Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Tag

verbo

Emendas

EMENDAS

Rasgar o verbo pode ser um modo inteligente

De ter um bom motivo para remendar a própria vida

Alda M S Santos

Palavras

PALAVRAS
Apesar de apaixonada pelas palavras, pela comunicação verbal,
Aprendi a observar e absorver dos outros
Aquilo que eles dizem sem o auxílio do verbo.
Olhares, expressões e atitudes falam muito.
Esses dizeres são menos controláveis e mais verdadeiros.
Prefiro-os!
Alda M S Santos

Imagem Google

Amor, amar!

AMOR, AMAR!
Amor é substantivo abstrato, pois designa um sentimento:
“Amor é dor que desatina sem doer”
Amor é adjetivo, pois qualifica um ser agradável:
“Ela é um amor de pessoa”!
Amor é objeto direto, pois completa o sentido do verbo:
“Não há quem não goste de fazer amor”.
Amor é advérbio de modo, pois modifica o verbo:
“Cuida dele amorosamente, independente do que faça”.
Amor é sujeito: aquele que age sobre o verbo
“O amor cura todas as feridas”.
Amor é predicado: o que se diz sobre o sujeito:
“Aquele senhor não é muito amoroso!”
Mas principalmente, o amor é verbo.
Ele não poderia ser mais nada se não sofresse nossa ação direta ou indireta.
Amor é construção diária! Eu amo, tu amas, ele ama!
Eu sofro, tu és feliz, ele acredita! Não importa!
Verbo amar! Quero conjugar!
Em todos os tempos, modos, vozes e espaços!
Alda M S Santos

O poder do verbo

O PODER DO VERBO

Nunca podemos desfazer do poder do verbo. Nunca! 

Aquilo que trazemos dentro de nós em forma de sentimento, positivos ou negativos, são expressos de diversas maneiras: sorrisos, carinhos, silêncios, palavras…

As palavras, quando bem ditas, têm o poder de acalentar, de animar, de acalmar, de apaziguar, de alegrar um coração. Podem levar consigo o calor de um abraço, a sinceridade de um sentimento ou a dor de uma saudade.

Por outro lado, quando impensadas, podem causar mágoas, dores, danos, remorso, lágrimas, retrocesso…

Toda positividade ou negatividade que deixamos emanar dos pensamentos, palavras ou ações transformam tudo a nossa volta e, como bumerangue, retornam em forma de felicidade e satisfação ou tristeza e desânimo. 

Beijo atrai beijo, abraço atrai abraço, palavras ruins atraem palavras ruins… Não há muita gente por aí disposta a dar a outra face! 

Cuidemos de nossos sentimentos, pois não convém a ninguém prendê-los, tampouco queremos que voltem para nós de forma negativa! 

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: