Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Categoria

Ajuda

Quem é quem

QUEM É QUEM

Ao longo da vida vamos aprendendo a identificar

Cada pessoa que de nós se aproximar

Para nos fazer crescer, nos dar prazer

Ficamos peritos em saber quem é quem

Quem veio para acrescentar, somar

Quem veio para nos fazer chorar

Quem veio para de nós depender

E nos fazer ter pânico de perder

Quem foi embora sem razão

Quem ficou pelo coração

Quem veio e parece nada ter acrescentado

Deixou também seu recado

Quem veio para conosco aprender

E nos fez como humanos amadurecer

Quem veio pela amizade

Ficou ou partiu, deixou saudade

Quem chegou sem avisar

E da vida só fez nos amar

Quem veio para nos fazer crer

Que a vida é bem mais que ter

É ser… ser alguém para alguém…

Quem é quem na sua vida?

Alda M S Santos

Voluntário: uma ramificação do bem

VOLUNTÁRIO: UMA RAMIFICAÇÃO DO BEM

Pense em algo que dá trabalho

Aquilo que tira você da mesmice

Que te leva a lugares inimagináveis

Que te emociona e engrandece

Que mostra lados diversos da vida

Que te aperta o coração, faz chorar, faz sorrir

Acrescente alegria, satisfação, prazer

Junte trabalho manual, pedidos, orações

Perca a vergonha de pedir ajuda para ajudar os outros

Distribua carinho, abraços, beijos, doces palavras

Encontre amigos e pessoas afins

Doem -se! Sem cobranças!

Unam -se em prol de alguém

Não desanimem!

Nada esperem em troca!

Sejam gratos, nunca superiores!

Cada um de nós tem suas falhas e carências…

Acredite que um mundo melhor começa dentro de você

Nasce em sua alma e se ramifica nas almas alheias

E, quando menos esperar, perceberá reciprocidade

A mola propulsora de tudo que é bom!

Ao preencher o que “falta” nos outros

Preenchemos também muitos vácuos em nós…

Isso é trabalho voluntário!

Isso é trabalho de amor!

Assim somos #carinhologos!

Seja um ramo de amor, seja voluntário!

Alda M S Santos

Amar ao próximo

AMAR AO PRÓXIMO

A preocupação excessiva em ganhar a grande guerra

Nos faz perder as pequenas batalhas do dia a dia

A preocupação com a conquista de uma felicidade eterna

Nos faz perder as pequenas alegrias diárias que irrigam nossa alma de amor

A preocupação em não fraquejar, em ser sempre forte

Nos faz sufocar com lágrimas presas que nos trariam grandes aprendizados, se liberadas

A preocupação em parecer sempre bem, sempre sorrisos

Nos impede de receber ou oferecer um carinho amigo, um abraço acolhedor

O cuidado excessivo em não contar com o ovo na barriga da galinha

Nos impede de comemorar pequenas vitórias

A preocupação em fazer um bem enorme e histórico

Não pode nos impedir de um bem pequeno todo dia

A preocupação em sempre agradar e satisfazer a todos

Não pode nos impedir de cuidar de nós mesmos

O amor que se doa, para ser verdadeiro começa em estar bem conosco mesmos…

Sinceridade e aceitação do que se é, independente dos outros

É fundamental nesse processo…

Amar é uma lição que se aprende de dentro para fora

Amar ao próximo começa conosco mesmos…

Alda M S Santos

#carinhologos

Dança Circular

DANCA CIRCULAR

Dança Circular é um trabalho antigo e tradicional.

Através de movimentos em roda, em pé ou sentados, libera a energia, canta, interage e se diverte…

Com idosos é ainda mais produtivo, pois os faz resgatar a autoestima, a alegria e o prazer de viver, principalmente em grupo.

Independentemente de saudades ou problemas de saúde.

Foi o que fizemos no Abrigo Frei Otto Ssvp, com Luka Benjamim e #carinhologos

Alda M S Santos

💕❤️😍🙏

Amistosos?

AMISTOSOS?

Treino é treino, jogo é jogo

A máxima dos esportes, em alguns aspectos, também se aplica à vida

A premissa de que a torcida é um jogador a mais pode ser válida

Mas nem sempre é um jogador bom e produtivo

Diante de uma torcida eufórica, a favor ou contra, quem se ”apresenta”, se mostra

Está sob avaliação externa nem sempre positiva ou justa

Abstrair-se é a instrução, olhar ao longe, ficar zen

Ou para dentro de si mesmo, ignorando as cobranças externas

Que, quase sempre, têm reflexos no que vai dentro da gente

No entanto, não dá para ignorar a relação ambígua que temos com a torcida e os expectadores

São eles que nos estimulam a ser cada dia mais e melhor

Que nos impulsionam ou detonam com a confiança ou a descrença

Apenas precisamos saber quem realmente somos e do que somos capazes

Não há barganhas, nossa torcida interna é a que precisa prevalecer

Porque na vida, ao contrário dos esportes, não há treino

Na vida não há jogos amistosos

Jogamos a valer todo o tempo

E o peso da taça somos nós que carregamos…

Alda M S Santos

Não temos esse poder!

NÃO TEMOS ESSE PODER!

