TORNOU-SE CRÔNICO

“Terá que aprender a conviver”-diz o médico taxativo!

Passou da fase aguda para a crônica

Aquela dor que não passa, ora evolui, ora estaciona

Aumenta, diminui, mas não vai embora

Vira para um lado, dói, remexe para o outro, dói também

Deitado ou de pé, andando ou parado

Dormindo ou acordado, sozinho ou acompanhado

Medicado ou não, sorrindo ou chorando

Quer seja evolutiva ou estacionada

Não tem solução!

Não importa se é dor ou mal do corpo, da mente ou do coração

Com mal crônico precisamos aprender a conviver

Não tem cura!

O que podemos desenvolver é a habilidade e tolerância

Para lidar com ele e não se deixar abater

Agudo ou crônico, intenso ou leve, intermitente ou constante

Nós é que precisamos reagir e tornar nossa alegria e força um bem crônico também…

Alda M S Santos