PILOTANDO UM BOEING 787

Viver é comandar um Boeing 787, sem brevê

E aprender a fazê-lo, na prática

Sem aulas ou lições prévias

Manter-se no ar, em movimento, enfrentar intempéries mil

Ser submisso ao comando da “torre”

Pilotando na base da reflexão, por intuição

Baseando-se em aprendizados obtidos na tentativa e erro

Algumas vezes até dá pra deixar no piloto automático

Descansar, relaxar, confiar no trabalho da tripulação

Ou contar, ocasionalmente, com ajuda de um co-piloto

Mas viver é ir aprendendo a pilotar um 787 com coragem

Ser capitã da prática diária

É enfrentar inimigos externos e internos

Aprender a negociar, apaziguar, evitar danos na aeronave

É saber que carrega ali muitas vidas dependentes de sua habilidade

Que basta um erro para que todos sejam atingidos

Uma falha mais grave poderá ser fatal

E levar consigo para o chão toda a tripulação e passageiros

Não escolhemos quando começamos a voar

Tampouco saberemos o momento de parar

Mas, de todo modo, não deixa de ser um voo prazeroso e emocionante…

Alda M S Santos