Não temos poder de tirar o sofrimento de ninguém

Mas podemos desviar o foco da dor, qualquer uma

Por poucos segundos que seja

Independe se com uma “palhaçada”, uma canção ou uma flor

Um abraço fraterno, uma palavra de estímulo ou ouvido atento

Um olhar de aprovação, um toque afetuoso ou um silêncio cúmplice

O que queremos é desviar o foco daquilo que fere, corta, machuca, sangra

Queremos despertar sorrisos e afastar a tristeza

Quer seja no outro, quer seja em nós mesmos

Pelo máximo de tempo que conseguirmos

Esse poder todos nós temos…

Alda M S Santos

#carinhologos

Você não pode abraçar o mundo!

VOCÊ NÃO PODE ABRAÇAR O MUNDO!

Você não pode abraçar o mundo todo

Mas pode abraçar quem está a seu lado

Você não pode alimentar a todos que têm fome

Mas pode contribuir mais, evitando desperdícios

Você não pode aquecer a todos no inverno

Mas pode, além de cobertor, doar calor humano

Você pode não resolver os problemas de todo indivíduo

Mas pode evitar ser um problema a mais para tantos

Pode amenizar as dores de muitos com aquilo que talvez possa lhe parecer pouco

Mas pode ser o “tudo” de alguém

Pode ser os olhos de quem não vê a beleza, o brilho

Os ouvidos de quem não é ouvido, compreendido

O toque delicado em quem se sente excluído

O cuidado de amor que devolve a alguém a autoestima perdida

A palavra de estímulo para quem está desanimado

A mão acolhedora que ampara aquele que cai

O olhar e sorriso de amizade e carinho para quem se sente só

A cor, o brilho, o perfume, a boa lembrança no mundo tão cinzento de alguém

E, sim, o abraço fraterno a quem pouco tem…

Ainda que não possamos abraçar o mundo

Podemos “abraçar” o que dermos conta…

O bem contagia e se propaga

E pode atingir o mundo em efeito cascata

Enchendo também nosso mundo de cor, brilho, perfume e boas lembranças

Além de nos tornar cada dia mais fortes, mais humanos…

Um mínimo parecidos com Ele

Quem doa amor, abraço e carinho, no ato de “preencher” o outro, preenche-se

Podemos, sim, assim, abraçar o mundo!

Alda M S Santos

Fardos nossos

FARDOS NOSSOS

Muito ouvimos que Deus não nos dá fardo maior que nossas costas

Doenças do corpo e da alma, desamor, injustiças, violência

Assaltos, estupros, sequestros, amigos que lavam as mãos

Inimigos disfarçados de amigos, perdas

Falta de fé, de coragem, de lucidez…

Acreditamos e lutamos para carregar cada fardo que recebemos

Até ajudamos os outros a carregar seus fardos

Deus certamente conta também com as costas amigas que dividem o peso conosco

Amigos, amores, familiares…

Que nos ajudam nas encostas e ladeiras íngremes

Nas tempestades mais fortes, nas noites escuras como breu

Onde pesadelos nos assombram, monstros nos perseguem

E a força parece faltar, as pernas tremem, as lágrimas escorrem sem cessar

Quando queremos e pedimos que o mundo gire muito rápido

E nos lance para fora da galáxia…

Ninguém pode sentir o peso do fardo do outro

Calcular a dimensão da dor alheia

Ou a profundidade da ferida e do quanto ela sangra…

Mas pode ajudar, estender a mão, aceitar ajuda…

Ser o “anjo” na vida do outro é tornar leves dois fardos

O deles e o nosso!

É preciso pés no chão, fé no coração

Essa humildade Deus espera de nós!

Com ela temos mais chances de ser felizes…

Eu creio!

Alda M S Santos

Feminicídio: quando o amor adoece e mata

FEMINICÍDIO: QUANDO O AMOR ADOECE E MATA

Amor adoece, morre, tem fim

Ou se morrer nunca foi amor?

Mais sério ainda: amor adoece, mata, se mata?

Crimes passionais, feminicídios ou simplesmente falta de amor?

Tudo que tem vida pode adoecer, morrer.

Nessa perspectiva, amor nasceria, cresceria, multiplicaria, definharia e morreria.

Mas amor precisa de um habitat para viver, um coração para o acolher.

Necessita de um ninho quentinho e aconchegante para ser protegido e alimentado.

Para crescer e gerar bons frutos precisa de uma alma receptiva.

E se esse habitat não for apropriado, se estiver doente,

Ele infecta o amor, o adoece, ameaça, violenta

Agride, mutila, mata, se mata…

Não é o amor que morre ou mata!

Somos nós, como habitat, doentes, que o matamos ou morremos…

Amor não é doença, não é patologia!

Amor é medicação, é vacina, é cura!

E se não houver em nós força, fé e bondade suficientes,

O efeito pode não ser o esperado e morrermos na tentativa,

Ou matarmos!

Amor é saúde, é proteção, é cuidado de si e do outro,

Amor é vida!

Feminicídio é o mais alto grau da doença do amor: a posse!

E como toda doença, apresenta sinais e sintomas para ser combatido a tempo.

Cuidemos da saúde de nossos corações, de nossa alma,

Cuidemos da saúde de nosso amor!

Alda M S Santos

#feminicidio

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: