais forte

E brilha imperiosa como o sol da manhã

Para aqueles que a querem ver…

Alda M S Santos

Asas Quebradas

ASAS QUEBRADAS
Para que existem os anjos, as borboletas, os beija-flores,
Esses lindos seres alados, leves, coloridos e delicados?
Certamente para encantar, enriquecer, embelezar nossas vidas
Trazer leveza, tranquilidade, despertar a paz…
Mas o trabalho deles nem sempre é fácil
Há terrenos áridos e duros, que se esqueceram há tempos
Como é estar irrigado, arado, preparado para aquecer a semente
Gerar um broto de vida…
Mas chega o momento em que as asas deles se quebram,
Perdem a capacidade de flutuar em torno de nós,
Acompanhar nossos passos, nosso crescimento
Estimular, acreditar, encantar.
São fortes em sua singeleza e delicadeza,
Firmes em sua leveza e propósito encantador
Mas também eles podem se machucar
Ferir-se nas e pelas feridas de seus encantados
E precisar de um repouso para tratar e cicatrizar suas asas
E retornar à vida.
Com novo encanto, nova leveza, novas cores…
Pois anjos, borboletas e beija-flores nunca deixarão
De cumprir seu propósito de amor.
Alda M S Santos

Nossos anjos

NOSSOS ANJOS 

Se passarmos um filme em retrospectiva de nossas vidas

Poderemos observar algo que irá sempre se repetir

Mudam o local, o cenário, os atores, a trilha sonora, até o roteiro

Porém, a história é a mesma em várias versões

Desafios e obstáculos superados.

Talvez não pareça vitória ou superação,

Mas, entre as opções existentes, nos saímos bem.

Muitos foram os buracos em que caímos, 

Os vãos em que nos esprememos.

Inúmeros desvios de obstáculos, 

Incontáveis escorregadas em falsos amigos,

Bastantes as vezes em que corremos do amor ou para o amor,

Ou nos sentamos, choramos, reabastecemos energias,

Restauramos as forças…

Veremos que em todos esses momentos havia alguém especial conosco

Enviado por Ele para nos fortalecer. 

Como essa é uma história aberta, em construção,

Quais são os obstáculos de agora, nossos “inimigos” atuais?

Quem é nosso anjo especial? 

Nunca estamos sós! 

Alda M S Santos

Anjos

ANJOS

Parece que algumas pessoas estão previamente determinadas a fazer parte da vida umas das outras. 

Isso explicaria o porquê de algumas pessoas distantes serem mais próximas, importantes e necessárias do que outras com as quais convivemos horas e horas por dia.

Com essas nada há em comum, nada se sabe ou se quer saber delas. São dispensáveis!

Já aquelas, ahhh! 

Elas são como gotas de chuva numa tarde quente…

Um chá quente na noite fria…

Um raio de sol na janela ao despertar. 

Um luar para os amantes.

Um copo d’água que mata nossa sede.

Um abraço caloroso que aquece nossa alma e restaura nossas forças. 

São a prova do amor e cuidado de Deus! 

Ele sempre nos manda exatamente aquilo que precisamos.

São anjos disfarçados de gente.

Obrigada aos meus anjos de todos os dias! Por estarem sempre por perto. 

Eles sabem quem são, pois os agradeço incansavelmente. 

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: