Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Tag

poetas

Somos poesia

SOMOS POESIA

A poesia tem o poder de unir
De o belo e o intenso atrair
Onde houver sentimentos, beleza
Haverá poetas expressando sua natureza

É a magia e encanto dos versos
A lucidez e interação dos reversos
É a sensibilidade que gera sintonia
E une num mesmo espaço tanta alegria

A poesia tem poder de salvar esse planeta
É uma arte a olho nu, ou sob luneta
Quem ama poemas, logo aproveita

É dos vícios o mais saudável
Cria um ambiente de paz, amigável
E faz do nosso um viver adorável

Alda M S Santos

Poetas

POETAS

Captar um momento sublime com sensibilidade

Encantar-se com detalhes mínimos da natureza

E disso fazer belos versos com destreza

Só os poetas têm essa habilidade

Inebriar-se com um momento de sensualidade

De atração, carinho, boa vontade

Descrever o ato de amar com sonoridade

Sem vulgaridade ou maldade

Expor emoções, intimidades, sentimentos

Com a coragem ali exigida para se expressar, desabafar

Numa história sua ou não,

Só outros poetas sabem captar

É preciso saber ler o não dito

Entender o que a outros passa despercebido

Num jogo de palavras gritadas no silêncio, nas entrelinhas

Aquilo que nem sempre vale a pena ser estendido

Um poeta encontra em outro parceria, compreensão

Um alguém que faz dele um irmão

Que usa a arma, a cura mais perfeita da emoção

O ato de dividir com outro seu coração

Alda M S Santos

Poetas

POETAS

Todo poeta é adepto de um pouco de solidão

Pois é desses momentos que brota a inspiração

Mergulhamos em densa ou suave conversação

Vamos para um cantinho de nós mesmos em reflexão

Somos nós, poetas, uma espécie ruminante da criação

Tudo ingerido, ruminamos, fazemos a “digestão”

Num canto, acompanhados pela nossa imaginação

Usamos o amor que trazemos em nosso coração

Criamos prosas, versos, nossa mais íntima exibição

Daquilo que em nós extravasa, e é muita emoção

Não dá para guardar, não fazemos estoque, não

Se você viu um poeta em momento introspecção

Talvez ele te ignore ou não te dê muita atenção

Mais saiba, não é descaso, é a arte da criação

Alda M S Santos

A Lua mudou

A LUA MUDOU

A coluna dói mais quando a Lua muda de fase

Se o tempo esfria, aquela dor crônica nas articulações piora

Se o joelho incomoda já sabe que vem chuva

A Lua Cheia inspira os amantes

A maré baixa causa indisposição

A natureza dando sinais no corpo

Ou o corpo buscando justificativa para suas alegrias e mazelas?

Chuva, dias nublados, Sol, Lua, estrelas

Belezas, dores e amores inspiram poetas

Ou sua inspiração que faz com que vejam tudo isso

Onde ninguém mais vê?

Transformam em poemas o que veem lá fora

Ou o lá fora apenas ativa, atiça o que já têm cá dentro?

O joelho dói porque vai chover

Ou vai chover porque o joelho doeu?

Qual a mudança na Lua lá em cima

Que sensibiliza poetas cá embaixo?

Que marés são capazes de virar nossos ventos internos?

Ou será que a sensibilidade está bem mais perto daqui

E a Lua é apenas a Lua, o mar apenas o mar,

O amor apenas mais uma dor?…

A Lua mudou…

Alda M S Santos

Somos poesia

SOMOS POESIA

Não criamos poesia, somos a poesia em estado bruto, latente

Fomos presenteados com ela nas belezas da natureza, na sabedoria dos animais, nos aprendizados humanos

Na sinceridade de um olhar carregado de amor, no desabrochar de uma flor

Na esperança da alvorada, na nostalgia do crepúsculo, no céu salpicado de estrelas

Nas águas correntes do rio, no som das ondas do mar

No perfume da mata, no cheiro de terra, no brilho do sorriso de uma criança

Na saudade, nos medos, na morte, no trabalho que nos sustenta

Na mão que se estende, no abraço que acolhe, no canto alegre de um pássaro pós-tempestade

Na insistência em amar, em fazer amor, em fazer do amor a própria vida

Em tudo que há…

Nós desvelamos, despertamos a poesia que há no outro, por aí

Somos todos poetas, uns em ação consciente e outros adormecidos

Uns transformam a poesia em poema, em versos

Em músicas, fotografias, romances, esculturas, pinturas, artes…

Outros simplesmente vivem a poesia, sem se dar conta disso.

Somos todos poesia!

Alda M S Santos

Striptease dos poetas

STRIPTEASE DOS POETAS

Acaso existe alguém mais corajoso e audaz

Que aquele que se despe perante todos?

Pode haver recursos musicais, penumbra, o que for,

É coragem!

Enquanto uns tiram as camadas de roupas

Que cobrem o corpo, num jogo sensual,

Outros tiram as camadas de sentimentos,

Que recobrem a alma, num jogo emocional,

Utilizando recursos linguísticos variados,

Expressam a poesia que captam por aí,

E as apresentam lentamente, num striptease,

Até chegar à nudez total.

Como uma rosa que se abre, linda e encantadora,

Assim agem os poetas…

Nudez da alma X nudez do corpo.

Striptease democrático, para todos,

Mas poucos são capazes de entender e apreciar.

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: