Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Tag

MUDANÇAS

Um portal

UM PORTAL

Atravessou um convidativo portal
Na esperança de encontrar algo especial
Um mundo mais humano, menos parcial
Onde viver não doesse tanto
Não houvesse tanto mal
Iluminou trilhas estreitas e escuras
Saltou obstáculos, recusou saídas obscuras
Recuou diante de muitas loucuras
Escalou montanhas altas, íngremes
Encontrou lindas pessoas, doçuras
Sorriu, chorou, sofreu, caiu, levantou
Esclareceu mentiras, lutou por verdades
Disse sim ao amor, enfrentou falsidades
Restaurou a fé, renovou a esperança
Finalmente percebeu que o portal é na realidade
Seu modo de encarar sua própria verdade
Com coragem, ânimo, dignidade
Aqui ou em qualquer dimensão
Viver com gratidão e intensidade

Alda M S Santos

E o barco da vida parte …

E O BARCO DA VIDA PARTE…

E o barco da vida parte
Leva quem tem coragem
Leves e com espaços a preencher
Ou pesados de tanta bagagem

E o barco da vida parte
Deixa a segurança do cais
Em busca de novas aventuras
Talvez de um novo caos

E o barco da vida parte
Vários rumos, vastos oceanos
E o que fica é a vontade
De ser feliz também nesse plano

E o barco da vida parte
Leva alguns, deixa outros
Na saudade do vivido
Do que ficou por viver
Do que há ainda para viver

E o barco da vida parte
Todos os dias, todo o tempo
Com ou sem passageiros e tripulantes
Nem sempre a contento
Ele parte…

Alda M S Santos

Um mundo novo

UM MUNDO NOVO
Tudo aponta para um mundo novo
Há medos, dúvidas, ansiedade
Inseguranças de toda a humanidade
O mundo como conhecemos está sendo testado, remexido
Mas há que se preservar a vida
Não é só aqui ou ali
O planeta todo está sendo ameaçado, sacudido
Precisamos mesmo de mudanças
Para garantir a vida, nossas andanças
Não é só um vírus que mata
Tudo o que ele traz consigo exige reflexões
Nesse momento de escolhas difíceis
Percebemos quais são nossas prioridades
De um, de outro, de toda uma comunidade
Que sobrará disso tudo?
Estamos prontos para lidar com isso
Para recomeçar do zero se preciso for
Há em nós suficiente coragem e amor?
Alda M S Santos

Mudanças

MUDANÇAS

De nada adianta negar, fugir ou temer

As mudanças sempre irão acontecer

Na natureza, no espaço, dentro do ser

Felizmente isso faz parte do viver

A Lua, o vento, as marés são grandes agentes de mudanças

Derrubam, constroem e destroem em suas andanças

Formam dunas de areia, unem ou separam localidades

E atingem a todos nós em qualquer idade

Bom mesmo quando decidimos o que mudar

Ou o que devemos não mais aceitar, permitir

O que vale a pena manter, investir

Ir fundo em nós mesmos, crescer, evoluir

Somos um barco e não devemos ficar à deriva

Assumir o controle para onde ir é essencial

Essa é a mudança mais importante, fundamental

Um ser que muda a si mesmo faz do mundo um lugar bem especial

Alda M S Santos

E se…

E SE…

E se a Terra se rebelasse

A Natureza se revoltasse

O céu as estrelas não enfeitassem

Os namorados sob a Lua não se animassem

Será que iríamos acordar?

E se as cachoeiras secassem

As fadas ali não mais voltassem

As ondas do mar estacionassem

Os rios dos obstáculos não desviassem

Será que iríamos acordar?

E se as flores se fechassem

As árvores, tristes, tombassem

O sol de nascer se esquecesse

A chuva de nós se escondesse

Será que iríamos acordar?

E se o amor não mais nos alimentasse

Dia e noite por aqui se misturassem

A beleza e delicadeza não nos encantassem

A poesia não mais da tristeza nos salvasse

Será que iríamos acordar?

A vida no planeta Terra pede socorro

Quando iremos acordar?

Alda M S Santos

Contato

CONTATO

Tantas vezes queremos fazer contato

Contatos com extraterrestres, contatos mais humanos

Sem saber que é preciso muito tato

Pois o mais essencial é o autocontato

Aquela conexão especial que fazemos conosco mesmos

Buscando em nosso interior o fio de amor e compreensão

Numa yoga, numa meditação

Num momento relax, de prazer, de comunhão

O novo ser que precisamos nos tornar nessa nossa evolução

Irá brotar do mais íntimo de nós mesmos

De lá vem o fio conector que nos ligará aos demais

Que promoverá a verdadeira união

Uma transição de paz começa numa autoaceitação

Num ato de amor que brota na alma, cresce no coração

E se espalha por toda a nação…

Vamos lá?

Alda M S Santos

Um mundo

UM MUNDO

Um mundo mais alegre, menos sofrido

Com mais bênçãos, menos perigo

Onde todo soldado combalido

Encontre no outro um bom abrigo

Um mundo mais suave, menos amargo

Com menos “passar de pernas”, mais dar-se as mãos

Onde o amor e amizade fiquem a cargo

De seres humanos mais irmãos

Um mundo onde seja permitido sonhar

E bons desejos poder realizar

Na fraternidade e na paz nos irmanar

Um mundo onde reine o respeito e harmonia

Pelas criaturas, natureza e Criador

E que saibamos que só seremos felizes onde houver amor

Alda M S Santos

Lutos

LUTOS

Vivemos uma vida de lutos, de perdas

De despedidas, de adeus, de dores

Choramos, sofremos…

Mas toda morte e despedida trazem consigo um renascer

Um broto de vida, novo, lindo

Um recomeço…

Abrir a janela de nossos corações

Deixar a luz entrar, aquecer a terra fértil de nossa alma

Chorar, se preciso for, para irrigar

Deixar brotar nova flor, novo amor

Luto é fim de uma etapa

Recomeço de outra, nova semente pronta para crescer

Novo jardim florir, perfumar, encantar

Como ela será só depende dos jardineiros envolvidos

Sentir uma perda, viver o luto é natural e até necessário

Aceitar a mudança e cultivar o novo é essencial

Que sempre saibamos nos despedir

E acolher as novas sementes…

Alda M S Santos

Metamorfose

METAMORFOSE

Vivemos em constante metamorfose

Somos como as borboletas

Mas nossas fases se alternam infinitamente

Tantas vezes como lagartas

Figurativamente, comendo tudo do mundo

Absorvendo, aprendendo, crescendo

Outras vezes nos encapsulamos

Estamos digerindo, abstraindo,

Transformando-nos dentro dos casulos

Protegidos do exterior, introspectivos

E, finalmente, borboletas

Livres, leves, coloridas e lindas a enfeitar jardins

Até chegar o fim…

Mas somos multi-fásicos, complexos

Umas partes de nós ainda são lagartas, agitadas

Outras eternos casulos, adormecidos

Em algumas já somos borboletas, livres e belas

Puro encanto!

Esse ir e vir nas nossas metamorfoses

Lagarta, casulo, borboleta

É que nos mantém vivos por aqui

Sempre há algo a absorver, a crescer

A nos metamorfosear…

E não adianta acelerar o processo

Ou ficar estacionado numa fase só

Sob pena de morte…

Não há borboletas sem lagartas famintas

Ou sem presas inertes num casulo

Respeitemos nossas fases…

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: