DIGA QUE A AMA
Diga que ela é maluca, que é a personificação de seus medos,
Mas que ainda assim, a ama
Diga que ela é o centro das atenções, o oposto de tudo que você é,
Mas que ainda assim, a ama
Diga que ela é expansiva demais, falante demais, sorridente demais,
Mas que ainda assim, a ama
Diga que ela é inteligente em demasia, questionadora em excesso,
Mas que ainda assim, a ama
Diga que ela é um caminho desconhecido e temerário,
Mas que ainda assim, a ama
Diga que ela é sensualidade que constrange, carinho e entrega incompreensíveis,
Mas que ainda assim, a ama
Diga que ela é tudo que você nunca pensou querer,
Mas que ainda assim, a ama
Parafraseando Pedro Chagas Freitas,
“Há muitos amores difíceis de explicar e outros facilmente explicáveis,
Sendo que só os primeiros são amores de verdade.”
Alda M S Santos